Comentários sobre o áudio vazado de André Esteves (BTG Pactual)

Jovem e pacífico manifestantes protestando contra a Copa, ontem em SP. Foto G1

O grande perigo está de volta

Por Miguel do Rosário

23 de fevereiro de 2014 : 00h35

Algumas palavras sobre a manifestação ocorrida ontem em São Paulo e suas consequências. Antes, uma observação importante. Defendo manifestações democráticas. Não venham me chantagear com esse papo de “criminalizar” movimentos sociais.

Mas já aprendi uma coisa, de uns tempos para cá. Manifestações com presença de mascarados não são democráticas. Mascarados mancham indelevelmente qualquer manifestação, porque a gente sabe, antecipadamente, que apelarão para violências, e podem conter infiltrados cujo objetivo é justamente destruir ou desqualificar a manifestação.

Grandes armadilhas contra a nossa democracia estão sendo armadas. O movimento #naovaitercopa reúne inúmeros grupelhos de extrema-esquerda, mas conta com o apoio esquizofrênico de todos os grupos de extrema-direita, também interessados no caos e na derrubada do regime. Esses grupos financiam páginas na internet, memes e textos. Não, não é mais paranóia. Proliferam nas redes sociais um número alarmante de grupos e indivíduos que defendem um golpe de Estado, inclusive militar. Setores da direita, desesperados com a distância do poder, e farejando nova derrota este ano, perderam os escrúpulos democráticos que fingiam ter e estão demonstrando um perigoso descontrole emocional.

Falei em armadilhas porque é disso que se trata. Fazer a população se lançar voluntariamente no abismo, achando que está participando de uma revolução.

A maioria dos intelectuais brasileiros de esquerda pode ser facilmente manipulada por estratégias simples. Bota-se um punhado de jovens na rua pregando revolução, pedindo mais gastos em educação, reclamando da Globo, coisas simples e boas. Mas aí se acrescenta um elemento explosivo: algumas dezenas, ou centenas, de mascarados para assustar a polícia, quebrar bancos e incitar repressão.

Pronto. Temos o cenário perfeito. Alguns líderes de movimentos sociais, cansados de apanhar da polícia, rapidamente aderem aos protestos. Como ser contra?

Em pouco tempo, contudo, ninguém mais sabe porque está na rua, nem manifestantes nem policiais, repetindo-se a lógica irracional de uma guerra civil.

Sei que é difícil acreditar na imprensa hoje, mas todos os sites que eu li falavam de 2 manifestantes e cinco PMs feridos.

Isso é perigoso. As polícias militares têm imensas deficiências. Mas o culpado não é o policial, um trabalhador que ganha pouco e se arrisca muito. A partir do momento em que os manifestantes começarem a descontar sua testosterona em cima desses PMs, correremos enorme risco. O culpado pela violência policial é o sistema.

Nosso judiciário também tem culpa, por ser truculento e reacionário, evitando penas alternativas e prisão domiciliar inclusive para presidiários doentes que não oferecem nenhum perigo à sociedade. Por que a imprensa não fez violentos protestos quando descobriu que o Judiciário negava prisão domiciliar a um tetraplégico preso na Papuda por fumar maconha? Não protestou porque isso poderia beneficiar José Genoíno?

Por que os manifestantes só hostilizam as instituições democráticas e deixam o Judiciário e o Ministério Público em paz?

Entretanto, o mais surreal é que o movimento #naovaitercopa pede mais gastos em educação e saúde, mas o cancelamento da Copa provocaria um prejuízo enorme ao Estado, e portanto, forçaria cortes em educação e saúde.

Essa é a grande esquizofrenia coxinha, que se mistura ao marxismo enfumaçado de jovens universitários, que tem planos de saúde e estudam em universidades públicas.

Dinheiro para Saúde e Educação não cai do céu. É fruto dos impostos. A arrecadação fiscal per capita no Brasil é ainda muito inferior a dos países desenvolvidos. Somos um país rico, mas um povo pobre. A única maneira de aumentar a arrecadação é aumentar a atividade econômica. E aí entra a importância da Copa. Se ela atrai turistas, se gera novos negócios, gerará também mais atividade econômica, que por sua vez gerará impostos, que poderão ser usados em Saúde e Educação.

A Copa é importante, portanto, para gerar mais gastos em Educação e Saúde.

Sobre os mascarados, já falei aqui. Sou contra a presença dele em manifestações. O Brasil deveria fazer uma legislação específica para coibir o uso de máscaras em manifestações, para proteção dos próprios manifestantes. A presença de mascarados facilita a infiltração de provocadores, que agem para destruir a própria manifestação.

Não podemos esquecer tão rápido a morte do repórter Santigo, até porque ainda não discutimos profundamente o que aconteceu. Um dos rapazes disse que o rojão era destinado à polícia. Esse é o grande perigo. Imagine se o rojão explodisse no rosto de um policial, ferindo-o. Seus colegas se descontrolariam emocionalmente e partiriam para cima dos manifestantes, e eis que ocorre uma morte de um manifestante, quiçá de um totalmente pacífico. Balas são traiçoeiras.

O que aconteceria? Haveria uma comoção nacional? O Brasil se ergueria em fúria? Contra o quê? Contra quem?

Pior, e se o rojão que feriu o policial tivesse sido disparado justamente com essa intenção?

Será possível que o Brasil tenha se tornado um país tão facilmente manipulável? Tão frágil? É tão fácil assim nos derrubar?

Pior que sim.

A nossa mídia é um caso perdido. Ela se vende a quem paga mais caro. E sabemos muito bem a quem ela presta continência em primeiro lugar. Esse é um problema importante em toda a América Latina. Suas mídias não são comprometidas, de fato, com a democracia, apesar de sempre usarem o vocabulário democrático para venderem suas teses. Foi assim em 1964. É assim hoje.

Qual a solução? A solução é lutar por uma reforma política e uma regulamentação democrática da mídia.

A nossa imprensa faz ataques ao Sarney, e a Henrique Alves, mas jamais informou ao Brasil de onde eles tiram seu poder eleitoral: suas famílias controlam as mídias regionais, sobretudo a distribuidora da Rede Globo.

A elite é muito esperta. Pode financiar, secretamente, manifestações lideradas por jovens de extrema esquerda que pregam o fim do capitalismo. O objetivo é fomentar o caos, constranger o governo e criar na população o desejo por uma liderança forte, austera, que reestabeleça a ordem.

Não é uma conspiração tão complicada assim, afinal. Nem moderna. Os romanos a praticavam há mais de mil anos. Fomentavam revoltas domésticas nos povos que desejavam dominar. Às vezes financiavam inclusive movimentos contra Roma, sempre com objetivo de dividir e conquistar.

Quem participa de manifestações que contam com a presença de mascarados, portanto, pode estar participando de um ataque à nossa democracia sem o saber. Afinal, como saber que não há, entre os mascarados, gente que defende o golpe militar ou mercenários pagos por organizações de extrema-direita?

O pior é que os setores mais perigosos da direita sabem que apenas a emergência de uma situação de caos poderia lhe dar esperanças de uma mudança no regime. O caos é criativo. Pode gerar mudanças também para melhor. É esta a melhor armadilha para a esquerda: uma isca. Ela vê a possibilidade de mudança e seus olhos brilham, e vai atrás, não vendo que caminha para o abismo.

Os que financiam essas iniciativas com certeza saberão minimizar os riscos de que esses protestos se voltem contra eles. Não à tôa, a mídia já tem feito, desde as jornadas de junho, um malicioso jogo duplo.

Primeiro, fingiu apoiar as manifestações, mesmo com a violência ultrapassando todos os limites do tolerável, a ponto de repórteres cobrirem os protestos do alto de helicópteros para não serem agredidos, seja por manifestantes, seja por policiais (principalmente, sabe-se lá porque). O que acho ridículo. Manifestações minimamente civilizadas jamais agridem jornalistas. Agora, a mídia finge ser contra os black blocs, mas lhes dão um espaço que jamais nenhum outro grupelho jamais teve. Suas mensagens são reproduzidas em seus portais imediatamente após serem publicadas.

Estamos diante de grandes perigos, complexas armadilhas. Por isso temos que ser firmes. A defesa da ordem não é monopólio da direita ou da ditadura. A democracia também precisa de ordem. Jovens cheios de testosterona e fumaça podem se esquecer disso. O povo, não. Se a democracia não oferecer ordem, segurança e estabilidade ao povo, ele escolherá a ditadura.

A democracia, por isso mesmo, tem de se defender. O Brasil precisa de paz, para terminar de construir as estradas, ferrovias, hidrelétricas, pontes, refinarias, portos e aeroportos de que necessita para crescer economicamente e dar continuidade ao processo de distribuição de renda e melhora dos serviços oferecidos à população.

Não há nada de progressista achar que o país deva ficar refém de grupos violentos, sem qualquer tipo de repressão. Aliás, a PM de São Paulo que cercou a manifestação inaugurou uma tática louvável. Os Pms não portavam armas. O número de feridos caiu drasticamente.  Esse é o caminho. Repressão inteligente, estratégica, apenas na medida em que a necessidade exige.

Até porque não me surpreenderia se alguns estados fizessem uma repressão calculada, justamente para produzir comoção nacional e estimular mais protestos.

Temos alguns pactos tácitos na nossa sociedade. Movimentos de sem teto e sem terra, por exemplo, tem suas liberdades. Podem invadir fazendas improdutivas e edifícios abandonados, porque a democracia precisa de alguns empurrões para avançar. Mas não há sentido em entender a democracia como um regime em que todos podem tudo. Não tem sentido permitir que jovens mimados quebrem agências bancárias, provoquem caos no trânsito, revirem lixeiras, invadam e depredem repartições públicas. E tudo isso sem objetivo, sem liderança, sem qualquer estratégia.

Não é assim que faremos o país melhorar. O Brasil precisa de inteligência, não de truculência. Se houver necessidade de sermos violentos um dia, que seja para defendermos a democracia, não para sabotá-la.

Jovem e pacífico manifestante protestando contra a Copa, ontem em SP. Foto G1

Jovem e pacífico manifestante protestando contra a Copa, ontem em SP. Foto G1

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

60 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Anônimo

25 de fevereiro de 2014 às 21h24

Põe as tuas barbas de molho, trouxa.

Responder

Maria De Fatima Cabral

25 de fevereiro de 2014 às 16h51

O Cafezinho é bom porque é quente!

Responder

Simone Miranda

25 de fevereiro de 2014 às 15h54

E eles ainda tem coragem de dizer que a Copa é prejuízo pro Brasil…Perdoa deus, eles não sabem o que faz.

Responder

Leonardo Valerio

25 de fevereiro de 2014 às 15h42

comovente…

Responder

José Amaral de Brito

25 de fevereiro de 2014 às 15h34

“Defendo manifestações democráticas. Não venham me chantagear com esse papo de “criminalizar” movimentos sociais.
Mas já aprendi uma coisa, de uns tempos para cá. Manifestações com presença de mascarados não são democráticas. Mascarados mancham indelevelmente qualquer manifestação, porque a gente sabe, antecipadamente, que apelarão para violências, e podem conter infiltrados cujo objetivo é justamente destruir ou desqualificar a manifestação.”

Responder

Katarina Peixoto

25 de fevereiro de 2014 às 12h53

É preciso ser imbecil para associar isso a uma atitude de esquerda. Orelhão?! Não pode ser burrice, até para burrice há limite.

Responder

Edison Puig Maldonado

25 de fevereiro de 2014 às 04h29

#nunvaiteorelhao

Responder

Delson Gonçalves

25 de fevereiro de 2014 às 04h25

UM BANDO DE IDIOTAS ASSASSINOS

Responder

Anna Ludmilla F. Ramos

24 de fevereiro de 2014 às 22h52

Ficam sem o 0800

Responder

Maria Meneses

24 de fevereiro de 2014 às 22h15

Fazem o curso de Karatê e Judô e não encontram lugar para se apresentarem. Dá nisso.

Responder

Glauco Vivas

24 de fevereiro de 2014 às 21h17

A Vibe dos Black Block he fazer barraco.. Nao importa por qual motivo…

Responder

Gilson Fubá

24 de fevereiro de 2014 às 21h07

Apoio o O Cafezinho. Já é Patrimônio da nossa imprensa livre. Entendam meu comentário acima como contribuição de um apoiador.

Responder

Breno Crispino

24 de fevereiro de 2014 às 20h36

miguel, não dá pra generalizar

Responder

Lizbeth Klein

24 de fevereiro de 2014 às 19h40

Com licenca, e capitalismo e coisa ruim?? Estes estupidos quebrando telefone publico vao se comunicar com outras como, sinal de fumaca? Gritos? Quanta estupidez junta. Onde esta a luta pelo que e certo e pelo direito e bem estar da populacao?

Responder

Don O Carlos

24 de fevereiro de 2014 às 18h44

É brincadeira. O Paulo Eduardo Gomes que foi sindicalista ligado ao setor, deveria explicar que orelhões são coisa de quem usa pré pago e com recarga minima, não é Marcelo Freixo?

Responder

Jorge Lima

24 de fevereiro de 2014 às 18h26

APOSTO QUE TODOS SABEM DE QUE PARTIDOS ELES RECEBEM PARA FAZER TAL COISA.

Responder

Altencir Souza Pedrinho Jah Ferreira

24 de fevereiro de 2014 às 18h00

MUITO INTELIGENTE DA PARTE DOS “”REVOLUCIONI$TA$ …

Responder

John J.

24 de fevereiro de 2014 às 14h15

Vândalo é bandido.
Lugar de bandido é na cadeia ou no cemitério.
TODA MANIFESTAÇÃO PACÍFICA É LIVRE E DEMOCRÁTICA.
Todo vandalismo é repugnável e merece execração pública.
BALA DE BORRACHA É DESPERDÍCIO PARA VÂNDALO,POIS ELES MERECEM BALAS DE CHUMBO.

Responder

    Miguel do Rosário

    24 de fevereiro de 2014 às 15h24

    Calma. Sem violência. A PM de SP fez bem em não usar armas. Nada de “cemitério”.

    Responder

Flá Ahm

24 de fevereiro de 2014 às 16h28

quero ver fazer fogueira com os Iphones deles!!!!!

Responder

Giancarlo Câmara

24 de fevereiro de 2014 às 16h15

A culpa é do orelhão!

Responder

Elzinha Mu Oliveira

24 de fevereiro de 2014 às 15h52

ai ai…

Responder

Rick Villalobo

24 de fevereiro de 2014 às 15h45

Esses caras são uns bunda mole… Se tivesse uma guerra, não iriam sair de casa! Fazem essas merdas porque a policia não pode fazer nada contra esses vermes!

Responder

Daniel Faria

24 de fevereiro de 2014 às 15h44

Idiotas…..eles nem pensam quem vai pagar a conta disso depois.

Responder

Mainha Bello

24 de fevereiro de 2014 às 14h56

PMs, por favor, muita pancada nesses vagabundos!!!

Responder

Victor Paiva Leite

24 de fevereiro de 2014 às 14h19

Fabio Cristovam

Responder

Walber Leandro

24 de fevereiro de 2014 às 14h16

OTÁRIOS SIMPLES ASSIM………….

Responder

Learce Glória

24 de fevereiro de 2014 às 14h11

Pela primeira vêz sou obrigado a concordar com o Bolsonaro…”tá faltando borracha para este arruaceiros”.

Responder

Marco Espirito Santo

24 de fevereiro de 2014 às 14h09

realmente, estão contribuindo para a limpeza, já que isso, não funciona mesmo. Uma figuração fotografica para causar impacto.

Responder

Anchieta Vidal

24 de fevereiro de 2014 às 13h46

são todos covardes quando a policia pega um ,quando chega no distrito policial ,baixa a cabeça e não senhor ,sim senhor é só o que sabem falar sinalde safadeza e covardia.

Responder

Masuko Souza

24 de fevereiro de 2014 às 13h45

Rsrs… que símbolo…

Responder

Costa Lino

24 de fevereiro de 2014 às 13h42

QUANDO OUÇO BOBAGENS TENTO DE TODA FORMA ME CONTER, MAS AS VEZES A INTELIGENCIA DE QUEM ESTAR AO ALCANCE DE MEUS OUVIDO OU DE MINHA VISÃO VAI A EXTREMA BURRICE. A PREGUIÇA DE SE INFORMAR DO SOBRE O PASSADO E O QUE MUDOU ATÉ OS DIAS ATUAIS, É HILÁRIO, VER TANTOS PSEUDOS REVOLTADOS. SE ALGUÉM SAIR A PERGUNTA A ESSES TROUXAS ALIENADOS EM BUSCA DE NADA … PERGUNTAS SOBRE HISTÓRIA, GEOGRAFIA, CONHECIMENTOS ATUAIS, SUA MAIORIA ESMAGADORA NÃO SABERÁ NEM DIZER QUEM É, O PREFEITO E O VICE PREFEITO, E PELO MENOS MEIA DUZIA DE SEUS VEREADORES… COMO SABERÃO O QUE ESTÃO FAZENDO INDO AS RUAS SE MANIFESTAR….

Responder

Maria Cristina Souza Fonseca

24 de fevereiro de 2014 às 13h35

Como , dizem, não é um grupo, é uma tática, qualquer um que tampe a cara e saia quebrando é black bloc.

Responder

José Henrique Cerqueira Mariani

24 de fevereiro de 2014 às 13h32

A polícia deveria pegar uns caras desses e prender e bater com vontade. Deixar todo quebrado

Responder

Bruno Góis

24 de fevereiro de 2014 às 13h26

qualquer um que esteja mascarado é BB? Mesmo que isso seja só uma tática em manifestação? Qualquer um q se diga algo é esse algo?

Responder

Rui Frati

24 de fevereiro de 2014 às 13h19

Os próprios celulares esses vagabundos não quebram!!!

Responder

Yvy Brussel

24 de fevereiro de 2014 às 13h18

O cafezinho esqueceu luciano hulk , faustão. eliana…

Responder

Mauro Inácio Garcia

24 de fevereiro de 2014 às 13h16

Blacklixos.

Responder

O Cafezinho

24 de fevereiro de 2014 às 13h15

Cezar Bastos não. ainda estamos muito ruins. mas tento ser um cara sério e prático. há alternativa viável? o silvio santos? o bozo?

Responder

Yvy Brussel

24 de fevereiro de 2014 às 13h10

Quem informa se terá bloco de rua dos Blackbobos ?

Responder

Cezar Bastos

24 de fevereiro de 2014 às 13h05

Será que o Cafezinho realmente acha que estamos bem com o PT no governo?

Responder

O Cafezinho

24 de fevereiro de 2014 às 13h05

quebrar estádio inteiro? que genio. não seria melhor quebrar tb as casas de show, os cinemas e os teatros?

Responder

Eva

24 de fevereiro de 2014 às 07h28

Falta mudar os congressistas.

Responder

Celso Orrico

23 de fevereiro de 2014 às 14h44

tentaram o golpe midiático em 2005 e Lula peitou agora tentam novamente, Dilma vai peitar? vai sim, ganhando no primeiro turno e avançando mais no segundo mandato..
Ótimo texto Muguel..

Responder

PEDRO

23 de fevereiro de 2014 às 13h25

Falta mais que ideologia, falta força de vontade de querer entender o que se passa no país. A maioria dos jovens abraça a histeria coletiva e não procura se informar melhor sobre como reivindicar seus direitos dentro de uma democracia. Mas muitos têm acesso à informação, mas é como um vício em que a pessoa tem que querer largar primeiro, ao invés de alguém convencê-lo. Eu tiro como exemplo os comentários das pessoas nas matérias da Imprensa Golpista… como tem coxinha intolerante.

Responder

Helena Oliveira

23 de fevereiro de 2014 às 14h12

Lucas Hutter, vale a pena a leitura

Responder

Targino Wilson

23 de fevereiro de 2014 às 14h05

Conhecemos a famigerada truculência e a força da PM de SP, se mostrar dominada foi artificio mesmo.

Responder

Targino Wilson

23 de fevereiro de 2014 às 14h03

“O preço da liberdade é a vigilância eterna.”
?Thomas Jefferson

Responder

Adalberto Coutinho De Araujo Neto

23 de fevereiro de 2014 às 13h28

Agora, algumas coisas são bem suspeitas mesmo: como, durante o ano passado (2013) os manifestantes extremistas tiveram tanta facilidade em depredar e até em queimar viaturas policiais? E em São Paulo, algo bizarro: um coronel PM, ele próprio e sem escolta, foi anotar nomes dos manifestantes e foi agredido por uma turma em frente à câmeras de TV e “salvo” por um policial civil infiltrado. Um oficial superior fazendo o serviço de uma praça? Sem escolta em meio à uma manifestação violenta? Coias de Junho de 2013…

Responder

Adalberto Coutinho De Araujo Neto

23 de fevereiro de 2014 às 13h25

Bom texto. Principalmente porque expõe uma fragilidade enorme da esquerda democrática: até aqui, baixa mobilização de massas. A extrema-esquerda percebeu isso e as direitas também. A questão é que a primeira não é e nunca foi capaz de fazê-lo. As direitas perderam essa capacidade há décadas, desde a “Marcha da Família com Deus”. Mas, conseguiram fazer isso em eventos festivos e cívicos misturando reivindicações populares e democráticas legítimas com exigências confusas, obscuras e, finalmente, golpistas e fascistas. A esquerda democrática e os movimentos sociais precisam retomar a liderança popular nas ruas para neutralizar as direitas e afastar os infiltrados mascarados extremistas.

Responder

Nelma F. Santos

23 de fevereiro de 2014 às 10h42

Seria bom se o PSOL e PSTU lessem este artigo .

Responder

Carlos Nascimento

23 de fevereiro de 2014 às 10h00

nazistas em ação!

Responder

Sherazade Storyteller

23 de fevereiro de 2014 às 04h46

Parece que o manual de estratégias da OTPOR/CANVAS e suas “revoluções coloridas” tem muitos adeptos por aqui http://youtu.be/_ai293d3mm8

Responder

Daniel Américo

23 de fevereiro de 2014 às 04h36

Brilhante Miguel. Bom saber que alguém compartilha da visão da fragilidade da democracia no Brasil frete a manipulações.

Responder

Racyja Ramos

23 de fevereiro de 2014 às 04h34

Parabéns pelo texto Miguel ! também temo pela nossa frágil democracia.

Responder

Sergio Fajardo

23 de fevereiro de 2014 às 04h25

Excelente texto.

Responder

Flá Ahm

23 de fevereiro de 2014 às 03h57

perfeita visão Miguel!

Responder

Roberto Locatelli

23 de fevereiro de 2014 às 00h47

Em Porto Alegre, os manifestantes picharam a sede do PT com a expressão “Dilma=Maduro”. Por aí se vê de que lado eles estão.
http://1.bp.blogspot.com/-WtDJsSo4vXo/UwlYHcP2E5I/AAAAAAAAAXw/1srFYy9bDzg/s1600/dilma=maduro.jpg

Responder

Deixe um comentário

Parlamentarismo x Semipresidencialismo: Qual a Diferença? Fernanda Montenegro e Gilberto Gil são Imortais na ABL: Diversidade Auxilio Brasil x Bolsa Família: O que mudou? As Refinarias da Petrobras À Venda pelo Governo Bolsonaro O Brasileiro se acha Rico ou Pobre?