Análise em vídeo das manifestações do 2 de outubro e as vaias a Ciro

Indústria de bens de capital cresceu 17% em julho

Por Miguel do Rosário

02 de setembro de 2014 : 10h02

ibge


 

A violentíssima campanha negativa que a mídia vem fazendo nos últimos meses, tentando assustar os empresários (e conseguindo) para que não invistam na economia brasileira, sofreu um forte abalo hoje.

Segundo divulgado há pouco pelo IBGE, a produção industrial de julho registrou alta de 0,7%, sobre o mês anterior.

O número de 0,7%, para quem não conhece muito como funciona o setor, é uma excelente performance.

Mas é olhando de perto que os números revelam uma realidade ainda mais promissora.

O setor de bens de capital (máquinas para uso industrial), que é o verdadeiro termômetro da indústria brasileira, registrou um salto de 16,7% em julho. (Clique aqui para ler o que são bens de capital)

O setor de bens de consumo duráveis (carros, geladeiras, máquinas de lavar roupa, ar condicionado, tv, etc), que inclui os produtos com maior valor e tecnologia agregados, registrou um crescimento de 20,3%.

Quando segmentamos por atividade, outra boa notícia. Os segmentos mais importantes em termos de tecnologia, como equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos, registraram crescimento de 44% no mês.

O setor “outros equipamentos de transporte”, que também inclui os setores mais importantes da indústria nacional (aviões, navios, tratores, etc), registrou aumento de 31% no mês.

O setor de máquinas e aparelhos elétricos cresceu 13%.

O setor de vestuário e acessórios cresceu 8,6%.

O setor de veículos automotores, hoje a principal indústria no país, cresceu 8,5%.

O setor de máquinas e equipamentos cresceu 7%.

 

ibge_setor


 

.

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

16 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Eduardo

03 de setembro de 2014 às 21h23

De fato é uma virada, ninguem poder negar, veremos em breve se ela se sustenta nos proximos meses! Desconsiderar esta noticia é que ser cega pela ideologia!

Responder

Eduardo

03 de setembro de 2014 às 20h56

Trabalho para um empresário que ouviu dizer que o dolar vai estourar Dilma ganhei. Perguntei a ele a uns 3 meses atras se não era uma boa comprar umas ações da Petrobras, pois as mesma estavam valendo um pouco mais de R$ 12,00. Palavras dele ” só se você quiser perder dinheiro”. Cag*#i para sua visão, fui lá e comprei, vendi semana passada por volta de R$ 20. As vezes me pergunto, como pode um cara destes ter ganho tanto dinheiro!

Responder

Neiva

02 de setembro de 2014 às 22h26

Produção industrial caiu 3,6 comparando julho de 2.014 com igual mes do ano anterior. No acumulado do ano cai 1,2. Notícias negativas no setor industrial como de hábito nos últimos anos.

Responder

    Miguel do Rosário

    02 de setembro de 2014 às 22h34

    Certo, mas bens de capital cresceu fortemente. E bens duráveis tb. O crescimento sobre o mês anterior é a notícia principal, pq indica recuperação.

    Responder

      Neiva

      02 de setembro de 2014 às 22h41

      Variação mensal não indica muita coisa. Pode ser efeito sazonal. Variação anual, variação dos últimos doze meses, variação do ano contra ano anterior são todas negativas e mais representativas por agregarem maior número de meses. O resto é manipulação que você deveria evitar porque critica os outros.

      Responder

        Fernando

        02 de setembro de 2014 às 23h44

        e tu achas que eu acredito numa marinista!!

        Responder

Dinaldo Siqueira Ramos Júnior

02 de setembro de 2014 às 23h37

Parodiando Genival Lacerda
De quem e esse jato
De quem e esse jato

De quem e esse jatooooioooi

Ele quer me pegar

Responder

jose mario rfb

02 de setembro de 2014 às 19h26

“A violentíssima campanha negativa que a mídia vem fazendo nos últimos meses, tentando assustar os empresários (e conseguindo) para que não invistam na economia brasileira,”

Você acha que os empresários se guiam pela mídia?

Alguém vai decidir se investe US$ 100 milhões, ele dá uma lida n’o Globo antes?

Responder

    Neiva

    02 de setembro de 2014 às 22h23

    Esse é bem o raciocínio tosco dos blogueiros da Dilma que se auto-intitulam independentes e corretores da mídia. Não conseguem raciocinar um milímetro fora da sua ideologia.

    Responder

      Miguel do Rosário

      02 de setembro de 2014 às 22h32

      Qual o seu raciocínio, se é que existe algum? Ou vc acha que xingar e rotular com grosseria é raciocinar?

      Responder

        Neiva

        02 de setembro de 2014 às 22h45

        Com certeza não é dizer uma barbaridade como essa de que empresário é influenciado pela mídia ao fazer seu investimento. Leigo pode acreditar nesta bobagem mas não você, Miguel, que entende um pouco de economia. Não é necessário ofender a lógica para se defender um raciocínio.

        Responder

          Miguel do Rosário

          04 de setembro de 2014 às 23h21

          Empresário brasileiro, infelizmente, se guia pela mídia sim.

    Tambosi

    04 de setembro de 2014 às 11h54

    Existe influência direta e indireta. A indireta se dá pela contaminação do clima político e econômico, a mídia martela, martela e martela que há crise e inflação, esse discurso começa a ganhar força, e o empresário trabalha num ambiente no qual influencia e é influenciado, logo se o consumidor entende que há uma crise vindo, vai consumir menos e o empresário obviamente investirá menos. Exemplo disso: procure pelas reportagens de bares que não davam conta da da demanda pelo movimento dos turistas durante a copa do mundo.
    E sobre a influência direta, veja a opinião deste empresário do agronegócio que, mesmo admitindo diversas melhorias trazidas pelo governo Dilma, sustena que o governo é ruim:
    http://jornalggn.com.br/noticia/entendendo-o-desgaste-de-dilma-com-os-empresarios

    Responder

Vitor

02 de setembro de 2014 às 17h23

É sempre bom estar crescendo, notícia boa por um lado.

Mas não podemos esquecer que a base de comparação não é boa. As variações do ano (sempre em cima do mês anterior) são:

Jan/14 -> +2,5%
Fev/14 -> -0,1%
Mar/14 -> -0,6%
Abr/14 -> -0,5%
Mai/14 -> -0,9%
Jun/14 -> -1,4%
Jul/14 -> +0,7%

Temos uma queda de 2,8% no acumulado do ano, comparando com o mesmo período de 2013 (antes de julho, a queda era de 2,6%, ou seja, piorou em relação ao ano passado).

Vamos ficar na torcida para que haja uma recuperação até o final do ano e cobrar ações da Presidente Dilma que, ma minha opinião, será reeleita.

Responder

Leonice Garcia

02 de setembro de 2014 às 19h55

e Paulo Avila: Embarque no transatlântico da marina, se for marineiro de primeira viagem, não esqueça de aprender a nadar, porque no meio do caminho com toda certeza essa nau afundará, será que terá coletes e bote salva-vidas para toda tripulação!!!!!!!!!!!

Responder

Alberto

02 de setembro de 2014 às 16h42

O momento é difícil, a crise está de amargar,
São Paulo vai virar deserto, só falta saber onde vai virar mar.

Ó Santa Marina, ajudai-nos!
Pastor Silas , aponte o seu dedo e interceda por nós pecadores.

Aleluia!

Responder

Deixe um comentário