Comentários sobre o áudio vazado de André Esteves (BTG Pactual)

Médicos de Cuba, bienvenidos camaradas!

Por Miguel do Rosário

23 de agosto de 2013 : 18h03

A decisão do governo de trazer 4 mil médicos cubanos criou um fato político interessante. Política é feita de símbolos, e Cuba é o símbolo mais polêmico, mais profundo e mais romântico da esquerda brasileira.

Entretanto, não creio que, à exceção de neuróticos de extrema-direita, alguém tema que esta iniciativa seja um ensaio para o PT deflagrar uma revolução cubana no país.

Ao contrário, a medida ajuda a distensionar um pouco a relação entre o governo e os setores mais orgânicos e engajados da esquerda organizada, que vem fazendo uma crítica (muitas vezes com razão) cada vez mais severa aos recuos políticos e ideológicos do PT e da presidenta.

O governo identificou que a saúde pública é o principal motivo de angústia dos brasileiros, que o problema é mais grave nas pequenas cidades e lugares isolados, e que não havia interesse dos médicos de trabalharem nessas regiões.

Então lançou um programa, o Mais Médicos, aberto em primeiro lugar para os médicos brasileiros, os quais, influenciados pelas entidades de classe e pela mídia, não demonstraram entusiasmo por ele, nem mesmo diante de um salário de R$ 10 mil, três vezes superior ao piso da categoria, além de auxílio-mudança de até R$ 30 mil.

Ao contrário, o Brasil testemunhou o corporativismo egoísta e reacionário entre os médicos, como se a profissão deles não tivesse nenhuma responsabilidade diante dos problemas da saúde pública brasileira.

A grande mídia, com sempre faz com qualquer iniciativa do governo que vise ajudar o mais pobre, já desatou uma forte campanha contra a vinda dos cubanos.

Desta vez, porém, o governo acertou na mosca. Primeiro fingiu que recuou, lá no início do programa, em julho. Apanhou um pouco da esquerda, mas conseguiu adiar essa polêmica para mais tarde, quando o programa estivesse mais consolidado.

E agora, de supetão, anuncia a vinda de 4 mil médicos cubanos, que começam a chegar dentro de alguns dias.

Engraçado ver a mídia tentando usar as contradições políticas no interior das instituições para desqualificar o programa.

A Folha estampou hoje manchetão na primeira página:

A posição do procurador citado pela Folha não durou algumas horas. Seu chefe, o procurador-geral do Trabalho, deu uma opinião bem diferente:

De qualquer forma, esta é uma polêmica que beneficiará o governo. Há um fator aí de coragem, de enfrentamento, que faz despontar uma luzinha de esperança em relação a muitas outras demandas populares ainda não cumpridas, entre elas a democratização da mídia.

O rechaço à vinda de cubanos parte apenas daqueles setores que já não votam em Dilma Rousseff, ou no PT. A maioria da população não tem preconceito nenhum contra Cuba e seus médicos. Muito pelo contrário, em breve aparecerão imagens e vídeos desses médicos atendendo em comunidades carentes do interior que terão excelente impacto junto à opinião pública.

Trata-se de uma medida que, finalmente, fala à voz das “ruas”, visto que a bandeira por uma saúde pública melhor era a mais presente nas jornadas de junho.  

O governo deveria lançar algum programa de impacto, na área de saúde, também nas grandes cidades.

Bienvenidos camaradas!

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

13 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Maria Celça Gonçalves

25 de agosto de 2013 às 14h11

Também para a Amazônia. Muitos lugares no Brasil são tão assistidos de médicos como a Amazônia. O Brasil da desigualdade permeia de Norte a Sul deste país.

Responder

Doris Lago

25 de agosto de 2013 às 12h03

Se pelo menos viessem pra Amazônia….

Responder

Zequinha Maran Hão Torres

25 de agosto de 2013 às 08h55

A MEDICINA DE MERCADO PERDEU O JOGO – VITÓRIA DO POVO
Como se esperava toda gritaria seria dissolvida na necessidade de atenção que o povo tanto necessita no atendimento à saúde. Fora mercenários anestesiados, proselitistas do acúmulo financeiro e suas mazelas provenientes das indústrias da doença. Vocês que alimentam os grandes laboratórios de medicamentos e todo cartel da produção de equipamentos hospitalares e afins.
Quem venham os médicos estrangeiros aos milhares pois o julgo da formação é faxada de fuga aos desesperados pelo lucro cumulativo nas consultas de alto custo e suas forjadas complexidades. Pois:
(?!) – Quem não sabe que estes dois anos acrescidos na formação que julgam fazer tanta diferença, mata centenas de pacientes por mês em hospitais pelo Brasil, tanto por abandono como por erros na aplicação de medicamentos de médicos plantonistas?
(?!) – Quem não sabe dos acúmulos de processos judiciais visando indenizações provenientes das centenas de mutilados por procedimentos cirúrgicos mal realizados?
(?!) – Quem não sabe que 90 % dos recém formados precisam de manuais ao lado da mesa para atender o paciente quando entra para consulta?
(?!) – Quem não percebe que os médicos formados no Brasil mesmo com mais de 7 mil horas de estudos saem mal preparados porque a medicina passou alimentar um mercado de certificados por quem pode pagar?
(?!) – Quem já não sentiu na pele o atendimento ‘porco e desleixado’ em algum hospital ou unidade de saúde aqui no Brasil, dos grandes centros ao lugar mais distante?
(?!) – Quem nunca ouviu falar ou sentiu na pele o suborno de um médico que ao realizar cirurgias pelo SUS, cobra acréscimos e subsídios financeiros do paciente como forma de garantir o atendimento?
(?!) – Quem não sabe que a desculpa de que o médico precisa falar bem o português é uma grande falácia, quando a grande maioria dos médicos Brasileiros poucos conversam com o paciente nas consultas, e as vezes nem olha na cara?
(?!) – Quem? Quem? Quem? Quem? Quem? Quem? ?????????

Todo e qualquer discurso com o propósito de desqualificar profissionais provindos de outros países é ‘Xenofobia Corporativa’, por parte de entidades como CRM, CFM, CNM (e o escambau), e todo sistema de convênios. Até porque, se formação fosse o grande diferencial teríamos centenas de brasileiros entre os médicos premiados anualmente, mas nem nas revistas internas de ciência o temos.

Por fim coloquem seus jalecos, façam a maquiagem da cara limpa e vão pro trabalho em seus consultórios particulares como foi o propósito de vossa formação, que os preparou para sustentar indústria da doença. Pois os médicos da família provindos de outros países vão fazer o que rege os princípios universais de direito a vida, acesso as políticas públicas e o contido no vosso juramento de Hipócrates:

”Prometo que, ao exercer a arte de curar, mostrar-me-ei sempre fiel aos preceitos da honestidade, da caridade e da ciência. Penetrando no interior dos lares, meus olhos serão cegos, minha língua calará os segredos que me forem revelados, o que terei como preceito de honra. Nunca me servirei da minha profissão para corromper os costumes ou favorecer o crime. Se eu cumprir este juramento com fidelidade, goze eu para sempre a minha vida e a minha arte com boa reputação entre os homens; se o infringir ou dele afastar-me, suceda-me o contrário.”

Quem venham aos milhares os “MÉDICOS” de outros países, porque no Brasil todo “Bacharel em Medicina” adora colocar o DR (Doutor) antes do nome. – Sim, eu escrevi ”Bacharel em Medicina” porque o termo ‘Diploma Médico’ é conceito corporativista! Embora eu acredite que pra ficar mais completa a formação também se poderia acrescentar a sigla ‘PH’ Pura Hipocrisia e assim estaria completa a formação!

Responder

Emilson Ramos de Carvalho

25 de agosto de 2013 às 04h58

CLARO QUE A ELITE CAFAGESTA BRASILEIRA, VAI DE EEUU, MAS O POVO, E OS MAIS LUCIDOS E INTELIGENTES VÃO DE CUBA. LÁ QUALQUER PROFISIONAL DR, SÃO PATRIOTAS, MESMOS TENDO OS FUGIDOS PARA MIAMI, QUE OFERECEM MORDOMIAS, FICAM NO PAÍS, OU VÃO PRESTAR SERVIÇOS FORA, E ACEITAM, RECEBER PEQUENOS SALARIOS, DESDE QUE O PAÍS, RECEBA MAIS PARA FORMAR NOVOS DRs. NÃO SÃO IGUAIS AOS BRASILEIROS, QUE PROCURAM É A BOA VIDA, E O ENREQUECIMENTO ILICITO, TÁ O ENREQUECIMENTO LICITO, TODOS TEMOS QUE ALMEJAR. MAIS NUNCA ESQUECENDO DO QUE RECEBERAM DO ESTADO, E ASSIM PROCURAREM RETRIBUIR AOS SEUS IRMÃOS MAIS NESCESSITADOS, OK, CANALHAS, MEDICOS.

Responder

Jorge Tavares

25 de agosto de 2013 às 02h40

Os Cubanos, ” SÃO VERDADEIROS MÉDICOS…
e NÃO ” MERCENÁRIOS DA MEDICINA ” como os de cá!

Responder

Empreendedor Brasil

25 de agosto de 2013 às 02h22

é uma educação completamente diferente a que eles recebem. aqui o médico vê primeiro a grana. lá é diferente.

Responder

Paulo Ricardo Dias Florentino

25 de agosto de 2013 às 02h04

Olha só.. tem dos “anti” aqui também.. os Assanges e Snowden ao contrário.. Ahh! Sua preocupação é com R$, quando o assunto em questão é melhoria da qualidade de vida, começando do respeito ao povo com atendimento em saúde pública. Muita coisa que acontece no Brasil hoje é inconstitucional, pra deixar de ser, vários artigos da constituição tem que ser regulamentados, assim como está acontecendo com iniciativa popular no caso da mídia democrática, onde você ao invés de ficar polemizando em cima de críticas de indignação deveria estar contribuindo pra conseguir a quantidade de assinaturas necessárias para o projeto ser debatido no congresso. Se você quer mesmo encarnar o ativista como sugere a imagem de seu perfil, seja prático, hoje a luta é pelo possível.

Responder

André Kitagawa

25 de agosto de 2013 às 01h56

Marcos, em Cuba a riqueza é compartilhada entre todos, logo, dizer que se está “entregando” dinheiro pro regime é só metade da historia, pois na prática esse dinheiro está indo é para o povo cubano, e com o consentimento dos próprios médicos. E não está indo de graça: milhoes de brasileiros vão receber atendimento médico, portanto está muito bem PAGO, não entregue. Se os medicos brasileiro quisessem receber essa grana era só se inscrever no programa. Mas como não o fizeram…

Responder

Laura Macabéa Faria

25 de agosto de 2013 às 01h55

para quem se destina os salários desses PROFISSIONAIS não me importa….os valorizo mais ainda ao saber que estão aqui em nome do juramento que fizeram e por vocação….mas nossos doctors não sabem o significado disso.

Responder

Vilena Soares

25 de agosto de 2013 às 01h52

coisa maravilhosa para um povo sofrido! viva los cubanos! viva nossos sertaejos abandonados por “nossos” médicos” que só querem trabalhar no ar condicionado…vergonha.

Responder

Marcos Snowden Freitas

25 de agosto de 2013 às 01h42

Que tal explicar isto: “No final da manhã desta sexta-feira (23), sem qualquer constrangimento — ou #VergonhaNaCara! —, o Ministério da Saúde anunciou que os médicos cubanos que estão desembarcando no programa ‘MAIS MÉDICOS’ vão receber um ‘repasse’ entre R$ 2,5 mil e R$ 4 mil do total de R$ 10 mil entregues aos castristas de Cuba.

Ou seja, dos R$ 40 milhões que o ‘Brazil’ de Dilma Rousseff e do pré-candidato petista ao governo de São Paulo, ministro Alexandre Padilha, irá entregar mensalmente à ditadura dos irmãos Fidel Castro e Raúl, em ‘triangulação’ com a Organização Pan-Americana da Saúde, os anacrônicos ‘comunas’ cubanos irão embolsar até 75%.

Diante de nossas mazelas, ver o Brasil entregar — na bandeja! — até R$ 30 milhões todo mês para o ‘Governo’ de Cuba é mais que uma mera excrescência. Esse ‘Acordo Bilateral’ é vergonhoso… é ilegal… é criminoso! É INCONSTITUCIONAL!”

Responder

André Kitagawa

25 de agosto de 2013 às 01h40

” A maioria da população não tem preconceito nenhum contra Cuba e seus médicos. Muito pelo contrário, em breve aparecerão imagens e vídeos desses médicos atendendo em comunidades carentes do interior que terão excelente impacto junto à opinião pública.”

Mas é exatamente esse o medo mais profundo que aflige a elite e o conservadorismo em geral, em grande parte é isso que está por tras das reações mais disparatadas: pra eles é absolutamente mandatório que o povo tenha todos os preconceitos possíveis em relação à Cuba, o povo não pode de maneira alguma ver o regime cubano com simpatia, senão pode começar a ter “idéias” de contestação ao modo capitalista e etc. Pois no fundo, cada medico cubano em si será uma peça de propaganda formidável para fazer a cabeça do povo a respeito das vantagens do socialismo, e isso não tem nada de paranóico. E quanto mais isso acontecer, mais longe a direita estará de implantar por vias democraticas o regime dos seus sonhos: Estado diminuto, livre mercado, “meritocracia”…

Responder

anonimo

23 de agosto de 2013 às 18h24

Em alguns aspectos, a Dilma vem com o bolo enquanto a gente vai com o milho. Esse foi um deles. Parabéns à presidenta!

Responder

Deixe um comentário

Parlamentarismo x Semipresidencialismo: Qual a Diferença? Fernanda Montenegro e Gilberto Gil são Imortais na ABL: Diversidade Auxilio Brasil x Bolsa Família: O que mudou? As Refinarias da Petrobras À Venda pelo Governo Bolsonaro O Brasileiro se acha Rico ou Pobre?