Análise em vídeo das manifestações do 2 de outubro e as vaias a Ciro

Alberto Dines entrevista João Roberto Marinho

Por Miguel do Rosário

19 de maio de 2014 : 12h04

Me parece que a Globo iniciou um contra-ataque planejado para tentar recuperar a sua imagem e manter o bloqueio sobre o debate acerca de uma regulamentação da mídia.

Lançou um programa com Marcelo Adnet que ironiza os críticos da Globo (mas não a Globo em si). E agora o próprio dono da empresa, numa postura raríssima, vem à público defender que não haja democratização da mídia no país.

Esperamos que Alberto Dines, do Observatório da Imprensa, dê espaço agora para alguém que opine diferente, como Franklin Martins, Vinicius Lima, ou algum blogueiro.

*

Reproduzo texto e vídeo publicados no blog do J.A.Botelho.

Por Jota A. Botelho

Na série especial comemorativa dos 15 anos do Observatório da Imprensa contou com a presença do jornalista João Roberto Marinho, vice-presidente das Organizações Globo. Em entrevista a Alberto Dines, ele falou das relações entre governo e mídia e fez duras críticas à interferência do Estado nas empresas que, segundo ele, eleva o custo Brasil. O empresário afirma que o principal diferencial do jornal O Globo, que herdou do pai, o jornalista Roberto Marinho, é a aposta em matérias extensas, bem apuradas, ao contrário da concorrência que fragmenta a notícia e prejudica a leitura. João Roberto Marinho acredita que a diversidade de opiniões está bem representada no diário da família Marinho. Questionado sobre a regulamentação da mídia no Brasil, ele foi categórico: “a regulação no Brasil deve ser diferente daquilo que é feito na Europa, principalmente nos tabloides ingleses”.
******************************
Precisamos conhecer o que pensa os ‘Donos do Poder’ cabendo a cada um de nós, democraticamente, tirarmos nossas próprias conclusões, com ou sem o Darf, conforme campanha aprovada pelos Blogueiros para exigir que a Rede Globo mostre o Documento de Arrecadação de Receitas Federais.

e4d0a2ea54c98dabd2d287e2733599bb_L

Alberto Dines e João Roberto Marinho, vice-presidente das Organizações Globo.

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

28 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Diogo Passos de Melo

20 de maio de 2014 às 22h16

Sempre q falam em regulação da mídia, eles vem com esse papo furado de censura, Venezuela, Argentina…, o clarín era um monopólio absurdo, o globovisión patrocinou o golpe a um presidente eleito. O correto seria existir o direito de resposta, fim da propriedade cruzada, do monopólio, opinião pública divergente (mesmo espaço para direita e esquerda), conteúdo menos alienante e etc…Mas esse é o bode expiatório q eles usam para manter o status quo “imprensa livre”. Ou seja utilizam-se de concessão pública para se meter na política, embotando o povo com falsas necessidades, colocando-os a favor ou contra essa ou aquela política, pressionando o congresso, o judiciário, assassinando reputações dependendo de seus interesses, invariavelmente pró livre mercado. Eles vem fazendo a agenda política do governo a muito tempo, já colocaram e retiraram presidentes. Lei de Medios neles rsrsrs.

Responder

CICERO DE LIMA E SOUSA

20 de maio de 2014 às 17h51

CADÊ O darf?

Responder

M Thereza Freitas

20 de maio de 2014 às 20h46

não creio em tentativa de recuperar imagem, uma vez que eles se acham o máximo. então, só resta a outra opção. espero que seja um fracasso retumbante.

Responder

Flavio R. Cavalcanti

20 de maio de 2014 às 18h00

Esse ObsImp só tem PPS, PSDB etc.

Responder

Expedição Perdidos Mas-Mais

20 de maio de 2014 às 08h58

Bandidos paguem os impostos sonegados …

Responder

Expedição Perdidos Mas-Mais

20 de maio de 2014 às 08h58

Bandidos paguem os impostos sonegados …

Responder

Vander

19 de maio de 2014 às 20h52

Não imaginava Alberto Dines tão acovardado, amedrontado, diminuído! Gaguejou diversas vezes, esboçando risinhos nervosos e tomando todo o cuidado para não tocar em assuntos espinhosos. Uma vergonha! Nunca mais vou assistir a TV Brasil da mesma forma… e o Observatório da Imprensa nunca mais!

Responder

Paulo Vicente Silva

19 de maio de 2014 às 23h20

Quem tem c…, tem medo.

Responder

wendel

19 de maio de 2014 às 18h49

Bom, esperar que o filho de RM, como diz o PHA – eles não tem nome, fale o contrário do que ele falou, é querer demais!
Quanto ao AD, não sei porque muitos ainda se surpreendem com o que ele faz, pois é só visitarem seu site – o OI, e verão que poucos, muito poucos lo visitam e postam comentários.
É da vida, a fatura de uma vida comprometida, tem um dia seu pagamento solicitado.

Responder

enganado

19 de maio de 2014 às 18h41

Pobre BRASIL! Esse Alberto Dines é mais um dos fantoches da Globo, e pior ainda se dizem nacionalistas. Esse é um patife, mal caráter que não tem hombridades. Uma Pátria como a nossa não merecia que essa gentalha nascesse aqui, podiam muito estar disputando a grana das roubalheiras do Dick Cheney, Joe Biden, AIPAC & cia. Mudem-se o lugar de vocês não é aqui no BRASIL.

Responder

Iura de Rezende

19 de maio de 2014 às 21h36

Alberto Dines lambendo as botas de um dos grandes responsáveis pela nossa desgraça! Dois calhordas!

Responder

Madeleine Moraes

19 de maio de 2014 às 21h07

Omg! Esta tudo dominado!

Responder

Rudo

19 de maio de 2014 às 16h51

Duvido que este senhorzinho seja capaz de formular uma frase sequer, sem ter que consultar seus assessores, que por sua vez também não podem falar sem antes saber a opinião dele. Este patrãozinho, apesar de ter estudado mais do que o papai, só tem o segundo grau completo.

Responder

Limarco - Marco Antonio

19 de maio de 2014 às 15h11

Prezado Miguel, claro, lógico e evidente que aquele que tem o pote de ouro, não vai dividir com os outros. E aí, que mora o perigo, essas poucas famílias aqui no Br, tem o poder de subliminarmente alterar o comportamento de uma sociedade à conveniência de seus interesses. Os que pensam, não duvidam disso. O mundo, o primeiro, como gostam de falar os vira-latas; há anos regulamentou a mídia. Quando se fala isso, os “pensantes” de sempre trazem a palavra censura para o tema. São incapazes de visualizarem a pluralidade de opiniões. A luta é Davides contra Golias. espero que o final seja o mesmo.

Responder

Miguel do Rosário

19 de maio de 2014 às 14h26

legal. obrigado pelo link!

Responder

Teo Ponciano

19 de maio de 2014 às 13h57

Desta dupla aí do vídeo eu só espero o pior, respeitando as devidas proporções.
Para o dines eu o recomendo para concorrer ao “prêmio diogo mainardi de jornalismo”. Acredito que, apesar da concorrência, ele leva.

Responder

Clavius Tales

19 de maio de 2014 às 13h47

Ele já entrevistou o Franklin Martins. Excelente entrevista, por sinal. Aí o ‘link’:

http://youtu.be/Q_LTLXiLAMc

Aos 48 minutos, Franklin diz o seguinte:

“Eu vou falar pra você uma coisa que pra muitos, pra muita gente vai soar como heresia: eu acho que no jornalismo o lucro é uma necessidade ética. Porque é o seguinte: se o jornal não tem lucro, ele está remunerando seu capital de outra forma. Geralmente é como? Fazendo negócios à sombra ou do poder ou de outros grupos privados, etc. Então, a melhor forma pra garantir, pelo menos a base, o ponto de partida, é que o jornal dê lucro.”

Uma paulada nos acusadores do ‘governo comunista’.

Responder

Lobo Cordeiro

19 de maio de 2014 às 16h06

E o Dines ajudando.

Responder

Marcelo D'Avila Leal

19 de maio de 2014 às 15h52

Alberto Dines, só falta agora ouvir o outro lado!

Responder

Claudio Calmo

19 de maio de 2014 às 15h45

O Alberto Dines já tem no seu passado atos de subservência ao interesses dos monopólios golpistas

Responder

Jose Roberto

19 de maio de 2014 às 15h35

Infelizmente aqui na América Latina esse artifício não é para democratizar a mídia e sim para passar as emissoras de tv,jornais,e até rádios para amigos do governo,democratizar por aqui significa querer submeter a imprensa como foi feito na Argentina e Venezuela,sem uma imprensa livre não existe democracia

Responder

Roberto marinho e o DOPS

19 de maio de 2014 às 12h27

Roberto Marinho, da Globo, diz, “passava no DOPS para conversar com a gente quando estava em São Paulo”, e ele podia telefonar a Octávio Frias, da Folha de S. Paulo “para pedir o que o DOPS precisasse”. Quando participou da montagem da Polícia Federal em São Paulo, conta, o fundador do Bradesco mobiliou a sede, em Higienópolis: “Nós do DOPS falamos com o Amador Aguiar ele mandou por tudo dentro da rua Piauí, até máquina de escrever”.

Responder

    Hell Back

    19 de maio de 2014 às 13h46

    Nossa! Tudo de graça! Não pedia nada em troca?

    Responder

os dois maiores assaltos a banco da história do Brasil

19 de maio de 2014 às 12h25

Alberto Dines perguntou sobre o empréstimo?

“Nos dias 28 de fevereiro e 29 de maio de 1980, sem nenhum registro na crônica policial, foram praticados os dois maiores assaltos a banco da história do Brasil. Em duas operações distintas, o grupo do Sr. Roberto Marinho levantou no Banerj, a juros de dois por cento ao mês, a importância de 449 milhões e 500 mil cruzeiros [aproximadamente US$ 613 mil, BdoM]”.

Na reportagem, O Pasquim demonstrou que, caso Roberto Marinho sacasse o dinheiro na boca do caixa e fizesse uma aplicação financeira no próprio Banerj receberia US$ 3 milhões, em valores da época.

“Nenhuma outra quadrilha, inclusive movimentos terroristas, lucrou tanto no negócio de assalto a banco como a quadrilha da Rede Globo. Só no Banerj expropriou um bilhão e oitocentos milhões de cruzeiros. Em retribuição, Roberto Marinho levou toda a diretoria do Banerj para trabalhar na Globo: Miguel Coelho Neto Pires Gonçalves, Diretor Superintendente do Banerj virou Superintendente da Rede Globo; Antônio Carlos Yazeji, Paulo Cesar da Silva Cechetti e Pedro Saiter (ex-vice-presidente, ex-diretor, ex-gerente geral, todos do Banerj) foram agraciados com pomposas diretorias na Rede Globo.” [Fonte]

Responder

Entrevista contratada

19 de maio de 2014 às 12h24

Quanto Alberto Dines faturou para fazer essa entrevista? O entrevistador foi pago com dinheiro sonegado? Dines perguntou sobre o DARF de UM BILHÃO DE REAIS? Dines perguntou sobre o apoio integral e irrestrito ao golpe de primeiro de abril de 1964? Dines perguntou sobre a tentativa de fraudar eleições? Dines perguntou sobre a compra fraudulenta da TV São Paulo? Dines perguntou sobre a falsificação de documentos para a compra da TV São Paulo? Dines perguntou por que a Globo faz matéria sobre manifestação com um dois manifestantes? Dines perguntou sobre a edição de debates políticos? Dines perguntou sobre o apoio dado ao “caçador de marajás”? Dines perguntou sobre o empréstimo do BANERJ à família de roberto marinho?
As perguntas foram entregues, previamente, pelos milionários donos da Globo?

Responder

Jorge Roberto Freitas

19 de maio de 2014 às 15h14

Na Argentina, desmembraram a Organização que mandava na mídia por lá; não pode ter jornal, rádio,tevê, internet. céu, inferno, limbo, paraíso, tudo na mão de um só grupo ou família. Será que aqui um dia teremos uma divisão mais democrática? Nos Estados Unidos, as grandes corporações comandam bastante, mas aqui é pior do que lá porque nos falta competição e ela move a vida da sociedade americana.

Responder

Jorge Roberto Freitas

19 de maio de 2014 às 15h12

N A

Responder

Deixe um comentário