Mais de 70% dos eleitores já estão decididos sobre o voto presidencial, diz DataFolha

Sorry, perifa

Por Miguel do Rosário

18 de abril de 2012 : 18h30

(Ilustração capa: Van Gogh.)

 

O Globo impresso de hoje ainda se recusava a acreditar na instalação da CPI. Observem a chamada abaixo, publicada na primeira página.

Observe que o texto fala que “não tem data prevista” e que os “parlamentares podem desistir”. Pois bem, a CPI deve ser instalada amanhã, e nenhum parlamentar desistiu. Ao contrário, esta foi a CPI que recebeu o maior volume de adesões em muitos anos, talvez seja até campeã neste sentido.

Trecho de nota publicada há pouco no Estadão:

O mínimo de assinaturas necessárias para uma CPI Mista é de 171 deputados e 27 senadores. Os dados mais atualizados mostram que já há 67 adesões no Senado e 362 assinaturas na Câmara.

A matéria do Globo confunde muito mais do que informa. O início é um terrorismo barato:

Certos de que a CPI mista de Carlinhos Cachoeira vai provocar estragos imprevisíveis no governo, no PT, em outros partidos, nos governos estaduais e podendo até chegar ao ex-presidente Lula, os líderes do PMDB seguraram até o último minuto o apoio do partido. No final, carimbaram a criação da comissão, considerada explosiva e incontrolável, como uma iniciativa exclusiva do PT.

Que mané explosiva e incontrolável? É muito engraçada esta súbita preocupação do Globo com a estabilidade do governo. Mas não cola. Agora, uma coisa é certa: o Globo vai usar todas suas armas (já tem usado, aliás) para, em aliança com a oposição, usar a CPI para fazer ataques seletivos. Beleza. Está tudo na conta.

*

artigo de Gaspari publicado hoje no Globo e sabe-se lá mais em que jornais presta colaboração leviana à tentativa de setores da mídia de confundir a opinião pública, através da transformação da Delta num grande bode expiatório. Intitulado “O medo da CPI da Tia do PAC”, Gaspari observa que a Delta doou dinheiro para campanhas de partidos da base aliada, e tem contas no PAC que chegam a R$ 3,6 bilhões. Ora, o PAC lida com orçamentos de centenas de bilhões de reais. Quanto a Odebrecht vai ganhar? Quanto outras construtoras vão ganhar? Aliás, se é para falar em dinheiro, eu queria muito saber uma coisa: quanto a mídia corporativa ganhou em verbas do Estado, incluindo todas as esferas de governo, nos últimos 10 anos. Quantos bilhões? Quantos bilhões vão faturar nos próximos 10 anos?

Todas as grandes construtoras do país fizeram doações aos partidos, e mantêm contas igualmente bilionárias com todas as esferas do Estado. Não são muitas as empresas com porte para tocar as obras monstruosas de que o Brasil necessita. Conta-se nos dedos. Todas estão envolvidas em corrupção, por conta da luta sangrenta que elas travam entre si pelos melhores contratos e, é claro, ganhar mais dinheiro. Entram na briga funcionários públicos corruptos, e aí começa a festa. É um cenário sombrio, mas é assim no mundo todo. Xaropadas lacerdistas sobre degeneração moral não adiantam nada. Tem que aumentar a transparência do setor público e fortalecer as instituições que tem o poder de investigar. Pronto. É justamente isso o que o Brasil está fazendo, e é por isso que estamos vendo tantos ratos a fugir do navio.

*

O Tijolaço escreveu um excelente post hoje, falando sobre a gana da mídia de fazer do mensalão um julgamento sumário. Eu acrescentaria uma coisa para reforçar a tese do blogueiro. A última coluna do Jabor vai pelo mesmo caminho. É uma xaropada lacerdista de terceira categoria, quase ilegível, naquela sua linguagem barroca e pedante. Termina com uma pérola que até os porcos recusariam:

Mas, o País é tão frágil, tão dependente de acasos, que vivemos com o suspense do julgamento do mensalão pelo STF. Se o ministro Ricardo Lewandowski não terminar sua lenta leitura do processo, nada acontecerá e a Justiça estará desmoralizada para sempre.

De que fragilidade fala Jabor? Se o STF estender o julgamento do mensalão por mais algumas semanas, “a Justiça estará desmoralizada para sempre”? Que ridículo!

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

6 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Luiz M. de Barros

18 de abril de 2012 às 19h49

Diante da ultima no 247 Serra parte para cima do autor da Privataria e para manter a isenção (que bom!) Ouviu o Amaury.

“Deixa de ser enganador que bolinha de papel não fere nem causa dor”. É gostoso escutar.
http://www.youtube.com/watch?v=0v2GcMe98YE

Quando acessei havia 17754 acessos depois eu volto lá para ver. O livro de papel foi isso sim um bólido na cabeça dele.

Responder

Cláudio Freire

18 de abril de 2012 às 18h55

Eu também.

Responder

Ronaldo Braga

18 de abril de 2012 às 18h49

Trilha sonora do momento:

Ai, ai, ai ai, ai ai ai,está chegando a hora…

Responder

Jorge

18 de abril de 2012 às 18h37

Acho que vou comprar um sofá novo, só para assistir esta CPI e ver o dono da Veja dar depoimento sobre suas ligações com Carlinhos Cachoeira.

Responder

    Viviane Fonseca

    18 de abril de 2012 às 18h37

    Rs. Eu também.

    Responder

Maria Helena

18 de abril de 2012 às 18h36

Valeu, Miguelito. A cobra vai fumar um tremendo charutão cubano!

Responder

Deixe um comentário para Cláudio Freire

O Xadrez para Governador do Ceará Lula ou Bolsonaro podem vencer no 1º turno? O Xadrez para Governador de Santa Catarina