Comentários sobre o áudio vazado de André Esteves (BTG Pactual)

O PT e a democratização da mídia

Por Miguel do Rosário

27 de maio de 2014 : 17h38

Nada como um dia após o outro. O Partido dos Trabalhadores finalmente tomou coragem e incluiu a regulamentação democrática da mídia no programa de governo da presidente Dilma Rousseff.

Entretanto, evitemos o oba oba. Essa luta ainda está só começando. O processo de regulamentar a mídia deve passar pelo congresso, então é um assunto que ainda vai demandar muita luta política, e a mídia tem um lobby parlamentar poderoso, a começar pelos caciques do PMDB.

Então não adianta propor uma guerra se não se preparar para a luta. Há coisas que o PT pode fazer desde já. Uma delas é pressionar para que o Blog do Planalto seja um instrumento de comunicação política efetivo, e não apenas um depósito de vídeos e áudios da presidenta. Sendo que nem isso ele faz direito, visto que esnobou o vídeo da presidente discursando no congresso da UJS, durante o qual ela anunciou uma proposta corajosa de reforma política com participação popular. Dilma quase nunca faz discursos assim, fortemente politizados, duros. Quando ela faz o governo esconde?

Não estou falando para o Blog do Planalto adotar um tom carbonário, mas simplesmente externar, em linguagem de blog, as mesmas opiniões que a presidente emite em seus discursos.

Dilma tem opiniões progressistas fortes. Suas opiniões deveriam aparecer mais, em vários formatos. É assim que a mídia faz com suas celebridades: a mesma figura aparece no rádio, na tv, no blog, em livro, etc. Se há interesse em ganhar as eleições (o que às vezes parece não ser o caso), é preciso maximizar a imagem de Dilma.

Até mesmo a história do “controle remoto”, que é a desculpa da presidência para não debater a mídia, só tem sentido se a presidência oferecer a sua opinião própria. Aí o brasileiro usará o controle remoto para desligar a tv e assistir a presidenta falando e escrevendo no blog. Falar em controle remoto e não oferecer alternativa é contraditório. A internet é uma plataforma de mídia completa, não podemos esquecer. A presidenta pode gravar vídeos apenas para o blog.

A gente, na blogosfera, tem dado um cacete danado no PT pela covardia em não discutir a mídia, em não criar um sistema de resposta. Então agora eu parabenizo a legenda por comprar essa guerra, que sabemos ser, talvez, a mais difícil de todas. Afinal, a mídia é a voz do capital, desse capital tenebroso e sem pátria que oprime a soberania e a democracia no mundo inteiro. Lutar por uma mídia mais democrática é uma tentativa de ampliarmos nossa soberania, de democratizarmos efetivamente nossa agenda política. É claro que os donos do poder econômico, e o capital internacional, não gostarão nada disso.

Mais uma razão, portanto, para que as eleições deste ano sejam a mais difícil de todas. Aécio Neves é o candidato da mídia, e Eduardo Campos já se escondeu, há tempos, sob a barra da saia dos jornalões. Só mesmo o PT tem força para enfrentar esse monstro. É uma batalha pela democracia, pela soberania, pelo país. Sua complexidade reside no fato da mídia dominar a narrativa. É uma luta em que a mídia controla as regras e é dona do ringue.

A solução está, evidentemente, na internet, esse território livre ainda não dominado pelas corporações midiáticas. Nesse ponto, o governo e o PT ainda tem muito a avançar. Por exemplo, me desculpem se me repito, mas não engulo a decisão da presidência da república de sumir do twitter após as eleições de 2010. Quem tomou a decisão? Foi um erro político colossal! Um erro estratégico! E não me refiro apenas a um erro de “propaganda”. Ao menosprezar a internet, o governo piorou a sua administração, afinal a rede permite o governo aprimorar seu trabalho, ouvir melhor a população.

A internet ajuda a acelerar obras e a melhorar os serviços públicos!

Por que fizeram isso? O que houve foi uma sabotagem política de proporções grandes demais para esquecermos. Parte do que vimos em 2013, nasceu desse apagão absurdo na comunicação do governo. A sociedade reagiu, desesperada, a mudez e surdez governamentais. O governo tampou os ouvidos, e o país se ergueu para dar um grito tão forte que seria impossível não ser escutado!

A comunicação permaneceu apática, catatônica, por quatro anos, e agora, às vésperas da eleição, há uma corrida para montar uma estratégia improvisada.

O blog da Petrobrás está melhorando, a duras penas, mas ainda deixa muito a desejar. O Blog do Planalto tem uma média de curtidas de Facebook totalmente incompatível com a sua importância. Tem posts que tem apenas 4 curtidas! Ora, parece que nem o próprio staff responsável pelo blog curte o que escreve.

ScreenHunter_3807 May. 28 02.34

Post do blog do Planalto: publicado às 21:24, zero curtidas seis horas depois.

Ainda não há investimento real na internet. Ainda não há decisão política concreta de mergulhar de cabeça nesse universo.

O PT está esperando o início da propaganda eleitoral para mostrar os feitos do governo, o que é um absurdo. Os tais vídeos geniais, que mudarão o cenário eleitoral, poderiam ser veiculados desde já, na internet.

Não quero culpar as equipes, da EBC, do blog, da TV Brasil, etc, pois a culpa não é dos funcionários, que são competentes. Mas não há uma diretriz de governo para fazer da comunicação pública uma prioridade na administração.

Caso Aécio Neves ou Eduardo Campos vençam as eleições, podem ter certeza, esess escrúpulos vão ter fim. A comunicação pública será transformada radicalmente. O governo passará a defender a si próprio com unhas e dentes via todos os instrumentos públicos de que dispõe, e a mídia, amiga, não irá falar nada. Não estou seguro de que os programas sociais sejam preservados, ou que sejam prioridade, mas a comunicação, com certeza, será aprimorada, provavelmente integrada à grande mídia. Porque a força do conservadorismo brasileiro está na mídia, na comunicação.

Não é por outra razão que eles atacam os blogs com tanta virulência, e sempre abaixo da cintura. Os comentaristas tucanos ou proto-tucanos entram aqui não para discutir o mérito dos textos, mas para acusar o blogueiro de receber verba clandestina do governo. O que é uma acusação irônica e até meio trágica, pois o governo, nos últimos anos, tem dado milhões para portais da grande mídia, e até mesmo para portais de propriedade norte-americana, como o site da Fox, mas jamais ofereceu nada ao Cafezinho. A explicação é simples: outro dia mesmo, descobrimos que a Secom contratou um veterano direitista da Veja, um cara que perseguiu Brizola, Gushiken, e tantos outros quadros. Depois de um post no Viomundo, conseguimos derrubar o sujeito. Só que isso faz pensar: depois de tudo que a gente tem falado, eles ainda contratam uma pessoa assim?

Não basta, portanto, defender uma regulamentação da mídia. Até mesmo para que essa não seja uma guerra perdida, precisamos empreender outras batalhas. A comunicação pública do governo tem de ser aprimorada. Até hoje, nos sites de clipping dos ministérios e da RadioBras, por exemplo, consta apenas as mesmas fontes de sempre: Veja, Globo, Folha. O ministério do Planejamento tem um sistema de busca, em que chega a listar todos os colunistas da Veja!

ScreenHunter_3797 May. 27 17.01

Isso tudo ajuda a marginalizar a blogosfera. E não há necessidade de esperar regulação da mídia para mudar esse tipo de coisa. Mas parece que o governo não tem, definitivamente, uma estratégia de comunicação. Não há um trabalho mínimo de inteligência, que faça uma análise de toda a comunicação pública federal e proponha uma estratégia centralizada e otimizada.

Repito: a importância disso não é fazer propaganda ou “falar bem” do governo! A importância maior disso é aprimorar a administração pública! Uma comunicação falha, não-democrática, gera ruídos em todas as esferas da administração. Mas a questão ideológica e política não pode ser menosprezada. Sem um trabalho de conscientização política, a mídia vai minando o governo por dentro, convertendo o próprio corpo administrativo em agentes de oposição. A “vergonha” da EBC e da TV Brasil de mostrarem realizações do governo, vergonha que às vezes flerta com uma sabotagem surda, como foi caso da presidenta no congresso da UJS, cujo discurso não foi gravado ou filmado, provavelmente está ligada a esse sentimento, a essa falta de ambiente político para defender o governo. Ora, o resultado é um desempenho medroso dessas agências, quase agradecendo pela falta de audiência. Não podem criticar, não podem defender, então fazem um jornalismo café-com-leite, insosso, fugindo de qualquer polêmica.

O ideal é que o jornalismo público tivesse independência para fazer críticas duras aos desmandos da própria administração pública, mas com um diferencial em relação à grande mídia: que também pudesse defender as grandes realizações e conquistas do governo.

Enfim, há muito o que fazer. Desculpem-me a presunção em simular que sei alguma coisa. Não sou nada, como diria Fernando Pessoa. Não diria que tenho todos os sonhos do mundo, mas alguns, sim, eu tenho.

midia-enganosa

 

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

22 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Erich Lie Ginach

28 de maio de 2014 às 17h54

Ô, Jony, se além de troll vc é mal informado, informe-se mais antes de tentar entrar na discussão, certo? É nisso que dá se informar só pela grande mídia, que é muito parcial!
A regulação NÃO é sobre o conteúdo, como está na proposta do PT lançada há alguns dias (disponível em http://www.pt.org.br/wp-content/uploads/2014/05/DIRETRIZES-PROGRAMA-DE-GOVERNO-DILMA-PRESIDENTE-2014.pdf , caso se digne a ler.)
O objetivo de uma lei de médios é uma real DEMOCRATIZAÇÃO dos meios de comunicação de massa, garantir PLURALIDADE de fontes e de informações. Mas monopólios, como o da Globo, não poderão mais existir. A Globo não é a favor do livre mercado? Na prática, não é, pois continua defendendo a reserva de mercado de comunicação para as poucas famílias midiáticas do Brasil.
Ninguém quer censurar ninguém. A Rede Lobo vai poder continuar a plantar suas mentiras contra o Governo Federal, mas sem seu monopólio de mídia, e vc vai poder continuar vociferarando suas tolices pelas redes sociais. Deixa de ser ventriloquo da direita, cara! Se é q vc entende o que eu quero dizer; atualmente a direita anda tão burra.

Responder

Jony Diaz

28 de maio de 2014 às 14h26

Eh so pra isso q vocês querem a tal lei? Sei, sei…não me engana, q eu não gosto!

Responder

O Cafezinho

28 de maio de 2014 às 13h50

o povo vai adorar, porque uma lei de mídia vai libertar o futebol da hegemonia da globo. haverá jogos exibidos mais cedo, e não “depois da novela”.

Responder

Fripp

28 de maio de 2014 às 10h02

Por que quando o pt era oposicao ele nao propos essa regulamentacao?

Responder

Jony Diaz

28 de maio de 2014 às 05h31

Deixem o povão q comprou tv gigante saber q os PETRALHAS querem censurar a programação! Milhões d brasileiros q não usam internet, vivem grudados na telinha. So se o STF fosse dominado por uma corja de ministros comprados como na Venezuela ou Argentina, poderia ser, mas isso não vai acontecer, pq em janeiro de 2015 o PT já será passado!

Responder

PACO

27 de maio de 2014 às 23h16

Muito bom, mas ainda incompleto. Pra ficar redondo e fazer gol de placa, ainda falta o PT se comprometer (ou resgatar o compromisso histórico) com a defesa das minorias e dos direitos humanos, especialmente dos Povos Indígenas!!! PRECISA GRITAR?..

Responder

Messias F. de Macedo

27 de maio de 2014 às 22h11

[A revista ‘veja’ detona a nefasta, fatídica e famigerada era PSDB/DEMo!]

“Temos que fazer os italianos na marra, que estão com o Opportunity. Combina uma reunião para fechar o esquema. Vamos fechar
daquele jeito que só nós sabemos fazer.”
Luiz Carlos Mendonça de Barros, então ministro das Comunicações do governo TUCANO FHC, em telefonema ao presidente do BNDES, André Lara Resende, referindo-se ao consórcio do banco Opportunity com a Telecom Italia no leilão das teles”

FONTE:
[pasme!] http://veja.abril.com.br/infograficos/rede-escandalos/rede-escandalos.shtml?governo=fhc&scrollto=47

Responder

Messias F. de Macedo

27 de maio de 2014 às 22h03

A ‘veja’ e a mídia que “queremos”!

###############

REDE DE ESCÂNDALOS NA ERA… [pasme!] FHC!

http://veja.abril.com.br/infograficos/rede-escandalos/rede-escandalos.shtml?governo=fhc&scrollto=47

Acompanha um VÍDEO HISTÓRICO:

http://www.youtube.com/watch?v=K_VUCsd3HY0

Responder

Sâmia Grasinoli

28 de maio de 2014 às 01h03

Marcelo Bontempo

Responder

Erich Lie Ginach

27 de maio de 2014 às 23h47

Cara, vc é patético, hein? Chamando o PIG de chapa branca! kkk PIG chapa branca só quando o FHC ocupou o governo federal. O PIG criticava aqui e ali o governo FHC, quando não podia deixar de dizer alguma coisa, mas no geral foi suave. E sem dobradinha com o Judiciário, sem juízes e procuradores herois procurando pelo em ovo, os mares eram muito tranquilos para FHC e bando. Só não elegeu seu sucessor, Serra, porque fez um governo tão ruim e privatista que a criatura se voltou contra o criador.

Responder

O Cafezinho

27 de maio de 2014 às 22h38

imprensa chapa branca é a nossa que apoiou a ditadura

Responder

O Cafezinho

27 de maio de 2014 às 22h38

não, josé. a direita, quando chega ao poder, é que detonou a mídia. censurou, matou, concentrou em mãos de poucos.

Responder

Amelides Santos

27 de maio de 2014 às 19h36

Parabéns, muito lúcido. O governo estaria usando suas ferramentas de comunicação não em seu favor, mas em favor do nosso povo.

Responder

Jose Roberto

27 de maio de 2014 às 22h23

Geralmente a esquerda da América latina quando chega ao poder escolhe a mídia como o inimigo número 1,por que será? Sem uma mídia livre e independente não existe democracia,o pig(partido da imprensa governista) é a prova cabal de como é patético uma imprensa chapa branca

Responder

Erich Lie Ginach

27 de maio de 2014 às 22h17

José Roberto, prove que Chavez e Cristina puseram a midia de joelhos. Eles apenas tomaram medidas para a democratização da mídia, especialmente no caso da Argentina. Chavez chegou a tomar a concessão de uma rede que agia criminosamente contra ele e ele tinha toda a razão para isso, já que a concessão é pública, não privada, e a rede atuava de modo golpista.
Quanto ao PT, quer democratizar a mídia brasileira, acabando com monopólios e dando espaço à diversidade de “vozes oprimidas”, como diz o MIguel do Rosário. Se isso é “pôr a grande mídia de joelhos”, que seja posta então. A grande e velha mídia não é nenhuma santinha. Fim de papo.

Responder

Fabiano Monaco

27 de maio de 2014 às 22h15

Agnaldo Mattos Neto Bruno D’Almeida

Responder

Pafúncio Brasileiro

27 de maio de 2014 às 18h57

Miguel,
Concordo, a estratégia do governo, na área de comunicação, é não ter estratégia alguma.

Responder

O Cafezinho

27 de maio de 2014 às 21h44

O que o PT quer não sei, o que é preciso é libertar vozes oprimidas por uma mídia consolidada durante a ditadura

Responder

O Cafezinho

27 de maio de 2014 às 21h44

O que o PT quer não sei, o que é preciso é libertar vozes oprimidas por uma mídia consolidada durante a ditadura

Responder

paulo

27 de maio de 2014 às 18h40

água mole em pedra dura, tanto bate até que fura…continue falando, Miguel, continue que eles ouvem….a inclusão de uma lei de mídia no programa do pt tem muito a ver com a blogosfera.
realmente o governo ficou omisso nesse terreno da internet, quando poderia ter dado um show nessa área. A internet hoje é indissociável das ruas.

Responder

Jose Roberto

27 de maio de 2014 às 21h29

Será q o pt acha q vai colocar a mídia brasileira de joelhos, como fizeram chavez e Cristina,a louca ? Tá bom

Responder

Jose Roberto

27 de maio de 2014 às 21h29

Será q o pt acha q vai colocar a mídia brasileira de joelhos, como fizeram chavez e Cristina,a louca ? Tá bom

Responder

Deixe um comentário para Fripp

Parlamentarismo x Semipresidencialismo: Qual a Diferença? Fernanda Montenegro e Gilberto Gil são Imortais na ABL: Diversidade Auxilio Brasil x Bolsa Família: O que mudou? As Refinarias da Petrobras À Venda pelo Governo Bolsonaro O Brasileiro se acha Rico ou Pobre?