Comentários sobre o áudio vazado de André Esteves (BTG Pactual)

Alckmin e mídia montaram farsa sobre PCC

Por Miguel do Rosário

01 de novembro de 2013 : 18h47

Reproduzo abaixo um trecho de post do Eduardo Guimarães, que resume mais ou menos o que eu tinha a dizer sobre o tema.

Estadão e Globo ajudaram Alckmin em farsa eleitoreira
(…)

Mas essa não foi a única estratégia tucana para melhorar a imagem de Alckmin. Assim como fez José Serra em 2010 durante a campanha eleitoral para presidente – quando foi atingido na cabeça por uma bolinha de papel e resolveu ir fazer “tomografia” enquanto acusava o PT de tê-lo atingido –, Alckmin decidiu pegar um “atalho” para melhorar sua imagem elaborando uma farsa, a qual acaba de ser desmontada pelo jornal Valor Econômico.

Em reportagem publicada em seu site na última quinta-feira, o Valor publicou entrevista do ex-secretário estadual da Segurança Pública de São Paulo Antônio Ferreira Pinto, que afirmou que Alckmin (PSDB) busca lucrar politicamente com supostas ameaças de morte feitas por integrantes da facção Primeiro Comando da Capital (PCC), captadas em escutas policiais.

O ex-secretário, nomeado por José Serra quando era governador e que permaneceu no cargo no governo Alckmin até o ano passado, diz que as escutas nas quais um integrante da facção fala em “decretar” (matar) o governador são conhecidas da cúpula da segurança pública desde 2011 e não têm credibilidade alguma.

“A informação é importante desde que você analise e veja se ela tem ou não consistência. Essas gravações não tinham“, disse Ferreira Pinto.

O ex-secretário de Alckmin explica que, assim como não se pode acreditar na parte dessa gravação em que membros do PCC disseram que foi o grupo criminoso e não o governo do Estado quem reduziu os homicídios em São Paulo, tampouco se pode crer na parte em que um membro da organização fala em matar o governador.

O trecho da gravação de conversa de membros do PCC em que falam em matar Alckmin foi requentado pela mídia, pois era amplamente conhecido desde 2011. De lá para cá, nunca houve evidência de que existiria mesmo algum propósito nesse sentido. Nunca houve um único atentado ou qualquer outra evidência adicional.

Por que, então, os jornais O Estado de São Paulo e O Globo, em suas edições de 12 de outubro último, publicaram uma informação antiga no topo de suas primeiras páginas, com enorme destaque?

No mesmo dia em que Estadão e O Globo fizeram estardalhaço com o suposto “plano para matar Alckmin”, a Folha de São Paulo deu apenas uma nota discreta em suas páginas internas. A mesma Folha que, em sua edição desta sexta-feira (1/11), divulgou, agora sim em sua primeira página, a matéria publicada na quinta-feira (31/10) pelo jornal Valor Econômico denunciando a farsa.

Segundo a matéria da Folha, o plano tucano-midiático pode ter dado certo. O jornal afirma que “(…) pesquisa encomendada pelo PSDB após o episódio [das manchetes dizendo que o PCC queria matar o tucano] detectou alta na avaliação de Alckmin por sua ‘coragem’ (…)”.

Entretanto, como não há maiores detalhes sobre essa “pesquisa encomendada pelo PSDB” que confirmaria que a farsa do governador paulista teria elevado sua popularidade e feito a população paulista esquecer da roubalheira dos casos Alstom e Siemens, não se pode acreditar nela.

O que fica desse episódio, além da opção de mais um tucano pela tática da “bolinha de papel”, é a iniciativa do Estadão e de O Globo de darem destaque tão grande (com manchete principal em suas primeiras páginas) a notícia tão velha (conhecida pela imprensa e pelas autoridades há quase dois anos) – à qual a Folha não deu bola, mostrando ser menos patife.

 

estadão-globo3

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

5 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

José Maurício Lima

02 de novembro de 2013 às 14h26

Mas, nesse caso, ouvi de muita gente a famoso “DemorÔ”!

Responder

Marcos P Silva

01 de novembro de 2013 às 23h55

os tucanos já são uma farsa

Responder

Humberto Tusso

01 de novembro de 2013 às 22h11

só os cegos nao veem .

Responder

Eliana Schaun

01 de novembro de 2013 às 22h02

Tucanada mafiosa!!! Deus nos livre!!!

Responder

Deixe um comentário

Parlamentarismo x Semipresidencialismo: Qual a Diferença? Fernanda Montenegro e Gilberto Gil são Imortais na ABL: Diversidade Auxilio Brasil x Bolsa Família: O que mudou? As Refinarias da Petrobras À Venda pelo Governo Bolsonaro O Brasileiro se acha Rico ou Pobre?