Comentários sobre o áudio vazado de André Esteves (BTG Pactual)

PSB e PT fazem aliança no Rio. Criada uma ponte para o plano nacional?

Por Miguel do Rosário

20 de junho de 2014 : 17h55

Muito interessante essa aliança entre PSB e PT no Rio. Me parece uma vitória da ala esquerda do PSB, representada por Roberto Amaral, vice-presidente do partido, que estava presente ao evento, e sinal de que a teoria de aliança com a direita, defendida por Eduardo Campos, perdeu força internamente.

Campos não decolou e corre o risco de sair menor do que entrou na campanha. A aliança com Marina se revelou um fiasco, porque serviu apenas para desmontar palanques que Campos vinha montando há anos, em alguns estados, e não trouxe nenhuma novidade.

Da assessoria da Jandira Feghali:

JANDIRA ABRE MÃO DO SENADO PARA FORTALECER ALIANÇA NO RIO

A deputada federal Jandira Feghali e o senador Lindbergh Farias formalizaram no início da tarde desta sexta-feira (20) o convite formal ao PSB para integrar a coligação Frente Popular (PT, PCdoB e PV). A reunião, que ocorreu na sede dos socialistas, no Centro do Rio, contou com a participação do vice-presidente estadual do PSB, Roberto Amaral, do deputado Romário e do prefeito de São João de Meriti, Sandro Matos (PDT).

Com a chegada do PSB, Jandira não disputará a vaga ao Senado Federal. A parlamentar comunista explicou a importância de se alcançar uma unidade política: “Nosso objetivo maior é construir uma aliança coerente e de peso, que trabalhe exclusivamente pela mudança popular, à esquerda, junto das reais demandas da sociedade. Um governo que dialogue novamente com o povo. Nosso partido teve a sensibilidade de focar minha reeleição à Câmara dos Deputados, mas ainda batalhando por esta aliança”, explicou Jandira Feghali.

Amaral aproveitou para destacar a vanguarda da esquerda fluminense: “Esse conjunto de partidos reunidos aqui sempre deram a direção do desenvolvimento de políticas públicas reais. Políticas que mudaram a vida dos cidadãos”, disse.

O senador petista endossou: “As forças de esquerda do Rio vivem hoje a possibilidade de construir, juntas, um projeto alternativo para a disputa do Governo do Estado. Um governo que busque transparência e participação popular, que dialogue com o povo e com a juventude, que construa um novo caminho”, afirmou Lindbergh.

A direção estadual do PSB encaminhará amanhã, em convenção, o convite feito hoje, oficializando a disputa no Rio. Na próxima quinta-feira (26), é a vez do PCdoB realizar sua convenção estadual. São esperados mais de 1 mil pessoas no auditório da ABI, no Rio.

dilameduardo

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

26 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Heitor de Assis

23 de junho de 2014 às 13h19

O que fica mais evidente a cada dia, é que Dudu não manda nada no PSB. Os dirigentes estaduais da sigla estão cuidando da sobrevivência de suas legendas e o esdrúxulo leque de alianças em curso e à revelia de Eduardo Campos significam, na prática, o abandono de sua candidatura.
Perdeu relevância em Pernambuco e não angariou apoios país afora. Um destino merecido para um oportunista deslumbrado e inconsequente.

Responder

Vitor

22 de junho de 2014 às 21h58

Aliança por interesse, como 99% das alianças do Brasil inteiro… Formar base coerente é conversa pra boi dormir…

Responder

Rafael Torres

21 de junho de 2014 às 21h48

Em sp o psb eh tucano, eta partidinho camaleonico!!!!!

Responder

Eloisa Elena Abreu

21 de junho de 2014 às 16h46

O PSB, em São Paulo está apoiando o Alckmin e em troca quer ser vice do Alckmin.

Responder

Jorge Silva

21 de junho de 2014 às 16h29

Se isso ocorrer, Campos está ameaçado a ficar com uma margem de votos próxima do Pastor Everaldo em pouco tempo.

Responder

Jorge Silva

21 de junho de 2014 às 16h27

Em uma análise no chutometro, temos nessa eleição os que não querem o PT independente do partido de oposição que vença. Também temos aqueles que pensavam em votar no Campos pelo discurso da Marina de terceira via. Creio que possíveis acordos do Campos com o PT possa fortalecer a imagem do PSDB como única oposição com real chance de vencer, refletindo numa possível queda do Campos nas próximas pesquisas e o fortalecimento do Aécio.

Responder

Jose Roberto

21 de junho de 2014 às 14h32

esse Eduardo nunca me enganou,tem o dna ptista,portanto dna podre

Responder

Merlo Bento

21 de junho de 2014 às 00h56

Nesta história toda, a única que merece o meu respeito é a Jandira. Em prol do avanço da melhor política no momento, abre mão de sua candidatura no Senado. Imaginem, trocar a Jandira pelo Romário. Não que ele seja ruim, mas não é confiável. Parabéns Jandira, és uma mulher de fibra e coração.

Responder

Karl Benz

21 de junho de 2014 às 02h09

Aliança com o Dudas Iscariotes? Pra que?

Responder

Carlos Antônio

21 de junho de 2014 às 00h41

Não acredito em ponte nacional. Isso reforça o descontrole da direção do PSB que em maioria junto com Eduardo Campos traiu o projeto de mudança do Brasil e para isso aceitou Marinha que é uma desorientada. A aliança do PSB com os tucanos em são Paulo demonstra que no rio existe uma resistência não uma estratégia para viabilizar um possível retorno.

Responder

Marcia Munhoz

21 de junho de 2014 às 00h41

Enquanto isso PSB faz acordo e apoia o Alckmin em Sampa.

Responder

Paulo Marcel Palmares Sobrinho

21 de junho de 2014 às 00h36

O que vai acontecer é muito simples: Dilma vence no 1º turno e o PSB volta para o governo com o rabo entre as pernas.
Ou Dilma vence no segundo turno com apoio do PSB e o PSB volta para o Governo com o rabo entre as pernas.

Responder

Raphael Lage

20 de junho de 2014 às 22h46

Engraçado é ver o Walter Feldmann sair do governo PSDB para apoiar o governo do PSDB.

Responder

Emília Machado

20 de junho de 2014 às 22h41

Oh partido coerente esse de Campos e Marina!

Responder

Raphael Lage

20 de junho de 2014 às 22h37

Enquanto isso Miguel Do Rosario, o que dizer de Márcio França e o apoio ao PSDB?

Responder

Jorge Silva

20 de junho de 2014 às 21h41

PSB e PSDB fazem aliança em SP… Nem um e nem outro, apenas interesses de acordo com os cenários estaduais….

Responder

Oldack Miranda

20 de junho de 2014 às 21h29

Tá criando cobra…

Responder

Anchieta Vidal

20 de junho de 2014 às 21h18

a música da fafá vermelhou a do eduardo é trairou,

Responder

Fernando Cunha

20 de junho de 2014 às 21h07

Campos decolou sem combustível. kkkkk

Responder

Tiago Borges Dos Santos

20 de junho de 2014 às 21h03

Mas em SP está com o Alckmin, sei não, uma vez traíra sempre traíra.

Responder

Rachel Bort

20 de junho de 2014 às 21h00

São Paulo com Aécio.

Responder

    sergio m pinto

    20 de junho de 2014 às 18h59

    E São Pedro com Padilha!

    Responder

Fernanda D. Scherer

20 de junho de 2014 às 21h00

E Dudu , como vai ficar nessa ???

Responder

Fernanda D. Scherer

20 de junho de 2014 às 20h59

Acho que agora já sabemos quem o partido socialista do Eduardo Campos (PSB) vai apoiar se houver segundo turno .

Responder

Daniel Martorelli

20 de junho de 2014 às 20h59

Já fechou no Rio?

Responder

Wel Carvalho

20 de junho de 2014 às 20h59

Campos vai acabar querendo voltar…

Responder

Deixe um comentário para Fernando Cunha

Parlamentarismo x Semipresidencialismo: Qual a Diferença? Fernanda Montenegro e Gilberto Gil são Imortais na ABL: Diversidade Auxilio Brasil x Bolsa Família: O que mudou? As Refinarias da Petrobras À Venda pelo Governo Bolsonaro O Brasileiro se acha Rico ou Pobre?