Análise em vídeo das manifestações do 2 de outubro e as vaias a Ciro

Instituto FHC propaga mentiras antichavistas na mídia brasileira

Por Miguel do Rosário

23 de abril de 2012 : 13h22

A mídia hoje amanheceu com manchetes sobre a eleição francesa (onde o socialista François Hollande é favorito), futebol (Corinthians, Palmeiras e Flamengo perderam) e escândalos relacionados ao esquema Cachoeira. A Folha trouxe também uma página inteira sobre o mensalão, com um infográfico de cair o queixo na página A6.

Ainda na Folha, há uma matéria que fala na provável estratégia de Carlos Cachoeira de proteger seu aliado, Demóstenes Torres. O texto sinaliza uma coisa importante: a sociedade terá que ficar mobilizada para que a agenda política nacional não seja, mais uma vez, manipulada por declarações de Cachoeira, ou de pessoas ligadas a ele.

Na mesma matéria, consta ainda que a Folha obteve áudios onde Cachoeira intervém na crise do governador Arruda para proteger Demóstenes. O então governador do DF havia declarado que o senador lhe pedira para contratar uma empresa. Ou seja, praticou tráfico de influência, crime que Demóstenes transformou em sua principal atividade profissional. Segundo o jornal, três semanas depois Cachoeira mandou Dadá (o araponga que prestava serviços a Cachoeira) procurar um policial civil da DF que tivesse contatos com Arruda para lhe repassar uma ordem: que se desmentisse sobre Demóstenes.

Hoje, sabendo o que sabemos sobre Demóstenes, a acusação de Arruda parece bem verídica.

Em relação aos áudios obtidos com exclusividade pela Folha, eu estou começando a ficar com ciúmes. Não vai ter nenhum áudio exclusivo para blogueiros?

No Globo, o objetivo ao que parece é detonar a Delta. Hoje o jornal traz duas matérias com chamada na capa. Numa, lembra, em tom de denúncia, que a Delta ainda tem mais oito megaobras de PAC e Copa. Se eu não confiasse tanto na integridade moral da família Marinho, poderia suspeitar que estão fazendo lobby para a Odebretch abocanhar o bolo todo. Em outra matéria, fala que o governo deu obras à Delta, em 2010, mesmo após a identificação de uma fraude da construtora.

Admito, por outro lado, que não sinto nenhuma compaixão pela Delta e seu dono, Fernando Cavendish.

Entretanto, o que mais me chamou atenção na mídia de hoje foi um artigo de Sérgio Fausto, diretor-executivo do Instituto FHC, no qual ele deixa claro a guinada do PSDB para extrema-direita. O texto é um amontoado de mentiras e ilações, ancorados nas fofocas de Nelson Bocaranda, um dos antichavistas mais irresponsáveis da imprensa venezuelana.

Olha só o primeiro parágrafo:

Não resta dúvida de que o estado de saúde de Hugo Chávez se agravou. Ele próprio admitiu o fato ao implorar publicamente a Jesus que não o levasse ainda. O apelo dramático deu-se no início deste mês de abril, em missa televisionada para todo o país. A hipótese de que ele não tenha condições físicas de disputar as eleições de outubro deixou de ser possível para se tornar provável.

Usar uma oração como “prova” ou “admissão” de que o estado de saúde de alguém se agravou é muito ridículo.

Entretanto, o mais ridículo é fazer um terrorismo político sobre possibilidade do chavismo aplicar um golpe sem ao menos mencionar que foi o antichavismo é que aplicou um golpe, em 2002, naquele que foi talvez o mais triste episódio político da primeira década do século XXI em toda a América do Sul.

E aí, quando você acha que o articulista se cansou de se autoenvergonhar, ele vem com uma tese absolutamente estapafúrdia, de que a presidente Dilma deve “intervir” na Venezuela, contra Chávez, e num tom de confiança que revela, mais do que estultice, um grave déficit de conhecimento político. E insinua que Dilma estaria aberta a esta interferência. Ou seja, ele calunia Chávez e calunia também a presidenta Dilma!

Fausto alinhava um montão de absurdos, fofocas próprias de uma oposição desesperada, nos quais, mesmo assim, usa para fazer uma acusação irresponsável e caluniosa contra o governo Chávez, e ainda tem a cara de pau de afirmar que “não podemos afirmar com certeza sobre a veracidade do que escreveu Bocaranda”. Mais um pouco e Fausto pode substituir Ali “testando hipóteses” Kamel na direção do jornalismo platinado!

E pensar que FHC é considerado um “moderado” dentro do PSDB! Com esse artigo, o tucanismo de FHC revela-se descompromissado com a busca de relações estáveis e harmoniosas com a Venezuela. Uma coisa é criticar Chávez com respeito e inteligência, outra é deixar-se contaminar pela loucura antichavista, esta sim concretamente golpista, pois efetivamente aplicou um golpe de Estado em 2002. Aí temos uma mistura explosiva de mau caratismo, fanatismo conservador e estupidez diplomática.

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

6 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Rodrigo

10 de maio de 2012 às 14h48

Olá

Hoje foi a primeira vez que vi esse Blog. No começo, pareceu-me interessante. Mas quando o autor começou a defender o Hugo Chavez, falar que alguém o caluniou, etc….já percebi o tipo de blog que é esse aqui.

Hugo Chavez foi, é e continuará a ser (ainda que morra) a pior coisa que aconteceu na Venezuela nas últimas décadas, o povo sério de lá (aquele que não vive de subsídios do governo) que o diga.

Não volto mais a esse blog

Responder

João Uirapuru

01 de maio de 2012 às 10h01

O FHC é um Burro.

Responder

Elson

24 de abril de 2012 às 05h48

Miguel , vai ser interessante mesmo se o contador do cachoeira for preso , afinal o homem tem uma videoteca , muitos políticos serão pegos com as calças na mão .

Responder

Eloy

23 de abril de 2012 às 22h21

Artigo interessante. Só acho que vc e TODA a mídia devia se informar melhor sobre o que realmente é tráfico de influência.
Tráfico de influência – É um dos crimes praticados por particular contra a administração em geral. Consiste em solicitar, exigir, cobrar ou obter, para si ou para outrem, vantagem ou promessa de vantagem, a pretexto de influir em ato praticado por funcionário público no exercício da função. A pena prevista é de reclusão, de 2 a 5 anos, e multa. A pena é aumentada da metade, se o agente alega ou insinua que a vantagem é também destinada ao funcionário. Veja Art. 332 do Código Penal.

Quando é o próprio funcionário que pratica ato pra favorecer interesse pessoal é prevaricação ou improbidade administrativa, depende do contexto.

Responder

emerson

23 de abril de 2012 às 15h13

Isso é muito triste quando sabemos que a atual oposição venezuelana foi governo entre 1958 e 1998, quatro décadas durante as quais foram torturados e assassinados 10 000 venezuelanos. A era dos desaparecimentos e assassinatos políticos, dos bombardeios de aldeias indígenas e campesinas, das torturas sistemáticas teve seu fim com o advento da Revolução bolivariana, com Hugo Chávez. Essa é a maior das verdades. O presidente Chávez é criticável como qualquer governante ou ser humano. Mas apoiar seus inimigos é uma aberração, é algo totalmente teratológico.

Responder

Wagner Moraes

23 de abril de 2012 às 14h33

Miguel, como está PA? Só para lembrar, o Sergio Fausto é filho do Boris Fausto, professor aposentado do DPTO de C. Politicas da FFLCH (USP). Precisa falar mais alguma coisa??

Responder

Deixe um comentário