Mais de 70% dos eleitores já estão decididos sobre o voto presidencial, diz DataFolha

Dilma rompe o silêncio

Por Miguel do Rosário

28 de janeiro de 2015 : 17h52

ScreenHunter_5486 Jan. 28 17.39


 

Ela falou, finalmente.

Aproveitando a primeira reunião ministerial, a presidenta fez um discurso nitidamente voltado à nação.

Entretanto, ao assistir os 35 minutos de discurso da presidenta, sinto mais uma vez um grande alívio por termos sobrevivido às eleições.

E entendo melhor porque a presidenta resiste tanto a falar mais e a dar entrevistas.

É patente que Dilma, definitivamente, não se sente à vontade como oradora.

A eleição foi vencida pelo projeto, e sobretudo pelo repúdio da população a um retrocesso neoliberal (o mesmo que tenta se imiscuir agora no governo, via Levy), não pelas qualidades retóricas da presidenta.

Dilma é uma pessoa tímida, que fica nervosa, que gagueja, que se absorve tanto na angústia de se expor que tem dificuldade de se concentrar.

Quando improvisa, é um desastre.

Ela tentou, por exemplo, fazer graça com o fato do Brasil figurar como maior mercado mundial de cosméticos.

Após sorrir timidamente, dirige um olhar cúmplice aos ouvintes. A linguagem corporal diz: quero falar uma coisa engraçada, me ajudem.

Só que, para o ouvinte, o efeito é inverso. O ouvinte fica ainda mais aflito, quase com pena, porque sabe que ela quer dizer alguma coisa divertida, sabe até o que ela quer dizer, porque em geral é alguma piada trivial, e sabe que ela não está conseguindo encontrar a expressão.

A presidenta então hesita mais que nunca. Por fim, após torturantes décimos de segundo de silêncio constrangedor, ela consegue soltar a frase engasgada.

No caso dos cosméticos, a frase engraçada é uma expressão pernóstica: “a vaidade intrínseca” da mulher.

De resto, o texto do discurso é, como sempre, repetitivo, medíocre e confuso.

Ao invés de incutir entusiasmo, provoca desânimo.

O problema de comunicação, portanto, vem de cima, da própria presidenta.

Não me levem a mal.

Eu votei em Dilma, apoio seu governo (com críticas, claro), e todos os dias respiro aliviado por termos vencido uma eleição tão difícil em 2014.

Também acho que a história será justa com Dilma, e ela poderá ser considerada uma das melhores presidentes que o Brasil já teve.

Uma presidenta que implementou e ampliou os maiores programas sociais da nossa história, ao mesmo tempo em que deu início e coordenou o maior conjunto de obras de infra-estrutura dos últimos séculos.

Nenhum outro presidente jamais fez tanto pela educação pública brasileira, ampliando o Prouni, criando o Ciência sem Fronteiras e o Pronatec, aumentando o salário de professores universitários, expandindo e aprimorando o Enem.

Nenhum presidente enfrentou a corrupção com tanto respeito às instituições como Dilma.

Mesmo diante de inúmeros abusos, a presidenta manteve uma postura serena e confiante no Ministério Público e no Judiciário, de maneira que, com o passar do tempo, a história poderá lhe dar o crédito por ter sido a responsável por um grande avanço do país na luta contra a corrupção.

E fez tudo isso enfrentando o mais concentrado, poderoso e agressivo conglomerado midiático do mundo.

É incrível, portanto, que a pessoa que enfrentou e enfrenta tudo isso seja uma mulher tão tímida, dotada de uma retórica tão pobre.

A explicação, mais uma vez, é simples.

A rusticidade oratória da presidenta, a sua incrível dificuldade para se comunicar, são compensadas por uma grande ferocidade política, uma coragem extraordinária e uma incomparável disposição para trabalhar.

A ferocidade política se evidencia quando ela fala em corrupção. A sua linguagem corporal muda completamente – e não creio que seja algo planejado porque a postura da presidenta transpira espontaneidade por todos os poros.

Uma espontaneidade absolutamente desastrada, ou “gauche”, como diria Drummond, e por isso mesmo autêntica.

Aliás, isso confirma uma teoria de Carlyle sobre o “heroi político”, segundo a qual as pessoas admiram suas lideranças políticas por suas virtudes, mas as amam por seus defeitos.

Explica também a estranha alquimia operada no frenesi da campanha eleitoral, quando todos os defeitos da presidenta foram convertidos em virtudes, ao passo que as virtudes de Aécio, a sua oratória impecável, a sua fleuma, o seu sorriso triunfante, se tornaram defeitos.

Foi o momento em que dezenas de milhares de pessoas, durante comícios em São Paulo, Rio, Recife, gritavam juntos: “Dilma, eu te amo”.

Ninguém jamais gritou: “Aécio, eu te amo.”

Os defeitos de Dilma, sua dificuldade para falar, confirmam a sua coragem. Pois é como alguém que tivesse uma horrível fobia do mar e mesmo assim insistisse em trabalhar num navio.

Voltando à corrupção, Dilma deixa bem claro, ao abordar o tema, mais pela linguagem corporal e pelo tom de voz, do que por suas palavras, a sua ferocidade política.

É como um recado à própria base aliada, onde ela sabe se encontrar os maiores corruptos, porque estes sempre se refugiam sob as asas do poder.

Como se ela dissesse: “não adianta, não vou mover uma palha para ajudar ninguém. Vai todo mundo se ferrar. Quem mandou roubar?”

*

Sobre o conteúdo da fala, comento os principais pontos:

1) Proposta de segurança pública.

É um dos pontos essenciais, e que pode granjear uma grande popularidade para a presidenta, se o projeto for bem sucedido. A presidenta quer estabelecer um sistema de segurança público unificado, em todas as federações, o que convêm ao país e às novas circunstâncias tecnológicas.

2) Proposta de desburocratização.

Outro ponto importantíssimo para destravar investimentos no país e gerar empregos. Entretanto, é um desses projetos prometidos por todo governo. Vamos ver se agora isso avança. A burocracia no Brasil, em todos os níveis, atrapalha muito a nossa produtividade. Suponho que, se for bem encaminhado, será aprovado com facilidade, visto que não encontrará objeções ideológicas por parte de nenhum partido.

3) Comunicação melhor dos ministérios.

Foi um dos momentos mais duros de seu discurso. Ela falou explicitamente em travar a batalha da comunicação e combater a desinformação. É também o ponto que os internautas mais politizados ouviram com mais ceticismo, visto que a própria presidenta jamais seguiu o conselho que agora dá aos ministros. Afinal, o governo vai continuar cevando os cofres da grande mídia, aquela mesma que desinforma, com dinheiro público? É evidente, além disso, que a iniciativa, neste ponto, precisa ser centralizada pela presidência da república. Dilma não tem sequer um porta-voz. Nem os ministros sabem o que se passa no governo, ou o que pensa a presidenta, como eles poderão defender a sua administração?

4) Direitos trabalhistas.

O discurso soou um pouco falso, por causa da recente investida do governo contra alguns direitos constituídos, como reduzir a carência do seguro desemprego. De qualquer forma, é reconfortante ouvir a presidenta afirmar que os direitos trabalhistas seguirão intocáveis.

5) Quanto ao ajuste fiscal, Dilma poderia ter lembrado que o seu governo implementou mudanças importantes no imposto de renda, isentando mais trabalhadores e criando degraus progressivos de cobrança. Seria essencial, neste momento, a presidenta fazer um discurso duro contra a sonegação e a evasão fiscal, de longe o maior problema do Brasil, muito maior inclusive do que a corrupção. O sindicato nacional dos auditores fiscais estima que o Brasil perde mais de 400 bilhões de reais por ano com sonegação. A ong Tax Justice já posicionou o Brasil como um dos países com maior índice de sonegação do mundo. Como isso não sai na mídia, que também sonega, o governo parece não se interessar tanto pelo tema.

6) Dilma falou da necessidade de se investigar a Petrobrás, e os esquemas que a prejudicaram, sem quebrar empresas que formam a base da infra-estrutura no país. É um posicionamento político importante da presidenta, uma chamada para o bom senso. Só que o Ministério Público Federal já andou tentando agir com bom senso, e o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, foi acusado de fazer um acordão para salvar o governo. Janot então, para salvar a pele, recuou e aderiu à mídia, fazendo discursos raivosos e udenistas. A mídia não quer saber de bom senso ou interesse nacional. Ela quer crise política e paralisação de obras fundamentais, para prejudicar o governo e preparar o terreno para seus candidatos em 2016 e 2018. Ou seja, o governo terá de “travar a batalha da comunicação” principalmente neste caso da Lava Jato. Não é o que tem feito até o momento.

Assista ao discurso da presidenta:

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

73 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Telles

01 de fevereiro de 2015 às 12h32

Sem Pré-Sal, Educação perde R$1,3 trilhão. Sem seguro ou com seguro, a Petrobras foi sucateada na triste época dos tucanos e muitas vidas foram perdidas. Vidas que não tem preço. Com roubos ou sem roubos, sempre houve tentativas de entrega da Petrobras, tentaram mudar até o nome para Petrobrax e afundaram a P36, a maior plataforma do mundo. Corruptos e corruptores agiam e agem contra a Petrobras tentando destruí-la para enfraquecer o governo para posteriormente forçar uma privatização, entregando a imensidão de petróleo que existe na costa brasileira, implodindo os projetos de educação e saúde de longo prazo, provenientes dos “royalties”. Há mais nesse jogo de entrega do que se possa imaginar, junto com a orquestração americana que está deixando de lado a exploração do caro xisto betuminoso e liberando a OPEP e partindo para a ação predatória, forçando uma derrubada intencional de preços da “commodity” atingindo países do BRICS, mais Irâ e outros produtores, para tentar capturar reservas imensas e empresas artificialmente fragilizadas. O governo deve recomprar as ações. Obs: Guerra econômica contra o Brasil com a ajuda da mídia “amiga” e alienados.

Responder

Sindronio Lagos

30 de janeiro de 2015 às 20h01

Sem citar nomes, aqui no Brasil e nos Estados Unidos da América, todos os presidentes que renunciaram, nenhum foi por envolvido direto ou indiretamente em Falência de Estatal – do País – Roubos/Rombos/Conspiração/Negociatas/ Mentiras/Crimes de toda sorte contra a Humanidade (Nação) da Maior Organização Criminosa bem Organizada do PT a Décadas/Lavagem de Dinheiro/Invasão de Divisa/Desvios de Verbas e todas as Riquezas do País deixando-o Quebrado Alquebrado.
Tivesse sido esses a causa e motivo das Renúncias, todos eles, por certo, teriam sido Presos, Processados, Julgados e Condenados a Prisão Perpétua sem direito a Condicional ou a Pena de Morte por Injeção Letal, pelo TRIBUNAL PENAL INTERNACIONAL DE HAIA (HOLANDA)!
Basta que se leia as condenações dos Chefes de estado, que cometeram os mesmo crimes que o Governo da maior Organização Criminosa do PT e seus SÚDITOS praticou e vêm praticando contra o País e a Nação Brasileira (Humanidade)!
Contra fato não há argumento; há? Certamente, não!
E agora, o que vai ser feito com toda essa CATERVA INDIGNA DE VIVER ENTRE SOCIEDADE?

Responder

Surreal

30 de janeiro de 2015 às 10h03

O POVO QUER SABER… SE NÃO QUEREM OU NÃO PODEM CHEGAR NOS VERDADEIROS MAFIOSOS TUCANALHAS, CORRUPTOS SECULARES E NA MÍDIA MÁFIA ANTI-NACIONAL, VERDADEIROS LESA PÁTRIA, QUALQUER OPERAÇÃO DA PF CONTRA A CORRUPÇÃO SERÁ APENAS OPERAÇÃO POLÍTICA DESTRUIDORA DE NOSSO POVO, PORQUE DESSA FORMA A JUSTIÇA CONTINUARÁ SENDO UMA BALANÇA MUITO DESEQUILIBRADA. O POVO QUER SABER… E OS MAFIOSOS CORRUPTOS TUCANALHAS SOLTOS??? SOLTOS DE INÚMERAS CPIS. ATÉ QUANDO??? ATÉ QUANDO OS CORRUPTOS TUCANALHAS VÃO CONTINUAR SENDO BLINDADOS PELOS JUÍZES E MÍDIA CÚMPLICE MERCENÁRIA??? O POVO QUER SABER. ATÉ QUANDO??? OU ATÉ QUANTO??? OU MUITAS EMPRESAS E POLÍTICOS VÃO PAGAR AS PENAS, MENOS O LÍDER DAS CORRUPÇÕES: O PSDB E SEUS PROTEGIDOS? E ATÉ QUANDO A MÍDIA ENTREGUISTA VAI TRAIR O BRASIL E CONTINUAR IMPUNE???

Responder

renato

29 de janeiro de 2015 às 21h49

Voltei de férias..
E não ouvi nada contra as mexidas deste governo
no seguro do trabalhador..
Esta coisa não vai passar…
não adianta ensaboar.

Responder

Mauricio Gomes

29 de janeiro de 2015 às 16h04

Só faltava essa, agora esses canalhas tucanos (redundância) ficam fomentando golpes na cara de pau, como esse picareta do Serra. Esse sujeito tinha é que explicar o descalabro na SABESP e os vários outros escândalos em que está metido até o pescoço. Dilma, convoque rede de rádio e tv para falar com o povo toda semana, contrate um porta-voz ou alguém que abra a boca pra rebater a canalhice do PIG/demotucanos! Bastou a Folha publicar uma matéria falando do racionamento que alguém do governo de SP logo deu chilique e chamou a matéria de mentirosa. Isso eles sendo protegidos há décadas por essa mesma mídia corrupta….

http://www.conversaafiada.com.br/politica/2015/01/29/cerra-diz-que-dilma-caira-como-jango/

Responder

Ricardo G. Ramos

29 de janeiro de 2015 às 17h27

O Cafezinho exagerou nas críticas a Presidenta e seu discurso.

Responder

Fernando Mendonça de O Jr.

29 de janeiro de 2015 às 15h28

Bem por ae

Responder

Pedrão

29 de janeiro de 2015 às 12h13

Miguel o que esse marco a villa fala na jovem pan do governo do PT e da Dilma é dificil de ouvir, parece que esse cara não é jornalista ele não pode ser processado a provar o que fala?

Responder

Marcio Morais Morais

29 de janeiro de 2015 às 13h13

Amém!!!!! Acho que Dilma precisa de um Ministro articulador! O nome,Ciro Gomes. Não tem medo de falar peita meio mundo e além do mais ele segura o rojão

Responder

mineiro

29 de janeiro de 2015 às 10h50

e a maioria de sp hen , cade o odio desses vermes que lutou e defendeu a tucanalha ate a ultima hora hen. cade voces agora, e esse negocio de faltar agua 5 dias por semana. vao la agora , voces que deram essa esmagadora vitoria ao seu queridinho tucano, vao la agora. agora ninguem aparece, e advinha a quem ele foi recorrer , a pres.dilma que voces tanto odeiam. e os vermes malditos falam que é racionamento, desde quando ficar 5 dias por semana é racionamento? é falta de agua mesmo.

Responder

mineiro

29 de janeiro de 2015 às 10h44

que me desculpe pelo menos eu nao levo em conta nada dela ter dificuldades para comunicar e acredito que a maioria tambem nao. se fosse assim o playboi que mg odeia ganharia dela de lavada, e nao foi isso que aconteceu , na hora que precisou falar o que tinha que falar , do jeito dela ela falou e muito bem. nao é isso que esta em questao , a questao é o governo em sim mesmo , os min, do seu governo. é a falta de comunicaçao , a coragem de enfrentar as questoes dificis, como a regulaçao do pig golpista, a reforma do judiciario , a politica. para min a reforma de imundo do judiciario tem que vir primeiro. e tambem essas reformas da previdencia que deu esse reboliço e por falta de comunicaçao. esse min.leviano ditando as regras ate nao sei é bom ou ruim. entao é isso, e nao a pres.ter dificuldades em falar.

Responder

Fabio

29 de janeiro de 2015 às 09h48

Dilma vai fazer como Itamar e empurrar o governo com a barriga
Dilma, decepcionante.

Responder

Nilda

29 de janeiro de 2015 às 09h36

Sinto-me representada. Presidenta! Tamos juntos. O povo tem que ficar atento com discursos demagogos!

Responder

Douglas Tanganelli

29 de janeiro de 2015 às 11h34

Muito bom, Miguel. Obrigado!!!

Responder

Jose LUIZ RIBEIRO DA SILVA

29 de janeiro de 2015 às 08h53

Miguel se toca! o que você chama de ‘timidez” da presidenta Dilma é consequência das torturas por ela sofrida nos interrogatórios. organizar o pensamento e passar uma mensagem sendo alvo de todas as atenções para ela é muito estressante, não é coisa fácil de superar. por outro lado em entrevistas ela vai muito bem.

Responder

    renata

    29 de janeiro de 2015 às 19h44

    Apoiado! Não somos capazes de imaginar as sequelas do que ela sofreu e enfrentou com muita coragem e está inteira para governar

    Responder

Gilmar

29 de janeiro de 2015 às 07h28

A presidenta precisa fazer como o Obama e ter um porta voz competente, comprometido, destemido e inteligente, e ela fala somente em casos pontuais, e lógico parar de cevar o pig raivoso

Responder

Messias Franca de Macedo

29 de janeiro de 2015 às 01h48

Sindicatos pró e antigoverno ensaiam união contra ‘medidas impopulares’

Postado em 28 de janeiro de 2015 às 10:54 pm

(…)

FONTE: http://www.diariodocentrodomundo.com.br/essencial/sindicatos-pro-e-antigoverno-ensaiam-uniao-contra-medidas-impopulares/

LÁ VEM O MATUTO QUE CONTINUA ACREDITANDO NA PRESIDENTE DILMA ROUSSEFF!

… Que vão todos para a oposição!

Todos: sindicatos pró e antigoverno!

Até o Raio da Silibrina também!

Agora, deixem a presidente Dilma Rousseff trabalhar!

E se candidatem nas próximas eleições presidenciais!

E aquele(a) eleito(a) que cumpra todas as promessas de campanha!

Literalmente!

Mesmo que ‘a vaca não [não!] tussa’!

Responder

Messias Franca de Macedo

29 de janeiro de 2015 às 01h38

… O que falta, então, é um porta-voz do governo!

Os textos da Dilma Rousseff estão longe de ser medíocres!

Deste, sim, é de se esperar dicção e oratória notáveis!

Fico, portanto, com o que não está eivado de contaminação no texto acima:

“uma grande ferocidade política, uma coragem extraordinária e uma incomparável disposição para trabalhar.”

Esta presidenta ainda me representa!

No português:

Eu ainda confio na Magnífica presidente Dilma Rousseff, A Magnífica!

Êta ‘Coração Valente’!

(“Pois é como alguém que tivesse uma horrível fobia do mar e mesmo assim insistisse em trabalhar num navio.”

De novo, pelo, este sim, Miguel do Rosário!)

Responder

    Messias Franca de Macedo

    29 de janeiro de 2015 às 01h40

    questão de esclarecimento:

    Desse, sim, é de se esperar dicção e oratória notáveis!

    Desse, leia-se, porta-voz de um governo democrático e popular!

    Responder

Messias Franca de Macedo

29 de janeiro de 2015 às 01h27

… Prefiro a presidente Dilma Rousseff não afeita aos holofotes e aos microfones a um(a) presidente(a) populista, demagogo(a), desonesto(a)…!

Je suis toujours Dilma Rousseff!

Responder

    Messias Franca de Macedo

    29 de janeiro de 2015 às 01h28

    Mesmo que ‘a vaca tussa’!…

    Responder

Messias Franca de Macedo

29 de janeiro de 2015 às 01h13

… Se a [eterna] oPÓsição ao Brasil tivesse vencido as eleições, o governo teria aumentado o Piso Nacional dos Salários dos Professores com formação em Nível Médio para R$ 1.917,78?, aumento de 13,01%!

Pausa para rir!

… Se a [eterna] oPÓsição ao Brasil tivesse vencido as eleições, o governo teria aumentado o salário do Médico do Provab de R$10.000 para quase R$10.600,00!

Pausa para chorar!

De rir!

Pausa para rir!

De chorar!

A Magnífica presidente Dilma Rousseff “irá jogar leita na cara dos caretas catastrofistas”!

Em pouco tempo!

E na cara dos açodados pró governistas também!

Ah esse ‘Coração Valente’!

Quem (sobre)viver, verá!

… Ah, se a [eterna] oPÓsição ao Brasil tivesse vencido as eleições, o governo manteria o sistema de partilha para a exploração do pré-sal em detrimento do festim Tucano do modelo de partilha, desagradando as petrolíferas estadunidenses!…

(…)

Responder

    Messias Franca de Macedo

    29 de janeiro de 2015 às 01h14

    errata: … Ah, se a [eterna] oPÓsição ao Brasil tivesse vencido as eleições, o governo manteria o sistema de partilha para a exploração do pré-sal em detrimento do festim Tucano do modelo de concessão, desagradando as petrolíferas estadunidenses!…

    Responder

    Messias Franca de Macedo

    29 de janeiro de 2015 às 23h25

    errata:

    A Magnífica presidente Dilma Rousseff “irá jogar leite na cara dos caretas catastrofistas”! Em pouco tempo! E na cara dos açodados pró governistas também!

    Responder

Celia Kit

29 de janeiro de 2015 às 02h26

Peterson Casati

Responder

Flavio Carvalho

29 de janeiro de 2015 às 01h40

Êta apoiozinho. Melhor ficar quieto.

Responder

Erik

28 de janeiro de 2015 às 22h57

Miguel, texto extremamente esclarecedor! Concordo com vc qdo diz q o q
levou a vitória da Dilma foi o projeto de país q está a pleno vapor, mas não veremos na grande mídia. Estive em Minas em minhas férias e vi o projeto de modernização da Br 040 acontecendo a olhos vistos. A Usina instalada na cidade de Jeceaba q mudou completa a região transformando minério e produzindo tubos sem solda de alta tecnologia, sem falar na instalação de campis das universidades federais em vários pequenos municípios. O Brasil está mudando.

Responder

Luciano Machado

28 de janeiro de 2015 às 22h42

Dilma quando fala é verdadeira. Ela não sabe mentir, e não sabe enganar as pessoas como William Bonner.

Responder

Airton Faé

29 de janeiro de 2015 às 00h17

É tenso ouvir alguém que vive em outro mundo.

Responder

Nilda

28 de janeiro de 2015 às 21h51

Querida Presidenta! Não deixe pedra sobre pedra. Tamos juntos! Fale, fale muito com a Nação. Daremos respaldo. Outra coisa, estamos na mão de um assassino. Não temos água. O homem insiste em ficar escondidinho no colo da imprensa mercenária. Se não fosse o nosso Prefeito Hadad, estaríamos pior!

Responder

Niza Maria Rodrigues

28 de janeiro de 2015 às 23h48

Gostei da análise, Miguel do Rosário! Parabéns! (Se usar o “adendo” do Daniel menezes aqui, ficará perfeita! :)

Responder

Niza Maria Rodrigues

28 de janeiro de 2015 às 23h48

Gostei da análise, Miguel do Rosário! Parabéns! (Se usar o “adendo” do Daniel menezes aqui, ficará perfeita! :)

Responder

Paulo Conrado

28 de janeiro de 2015 às 21h40

Dilma ,Renan,Maluf,Lula , Aecio,e tantos outros.So querem o bem do Brasil,ia esquecendo da famiglia Sarney!!!

Responder

Mauro

28 de janeiro de 2015 às 21h40

Miguel,

não faz parte do tema mas é sério.
Você está recebendo propaganda do EMPIRICUS?
Pois quando abro seu Blog aparece propaganda do EMPIRICUS.
Aconteceu o mesmo com o Converasafiada.

Responder

    Mauro

    28 de janeiro de 2015 às 21h40

    Errata: Conversaafiada

    Responder

Gonçalves Inácio

28 de janeiro de 2015 às 23h33

A vaca tossiu que ficou engasgada

Responder

Gonçalves Inácio

28 de janeiro de 2015 às 23h33

A vaca tossiu que ficou engasgada

Responder

Andre Tonon

28 de janeiro de 2015 às 23h00

Dilma, use e abuse da ótima oratória, simpatia e imagem do Mercadante!!!

Esse é o cara pra ser seu porta-voz, não duvide!

Foi o único petista a ameaçar o reinado elitista e conservador de SP.

Vai por mim

Responder

    Charles Neto

    28 de janeiro de 2015 às 22h52

    Ameaçou quando ? Em 2010, quando sequer foi para o segundo turno na disputa pelo governo de São Paulo? Se isso é ameaçar o reinado elitista e conservador de São Paulo eu não sei o significado do verbo ameçar !

    Responder

Thiago Silva

28 de janeiro de 2015 às 22h56

Isso. Muito obrigado!

Responder

Maria

28 de janeiro de 2015 às 20h42

Gosto dela assim mesmo! Acho que eu também não conseguiria me expressar tão bem, diante desses abutres! Collor falava bem e deu no que deu!

Responder

Bernardete Pinto Sá

28 de janeiro de 2015 às 22h35

A presidente precisar ir ao rádio e a TV explicar para a população porque tem de adotar medidas amargas agora no início do governo…o povo aceita com mais paciencia os sacrifícios quando sente verdade nas palavras dos governantes.. E Dilma quem tem de criar um ambiente positivo no país, como o Lula fez durante a crise de 2008. Se a Dilma ficar encastelada , de costas para o povo o seu governo será um retumbante fracasso. A ver

Responder

Leonardo Dayrell

28 de janeiro de 2015 às 22h28

Dilma é liberal gente

Responder

Miguel Do Rosario

28 de janeiro de 2015 às 22h28

Sim, Thiago. Escrevi. Sobre o Enzo Tortora. Procura no google.

Responder

Gerson

28 de janeiro de 2015 às 20h28

Ok. O governo tem que combater as fraudes do seguro-desemprego. Tá certo. Mas por que o governo também não aproveita e vem a público para dizer que ao mesmo tempo que vai combater as fraudes do seguro-desemprego, vai combater as fraudes do outro lado, o lado dos empresários e empresas, que sonegam até centenas de milhões de reais (p. ex. o Globo) ou bilhões de reais (como no caso do Itaú)? Espremer os mais fracos é fácil, quero ver é cobrar dos ricos…e a taxação sobre as grandes fortunas? E falando no governo, onde está o processo que a Pres. Dilma disse que ia mover contra a NãoVeja?

Responder

Baianinha

28 de janeiro de 2015 às 20h23

Sinceramente queria ver o rigorosos críticos da oratória da Dilma lidando com os abutres dos jornalistas atrás de carniça dia sim dia não. De toda forma, o Lula apanhava tanto quanto a Dilma, sapo barbudo etc., e sua performance comunicativa era digna de um motorista de caminhão.

Responder

    Miguel do Rosário

    28 de janeiro de 2015 às 20h30

    Sim, os críticos não saberiam mesmo. Quanto ao Lula, era um motorista de caminhão mesmo, mas dos bons. ;)

    Responder

Miguel Baia Bargas

28 de janeiro de 2015 às 22h04

“Consolidar para avançar.” Lênin é um sábio.

Responder

Pedro Cruz

28 de janeiro de 2015 às 19h59

Com amigo como este, pra que inimigo????

Responder

    Miguel do Rosário

    28 de janeiro de 2015 às 20h30

    Não entendi.

    Responder

Nadya Ramalho

28 de janeiro de 2015 às 21h57

Miguel, você voltou. Que bom!

Responder

Mauricio Gomes

28 de janeiro de 2015 às 19h52

Chega de leniência com essa mídia corrupta, sonegadora, golpista e fascista, que sustenta patifes do calibre de Danilo “chantilly”, “Raquel cheirazêdo”, Arnaldo “pavor”, William “hommer” entre outros. Exigimos o fim do bolsa-PIG, chega de sustentar essa escória que torce e conspira contra o país!

Responder

Osvaldo Ferreira

28 de janeiro de 2015 às 21h39

Mas e a lei de meios?

Responder

Meire Souza

28 de janeiro de 2015 às 21h33

Pensando bem, se Dilma fica na moita, quando ela aparece, todo mundo se cala para ouvi-la e interpretar o discurso; assim, acho que travar a batalha da comunicação deve ficar sim com os ministros e Dilma só deve sair da moita de vez em quando.

Responder

wanildo alves

28 de janeiro de 2015 às 19h16

Caro Miguel do Rosário, talvez aí se constitua uma das grandes virtudes de nossa querida Presidenta, ser autêntica, humana, natural, coisa que nossos políticos (na sua maioria) não sabem exercer. Talvez Lula a tenha escolhido por esses valores e alem de tudo, como bem frisou o Miguel, pela sua honestidade e sua dedicação ao trabalho, atributos estes que faltam no candidato da Oposição.

Responder

Zanália Das Graças Carneiro

28 de janeiro de 2015 às 21h12

Eu continuo tensa.

Responder

Thiago Silva

28 de janeiro de 2015 às 21h08

cara, vc escreveu há um tempo que escreveria sobre um personagem italiano. escreveu?

Responder

Rogério S da Cunha

28 de janeiro de 2015 às 21h06

Cafezinho, não vi a Katia Abreu na foto dos ministros.

Responder

Daniel Menezes

28 de janeiro de 2015 às 20h57

Café, há um deslize no texto, que não o compromete mas merece reparo. A carência do seguro desemprego diz respeito ao tempo trabalhado, não ao tempo entre a demissão e o início do benefício. Falo por experiência própria. O que se impôs é que o trabalhador conte 18 meses de carteira assinada antes de solicitá-lo pela primeira vez; 12 na segunda; e 6 daí em diante. Por que isso? Porque havia quem pedisse para ser demitido para ganhar o seguro, ou empresas que demitiam e ficavam pagando (menos), por fora, enquanto o trabalhador recebia o salário informal e o benefício. Isso deve-se ao padrão de emprego atual (precário e de baixíssima especialização), que faz com que seja fácil e barato substituir um trabalhador desses, especialmente jovens (FgTS baixo, etc) por outro que tope um salário menor. É isso. A medida pode ter um efeito perverso em alguns casos, mas em temos de padrão é positiva. Eu, achava mais justo que o governo criasse um sistema de progressividade do PIS, que financia o Seguro-desemprego, com base na rotatividade da mão-de-obra por setor ou por empresa. Simples: pega-se a RAIS e calcula-se um coeficiente de rotatividade (demissões e admissões já estão lá) e aplica-se ao PIS. Outra ideia que tenho seria tornar a CSLL proporcional a taxa de exploração da mão-de-obra. Quem sabe você não sugere isso no próximo encontro com o LULA. Eu que trabalho na Fazenda Nacional nunca consegui ser ouvido…. abraços

Responder

Ninguém

28 de janeiro de 2015 às 18h51

Miguel, confesso que estou sem ânimo de assistir ao discurso da presidenta. Estou desanimado com esse governo, que está mais pra lá do que pra cá. É difícil defender quem não se ajuda.

Responder

Sandra Francesca de Almeida

28 de janeiro de 2015 às 20h36

Muito bom o conteúdo do discurso, mas a forma é mesmo pouco comunicativa.

Responder

Thiago Nabuco

28 de janeiro de 2015 às 20h17

Que pressa pra ouvi-la. É melhor do que ouvir “Não precisa de racionamento” e depois “Poupem água”.

Responder

Camila Wanderlei

28 de janeiro de 2015 às 20h12

hum … sei …

Responder

Sabrina Marrero

28 de janeiro de 2015 às 20h00

Tb …..globo veja..,estadão..folha….pig ..todo mundo fala por ela…..ou melhor faz o jornalismo imparcial…..,agora deixa ela falar….e o melhor fazer…

Responder

    Luciano Henzel

    28 de janeiro de 2015 às 20h25

    O problema é que ela não fala, ou fala muito pouco dando margem para interpretações distorcidas, e também dando oportunidade para que a midia bandida, lesa-pátria, enfie goela abaixo da nação o que lhes interessa. Todos sabem que esta mídia corrupta jamais se importou com nosso Brasil. Se puderem, em nome da grana arrancam até a alma deste país sem nenhum escrúpulo. Afora isto, todos estamos angustiados para ver acontecer a tal regulação desta midia que parece não sair nunca. Confesso que se ela agilizasse isto, para mim o resto seria tranquilo, pois não precisariamos mais passar este sufoco todo, tendo que desfazer por ela, a presidenta, as maldades que brotam como praga por todos os lados. Elegê-la neste ambiente terrivelmente hostíl por parte de todo o poder econômico e financeiro das grandes corporações, e com a pressão de grandes potências internacionais como os EUA e Comunidade Européia, foi uma luta sem treguas. Agora gostariamos de ter um pouco de tranquilidade, e isto só será possivel se esta regulação acontecer.

    Responder

      daulto bitencourte garcia

      28 de janeiro de 2015 às 19h42

      Não discuto se estão certos os comentários, menos ainda o que escreve o articulista. Só não entendo como um jornalista, por que se tem um blog e escreve diariamente deve ser um jornalista, escreve o português errado só para puxar o saco. Isso é inaceitável. Não existe em nossa língua presidenta, o correto é a presidente

      Responder

    Rogério S da Cunha

    28 de janeiro de 2015 às 21h05

    Ela falou e a vaca tossiu sem parar.

    Responder

    Sabrina Marrero

    28 de janeiro de 2015 às 21h12

    É Luciano como todo ser não temos 100%…..aliás quem vota verifica, mas mais do que falar……é atitude……pq psdb Aécio alckmin….e globo…fala e deixa todo mundo maluco………alckmin…..sem palavras…Aécio desde que foi ao seu cargo de 11 assembléias…..foi em uma …não é um funcionário que seja referência com todo seu histórico………emprego no brasil não é um problema…………agora se todo mundo quer ganhar o melhor salario………aí é diferente….quem conheceu antes…….sabe a diferença………Brasil nao é oásis……mas estado de São Paulo com mais de 20 anos de psdb tá virando saara

    Responder

Deixe um comentário para Baianinha

O Xadrez para Governador do Ceará Lula ou Bolsonaro podem vencer no 1º turno? O Xadrez para Governador de Santa Catarina