Comentários sobre o áudio vazado de André Esteves (BTG Pactual)

Rejeição a Serra explode para 35%

Por Miguel do Rosário

27 de junho de 2012 : 12h30

Eu tenho como princípio não criticar pesquisa eleitoral, embora saiba que não são jamais 100% confiáveis. Essa pesquisa aí, por exemplo, foi feita especialmente para apurar o rescaldo do enorme impacto negativo da imagem de Lula com Maluf. Tá na conta.

É interessante saber o que pensa a sociedade sobre a aliança entre o ex-presidente e o presidente estadual do PP, embora seja importante também entender que esse tipo de impacto costuma se diluir ao longo do tempo, e poderá ser revertido quando a campanha iniciar, e Lula e Haddad tiverem tempo de TV para responder diretamente ao eleitor, sem passar pelo crivo da mídia.

A queda de Haddad, de 8% para 6%, poderia ser atribuída ao verdadeiro massacre que ele sofreu em grandes jornais e TV, ou então a alguma variação na margem de erro, visto que a última pesquisa aconteceu apenas 11 dias antes. Mesmo assim, as entrelinhas da pesquisa trazem surpresas e apontam tendências que o número bruto das intenções de voto muitas vezes ofuscam.

Seguem meus primeiros comentários sobre o relatório completo do Datafolha, já disponível na internet.

Nos primeiros momentos de campanha, quando há muitos candidatos ainda não conhecidos do público, a pesquisa dos votos espontâneos (quando o eleitor é instado a informar, espontaneamente o seu voto, sem que se lhe apresente nenhum nome) é uma das mais esclarecedoras.

Repare que Haddad tem 12% das intenções espontâneas de voto entre o eleitorado que ganha mais de 10 salários. É um bom sinal, porque mostra que ele conseguiu furar o bloqueio midiático anti-PT junto à elite, que na rica São Paulo faz a diferença. Serra tem 19% nessa faixa de renda, mas como o tucano é ultra-conhecido, supõe-se que este número está próximo de seu teto.

Quanto ao povão, simplesmente ainda não o conhece.

60% das mulheres ainda não sabem em quem votar.  A próxima fronteira de Haddad será, aliás, se tornar conhecido do público feminino, onde ele tem apenas 1% da votação espontânea.

Se somarmos as opções Marta + candidato do PT + Haddad, teremos um eleitorado espontâneo de 8%, superior ao de Celso Rumano e apenas 5 pontos abaixo de Serra.

Considerando apenas os homens, o bloco Marta + candidato do PT + Haddad tem 11 pontos, apenas 3 pontos atrás de Serra, que tem 14 pontos. Somando o 1% de Alckmin, Serra teria 15%. Mas aí teríamos também que somar os 1% de Erundina a Haddad, elevando sua pontuação a 12%.

Eu já detectei que a intenção masculina costuma antecipar a intenção feminina, e portanto a votação total,  não porque as mulheres seguem o voto dos homens, mas porque elas bebem nas mesmas fontes de informação. Homens tem tradição de escolherem antes seus candidatos. Mulheres são mais prudentes.

Conforme se aproxima a eleição, o que diferencia mais o eleitor, no entanto, não é se é homem ou mulher, mas a sua faixa de renda, escolaridade, etc. Como nesses quesitos homens e mulheres são parecidos, a tendência é que as estatísticas relativas ao eleitor feminino vá se equiparando, aos poucos, ao masculino.

Também é notável a elevação da rejeição à Serra, que explodiu para 35% dos eleitores.

Abaixo os textos e gráficos da Folha:

DA FOLHA

64% dos petistas rejeitam apoio de Maluf, mostra Datafolha

BERNARDO MELLO FRANCO
DE SÃO PAULO

O apoio do deputado Paulo Maluf (PP-SP) ao petista Fernando Haddad é rejeitado por 62% dos eleitores de São Paulo, mostra pesquisa concluída ontem pelo Datafolha. Entre os que declaram preferência pelo PT, a reprovação da aliança chega a 64%.

Este é o primeiro levantamento a medir o impacto da união patrocinada pelo ex-presidente Lula, que abriu crise na campanha petista e levou a ex-vice Luiza Erundina (PSB) a abandonar a chapa.

Os números indicam que a foto com Maluf pode prejudicar Haddad na corrida à prefeitura. A maioria dos entrevistados (59%) disse que não votaria num candidato apoiado pelo ex-prefeito. Outros 12% seguiriam sua indicação, e 26% seriam indiferentes.

“A rejeição ao apoio de Maluf é muito alta e pode vir a ser determinante na eleição. Agora temos que ver como isso será explorado na campanha”, diz o diretor-geral do Datafolha, Mauro Paulino.

A pesquisa mostra que 70% dos eleitores ainda não sabem quem Maluf apoiará na eleição municipal. Só 17% sabem que ele apoia Haddad.

A desistência de Erundina, em protesto contra a aliança do PT com o adversário histórico, teve ampla aprovação popular: 67% dos eleitores disseram que ela “agiu bem”. Outros 17% reprovaram a atitude, e 16% não opinaram.

Outra má notícia para Haddad é que a influência de Lula segue em queda. Hoje, 36% dos eleitores dizem que o apoio do ex-presidente os faria escolher um candidato. O índice era de 49% em janeiro, e cai a cada pesquisa.

Mesmo assim, Lula permanece como o principal cabo eleitoral da disputa. Segundo o levantamento anterior, concluído no último dia 14, o apoio da presidente Dilma Rousseff influía no voto de 28%. O aval do governador Geraldo Alckmin era decisivo para 29%, e o do prefeito Gilberto Kassab, para 12%.

  Editoria de Arte/Folhapress  

SERRA LIDERA

A pesquisa mostra que o cenário geral da eleição permanece estável. Serra oscilou um ponto percentual para cima e lidera a corrida com 31% das intenções de voto.

Como a margem de erro da pesquisa é de três pontos para mais ou para menos, ele se mantém no mesmo patamar.

Em segundo lugar aparece o ex-deputado Celso Russomanno (PRB), que oscilou três pontos para cima e agora aparece com 24%. Ele tem crescimento constante desde janeiro, quando tinha 17%.

Haddad interrompeu a trajetória de alta. Ele oscilou dois pontos negativamente e continua em terceiro lugar, com 6%. O mesmo aconteceu com Soninha Francine (PPS).

Também registraram 6% o deputado Gabriel Chalita (PMDB) e o vereador Netinho de Paula (PC do B), que deixou a disputa anteontem para apoiar Haddad. Quando a pesquisa foi registrada, ele ainda era pré-candidato.

Paulinho da Força (PDT) tem 3%, e Carlos Giannazi (PSOL), 1%. Os demais pré-candidatos não pontuaram. Nulos e brancos somam 11%, e 5% não opinaram.

O Datafolha ouviu 1.081 eleitores na capital paulista entre os dias 25 e 26. A pesquisa foi registrada no TRE (Tribunal Regional Eleitoral) sob o número 87/2012.

  Editoria de Arte/Folhapress  

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

21 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

FranciscoD.A.

27 de junho de 2012 às 21h26

Ta bom, eu confesso:

Eu ADORO os malabarismos hermenêuticos duplos carpados que o Miguelito dá, para tentar esconder que:

1 – Haddad, com Lula e tudo, despenca para míseros 6%, concorrendo ombro a ombro com gigantes do porte do sujeito do AeroTrem;

2 – Hoje, Maluf dá uma gigantesca rejeição de 59% a quem ele apoia, que, vejamos, ora veja, se trata de Lula e seu boneco de colete Haddad.

Mas que é divertido ver o Miguelito em seus truques de trapézio, isso é sim. Eu confesso…

Responder

    admin

    28 de junho de 2012 às 07h02

    Variação do Haddad foi dentro da margem de erro. A rejeição ao Maluf é a parte orientada da pesquisa, e você confunde as coisas. Não é que a pessoa NÃO votará no candidato apoiado por Maluf, é que a pessoa não votará por esta razão. Mas votará.

    Você que é um tremendo trapezista, e repetitivo.

    Responder

      FranciscoD.A.

      28 de junho de 2012 às 13h22

      Incrível como vc mesmo se derruba em seus malabares, Miguelito.

      Quer dizer entao que a queda de 2% do Haddad/LULA está DENTRO da margem de erro (margem de 3% para cima e para baixo, certo?

      E a variação da rejeição de Serra, também de 3%, o Sr, trata como Explosão?

      HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAH

      O Sr. teria vaga garantida no Cirque Du Soleil, na categoria Trapezista hermenêutico dos Fatos,bien sur…

      Responder

        admin

        28 de junho de 2012 às 13h28

        Francisco, explosão porque 35% de rejeição é rejeição pra cacete. É uma rejeição, por assim dizer, explosiva, hehe.

        Responder

          FranciscoD.A.

          28 de junho de 2012 às 13h44

          Sei.

          Para um analista, como o Sr. se auto-proclama, explicar que os eternos 35% de eleitores PTralhas que, obviamente, rejeitam o Serra, usando “…35% é rejeiçao para cacete…” é bem vago, nao acha?

          Nao permitirei que o Sr. caia na Vala Comun dos Blogueiros vendidos do PT, escrevendo qualquer coisa, desconsiderando a inteligência de seus leitores.

          Acredito honestamente, que o Sr. é melhor que isso…

          A saber:

          Se 35% dos Petistas que rejeitam Serra é “rejeiçao pra cacete”, conforme suas palavras, o que sao 65% de eleitores que SEMPRE Rejeitaram o PT Lulo-mensaleiro??? (acima até dos 59% que disseram que nao votarao no PT por causa do Maluf)

          Fica a questao…

          admin

          28 de junho de 2012 às 13h48

          Fala de SP, né. Sua teoria é equivocada. O PT já ganhou 2 vezes a prefeitura de SP. E a popularidade de Lula e Dilma em São Paulo é muito mais alta que 35%.

          Os 59% não votarão no PT POR CAUSA do Maluf, mas podem votar no PT.

          FranciscoD.A.

          28 de junho de 2012 às 14h16

          “…Os 59% não votarão no PT POR CAUSA do Maluf, mas podem votar no PT…”

          Hein?
          Como é?

          Parafraseando Denzel Washington no excepcional fime “Filadélfia”:

          – Explique-me esta sua última frase como se eu tivesse 6 anos de idade…

          E vou te ajudar, colando letra por letra, a frase publicada na pesquisa:

          “…A maioria dos entrevistados (59%) disse que não votaria em um candidato apoiado pelo ex-prefeito…”

          admin

          28 de junho de 2012 às 14h21

          Leia de novo o que você mesmo escreveu.

          FranciscoD.A.

          28 de junho de 2012 às 14h18

          Ah, so para lembrar:

          Sim, o PT ganhou 2 vezes aqui em SP.
          Lutando contra quem?

          Adivinha?

          Pois é, MALUF…..

          admin

          28 de junho de 2012 às 14h26

          Adivinha qual o partido que tem mais vereadores na cidade de São Paulo?

          FranciscoD.A.

          28 de junho de 2012 às 14h31

          Deve ser o mesmo Partido que perde em 100% das vezes para a Bancada de Vereadores Governistas. Acertei???

          11 Vereadores do PT, em um total de 55 vereadores = 20%

          Do que exatamente o Sr. está se gabando, mesmo?? heheheheh

          admin

          28 de junho de 2012 às 14h36

          Pois é, é o partido que tem mais vereadores na cidade de São Paulo.

          FranciscoD.A.

          28 de junho de 2012 às 15h07

          Na minha visao, 15% dos PTistas abandonaram o barco dos Vereadores do PT (35 menos 20, para ficar claro)…

          Rejeição à forma de Política do vale-Tudo do PT??

alex

27 de junho de 2012 às 20h40

MARTA NÃO IR AO LANÇAMENTO DA CAMPANHA DE HADDAD: É MANCHETAÇA PARA NOSSA GLORIOSA E ISENTA MIDIA PIG

FHC NÃO COMPARECER NA FESTA OFICIAL DE LANÇAMENTO DE SERRA PARA PREFEITURA DE SÃO PAULO…

Hummm … isso não é notícia comenta os sábios editorzões da MídiaPIG Paulistana

Mas não foi FHC, não foi Aécio, não foi Guerra… ah! Isso é normal, dizem os sábios “editorzões”

Tá no Blog do Ricardo Kotscho

Os marqueteiros bem que capricharam na organização da festa tucana, no ginásio do Ibirapuera, em que José Serra foi oficialmente lançado neste domingo para disputar pela quarta vez a prefeitura de São Paulo.

Ao custo de 250 mil reais, com direito a telão, bonecos do candidato, jingle baseado no hit Eu Quero Tchu, Eu Quero Tcha, tema de novela da Globo, e chuva de papel picado, o evento lembrou as superproduções das convenções americanas.

Na parte política, porém, Serra não teve o que comemorar. Além da disputa cada vez mais acirrada entre os aliados PSDB e o PSD pela vaga de vice, que serviu de pano de fundo do encontro, com direito a vaias ao prefeito Gilberto Kassab, a convenção foi marcada pela ausência das principais lideranças nacionais dos tucanos.

A ausência mais notada, mas escondida pela mídia amiga, foi a do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, ainda a principal estrela do partido, que alegou um compromisso de viagem anteriormente assumido.

Quando Marta Suplicy não foi ao lançamento da candidatura do petista Fernando Haddad, indicado por Lula, deixando a ex-prefeita contrariada com o partido, o assunto virou manchete dos jornais.

Agora, a ausência de FHC passou batida, merecendo apenas um reles registro no noticiário, indicando como será “isenta” a cobertura das eleições paulistanas pela grande imprensa.

Também não apareceram na festa de Serra o presidente nacional do PSDB, Sergio Guerra, e o presidenciável Aécio Neves. A principal liderança nacional dos tucanos presente ao encontro acabou sendo o senador paranaense Álvaro Dias, que teve seu nome indicado para vice e, em seguida, foi rifado na chapa presidencial de Serra em 2010.

http://noticias.r7.com/blogs/ricardo-kotscho/

Responder

    Elson

    29 de junho de 2012 às 14h31

    Dizem que teve até chuva de papel picado, esses caras não sabiam que poderiam ferir seu candidato gravemente atirando-lhe sobre a reluzente careca objetos feitos de celulose?

    Responder

FranciscoD.A.

27 de junho de 2012 às 20h32

Alias, o PT por para depor na CPMI, um sujeito como esse Bordoni, que esta atacando o Perillo, dizendo que:

“O Holocausto foi uma armaçao dos Judeus”…

Fala sério, hein Miguelito, nao cansam de cavar suas proprias covas????
.
http://veja.abril.com.br/blog/politica/cpi-do-cachoeira/depoente-de-cpi-questiona-o-holocausto/

Responder

    admin

    28 de junho de 2012 às 07h00

    E daí a opinião sobre judeus do sujeito, a CPI não é sobre Israel. O cara trabalha por Marconi há uns 20 anos. Sabe das coisas.

    Responder

FranciscoD.A.

27 de junho de 2012 às 20h30

Aham..
E sobre os 59% de eleitores que nao votarao em ninguem que Maluf apoie, tipo, Lula e seu PT??

Responder

    admin

    28 de junho de 2012 às 06h45

    Não é assim. Não votarão no candidato apoiado por Maluf porque o Maluf apoia, mas votarão no candidato.

    Responder

spin

27 de junho de 2012 às 12h53

Miguel, eu queria comentar compartilhado com o facebook mas kd, não tá aparecendo. O Serra empacou de novo? Eu já vi este filme, vide seu texto de 2010, quando o Serra empacou e terminou sendo derrotado por Dilma. Este seu texto é atualissimo
http://rogeliocasado.blogspot.com.br/2010/06/tucano-trava-dilma-cresce-e-o-pt-vai.html

Responder

    admin

    27 de junho de 2012 às 13h13

    É assim mesmo. É um problema que ainda não resolvi. Dá um reload que aparece. Comigo aparece sempre quando dou um reload (F5).

    Abs
    Miguel

    Responder

Deixe um comentário para admin

Parlamentarismo x Semipresidencialismo: Qual a Diferença? Fernanda Montenegro e Gilberto Gil são Imortais na ABL: Diversidade Auxilio Brasil x Bolsa Família: O que mudou? As Refinarias da Petrobras À Venda pelo Governo Bolsonaro O Brasileiro se acha Rico ou Pobre?