Comentários sobre o áudio vazado de André Esteves (BTG Pactual)

2014, o ano das grandes vitórias!

Por Miguel do Rosário

30 de dezembro de 2013 : 18h59

Num de meus últimos posts, falei que o ano de 2013 foi marcado por grandes derrotas, de todos os grupos políticos. Seguindo a mesma linha de raciocínio, pode-se dizer que 2014 será caracterizado por grandes vitórias.

Para começar, teremos eleições presidenciais, e seja lá quem vença o pleito, teremos uma vitória estupenda. Se alguém da oposição vencer, por exemplo, ninguém poderá negar que será um resultado forte e surpreendente.

No caso da reeleição da presidenta Dilma, a magnitude da vitória também não pode ser subestimada. Não será uma vitória imprevisível, visto que ela é favorita, mas será um um triunfo maiúsculo, porque representará, possivelmente, o último prego no caixão de algumas legendas conservadoras. Antes de tudo, porém, será uma vitória sobre uma mídia decadente que tenta aplicar seus últimos golpes antes de se afundar no esgoto da história.

Algumas eleições regionais, principalmente em Minas e São Paulo, trazem a possibilidade de algumas vitórias com grande repercussão nacional.

Haverá Copa do Mundo, e se tudo der certo, o Brasil sairá vencedor, não necessariamente em campo, mas fora dele, ao realizar um evento de alto nível, oferecendo segurança e conforto aos turistas que vierem ao Brasil assistir aos jogos e conhecer nosso país. Não será fácil. Às dificuldades próprias de um país ainda em desenvolvimento, cheio de problemas de infra-estrutura, somar-se-á a campanha de setores políticos interessados no fracasso da competição.

Em relação às eventuais manifestações populares, viveremos um importante desafio democrático. Forças de oposição, e possivelmente até mesmo interesses estrangeiros, marcarão presença para impor suas agendas. Ultra-esquerda, extrema-direita, udenistas, curiosos, black blocs, mercenários pagos pela oposição, além dos famigerados coxinhas, que nada mais são que jovens  confusos, deslumbrados com a atenção da mídia às suas ideias, todos esses grupos disputarão as ruas com movimentos sociais, sindicatos e militantes partidários. Eventualmente, algumas bandeiras podem convergir, como é o caso de uma exigência de uma reforma da mídia, uma agenda comum a um espectro variado de setores sociais.

O aniversário de 50 anos do golpe de Estado também pode dar vezo a manifestações populares importantes.

O teste virá de ambos os lados, de governos e manifestantes. Ambos terão de mostrar civilidade e respeito ao pacto democrático. Se assim for, nossa democracia será vitoriosa. Quero acreditar que assim será, pois algumas experiências desagradáveis vividas em 2013 não deverão se repetir no ano que vem.

Aconteça o que acontecer, porém, a Copa chegará ao fim com um vencedor: o governo ou a oposição. Imagine se o Brasil realizar uma Copa sem grandes incidentes e ainda levar a taça! Imagine que linda vitória!

No campo da economia, estaremos atravessando o último ano de uma fase de transição. A partir de 2015 e até 2018, uma quantidade enorme de grande obras de infra-estrutura estarão prontas: o canal do Rio São Francisco, as novas hidrelétricas, os campos eólicos, as refinarias, os campos do pré-sal e suas plataformas. Portos, aeroportos, estradas, ferrovias, oferecerão mais conforto e agilidade ao escoamento de cargas e passageiros.

Quero acreditar que, apesar da torcida contra da nossa mídia e de grupos políticos de oposição, a economia brasileira viverá um grande ano em 2014. Ano de eleições, tradicionalmente, é tempo de economia aquecida, em função do aumento dos investimentos feitos por governos mordidos pelo interesse eleitoral. E isso é bom.

No contexto da comunicação, o ano de 2014 também será um ano de vitórias. A blogosfera brilhará mais que nunca como uma esfera importante de debate e informação.

Quero acreditar que O Cafezinho terá a oportunidade de se consolidar como um blog relevante no cenário político, viabilizando-se comercialmente através de assinaturas e publicidade. Desejo o mesmo para o Tijolaço, onde tenho a honra de ser parceiro do nobre Fernando Brito.

Por tudo isso, eu desejo a você, leitor, que desfrute de suas próprias vitórias. Que realize seus sonhos e obtenha todo o sucesso profissional que seu trabalho, esforço e talento pode lhe proporcionar.

Da minha parte, engajar-me-ei com o máximo de empenho e disciplina para lhe oferecer uma opinião criativa e bem informada sobre os principais temas políticos no país, além de informação, furos de reportagem, denúncias e análise.

Que o ano de 2014 nos traga memoráveis vitórias contra os agentes do atraso! Que estes sejam esmagados pela história, pela esperança e por uma nova ética social, inspirada no espírito solidário e empreendedor do povo brasileiro!

Feliz 2014 para todos e até o dia 2.

20091231175509_124212_large_reveillon-em-sidney-na-australia

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

4 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Jose Carlos Romancini

31 de dezembro de 2013 às 06h41

A supremadura se nutre da supremacia assim como a liberdade nos nutre d1BOMDIA!

Responder

Lilian

30 de dezembro de 2013 às 21h29

Que assim seja!!

Responder

    Feici Besta

    31 de dezembro de 2013 às 00h20

    Ôôô, freitinhas!… Vá postar links mal cheirosos como esse em outro lugar!

    Responder

Deixe um comentário

Parlamentarismo x Semipresidencialismo: Qual a Diferença? Fernanda Montenegro e Gilberto Gil são Imortais na ABL: Diversidade Auxilio Brasil x Bolsa Família: O que mudou? As Refinarias da Petrobras À Venda pelo Governo Bolsonaro O Brasileiro se acha Rico ou Pobre?