Live com Miguel do Rosário (convidado especial: Luiz Moreira)

O desempenho de Aécio em entrevista pra Globonews

Por Miguel do Rosário

17 de junho de 2014 : 23h49

Candidato fracassa em entrevista

Por Sergio da Motta e Albuquerque em 17/06/2014 na edição 803
No Observatório da Imprensa.

Aécio Neves, o senador e agora candidato à Presidência da República pelo PSDB, não pôde evitar o sorriso sem graça e o desconcerto trazido pelas perguntas sobre o planejamento no setor elétrico que Renata Lo Prete (14/6), da GloboNews, dirigiu a ele no segundo bloco da entrevista que a jornalista fez com o político mineiro. Renata foi direto ao ponto ao afirmar com toda segurança que a oposição costuma criticar muito a atual administração quando o tema é a gestão do nosso sistema de geração e distribuição de energia.

Ela lembrou ao candidato que “quando o PSDB esteve no poder federal, as tarifas explodiram muito acima da inflação, e um apagão, seguido de racionamento, decretou o fim prematuro do segundo governo Fernando Henrique”. Logo depois veio a pergunta: “O que os tucanos têm a ensinar nesta matéria, senador?”

Aécio começou a esboçar uma resposta, corrigindo a entrevistadora e afirmando que “não era correto comparar momentos tão diferentes da vida nacional, quando as prioridades eram outras”. O senador (PSDB) tentou continuar com sua explicação, mas Lo Prete não o deixou continuar, e interrompeu a fala de seu entrevistado: “Mas será que não, senador?”, questionou a jornalista, sem deixar muito tempo para as reflexões pobres de Aécio: “A gente fala muito de falta de planejamento, e se há uma coisa que a gente sabe bem é que não houve planejamento naquela situação”, afirmou a jornalista. A crise do “apagão” de 2001-2002 custou ao Brasil R$ 45,2 bilhões, de acordo com dados do TCU publicados na revista Época Negócios, em 16/7/2009.

O abismo e o desgoverno

Aécio então deu aquele sorriso peculiar de quem perdeu o rumo da prosa. Foi apanhado desprevenido por uma entrevistadora astuta. Por um momento pareceu perdido. Mas logo continuou, explicando que “não era advogado de Fernando Henrique Cardoso”. Depois tentou corrigir a ambiguidade que lançou sobre o nome de seu companheiro de partido e garantiu que ele “não precisa um” (advogado). Elogiou os governos de FHC, disse que sem eles Lula nada teria feito e ainda tentou lembrar à editora de política do Jornal das 10 da GloboNews que em 2001 “houve muito pouca chuva”.

Não era o dia de Aécio: Renata lembrou que o governo Dilma também viveu um período de estiagem muito longo. Aécio então partiu para uma série de acusações ao PT: sectarismo, irresponsabilidade fiscal, intolerância política com a oposição, mas foi outra vez pressionado pela jornalista. Que quis saber “por que tantas pesquisas, públicas e privadas, registram uma imagem muito ruim dos governos do PSDB”. Aécio finalmente admitiu as derrapadas no segundo mandato de FHC, e afirmou que “mesmo assim ainda restou crédito ao seu governo, graças as suas conquistas anteriores”.

O candidato do PSDB tentou usar a entrevista para aproveitar o mau momento da atual administração. Veio para atacar, mas com retórica frágil e sem o preparo intelectual de FHC, ele só desperdiçou tempo precioso de exposição pública. Nada do que o candidato disse ajudou seu partido ou sua candidatura. É verdade que a administração de Dilma Rousseff não deu a sequência esperada aos melhores momentos dos dois governos de Lula, mas querer estabelecer como verdade absoluta que caminhamos para o abismo e o desgoverno é inaceitável, se partirmos de pontos de vistas factuais.

Dever de casa

A verdade estava lá, na expressão de desamparo de Aécio Neves interrogado sobre FHC e seu fracasso na gestão do setor elétrico. O candidato esperava uma acolhida mais hospitaleira e favorável, em uma emissora que faz oposição ao PT de forma sistemática e muitas vezes desleal. O grande erro de Aécio foi acreditar que as grandes corporações de mídia são entidades monolíticas e os profissionais que trabalham nelas são lacaios dos patrões e seguem a linha editorial imposta por eles sem reflexão. A coisa não é tão simples assim.

A chamada “grande mídia” é complexa e tem muitas faces. Desacreditar tudo aquilo que é produzido por ela é uma imprudência pueril. Nos jornais mais conservadores trabalham profissionais com visões de mundo e opiniões que nem sempre coincidem com as dos seus empregadores. O contrário também é verdadeiro: publicações liberais podem ter em seus quadros gente conservadora que não segue a linha editorial de seus chefes. Jornalistas e editores experientes sabem trabalhar nos limites da autonomia relativa que a imprensa permite. Sabem usar as brechas nas emissoras e publicações onde trabalham.

Aécio Neves ignorou isso e por pouco a entrevista não “azedou” totalmente: em certo momento no segundo bloco, a entrevistadora afirmou que o PT reconhece as conquistas de FHC. O político mineiro replicou: “O PT não reconhece nada”. O candidato quis polemizar. Tentou provocar discussão. Renata Lo Prete mostrou profissionalismo, não aceitou a provocação e foi em frente com a entrevista. E o candidato desperdiçou a oportunidade de mostrar as alternativas de seu partido para o atual governo. O aspirante a presidente não fez o dever de casa, veio mal preparado para a entrevista e ainda deixou bem claro que não tem frieza para enfrentar quem o contrarie com boa argumentação.

***

Sergio da Motta e Albuquerque é mestre em Planejamento urbano, consultor e tradutor

aecio-neves-globo-news-w-300x187

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

33 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Gilberto Oliveira Cardoso

19 de junho de 2014 às 03h42

Aécio, continue assim…

Responder

Marco

18 de junho de 2014 às 23h27

Que bom que existem reporteres que não são pau mandados, como Alexandre Garcia está sendo.

Responder

Carlos Veras

19 de junho de 2014 às 02h23

Ainda bem que a opção ao zé serra é o néscio neves…

Responder

Pedro Barbosa

18 de junho de 2014 às 23h54

Pra dar entrevistas, esse aí tem que treinar uma semana antes !!! Tem que combinar as perguntas e respostas !!!

Responder

orlando

18 de junho de 2014 às 16h24

Com o PSDB já ficamos sem energia com vários apagão e agora estamos sem aqua Lamentável esse partido, sem contar que esse Aécio gosta de cheirar um pozinho!!!

Responder

Moisés Spellmeier

18 de junho de 2014 às 18h04

Alguém precisa recomendar o coxinheitor pra ele: http://www.zueracard.com.br/coxinheitor/

Responder

tereza s de paula

18 de junho de 2014 às 13h29

ele só entende de falar mal do PT o ódio que ele sente é muito grande pessoa que sente ódio tem mal hálito …eu imagino o dele kkkkkkk

Responder

Leonidas Mendes Filho

18 de junho de 2014 às 12h59

Mas, certamente ele manteve seu mais verdadeiro bordão:

“não vai ter coca… quer dizer, copa”!

Responder

Carlos Ribeiro

18 de junho de 2014 às 12h45

Ele ainda vai mandar prender a Jornalista, podem esperar!

Responder

henrique de oliveira

18 de junho de 2014 às 11h55

Assim como o avô , não passa de um pulha , enganador , e só se sustenta na mídia e no reino dos coximhas.
Dilma acaba com esse safo em 30 segundos de debate.

Responder

paulo

18 de junho de 2014 às 11h50

sim, miguel aí eu te pergunto: onde está o candidato maravailhoso que vc enxergou na entrevista da globonews??

Responder

    Miguel do Rosário

    18 de junho de 2014 às 11h52

    Eu não assisti a entrevista da Globonews, apenas reproduzi matéria publicada no Observatório da Imprensa. Minha impressão foi na entrevista do Roda Viva, que eu assisti com atenção. Là ele foi bem. Aqui, ao que parece foi muito mal.

    Vou assistir essa da Globonews para ver se concordo. Agora, é possível ir bem numa e ir mal noutra, não?

    De qualquer forma, continuo achando um adversário mais perigoso que Serra e Alckmin. Talvez esteja enganado, enfim.

    Responder

      paulo

      18 de junho de 2014 às 16h55

      onde eu citei Globonews, eu quis dizer roda viva….perdão.

      Responder

mario

18 de junho de 2014 às 10h45

PIOR PREPARAÇÃO QUE A DILMA IMPOSSIVEL. nINGUÉM AGUENTA MAIS 4 ANOS.

Responder

    Miguel do Rosário

    18 de junho de 2014 às 11h16

    Muita gente – a maioria, por enquanto – não só aguenta, como quer mais 4 anos.

    Responder

jacó

18 de junho de 2014 às 10h19

VOTO em DILMA já reeleita em 1º turno com apoio total dos eleitores BRASILEIROS isso é BRASIL de todos os BRASILEIROS.

Responder

Maria Hiley

18 de junho de 2014 às 09h59

Aécio, nada mais que Aécio!

Responder

tom

18 de junho de 2014 às 09h47

o que será que vai acontecer com a jornalista por causa dessa boa entrevista ? será que a globo vai coloca-la na sibéria , como diria o brizolla

Responder

Geuesle Gomes da Mata

18 de junho de 2014 às 12h03

Pra ser presidente tem q ter capacidade,ñ é só querer e achar q pode sair criticando quem está lá, ñ troco certo pelo duvidoso nennnnnn.

Responder

ROBERT

18 de junho de 2014 às 08h57

ENTÃO VAI LAMBER AS BOTAS DELE, ANIMAL!!!!

Responder

Josue Castilho

18 de junho de 2014 às 11h26

Aê Marcelo Albuquerque. A impressão que ficou, conforme você havia me contado.

Responder

Gisele Vieira

18 de junho de 2014 às 11h07

Não assisti a entrevista, alguém sabe se perguntaram sobre o “Choque de gestão na educação”, sobre a mentira deslavada que ele falou em horário político, desmentida veementemente pelo Sindicato dos Professores do Estado de MG? Perguntaram sobre a Lei 100 e sobre o que ele pretende fazer com os mais de 70.000 profissionais da educação que estão aguardando um posicionamento do governo sobre seus direitos trabalhistas, usurpados na ocasião da criação da Lei 100 e agora quando todos voltaram a estaca zero, perdendo 7 anos de suas vidas trabalhando pra este governo FDP? O Aécio tem muito o que conversar e se explicar, só que são poucos os que ousam confrontá-lo…

Responder

Marcia Munhoz

18 de junho de 2014 às 11h07

Si fu.

Responder

Lilana Lima

18 de junho de 2014 às 10h44

Isso não é novidade, mta gente já sabe das limitações dele, o próprio Ciro Gomes já propagou em alto e bom som que ele não lê e não é bem informado. O episódio serve para uma constatação, a oposição não tem o cara!

Responder

Lilana Lima

18 de junho de 2014 às 10h44

Isso não é novidade, mta gente já sabe das limitações dele, o próprio Ciro Gomes já propagou em alto e bom som que ele não lê e não é bem informado. O episódio serve para uma constatação, a oposição não tem o cara!

Responder

Cida Jube

18 de junho de 2014 às 10h24

O idiota pensou que sendo a entrevista em uma emissora amiga, ele só teria bola levantada para ele chutar, perdeu de 10 X 0.

Responder

Cida Jube

18 de junho de 2014 às 10h24

O idiota pensou que sendo a entrevista em uma emissora amiga, ele só teria bola levantada para ele chutar, perdeu de 10 X 0.

Responder

Frodo Bagunceiro

18 de junho de 2014 às 05h53

Se na imprensa amiga ele dá uma ratiada dessas, imagina se ele enfrentar um entrevistador que vai perguntar sobre o trensalão de São Paulo, ou sobre o mensalão tucano, ou sobre Minas Gerais???

Responder

Luíza de Araújo

18 de junho de 2014 às 03h16

Cheirador safado!

Responder

Francisco Barbosa

18 de junho de 2014 às 03h09

caraca se vc’s acham que ele “FRCASSOU” nao entendo mais nada, o cara se saiu muito bem, tem CAPACIDADE DE SINTESE, PENSAMENTO RAPIDO e FALA FACIL !!! tadinha da DILMA !

Responder

    ROBERT

    18 de junho de 2014 às 08h58

    ENTÃO VAI LAMBER AS BOTAS DELE, SEU CORNO

    Responder

Marciano Brito

18 de junho de 2014 às 03h06

vc estão promovendo muito esse aecio never e essa bobo news

Responder

Maria Celia Ferrarez Bouzada

18 de junho de 2014 às 03h04

Bondade substituir a palavra “frieza” por falta de informação, de conhecimento sobre qualquer assunto que diz respeito a questões econômicas, sociais de Brasil. Problemas graves com o péssimo funcionamento dos neurônios restantes. Os que sobraram, são usados par falar bobagens ou planejar atos rasteiros.

Responder

Deixe uma resposta