Análise em vídeo das manifestações do 2 de outubro e as vaias a Ciro

Ditadura do PT?

Por Miguel do Rosário

24 de julho de 2014 : 12h53

Já sabíamos que a campanha seria pesada, mesmo assim sempre nos surpreendemos quando a guerra começa.

Sobretudo porque ela, a baixaria, não chega vestindo trajes típicos.

Não chega exibindo o logotipo “baixaria” na testa.

Ela vem travestida de reportagens “imparciais” e de notas em colunas políticas.

Os jornais amanheceram hoje com tantas manipulações que chega a dar medo.

O núcleo da campanha tucana voltou para onde sempre esteve: as redações da grande imprensa.

Até aí tudo bem. Sabíamos que seria assim.

O problema é o método.

O Globo parece ter encarnado o espírito de Joaquim Barbosa.

Ou melhor, agora vemos que Joaquim Barbosa encarnava, na verdade, um demônio cevado nos porões da Vênus Platinada.

Sobrou até para a OAB-RJ e para a Comissão da Verdade do Rio.

ScreenHunter_4337 Jul. 24 09.30

Nota publicada na coluna do Ilimar Franco, de hoje.


A grande imprensa não é muito criativa.

Ela vai usar o método que já deu certo. Criminalizar, dividir, constranger.

Com ajuda de seus tentáculos no Estado, que são muitos e poderosos.

O caso dos 23 ativistas presos – e agora soltos sob habeas corpus – é emblemático.

A questão não é a culpabilidade dos mesmos, que deveria ser analisada com tranquilidade por juízes isentos.

A questão é a atmosfera irrespirável de linchamento, criada deliberadamente por vazamentos seletivos de um inquérito cujo acesso foi dado a um jornal antes mesmo de chegar às mãos dos próprios advogados de defesa.

Conversas íntimas entre advogados e seus clientes são expostas publicamente, num contexto agressivamente manipulador.

A relação entre Estado e indivíduo, num processo penal, é sempre assimétrica. O Estado tende a esmagar o indivíduo.

Quando a imprensa se alia ao Estado contra um ou mais indivíduos, deixa de ser apenas mais uma assimetria. Torna-se um massacre.

Uma covardia insuportável.

A condenação midiática é muito mais perigosa, muito mais pesada, que a condenação judicial, porque a Justiça, mal ou bem, segue regras.

A mídia, não.

Os 23 ativistas, por exemplo, mesmo se condenados, não pegariam mais que três anos de prisão. Como são réus primários, poderiam responder em liberdade ou cumprir penas alternativas.

O clima pesado de linchamento, porém, pressiona o Judiciário a mantê-los fechados num presídio. Ou a tratar garotos (talvez) apenas irresponsáveis como agentes perigosos da desordem e da subversão.

Parte da esquerda governista permanece extremamente ressentida – com carradas de razão – pelas consequências negativas causadas pela violência nas manifestações.

Criou-se um clima de instabilidade política e abriu-se espaço para uma forte reação conservadora.

Entretanto, a gente viu o que aconteceu no ano passado. Não podemos fazer 23 bodes expiatórios, 23 garotos, pagarem por um fenômeno de massa.

No auge dos protestos, um colunista do jornal O Globo divulgou em suas redes sociais que os depredadores eram os “únicos que o representavam”. Ele não apenas elogiava aqueles que depredavam lojas. Ele os alçava a condição de herois.

Um âncora respeitado de uma grande emissora apareceu em vídeo conclamando a depredação de patrimônio público e privado.

Um dirigente da Rede foi flagrado “pressionando” uma barra de ferro contra a estrutura do Itamaraty.

Se é para condenar, então teríamos que prender todas essas pessoas.

Prender garotos porque operavam redes sociais e convocavam pessoas a vir às ruas, ou prender uma advogada porque “emprestava” a casa para reuniões políticas, é loucura.

A mídia insuflou as manifestações. Divulgava mapas, horários. O próprio twitter da Globo era sempre misteriosamente hackeado, e utilizado por supostos “rebeldes” para convocar protestos populares.

O Globo chegou a dar quase página inteira a protestos de uma ou duas pessoas.

A direita mastigou os manifestantes, bochechou-os e agora os cospe no meio da rua.

E quer faturar eleitoralmente posando de paladina do “Estado Democrático de Direito”.

A violência política que finge abominar, a direita leva para a esfera judicial e midiática.

Ao ridicularizar o desespero da advogada que pediu asilo ao Uruguai, a mídia pratica um sadismo maquiavelicamente calculado.

Qual o sentido em aterrorizar uma pobre senhora?

Tensionados, nervosos, assustados, alguns garotos se reúnem num canto da UERJ e repetem jargões marxistas, assim como fazem estudantes no mundo inteiro, sem nenhuma consequência prática, e o Globo descreve o encontro como se estivesse diante de um embrião da Al Qaeda.

Por que o Globo criminaliza apenas os radicais de esquerda? E todos aqueles que pregavam a derrubada violenta do governo para implantação de uma nova ditadura militar?

As redes sociais estão repletas de psicóticos violentos, a começar pelos comentaristas presentes nos próprios portais da grande imprensa.

Cria-se uma enorme confusão. Os pais dos jovens presos não sabem o que está acontecendo. Até pouco tempo, seus filhos eram herois nacionais da mídia e da intelectualidade acadêmica. De um dia para outro, se tornam párias da sociedade. Como assim?

A Folha de hoje revelou que todas as acusações contra os ativistas vieram de uma única testemunha de acusação. Não diz quem é.

Os internautas me perguntam, perplexos: ora, Miguel, você acha que eles não fizeram o que fizeram? Você não vê que eles fizeram o jogo da direita? Deixe de ser “bonzinho”, Miguel! Um outro, fã antigo do blog, cancela a assinatura e diz que eu estou defendendo “fascistas”.

Ora, a diferença entre um fascista e um não-fascista é justamente essa: em se tratando da defesa de um tratamento digno, por parte da mídia e do Estado, um não fascista defende até mesmo um fascista.

Um autêntico democrata defende até mesmo o seu antípoda ideológico.

Isso não quer dizer complacência com o crime.

Se houver provas de que pessoas planejavam atos de violência, então que o caso seja julgado com rigor e bom senso, considerando o contexto e a temperatura política do momento.

Me parece claro, todavia, que devemos evitar que haja contaminação política ou eleitoral de casos que envolvem a liberdade de cidadãos brasileiros.

Os brasileiros precisam incorporar um dos princípios elementares do direito moderno e humanista: é melhor deixar mil culpados em liberdade, do que tolher a liberdade de um inocente.

Se havia medo de uma grande manifestação violenta no último dia de Copa, que se mantivessem os suspeitos sob vigilância durante as horas críticas.

Não vale usar o argumento, este sim fascista, de que há milhares de pessoas presas injustamente no Brasil, então não deveríamos nos preocupar com mais esses 23.

Não vale usar o argumento de Luis Barroso, ministro do STF, para negar prisão domiciliar a um cardiopata, alegando que há outros presos doentes que poderiam estar em domiciliar e não estão.

Não é por aí. O objetivo de um Estado Democrático de Direito é reduzir as iniquidades, e não “democratizá-las”.

Não há sentido em “democratizar” a injustiça.

O Estado tem o dever de proteger a maioria de violências perpetradas por minorias. A democracia pressupõe a hegemonia da maioria.

Mas pressupõe também o respeito absoluto aos direitos e à dignidade de todo cidadão.

Por outro lado, os ativistas precisam ter consciência que eles também foram postos numa armadilha.

O discurso de que vivemos uma “ditadura” é uma falácia.

Não vivemos.

Muito menos uma “ditadura do PT”.

Os ativistas foram processados por um Judiciário independente.

Independente, falho, conservador, vulnerável à pressão de uma mídia monopolista e antidemocrática.

Mesmo assim, independente.

Importante frisar: eles ainda não foram condenados.

Como partido de governo, o PT não pode e não deve aceitar as constantes provocações para que entre em conflito com o Judiciário.

As condenações dos ativistas não são “culpa do PT” ou do ministério da Justiça. São decisões que emanam de magistrados com nome, sobrenome e ideias próprias.

E a maioria dos juízes, por questão de classe, não gosta do PT.

O PT não tem nada a ver com isso. O problema aqui é outro.

O problema aqui é que vivemos um momento de acomodação democrática, de um lado, e de testes dos limites da liberdade, de outro. Testes que geram tensionamento político e social.

Não há ditadura.

Estamos sob uma democracia. Uma democracia repleta de injustiças, arbitrariedades, corrupção e monopólios.

Uma democracia, enfim, como qualquer outra.

Uma democracia onde se pode criticar qualquer governante e qualquer poder.

Uma democracia onde se pode questionar, sim, uma decisão judicial.

Uma democracia onde se pode protestar contra qualquer coisa, a qualquer momento, em qualquer lugar.

Uma democracia onde não é (ou não deveria ser) crime fazer política. Onde não é crime assumir posições ideológicas, mesmo radicais.

Onde não é crime ser militante político.

Onde não é crime ser ativista.

É crime, sim, depredar patrimônio público ou privado.

Mas não é um crime político.

É um crime comum.

O único crime realmente político numa democracia é sabotar o processo democrático.

Esse crime foi cometido há cinquenta anos, pelas mesmas empresas de mídia que usam o capital político e financeiro usurpados na ditadura para posar, hoje, de paladinas da democracia.

Como que para provar minha tese, Merval Pereira cita duas vezes os blogs em sua coluna de hoje, tentando desqualificar o seu papel num debate politico plural. Não deixa de ser divertido ver a toda-poderosa Globo, com seus milhares de funcionários e seu faturamento de bilhões por ano, polarizar com blogs operados artesanalmente por cidadãos sem conexões partidárias, sindicais ou empresariais.

Globo-04-04-64


 

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

41 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Reginaldo Proque

25 de julho de 2014 às 15h11

Parabéns Miguel por trazer o debate.
Temos de pautar senão é só ficar na explicação….Suspeito que poucos leem os links que envio no FACEBOOK para combater mentiras. Os coxinhas te ofendem e fica nisso. Penso assim posso estar enganado, o que me alegraria muito saber se as pessoas costumam ler os comentários como fazemos nos de esquerda.
Dai penso que temos de ir pra cima e constranger esses caras. Mostra que mentir e deturpar é uma merda e não é assim que vamos pra frente, temos de ser analíticos (que dias que as pessoas serão analíticos com a mídia que temos?)
Não tem “ ditadura do PT” coisíssima nenhuma. É a maneira invejosa e recalcada que nossos adversários passaram a retratarem esse período em que ganhamos 3 eleições diretas, caminhando para a 4 ( 16 anos do no poder pelo voto popular).
Mas ficar quieto sem combater é o erro.
A “ditadura do PT” se daria porque com tantos anos no poder o mesmo partido aparelha o judiciário e controla o legislativo. Como faz inclusive nosso adversário em Minas Gerais.
Falam que a alternância de poder é importante. Que besteira é essa? Se aceitássemos esse discursos é aceitar que somos “ todos farinha do mesmo saco”. Nossas escolhas politicas precisam sim ser ideológicas e estaremos com aqueles que querem melhorar as condições de vida da população Brasileira, nosso compromisso com a integração da américa latina e por ai vai….
Ouço essa expressão “ ditadura do PT” de pessoas indecisas ou mesmo que já votaram no PT que são bombardeados com essa lenga lenga.
Tem de mostrar que o que estamos fazendo é exatamente o contrário e por isso tanta raiva contra o PT.
Muito foi feito todos sabem: Realização de conferencias ( do meio ambiente, da educação); Aumento dos gastos públicos com educação ( A máxima sempre foi de que “ os políticos” sempre esculhambam a educação para se perpetuar no poder); Um montão de leis democráticas que podem ser citadas, politicas publicas e inclusão…
Bom lembrar que não controlamos a mídia e os tucanos estão soltos ( um mesmo é candidato ao governo de Minas) e os petistas estão na cadeia ditadores frouxos esses petistas.
Quem esta propondo a participação popular nas Policias publicas?
Quem esta propondo banda larga e democratização da mídia?
Quem aprovou 10% PIB – Educação
Enfim tem de ir para cima e não aceitar essa pecha.

Mostrar os verdadeiros interesses dessa direita raivosa e corrupta.

Responder

Reginaldo Proque

25 de julho de 2014 às 15h11

Parabéns Miguel por trazer o debate.
Temos de pautar senão é só ficar na explicação….Suspeito que poucos leem os links que envio no FACEBOOK para combater mentiras. Os coxinhas te ofendem e fica nisso. Penso assim posso estar enganado, o que me alegraria muito saber se as pessoas costumam ler os comentários como fazemos nos de esquerda.
Dai penso que temos de ir pra cima e constranger esses caras. Mostra que mentir e deturpar é uma merda e não é assim que vamos pra frente, temos de ser analíticos (que dias que as pessoas serão analíticos com a mídia que temos?)
Não tem “ ditadura do PT” coisíssima nenhuma. É a maneira invejosa e recalcada que nossos adversários passaram a retratarem esse período em que ganhamos 3 eleições diretas, caminhando para a 4 ( 16 anos do no poder pelo voto popular).
Mas ficar quieto sem combater é o erro.
A “ditadura do PT” se daria porque com tantos anos no poder o mesmo partido aparelha o judiciário e controla o legislativo. Como faz inclusive nosso adversário em Minas Gerais.
Falam que a alternância de poder é importante. Que besteira é essa? Se aceitássemos esse discursos é aceitar que somos “ todos farinha do mesmo saco”. Nossas escolhas politicas precisam sim ser ideológicas e estaremos com aqueles que querem melhorar as condições de vida da população Brasileira, nosso compromisso com a integração da américa latina e por ai vai….
Ouço essa expressão “ ditadura do PT” de pessoas indecisas ou mesmo que já votaram no PT que são bombardeados com essa lenga lenga.
Tem de mostrar que o que estamos fazendo é exatamente o contrário e por isso tanta raiva contra o PT.
Muito foi feito todos sabem: Realização de conferencias ( do meio ambiente, da educação); Aumento dos gastos públicos com educação ( A máxima sempre foi de que “ os políticos” sempre esculhambam a educação para se perpetuar no poder); Um montão de leis democráticas que podem ser citadas, politicas publicas e inclusão…
Bom lembrar que não controlamos a mídia e os tucanos estão soltos ( um mesmo é candidato ao governo de Minas) e os petistas estão na cadeia ditadores frouxos esses petistas.
Quem esta propondo a participação popular nas Policias publicas?
Quem esta propondo banda larga e democratização da mídia?
Quem aprovou 10% PIB – Educação
Enfim tem de ir para cima e não aceitar essa pecha.

Mostrar os verdadeiros interesses dessa direita raivosa e corrupta.

Responder

henrique de oliveira

25 de julho de 2014 às 10h43

Esses coxinhas de extrema direita disfarçados de “revolucionários” foram no canto da sereia da mídia e se ferraram em outro país democrático que eles queriam fazer igual na Líbia , Egito , Síria etc já estariam mortos pelo que fizeram cadeia para esses idiotas é pouco a verdade é que estavam sendo tratados como “heróis” e assim como Joaquim Barbosta a laranja já deu o suco que tinha que dar , agora é bagaço e para o PIG esse bagaço é lixo , bestas deles que entraram nessa.Como diria meu avô quem come prego sabe o cú que tem.

Responder

EuDenes Romao

25 de julho de 2014 às 11h55

Jornalismo virou uma das profissões mais rasteira e medonhas.

Responder

Edson Luís de Souza

25 de julho de 2014 às 11h46

Nunca houve imprensa imparcial. O que acontece é que uma minoria expõe o seu lado (Carta Capital) e as demais (Veja, Globo, Folha, etc) não.

Responder

Armindo Coimbra Junior

25 de julho de 2014 às 03h09

Pablo Supelete, o texto confirma minha opinião: não há imprensa imparcial. O apresenta equívocos que me recuso a acreditar tenham sido concebidos inocentemente.

Responder

Armindo Coimbra Junior

25 de julho de 2014 às 03h09

Pablo Supelete, o texto confirma minha opinião: não há imprensa imparcial. O apresenta equívocos que me recuso a acreditar tenham sido concebidos inocentemente.

Responder

Messias Franca de Macedo

24 de julho de 2014 às 21h50

A farsa das denúncias de uma só testemunha

qui, 24/07/2014 – 11:08 – Atualizado em 24/07/2014 – 14:07

Luis Nassif

FONTE: http://jornalggn.com.br/noticia/a-farsa-das-denuncias-de-uma-so-testemunha

Responder

PAULO ROBERTO

24 de julho de 2014 às 17h56

Companheiro Miguel, o representante da defensoria citou uma frase “Os ativistas foram processados e condenados..” alertando que não foram condenados, mas existe outra frase “Os ativistas condenados, o juiz que os condenou , a mídia que esta em festa, todos são antipetistas..”, data vênia, não acho que todos sejam antipetistas com convicção, a mídia com certeza, por seus interesses escusos, o judiciário , não devemos generalizar e os ativistas, a maioria pela manipulação da própria mídia golpista reacionária e conservadora!!E Dilma de novo!!

Responder

    Miguel do Rosário

    24 de julho de 2014 às 17h59

    Sim, vou corrigir isso também.

    Responder

flavio jose

24 de julho de 2014 às 17h46

O que se quer já é que a globo pague os 3 bilhões que deve ao governo brasileiro, furto de sonegações e recolhimentos de imposto não realizados.

Responder

Anderson Brasil

24 de julho de 2014 às 20h34

Culpa do próprio PT, que foi extremamente covarde e burro. Perdeu o timing para comprar a regulamentação da mídia.
Aliás, por que o partido ficou parado vendo a Direita se organizar na internet? Não tomou nenhuma providência contra “centrais de boataria”, e nem soube utilizar a internet para disseminar a importância de pautas como regulamentação da mídia e financiamento público de campanhas.
Tudo que está acontecendo, qualquer criança de dez anos previria, e o PT não fez nada. Dá até vontade de rir e dizer “bem-feito” se não soubesse que, no final, quem vai pagar por esses erros (com um eventual encolhimento do PT e possível perda da eleição presidencial) é a população como um todo.

Responder

Anderson Brasil

24 de julho de 2014 às 20h34

Culpa do próprio PT, que foi extremamente covarde e burro. Perdeu o timing para comprar a regulamentação da mídia.
Aliás, por que o partido ficou parado vendo a Direita se organizar na internet? Não tomou nenhuma providência contra “centrais de boataria”, e nem soube utilizar a internet para disseminar a importância de pautas como regulamentação da mídia e financiamento público de campanhas.
Tudo que está acontecendo, qualquer criança de dez anos previria, e o PT não fez nada. Dá até vontade de rir e dizer “bem-feito” se não soubesse que, no final, quem vai pagar por esses erros (com um eventual encolhimento do PT e possível perda da eleição presidencial) é a população como um todo.

Responder

    vinícius

    24 de julho de 2014 às 21h46

    Olá, Anderson Brasil. Tudo tranquilo?

    Interessante a sua opinião.
    Mas por outro lado penso que o PT tem conseguido se posicionar e superar as muitas dificuldades que encontra para governar.
    Além disso, gostaria de te convidar para conhecer o FNDC.
    Vai lá e nos ajude a democratizar os meios de comunicação:
    http://www.fndc.org.br/

    Abç

    Responder

João Silva

24 de julho de 2014 às 19h31

Em junho passado, essas pessoas cercaram a juventude petista na paulista, agrediram e queimaram as bandeiras… A mídia teve um orgasmo!!! Será que agora, eles conseguem enxergar quem é o verdadeiro “inimigo”?

Responder

    vinícius

    24 de julho de 2014 às 21h50

    João, foram esses ou outros que se aproveitaram do movimento Passe Livre e agrediram a turma com bandeira do PT?

    Tenho dúvidas da “turma apartidária” que “engrossou” as manifestações.

    Cuidado com esse que se dizem apartidário… Eles tem lado e muito bem definido… Inclusive são muito ativos nas redes sociais.

    Responder

Marcos Ramos Do Marcos Ramos

24 de julho de 2014 às 18h08

Ditadura é o que faz e Minas. A lei da mordaça é triste.

Responder

Marcos Ramos Do Marcos Ramos

24 de julho de 2014 às 18h08

Ditadura é o que faz e Minas. A lei da mordaça é triste.

Responder

O Cafezinho

24 de julho de 2014 às 17h50

Mas não estou falando que todos são. Aliás, esse nem é um ponto importante do texto.

Responder

O Cafezinho

24 de julho de 2014 às 17h48

Guilherme Preger Ser antipetista não é crime, nem necessariamente errado. A informação que eu tenho é que os ativistas são sim hostis ao PT, e devem ter suas razões para sê-lo.

Responder

Carlos Augusto

24 de julho de 2014 às 17h37

Parabéns pelo texto. Sucinto e sem excessos, porém esclarecedor.

Responder

Guilherme Preger

24 de julho de 2014 às 17h29

eu não sei por que O Cafezinho, mesmo na hora de prestar solidariedade, insiste nesse papo absurdo de que os ativistas são anti-petistas. Muitos ativistas mais á esquerda criticam a posição do PT em muitos assuntos (e quem lhes negará esse direito?), mas nunca vi ninguém fazer uma crítica anti-PT. É um desserviço fazer essa confusão, que está sem prova, como aliás está o inquérito. Havia muitos petistas entre os manifestantes e havia bandeiras comuns como a do Marco regulatório. Havia também movimentos apartidários, o que não é sinônimo de anti-partidário. Também nunca vi um anti-dilmista, embora não seja a mesma coisa. Há anti-petistas e anti-dilmistas, mas eles ficam em casa vendo televisão, não vão à rua entrar em choque com a polícia…

Responder

Pedro Smolka

24 de julho de 2014 às 17h26

CAfezinho. Você tem certeza que o mote do seu “espaço” é este: Análises diárias da mídia, comentários de política, economia e cultura? Seria bom alterá-lo. #ficaadica

Responder

    Vitor

    24 de julho de 2014 às 18h49

    Em época de eleição não tem essa de mote… Nem no Cafezinho nem em 99% dos meios de comunicação!

    Responder

Pablo Supelete

24 de julho de 2014 às 16h58

Armindo Coimbra Junior

Responder

Israel

24 de julho de 2014 às 13h53

Parabéns pelo brilhantismo do artigo. O Brasil precisa de homens comprometidos com a verdade e a democracia. Homens como vc Miguel. Abraço.

Responder

Téri Batelli

24 de julho de 2014 às 13h53

Belo texto Miguel! Cada dia que passa fica mais crítica a situação de nossa mídia. Uma regulação de mídia está sendo tão necessária quanto a própria democracia em si. Estamos sendo sufocados aos poucos por esta máquina de desinformação formada pelo PIG. Só criam jogos de espelhos e jogam fumaça em todas as discussões

Responder

Reginaldo Proque

24 de julho de 2014 às 16h48

A blogosfera vai se firmais mais ainda. Tem de colocar esse debate na democratização da midia

Responder

Leonardo Gomes Ribeiro

24 de julho de 2014 às 16h44

Clareza na exposição de um pensamento sério, honesto e muito inteligente! Jamais vamos ler no jornais do PIG, algo com a qualidade da informação e análise consciente como no BLOG Cafezinho e tantos outros como, Viomundo, Tijolaço, Escrivinhador, CAF, Altamiro,…..
Lamentável ver profissionais de alguns veículos, fazerem o jogo politico sujo de seu patrões….a estes, um lugar reservado no lixo da história

Responder

Rodrigo Toledo

24 de julho de 2014 às 16h38

Nao é comunismo não…é Gramscismo.

Responder

Reginaldo Proque

24 de julho de 2014 às 16h28

aqui em minas tem gente falando ( os ultraconservadores) ” O Aécio ( o arrocho never) pelo menos fez aerporto no Brasil e dima que vai construir em cuba, que fez porto em cuba”… essas coisas podem pegar alguns idiotas mas não é tão dificil de rebater me massa

Responder

Reginaldo Proque

24 de julho de 2014 às 16h26

Uma coisa que vão ficar falando ´´e de nossa relação com cuba…. tá rolando na net uma noticia que vi na veja sobre o contrabando de armas no porte de mariel

Responder

Márcio Machado

24 de julho de 2014 às 16h15

Ok. Chamam de “ditadura” um governo que cumpre suas obrigações dentro dos limites constitucionais. Respeita Judiciário, Legislativo. Não “põe no bolso” o Ministério Público. Promove avanços sociais e econômicos. “Apanha” da imprensa e não a subjuga…

Se isso é ditadura. Que tenhamos mais 12 anos assim!

Responder

Leandro Rondini

24 de julho de 2014 às 16h14

Olha, nos meus 33 anos, eu nunca vi algo parecido, está pesado demais o clima. Estão tentando emplacar o 64 em pleno 2014. Foi-se Getúlio, foi-se Jango, manipulado também veio o Collor e o mesmo foi-se. Querem as cabeças, 2015 realmente será um ano histórico para o Brasil.

Responder

Reginaldo Proque

24 de julho de 2014 às 16h07

Essa turma da” ditadura do PT” é o bunker do conservadorismo. Mas temos de ir para cima ( e nisso voceé ótimo) e pautar o debate. Não podemos deixar isso para os coxinhas que alimentam o senso comum na net.

Responder

Reginaldo Proque

24 de julho de 2014 às 16h06

Ditadura mais burra essa ” manda prender” seus próprios lideres e deixa livre a oposição. Ditadura que ampliou a participação social e quer avançar mais ainda, que trouxe a mehoria das condições de vida da popuação ( condição basica para a democracia). Ditadura que não tem o controle da midia… Miguel Do Rosario. Fica tranquilo vamo detona esses caras com esse discurso babaca.

Responder

Ricardo J. Fagundes

24 de julho de 2014 às 16h02

Planos de Governo Aécio Neves: (meu aeroporto Minha vida), (PÓ PARA TODOS) e (BOLSA DIAMANTE).

Responder

Ricardo J. Fagundes

24 de julho de 2014 às 16h02

Planos de Governo Aécio Neves: (meu aeroporto Minha vida), (PÓ PARA TODOS) e (BOLSA DIAMANTE).

Responder

Ana Engajada

24 de julho de 2014 às 15h58

Estão se repetindo nos discursos como verdade absoluta,estive ontem num jantar onde uma pessoa afirmou ditadura do PT. fiquei boquiaberta e questionava com que base de indício pode se afirmar o tal disparate?

Responder

Cida Medeiros

24 de julho de 2014 às 15h55

Sutil e tenebrosa

Responder

Deixe um comentário