A audiência pública sobre a reforma tributária

O choro de Villa é o sorriso de Dilma

Por Miguel do Rosário

07 de abril de 2015 : 14h11

ScreenHunter_5639 Apr. 07 14.09

George Baselitz. Fonte: Artsy.net


 

“Por trás de um homem triste, há sempre uma mulher feliz”, diz a canção de um dos mais ilustres cabos eleitorais de Dilma Rousseff.

A letra de Chico Buarque encaixa-se como luva no desespero de Marco Antonio Villa, historiador ultra-tucano e pau para toda a obra da mídia corporativa.

Desde meados do governo Lula, quando a mídia tentou derrubar o governo transformando o mensalão, um caso vulgar de caixa 2, num escândalo quase metafísico, Villa tornou-se num de seus pitbulls mais constantes. Digamos que ele passou a viver disso. Tornou-se um dos primeiros pistoleiros profissionais na guerra da mídia contra o PT.

O divertido, se é possível falar em diversão numa guerra que põe em risco a estabilidade política de um país com 200 milhões de pessoas, é constatar que os pitbulls levam a sério o trabalho que fazem. Eles vestem a camisa mesmo. Não é a tôa que Merval Pereira, outro pitbull anti-PT, chorou ao vivo, ou chegou bem perto disso, diante das câmeras da Globo, ao anunciar a segunda vitória de Dilma Rousseff, ano passado.

Hoje é o dia de Villa pagar o seu mico federal.

O artigo histérico que publica hoje no Globo, exigindo “renúncia” ou “impeachment”, indica que o golpe começou a fazer água. O nervosismo do historiador reflete essa frustração.

Por que o golpe faz água?

1) Sergio Moro e os procuradores da Lava Jato começam a ser desmoralizados, e por suas próprias trapalhadas. Moro publicou artigo em que pede mudança constitucional, para validar a execução da prisão antes da sentença em trânsito em julgado. Ou seja, prender o cidadão antes que a Justiça analise completamente o processo e decida se ele é realmente culpado. Os procuradores da Lava Jato também já publicaram textos em que defendem abertamente medidas ilegais ou imorais. Primeiro publicaram texto defendendo o uso da prisão como meio de tortura psicológica para convencer réus a fazerem a delação premiada. Depois publicaram outro texto defendendo uso de prova “ilícita”. E agora posaram para a capa da Folha, comparando-se a trupe de Eliot Ness, numa foto que entrará para os anais do ridículo, e que violou o código de ética do Ministério Público, o qual exige impessoalidade no trato com a imprensa.

O artigo de Sergio Moro, pedindo prisão para inocentes, foi rechaçado radicalmente até mesmo por juristas conservadores, como Celso de Mello.

Ficou evidente, para todo mundo, que Sergio Moro e os procuradores da Lava Jato não leram Machado de Assis. Não leram, especialmente, o conto O Alienista, em que um doutor resolve mandar a cidade inteira para o hospício.

Entretanto, Moro não está sozinho. As decisões de negar habeas corpus aos réus, por razões de “ordem pública” tem sido chanceladas por desembargadores do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

O corporativismo judiciário está fazendo política, e isso é perigoso. O lado bom, porém, é que o judiciário rasgou a sua fantasia democrática. E terá que lidar agora com a crítica dura da sociedade, que não quer ser governada por uma ditadura de juízes, sobretudo juízes que não são melhores que ninguém em termos de ética ou moral.

2) A deflagração da Operação Zelotes dá a chance, para o governo, de mudar completamente a narrativa midiática sobre a luta contra a corrupção no Brasil. O governo federal pode voltar a ser o mocinho da história, se souber lidar com o tema com um mínimo de inteligência em matéria de comunicação.

Afinal, agora está claro que a luta contra a corrupção só é real, só é objetiva, se os órgãos de fiscalização, como a Polícia Federal e o Ministério Público, investigam o governo e os partidos governistas. É o que está acontecendo. É o que não acontecia antes.

A PF antes era inútil. Não investigava nada, sobretudo graúdos da política e do empresariado. De vez em quando, só para o povo não esquecer que ela existia, aparecia no Jornal Nacional queimando algumas toneladas de maconha velha, que os traficantes entregavam justamente para que a polícia fingisse trabalhar.

O Ministério Público também investigava muito pouco. E quando investigava não ia adiante. A razão era o velho patrimonialismo. A classe política tinha relações históricas com o Ministério Público. Eram primos, compadres, amigos.

Hoje não.

Hoje os procuradores não tem mais intimidade com a cúpula no poder. Ao contrário, alimentam ódio político contra os boias-frias do PT que ocupam os altos escalões da república.

Esse ódio, se controlado, produz uma energia investigativa rara entre os procuradores, quando se trata de combater a corrupção na política.

Quando exagerado, porém, o ódio pode se transformar em perseguição e leva alguns procuradores a participarem de conspiratas políticas, em conluio com a oposição e a imprensa.

Mas como eu dizia, a operação Zelotes e a CPI do Suiçalão, consolidam outra narrativa, a de que o governo Dilma combate efetivamente a corrupção.

3) A terceira razão para o esvaziamento do golpe é o bom senso dos agentes econômicos. Os grandes bancos brasileiros não vão se suicidar apenas para a mídia dar seu golpe baixo contra o governo. O Bradesco acaba de renovar o crédito da 7 Brasil, uma das fornecedoras mais importantes da Petrobrás, que andou perigando. A China entrou ajudando a Petrobrás, emprestando-lhe mais de R$ 11 bilhões, a juros amigos, permitindo à estatal respirar fundo. As ações da Petrobrás voltaram a se valorizar, de maneira bastante sólida. O preço do petróleo aumentou, apesar da retirada das sanções ao Irã, por causa da decisão de fornecedores árabes de vender mais caro à China.

4) Por fim, o fator tempo ajuda o governo Dilma. A mídia tenta vergá-lo através da estratégia do “choque e terror”, inventando um novo escândalo terrível todo dia, tentando mantê-lo acuado, paralisado. Entretanto, conforme os dias passam, o governo continua lá, os agentes políticos vão se adaptando às novas circunstâncias. O ser humano se adapta a tudo, até mesmo à crise, que vai se tornando uma coisa normal. As pessoas querem trabalhar, e os empresários começam a refletir sobre os riscos de criar uma convulsão política no país, apenas para satisfazer os anseios de uma mídia golpista e de hidrófobos que defendem até mesmo uma intervenção militar.

Cada dia que passa, e Dilma continua lá, ela ganha força, até mesmo porque vai aprendendo com os erros, e foram muitos os erros do governo.

5) O PT continua cometendo inúmeros erros. Os recentes textos chorosos, autopiedosos, falando em perseguição ao partido, foram apenas a última derrapada, mas a legenda tem mergulhado numa reflexão profunda sobre si mesmo, sobre a necessidade de buscar forças na sua base social.

6) Outro motivo para esvaziamento do golpe é a desmoralização da oposição política. A briga sangrenta entre Demóstenes Torres e Ronaldo Caiado, que respingou em Agripino Maia, revelou de maneira cristalina a hipocrisia de setores da oposição quando se arvoram em paladinos da ética. O Suiçalão (contas secretas na Suíça) trouxe nomes dos barões da mídia, colunistas e ricaços paneleiros, que não pagam impostos e, portanto, são criminosos.

O constrangimento da imprensa, que não produz infográficos, não inventa apelidos, não abre seções especiais, na cobertura da Operação Zelotes e da CPI do Suiçalão, também a desmascarou, tanto que a própria Ombudsman da Folha, Vera Magalhães, admitiu que o jornal não deu destaque à Zelotes.

A Zelotes, é bom lembrar, lida com desvios de verba pública dezenas de vezes superior àqueles verificados na operação Lava Jato, e não traz nenhum risco de desemprego em massa no país.

Os responsáveis pela Zelotes, além disso, não estão prendendo empresários indiscriminadamente, à espera que eles “delatem” outros esquemas. Ao contrário da Lava Jato, a operação Zelotes tem sido conduzida com prudência e respeito à lei.

7) Um artigo publicado hoje do ex-ministro do STJ, Gilson Dipp, no qual desqualifica as delações de Alberto Youssef, traz um forte prejuízo para a operação Lava Jato. Dipp diz o óbvio: Youssef foi beneficiado antes por delação premiada e não respeitou a Justiça, voltando a cometer crimes. Qual o sentido de lhe dar, novamente, esse benefício?

8) O advogado Nelio Machado dá entrevista, ao Espaço Público Brasil, em que critica duramente o juiz Sergio Moro. Machado lembra que Moro louva os juízes da Operação Mãos Limpas, na Itália, esquecendo, porém, que não eram propriamente juízes, mas juízes de instrução, condição similar ao procurador brasileiro. Ou seja, Moro se identifica, qual Joaquim Barbosa, apenas com a acusação. Esses juízes de instrução não julgam ninguém, apenas apuram os fatos. Machado lembra ainda que a Operação Mãos Limpas produziu milhares de prisões arbitrárias, e abusou indecentemente da delação premiada, de vazamentos seletivos, etc. Machado pede o impedimento de Moro dizendo que se trata de um juiz comprometido politicamente, que não respeita as garantias individuais devidas aos réus, é leniente ou mesmo cúmplice com vazamentos seletivos, e se mostrou aliado à mídia de oposição. O advogado usa o mesmo argumento de Dipp, que é essa estranha decisão de Moro de conceder uma segunda delação premiada a um réu que não honrou a primeira. Lembra ainda que as delações dos empresários, em condições carcerárias desumanas, com ameaças inclusive a seus familiares, violam a lei da delação, que exige a voluntariedade do depoimento.

*

Os riscos à democracia permanecem grandes, mas menores do que antes. A mídia agora deve usar todas as suas forças para promover o dia 12 de abril, porque será a sua última chance de criar um clima para o impeachment. Ao fazê-lo, porém, a mídia se expõe ainda mais, e isso também é um risco.

Setores importantes e crescentes da opinião pública estão consolidando uma percepção sobre o papel nocivo que a imprensa passou a desempenhar em nossa democracia.

A aprovação de Dilma caiu, mas uma boa parte desta impopularidade advém do próprio eleitorado dilmista, insatisfeito com a passividade política do governo, que não reage a seus adversários, e não sabe dialogar com sua própria base social.

Se há necessidade de ajuste fiscal, faça-se o maldito ajuste fiscal, mas sem transformar isso na única bandeira de governo!

Que se compense o ajuste fiscal com iniciativas ousadas fora do campo da macro-economia.

Faça-se alguma coisa pelos índios, pela reforma agrária, pela comunicação, pela cultura, pela política externa!

Os alertas do líder do MTST, Guilherme Boulos, são verdadeiros. Os movimentos sociais terão dificulade para defender Dilma do exército de lobotomizados que a direita tem levado às ruas, inclusive com dinheiro internacional, se o governo não oferecer uma plataforma política que a sua base possa defender.

Essa plataforma política tem de ser vista, tem de ir para a TV, para o rádio, para as redes sociais. Tem de estar na ponta da língua da presidenta.

De qualquer forma, a comunicação da presidenta melhorou sensivelmente. Dilma está falando mais. Todo dia aparece nos telejornais, dando entrevistas ou se posicionando.

A entrada de Janine Ribeiro no ministério da Educação oxigenou maravilhosamente a imagem do governo, e o ingresso de Edinho Silva na Secom trouxe esperanças de uma comunicação mais criativa.

O maior perigo vem das conspiratas judiciais, desse conluio entre tortura psicológica de réus, conduzida por um juiz e procuradores, embriagados pelos holofotes da Globo e apupos de uma opinião pública manipulada, e uma imprensa decadente, disposta a correr todos os riscos para garantir a sua sobrevivência.

Se o governo fizer uma marcação inteligente contra os desmandos judiciais por trás da Lava Jato, evitando tanto a sabotagem da economia quanto a construção de mais uma série de factoides midiáticos contra o PT, poderá virar o Cabo das Tormentas e começar, enfim, a governar.

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

58 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Renato

11 de abril de 2015 às 11h01

Miguel até entendo a sua paixão pelo governo atual e a PTralhada… Mas se referir ao mensalão como um caso vulgar de caixa 2 fica feio né? Este tipo de situação no blog não é nova e mais uma vez tenta-se fazer valer a triste máxima: mentira repetida… vira verdade. Será??? Lamentável!!!

Responder

    Miguel do Rosário

    11 de abril de 2015 às 16h17

    Ué, e não foi isso? Um caso vulgar de caixa 2?

    Responder

Debora Grimaldi

09 de abril de 2015 às 02h49

Caiu em descredito total comigo depois que o vi no roda viva mostrando uma grande incapacidadw pra debater os assuntos de forma consistente, apoiado por argumentos que a sua formação deveria lhe ter proporcionado. Em resumo, é esquerdopata

Responder

Andre S

08 de abril de 2015 às 19h07

Os ministérios, e Dilma, tem que usar essa bela ferramenta de comunicação chamada Hongouts

Responder

surreal

08 de abril de 2015 às 12h05

EXISTE UMA GUERRA COMERCIAL CONTRA O BRASIL, COM AJUDA DE POLÍTICOS TRAIDORES E ENTREGUISTAS, O BRASIL POSSUI MUITOS RECURSOS NATURAIS E ESTRATÉGICOS, COMO POR EX. ENORMES RESERVAS DE PETRÓLEO E ESSE MANIFESTO VEM SE REPETINDO A MAIS DE UM ANO:
O POVO QUER SABER… SE NÃO QUEREM OU NÃO PODEM CHEGAR NOS VERDADEIROS MAFIOSOS TUCANALHAS, CORRUPTOS SECULARES E NA MÍDIA MÁFIA ANTI-NACIONAL, VERDADEIROS LESA PÁTRIA, QUALQUER OPERAÇÃO DA PF MP E STF CONTRA A CORRUPÇÃO SERÁ APENAS OPERAÇÃO POLÍTICA COVARDE DESTRUIDORA DE NOSSO POVO, PORQUE DESSA FORMA A JUSTIÇA CONTINUARÁ SENDO UMA BALANÇA MUITO DESEQUILIBRADA. O POVO QUER SABER… E OS MAFIOSOS CORRUPTOS TUCANALHAS SOLTOS??? SOLTOS DE INÚMERAS CPIS. ATÉ QUANDO??? ATÉ QUANDO OS CORRUPTOS TUCANALHAS VÃO CONTINUAR SENDO BLINDADOS PELOS JUÍZES E MÍDIA CÚMPLICE MERCENÁRIA SONEGADORA DE IMPOSTOS??? O POVO QUER SABER. ATÉ QUANDO??? OU ATÉ QUANTO??? OU MUITAS EMPRESAS, POLÍTICOS, O POVO BRASILEIRO E A DEMOCRACIA VÃO PAGAR AS PENAS, MENOS O LÍDER DAS CORRUPÇÕES: O PSDB E SEUS PROTEGIDOS? E ATÉ QUANDO A MÍDIA CRIADORA DE CAOS E SONEGADORA VAI TRAIR O BRASIL E CONTINUAR IMPUNE???
http://caixadoistucanodefurnas.blogspot.com.br/
http://www.juniorpentecoste.com.br/2014/07/quem-e-o-lider-da-corrupcao.html

Responder

    Miguel do Rosário

    08 de abril de 2015 às 12h07

    calma, cara. para de repetir comentário.

    Responder

    Valdir Severino

    10 de abril de 2015 às 19h23

    Pelo jeito tomaram sua mamadeira, estava mamando nas tetas do governo hein!..

    Responder

      Miguel do Rosário

      10 de abril de 2015 às 19h30

      falou o neném.

      Responder

Vitor Lara

08 de abril de 2015 às 10h29

Miguel, o texto como de costume está ótimo. Só uma pequena correção, embora cantada por Chico Buarque no disco Sinal Fechado, essa música não é do Chico. Nesse disco só ha uma música do Chico, mas que ele assinou com o pseudônimo Juninho da Adelaide.

Responder

    Miguel do Rosário

    08 de abril de 2015 às 11h05

    Não é dele? Ok, mas foi gravada e imortalizada por ele.

    Responder

      Luís CPPrudente

      08 de abril de 2015 às 11h24

      Juninho da Adelaide foi um pseudônimo de Chico Buarque para ludibriar a censura que impedia Chico Buarque de divulgar as suas músicas.

      Responder

        Péricles de Tucídides

        08 de abril de 2015 às 23h58

        Mas não é Juninho pessoal, é Julinho.

        Responder

      Vitor Lara

      08 de abril de 2015 às 17h32

      Oi Miguel, descuido meu. É dele sim, confusão minha!

      Responder

a vida como ela é

08 de abril de 2015 às 08h23

Miguel, ” Mensalão um caso vulgar de caixa dois”. Parei por aí, com um inicio como este, dá para imaginar como vai ser o resto do post.

Responder

Luiza

08 de abril de 2015 às 07h48

Miguel, nesse post voce se superou. A sua inteligencia a gente ve, de cara, na “ilustraçao-morcego”, que ilustra bem a identidade das personagens dessa guerra suja. As arelhas estao bem caracterizadas e caem muito bem.

É que as vezes, precisamos ver as coisas de cabeça para baixo para captarmos melhor a realidade.
Mais uma vez, parabéns !!!!

Responder

helio

08 de abril de 2015 às 07h47

Miguel,por ser democrata não peço nem para meus filhos(as) votarem nesse ou naquele.Confesso que às vezes fico com raiva com as escolhas,mas a raiva passa.Nessa Torre de Babel política que é minha família tenho dois genros militantes coxinhas,são micro empresários,daqueles que compram o Kit anti-Dilma por R$ 200,00.Domingo aqui em casa o assunto
era a crise,que ainda não chegou no caixa deles, e acreditar ou não na Globo.Como eles acreditam piamente e não aceitam nenhum argumento fui até o computador e bolei a mensagem:”Não gaste,não compre,não consuma.Poupe aos extremos,pois conforme a Rede Globo,nosso País está quebrado.” Voltei à sala e disse que seria meu mote de agora em diante.Ficaram putos,aí você fode os comerciantes!! Mas Globo não é verdadeira?

Responder

    zegomes

    08 de abril de 2015 às 10h34

    Boa!!!

    Responder

helio

08 de abril de 2015 às 07h14

SÉRGIO MORO(PSDB),é isento sim…

Responder

Duilio Monroy

08 de abril de 2015 às 08h33

Joao S. Orban, Regina Toscano, Artur Obino Neto, Armando Almirante Frid, Sergio Rosa,

Responder

eu vejo pessoas mortas

08 de abril de 2015 às 01h00

Petralhas , entendam o seguinte:
O PMDB vai cozinhar a Dilma fritando ela na frigideira até completar dois anos de governo fazendo um parlamentarismo Branco! Depois de dois anos da Dilma cozinhando vem o impeachmente para o Temer poder assumir o poder! Simples assim seus burros!!!!!!!!!!

Responder

    Miguel do Rosário

    08 de abril de 2015 às 01h53

    pode ser, mas nao esta feliz com isso?

    Responder

    Luiz

    08 de abril de 2015 às 13h55

    Simples apenas por ser uma visão simplista. Em primeiro lugar o PMDB é tudo menos um partido unificado, é antes um partido de muitas lideranças independentes, o PMDB do Sarney não é o mesmo do Cunha. O PMDB é o maior partido do Brasil, acha que se quisesse a presidência não teria condições de lançar candidatura própria? Segundo lugar como Maurice Duverger já demonstrou quanto mais o legislativo for oposto ao executivo, mais acentuada é a divisão de poderes, portanto uma característica essencialmente de um regime presidencialista e não parlamentarista. Quando o Obama perdeu a maioria no Congresso para o Partido Republicano ninguém chamou o regime de parlamentarismo branco. Terceiro lugar Impeachment não é festa, as condições de para realiza-lo precisam ser rígidas caso contrario o sistema não teria estabilidade.

    Responder

eu vejo pessoas mortas

08 de abril de 2015 às 00h34

O PT acaba de entregar o poder ao pmdb do Temer, e rí feito uma hiena tonta diante de um bando de leões! São burros ou são inocentes????????????
Dilma ficou a deriva e larga tudo na mão do Temer que já jogava o xadrez com Cunha e Renan para fazer o que eles queriam!!!!!!Dilma éuma abestalhada e Lula acha que jogando conta Dilma e o PMDB vai voltar como o salvador da paria em 2018 diretamente de seu túmulo!

Responder

    Miguel do Rosário

    08 de abril de 2015 às 01h56

    poder é muito mais que um ministerio. poder é midia, judiciario, legislativo, cultura, dinheiro, executivo, nao necessariamente nessa ordem

    Responder

renato

07 de abril de 2015 às 23h17

Que matéria linda esta..
Animadora para o Brasil.
Fomos ao paredão varias vezes,
mas vamos levar o premio…
Por que?
Porque o POVÂO não nasceu ontem
tem mémoria RAM…

Responder

Fernando Moreno

07 de abril de 2015 às 22h39

Sensacional Miguel. Parabéns.

Responder

marco

07 de abril de 2015 às 22h11

*Uma curiosidade!Gostaria de saber dos editores do blog,o por que não PUBLICIZAM comentários que se faz,não com o espirito de contradize-los,senão para submeter a outros internautas,múltiplas visões que se possa ter ao respeito de quelquer assunto.Somente publicizar,entendem?Não é publicar e fazer propaganda minha,pois não sou candidato a nada,senão um eleitor a mais.

Responder

    Luís CPPrudente

    07 de abril de 2015 às 22h57

    Esse marco é o mesmo pilantra, o mesmo fascista, o mesmo amante nazista que escreveu no Blog da Cidadania, dizendo que espancaria petistas?

    É sério mesmo o que você diz, seu verme, demente? Você tem que adorar Hitler é na cadeia.

    Responder

      Luís CPPrudente

      07 de abril de 2015 às 23h05

      “Logo estaremos nas ruas de novo, e se qualquer petista for avistado, será imediatamente espancado até a morte, portanto petistas mantenham-se longe das ruas nas próximos manifestações o morto poderá ser você.
      88” (by marcos) postado às 13:15 de hoje no post De um lado a direita hidrofoba de outro a esquerda desmiolada.
      Aqui esse marco está sem o s, mas é o mesmo marco que escreve o nome em minúsculo.

      Responder

Ana Regina Pinheiro

08 de abril de 2015 às 00h45

Chora Villa!

Responder

Luís CPPrudente

07 de abril de 2015 às 21h35

O achacador presidente da Câmara dos Deputados, o que quer destruir os direitos trabalhistas, o que pretende desqualificar os salários dos trabalhadores, é tão igual ao dr. Moro e ao Aecioporto Never.

Responder

Luiz Fernando Salomon Pinto

08 de abril de 2015 às 00h34

O PT é uma criança mimada…

Responder

eu vejo pessoas mortas

07 de abril de 2015 às 21h32

Em extensa reportagem publicada no dia 03 de março de 2013, a Folha de São Paulo tratou da “eleição” em andamento, na época, do grão-mestre geral do Grande Oriente do Brasil (GOB), o maior ramo da maçonaria brasileira.

A matéria destacou que entre os 40 mil maçons do GOB estão muitos políticos influentes, incluindo senadores e deputados. O mais ilustre deles, destacou a reportagem da Folha, é o atual vice-presidente da República, Michel Temer. Confira:

Entre os notáveis sempre louvados estão figuras como José Bonifácio, Patriarca da Independência e primeiro grão-mestre da instituição, Dom Pedro I, Rui Barbosa, Marechal Deodoro da Fonseca e Joaquim Nabuco. Hoje o mais ilustre é o vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB).

Além da reportagem publicada no jornal impresso, a Folha disponibilizou na TV Folha um vídeo com depoimentos de maçons. Mais uma vez, o vice de Dilma foi confirmado como maçom.

Marcos José da Silva, então grão-mestre geral do Grande Oriente do Brasil, destacou os nomes de maçons famosos na História e completou:

Não falemos em Michel Temer, talvez ele fique aborrecido por causa disso.

Ou seja, o grão-mestre da GOB admitiu que o vice de Dilma é maçom, mas que ele talvez ficasse aborrecido com a confirmação pública do fato na Folha de São Paulo.

Responder

Luís CPPrudente

07 de abril de 2015 às 21h23

O dr. Moro é uma pessoa tão honesta quanto é honesto o Aecioporto Never. O dr. Moro é tão honesto quanto a famiglia Marinho e famiglia Frias (que escondem os seus rabos cumpridos da lista do HSBC).

O dr. Moro é tão honesto quanto a raposa que cuida do galinheiro.

Responder

Miguel Henrique Gelin

08 de abril de 2015 às 00h13

dá dó da comunicacao do atual governo…. just saying….

Responder

geraldo rodrigues

07 de abril de 2015 às 20h51

muinto boa sua conclusão,é isto que está faltando para um ponto final nisso.

Responder

Elisabete Jardelino

07 de abril de 2015 às 23h42

Carolina Melo Sodré Laercio Cfreitas Afranio Santos Afranio

Responder

Leleco

07 de abril de 2015 às 20h04

Incluiria outro item : A comprovação da farsa do ” choque de gestão ” do ” machão do Leblon ” , que por pouco não eletrocutou os mineiros ( ver em http://jornalggn.com.br/noticia/pimentel-derruba-o-veu-do-choque-de-gestao-tucano-em-minas-gerais ).

Responder

Ilson Napoleão

07 de abril de 2015 às 22h54

Naturalmente Chico!

Responder

Gicela Machado Oliveira Brasil

07 de abril de 2015 às 22h47

sólida, sóbria e pertinentíssima análise. parabéns !!!

Responder

Grace Diniz

07 de abril de 2015 às 22h35

Parabéns aos bons jornalistas! Aos ruins “beijinho no ombro” e “to nem aí”…

Responder

Professor Jorge Câmara

07 de abril de 2015 às 18h26

Artigo muito bom. Parabéns, Miguel Rosário. A cada dia fico mais feliz em ver que o diabo veste mesmo é Prada…

Responder

Mazinho Andrade

07 de abril de 2015 às 20h56

Estamos esperando pra ver o Gerdau e o Steinbruch algemados.

Responder

    Vitor

    08 de abril de 2015 às 18h29

    Vai sonhando…

    Responder

Sonia Bastos

07 de abril de 2015 às 20h51

Parabéns, Miguel Do Rosario, por esta nobre profissão!!!

Responder

Messias Franca de Macedo

07 de abril de 2015 às 17h34

… Até o Alexandre Garcia “da Globo” *reconheceu que as acusações ao Lulinha são demonstrações de atos de vandalismos e irresponsabilidades que pululam na internet…
No comentário de hoje do ‘Mau Dia Brasil’ do rádio, ao abordar a notícia de que o filho do presidente Lula ingressou com uma ação contra um prefeito Tucano – crime de injúria e difamação…
Porém, “isso não vem a o caso”, porque a boataria já virou, praticamente, consenso – chancelado pelo PIG, óbvio!

Responder

Cleusa Faria

07 de abril de 2015 às 20h22

Análise perfeita!! Paciência é a chave agora…

Responder

Maria Lúcia Cintra Borges

07 de abril de 2015 às 20h16

Muito bom, vamos ver se saimos desse horror que a mídia nos coloca.

Responder

Artuncio

07 de abril de 2015 às 16h59

Pô, vocês também lêm cada um (Vila, Demétrio, Merval,Reinaldo… enfim), depois querem passar como intelectuais. Pela linha de fundo! Vocês têm que parar de dar importância (que não têm) a determinados “estafetas de redação”.

Responder

Osvaldo Alencar

07 de abril de 2015 às 17h58

Complementando: …uma mulher feliz E atrás dessa mulher mil homens, sempre tão gentis

Responder

Keila Zeferino

07 de abril de 2015 às 17h57

Análise correta e necessária num momento onde a brutalidade parece não ter fim, parabéns

Responder

Norma Gerusa da Silva Mota

07 de abril de 2015 às 14h56

Texto excelente. Como sempre o Cafezinho diz tudo que eu gostaria de dizer. Obrigada.

Responder

Chapiro

07 de abril de 2015 às 14h51

Muito bom, Miguel. Faltou apenas falar sobre a dificuldade de começar a governar efetivamente tendo ao seu lado do P(roblema) M(aior) D(o) B(rasil).
Um abraço.

Responder

Maria Cristina Sette

07 de abril de 2015 às 17h40

O choro é livre!!

Responder

Ana Luiza Fitz

07 de abril de 2015 às 17h40

Excelente texto Miguel.

Responder

Maria Lucia Gonçalves

07 de abril de 2015 às 14h38

Ufa , enfim um artigo que me fez respirar melhor . Eta cafezinho bom.

Responder

Rossana Acce

07 de abril de 2015 às 17h33

Parabéns pela análise

Responder

Deixe uma resposta