Fundador do Instituto Ideia vê chance de Lula vencer no 1° turno

Rossi e o discurso do ódio

Por Miguel do Rosário

12 de agosto de 2014 : 14h34

Clovis Rossi escreveu hoje em sua coluna contra o discurso do ódio, e menciona “métodos fascistóides de patrulhas petistas”.

Esse é o novo passo da sistemática campanha de criminalização da política: criminalizar a militância política digital.

Na verdade, é um passo que vem sendo dado há tempos, mas que se intensifica agora, quando se percebe que a militância digital é o único contraponto de que dispõe Dilma Rousseff contra os ataques que sofre na grande mídia.

E agora, com o manchetômetro, não dá mais para esconder que a mídia faz campanha contra Dilma e contra o PT.

Clovis Rossi, na Folha, e Merval Pereira e Marco Antonio Villa, no Globo, tentam pintar a militância digital como um bando de deliquentes virtuais.

Isso é perigoso, porque há juízes ideológicos, que acreditam nessa falácia.

O próprio Aécio faz questão de criminalizar as críticas que recebe na rede. Ele repete a todo momento: é crime, é crime, é crime.

Há poucas semanas, uma garota no Rio de Janeiro teve todos seus equipamentos apreendidos pelo Ministério Público porque deu uma curtida numa página anti-Aécio.

A notícia repercutiu até mesmo na BBC.

O Viomundo fez uma boa cobertura do caso, lembrando que a Folha deu a notícia em tom de grande escândalo (contra a garota, claro, e a favor da perseguição estatal).

Não podemos deixar que a campanha de criminalização da política chegue a esse ponto. Por isso, faço questão de responder aos pontos elencados por Clovis Rossi, até porque não o considero um tucano furibundo e sem escrúpulos como Marco Antonio Villa ou Merval Pereira. Acho que ainda lhe restam alguns neurônios democráticos.

ScreenHunter_4545 Aug. 12 13.31


Prezado Rossi,

em primeiro lugar, dê uma olhada nos comentários aprovados nos próprios sites da Folha. O que houve no Wikipédia de Miriam Leitão e Sardenberg é fichinha perto disso. Aquilo foi bobeira. Dizer que as análises de Miriam são “desastradas”? Ora, Rossi!

Em segundo lugar, não há ainda nenhuma prova contra nenhum servidor do Planalto, nem contra ninguém ligado ao PT. Pode até ter sido algum aloprado petista, mas pode também ter sido obra de um espertinho tucano. Ou de um prestador de serviço sem conexão partidária. Ou até mesmo petista, mas sem nenhuma ligação partidária. Vale lembrar que não é apenas o PT que tem críticas a Miriam Leitão e a Sardenberg.

Em terceiro, leia O Cafezinho e confira que Ips das redes públicas de governos de Minas e São Paulo também foram usados para alterar centenas de páginas na Wikipédia. Nem Raul Seixas escapou.

Eu tenho críticas também à militância petista, mas atente para uma coisa. Ao generalizar uma crítica tão grave para uma militância de um partido inteiro, quem está sendo fascistóide é você. A militância petista tem de tudo. Tem idosos, adolescentes, pessoas com problemas emocionais, pessoas sem problemas emocionais, intelectuais renomados, atores famosos, acadêmicos, atletas, trabalhadores braçais, infiltrados. Tem gente boa, gente menos boa, gente ruim, gente maravilhosa e gente sem caráter.

Entretanto, o mais grave em sua crítica é não olhar o próprio rabo.

Meses atrás, a Folha entrevistou e deu grande cartaz a Bruno Toscano, militante de direita. Deu página inteira para ele no jornal, e o pôs na TV Folha, exibida na TV aberta pública de São Paulo.

Olha como o rapaz se manifesta nas redes.

bruno toscano toscano download


Não é só ele. Os exemplos são infinitos.

Em momento algum eu vi o senhor se manifestar contra o “discurso do ódio” que se proliferava perigosamente na rede, incluindo aí um assustador crescimento da pregação em prol de uma nova ditadura militar.

A gente, na blogosfera, denunciava todo o dia que o ódio político atingira níveis perigosíssimos. E você e seus colegas de jornal, quietos.

Ora, a mídia brasileira é a primeira a incentivar o ódio político. Ela parece se incomodar apenas quando as paixões se voltam contra ela mesmo e contra seus políticos de estimação.

Aí o ódio não vale mais. Aí é crime.

Em pleno processo eleitoral, quando é normal que os ânimos se exaltem, quando faz parte do jogo que a militância do PT ataque o candidato do PSDB, assim como a militância do PSDB ataque a candidata do PT, você vem falar em “métodos fascistóides”?

Que “métodos fascistóides”?

O caso do Wikipédia é um exemplo fascistóide, ao contrário, de manipulação da notícia, pois tentou se vender à opinião pública que se tratava de algo orquestrado pelo Palácio do Planalto, quando é óbvio que isso não faz sentido. Não tem lógica.

Quando um governo quer atacar um jornalista, certamente não é fazendo alteração na página da Wikipédia e deixando o rastro do IP. O caso prejudicou muito mais ao governo do que aos jornalistas, embora alguns analistas na blogosfera achem que a mídia, ao tentar politizar a questão, pode ter sim prejudicado aqueles a quem fingia defender.

Eu sou um apenas um blogueiro. Não tenho espaço em nenhuma concessão pública de TV, como tem Miriam Leitão e Sardenberg, e mesmo assim sou alvo de ataques virulentos na internet. Diariamente.

Nem por isso vou ficar me lamuriando contra “métodos fascistóides”  de meus detratores. Podem me criticar quanto quiser. É do jogo, é da democracia. Sempre que eu posso, eu respondo pessoalmente cada crítica.

Só não quero que me impeçam de trabalhar, como fizeram com a jornalista carioca, cujos equipamentos foram todos apreendidos, ou com aquele jornalista de Minas Gerais, preso há 4 meses sem julgamento, doente, mantido incomunicável.

O que eu considero “método fascistóide” é o que faz Ali Kamel, diretor de jornalismo da Globo, que processa blogueiros por conta de chistes inocentes de internet, manipulando o Judiciário para fazer um magistrado acreditar que as críticas que fiz à empresa onde ele trabalha foram endereçadas à ele pessoa física.

Isso é “método fascistóide”: incluir uma aba “Sentenças Judiciais” em seu site, para se gabar de vitórias judiciais.

kamel


E olha o texto que ele divulga sobre minha pessoa:

ScreenHunter_4548 Aug. 12 14.09


Eu não disse que “o jornalista cometia crimes piores do que o magnata Rupert Murdoch”.

É muita má fé. O parágrafo – e isso está no próprio processo que Ali Kamel moveu contra mim, portanto ninguém pode me acusar de ter adulterado o texto – é este:

“É inacreditável que o diretor de jornalismo da empresa que comete todo o tipo de abuso contra a democracia, contra a dignidade humana, a empresa que se empenha dia e noite para denegrir a imagem do Brasil, aqui e no exterior, cujos métodos de jornalismo fazem os crimes de Rupert Murdoch parecerem estrepolias de uma criança mimada, pretenda processar um blogueiro por causa de um chiste!” – See more at: https://www.ocafezinho.com/2013/11/06/ali-kamel-processa-cafezinho/#sthash.bH1QqBlU.dpuf

 

Ora, me parece cristalino e evidente que eu me referia à empresa, e não a Ali Kamel (embora também não vejo que crime eu teria cometido se o fizesse, em se tratando de uma opinião política emitida contra uma personalidade pública, cujo nome aparece várias vezes por dia nos créditos dos noticiários de uma concessão pública). É simples megalomania de Ali Kamel, porém, achar que eu o acusaria de cometer “todo o tipo de abuso contra a democracia”, até porque ele está à frente da Globo há pouco tempo, e minhas críticas se destinavam ao histórico da empresa desde que ela apoiou o golpe de 64, passando pela edição do debate de Lula X Collor, e o caso das fraudes eleitorais contra Brizola.

Isso sim são “métodos fascistóides”. Assim como também o foram publicar uma ficha falsa da Dilma Rousseff, catada num site apócrifo de internet, na capa da Folha, como se fosse um documento verdadeiro. A cobertura de todo o escândalo do mensalão, por exemplo, foi absolutamente fascista, com uma perseguição torpe dos réus até mesmo dentro do presídio, inventando-se “ligações de celular” e “privilégios”.

“Métodos fascistóides” são características de nossa grande imprensa e, como vemos, de seus diretores, porque ela se consolidou financeiramente, matando seus concorrentes, durante o período fascista da nossa política, o regime militar, cujos arbítrios e violências o jornal onde trabalha Clovis Rossi tentou minimizar, há alguns anos, chamando o período de “ditabranda”.

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

35 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

marco

30 de setembro de 2014 às 17h54

Sr.Rossi é verdade que eu odeio gente como o senhor.Não gosto de baba-ovo de rico.Puxa-sacos durante a vida tida,o que o senhor vai deixar ppra seus filhos e netos?Uma fotografia de suas mãos côncavas?Não cansou de puxar sacos?Tenha dignidade,seu m…

Responder

Carlos A. M. dos Santos

13 de agosto de 2014 às 23h36

Miguel,

A coisa está espalhada. O Alberto Dines largou um texto pra lá de “esquisito” no Observatório da Imprensa[1] em solidariedade à Miriam Leitão e ao Sardemberg. Ao mesmo tempo o verbete dele na Wikipédia foi alterado anonimamente duas vezes, recentemente, uma pra incluir um link para um artigo do Juremir Machado da Silva[2] que o acusa de ter colaborado com a ditadura e outra pra remover o link. E disso ele não reclama!

[1] http://www.observatoriodaimprensa.com.br/news/view/solidariedade_com_os_agredidos_cautela_com_a_radicalizacao

[2] http://www.correiodopovo.com.br/blogs/juremirmachado/?p=5746

Responder

José Silva

14 de agosto de 2014 às 01h36

deve ser alzheimer

Responder

    Guillermo

    15 de agosto de 2014 às 09h59

    Não, é Direitzheimer.

    Responder

Décio

13 de agosto de 2014 às 21h21

Interessante, ele critica o método e o culpado… é ele. Vocês são um bando de cafajestes desavergonhados.

Responder

Alexandre Guedes

13 de agosto de 2014 às 20h28

Jorge Couto E Silva
Ele esta sendo imparcial….serve pra um pra outro….por que ta se doendo

Responder

Celso Carvalho

13 de agosto de 2014 às 17h13

Caro Miguel,

Você agora dá bom dia a cavalo?
Responder ou levar em conta a opinião do Clóvis Rossi que come no cocho dos Frias é um disparate.

Responder

JB

13 de agosto de 2014 às 14h26

Viva a nossa frágil Democracia que permite o contraditório! Show cara. Valeuuuuu…..

Responder

Milena Lobato

13 de agosto de 2014 às 02h48

Excelente! Denise Rosa Lobato, Janaina Marques

Responder

C.Paoliello

12 de agosto de 2014 às 22h07

Demagogia de Aécio causará 78 mil demissões na Educação de MG:

http://www.cartamaior.com.br/?/Editoria/Politica/Trapalhada-administrativa-de-Aecio-resultara-em-78-mil-demissoes-em-MG-/4/31594

Responder

Nilson Moura Messias

12 de agosto de 2014 às 21h53

Miguel, este mr. Maggoo, não vai me calar. Dilma Rousseff, no primeiro turno, para estes coxinhas morrerem do coração.

Responder

Sandra Francesca de Almeida

13 de agosto de 2014 às 00h43

A que baixo nível as pessoas são capazes de chegar.

Responder

Sandra Francesca de Almeida

13 de agosto de 2014 às 00h43

A que baixo nível as pessoas são capazes de chegar.

Responder

Jorge Couto E Silva

13 de agosto de 2014 às 00h08

E quando a esquerda mente e manipula o que fazer? Ou só a direita faz isso?

Responder

    Eduardo Rossato

    13 de agosto de 2014 às 16h28

    Querido Jorge Couto E Silva,
    Conte-nos uma manipulação proferida pela esquerda?

    Responder

Jorge Couto E Silva

13 de agosto de 2014 às 00h08

E quando a esquerda mente e manipula o que fazer? Ou só a direita faz isso?

Responder

Paulo Ricardo Guimarães Maia

12 de agosto de 2014 às 23h43

Jornalistas comprometidos com a direita

Responder

Luzeneide Fernandes

12 de agosto de 2014 às 23h21

FORA TUCANALHA…. PSDB NUNCA MAIS…. VAMOS ELIMINAR O PSDB NAS URNAS … AS ARMAS FICAM COM OS TUCANALHAS É O MODO RAIVOSO DA DIREITA QUERER SEMPRE MATAR OS SEUS ADVERSÁRIOS //////

Responder

Messias Franca de Macedo

12 de agosto de 2014 às 19h37

“É crime, é crime, é crime”
o que – sistemática e impunemente – perpetram esses assassinos de reputações do PIG &$ dos demais partidos da [eterna] oPÓsição ao Brasil! Exemplo: desde 2005, difamam, diuturnamente, os réus da Ação Penal 470, taxando-os de mensaleiros e quadrilheiros! Réus sob julgamento – além de as acusações torpes e levianas terem servido para, descaradamente, influenciar “a corte suprema” do Brasil, num festival de atrocidades grotescas, irresponsáveis, bizarras, iníquas e fascigolpistas!…

Responder

marco

12 de agosto de 2014 às 19h16

Pois eu digo do sr.Rossi,tudo o que disseram dos outros.Pra mil,não passa de um escarro!

Responder

Carlos Trindade

12 de agosto de 2014 às 22h01

da-lhe miguel…da-lhe cafezinho…só não acredito que isso o faça refletir…ele sabe bem diferenciar , como as coisas são de como ele ( e os outros) querem que sejam percebidas…não é um problema de entedimendo…é ganha-pão..

Responder

Roger Araujo

12 de agosto de 2014 às 21h38

vendo aqui um certo programa sensacionalista da band, metendo o pau na prefeitura de sp. quando a entrevista foi a respeito da falta d’agua em sp, a coisa foi bem diferente. ou seja ha varias maneiras de factoides contra o pt. esse apresentador é descaradamente contrario ao pt e cinicamente a favor da tucanada, deveria trabalhar na globolina.

Responder

Patricia Souza

12 de agosto de 2014 às 21h09

O que esperar de lixos humanos.. sem argumentos usam do ódio.

Responder

Adilson Mendes

12 de agosto de 2014 às 17h21

È isso aí não podemos nos intimidar, seu texto foi muito bem colocado com
resposta a altura, pra eles sentirem a pressão e ver que não estamos
inertes.

Responder

paulo

12 de agosto de 2014 às 16h44

a mídia brasileira está entrando em convulsão total e , ao meu ver não resiste a mais 4 anos com os progressistas no poder…tenho nítida impressão de que o PIG vai demitir depois da reeleição de Dilma.

Responder

Marco Vitis

12 de agosto de 2014 às 16h28

Perfeito Miguel. É assim que se responde. Com argumentação fundamentada em fatos, sem agredir a pessoa.

Responder

Cleide Portella

12 de agosto de 2014 às 19h17

Sem palavras…..

Responder

Flávio Silveira

12 de agosto de 2014 às 18h49

Ótimo texto! L.O.C. -Lúcido. Coerente. Orientado.

Responder

Alessandro Alves

12 de agosto de 2014 às 18h22

Excelente.

Responder

Guto Colaneri

12 de agosto de 2014 às 18h14

Está se multiplicando o estilo Merdal entre os colunistas em geral. Muitas fezes nas cabeças e defecam pelos dedos e pelas bocas.

Responder

Haroldo Melo Do Vale

12 de agosto de 2014 às 18h07

Onde eles vão se esconder agora?

Responder

Rinaldo Costa

12 de agosto de 2014 às 17h50

se esses caras estão contra a gente então é porque estamos fazendo algo certo

Responder

Rinaldo Costa

12 de agosto de 2014 às 17h50

se esses caras estão contra a gente então é porque estamos fazendo algo certo

Responder

Rodrigo Jardim Rombauer

12 de agosto de 2014 às 17h43

excelente post. o rossi, quem diria…

Responder

Deixe um comentário

O Xadrez para Governador do Ceará Lula ou Bolsonaro podem vencer no 1º turno? O Xadrez para Governador de Santa Catarina