Mais de 70% dos eleitores já estão decididos sobre o voto presidencial, diz DataFolha

Barbosa na Costa Rica

Barbosa paga para ser adulado pela Globo

Por Miguel do Rosário

05 de maio de 2013 : 16h06

Ou como retificou uma amiga navegante,  “nós” pagamos para a Globo adular JB…

As relações promíscuas, muito além da prudência republicana, quase pornográficas, entre o STF e a grande mídia atingiram um ponto crítico esta semana, com a divulgação de que o presidente da instituição pagou as passagens da jornalista da Globo que lhe acompanhou à Costa Rica. Ora, o STF tem assessoria de imprensa. Se a Globo não tem dinheiro (pausa para risadas), poderia fazer como todos os outros mortais, esperar o material enviado pela assessoria do STF. Mas como o plano é continuar endeusando Barbosa, inclusive para mencioná-lo em pesquisas de intenção de voto para 2014, nada como uma ajudinha financeira do próprio STF.

STF paga viagem de jornalista do Globo

Por Paulo Nogueira, no Diario do Centro do Mundo

Eis um caso inaceitável de infração de ética de mão dupla.

Barbosa na Costa Rica

Um asterisco aparece no nome da jornalista do Globo que escreve textos sobre Joaquim Barbosa em falas na Costa Rica.
Vou ver o que é o asterisco.

E dou numa infração ética que jamais poderia acontecer no Brasil de 2013.
A repórter viaja a convite do Supremo.

É um dado que mostra várias coisas ao mesmo tempo.

Primeiro, a ausência de noção de ética do Supremo e do Globo.

Viagens pagas já faz tempo, no ambiente editorial mundial e mesmo brasileiro, são consensualmente julgadas inaceitáveis eticamente.

Por razões óbvias: o conteúdo é viciado por natureza. As contas do jornalista estão sendo bancadas pela pessoa ou organização que é central nas reportagens.

Na Abril, onde me formei, viagens pagas há mais de vinte anos são proibidas pelo código de ética da empresa.
Quando fui para a Editora Globo, em 2006, não havia código de ética lá. Tentei montar um, mas não tive nem apoio e nem tempo.

Tive um problema sério, na Globo, em torno de uma viagem paga que um editor aceitou.
Era uma boca-livre promovida por João Dória, e o editor voltou dela repleto de brindes caros, outro foco pernicioso de corrupção nas redações.

Fiquei absolutamente indignado quando soube, e isso me motivou a fazer de imediato um código de ética na editora.
Surgiu um conflito do qual resultaria minha saída. Dias depois de meu desligamento, o editor voltou a fazer outra viagem bancada por Dória, e desta vez internacional.

Bem, na companhia do editor foi o diretor geral da editora, Fred Kachar, um dos maiores frequentadores de boca livre do circuito da mídia brasileira.

Isto é Globo.

De volta à viagem de Costa Rica.

Quando ficou claro que viagens pagas não podiam ser aceitas eticamente, foi a Folha que trouxe uma gambiarra ridícula.
A Folha passou a adotar o expediente que se viu agora no Globo: avisar que estava precaricando, como se isso resolvesse o caso da prevaricação.
A transparência, nesta situação, apenas amplia a indecência.

A Globo sabe disso. Mas quando se trata de dinheiro seus limites morais são indescritivelmente frouxos.
Durante muito tempo, as empresas jornalísticas justificaram este pecado com a alegação de que não tinham dinheiro suficiente para bancar viagens.

Quem acredita nisso acredita em tudo, como disse Wellington. Veja o patrimônio pessoal dos donos da Globo, caso tenha alguma dúvida.

É ganância e despudor misturados – e o sentimento cínico de que o leitor brasileiro não repara em nada a engole tudo.
Então a Globo sabe que não deveria fazer o que fez.

E o Supremo, não tem noção disso?

É o dinheiro público torrado numa cobertura jornalística que será torta moralmente, é uma relação promíscua – mídia e judiciário – alimentada na sombra.

Para usar a teoria do domínio dos fatos, minha presunção é que o Supremo não imaginava que viesse à luz, num asterisco, a informação de que dinheiro do contribuinte estava sendo usado para bancar a viagem da jornalista do Globo.

Como dizia meu professor de jornalismo nas madrugadas de fechamento de revista, quando um texto capital chegava a ele e tinha que ser reescrito contra o relógio da gráfica, a quem apelar?

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

7 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Messias Franca de Macedo

11 de maio de 2013 às 08h45

“O QUE FIZERAM COM O DINHEIRO PÚBLICO QUE BANCOU O ROMBO CRIMINOSO DO BANCO ‘CRUZEIRO DA (S)ERRA’ – perdão, ato falho -, CRUZEIRO DO SUL!” Assim diria Gilmar Mendes?! Com a palavra um dos “indignados” (sic) da ação Penal 470…

#####################

SERRA FOI QUEM MAIS LEVOU DO FALIDO CRUZEIRO DO SUL

Relatório final do BC mostra que o ex-governador de São Paulo e ex-presidenciável tucano foi o maior beneficiário das doações do banco comandado por Luís Octavio Índio da Costa, que deixou um rombo de R$ 2,2 bilhões na praça; em 2010, o banco injetou R$ 1,2 milhão na campanha de Índio da Costa, vice de Serra, e mais R$ 1,8 milhão no diretório nacional do PSDB; Ministério Público investiga fraudes cometidas pela instituição.
Fraudes bancárias, operações simuladas, créditos artificiais e alguns milhões torrados em campanhas políticas. Esse coquetel explosivo foi determinante para a ascensão e queda do banco Cruzeiro do Sul, que quebrou em 2012, deixando um rombo agora calculado pelo Banco Central em R$ 2,2 bilhões. Um relatório sigiloso obtido pela revista Istoé revela os meandros da falência bancária e indica também o tucano José Serra como o maior beneficiário das doações concedidas pela casa bancária que adorava fazer favores a políticos.
(…)

Texto repercutido em http://www.brasil247.com/pt/247/poder/101529/Serra-foi-quem-mais-levou-do-falido-Cruzeiro-do-Sul.htm

#############

… “O que fizeram com o STF!”… [RISOS]… O que não deixa de ser um risco iminente à nossa subdemocracia de bananas!…

NOTA ACAUTELATÓRIA: eu creio que o escandaloso conluio STF/restante da DIREITONA [eterna] OPOSIÇÃO AO BRASIL irá endurecer! Irão cobrar caro a derrota acachapante imposta pela verdade dos ‘domínios dos fatos, digamos, factuais’!… Quem (sobre)viver, verá!…

… Estamos, apenas, vencendo mais uma batalha dessa guerra interminável, incessante, ininterrupta!…

(… A descoberta da penicilina e a invenção da internete: duas das maiores revoluções da humanidade!…)

Hasta la Victoria Siempre!

BRASIL (QUASE-)NAÇÃO [depende de nós, ações e reações!]
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

Renato Uchoa

07 de maio de 2013 às 06h38

Joaquim cadê sua meia .Degradante.

Responder

Roberto Locatelli

06 de maio de 2013 às 22h05

Tanto o Joaquim Batman como a Globo perderam a vergonha de vez.

Responder

Ferdnan

06 de maio de 2013 às 10h25

A Mascara dos Golpista está Caindo e a cada dia vai aparecendo a PODRIDÃO DESSA CAMBADA, MÍDIA, PARTE DO STF E POLÍTICOS MEDÍOCRES SEM VOTOS QUE QUEREM GANHAR NO TAPETÃO.

Responder

Luiz M Barros

06 de maio de 2013 às 08h48

A luta da oposição virou luta contra a democracia

Responder

Messias Franca de Macedo

05 de maio de 2013 às 21h09

DA SÉRIE “O ‘brazil’ MUDADO POR UM MENINO POBRE CHAMADO JOAQUIM!” ENTENDA

##################

*STF paga viagem de jornalista do Globo
PAULO NOGUEIRA 5 DE MAIO DE 2013 15
Eis um caso inaceitável de infração de ética de mão dupla.
Um asterisco aparece no nome da jornalista do Globo que escreve textos sobre Joaquim Barbosa em falas na Costa Rica.
Vou ver o que é o asterisco.
E dou numa infração ética que jamais poderia acontecer no Brasil de 2013.
A repórter viaja a convite do Supremo.
É um dado que mostra várias coisas ao mesmo tempo.
Primeiro, a ausência de noção de ética do Supremo e do Globo.
(…)
… A quem apelar?

######################

*STF, vírgula: quem pagou mais essa escrotice foi o contribuinte brasileiro, ora bolas!…

‘NOIS’ merecemos!(?)…

República de ‘Nois’ Bananas
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

Messias Franca de Macedo

05 de maio de 2013 às 21h09

QUEM DIRIA: O TSE ACABA POR DESCONSTRUIR ‘O MENTIRÃO DO STF’! QUE VERGONHA!…

… Eu resolvi passar o dia sem acessar a internet! Permiti-me um domingo de paz, com a minha família! Não queria passar raiva, lendo as [terroristas/golpistas] manchetes anunciadas de final de semana do PIG, previsíveis e torpes!…

… No entanto, à noite, ao ler: ‘TRIBUNAL IGNORA MENSALÃO E APROVA CONTABILIDADE DO PT’

Justiça Eleitoral descartou investigação sobre dinheiro repassado por Valério. TSE levou cinco anos para tomar decisão sobre contas do partido no ano em que esquema começou a funcionar
O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) aprovou as contas de 2003 do diretório nacional do PT e analisa uma recomendação para aprovar as de 2004, desprezando irregularidades que o processo do mensalão apontou nas finanças do partido nos dois anos.
A decisão que aprovou as contas de 2003 foi dada pela ministra Cármen Lúcia em junho de 2010, no início da campanha presidencial daquele ano. O despacho foi registrado semanas depois no Diário de Justiça eletrônico.
Ao contrário do que é costume no TSE, não houve nesse caso nenhuma divulgação da decisão para a imprensa… Ou seja, os ministros do STF com assento no TSE sabiam que o PT estava limpo.
(…)

Bom, ao ler essa notícia, a raiva voltou em tom de denúncia: os ministros do STF e “a grande” imprensa que, muito antes do processo transitado em julgado, condenaram – e execraram publicamente – inocentes ficarão impunes?! Com a palavra os réus, inclua-se ‘o PT da governança’!…

República de ‘Nois’ Bananas
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

Deixe um comentário

Por que devemos confiar nas Urnas Eletrônicas? Viaje no Universo Profundo com o Telescópio James Webb O Xadrez para Governador do Ceará