Análise em vídeo das manifestações do 2 de outubro e as vaias a Ciro

O pibinho e a caverna de Platão

Por Miguel do Rosário

02 de dezembro de 2012 : 10h53

Sou o primeiro a denunciar a leviandade daqueles que lançam suspeitas sobre as estatísticas. Estas são o melhor instrumento que nós temos para julgar o presente com objetividade. Nada mais tolo do que, após uma pesquisa eleitoral, por exemplo, o sujeito tentar negá-la dizendo que “não conhece ninguém que vota em fulano”. Ou então rechaçar números que mostrem uma franca recuperação das indústrias porque a fábrica de bonecas da cidade fechou as portas e vários parentes perderam seus empregos. Deve-se evitar ao máximo, numa análise econômica, tanto a contaminação das paixões políticas e partidárias quanto envolver emoções ou experiências pessoais.

O PIB brasileiro no terceiro trimestre do ano, crescendo 0,6% sobre o trimestre anterior, foi decepcionante. A economia brasileira, no entanto, e em seguida explicarei o que parece uma contradição, vai muito bem, obrigado.

Desta vez, os fatores que retiveram o crescimento do PIB não foram vendas no varejo, nem a indústria, nem a agropecuária, e sim a performance do sistema financeiro. Isso explica, por exemplo, porque o desemprego continuou caindo mesmo num cenário de aparente estagnação.

Em primeiro lugar, não poderemos jamais conhecer a realidade de um país apenas examinando as sombras projetadas na parede. Temos que fazer o esforço de sair da caverna midiática onde o conforto e a preguiça nos aprisionam, e olhar o mundo concreto, vivo, à luz direta do sol. Dá muito mais trabalho, mas é recompensador.

A divulgação do PIB no terceiro trimestre fez a mídia abrir as portas do inferno. Se ela é pessimista quando sopram ventos favoráveis, torna-se apocalíptica quando há um fato negativo.

É injusto com o Brasil, todavia, ser pessimista. Iremos terminar 2012 talvez com um crescimento baixo do PIB, em torno de 2%. Mas temos os seguintes fatores positivos:

  • Menor desemprego em décadas.
  • Continuidade do processo de distribuição de renda.
  • Recuperação da indústria, ou pelo menos, de muitos setores industriais importantes.
  • Agropecuária pujante e sem crise.
  • Reservas internacionais superando 500 bilhões de dólares.
  • Juros atingindo as taxas mais baixas da nossa história.
  • Inflação controlada.
  • Spread bancário em declínio.
  • Crédito ainda em ascensão.
  • Comércio exterior em alta (corrente comercial – exportações e importações – recorde).

Desse itens, apenas um poderia ser questionado: a recuperação da indústria, então vamos nos concentrar nele. A cada semana, vemos uma notícia diferente. Numa semana, lemos que está se recuperando. Noutra, que caiu. Numa coluna sabemos que uma grande indústria está se instalando em algum estado brasileiro; noutra ouvimos que o Brasil passa por um processo irreversível desindustrialização. Há pouco, a CNI informava que a indústria de bens de capital experimentava uma forte recuperação. E hoje, me deparo com a seguinte manchete na primeira página do Estadão (no site e na edição impressa).

Sintomaticamente, o Estadão exemplifica a análise com uma matéria sobre uma determinada fábrica de “tornos”, cujas vendas devem cair 25% este ano.

Só que aí temos uma contradição. Segundo o IBGE, se dependesse da indústria, o PIB teria sido o triplo. A indústria de transformação, o file-mignon do setor industrial, cresceu 1,5% no terceiro trimestre.  Os jornais, ao invés de procurarem que setores da indústria estão registrando crescimento e recuperação, para nos fornecerem um quadro mais detalhado do que está indo bem, vão atrás de uma fábrica que, desde o anos 70, produz o mesmo tipo de  “tornos”…

Entretanto, vamos focar na indústria de máquinas, e no mês de outubro, que são os objetos da matéria do Estadão. Os números, de fato, são negativos. Olhemos, contudo, essa outra matéria, publicada ontem no Monitor Mercantil (e reproduzida no site da Abimaq), que trata do mesmo assunto:

Faturamento de máquinas e equipamentos e consumo de energia elétrica apresentaram resultados moderados em outubro, porém a expectativa é de melhora até o final do ano

O faturamento da indústria de máquinas e equipamentos atingiu R$ 6,511 bilhões em outubro, segundo dados divulgados ontem pela Associação Brasileira de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), o que representa um recuo real de 2,7% em comparação com outubro do ano passado. Nos acumulado do ano, o faturamento real bruto apresenta queda de 2,3%, frente ao mesmo período de 2011. A balança comercial do setor segue com déficit de US$ 13,364 bilhões até o décimo mês do ano, recuo de 2,1% em relação ao mesmo período de 2011. Isto é resultado de exportações de US$ 10,775 bilhões e de importações de US$ 25,139 bilhões no período, aumento de 11,2% e 3,2%, na mesma ordem. Já o Nível de Utilização da Capacidade Instalada (NUCI) se manteve praticamente estável, atingindo 71,7% em outubro, ante a 71,9% em setembro. As perspectivas, por sua vez, são de melhora nos resultados do setor até o final do ano, em resposta as medidas de incentivo ao investimento, adotadas pelo governo. Enquanto isso, o consumo total de energia totalizou 37 mil GWh em outubro de acordo com os dados divulgados pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE). O resultado representa um avanço de 0,5% na série dessazonalizada pelo Depec-Bradesco, sendo que o consumo industrial caiu 0,3% nessa base de comparação; na média dos últimos três meses a demanda da indústria se manteve praticamente constante. Por outro lado, os consumos residencial e comercial apresentaram expansões frente a setembro, 0,6% e 0,5% nessa ordem. No acumulado em 12 meses, o consumo total de energia apresentou avanço de 3,3%, resultado impulsionado pelo consumo residencial e do setor de comércio e serviços, sustentado pela renda das famílias e expansão da massa salarial. Dessa maneira, combinado aos demais indicadores coincidentes, projeta-se alta de 1,2% da produção industrial em outubro.

Relembremos também esta nota publicada no último informativo mensal (set/12) da Confederação Nacional da Indústria (CNI), precisamente sobre o setor de máquinas e equipamentos:

Ou seja, quais são os sete erros da matéria do Estadão?
  1. O setor experimentou uma forte alta em setembro, de maneira que o declínio em outubro resultou de uma oscilação sazonal esperada, sobre uma base forte. Se foram vendidas muitas máquinas em setembro, é normal que haja queda em outubro.
  2. Para chegar ao valor de R$ 36,7 bilhões, o Estadão contabilizou somente as vendas da indústria para o mercado interno; se contabilizasse as vendas para o mercado externo, que cresceram substancialmente nos últimos meses, teria chegado a número bem maior, e melhor.
  3. O que a Abimaq está registrando, na realidade, é a maior globalização do setor de máquinas e equipamentos. As fábricas estão se abastecendo com máquinas importadas, e o Brasil aumentou a exportação desses itens. Não é correto falar que “a indústria de máquinas recuou ao nível de 2007”.
  4. O jornal reproduz as justas reclamações da Abimaq (Associação Brasileira das Indústrias de Máquinas), mas não cita que a mesma instituição avaliza e apoia enfaticamente as medidas tomadas pelo governo federal e que se mantém otimista quanto ao impacto destas no futuro próximo.  Leia abaixo, um editorial recente do próprio presidente da Abimaq, reproduzida no site da instituição:

(…) Mas o que fazer no curto prazo? É preciso continuar desvalorizando o REAL frente ao DÓLAR, pois o câmbio representa boa parte dos nossos problemas. É preciso continuar adotando medidas de defesa comercial, como as licenças não automáticas e a elevação de alíquotas do Imposto de Importação. É necessário continuar o enfrentamento ao sistema financeiro, para que haja redução dos juros na economia real.

Em nossa opinião, o governo tem caminhado nesta direção, talvez, não com o senso de urgência que tanto a indústria de transformação necessita, mas o caminho está correto e merece todo o nosso apoio e reconhecimento.

As recentes medidas anunciadas, como o inédito enfrentamento ao sistema financeiro, a redução das taxas do PSI-FINAME, a elevação da alíquota do Imposto de Importação para algumas NCMs, a desoneração do INSS patronal na folha de pagamento, a prorrogação da desoneração do IPI e a contínua redução da taxa SELIC é uma constatação de que todo o trabalho que vem sendo realizado pela ABIMAQ está obtendo eco e, também, uma clara demonstração, por parte do governo, de que está sensível aos problemas de competitividade enfrentados pela indústria.

Estamos longe de resolver os problemas de competitividade da indústria nacional de transformação, mas o momento é de apoiar e reconhecer as medidas implementadas pelo governo, sem perder o foco de que o Brasil necessita, urgentemente, de reformas estruturantes.

Artigo completo.

5. Observem esse trecho no artigo do Estadão:

A torcida para que os investimentos decolem é grande, mas os números da indústria de máquinas não são animadores. Até mesmo as importações, que já respondem por 60% de todas as máquinas vendidas no mercado brasileiro, também recuaram no terceiro trimestre, de acordo com o IBGE.

Ora, mas a queda nas importações, segundo especialistas, não ocorreu porque caiu o consumo de bens de capital, os quais, ao contrário, cresceram, conforme a própria matéria informa mais adiante. A queda nas importações foi suprida por fabricantes nacionais.

6. Leiam esse outro trecho, da mesma matéria:

Nos últimos dez meses, o consumo aparente de bens de capital no Brasil cresceu 1,9% sobre o mesmo período de 2011, para R$ 94,3 bilhões. A diferença entre esse valor e o faturado pelas empresas brasileiras corresponde às importações, que responderam por 60% do consumo. Em 2011, essa participação era de 53,57% do mercado.

Viram? O consumo aparente de bens de capital cresceu 1,9% nos últimos dez meses. Isso é positivo, ponto. Demonstra que as indústrias estão sim investindo em maquinário novo. E se as importações caíram é porque estão optando por produtos nacionais. Até o final do ano, talvez esses 60% caiam um pouquinho.

7. O último erro do Estadão, que de resto é um equívoco generalizado inclusive em fontes mais progressistas, é não tomar o devido cuidado para separar opinião de lobby. Ao presidente da Abimaq cabe, por tradição, reclamar da vida e das condições de negócio, com vistas a pressionar o governo a continuar reduzindo tributos, ampliando crédito, etc. Como toda associação de classe, o seu objetivo é cobrar medidas que ajudem seus membros. A imprensa, contudo, deve analisar a situação com um equilíbrio que considere a justiça nas demandas dos industriais, as medidas do governo, e a produtividade e competência dos empresários. Não é entrevistando apenas um fabricante de “tornos” que teremos idéia sobre o estado da nossa indústria. Temos que saber, sobretudo, que setores estão em declínio e quais estão em ascensão, para podermos comparar e entender as tendências da economia brasileira e mundial.

Por fim, precisamos entender uma coisa. O PIB brasileiro pode até ser baixo este ano. Isso não significa que nossa economia está em declínio. Temos que analisar a economia brasileira com base num conjunto de dados, e não apenas no PIB. Há números que apontam para o passado, como o PIB, mas há outros que sinalizam o futuro, como a melhora do poder aquisitivo da população. Índices como mortalidade infantil, mortalidade materna, analfabetismo, devem registrar queda muito acentuada em 2012. Os salários estão em alta. A nossa democracia tem funcionado de maneira esplêndida, tecnicamente falando. Temos gigantescos recursos naturais ainda inexplorados ou em plena exploração. O percentual de brasileiros com acesso à casa própria cresceu exponencialmente. Aliás, as notícias sobre o “endividamento” do cidadão omitem que este, além de estar em nível muito abaixo das médias históricas de países ricos, embute fatos positivos, como maior acesso dos consumidores a bens duráveis e semi-duráveis, como automóveis, carros, computadores e eletrodomésticos, além da casa própria.

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

19 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

@cmarinsdasilva

04 de dezembro de 2012 às 12h19

Será mesmo que o Brasil está em crise com afirma a nossa mídia…Leia o post, pense!

Sou o primeiro a denunciar… http://t.co/rcZuHdyO

Responder

Under_Siege (@SAGGIO_2)

03 de dezembro de 2012 às 08h46

?Diga NÃO ao terrorismo economico do Millenium/ @radioitatiaia e entenda ? ? ?O pibinho e a caverna de Platão – http://t.co/X4UB7vxv

Responder

Under_Siege (@SAGGIO_2)

03 de dezembro de 2012 às 08h18

?PIG, entre o pessimismo e o Apocalispse. Vade retro satã midiatico! ??? O pibinho e a caverna de Platão – http://t.co/X4UB7vxv

Responder

Under_Siege (@SAGGIO_2)

03 de dezembro de 2012 às 08h18

esta é pro jornalismo da @radioitatiaia ler e comentar … ? O pibinho e a caverna de Platão – http://t.co/X4UB7vxv

Responder

Ricardo

03 de dezembro de 2012 às 08h13

Caro Miguel,

Vou lhe dizer, às vezes dá um certo cansaço.

Não sou filiado ao PT, mas vivo defendendo esta administração e a anterior.

Mas, me sinto pregando no deserto.

O próprio partido parace que não tem mais vigor para nada. Onde estão os petistas? Por que eles mesmos não se defendem?

Entendo que essas acusações só mobilizam uma pequena pacerla da população, mas ainda assim é a parcela a qual ascenderá a nova classe média e são os meios de comunicação que, com o tempo, essa nova classe irá consumir.

Será que eles não acabarão votando num Berlusconi qualquer e aí, nessa hora, só nessa hora, o PT acordará?

Cito o Berlusconi porque ele surgiu após a escandalização da política italiana e foi eleito com forte apoio da classe média baixa.

Abçs.

Responder

    Miguel do Rosário

    03 de dezembro de 2012 às 08h35

    Oi Ricardo, rola esse perigo sim. Sempre tive medo de um Bersluconi no Brasil. Ainda bem que os Marinho não tem talento para a política.

    Responder

Érico Cordeiro (@ricocordeiro)

03 de dezembro de 2012 às 01h05

O pibinho e a caverna de Platão – http://t.co/YusAChKz

Responder

Messias Franca de Macedo

02 de dezembro de 2012 às 22h57

2014 É AGORA!…

… Se o PIG emplacar a chapa Joaquim Barbosa para presidente [sob o ‘sloogan’ e o mantra ‘Joaquim, o Inclemente, o novo e verdadeiro caçador de marajás’], tendo como vice o Eduardo Campos e o apoio do [José] (S)erra, Aécio ‘Never’, Artur Neto, ACMalvadeza Neto &$ nefasta e famigerada Cia…
… Bom, aí, a chapa ideal, vitória no primeiro turno da nação brasileira: Dilma Rousseff, A Magnífica, o Brasil crescendo a 4% do PIB e em situação de pleno emprego… E para vice-presidente a doutora Eliana Calmon, baiana “arretada”!… A dobradinha contando com o apoio do eterno presidente Luis Inácio Lula da Silva e do povo trabalhador brasileiro!

BRASIL (QUASE-)NAÇÃO
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

Messias Franca de Macedo

02 de dezembro de 2012 às 20h32

[MAIS] PAUTA PARA O PIG! E MAIS ‘DOMÍNIO DO FATO’ PARA O STF! ENTENDA

############################################

Mensalão Tucano: Azeredo e Clésio podem pegar 40 anos
Enviado por luisnassif, dom, 02/12/2012 – 10:40
Por Assis Ribeiro
Por sujestão do comentarista Adir Tavares
Mensalão Tucano: Azeredo e Clésio podem pegar 40 anos de prisão
Novo Jornal

Juízes cumprem determinação de Barbosa em relação às testemunhas de acusação, agora terão mais 40 dias para ouvir as testemunhas de defesa
Dando sequência ao comportamento adotado frente o processo do Mensalão do PT, o ministro presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, após receber a devolução da carta de ordem devidamente cumprida pelo Juiz da 9ª Vara Federal Criminal de Belo Horizonte, informando que todas as oitivas relativas às testemunhas de acusação na ação penal nº 536 já haviam sido feita, deu início no último dia 28 a fase das oitivas das testemunhas de defesa, fixando outros quarenta dias para conclusão desta fase.
(…)

em http://www.advivo.com.br/luisnassif?page=1

… República Destes Bananas da [eterna] OPOSIÇÃO AO BRASIL, fascista, aloprada, alienada, histriônica, impunemente terrorista, MENTEcapta, néscia, golpista de meia-tigela, antinacionalista, corrupta… ‘O cheiro dos cavalos ao do povo!’ (“elite estúpida que despreza as próprias ignorâncias”, lembrando o enunciado lapidar do eminente escritor uruguaio Eduardo Galeano)

Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

Messias Franca de Macedo

02 de dezembro de 2012 às 20h03

VÍDEO BOMBA !
A VERDADE É UMA QUIMERA !
Não deixe de ir até o fim da hollywoodiana película e assista às cenas dos próximos capítulos!

“A verdade? Ora, o acusado que mostre a prova!” Luiz Fux

O Conversa Afiada aceita sugestão da blogueira suja Conceição Oliveira e exibe –http://www.youtube.com/watch?v=u5_5pvSo_RU&feature=youtube_gdata_player – mega-produção do STF: a verdade é uma quimera!

em http://www.conversaafiada.com.br/tv-afiada/2012/09/26/video-bomba-a-verdade-e-uma-quimera/
Publicado em 26/09/2012

RESCALDO: mais um elemento comprobatório da natureza do *“supremoTF” a ser anexado ao processo junto à Corte Internacional (Organismo da OEA).
*“supremoTF”: aspas monstruosas e letras submicroscópicas!

Lá isto é Corte Suprema, sô?!…

EM TEMPOS DE CONSTANTES GOLPISMOS: a constante e trivial AUTODESMORALIZAÇÃO do “supremoTF” revela, entre outros fatos preocupantes, o risco à nossa ‘subdemocracia de bananas’ e ao Estado Subdemocrático(!) e de Direito!…

República da DIREITONA OPOSIÇÃO AO BRASIL, fascista eterna, MENTEcapta, aloprada, alienada, histriônica, impunemente terrorista, antinacionalista, golpista de meia-tigela, corrupta… ‘O cheiro dos cavalos ao do povo’!… (“elite estúpida que despreza as próprias ignorâncias”, lembrando o enunciado lapidar do eminente escritor uruguaio Eduardo Galeano)

Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

Messias Franca de Macedo

02 de dezembro de 2012 às 19h21

PÉROLAS DE PAULO CÉSAR PEREIO SOBRE FHC NO TWITTER:
Postado por interlocutor
dom, 02/12/2012 – 17:49
em http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/o-mal-encarnado-por-barbara-gancia

Respeito até o mentiroso, o debilóide, um cretino com ideia fixa (tipo Serra). Mas não aceito cinismo. Nunca fui cínico e o FHC é um – Um sujeito que faz carreira como sociólogo de esquerda, respeitado e incensado, chega ao poder e pede “esqueçam o que eu escrevi”, presta? – Só a elite paulistana, decadente, ridícula, quatrocentona de merda, pra achar que um presidente que quebrou o país vale alguma coisa, porra! – E o avião presidencial, levando o Paulo Henrique Cardoso, mulher e filhas para passear em Punta del Este? Já se esqueceram dessa esbórnia? – Centenas de conversas telefônicas entre Eduardo Jorge, braço-direito de FHC, e o juiz Lalau, aquele corruptaço. Eram – Foi, também, no gov. FHC que um grampo mostrou conversas entre ele, André Lara Resende, Mendonção, direcionando a privatização da telefonia – No governo do FHC um grampo pegou o embaixador Júlio César Santos, seu homem de confiança, se corrompendo. Foi na CPI do Sivam e caiu – Governo FHC: a mulher, o filho, a filha e o genro. E quem confunde o público com o privado é o Lula, sem um parente no governo. Que cínico! – Luciana Cardoso, a mulher mais mal-educada da República, foi secretaria de qual presidente? Do Lula? Não! Do paizão FHC.E o Lula é o aético? – FHC diz que Lula confunde o público com privado.Paulo Henrique Cardoso, que torrou + de US$ 20 milhões na Feira de Hannover é filho de Lula?- FHC, aquele senhor simpático que protagonizou três quebradeiras do Brasil, criticando o PIB da Dilma. Tá faltando espelho para o Narciso – David Zulberstajn, um esperto que foi presidente-dono da Agência Nacional do Petróleo no governo de FHC, era genro do Lula? Não! Era de FHC!-Recordar é viver: quem revelou as contas escandalosas da Comunidade Solidária, brinquedo da falecida Ruth, foi o tucano Álvaro Dias, porra! – FHC, volta para o seu mausoléu de luxo…

Deu na Veja: “PSDB vai bater em Dilma”
Por Altamiro Borges
domingo, 2 de dezembro de 2012
em http://altamiroborges.blogspot.com.br/
Saiu hoje (02) na coluna Radar de Lauro Jardim, no sítio da revista Veja:

A cúpula do PSDB vai deixar um pouco Lula de lado e centrar fogo em Dilma Rousseff. Não vai mais poupá-la. Com o olho voltado para 2014, quer botar as mazelas do Brasil na conta dela o quanto antes.
(…)
################

E O PT DA DILMA VAI BATER OU NÃO NO PSDBosta?!…

República da DIREITONA OPOSIÇÃO AO BRASIL, fascista eterna, MENTEcapta, aloprada, alienada, histriônica, impunemente terrorista, antinacionalista, golpista de meia-tigela, corrupta… ‘O cheiro dos cavalos ao do povo’!… (“elite estúpida que despreza as próprias ignorâncias”, lembrando o enunciado lapidar do eminente escritor uruguaio Eduardo Galeano)

Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

Messias Franca de Macedo

02 de dezembro de 2012 às 17h00

Luiz Fux, a vaidade engoliu o esperto
Enviado por luisnassif, dom, 02/12/2012 – 07:28
Autor: Luis Nassif

Quando, no decorrer do julgamento do “mensalão”, começaram a circular as primeiras versões sobre o périplo de Luiz Fux em Brasília, para conseguir a indicação para o STF (Supremo Tribunal Federal), confesso que fiquei com um pé atrás e me recusei a divulgar.
O quadro que me traçavam era de uma pessoa sem nenhum caráter. Eram histórias tão esdrúxulas que só podiam partir de quem pretendia desmoralizar o Supremo.
(…)

em http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/luiz-fux-a-vaidade-engoliu-o-esperto

RESCALDO: mais um elemento comprobatório da natureza do *“supremoTF” a ser anexado ao processo junto à Corte Internacional (Organismo da OEA).
*“supremoTF”: aspas monstruosas e letras submicroscópicas!

Lá isto é Corte Suprema, sô?!…

EM TEMPOS DE CONSTANTES GOLPISMOS: a constante e trivial AUTODESMORALIZAÇÃO do “supremoTF” revela, entre outros fatos preocupantes, o risco à nossa ‘subdemocracia de bananas’ e ao Estado Subdemocrático(!) e de Direito!…

República da DIREITONA OPOSIÇÃO AO BRASIL, fascista eterna, MENTEcapta, aloprada, alienada, histriônica, impunemente terrorista, antinacionalista, golpista de meia-tigela, corrupta… ‘O cheiro dos cavalos ao do povo’!… (“elite estúpida que despreza as próprias ignorâncias”, lembrando o enunciado lapidar do eminente escritor uruguaio Eduardo Galeano)

Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

Messias Franca de Macedo

02 de dezembro de 2012 às 15h03

O JEITO “ESPECIAL” DO PIG T(R)OCAR A NOTÍCIA! [A SUCURSAL DO PIG NA BAHIA, REVISOR!] ENTENDA O ACARAJÉ E O ABARÁ REGADOS À PIMENTA MALAGUETA!

MENSALÃO
Fux: ‘Estarrecido’ com provas
CACHOEIRA – perdão, ato falho -, FONTE: http://www.bahianoticias.com.br/
Domingo, 02 de Dezembro de 2012 – 08:30
(ao invés de, por exemplo, *Do Baú do STF: Episódio 3 – o caráter de um deles
*http://revistaforum.com.br/blogdorovai/;
Ou, **Luiz Fux, a vaidade engoliu o esperto
Enviado por luisnassif, dom, 02/12/2012 – 07:28
Autor: Luis Nassif
**http://www.advivo.com.br/luisnassif; Ou,
***Luiz Fux, um Macunaíma na Suprema Corte
Enviado por luisnassif, sab, 01/12/2012 – 20:49
Por Francisco A. de Sousa
***http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/luiz-fux-um-macunaima-na-suprema-corte)

PARA COMPLETAR: COCADA E SUCO DE MANGA, NA SOBREMESA!

*Nome de Joaquim Barbosa é testado, em pesquisa, para Presidência da República
CACHOEIRA – perdão, ato falho -, FONTE: http://www.bahianoticias.com.br/
Domingo, 02 de Dezembro de 2012 – 12:15
*O texto é acompanhado por uma foto do [inclemente – “e supremo”!] Joaquim Barbosa, trajando toga e faixa “presidencial”!…

“Pode ‘to be’?!”

Que país é este, sô?!… Lá isto é jornalismo?!…

Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

Messias Franca de Macedo

02 de dezembro de 2012 às 14h01

‘O DEDO’ ESCOLHEU ERRADO UM CONVIDADO! OU, A IMPORTÂNCIA DO CONTRADITÓRIO! ENTENDA

… Um dos ‘convidados a dedo’ responde pelo nome de Alexandre Schawarstman! O nome já projeta o senso nacionalista (sic) do economista do Insper… Abre aspas: “Analisando o passado, eu não acredito que o Brasil será capaz de retomar um crescimento vigoroso!… Não há dúvida de que este governo [governos Lula e Dilma, revisor! – (a)de(n)do sujo nosso!] é um ‘governo antinegócio’!… É inaceitável essa intervenção do Estado (União) na regulação do retorno dos investidores, sobretudo internacionais, limitando os ganhos das empresas… Em certo sentido, é a taxa de lucros o que define os investimentos!…” [“A fina-flor” do pensamento neoliberal e antinacionalista! – de novo (a)de(n)do sujo nosso!]
Bom, mas, aí, apareceu “o erro do dedo”!… Traduzindo um pouco da lição magistral proferida por Ernesto Lozerdo, economista da Fundação Getúlio Vargas, Viva o Brasil! [Brasil grafado com ‘s’, e não com ‘z’ do tucanês, revisor, faça o favor! (RISOS)]

Ernesto Lozerdo – “… Alexandre Schawarstman é um destes economistas ligados ao setor financeiro, e em função de o governo ter aplicado medidas que baixaram substancialmente a taxa dos juros, daí o pessimismo manifestado por este grupo de economistas. Eu discordo frontalmente com esta visão catastrofista, mesmo porque estamos num regime democrático, o governo funciona, as taxas de juros estão em queda, não está havendo desindustrialização, temos uma classe média emergente e exigente, níveis de desemprego despencando, e uma agenda composta por projetos viáveis está sendo montada… O governo está fazendo um esforço real para melhorar a educação no país… Precisamos, apenas, encontrar nesta agenda positiva espaço para melhorar a competitividade da nossa indústria. Os marcos regulatórios estão sendo definidos, e o governo está convencido da indispensável participação do setor privado nas áreas de infraestrutura… Portanto, a partir de 2013 as condições basilares estarão dadas, concretamente, para um crescimento mais robusto e sustentado da nossa economia. Importante afirmar que o governo está correto em não ceder a ameaças externas. Ou seja, realmente, o governo tem que monitorar os lucros das empresas… Cumpre lembrar que estamos vivendo num país cujo capitalismo se encontra num estágio retardado, anacrônico… Um capitalismo que ainda está se fazendo… E é preciso que a população tenha asseguradas as condições materiais de utilização dos serviços e dos bens de consumo… Ademais, é importante destacar o seguinte: o Brasil não está em crise! Quem está em crise é a Europa e grande parte do restante do mundo. E mais, em 2017, alcançaremos a marca de 25% do PIB em investimentos e poupança interna. Em síntese, o Brasil é viável!…”

*Alexandre Schawarstman [enrubescido e atônito!] – “Eu insisto: os investidores estrangeiros já estiveram mais entusiasmados(!) em investir no Brasil!…” [A defesa despudorada do apetite pelo lucro voraz, exagerado, pernicioso, espúrio, insano…]
*’o economista ligado ao setor financeiro’ – e com viés nitidamente tucano – também afirmou: “O modelo de privatização empreendido pelo governo FHC, por exemplo, no setor das telecomunicações foi um sucesso, um processo muito bem sucedido, exitoso!”

MATUTO ‘BANANIENSE’ – O que ‘o economista do nome difícil’ quer propugnar é a manutenção do “entu$ia$mo” [a oficialização da ganância desumana dos capitalistas(!)] dos (mega)investidores estrangeiros e “nacionais”, ainda que o povo, desmotivado… “Se Fux”!…

LOCAL DO EMBATE: estúdio de uma emissora de televisão do PIGolpista/terrorista/antinacionalista! Programa cujo âncora responde pelo nome de **William Waack, ‘caras & bocas’ quando “o entusiasmo” é “malhar” o governo! [Mais uma vez, os governos Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, revisor!]
**a bem da verdade, nesta edição do programa, o jornalista William Waack se comportou de forma, digamos, sóbria!… Talvez a presença do doutor Ernesto Lozerdo, o tal do contraditório, “sei lá”!…

ALVÍSSARAS: o catedrático economista brasileiro Ernesto Lozerdo é professor de Economia Internacional da USP!…

BRASIL NAÇÃO – em homenagem ao eminente economista nacionalista Ernesto Lozerdo!
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

@Tiriricando

02 de dezembro de 2012 às 12h45

O pibinho e a caverna de Platão no blog o cafezinho http://t.co/tOLHuzf8

Responder

@bubuzinha

02 de dezembro de 2012 às 12h45

O pibinho e a caverna de Platão no blog o cafezinho http://t.co/hChHdjJB

Responder

@ClovesMeneghin

02 de dezembro de 2012 às 11h12

Pau no cu do PIB? RT @migueldorosario: O pibinho e a caverna de Platão http://t.co/dULPnGed

Responder

migueldorosario (@migueldorosario)

02 de dezembro de 2012 às 10h53

O PIB brasileiro no terceiro trimestre do ano, crescendo 0,6% sobre o trimestre anterior, foi decepcionante. A… http://t.co/Hnejn95j

Responder

migueldorosario (@migueldorosario)

02 de dezembro de 2012 às 10h53

O pibinho e a caverna de Platão http://t.co/BfCK3EZI

Responder

Deixe um comentário