Comentários sobre o áudio vazado de André Esteves (BTG Pactual)

Jurista alerta para fascismo da imprensa brasileira

Por Miguel do Rosário

30 de junho de 2015 : 14h28

“Estamos a caminho de um verdadeiro fascismo”, alerta Bandeira de Mello

Jurista critica força conservadora e diz que nunca se combateu corrupção como agora

No Jornal do Brasil

Ninguém gosta de corrupção, destaca o jurista Celso Antônio Bandeira de Mello. O escândalo criado com esta prática, contudo, travestida de novidade, é preocupante. Para Bandeira de Mello, estamos a caminho do verdadeiro fascismo, impulsionado pela chamada grande imprensa. Em conversa com o JB por telefone nesta segunda-feira (29), ele lembra que a corrupção nunca foi tão combatida neste país como agora, e que foi durante o governo de Fernando Henrique Cardoso que as estatais ganharam uma “autonomia sem sentido”, como um “alô aos corruptos e corruptores”. Em 1997, o governo editou a Lei n° 9.478/1997, que autorizou a Petrobras a se submeter ao regime de licitação simplificado.

“Está havendo um abuso em matéria de delação premiada, estão achando que isso é a salvação do mundo. Não é. Ninguém gosta de corrupção, não há quem goste. Eu detesto a corrupção”, comentou Bandeira de Mello, resgatando a ocasião em que apontou que estavam “entregando o galinheiro aos cuidados da raposa”, com a flexibilização da lei das licitações, durante o governo FHC.

De acordo com o jurista, o fato da corrupção estar sendo tratado como uma novidade escandalosa decorre do momento político. “A presidenta [Dilma Rousseff] ganhou as eleições e desgostou um segmento da sociedade grande, que são as forças conservadoras, e essas forças conservadoras controlam a imprensa. Então, a imprensa tem feito um grande escândalo, como se a corrupção tivesse começado no governo do PT. Não é verdade. Corrupção sempre teve, e nunca se combateu tanto a corrupção como agora.”

Em matéria publicada nesta segunda-feira na Folha de S. Paulo, Bandeira de Mello critica a Operação Lava Jato. “Eu critiquei (a Operação Lava Jato) a maneira de prender [os investigados] sem mais nem menos, vai prendendo. O que é isso?, Não é assim. Delação premiada não é isso”, explicou ao JB.

“Nós estamos, eu disse isso na entrevista que eu dei para a Folha, a caminho do verdadeiro fascismo, impulsionado pela imprensa, pela chamada grande imprensa, que é meia dúzia de proprietários dos meios de comunicação. Infelizmente, isso é verdade, eu digo isso com grande desgosto, mas é verdade.”

Para o jurista, esse fascismo se revela no desconhecimento do direito de garantias fundamentais que a humanidade levou séculos para obter. “E agora, a pessoa acha que prender corrupto ou supostamente corrupto é bom, pode fazer do jeito que quiser. Esse juiz gosta muito de mandar prender”, disse, completando que isto alimenta a demanda pelo espetáculo midiático. “O que agrada é pão e circo.”

Bandeira de Mello também reforçou sua análise de que, colocada a Olimpíada de 2016 no Rio em evidência, essa tendência à espetacularização deve esfriar. “A imprensa, esse segmento da imprensa, ela aproveita tudo aquilo que provoca o escândalo. (…) Quando alguém diz ‘olha, não é assim’, ela diz ‘mas não fui eu que inventei, isso aconteceu, eu estou só noticiando’. Se nós formos adotar como uma desculpa para todo tipo de notícia isso, a humanidade não teria progredido”, analisou Bandeira, completando que alguns poderiam responder a sua análise o acusando de ser a favor da corrupção ou de ter petista: “Mas eu também não me incomodo, eu não espero outro comportamento.”

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

47 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Nelson Roberto

01 de julho de 2015 às 16h40

O Fascismo bate a nossa porta, desdenha do Direito, da Cidadania e da Justiça!!!

Responder

Eduardo Pavan Margarido

01 de julho de 2015 às 16h35

Dante A. Douglas Sérgio Danilo Ricardo Claudio Nassif

Responder

Romualdo Wilson Romualdo

01 de julho de 2015 às 15h49

Hipocrisia pura e tem cor bico grande e mais dois canalhas juntos.

Responder

Márcio Sampaio Pinheiro

01 de julho de 2015 às 14h44

Mas não era a justiça que era “facista”?!

Responder

Nilton Marchi

01 de julho de 2015 às 13h49

Jurista lúcido e sensato

Responder

Leonardo Duarte Netto

01 de julho de 2015 às 00h36

Sao palavras dela… Da presidente do PT. Nao foi a veja, ou qualquer outro mito de imprensa que vcs queiram criar.

Responder

Leonardo Duarte Netto

01 de julho de 2015 às 00h36

Sao palavras dela… Da presidente do PT. Nao foi a veja, ou qualquer outro mito de imprensa que vcs queiram criar.

Responder

Luís CPPrudente

30 de junho de 2015 às 20h23

É necessário que o Governo Dilma pare de dar dinheiro público, através das propagandas do governo e estatais, para as organizações mafiosas do PIG, pois são estas organizações mafiosas que estão promovendo o ódio, o racismo, a violência com as próprias mãos e o fascismo.

É necessário que o Governo Dilma promova a diversidade nos meios de comunicação, para isto tem que colocar em pauta o Marco Regulatório e medidas que ajudem no desenvolvimento de meios de comunicação que buscam a diversidade cultural e regional do Brasil.

Responder

Patricio Lira

30 de junho de 2015 às 21h50

FAÇO MINHAS AS PALAVRAS DO JURISTA CELSO ANTONIO BANDEIRA DE MELLO, “NINGUEM GOSTA DE CORRUPÇAO E NUNCA SE COMBATEU TANTO NESTE PAIS”

Responder

Patricio Lira

30 de junho de 2015 às 21h50

FAÇO MINHAS AS PALAVRAS DO JURISTA CELSO ANTONIO BANDEIRA DE MELLO, “NINGUEM GOSTA DE CORRUPÇAO E NUNCA SE COMBATEU TANTO NESTE PAIS”

Responder

Fatima Campos

30 de junho de 2015 às 21h34

No último sábado (27), este Blog divulgou que o líder da oposição ao governo Dilma Rousseff, Aécio Neves, recebeu da empreiteira UTC, de Ricardo Pessoa, R$ 1,2 milhão a mais do que a adversária, a quem o tucano e a imprensa que o apoia atribuem chantagem contra esse empreiteiro para que fizesse doações eleitorais ao PT e à campanha à reeleição.

Enquanto Dilma recebeu R$ 7,5 mi da UTC, Aécio recebeu R$ 8,7 mi.

Aécio esteve em Parintins, no Amazonas, onde participou de festividade local chamada “festa do boi”. Ao embarcar de volta, o tucano deu uma declaração no mínimo espantosa ao ser inquirido pela imprensa sobre a notícia de que recebeu mais doações da UTC do que a adversária, apesar de esta estar sendo acusada de sua campanha ter coagido o dono dessa empresa a lhe fazer doações.

Segundo Aécio, pouco importam os milhões que recebeu da empreiteira porque “Tudo que tinha pra dar à UTC era alforria”, ou seja, libertação do jugo do “malvado” PT.

Antes de prosseguir pelo labirinto retórico tucano, analisemos alguns dados sobre a campanha eleitoral de 2014.

Para quem não sabe, os grupos empresariais citados na Operação Lava-Jato, juntos, fizeram doações eleitorais a partidos no valor de espantosos R$ 484,4 milhões. Isso mesmo, meio bilhão de reais.

Os partidos mais contemplados por essas doações foram PT, PSDB, PMDB e DEM (este último, de forma espantosa porque tem pouquíssima representatividade, atualmente). Entre as empresas doadoras, a UTC, que doou a esses partidos, segundo o TSE, R$ 52,7 milhões.

A tese de Aécio, é a seguinte: se a UTC não tivesse sido pressionada pelo PT, não teria feito doações ao partido. Teria doado a todos os partidos, menos ao PT. Assim, a empresa de Ricardo Pessoa diferiria de todas as outras grandes empresas que doaram ao PT e aos outros partidos citados e que não acusaram a campanha de Dilma de tê-los pressionado.

A UTC, segundo Aécio Neves, apesar de prestar serviços para vários governos tucanos, não tem interesse algum em doar a tucanos. Doa por amor – à democracia e à “social democracia” tucana.

A declaração de Aécio de que “nada tinha a dar” à UTC é espantosa. Uma afronta aos fatos, à lógica e à própria sociedade brasileira. Isso se torna mais evidente quando se analisa o fato de que empresas investigadas por cartel no Metrô de São Paulo, que vicejou durante duas décadas sob o olhar “desatento” da tucanada local, bancaram 56% da campanha de Geraldo Alckmin à reeleição.

Adivinhe, agora, leitor, quem é uma das empresas que bancaram metade dos custos da reeleição do “desinteressado” governador tucano? Se você marcou UTC, do mesmo Ricardo Pessoa, acertou na mosca.

Claro que, pela lógica safada, sem-vergonha, cara-de-pau, o PSDB nada tinha a oferecer à UTC – além, é claro, de polpudos contratos pelo país todo, nas diversas administrações estaduais e municipais que utilizam os serviços das empreiteiras. Isso sem falar que a mesma UTC tinha expectativa de que o PSDB vencesse as eleições nas Minas Gerais de Aécio.

Mas o que a “lógica” aecista contempla ainda menos, é o seguinte: se o PT tinha todo esse poder de pressão sobre a UTC, por que aceitou que a empreiteira doasse mais a Aécio do que a Dilma. E por que não exigiu, inclusive, que não doasse nada aos adversários? E mais: por que todas as outras empresas não acusam o PT de tê-las pressionado a doar?

Essa acusação de que Dilma, seu partido e sua campanha teriam extorquido o dono da UTC foi, inclusive,desmentida por ele, segundo a coluna Painel, da Folha de São Paulo. Trata-se de uma versão da imprensa sobre supostos desdobramentos da já dita Operação Vaza-Jato, da qual só se tem notícia quando surge alguma acusação ao PT.

O que está acontecendo neste país é um escândalo. Há um golpe de Estado “branco” ocorrendo em capítulos. Uma investigação sigilosa sofre vazamentos de informações seletivas o tempo todo e as autoridades que investigam não tomam providência. Mentiras são “vazadas’ e não são desmentidas.

Enquanto a esquerda caviar se masturba contra o “ajuste fiscal” – cuja necessidade nenhum economista sério ignora -, a democracia brasileira vai sendo feita em picadinho. Mais uma vez, a exemplo do que ocorreu tantas vezes na história, a esquerda fica assistindo de camarote a democracia ser estuprada enquanto se droga com dogmas e palavras de ordem.

Responder

Fatima Campos

30 de junho de 2015 às 21h34

No último sábado (27), este Blog divulgou que o líder da oposição ao governo Dilma Rousseff, Aécio Neves, recebeu da empreiteira UTC, de Ricardo Pessoa, R$ 1,2 milhão a mais do que a adversária, a quem o tucano e a imprensa que o apoia atribuem chantagem contra esse empreiteiro para que fizesse doações eleitorais ao PT e à campanha à reeleição.

Enquanto Dilma recebeu R$ 7,5 mi da UTC, Aécio recebeu R$ 8,7 mi.

Aécio esteve em Parintins, no Amazonas, onde participou de festividade local chamada “festa do boi”. Ao embarcar de volta, o tucano deu uma declaração no mínimo espantosa ao ser inquirido pela imprensa sobre a notícia de que recebeu mais doações da UTC do que a adversária, apesar de esta estar sendo acusada de sua campanha ter coagido o dono dessa empresa a lhe fazer doações.

Segundo Aécio, pouco importam os milhões que recebeu da empreiteira porque “Tudo que tinha pra dar à UTC era alforria”, ou seja, libertação do jugo do “malvado” PT.

Antes de prosseguir pelo labirinto retórico tucano, analisemos alguns dados sobre a campanha eleitoral de 2014.

Para quem não sabe, os grupos empresariais citados na Operação Lava-Jato, juntos, fizeram doações eleitorais a partidos no valor de espantosos R$ 484,4 milhões. Isso mesmo, meio bilhão de reais.

Os partidos mais contemplados por essas doações foram PT, PSDB, PMDB e DEM (este último, de forma espantosa porque tem pouquíssima representatividade, atualmente). Entre as empresas doadoras, a UTC, que doou a esses partidos, segundo o TSE, R$ 52,7 milhões.

A tese de Aécio, é a seguinte: se a UTC não tivesse sido pressionada pelo PT, não teria feito doações ao partido. Teria doado a todos os partidos, menos ao PT. Assim, a empresa de Ricardo Pessoa diferiria de todas as outras grandes empresas que doaram ao PT e aos outros partidos citados e que não acusaram a campanha de Dilma de tê-los pressionado.

A UTC, segundo Aécio Neves, apesar de prestar serviços para vários governos tucanos, não tem interesse algum em doar a tucanos. Doa por amor – à democracia e à “social democracia” tucana.

A declaração de Aécio de que “nada tinha a dar” à UTC é espantosa. Uma afronta aos fatos, à lógica e à própria sociedade brasileira. Isso se torna mais evidente quando se analisa o fato de que empresas investigadas por cartel no Metrô de São Paulo, que vicejou durante duas décadas sob o olhar “desatento” da tucanada local, bancaram 56% da campanha de Geraldo Alckmin à reeleição.

Adivinhe, agora, leitor, quem é uma das empresas que bancaram metade dos custos da reeleição do “desinteressado” governador tucano? Se você marcou UTC, do mesmo Ricardo Pessoa, acertou na mosca.

Claro que, pela lógica safada, sem-vergonha, cara-de-pau, o PSDB nada tinha a oferecer à UTC – além, é claro, de polpudos contratos pelo país todo, nas diversas administrações estaduais e municipais que utilizam os serviços das empreiteiras. Isso sem falar que a mesma UTC tinha expectativa de que o PSDB vencesse as eleições nas Minas Gerais de Aécio.

Mas o que a “lógica” aecista contempla ainda menos, é o seguinte: se o PT tinha todo esse poder de pressão sobre a UTC, por que aceitou que a empreiteira doasse mais a Aécio do que a Dilma. E por que não exigiu, inclusive, que não doasse nada aos adversários? E mais: por que todas as outras empresas não acusam o PT de tê-las pressionado a doar?

Essa acusação de que Dilma, seu partido e sua campanha teriam extorquido o dono da UTC foi, inclusive,desmentida por ele, segundo a coluna Painel, da Folha de São Paulo. Trata-se de uma versão da imprensa sobre supostos desdobramentos da já dita Operação Vaza-Jato, da qual só se tem notícia quando surge alguma acusação ao PT.

O que está acontecendo neste país é um escândalo. Há um golpe de Estado “branco” ocorrendo em capítulos. Uma investigação sigilosa sofre vazamentos de informações seletivas o tempo todo e as autoridades que investigam não tomam providência. Mentiras são “vazadas’ e não são desmentidas.

Enquanto a esquerda caviar se masturba contra o “ajuste fiscal” – cuja necessidade nenhum economista sério ignora -, a democracia brasileira vai sendo feita em picadinho. Mais uma vez, a exemplo do que ocorreu tantas vezes na história, a esquerda fica assistindo de camarote a democracia ser estuprada enquanto se droga com dogmas e palavras de ordem.

Responder

Junior Pedro Salgado Sonia Salgado

30 de junho de 2015 às 21h30

por ai se pode ver a sede de justiça

Responder

Junior Pedro Salgado Sonia Salgado

30 de junho de 2015 às 21h30

por ai se pode ver a sede de justiça

Responder

Garivaldo Oliveira Corretor Imobiliário

30 de junho de 2015 às 21h20

O poder judiciário tem que ser justo e não pode ser manobrada, pois os injustiçados uma hora podem desmoralizar o judiciário e aí vira bagunça

Responder

Garivaldo Oliveira Corretor Imobiliário

30 de junho de 2015 às 21h20

O poder judiciário tem que ser justo e não pode ser manobrada, pois os injustiçados uma hora podem desmoralizar o judiciário e aí vira bagunça

Responder

Suely Marques Rocha

30 de junho de 2015 às 21h07

Eu, sinceramente, como profissional do direito, tô de bobs, ao ver a inércia dos grandes juristas deste país diante do estupro da Constituição. .. cadê o EDD??? …

Responder

Suely Marques Rocha

30 de junho de 2015 às 21h07

Eu, sinceramente, como profissional do direito, tô de bobs, ao ver a inércia dos grandes juristas deste país diante do estupro da Constituição. .. cadê o EDD??? …

Responder

Gentil Francisco Da Fonseca Ramos

30 de junho de 2015 às 21h04

Não precisa comentar.

Responder

Mardete Sampaio

30 de junho de 2015 às 21h03

A mídia em nome de seus interesses imediatos, atira no próprio pé. Perde respeitabilidade, aborta profissionais críticos e criativos e perde o bonde da história.

Responder

Wilson Trajano Siqueira Trajano

30 de junho de 2015 às 20h38

Cheque mate! Esperar mais o que pra reagir! Chegou a hora ade unir as forças de esquerda e ver o que é melhor para o Brasil! O intreguismo? ou o rompimento com as forças aliadas inertes? Não dá mais pra esperar!

Responder

Suzana De Souza Leão

30 de junho de 2015 às 20h36

O fascismo está transbordando na mídia e nas redes! Depois quando pessoas começarem a ser vítimas disso é que eu quero ver quem vai segurar a boiada!

Responder

Josias Vicente

30 de junho de 2015 às 20h29

Nunca se investigou e julgou tanto, seletivamente, o que é uma vergonha, querendo nos fazer de idiotas…!!!

Responder

Fani Goldfarb Figueira

30 de junho de 2015 às 17h29

A coluna do Ancelmo diz, hoje, que o Ministro faz esta declaração por razões espúrias, pois se trata de defender clientes dele. A Imprensa chega a ser repugnante.

Responder

Eduardo de Paula Barreto

30 de junho de 2015 às 17h24

.

PIXULECO

Confesse para quem
Você deu o pixuleco
Senão será meu refém
Sob esse frio teto
Por toda a sua vida
Porque a sua preventiva
Ninguém poderá revogar
E você morrerá aqui
Mas se resolver contribuir
Terá prisão domiciliar.
.
Mas tenha cuidado
Na hora de delatar
Para não citar nome errado
Senão a coisa vai piorar
Saiba que propina é doação
Quando vai para a oposição
Mas toda doação é propina
Quando os recursos doados
São nas campanhas utilizados
Por quem apoia Dilma.
.
Já que estamos combinados
Podemos começar a audiência
Então bandido, vai ficar calado?
‘Desculpe Vossa Excelência
Mas o problema é que eu
E os colegas meus
Doamos para todos os partidos
Principalmente para o PSDB’
Levem este bandido porque
Preciso de outro mais criativo.

Eduardo de Paula Barreto
30/06/2015

.

Responder

Malu Porto

30 de junho de 2015 às 20h13

LEIA VALE A PENA!

Responder

Mary Atleticana

30 de junho de 2015 às 20h01

Precisamos de mais pessoas como ele,que denunciem o fascismo da mídia.Querem derrubar o governo e não se importam de derrubar o Brasil. Tanto pessimismo é prejudicial ao país.

Responder

Henrique Dasilva

30 de junho de 2015 às 16h32

Dilma deixou a corda solta, o PiG pegou e se enforcou sozinho!

Responder

Marcio Alexandre Barreto

30 de junho de 2015 às 19h30

O que eles querem é poder e grana. Estão atropelando a democracia em pleno seculo 21.

Responder

Edvaldo Junior

30 de junho de 2015 às 18h39

Celso Bandeira de Melo foi a minha faculdade semana passada, calou a boca dos professores reacionários de lá, achei sensacional.

Responder

Heliane Moura

30 de junho de 2015 às 18h22

Aliviada em ler um texto escrito com clareza e sensatez.

Responder

Gélson Arsand

30 de junho de 2015 às 18h01

Tucanos plantaram, o povo vai colher…

Responder

Fabio Shok

30 de junho de 2015 às 17h58

Corrupção sempre teve, e nunca se combateu tanto a corrupção como agora.”

Responder

Cibele Milreu

30 de junho de 2015 às 17h52

Triste eh ver o Judiciário fascista!

Responder

Sílvio Andrade

30 de junho de 2015 às 17h51

O corporativismo cega a razão.

Responder

Francisco Rodriguez

30 de junho de 2015 às 17h45

É meus amigos, tá difícil segurar essa bronca

Responder

Priu Souza

30 de junho de 2015 às 17h38

A noticia mais triste do dia foi saber que Luciano Martins deixou o observatorio da imprensa…

Responder

João DaSilva

30 de junho de 2015 às 17h37

Uma opinião sensata e informada. Bandeira de Mello é um doa juristas renomados do país. E um sujeito racional.

Responder

O Cafezinho

30 de junho de 2015 às 17h36

JURISTA não Jutista rs

Responder

    Patricio Lira

    30 de junho de 2015 às 21h50

    SO NO TEU JIBIZINHO, LEIA IDIOTA SE INFORME , ENTRE NA TAL DE INTERNET E PESQUISE.

    Responder

Juca Coelho Barbosa

30 de junho de 2015 às 17h32

Responder

Deixe um comentário para Fani Goldfarb Figueira

Parlamentarismo x Semipresidencialismo: Qual a Diferença? Fernanda Montenegro e Gilberto Gil são Imortais na ABL: Diversidade Auxilio Brasil x Bolsa Família: O que mudou? As Refinarias da Petrobras À Venda pelo Governo Bolsonaro O Brasileiro se acha Rico ou Pobre?