Análise em vídeo das manifestações do 2 de outubro e as vaias a Ciro

Wadih fura a bolha do golpe

Por Miguel do Rosário

30 de junho de 2015 : 04h22

EM DEFESA DO ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO E CONTRA A ESPETACULARIZAÇÃO DA JUSTIÇA

Por Wadih Damous

29 DE JUNHO DE 2015 ÀS 10:25

Já está mais do que na hora de voltar a valer um velho adágio: juiz só fala nos autos. O papel de celebridade não é apropriado para quem veste toga

Os direitos fundamentais e as garantias individuais estabelecidas pela Constituição da República de 1988 estão sob grave e séria ameaça.

A chamada Operação Lava Jato desencadeou um pro e garantia das pessoas submetidas a procedimento investigativo, com claros contornos inquisitoriais.

A grande repercussão midiática do caso, quase sempre fruto de vazamentos seletivos e sem direito à defesa, irradia para todo o sistema de justiça um método perigoso e ilegal para a democracia, assentado, fundamentalmente, na espetacularização da justiça. Pouco importa, no caso, a decisão final com trânsito em julgado. Todos estão (pré) condenados, ainda que se prove o contrário.

O quadro é de total desrespeito e violação dos alicerces iluministas do processo e do direito penal. A condução da causa pelo juiz Sérgio Moro e o comportamento dos representantes do Ministério Público Federal – que já posaram de “Os Intocáveis” – e dos delegados da Polícia Federal fizeram com que este processo se tornasse um espetáculo político/midiático; verdadeiro vendaval repressivo e inquisitorial em pleno regime democrático.

E o direito à defesa, corolário e condição fundamental do devido processo legal, é cada vez mais cerceado. Comunicações entre acusado e advogado são interceptadas; arquivos dos advogados e suas estratégias de defesa são ilegalmente apreendidos e violados; audiências são conduzidas sem o devido respeito à defesa. Com isso, tenta-se convencer as pessoas de que o processo penal é um estorvo, pois o que importa é prender e condenar antes mesmo de julgar. É o que o processualista italiano Franco Cordero denomina de quadro mental paranoico do juiz, que, ao conduzir o processo, o faz sob o “primado da hipótese sobre os fatos” e passa a agir como voraz acusador.

O uso desmedido da prisão cautelar, encarcerando acusados primários, com endereço certo e sem fundamentação concreta, fere o princípio da presunção de inocência e reforça os alarmantes índices de encarceramento provisório no Brasil, na casa dos 40% do sistema penitenciário. O instituto da delação premiada, de questionável constitucionalidade, é utilizado como barganha e coação para a restituição da liberdade ilegalmente restringida dos acusados.

Tal quadro, para além de representar um acinte ao texto constitucional, notadamente no que toca ao devido processo legal e à ampla defesa, repercute em todo o sistema de justiça na medida em que a incessante repetição de atos violadores dos direitos dos acusados são noticiados e louvados como sinal de “eficiência” da prestação jurisdicional e como possível quebra na seletividade do sistema, ao se punir o “andar de cima”. Cria-se uma nova e enviesada concepção de justiça: já que fazemos com os pobres, façamos também com os ricos.

Nada mais ilusório, no entanto. Desrespeitar os direitos individuais de qualquer pessoa, sejam daqueles pertencentes às classes sociais mais privilegiadas ou dos já habituais destinatários do sistema penal – os pretos e/ou pobres – é ilegal e contribui para o retrocesso civilizatório.

O combate à corrupção ou a qualquer espécie de ilícito é obrigação da autoridade constituída – e merece de nós todo o apoio – mas deve se dar nos termos da Constituição e da Lei e com o respeito aos direitos e garantias fundamentais dos acusados, e o seu exercício não deve e não pode ser seletivo, mas abrangente. Escolher certos alvos – partidos e personalidades – e ignorar outros vicia o processo e torna-o ineficaz e injusto.

Não há bem jurídico superior aos princípios da presunção de inocência e do amplo direito de defesa que possa justificar a sua inobservância.

Os que anunciam desejar “refundar a República” devem se candidatar a cargos eletivos e se submeter ao crivo do sufrágio universal. Essa não é a função de juízes e de procuradores. Já está mais do que na hora de voltar a valer um velho adágio: juiz só fala nos autos. O papel de celebridade não é apropriado para quem veste toga.

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

97 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Kelly Medeiros

01 de julho de 2015 às 16h23

Vaidoso, coxinha, tucano, golpista

Responder

Sonia M B Borges

01 de julho de 2015 às 05h08

#TiraOBicoDoPresal #EuNaoRespeitoDelator

Responder

Claudio Morari

01 de julho de 2015 às 02h09

PARABÉNS DR. SERGIO MORO, GRANDE BRASILEIRO

Responder

Claudio Morari

01 de julho de 2015 às 01h55

PT, PMDB, PSDB, PSOL, e outras merdas , deposição total

Responder

Claudio Morari

01 de julho de 2015 às 01h53

INTERVENÇÃO MILITAR JÁ QUERO VER ONDE VÃO PARAR ESSES COMUNA DE ARMÁRIO, FDP, KKKKKKK

Responder

Claudio Morari

01 de julho de 2015 às 01h53

INTERVENÇÃO MILITAR JÁ QUERO VER ONDE VÃO PARAR ESSES COMUNA DE ARMÁRIO, FDP, KKKKKKK

Responder

    Álvaro

    01 de julho de 2015 às 11h26

    Alguém aí poderia interditar este retardado com esse ultrapassado medinho de “comunistas”. Cada um que aparece…

    Responder

      Miguel do Rosário

      01 de julho de 2015 às 12h00

      rs. abriram as portas do hospício. Esse é o tipo que apoia Moro. Pela intervenção militar, pela morte e prisão dos adversários… e assim vai.

      Responder

Erisvaldo Santos

01 de julho de 2015 às 01h34

Virou palhaçada!

Responder

Erisvaldo Santos

01 de julho de 2015 às 01h34

Virou palhaçada!

Responder

Custoso S Cicero

30 de junho de 2015 às 23h45

já está mais de que na hora…

Responder

Custoso S Cicero

30 de junho de 2015 às 23h45

já está mais de que na hora…

Responder

Eduardo Aguiar Soares

30 de junho de 2015 às 22h27

Tenho dito!!. Ele não está sozinho!!!.

Responder

Eduardo Aguiar Soares

30 de junho de 2015 às 22h27

Tenho dito!!. Ele não está sozinho!!!.

Responder

Silas Santos Marques

30 de junho de 2015 às 21h22

Quando o Moro viaja ele é recebido pela claque com aplausos e flores. Tudo combinadinho.

Responder

Silas Santos Marques

30 de junho de 2015 às 21h22

Quando o Moro viaja ele é recebido pela claque com aplausos e flores. Tudo combinadinho.

Responder

Vitor

30 de junho de 2015 às 17h36

Miguel, na boa, deixa de ser cara de pau. Resolvi pesquisar se o Wadih realmente “teve mais voto do que a maioria dos deputados presentes na Câmara” e descobri que ele não passa nem perto disso.
Wadih recebeu 37.814 votos que representam 0,49% do total de votos de candidatos no Rio de Janeiro (http://www.eleicoes2014.com.br/wadih-damous/).
Fui pesquisar os deputados eleitos e veja só, apenas 35 dos 513 deputados foram eleitos com menos que 37.814 votos, sendo que desses, 23 são do Acre, Roraima e Amapá, estados com população diminuta e todos os 23 alcançaram um percentual de votos muito maior que os 0,49% do Wadih.
Sério, para com isso, mentir é feio e tem perna curta. É melhor defender o Wadih pelas suas ideias e sem inventar estatísticas furadas de eleição. Péssima essa…
http://www.ebc.com.br/noticias/eleicoes-2014/2014/10/confira-a-lista-de-deputados-federais-eleitos

Responder

    Miguel do Rosário

    30 de junho de 2015 às 22h51

    Você tem razão, Vitor. Desculpe, eu erro também.

    Responder

    Miguel do Rosário

    30 de junho de 2015 às 23h03

    Obrigado pelas informações, Vitor. E desculpe por meus erros, não foi intencional. Foi wishful thinking puro. Ou eu fui elitista e pensei na “qualidade” do voto, já que a elite do pensamento de esquerda no Rio votou no Wadih.

    Responder

      Vitor

      01 de julho de 2015 às 10h52

      Wishful thinking às vezes é um problema mesmo e nos faz cometer alguns erros. Mas o importante é reconhecê-los. Saiba que estou de olho para te encher o saco sempre que possível (hehehe) e ajudar a tornar o blog ainda melhor. Vou tentar ser menos agressivo no futuro.
      Abraços

      Responder

Eduardo de Paula Barreto

30 de junho de 2015 às 17h26

.
.

PIXULECO

Confesse para quem
Você deu o pixuleco
Senão será meu refém
Sob esse frio teto
Por toda a sua vida
Porque a sua preventiva
Ninguém poderá revogar
E você morrerá aqui
Mas se resolver contribuir
Terá prisão domiciliar.
.
Mas tenha cuidado
Na hora de delatar
Para não citar nome errado
Senão a coisa vai piorar
Saiba que propina é doação
Quando vai para a oposição
Mas toda doação é propina
Quando os recursos doados
São nas campanhas utilizados
Por quem apoia Dilma.
.
Já que estamos combinados
Podemos começar a audiência
Então bandido, vai ficar calado?
‘Desculpe Vossa Excelência
Mas o problema é que eu
E os colegas meus
Doamos para todos os partidos
Principalmente para o PSDB’
Levem este bandido porque
Preciso de outro mais criativo.

Eduardo de Paula Barreto
30/06/2015

.

Responder

Edson Maciel Monteiro

30 de junho de 2015 às 19h01

Mais um Petralha defendendo a corrupção.

Responder

Ricardo Miguel Duailibi

30 de junho de 2015 às 18h12

Jorge R. Ostemberg

Responder

    Jorge R. Ostemberg

    30 de junho de 2015 às 18h58

    Tão querendo melar o trabalho do cara; ninguém faz, quando alguém faz, é isso.

    Responder

Margareth Zanella

30 de junho de 2015 às 18h06

Acho que esse juiz feriu e desde muito tempo à Constituição e o que ele deveria pleitear mesmo era um papel na rede Esgoto, afinal já trabalha pra ela mesmo!

Responder

    Margareth Zanella

    30 de junho de 2015 às 23h40

    Continue assim encéfalo, pois amanhã pode ser o seu direito sendo violado!

    Responder

    Margareth Zanella

    30 de junho de 2015 às 23h40

    Continue assim encéfalo, pois amanhã pode ser o seu direito sendo violado!

    Responder

Álvaro

30 de junho de 2015 às 15h04

Prestem atenção na boca do juiz, no momento em que ele acena para a “galera”.
Qualquer pessoa nota o deslumbramento tupiniquim do meritíssimo.
A Justiça se apequenou, faltam magistrados com respeito ao cargo e a sociedade lhes paga os salários.
Isso envergonha o País perante qualquer nação minimamente civilizada.

Responder

Mauro Silva

30 de junho de 2015 às 14h37

“A história se repete ou como tragédia, ou como farsa”.
No caso da lava-jato e da conduta desse sérgio moro, o juiz, o que se repete como farsa é uma peça de ficção de machado de assis: o alienista, com o indigitado magistrado a travestir-se, com arroubos napoleônicos, num patético simão bacamarte; reduzindo uma secção da justiça federal ao hospício batizado no livro de “casa verde”.
Desde seu início, essa lava-jato emporcalha o judiciário brasileiro, não só pelas usuais e acintosas ilegalidades processuais quanto pelos igualmente criminosos “vazamentos seletivos”, tudo patrocinado pela equipe comandada pelo indigitado sérgio moro, que preside a ação penal e que, portanto, é o responsável pelos vazamentos desse processo que ele mesmo decretou “sigiloso”.
Deve-se considerar também as inquietantes notícias de que a mulher, ou companheira, de sérgio moro, tem relações muito próximas com políticos filiados ao psdb, que dá às chicanas que revestem essa ação penal um caráter suspeitíssimo de panfleto político-partidário.

Responder

Rosane Tavares

30 de junho de 2015 às 17h17

É muito holofote em cima dele. Daqui a pouco vai ser convidado para atuar em alguma novela. Essa exposição desnecessária faz crescer o ego.

Responder

Joel Miranda

30 de junho de 2015 às 14h11

Miguel, este juiz é um ator canastrão, ele engana a quem?

Responder

Lon Martin Wagner

30 de junho de 2015 às 17h01

É importante ressaltar que o verdadeiro mensalão ocorreu na tucanalhada da MG foi e é escondido pela mídia a peso de ouro.

Responder

Welser M Guimarães

30 de junho de 2015 às 16h54

Impressiona o número de fotos diferentes dele que circulam na internet.

Responder

Angela Simões

30 de junho de 2015 às 13h13

Lugar de juiz é sua sala acompanhando os autos e julgando os méritos quando se faz necessário e não dando uma de BBB para holofotes da Globo. Ele deve se limitar a sua toga e não as revistinhas de fofoca.

Responder

Pietro Azzulk

30 de junho de 2015 às 16h02

Juiz tucano e da mídia.

Responder

Pietro Azzulk

30 de junho de 2015 às 16h02

Juiz tucano e da mídia.

Responder

Pietro Azzulk

30 de junho de 2015 às 16h02

Juiz tucano e da mídia.

Responder

Marco Silva

30 de junho de 2015 às 14h54

http://www.brasil.rfi.fr/brasil/20150628-casa-branca-estende-tapete-vermelho-para-dilma
Casa Branca estende tapete vermelho para Dilma
BRASIL/ EUA – A retomada das relações bilaterais entre Brasil e Estados Unidos tem sido destacada pelo governo norte-americano como um passo relevante para a continuidade dos…
brasil.rfi.fr

Responder

Eduardo Melo

30 de junho de 2015 às 14h48

O poder político partidário atuando nos três poderes, não é aberração, é consequência de um estilo antidemocrático herdado por nomeações e vínculos espúrios coroados por listas tríplices.

Responder

Samuel Farias Filho

30 de junho de 2015 às 14h47

WADIH DAMOUS É UM MILITANTE AUTÊNTICO DAS CAUSAS POPULARES

Responder

Hell Back

30 de junho de 2015 às 11h34

Já vi esse enredo antes com o Joaquim Barbosa. Está bem parecido! Será que é um “remake”?

Responder

Nancy Soares

30 de junho de 2015 às 14h33

Vamos todos nós pra cima dos golpistas a presidente parece que vai matar a serpente maior.O país não anda pois o PIG e o juiz do pig não deixam .

Responder

Nelson Roberto

30 de junho de 2015 às 14h32

O que esperar de um juiz que se pronuncia, na Mídia, sobre um processo em andamento??? E pior: propondo que o réu seja condenado antes do trânsito em julgado??? A Democracia é mesmo uma coisa difícil de se vivenciar, por isso, há tantos candidatos a TIRANOS!!!!!

Responder

Jorge Vasconcelos de Brito

30 de junho de 2015 às 14h18

Vai pra Globo Moro!!!

Responder

José Niton Da Silva Lima

30 de junho de 2015 às 14h15

Isso é consequência do julgamento do mensalâo, onde o governo é as instituições cruzaram os braços deixando os acusados reféns de um justiceiro mediático, sem direito a ampla defesa…agora virou moda e a mídia aplaude.

Responder

Danilo Ribeiro Conde

30 de junho de 2015 às 14h05

Tudo bem. Concordo com o Sr. Wadih. Mas tenho uma pergunta: para que serve mesmo o Conselho Nacional de Justiça?

Responder

mineiro

30 de junho de 2015 às 10h57

so tem uma saida , é fazer politica e peitar esses calhordas dos quintos dos infernos. nao tem outra saida, de converda mole ja estamos de saco cheio. demite o min. justiça esse rato tucano, demite quem quer que for da policia federal ou afasta, e bota os policiais federais que vale a pena e tira os prisioneiros a força contra a vontade desse almofadinha. caso contrario vamos ficar calado que é melhor , para mudar o brasil se chama açaoooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo poe isso na cara desse poste de pres.

Responder

Lana Adib

30 de junho de 2015 às 13h20

Olha o tipinho, que coisa triste ver um juiz com uma atitude desta,denegrindo a profissão, e se vendendo.

Responder

Lana Adib

30 de junho de 2015 às 13h20

Olha o tipinho, que coisa triste ver um juiz com uma atitude desta,denegrindo a profissão, e se vendendo.

Responder

Aluísio Pessoa/MANAUS

30 de junho de 2015 às 09h52

Comparando a Lava A jato com a Sathiagraha, percebe – se nitidamente o tratamento diferenciado dado aos personagens principais (juizes, promotores, delegados, réus e ministros do STF). Seria interessante PHA brindar seus leitores com um artigo contando detalhes das duas operações.

Responder

Marcílio Godoi

30 de junho de 2015 às 12h47

#EuNãoRespeitoDelator

Responder

L|igia

30 de junho de 2015 às 09h42

Eu pensei que fosse algum ex-bbb ou algum global, acenando para fã.

Responder

Luis Fernando Marasca

30 de junho de 2015 às 12h39

Mas quem é que tá espetacularizando a justiça? Já sei: tudo o que está acontecendo é um golpe dos reacionários direitistas homofóbicos capitalistas conservadores. O PIB negativo é uma conspiração industrial. O petrolão é uma conspiração dos magnatas do petróleo. O povo nas ruas é uma conspiração do próprio povo. O alto nível de desemprego é uma conspiração dos trabalhadores mancomunados com os industriais para derrubar o governo mais justo como nunca nates neste país. Ora, tenha paciência…….

Responder

    Caique de Paula Pereira

    30 de junho de 2015 às 11h06

    Coxinha , como sempre, repetindo o que se manda…

    Responder

    Pabio

    30 de junho de 2015 às 11h16

    Por que não uma espetacularização com o trensalão, ou com o aeroportão de claudião, com o listão de furnas, com a compra dos votos da reeleição, das ambulâncias, do helicoca, etc, etc, etc….Seria legal, não???? Seu hipócrita!!

    Responder

Sonia Regina Neves

30 de junho de 2015 às 12h23

otimo. Eh assim q deve ser e agora cumpra-se.

Responder

Maria Fernandes Nunis

30 de junho de 2015 às 12h09

Ele quer palco.

Responder

Hélio Jorge Cordeiro

30 de junho de 2015 às 09h08

Miguel, temos que fazer uma campanha: “Delação Premiada Sergio Moro! “Uma campanha que sugere uma investigação sobre a vida pregressa do referido juiz, desde os tempos de estudante, até quando conseguiu a toga que, agora lhe dar (pensa ele e a oposição), poderes eternos! Poderíamos doar 5 reais para uma conta bancaria, para pagar os honorários do delator. Pediremos que, de preferência o sujeito seja do Parana, claro! A vida do juiz deve ser um livro aberto e cheio de paginas à disposição de quem lhes paga: Nós!

Responder

Lucia Romcy

30 de junho de 2015 às 11h49

Juizinho que pensa que está em seriado americano de quinta categoria!

Responder

Galo

30 de junho de 2015 às 08h43

e…nada acontece

Responder

Débora Mustafá

30 de junho de 2015 às 11h07

ABSURDO!!!

Responder

Adelson Lima

30 de junho de 2015 às 08h05

Comparando os Fernandos, acredito que beira mar entra no céu.

Responder

Naza Moura

30 de junho de 2015 às 10h46

Moro tem que pagar pelos ABUSOS cometidos.

Responder

    Luís CPPrudente

    30 de junho de 2015 às 09h02

    O dr Sergio Tucano Moro tem que sofrer um processo administrativo e ser afastado do cargo. Após isto tem que se abrir um processo criminal contra o dr. Sergio Tucano Moro, pois ele cerceou a verdade e permitiu que a mentira lucrasse na Vara Moro.

    Responder

Naza Moura

30 de junho de 2015 às 10h46

Moro tem que pagar pelos ABUSOS cometidos.

Responder

Maurilio Costa

30 de junho de 2015 às 10h40

Se ele faz isso é porque tem o aval do sistema de Justiça.

Responder

Maurilio Costa

30 de junho de 2015 às 10h40

Se ele faz isso é porque tem o aval do sistema de Justiça.

Responder

Fabiano Mendes

30 de junho de 2015 às 07h37

O brasileiro já está com o saco cheio do mimim do Wadih ( o deputado sem votos. Nâo foi á toa que para estar no Congresso esse sujeito teve que, com a ajuda de Lula, dar uma rasteira num colega ) e do mimim do PT. Esse advogado de porta de xadrez nunca se importou com a roubalheira praticada pelo próprio partido e vem com o mimimi de que os direitos fundamentais e as garantias individuais estão sob grave e séria ameaça. Estariam sob grave e séria ameaça os direitos fundamentais e as garantias individuais se os petistas continuassem a roubar como se não houvesse amanhã e continuassem impunes !

Responder

    Miguel do Rosário

    30 de junho de 2015 às 14h31

    Wadih teve mais voto do que a maioria dos deputados presentes na Câmara. E sempre se importou sim com a corrupção, no PT e em todos os partidos. Direitos fundamentais e garantias individuais não são “mimimi”. São o esteio da democracia.

    Responder

Osvaldo Alencar

30 de junho de 2015 às 10h37

Pela foto ele deve estar gritando “viva eu” !

Responder

Ricardo Dias Baptista

30 de junho de 2015 às 10h30

Parabénsss Wadih !!!!

Responder

Ricardo Dias Baptista

30 de junho de 2015 às 10h30

Parabénsss Wadih !!!!

Responder

Ademir Garcia Garcia Fernandes

30 de junho de 2015 às 10h29

Responder

Ademir Garcia Garcia Fernandes

30 de junho de 2015 às 10h29

Responder

Marcio Souza

30 de junho de 2015 às 07h25

O brasileiro já está com o saco cheio do mimim do Wadih ( o deputado sem votos ) e do PT

Responder

    Miguel do Rosário

    30 de junho de 2015 às 14h32

    Fale por si mesmo. Os eleitores do Wadih (ele teve mais voto que a maioria dos deputados ali presentes) querem que ele denuncie a agressão à democracia praticada pelo juiz-justiceiro da Globo.

    Responder

Lon Martin Wagner

30 de junho de 2015 às 10h22

E o tal CNJ, inclusive a própria Defensoria Pública deveria desmascarar este sujeito, escancaradamente TUCANO, ou seja afrontosamente ao vivo e a cores , ACOBERTA, ABAFA, ESCONDE TODA A PODRIDÃO E LAMA DA TUCANALHADA, E PARALELAMENTE PERSEGUE FRENETICAMENTE E FERINAMENTE O PT, ATRAVÉS DE NOTÍCIAS FABRICADAS, PLANTADAS, PELA MÍDIA GOLPISTA ,SUJA E CORRUPTA. ESTE SUJEITO É ESCANCARADAMENTE REPRESENTANTE DAS ELITES DOMINANTES, ULTRA REACIONÁRIO, EXTREMISTA DE DIREITA DA PIOR ESPÉCIE. ESCANCARADAMENTE PARCIAL, SECTÁRIO, FACCIOSO.

Responder

    Anamim Lopes da Silva

    01 de julho de 2015 às 01h59

    Deixa eu ver se entendi: não houve roubalheira na Petrobras? 18 delações premiadas feitas consoante legislação promulgada por Dilma dão conta de cobrança de propina pelos direitos Duque, Cervero, Costa… E Barusco. Tudo ficção?

    Responder

Nelma F. Santos

30 de junho de 2015 às 09h35

ARRASOU!

Responder

Nelma F. Santos

30 de junho de 2015 às 09h35

ARRASOU!

Responder

jose antonio teixeira

30 de junho de 2015 às 05h41

Ele deve ter uma constituição so dele….kkkkkkkkkk

Responder

Lisbeth Sahlander

30 de junho de 2015 às 07h52

Qualquer servidor publico que foge de sua conduta étnico-profissional deve ser acionado ou responsabilizado por sua ações! OAB e a sociedade civil também devem entrarem com moçäo judicial contra esse funcionário!

Responder

    Claudio Morari

    01 de julho de 2015 às 02h04

    Você quer dizer que vossa Excelência Dr, SERGIO MORO não é ético? Quem é você para questionar a autoridade e integridade e a ética profissional de um exemplo de brasileiro, que honra o Brasil com sua atitude de homem sério e honesto. E olha que eu não sou coxinha como vejo chamarem quem não quer ver o país numa pior.

    Responder

    Claudio Morari

    01 de julho de 2015 às 02h04

    Você quer dizer que vossa Excelência Dr, SERGIO MORO não é ético? Quem é você para questionar a autoridade e integridade e a ética profissional de um exemplo de brasileiro, que honra o Brasil com sua atitude de homem sério e honesto. E olha que eu não sou coxinha como vejo chamarem quem não quer ver o país numa pior.

    Responder

Deixe um comentário