Mais de 70% dos eleitores já estão decididos sobre o voto presidencial, diz DataFolha

Os golpezinhos nossos de cada dia

Por Miguel do Rosário

09 de janeiro de 2013 : 16h27

[s2If !current_user_can(access_s2member_level1) OR current_user_can(access_s2member_level1)]

Capa do Estadão de hoje, quarta-feira 09 de janeiro:

A matéria, no entanto, foi desmentida no mesmo dia por um comunicado do próprio Ministério Público Federal (MPF). O jornal publicou o desmentido, mas reafirmou o teor da matéria, explicando que, apesar do Procurador Geral, Roberto Gurgel, não ter se manifestado oficialmente, ele já teria confirmado, junto a seus assessores, que irá encaminhar o procedimento à instância inferior, ou seja, ao ministério público de São Paulo ou do Distrito Federal.

Considerando o histórico de Gurgel, não será surpresa se o procurador ceder à pressão da mídia e, de fato, iniciar uma investigação contra o presidente Lula. Enquanto isso, as denúncias da privataria tucana, que não vêm da boca de um criminoso condenado a décadas de prisão, mas estão comprovadas em ampla documentação, permanecem descansando no fundo escuro de alguma gaveta…

É impressionante a ansiedade com que a grande imprensa persegue o ex-presidente, agora com base em depoimento do bandido que ela mesmo demonizou por tantos anos. O mais curioso dessa história é que a imprensa, quando fala em Valério, jamais menciona o fato mais importante sobre sua pessoa: que ele era uma espécie de testa de ferro de Daniel Dantas, que durante vários anos era o controlador de um dos maiores grupos de telecomunicação do Brasil, posição esta obtida durante o processo de privatização.

*

Nesta quarta-feira, podemos identificar na estratégia da oposição midiática três principais frentes de ataque:

[/s2If]
[s2If !current_user_can(access_s2member_level1)]
Para continuar a ler, você precisa fazer seu login como assinante (no alto à direita). Confira aqui como assinar o blog O Cafezinho.[/s2If]

[s2If current_user_can(access_s2member_level1)]

  1. Assim como a luta contra o terrorismo empreendida pelos EUA, atacar Lula faz parte de uma guerra infinita. Trata-se, sobretudo, de minar-lhe prestígio e influência e, se possível, impedir-lhe que seja candidato. A postura francamente hostil do atual Procurador Geral da República, Roberto Gurgel, em relação ao PT,  tem empolgado bastante a mídia. Entretanto, uma atitude persecutória do MPF em relação à Lula, cedendo a pressões políticas e midiáticas, causaria um forte dano à instituição, justamente no momento em que esta tenta barrar um projeto de lei que tolhe o direito do MPF de investigar.
  2. O terrorismo econômico, estratégia também constante da mídia, agora se baseia em acusações de irresponsabilidade fiscal e na tentativa de instaurar um clima de insegurança em relação ao quadro energético nacional. Nenhum dos dois tem consistência. A dívida pública líquida brasileira continua caindo. As reservas internacionais, subindo. O investimento estrangeiro direto permanece alto. Quanto à conjuntura energética, colunistas e editoriais procuram a todo custo associar a situação atual àquela ocorrida em 2001. Acontece que, agora, temos várias grandes hidrelétricas sendo construídas, e que entrarão em funcionamento a partir deste ano.
  3. A terceira estratégia é explorar ao máximo a crise política na Venezuela, causada pela doença de Hugo Chávez. O presidente venezuelano ganhou a sua oitava ou nona eleição no país, e mesmo assim os nossos meios de comunicação tentam pintá-lo como “caudilho” ou “ditador”. Jamais um caudilho ou ditador, em qualquer lugar do mundo, se submeteu tantas vezes ao sufrágio popular…  Se a Suprema Corte Venezuelana toma decisões favoráveis ao governo, chamam-na de “controlada” por Chávez.  Procura-se confundir deliberadamente a opinião pública sobre as origens do poder democrático. Por que são os presidentes da republica que indicam os ministros das cortes superiores? Porque os presidentes são o representante máximo do poder popular. E todo o aparato republicano de um Estado democrático, incluindo o Judiciário, deve estar à sombra do poder soberano de seus cidadãos.

Confira abaixo a evolução da dívida pública nos últimos anos, e veja se há sentido em falar em irresponsabilidade fiscal.

Em outras palavras, o Brasil está cada vez menos endividado e os juros estão menores. O resto é debate acadêmico: importante, necessário, mas que não afeta, nem interessa, o cidadão comum.

Quanto à conjuntura energética, temos que pesquisar diretamente nas fontes, porque a imprensa, infelizmente, não é confiável. No site do Ministério de Minas e Energia, encontro vários relatórios estatísticos. A maior parte dos dados consolidados consideram até o ano de 2011.

Publico abaixo alguns gráficos do Balanço Energético Nacional 2012:

O gráfico acima mostra que o Brasil é um dos países menos poluentes do mundo. Se usamos usinas termoelétricas para complementar eventuais quedas na produção das hidrelétricas, isso ocorre num percentual pequeno, e sobretudo muito inferior a da média mundial, em especial os países ricos e democráticos (OCDE). A nossa produção de energia elétrica é oito vezes menos poluente que a americana, 12 vezes menor que a chinesa e também bem menor que a europeia.

A sigla OIE significa Oferta Interna de Energia. O gráfico acima mostra que  passamos muitas décadas sem investir em novas matrizes de produção, reduzindo a relação entre OIE e o PIB. Lembre-se que uma hidrelétrica demora no mínimo 10 anos para ser construída, de maneira que a pasmaceira dos últimos 10 anos deve ser atribuída, novamente, ao péssimo governo do PSDB. Somente a partir de 2013, quando entrarem em produção as novas grandes hidrelétricas (Santo Antônio, Jirau, Belo Monte, etc), veremos a linha vermelha voltar a subir.

Quanto ao problema da Venezuela, será resolvido institucionalmente pelo país, mas a equiparação com o Paraguai é descabida. No Paraguai, houve uma deposição relâmpago, sem direito a defesa. Na Venezuela, temos um presidente novamente eleito e uma situação excepcional, delicada, mas não há desrespeito para com o voto da maioria.
[/s2If]

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

2 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Humberto Vieira (@HumbertoVieira7)

09 de janeiro de 2013 às 20h06

Os golpezinhos nossos de cada dia http://t.co/nhZGOWxP via @sharethis. Gurgel se delicia em compartilhar com a mídia da direita.

Responder

Adir Tavares (@Adir00)

09 de janeiro de 2013 às 19h15

Os golpezinhos nossos de cada dia http://t.co/hqCMruJX E nada da Privataria tucana

Responder

Deixe um comentário para Humberto Vieira (@HumbertoVieira7)

O Xadrez para Governador do Ceará Lula ou Bolsonaro podem vencer no 1º turno? O Xadrez para Governador de Santa Catarina