Mais de 70% dos eleitores já estão decididos sobre o voto presidencial, diz DataFolha

Paulo Nogueira: Gentili, o chapa branca

Por Miguel do Rosário

23 de outubro de 2013 : 02h05

A teoria de Nogueira é certíssima. Hoje em dia, no Brasil, é muito fácil falar mal do PT ou do governo. Porque vivemos uma democracia, e o PT tem tradição democrática de lidar tranquilamente com a crítica (diferente de alguns partidos, que promovem censura em redes sociais, e pedem a “cabeça” de jornalistas).

Na verdade, criticar o PT virou a coisa mais politicamente correta que há. Politicamente incorreto seria, numa plateia de riquinhos, elogiar o PT. Ou fazer uma piada que zombasse do ódio da mídia à Lula.

Politicamente incorreto seria fazer piada com a sonegação da Globo. Aí sim teríamos um humor corajoso. O humor que caras como Danilo Gentili fazem é humor de puxa-saco da elite financeira. Chapa branquismo da pior espécie.

Por isso são tão decadentes.

O humor chapa branca de Danilo Gentili e assemelhados

Por Paulo Nogueira, no Diario do Centro do Mundo.

Falei já aqui do que é jornalismo chapa branca: é escrever tudo aquilo que os donos das companhias de mídia querem que você escreva. Você ataca as pessoas e as ideias das quais os barões da mídia não gostam. E é altamente positivo para os favoritos dos empresários jornalísticos, como Joaquim Barbosa e José Serra.

Isto é o jornalismo chapa branca, na versão brasileira do novo milênio. Alguns jornalistas têm dificuldade extrema em reconhecer isso. Dias atrás, a jornalista Míriam Leitão disse que jamais escreveu ou disse qualquer coisa que não fosse ideia exclusivamente dela.

Temos então um caso raro: o de uma absoluta, torrencial, intransponível coincidência de ideias entre os donos da Globo e Míriam Leitão. Eles não devem discordar sequer sobre a escalação da seleção brasileira.

O fenômeno da “chapa-branca-que-não-parece-chapa-branca-mas-é” está presente também no humorismo brasileiro. Seus representantes se apresentam como “politicamente incorretos”, mas quem acredita nisso acredita em tudo.

Como os jornalistas chapa branca, os humoristas chapa branca investem contra pessoas que o chamado “1%” – cuja voz é precisamente a Globo – detesta.

Você já os viu fazer humor politicamente incorreto com a compulsão de sonegar da Globo, por exemplo? Não viu. E não verá. As boas relações com a “turma do dinheiro” são vitais para que os humoristas chapa branca ganhem convite para participar (ou até liderar) programas de rádio e tevê, e para que sejam incluídos em eventos empresários nos quais o cachê é uma beleza.

Um desses humoristas me chamou particularmente a atenção num vídeo que circulou pelo Twitter estes dias: Danilo Gentili.

No vídeo, sob olhares de Lobão e de Olavo Carvalho, Gentili conta uma história que, segundo ele, resume o Brasil: a dele mesmo.

Vou abreviar: ele diz que, por ter nascido num cortiço em Santo André, sabe que os pobres brasileiros detestam a “praga chamada PT”. Sua certeza se funda em bases científicas: os amigos pretéritos de cortiço. Eles xingavam Lula. Os votos e as pesquisas, naturalmente, não são nada diante da amostragem de Gentili.

A “livre iniciativa” o salvou. Gentili se refere à “livre iniciativa” como um fundamentalista evangélico fala da salvação pela “palavra” – a bíblia.

Pesquisei sobre Gentili depois de ver o vídeo. Vi que ele ficou furioso porque a Folha disse que a comédia Mato sem Cachorro, na qual ele trabalha, faz sucesso de bilheteria mesmo sem ter nenhum humorista famoso. Ele se considerou injustiçado, porque é “famoso”.

Vi também uma piada que ele fez quando Dilma era candidata. “Muita gente vai votar nela porque foi presa e torturada”, disse ele. “Eu não. Se ela foi presa e torturada é porque é idiota.” Isso é o que se chama de analfabetismo político num grau irremediável.

Nelson Rodrigues disse certa vez que se a televisão é de baixo nível é porque seu público também é, e o baixo nível de ambas as partes, por isso, fica justificado e mutuamente absolvido. Vale o mesmo para Gentili – e derivados — e sua plateia.

Aquele tipo de piada com Dilma é “politicamente incorreto”. Mas, na verdade, é “economicamente correto”, ou chapa branca. Você não brinca com os donos do poder econômico. Com eles, você é dócil como um poodle amestrado. Abana o rabinho a um estalo dos dedos.

Você granjeia fama como um “rebelde”, “iconoclasta” – sendo exatamente o oposto disso, um defensor sem graça e sem causa do establishment.

Sobre o Autor: O jornalista Paulo Nogueira, baseado em Londres, é fundador e diretor editorial do site de notícias e análises Diário do Centro do Mundo.

BabacaEssenciaMasculina

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

7 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Esmeraldo Cabreira

14 de maio de 2016 às 15h44

DISCORDO DO ARTICULISTA… GENTILI NÃO ABANA O RABO COMO UM POODLE! O CÉEBRO DELE É O DE UM POODLE!
ESTE CARA É APENAS UM FASCISTA IGNORANTÃO ALTAMENTE HEDÔNICO, NARCISISTA E MISÓGINO! ALÉM DA FALTA DE RESPEITO E EMPATIA COM OS OUTROS!
NASCI NA VILA………………………… KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK!
Esmeraldo Cabreira

Responder

Marcos Patresi

02 de outubro de 2014 às 19h20

Cada qual, puxa o saco de quem lhe convém, não é mesmo Paulo Nogueira?

Responder

Em defesa de Danilo Gentili

31 de outubro de 2013 às 00h55

O Danilo e seus amigos fazem parte de uma espécie de centro-direita que não é Neoliberal, mas que rejeita o discurso moralista da esquerda, que muitas vezes se torna demagógico. Eles não se identificam com o PSDB nem com direitistas/liberais que “batem masturbação falando de economia”.

O problema deles é que não sabem identificar os diferentes atores e as vertentes que existem dentro da própria esquerda. Com isso, tudo que vem da “esquerda” é ligado ao PT, mesmo que essa ligação seja obtusa e dependa de teorias de conspiração (ligação do PT com Farcs/PCC, golpe comunista, etc). Por exemplo, o DCE invadindo reitoria na USP, apesar de ser ligado ao PSOL, é associado por eles ao PT. O MST é considerado uma massa de manobra do PT, apesar dele dar muita dor de cabeça ao atual governo. Isso se deve, em parte, ao próprio PT e a esquerda brasileira, que não assume a divergência entre centro-esquerda/esquerda radical que existe dentro do PT.

No final, há de ser dito que muitas coisas feitas em nome da esquerda são de fato absurdas. A ocupação violenta, autoritária, e ilegítima de reitorias de universidades como USP e UNICAMP, quase sempre orquestradas por militantes do PSOL, são péssimas para a imagem da esquerda. A mesma coisa acontece em algumas greves, invasões, etc. Lembrem-se que os Black Blocs tem um discurso de “preocupação social” e são aliados a grupos políticos de extrema esquerda. Para as pessoas que vão para a universidade para realmente estudar, por exemplo, estudantes militantes, metidinhos a esquerdistas engajados, que só sabem reclamar da polícia e do reitor, e não estão nem aí pro currículo, a infraestrutura, a QUALIDADE do ensino, são um verdadeiro saco!

Em resumo, o que Danilo rejeita é a ESQUERDA CAVIAR. Aquela que hoje em dia se considera pura demais para o PT, que vota na Marina Silva e no Marcelo Freixo, para que eles salvem o mundo, mudem a política, porque são honestos, blablabla. Se os dois lados entendessem isso, a convivência não seria complicada.

E desculpa em lhes informar, mas o Danilo é BEM famoso no mundo da comédia. O que aquela jornalista fez foi sim uma mediocridade que não deveria ser feita com ninguém de nenhum ramo. Ele também é meio anarquista rebelde, se é que isso tem remédio…Mas no final, os erros de interpretação dele são também culpa dos erros de comunicação e de postura da esquerda organizada.

Responder

Denise Mariaz Zamperlini Ribeiro

26 de outubro de 2013 às 16h45

Também penso assim.

Responder

Mosteiro da Paz

26 de outubro de 2013 às 11h50

o lulopetismo pensa que engana quem aliando-se com sarney, collor, maluf…..

Responder

Mario Alexandre Teixeira

26 de outubro de 2013 às 00h34

E é muito fácil para a ‘esquerda’ NÃO falar mal do PT e acreditar em discursos.

Responder

Valquer Bicalho

26 de outubro de 2013 às 00h24

Sempre tem os que escolhem a crítica fácil para agradar os salões, são apenas oportunistas desprezíveis.

Responder

Deixe um comentário para Mario Alexandre Teixeira