Mais de 70% dos eleitores já estão decididos sobre o voto presidencial, diz DataFolha

Pesos e medidas dos mensalões

Por Miguel do Rosário

09 de junho de 2012 : 11h44

Por Murillo de Aragão, no blog do Noblat

“Nunca na história deste país, como diz Lula, o STF esteve tão exposto aos humores da mídia e às pressões ditas “populares” em torno de julgamentos.

O recente julgamento da Lei do Ficha Limpa é um exemplo, com ministros acuados pela repercussão de suas opiniões e um julgamento moroso que deixou diversos políticos em clima de incerteza e manteve resultados eleitorais pendentes de confirmação.

Agora, temos uma situação esdrúxula gerada pela proximidade do julgamento de um dos casos conhecidos como “mensalão”. Vários aspectos são merecedores de profunda reflexão. Uma das reflexões possíveis aponta para uma grave questão: crimes semelhantes sendo tratados de forma distinta.

A razão desse sério desvio reside na pressão da mídia. Infelizmente, em um país ainda em construção, onde a mídia de qualidade existe apenas para poucos, não é de estranhar que muitos, ao invés de noticiar, busquem “editorializar” o noticiário de modo a influir no curso dos acontecimentos.

Considerando que tal situação é do amplo conhecimento, juízes, em especial do STF, deveriam estar mais do que blindados para tentativas de manipulação e de influências indevidas no curso de processos. Sejam elas quais forem.

No caso dos mensalões, vemos uma distinção no tratamento de crimes assemelhados. Tal distinção revela quanto exposto está o STF às pressões midiáticas para agilizar ou retardar as investigações e, até mesmo, dar tratamento desigual a assuntos iguais.

Por exemplo, o conhecido mensalão mineiro, que envolve políticos do PSDB, caminha lentamente ao largo da lupa da mídia e razoavelmente incólume das pressões indignadas. Na semana passada, a audiência do caso quase passou despercebida da atenção geral.

Comparando-se os dois mensalões, percebem-se fortes incongruências no tratamento de denúncias e de acusações semelhantes.

O mensalão mineiro tramita morosamente desde 1998 e foi desmembrado. Políticos com mandato estão sendo julgados no STF; pessoas sem mandato estão sendo julgadas na primeira instância. Isso significa que, além da lentidão no andamento do processo, houve desmembramento que beneficia – justamente – quem não é autoridade, com o duplo grau de jurisdição. Nada disso ocorreu nomensalão do PT, cuja eclosão se deu em 2005, isto é, sete anos depois de iniciado o processo de Minas Gerais!

Porém, os achados da Polícia Federal no caso do mensalão mineiro são tão extravagantes quantos os encontrados no mensalão do PT, e que serão comprovados no mensalão candango.

Em tempo: antes que me acusem de querer minimizar as condutas identificadas nas investigações dos mensalões, devo dizer que tenho convicção de que, em ambos os casos, houve condutas ilegais passíveis de condenação política e judicial. Não tenho dúvidas quanto aos malfeitos; tenho dúvidas acerca das responsabilidades dos nomes aventados.

Preocupa-me, no entanto, que, no afã de se fazer justiça, se atropele o estado de direito, não se reconheçam direitos básicos de ampla defesa e deixe de existir um ambiente saudável para o julgamento de tão importantes questões. Não pode haver dois pesos e duas medidas.”

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

2 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

José da Mota

20 de julho de 2012 às 15h07

“Abre o olho companheiro” Examine, não seja boi de boiada, use a inteligência. Ricardo Lewandowski! Dar seu parecer, voto, como relator do mensalão do PT até o fim deste mês maio? Num processo de 69.000 páginas que contam resumidamente nossa história desde 15 de novembro 1889, da proclamação da República. Ou 1894, data da eleição do primeiro presidente da República do Brasil, Prudente de Moraes. Desde lá, de 1894 por definições limitadas de controle de gastos de campanha já existia o caixa 2, ainda que usassem outro nome para este tipo de auxílio, patrocínio, àos candidatos. Como é feito até hoje por falta de regras bem definidas sobre o tema. De uma forma ou de outra sempre há caixa 2 em campanhas eleitorais.
Em meu blog http://josedamota.blogspot.com.br/ publiquei uma sequência de artigos sobre os mensalões, intercalados entre outros artigos sobre outros temas conforme os acontecimentos. E vou descrever os seus endereços na sequência de 2 a 6.
2a – http://josedamota.blogspot.com.br/2012/07/erundina-so-lula-com-haddad-e-maluf.html
2b – http://josedamota.blogspot.com.br/2012/07/caixa-de-surpresas-o-galo-cantou-canto_18.html
3 – http://josedamota.blogspot.com.br/2012/07/mensalao-saga-iii-ricardo-lewandowski-e.html
4 – http://josedamota.blogspot.com.br/2012/07/o-beijo-patriota-ayres-britto-e-dilma.html
ou 4 – http://josedamota.blogspot.com.br/2012/07/mensalao-do-golpe-branco-no-brasil.html
5 – http://josedamota.blogspot.com.br/2012/07/mensalao-do-golpe-branco-v-do-pt.html
6 – http://josedamota.blogspot.com.br/2012/07/mensaloes-e-chance-de-alguns-grandes.html
Obviamente convidando-os autor e leitorres a acompanharem o meu Blog, como acompanho este.
Grato.
José da Mota.

Responder

spin

09 de junho de 2012 às 15h18

Nesta noite tive um sonho premonitório: Lula na TV com voz altiva apresentando o PT 2. Não tenhamos a menor sombra de dúvida de que o fim desse julgamento será ótimo para o PT. É que, independemente das condenações, em especial a de Zé Dirceu para agradar a opinião publica(da) do pig, o PT renascerá das cinzas e terá sua chance de firmar-se definitivamente como a única proposta de progresso para este país. E, depois do mensalão, teremos uma oposição sem este discurso que foi usado por anos e anos contra o partido. No sonho, Lula apresentava o PT 2. Quem viver verá.

Interessante se notar o silêncio do pig que fecha olhos e ouvidos para os tucanos que, como se sabe, roubam no atacado, claro sempre sobra uma parte da “res furtiva’ para setores da imprensa:

1-Na época da privataria empresas de comunicação passaram a ser proprietárias de partes do sistema Telebrás sem que tenham desembolsado sequer 1 centavo, tá no livro a Privataria Tucana, do Amayry Ribeiro..

2-Por estes e outros presentes e concessões ao pig, os barões da mídia sempre tiveram motivos de sobra para endeusar FHC e odiar Lula.

3- Por isso a imprensa bandida fecha os olhos para alguns destes casos:

a- pagamento a parlamentares para a aprovação de mais um mandato para FHC

2- Venda da Vale por míseros 3 bi

3- Caso Banestado: Tucanos roubaram mais de 25 bilhões dos cofres públicos

4- Caso Alstom, Paulo Preto & Cerra, Preciado $ Serra $ BB….

5- Lista de Furnas, algo em torno de 1 bilhão de reais furtados por tucanos e cia.

6- Mensalão tucano de MG: Mais de 100 milhões. Há provas da gatunagem praticada por Azeredo.

7- Aécio Neves: bilhões roubados da saúde em sua gestão

Noutros Estados governados por tucanos a situação não é diferente: No TO o governador Siqueira Campos é um dos acionistas da ex-CELG, em MG tucanos ficaram com a CEMIG, em GO de Marconi Periggo o caso é de cadeia urgente…

Ah se estes crimes tivessem sido praticados pelo PT. Este caso chamado de mensalão petista na verdade não passam de empréstimos feitos por petistas, junto a rede bancária, para campanha eleitoral, nem chega a ser crime contra a administração pública, nem mensalão(pois Lula não pagou a petista nenhum para que seus projetos de governo fossem aprovados) nem é eleitoral pq naquele momento a lei não tipificava o caixa 2 como crime, posso estar enganado. Se Dirceu for condenado, depois de décadas teremos um preso político pois, ao que tudo indica, na falta de provas contra ele(Dirceu) o julgamento será sim, político e não com base em provas.E será político para atender ao clamor da opinião publica(da) do pig.

E Viva o PT 2, o PT pós mensalão, viva o Brasil que virá depois que a oposição perder seu último falatório, o mensalão, pau prá toda obra criado pelo trio Veja-Demóstens-Cachoeira para vingar-se de Dirceu que, como se sabe, recusou Demóstenes na base de Lula. Esta cartada do Cachoeira foi para o bicheiro pq ampliou seu territorio e para a Veja pq vendeu revistas e ajudou a na eleição de tucanos-demos hipócritas.

Responder

Deixe um comentário

Viaje no Universo Profundo com o Telescópio James Webb O Xadrez para Governador do Ceará Lula ou Bolsonaro podem vencer no 1º turno?