Fundador do Instituto Ideia vê chance de Lula vencer no 1° turno

A militância, o PT e a história

Por Miguel do Rosário

24 de dezembro de 2014 : 21h10

miolo_paz


 

Pelo jeito, esse será um dos debates mais importantes nas próximas semanas. Ou pelo menos, importante para este blog, apaixonado pelo debate e pela democracia.

Depois de uma eleição desgastante, temos um início de governo ainda mais sofrido.

Mais tarde, darei meus pitacos sobre isso.

Apenas adianto agora que o núcleo de força da democracia jamais estará no governo ou nos partidos, mas na capacidade criativa da sociedade.

Entre o governo, o partido, o Estado, a mídia, que são máquinas, e um indivíduo, um ser humano complexo e sensível: eu sempre escolho o indivíduo.

Por isso, me posiciono ao lado da Isabelle Truda, minha amiga na vida real, citada na polêmica levantada pelo blog Diario do Centro do Mundo, em texto reproduzido abaixo.

Só que não posso me dar ao luxo de abandonar nada. Sou um blogueiro e preciso continuar trabalhando, enfrentando os dilemas cada vez mais difíceis da política e da vida.

Quero continuar acreditando no meu país, no meu povo, e na força da história.

Pode parecer proselitismo, e talvez seja mesmo, mas quem estuda um pouco de história, sabe que a humanidade já enfrentou, e venceu, coisas infinitamente mais terríveis do que uma Katia Abreu no ministério.

Independente dos erros do governo, das arbitrariedades da mídia, das injustiças do Estado, do pragmatismo às vezes obtuso dos partidos, continuaremos aqui, lutando pacientemente na planície.

Nossa luta prosseguirá como sempre foi: fundamentada na pesquisa, no pensamento, no debate, na crítica aos donos do poder, na crítica a nós mesmos, no contraponto às truculências da imprensa familiar.

E lutando sempre de maneira democrática e pacífica.

Querida Isabelle, continuaremos na resistência democrática, sempre. A seu lado e ao lado de todos os militantes que lutam por um país melhor.

Os governos, os partidos, a mídia, nada é maior do que o espírito do tempo, o zeitgeist, que a gente guarda em nosso coração, em nosso cérebro, em nossas mãos.

Este amor pela justiça, que a gente viu nos olhos aflitos e emocionados da militância que comemorou a vitória de Dilma Rousseff, não se extingue jamais.

É uma militância sofrida, vilipendiada pela mídia, por um lado, que a chama de “robôs”, e tratada com indiferença pelos capas pretas dos partidos e autoridades de governo, por outro, embriagados, como sempre, pela loucura do poder.

No entanto, quem duvidará que é nessa militância que reside o último bastião da resistência democrática?

De onde mais virá uma renovação moral da política brasileira senão desta militância, que segue acreditando, firmemente, em políticas de combate à desigualdade, e em reformas que democratizem a cidade, a terra, a educação, a saúde e a cultura, promovendo a felicidade para todo um povo?

Eu ia encerrar minha opinião com uma frase que sempre foi o meu lema, desde as priscas eras da faculdade, durante o pesadelo neoliberal, quando eu editava, pagando do próprio bolso, um tablóide chamado Arte & Política.

A frase é: “A única luta que se perde é a que se abandona!”

Mas lembrei de uma outra, ainda mais profunda, porque nos obriga a considerar a mais importante virtude do momento democrático que vivemos no Brasil.

A frase é do chinês Sun Tsu, em seu clássico A Arte da Guerra:

“Só a paz é revolucionária”.

Feliz Natal para todos!

*

A militância perdeu a paciência com o PT?

Por Paulo Nogueira, no Diario do Centro do Mundo.

Vejo uma mensagem de Isabelle Truda no Facebook. O conteúdo resume o que se passa numa grande parte da chamada “Onda Vermelha”, a militância do PT, depois do anúncio dos 13 novos ministros de Dilma, nesta terça.

Isabelle é uma jovem de 33 anos que mora em Niteroi. Seu texto, abaixo.

“Também estou me despedindo do PT.

Entendo a governabilidade, entendo que às vezes é preciso dar dois passos atrás para dar um pra frente… Caso a Dilma indicasse a Katia Abreu por pressão de sua base aliada, eu até entenderia, mas não. A Katia Abreu não faz parte da real politik. Foi uma escolha pessoal da Dilma e o PMDB, que não a queria, acatou.

Sem contar Cid Gomes, que chegou a afirmar que professores não deveriam trabalhar por salário, mas por amor. Será que o Cid Gomesconseguiria passar uns meses sem seu salário e fizesse política por amor também? Acho que não.

O PT deveria valorizar o que tem de mais precioso, que é a sua militância. Fiz grandes amigos e espero levá-los para sempre em minha vida.

Em breve formalizarei meu pedido de desfiliação e vou petralhar em outras bandas. Foi bom enquanto durou. Beijos, abraços e boas festas a todos!”

O “também” não era gratuito. Outras pessoas tinham postado a mesma coisa no Facebook. O desabafo de Isabelle gerou um debate intenso. Li os comentários, por curiosidade intelectual.

Um líder petista, Valter Pomar, tentou convencer Isabelle a reconsiderar. A melhor opção, segundo Pomar, é tentar mudar o PT “dentro dele”.

Isabelle não pareceu se comover com a argumentação de Pomar. Alguém colocou uma provocação: em breve, Lula dirá que o PT tinha a melhor militância do mundo.

Claro que os decepcionados de agora podem reconsiderar as coisas depois do primeiro impacto negativo. Mas alguma coisa parece estar acontecendo entre militantes do PT como Isabelle. Ao menos, entre os mais jovens. Um limite talvez tenha sido rompido, ou a paciência se tenha esgotado, ou o crédito se tenha consumido.

Não que seja uma epidemia de inconformismo. Principalmente entre os petistas mais velhos, ainda vigora uma grande aceitação pelos desígnios do governo. O blogueiro Eduardo Guimarães é um destes casos. Guimarães defendeu tenazmente no Twitter o governo de Dilma.

E bateu no resto.

“Se a esquerda quer governo puro, só de esquerda, tem que parar de fazer merdas como as Jornadas Patetas de junho, que fortaleceram a direita”, escreveu ele.

Luciana Genro também apanhou.

“Durante a campanha, Luciana Genro atacou religiões em um país em que 90% do povo é religioso. Enquanto a esquerda fizer estas merdas, será fraca.”

Não me lembro de ataque nenhum de Luciana Genro às religiões. Recordo apenas o momento em que ela pediu licença ao Pastor Everaldo para chamá-lo de Everado, mas não é isto o que está em discussão.

Guimarães parecia nervoso.

“Alguém disse que apoio Dilma incondicionalmente. Puta cretinice. Apoio racionalmente. Votei nela faz dois meses e querem que já ataque. Bah!”

As reações opostas de Isabelle Truda e Eduardo Guimarães, ela jovem e ele veterano, podem ser icônicas: a juventude é menos paciente e menos disposta a suportar tudo em nome da “governabilidade”.

É ainda cedo para formular previsões acabadas, mas é possível que 2014 reforce algo que se manifestou nas “Jornadas Patetas” de junho de 2013: a perda do poder de atração do PT entre os jovens de esquerda.

Nos protestos de junho, foi dito chega ao sistema político tal como ele é, o PT incluído. O PT descobriu, ali, que não comandava as ruas.

Dilma só não perdeu a eleição, em 2014, porque os descontentes entenderam que a opção Aécio era muito pior. Mas ao ver um ministério que poderia ser o de Aécio muitos insatisfeitos se lembraram de tudo que os tinha levado a desiludir-se com o PT.

Concretamente, hoje o PT é um partido de centro. Com boa vontade, centro esquerda. O PSDB também se deslocou da área que ocupava, e hoje pertence à direita, ou centro direita.

Há, portanto, um espaço na esquerda, claramente.

Na Espanha, surgiu o Podemos, um partido novo que promete revigorar as causas clássicas da esquerda. E no Brasil, há chances de surgiu um Podemos? Ou melhor: já existe a raiz do Podemos, o PSOL?

Neste momento, final de dezembro, o PSOL está longe de ser o Podemos. Não entusiasma as multidões: seu fascínio é circunscrito a um grupo pequeno, como se viu na votação de Luciana Genro.

Mas este grupo pode crescer – desde que o PSOL consiga mostrar aos desiludidos que é o endereço certo para eles.

Para tanto, o PSOL teria que amadurecer politicamente. Se o PT se deixou tomar por um pragmatismo exacerbado, o PSOL parece dominado por um idealismo ingênuo e, em certos momentos, infantil.

Aristóteles dizia que a virtude está no meio, e talvez esta seja uma boa divisa para o PSOL.

Vai ser fascinante observar, nos próximos meses, os movimentos dentro da esquerda brasileira.

Até onde irá o desgostos de jovens petistas como Isabelle Truda? Para onde eles levarão sua militância política? O PT conseguirá estancar o processo de desgaste que parece se alastrar em sua ala mais jovem e mais progressista?

Dezembro de 2014, com os “13 de Dilma”, traz todas as perguntas acima.

Será divertido observar, nos próximos meses, as respostas a elas.

(Acompanhe as publicações do DCM no Facebook. Curta aqui).

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

74 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Surreal

09 de janeiro de 2015 às 11h53

O POVO QUER SABER… SE NÃO QUEREM OU NÃO PODEM CHEGAR NOS VERDADEIROS MAFIOSOS TUCANALHAS, CORRUPTOS SECULARES, VERDADEIROS LESA PÁTRIA, QUALQUER OPERAÇÃO DA PF CONTRA A CORRUPÇÃO SERÁ APENAS OPERAÇÃO POLÍTICA SEM SENTIDO E A JUSTIÇA CONTINUARÁ SENDO UMA BALANÇA MUITO DESEQUILIBRADA. O POVO QUER SABER… E OS MAFIOSOS CORRUPTOS TUCANALHAS SOLTOS??? SOLTOS DE INÚMERAS CPIS. ATÉ QUANDO??? ATÉ QUANDO OS CORRUPTOS TUCANALHAS VÃO CONTINUAR SENDO BLINDADOS PELOS JUÍZES E MÍDIA CÚMPLICE MERCENÁRIA??? O POVO QUER SABER. ATÉ QUANDO??? ATÉ QUANTO??? OU MUITAS EMPRESAS E POLÍTICOS VÃO PAGAR AS PENAS, MENOS O LÍDER DAS CORRUPÇÕES: O PSDB E SEUS PROTEGIDOS? E ATÉ QUANDO A MÍDIA ENTREGUISTA VAI TRAIR O BRASIL???

Responder

Mauricio Gomes

27 de dezembro de 2014 às 22h25

A propósito, bem que o Lindbergh poderia vingar-se do Aécínico e mostrar o quão desprezível e insignificante é esse sujeito. Lembram da discussão no senado entre os dois? Pois bem, o Lindbergh ficou em segundo na lista (9,53) e o Aécio…..bem, este ganhou ZERO. Aliás, na lista do pasquim não um tucano sequer, é muita humilhação pra essa escumalha. Nem comprando o apoio da mídia conseguem sair bem na foto….kkkk

Responder

Mauricio Gomes

27 de dezembro de 2014 às 22h13

Isso aqui tá parecendo até uma lanchonete, tal a quantidade de coxinhas que resolveram aparecer para vomitar todas as baboseiras de sempre. É muito engraçado constatar a falta de coerência e cérebro dessa turma, que tenta colar no PT a imagem da corrupção e da incompetência. Pois bem, agora acabaram os gritos histéricos de “vai pra Cuba” dessa direitalha carcomida e patética, com a normalização das relações entre Cuba e EUA. O Aécínico acaba de conquistar o “honroso” título de pior senador com nota zero, num ranking da Veja. Não é piada, quero dizer a revista é uma piada, mas alguém ficar em um último numa lista elaborada por um pasquim de quinta é de amargar não é mesmo? Por último, temos a “sensacional” declaração do picolé de chuchu para um repórter que cobrava a promessa feita para o ano que vem sobre as estações de metrô (que não serão cumpridas como de costume pela tucanalhada). Ele disse que obras como essas são caras e não são feitas em 24 horas. Essa concorre a declaração mais cínica do ano, afinal SP é governado há 20 ANOS pela escumalha do psdbosta e ainda ficará mais 4 anos. Roubaram no escândalo do Trensalão e ainda dizem que não tiveram tempo nem dinheiro para cumprir as promessas. Resumindo, a única alternativa continua sendo o PT (com todos os seus defeitos), pois o psdb além disso tudo é o campeão dos fichas-sujas (esse troféu ninguém tasca Aécio, pode levar pra casa…hehehe) e está envolvido em quase todos os maiores escândalos de corrupção que o país já teve (ex: Privataria e Banestado).

Responder

Moyses Nunes

27 de dezembro de 2014 às 01h42

Dizem que “bom censo” vai o de cada um… fico com a opinião que é cedo para fazermos uma avaliação. Também fiquei mudo quando li Katia Abreu na Agricultura… vamos aguardar.

Responder

João

26 de dezembro de 2014 às 23h41

Concordo com o argumento de Sergio Naves, a direita e a mídia tem muita influencia em grande parcela da população. O que elegeu Dilma foram o povo humilde que foi beneficiado pelo o governo do PT, o trabalho da militância ajudou mas não era suficiente para a vitória.

Responder

Marcílio

26 de dezembro de 2014 às 20h10

Desculpe-me o fora de pauta

Luto na blogosfera

Infelizmente, aos blogueiros progressistas deste país é cerceado a livre manifestação do pensamento e garantido contra eles a imputação de delito de opinião:

http://bit.do/blogueiro_assassinado

Responder

Antonio - SC

26 de dezembro de 2014 às 19h25

Li numa carta lá do DCM:
“Por que patrocinar veículos de comunicação? O governo não poderia “apenas” dar a concessão mediante reserva de espaço para suas propagandas? ”
ATENÇÃO BERZOINI!!
Esta é uma bela sugestão para ser incluída na Lei de Medios.

Responder

    Helena Souza

    26 de dezembro de 2014 às 21h39

    É verdade, o governo poderia “apenas” dar concessão mediante reserva de espaço para as suas propagandas……..se ele fosse o governo de Cuba, China ou Coreia do Norte.

    Responder

      Miguel do Rosário

      27 de dezembro de 2014 às 10h20

      ou qualquer governo europeu ou EUA ou Coréia do Sul ou Japão. Todos tem leis de mídia.

      Responder

        Helena Souza

        28 de dezembro de 2014 às 10h43

        Diga aí qual o país europeu “dá concessões” em troca reserva de espaço para propagandas , isso acontece no Japão? Que eu saiba não. Vamos lá, coloque aí os modelos de concessão para meios de comunicação desses países. Os petistas são seres curiosos, só querem as leis de mídia dos países europeus e do japão, mas não querem que as leis anticorrupção sejam aplicadas por aqui. Por essas leis, o petê já estaria extinto, os aliados petistas já estariam fora da política e José Genoíno, Zé Dirceu, Delúbio Soares não teriam saído da cadeia tão cedo!

        Responder

          Miguel do Rosário

          28 de dezembro de 2014 às 11h41

          Todos. Todos têm severas leis de mídia e contra a propriedade cruzada. O Brasil é caso único. E o que temos aqui não é democrático. É um vestígio doentio da ditadura.

          Helena Souza

          29 de dezembro de 2014 às 01h49

          Vc não pesquisa porque é um blogueiro de merda. Não é á toa que tem que esmolar assinaturas para o bloguinho!

          Helena Souza

          29 de dezembro de 2014 às 01h57

          “Não tenho obrigação de dar aula”. Além de obrigação, você também não tem capacidade. Um sujeito que não consegue fazer sequer um mísera pergunta a um entrevistado, levando cinco minutos para fazê-la e nem assim consegue se fazer entendido , deve é fazer o que Dilma recomendou, se qualificar. Vá fazer um curso no pronatec, Miguel e vá deixar essa vagabundagem

        Helena Souza

        28 de dezembro de 2014 às 13h26

        Ficou só no blábláblá e não mostrou os modelos de concessão e nem falou a respeito da legislação anticorrupção dos países citados. Você é só mais um jornalixo do “ouvi falar”.

        Responder

          Miguel do Rosário

          28 de dezembro de 2014 às 13h32

          Vá pesquisar! Não tenho obrigação de te dar aula!

angela

26 de dezembro de 2014 às 14h36

Sou e vou continuar sendo Petista, com a razão e com o coração. Pois aprendi que compartilhar e a melhor coisa que o ser humano poder fazer pelo outro.

Sou PT, hoje e sempre, pois e com o meu voto que podemos mudar um País e transformar um partido.

Responder

Irã Soares

26 de dezembro de 2014 às 13h44

O sábio aprende com os próprios erros, o sensato aprende com os erros alheios e o idiota continua errando…

Responder

    Armand de Brignac

    26 de dezembro de 2014 às 15h29

    …e o PT continua a errar…

    Responder

    Vargas

    26 de dezembro de 2014 às 17h09

    … e votando na direita, ou clamando por golpe militar.

    Responder

Irã Soares

26 de dezembro de 2014 às 13h35

O ParTido que acabou com o Brasil…

Responder

    angela

    26 de dezembro de 2014 às 14h37

    o Partido que acabou com o país coxinha, deve ser aquele que vc vota…

    Responder

Kleber

26 de dezembro de 2014 às 11h33

Quem está acabando com o patrimônio econômico, social e cultural brasileiro é o PT. Acababando com a petrobras, acabando com a cultura, pois a era petista é a era do Funk, da ostentação, a era da ignorância. Nas escolas não ha mais repetência, faculdades virtuais de caráter duvidoso infestam a nação, ou seja, o país de todos do PT é um país nívelado por baixo, como não dá para todos subir, então teremos todos que descer, eis a lógica do PT.

Responder

    Vixe

    26 de dezembro de 2014 às 20h53

    hein?
    bebeste?

    Responder

    Roberto de Paulor

    27 de dezembro de 2014 às 11h47

    Fumou esterco de cavalo como maconha,coxinha é assim mesmo,um alienado.

    Responder

fernandes

26 de dezembro de 2014 às 10h44

Enquanto a renda do trabalho estiver crescendo mais que a do capital, voto no pt. O resto eh politiquismo ou moralismo de esquerda.

Responder

Euler

25 de dezembro de 2014 às 22h01

Estão mirando o alvo errado. Ministros de estado não definem as políticas de estado. Além disso, é preciso considerar todo o contexto das escolhas feitas por Dilma. A presidenta precisa garantir a governabilidade num congresso nacional conservador e de direita, um STF majoritariamente sujeito às pressões da mídia golpista, e as revelações seletivas da Operação Lava Jato.

O Brasil está pagando pela omissão do PT, Lula e Dilma em relação à questão central, que é o monopólio da mídia golpista, que tornou-se, na verdade, o primeiro ou pelo menos o segundo poder de fato do Brasil. Sem receber um voto, sequer. É a mídia golpista, que na ausência de uma mídia independente, pauta quem deve ser condenado, quem é bandido e quem é herói, o que é importante para o país discutir ou não discutir, onde se deve investir, enfim, é a dona de fato das opiniões de parcelas muito expressivas da população.

Tivesse o governo federal investido na construção de uma mídia alternativa, com jornalismo de qualidade e presença nacional em rádio, TV, jornais, revistas e blogs, a história do Brasil seria outra. Não estaríamos sujeitos a esta chantagem diária das elites dominantes e golpistas através da sua mídia. E o que pior: além da chantagem, somos bombardeados com uma enorme carga ideológica neofascista, que passa os dias e noites chamando os lutadores pelos direitos humanos de defensores de bandidos; que defende diariamente, via comentaristas com bons salários e caráter nem tanto a mais rebaixada campanha contra o governo federal e em defesa de privatizações, discriminações, segregações, enfim, tudo de ruim contra a maioria da população.

Por isso acho essa questão do ministério secundária. Mesmo que Dilma colocasse nos ministérios os melhores nomes – como fez, aliás, Jango na década de 60 -, ainda assim os escolhidos estariam sujeitos às determinações do governo com suas linhas gerais, no que tange às prioridades e às imposições das forças que disputam o orçamento.

Para governar com o mínimo de tranquilidade, Dilma precisa agradar sua base de apoio político, que é ampla e de maneira alguma é majoritariamente de esquerda. E como não tem uma mídia que a defenda – a não ser na Internet -, o seu governo será sempre vítima de chantagens e sujeito a provar o contrário do que diz a mídia.

Graças a essa realidade estranha, o país vive esse estranho momento de ter a impressão de que elegeu uma presidenta com um discurso, mas que não pode assumir com radicalidade esse discurso para não desagradar a uma parte dos derrotados. Em alguns momentos o país viveu a impressão de que não havia sido o PT o partido vitorioso, já que todo o noticiário era dominado pelo candidato da oposição tucana, deixando para o PT as revelações seletivas da Lava Jato.

Durante a Copa do Mundo, que em tese deveria ser um momento todo especial para o país desde a sua preparação, o evento foi apresentado pela mídia como um fiasco. Até que se provou, à duras penas e debaixo de muita vaia da direita, que a organização da Copa havia sido bem feita. O governo não se comunicou com a população no período anterior sobre os gastos, sobre as metas, sobre os possíveis ganhos para o país e deixou que a mídia fizesse o trabalho sujo de desgastar o governo o quanto pode, até o início da Copa.

Agora, com este ministério, e sem instrumentos de apoio popular nas ruas (não confundir pesquisa de opinião com povo organizado em defesa de um governo, como aconteceu na Venezuela com o chavismo), Dilma talvez queira um tempo para começar a governar. Vamos aguardar os misteriosos próximos passos do governo para tentar decifrá-los, já que a comunicação transparente e diária com os eleitores continua não existindo.

Responder

Fabio

25 de dezembro de 2014 às 19h23

Simplesmente decepcionado com a Dilma e com o PT.

Responder

    Helena Souza

    26 de dezembro de 2014 às 21h41

    fica decepcionado não, isso acontece nas melhores famílias!

    Responder

      Carlos

      29 de dezembro de 2014 às 12h03

      kkkkk, verdade, quem sabe no caminhar do governo a Dilma resolva ser esquerda novamente.

      Responder

nilo walter

25 de dezembro de 2014 às 18h57

Miguel, queres acabar com os partidos ?
O que falta são cursos sobre política local, nacional e principalmente internacional . Existem pessoas que até hoje não sabem o que é soberania nacional.Anos 80/90 foi erguida essa bandeira e um amigo militante de sigla contrária me perguntou o que significava esse termo . E era militante ativíssimo.

Democracia pacífica todos desejam. O diabo é que para alcança-la no Brasil com esse Judiciário, mídia, financiamento privada das grandes empresas é impossível .
Se queres a paz faças a guerra de idéias e outras coisas que serão necessárias .
Eleições nada resolve. Liberdade e democracia é um conceito político social de classes.

Responder

L. Souza

25 de dezembro de 2014 às 18h17

Batalho com o PT desde a década de 80. Desde o Olívio, aqui em Porto Alegre, já vi feitos e desfeitos, erros e acertos, prós e contras, novidades e fórmulas repetidas. Ainda assim, tenho convicção que o PT é o melhor partido para a nação brasileira. O fim da Globo já tinha que ter acontecido? A reforma agrária já tinha que ter acontecido? Mas de que forma conseguiremos isso por métodos não ditatoriais? Eu vou atrás da Educação. Alguém tem alguma dúvida de qual é o partido da Educação? Para o ministro que colocarem existirão outros tantos melhores, sempre. Eu mesmo conheço vários. A militância, não se prendendo tanto a nomes e pautas específicas, mesmo aquelas que estão entaladas na garganta a tempos, ajuda o governo na implementação do programa. Ajuda na sustentabilidade governamental para a implantação do programa. Mas, claro, precisa se acreditar no programa! Aos que acreditam no programa e pensam em deixar a militância, permitam-se darem mais tempo à presidenta e às intenções governamentais. E quando os castelos começarem a cair, ninguém vai poder acusar o PT de tirano.

Responder

Vixe

25 de dezembro de 2014 às 17h56

E qual seria a’saída” para os descontentes?
Nomear só “petistas puros” e desagradar a base aliada?
Fazendo isso, aí que não haverá mais governabilidade.
O resultado das urnas foram mais apertados e se Dilma quiser governar, vai ter que fazer concessões.
É assim que as coisas funcionam.
Quanto ao PSOL, tem até integrante que é “bolsonarete” de carteirinha, portanto, não me representa.

Responder

Marcos Faria

25 de dezembro de 2014 às 15h11

Por que este site não publica meus comentários? Fiz um comentário sobre o texto acima e não foi publicado. Há alguns dias atrás ocorreu o mesmo em outro texto. Queria saber o motivo.

Responder

Gerson

25 de dezembro de 2014 às 13h59

Sei que o governo precisa de apoio no congresso, mas colocar certos nomes no Ministério de um governo dito dos trabalhadores é debochar da militância: Katia Abreu se criou falando mal do PT e representa a parte mais reacionária do agronegócio. Será que não tinha outro nome menos reacionário ligado ao agronegócio? Cid Gomes é espezinhar dos pobres professores brasileiros. Se o apoio do partido de Cid é tão importante assim, que o colocasse em outra pasta, não na educação. Outros nomes vão ser prato cheio para as denúncias do PIG: Kassab no Ministério das Cidades, Eliseu Padilha na Aviação e o filho de Jader Barbalho. E ainda tem provavelmente o atuante super ministro Zé da Justiça. Dilma repete Getúlio em 1951: ganhou a eleição com o apoio da esquerda, mas depois nomeou um ministério de direita. Deu no que deu. Quem viver verá.

Responder

Roberto de Paulor

25 de dezembro de 2014 às 12h22

Esse papo de não ser + PT,não é de um PETISTA convicto,ser Petista,em primeiro momento,é ser Progressista,pois é o Partido que mais se identifica,o resto é conversa de indeciso,ou coxinha disfarçado.

Responder

Acorda Brasil

25 de dezembro de 2014 às 12h21

Hauhauhau.

O q mais me deixa feliz sao os sapos q vcs petistas estão tendo q engolir diariamente.
Desde barbalhinho, katia abreu, o sonoro NÃO q a presidenta recebeu do MP sobre os nomes da Lavajato, até o malabarismo retórico Diário da tropa de choque escalada para defender o indefensável no caso Petrolão.

2015 demonstrará q a vitória de vcs foi uma verdadeira vitória de Pirro.

Viva a ignorância e a cegueira política!!!!!

Viva!!!!

Responder

    Miguel do Rosário

    25 de dezembro de 2014 às 12h29

    Sim, imagino que você tenha ficado hiper feliz também com a derrota de Aécio Neves, kkkkk.

    A propósito, Acorda Brasil!

    Responder

    Vargas

    25 de dezembro de 2014 às 12h44

    Acorda, Acorda Brasil.

    “Viva a ignorância e a cegueira política!!!!!
    Viva!!!!”

    Justamente tudo o que vc demonstra: ignorância e cegueira política.

    Vc é daqueles que ficam papagaiando frases nas redes sociais como “acorda Brasil!”, “só não ver quem não quer”, “até um cego vê” e outros blá-blá-blás ? Imagino que sua frustração deve estar no ápice. Afinal, junho de 2013 não foi o bastante para criar uma onda golpista contra o governo. O “não vai ter copa” foi um grandioso fracasso produzido por fracassados. E, por fim, perderam as eleições e vão ficar 16 anos fora do governo.
    Feliz natal e bom 2015. Ainda tem a posse da Dilma para vcs espumarem pela boca, kkkkk

    Responder

      Anônimo

      25 de dezembro de 2014 às 15h17

      Onda golpista de 2013? ta louco?

      Golpe de quem?

      Nã se esqueça que o foco em 2013 era oposição e situação.

      Meu Deus, não canso de repetir. Vocês petistas parecem viver na cracolândia. Afinal, vivem completamente desconectados da realidade, além de uma incompreensível mania de perseguição.

      Tudo de ruim q acontece com o PT é culpa do PSDB.

      Meu Deus…..

      Mais um viva para a cergueira política!!!!

      Viva!!!!!!!

      Responder

        Vargas

        25 de dezembro de 2014 às 21h06

        De modo nenhum, meu caro anônimo.
        as mesmas forças que tentam deslegitimar as eleições de 2014 tentaram pegar carona no movimento de junho de 2013 mas felizmente não vingou. Isto é muito claro e, para repetir o bordão da MINItancia paga, “só não vê quem não quer”.
        Sim, o movimento foi uma indignação contra uma ESTRUTURA secular. Concordo. Mas que usaram o movimento para atingir o GOVERNO, usaram. E, a tentativa de golpe começou ali. Naquele momento forças conservadoras formaram seu ministério (que são os frustrados que alimentam o discurso do ódio e do golpe agora).
        E viva a cegueira política…

        Responder

    Ronaldo

    25 de dezembro de 2014 às 22h19

    Acorda Brasil, vamos fazer uma experiência de pensamento: Se Dilma compõe um ministério de nomes de esquerda, vc agora estaria vociferando tudo quanto é previsão de golpe comunista a caminho. Se ela compõe um mistério de viés direitista, vc estaria urrando de alegria e jogando na cara de todos que a apoiaram que ela traiu seu eleitorado. Mas ao desagradar gregos e troianos, me parece que ela demonstra lidar com a realidade do momento. Vc mesmo deve estar feliz com nomes como Katia Abreu e Joaquim Levy. Acredito que esse seja um ministério de transição, para acalmar o mercado, ganhar tempo e ultrapassar um momento delicado. Lembre-se. reforma ministerial é privilégio presidencial, a qualquer momento. Não se alegre tanto meu amigo, alegria de tucano dura pouco…

    Responder

rildoferreiradossantos@gmail.com

25 de dezembro de 2014 às 12h20

Essa porra é assim mesmo!

Eu to puto dentro das calças. Odiei a indicação da Kátia, do Cid e do Kassab, mas me respondam por favor:

Se não for no PT, onde?

Não fosse Dilma seria quem?

É bom lembrar que os indicados tem base no Congresso e Dilma necessita desta base.

Honestamente hoje acho que nosso inimigo não é este ou aquele parlamentar, mas a mídia bandida que pauta o governo e o Congresso e o judiciário que está provado é seletivo, duro com o PT e inepto com o psdb. Isto não significa que não podemos fazer as críticas necessárias. Aliás, o Estatuto do PT nos garante fazer isto sem sofrer constrangimento, portanto, façamos, mas qualquer decisão neste momento seria imatura.

Vou repetir o que já manifestei: se tivesse novas eleições eu votaria na Dilma novamente para evitar que o psdb reassumisse o governo e acabasse com o patrimônio econômico, cultural e social brasileiro, mas ela fez pouco caso do meu voto. Continuo puto pra cacete, mas é aqui no PT onde me sinto mais credenciado a fazer as críticas necessárias.

Responder

Vargas

25 de dezembro de 2014 às 12h19

Se Dilma colocasse a Kátia Abreu no MDA (Ministério do Desenvolvimento Agrário) aí sim eu me rebelaria. Dilma tem que fazer um ministério que reflita a coligação que à elegeu (ponto). A agricultura, todos sabem, é um caso à parte. Isto por que o Ministério da Agricultura lida com o agronegócio, item importante em nossa balança comercial e, os grandes produtores de commodities são, por natureza, inclinados à direita.
Este problema e a emergencia da agricultura familiar (mais inclinada à esquerda) é que levou a criação do MDA. Na prática temos 2 ministérios da agricultura. Um para os grandes e outro para os pequenos. Um para commodities para o mercado internacional e outro para alimentar o povo.
A equipe de Dilma deve ser diversa, por que os problemas e a sociedade são diversas. Deve ser representativa desta complexidade. Querer uma assimetria onde todos os ministros sejam identificados com as bandeiras de esquerda é um tiro-no-pé pois contribui mais ainda para alargar o fosso que as forças reacionárias insistem em cavar entre o PT e o povo. A nomeação de Kátia Abreu não é motivo para desfiliação ao partido. Todavia, se existe a possibilidade de ocupar o vácuo deixando à esquerda do espectro político (já que os partidos todos se deslocaram para a direita, com o PT quase ocupando o lugar que era do PSDB), com militantes mais propensos a manter uma luta combativa mais autêntica (como era o PT antes de ser vitrine), tudo bem.

Responder

Kaká

25 de dezembro de 2014 às 10h58

Eu sou de carteirinha desde 1987. Já apanhei muito nessa vida, hoje com 50tinha. Mas, contudo, aprendi que a esquerda é burra (consegue bater nela mesma pelo simples motivo de ser “democrática”) e a direita é safada, pilantra, esperta, articulada e não mede esforços para chegar ao poder e corrompê-lo. Avançamos o que não se avançava em toda a história do país, mas, contudo, sendo “democrata” e pelo amor ao debate, não podemos fazer pactos com o demônio por conta da tal governabilidade. Se o MP se isenta de não vetar certas pessoas candidatas a ministro (a), devemos fazê-lo (Dilma) por nós. Katia cansou de bater na gente, nas esquerdas, nos índios, nos trabalhadores (tanto da área rural quanto nos comércios e indústria quando representava os latifundiários em seus sindicatos). Aprendi também que os Luteranos não conseguiram, em mais de 500 anos, limpar a igreja católica por dentro. Impossível quando a maioria não o quer. Fazer o que? Passar para o outro lado? Jamais … continuemos lutando.

Responder

    fernandes

    28 de dezembro de 2014 às 20h55

    Gostei do seu texto.

    Responder

Alberto Cantalice

25 de dezembro de 2014 às 10h47

Companheiros, o momento é de somar esforços. O governo Dilma é um governo de coalizão, portanto, em disputa permanente. O PT e as demais forças de esquerda terão papel importantíssimo na quadra que se avizinha. Dispersar é fazer o jogo dos reacionários e conservadores. “Desesperar jamais”.

Responder

Jocilene

25 de dezembro de 2014 às 10h28

Eu prefiro continuar apoiando a Dilma e ao PT.. A Folha está em êxtase esperando o qto pior melhor..ñ posso concordar com a Isabela mas a respeito..temos mesma idade mas eu continuo cada dia mais apaixonada por uma ideologia construída por muitos que de cert modo contribuíram significativamente. Sejam pelos intelectuais grandes advogados..juristas mestres..sejam pelos apaixonados pelo jornalismo ético e pelos trabalhadores.Hj me sinto muito mais idealista do que qdo votei peça 1 X no PT ainda muito jovem adolescente com apenas 16 anos em 1996! Quero continuar acreditando no PT independente de Katia Abreu ou Cid Gomes..creio que ñ é o momento para histerias e sim apoiar nossa Guerreira de Coração Valente! A Paz a todos e ao Miguel um forte abraço..Desejo que suas assinaturas sejam multiplicadas em 3X ..besos..;)

Responder

Evaldo De Sousa Carvalho

25 de dezembro de 2014 às 12h07

E o que justifica o atraso de pagamento de pessoal do Governo do Distrito Federal, nunca havido antes? Afinal isto ocorre em plena capital da República. Em nome da transparência, tão desejável, o PT deve vir a público dá explicações. Votei e defendi o partido até agora. É justo exigir isto, portanto. Afinal o Governador atual e não reeleito é do partido. As explicações poderão ser dadas, também, pelo Governador eleito, que é do PSB, pois suponho tenha conhecimento sobre o que ocorre.

Responder

José Souza

25 de dezembro de 2014 às 09h25

O PT errou ao não pedir que a população votasse nos seus deputados e senadores. Conclusão: perdeu parte das bancadas. Isso obriga o governo a fazer negociações mais duras, leia-se, dar mais que receber. Negociações políticas não são feitas por ideologia, programas partidários ou outra coisa qualquer. Essas negociações são feitas oferecendo-se cargos para que os indicados nomeiem seus apadrinhados e apliquem as verbas, do cargo, de acordo com seus objetivos. Vamos esperar que na próxima eleição isso seja corrigido e o principal candidato solicite, em seus discursos e publicidades, que os candidatos do PT sejam votados junto com ele ou apesar dele.

Responder

Eva

25 de dezembro de 2014 às 09h16

Ainda não existe um partido político melhor que o PT. O que lhe falta é uma escola de política para ensinar aos jovens militantes impacientes que estamos desconstruindo mais de 500 anos de dominação política à direita. É preciso confiar na liderança e forçá-la mais à esquerda e consolidar as conquistas. É preciso mudar as mentes.

Responder

Maria Dilma

25 de dezembro de 2014 às 08h27

Quando algum comentarista usa adjetivos exemplo pederasta aqui, recomendo mais leitura sobre ética.

Responder

André

25 de dezembro de 2014 às 07h31

Eu sou um dos veteranos como Eduardo Guimarães. Já fui um petista cego. Já me desiludi com o PT. Mas voltei. Assim como é típico dos jovens esse fanatismo cego, também é a desilusão. Quando vi que, quer queiram ou não, a única possibilidade concreta contra o PT ainda é o PSDB, com seus aécios, seus mervais, seus jabores, seus rogeres e seus lobões. Me desiludi, agora sim, pois confirmei que eu não estava iludido. Eu estava do lado certo

Responder

    Fábio

    25 de dezembro de 2014 às 08h29

    Muita calma. Não é o fim do mundo, ainda. O Brasil é muito complexo e não é nada fácil negociar com os partidos políticos que compõem (?) a base de sustentação (?) do governo. Teremos o Congresso mais conservador da história da República pós ditadura e somente uma grande frente de esquerda para se contrapor a uma mídia nefasta e políticos de nítido viés fascista. Não podemos e não devemos fragilizar o governo, com todos os defeitos que ele começa a apresentar. Tem muita coisa em jogo no país nesse momento. a Jornadas de Junho, que parecia um movimento à esquerda, se mostrou extremamente eficiente nas mãos da direita e da grande mídia (alguém em sã consciência duvida disso?)para fragilizar o governo Federal e a própria esquerda – o resultado está aí no Congresso eleito pelo sufrágio do povo -, que sofre ataques de todos os lados diuturnamente. Então, nada de desespero e achar que a luta foi perdida, ainda temos muita gente boa no governo e estou disposto, por enquanto, a dar um voto de confiança à presidenta Dilma e avançarmos mais na construção de uma nação justa, soberana, democrática e livre.

    Responder

Messias Franca de Macedo

25 de dezembro de 2014 às 02h51

Portanto, que tal começarmos a nos espelhar no ‘Podemos’ da Espanha?!

##############

(…)
Na Espanha, surgiu o Podemos, um partido novo que promete revigorar as causas clássicas da esquerda. E no Brasil, há chances de surgiu um Podemos?
(…)

FONTE: http://www.diariodocentrodomundo.com.br/a-militancia-perdeu-a-paciencia-com-o-pt/

Responder

    Roberto L.

    29 de dezembro de 2014 às 02h59

    “Portanto, que tal começarmos a nos espelhar no ‘Podemos’ da Espanha?! ############## (…) Na Espanha, surgiu o Podemos, um partido novo que promete revigorar as causas clássicas da esquerda. E no Brasil, há chances de surgiu um Podemos?”

    O Brasil não é a Espanha, o contexto que cada um vive é totalmente distinto, a Espanha é governada pelo PP, que é um DEM piorado e era governada antes pelo PSOE que é um PSDB menos radicalzinho mas ainda assim tucano demais. A política espanhola em geral é toda voltada pra direita, com uma influência pesada pelo catolicismo que é misturado com a própria direita daquele país, culturalmente e de forma identitária (o catolicismo espanhol sempre foi o mais casca grossa do mundo).

    Cuidado com esses devaneios do DCM pois o cara do site visivelmente nutre simpatias pela Luciana Genro e PSOL só que não deixa isso explícito como outras publicações fazem. E o PSOL não é o Podemos, o PSOL perdeu o bonde da história.

    Vou repetir o comentário que venho fazendo pra mostrar que o PSOL nunca fez cócegas na direita brasileira, tanto que é poupado pela mesma na maioria das vezes. O PT com 9 anos de vida (1989) já tinha feito prefeita na maior metrópole do país e quase vencia a eleição de presidente naquele ano, o PSOL já vai em dez anos e quantas cidades/capitais relevantes ele chegou ao poder? Zero.

    O PSOL alguma vez representou perigo à direita brasileira numa eleição? Nunca. Pelo contrário, fez o desserviço de compor com a mesma em 2006 com a anta da Heloisa Helena e levar a eleição pro segundo turno, fora os moralismos reaças do Arruda Sampaio.

    O Podemos é mais parecido com o PT dos anos 80 do que com um PSOL. É isso que dá quando o cara do DCM comenta algo sobre o que ele conhece superficialmente ou leu pouca coisa (eu costumo acompanhar a política espanhola pois tem muita coisa parecida naquele país com o Brasil, e em geral não são coisas positivas como essa do catolicismo interferindo culturalmente e politicamente no país), por isso me causa espanto quando comparam o Podemos com o PSOL, quando não têm nada a ver.

    O Podemos surgiu do movimento 15-M, que de forma patética pregou a não votação do povo na época dando vitória de cabo a rabo ao PP espanhol (é o partido herdeiro do franquismo com o Rajoy encabeçando ele, atual primeiro-ministro e da Galícia) piorando o quadro já degradado da Espanha com a crise aumentada pelo Zapatero (PSOE) com a cartilha neoliberal que a social-democracia atual costuma operar nesses países do Sul da Europa.

    O cara do DCM precisa parar de viajar na maionese e apurar mais o que publica pois não é só esse erro grosseiro que já vi por lá. O mais estranho é que costumam não gostar quando algum leitor faz algum comentário mostrando informações políticas de outro país.

    Responder

    Roberto L.

    29 de dezembro de 2014 às 03h08

    (Continuação)

    Há outro problema com a comparação Brasil x Espanha.

    A Espanha é da OTAN, capacho dos EUA literalmente, igual a Portugal. A mídia de lá é mais americanizada que a brasileira (como se isso fosse possível, mas é). Os espanhóis não têm a mesma visão que a gente (brasileiros) têm dos norte-americanos, uma visão negativa ao extremo, porque o Brasil sempre esteve na mira da política norte-americana na região por não ser um país fácil de se alinhar mesmo quando era próximo da política dos EUA, nunca chegou ao patamar de ser parte de uma OTAN ou algo do tipo, mesmo na ditadura militar (teve a crise de 77 da instalação das usinas nucleares que o Tio Sam não gostou).

    Graças ao processo de reformas que fizeram (sob tacão da Alemanha) na Alemanha houve uma melhora considerável no ensino/educação daquele país, coisa que no nosso ainda está longe mas melhorando. Resumindo, pinçar coisas de outros país ignorando o contexto delas é um perigo, fora que a postura do DCM é meio de colonizado (igual ao PIG), basta surgir algo no exterior que querem copiar porque acham “bonito”, ou porque no fundo sentem vergonha de ser parte de um processo que o mundo inteiro está de olho (o nosso). O PT, as mudanças no Brasil são algo real, na Espanha até agora são só promessas, e com o grau de ferocidade do catolicismo por lá (rola os mesmos chavões de “chavista”, bolivarianismo contra os caras), é difícil o Podemos chegar ao posto de Primeiro Ministro da Espanha em tão pouco tempo, irão fazer uma campanha pesada e suja contra os caras (já estão fazendo) e eles não têm a mesma estrutura que o PT tem no Brasil e militância enraizada.

    Em parte eu fico decepcionado de ler esses comentários, demonstra um comportamento infantilizado e imediatista de parte da esquerda do país que não costuma pensar a médio/longo prazo e analisar friamente a conjuntura do país e internacional (o avanço da extrema-direita fora, mais forte que as titicas do Bolsonaro aqui no país). Decepecionam-se fácil demais por não entenderem o processo político do país e o sistema político torto do mesmo que nunca levantaram bandeira pra mudar a não ser de 2013 pra cá, de forma incipiente.

    Responder

Messias Franca de Macedo

25 de dezembro de 2014 às 02h50

A militância perdeu a paciência com o PT?

Por jornalista Paulo Nogueira

Postado em 24 dez 2014

FONTE: http://www.diariodocentrodomundo.com.br/a-militancia-perdeu-a-paciencia-com-o-pt/

Responder

Messias Franca de Macedo

25 de dezembro de 2014 às 02h44

… A atual [e eterna!] oPÓsição ao Brasil – além de incompetente, retrograda, nefasta e corrupta – é preguiçosa! E beócia!

Além de fascigolpista!

A inércia mantida pelos factóides do PIG!

A famigerada Casa Grande!

Portanto, é imperioso que a sociedade brasileira mobilize os setores de esquerda vanguardistas, progressistas, socialistas e democráticos no sentido de criar um movimento capaz de produzir, concretamente, a superação do modelo do ‘PT da Governança’!

Cumpre salientar que parte dessas forças poderá proceder do próprio PT!

Enquanto possibilidade do exercício efetivo do poder central, O PSOL é uma agremiação natimorta!

O mesmo PSOL enquanto catalisador das demandas sociais e nacionais, representa um ente de valor inefável!

Portanto, que tal começarmos a nos espelhar no ‘Podemos’ da Espanha!

Já seria um bom começo no sentido de arregimentar as energias de nós descontentes!…

Mãos à obra!(?)

Responder

    Messias Franca de Macedo

    25 de dezembro de 2014 às 02h46

    ajuste ortográfico: … retrógrada

    Responder

Cláudio Pereira

24 de dezembro de 2014 às 22h48

Isso: Um Feliz Natal. Que haja ternura. Falta pouco para meia-noite. Que haja paz!

Responder

Nilda

24 de dezembro de 2014 às 22h20

Sinto-me representada, aliás, muuiiito bem representada pelo PT.

Responder

Edmilson Alves

25 de dezembro de 2014 às 00h02

Militancia do PT, recheada de bandido, gente sem ter o que fazer, drogados, alguns filhos de pai rico, outros que nem sabem o que estão fazendo, assassinos…. e por ai vai……

Responder

    Rita Felipe

    25 de dezembro de 2014 às 00h19

    Feliz Natal! Desejo que 2015 traga alguma alegria pra você. Pelo tom raivoso acho que você precisa. Paz e Bem! É o que deseja uma petralha.

    Responder

    Edmilson Alves

    25 de dezembro de 2014 às 00h20

    Obrigado, mas nao preciso de seu Feliz Natal…. Alias não preciso de nada vindo de um bando de terroristas como vcs…

    Responder

    Sena

    24 de dezembro de 2014 às 22h28

    Engraçado, eu sou um petista, não filiado, que estuda muito e li sobre um discurso, que dizia a mesma coisa, proferido por alguém referindo-se a um outro grupo de pessoas. O discurso era de Adolf Hitler e o grupo referido eram os Judeus.

    Responder

    Fabio Neves

    25 de dezembro de 2014 às 00h40

    Se é tudo isso que vc elencou aqui, poderia afirmar que tu deverias mudar para Cuba americanizada, pois acabaste de inflamar uma turba sanguinária hein? Kkkkkkkkkkk Dá uma pena desses coitados sofredores pederastas…

    Responder

    Maria Luisa Andrade

    25 de dezembro de 2014 às 10h18

    Entrou no bonde errado…pega logo o bonde do recalque e vai curtir sua inveja em outra freguesia …..Rita Felipe e Fábio Neves , pra vocês Feliz Natal !!!

    Responder

    Charley Pimentel

    25 de dezembro de 2014 às 22h55

    Tá doido cara? vc pode ter q provar o q está falando, e se não provar, vai pra cadeia!

    Responder

    Charley Pimentel

    25 de dezembro de 2014 às 22h55

    Tá doido cara? vc pode ter q provar o q está falando, e se não provar, vai pra cadeia!

    Responder

Noir

24 de dezembro de 2014 às 21h29

Essa GORDA vai vender todas as estatais.
Ela é CANALHA, MENTIROSA E MAU CARÁTER.
Abram os olhos.

Responder

    Miguel do Rosário

    25 de dezembro de 2014 às 04h25

    Gorda?

    Responder

      Gerson

      25 de dezembro de 2014 às 15h52

      Agora fiquei curioso também: quem é a gorda??? hehehe…

      Responder

    Antonio

    25 de dezembro de 2014 às 15h40

    Tucano é um bicho engraçado, os adjetivos que eles usam para desqualificar os seus adversários políticos cabem como uma carapuça para eles.

    Responder

Jeronimo Collares

24 de dezembro de 2014 às 23h19

“Apenas adianto agora que o núcleo de força da democracia jamais estará no governo ou nos partidos, mas na capacidade criativa da sociedade.” Pobre luta social, relegada a um nada… lamentável!

Responder

Deixe um comentário

O Xadrez para Governador do Ceará Lula ou Bolsonaro podem vencer no 1º turno? O Xadrez para Governador de Santa Catarina