Comentários sobre o áudio vazado de André Esteves (BTG Pactual)

Estadão vira porta-voz da PF

Por Miguel do Rosário

23 de julho de 2015 : 14h06

O “aparelhamento” da Polícia Federal por parte dos setores derrotados nas urnas há quatro eleições presidenciais chegou a tal ponto que agora o jornal Estado de São Paulo age como autêntico porta-voz da instituição.

Acusada de pôr tarjas pretas sobre o nome de José Serra, a PF – através do Estadão – se defende dizendo que a razão era o fóro privilegiado do senador.

Mentira, porque há outros políticos com fóro cujos nomes não aparecem com tarja preta.

Mas eu já dei minha opinião sobre essa coisa da tarja preta: palhaçada.

Não levo mais a sério nada que venha dessa conspiração midiático-judicial chamada Lava Jato, cujos integrantes não escondem sequer a ajuda que vem recebendo de autoridades norte-americanas interessadas em desmantelar a Petrobrás e a Odebrecht.

Acho que os EUA deram o golpe mais fácil de sua história.

A nova grande arma do golpe agora é a semiótica. Numa sociedade midiatizada, é muito mais eficaz do que canhões na rua, como fizeram em 64.

A dica sobre a terceirização do Public Relations da Polícia Federal para o Estadão é do ator José de Abreu, pelo twitter.

***

No Jornal GGN.

Estadão diz que PF usou tarja em relatório porque Serra tem foro privilegiado
QUI, 23/07/2015 – 12:07
ATUALIZADO EM 23/07/2015 – 12:10

Jornal GGN – Após discussões sobre a possibilidade de um repórter ter escondidos nomes de políticos em um relatório da Operação Lava Jato, favorecendo o senador José Serra (PSDB), o Estadão publicou nesta quinta-feira (23) uma nota que aponta a própria Polícia Federal como autora das tarjas pretas usadas não só no tucano, mas também em Fernando Pimentel, José Eduardo Cardozo, Edinho Silva, “Haddad”, Luís Inácio Lucena Adams, Carlos Zarattini e Blairo Maggi.

“A medida da PF, de cobrir os nomes, tem como objetivo preservar as investigações. As tarjas estão sobre as citações feitas a políticos que detêm, conforme a lei, foro privilegiado perante os tribunais superiores”, escreveu o Estadão. “Essa prática utilizada pela Polícia Federal é corriqueira quando a investigação depara com nomes e dados pessoais (como telefones) de parlamentares que só podem ser julgados perante o Supremo Tribunal Federal”, acrescentou.

O relatório, porém, deixa ao menos três políticos com mandatos eletivos sem a proteção da tarja preta: Eduardo Cunha, presidente da Câmara; Geraldo Alckmin, governador de São Paulo e correligionário de Serra, e Michel Temer, vice-presidente da República, do mesmo partido que Cunha, o PMDB.

“No caso de Alckmin e Temer”, justificou o Estadão, “os nomes não foram preservados porque, segundo a PF, apareciam citados na agenda em reuniões oficiais com o empreiteiro” Marcelo Odebrecht.

A nota não traz justificativas sobre a revelação do nome de Eduardo Cunha.

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

25 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Marilena Dorea

25 de julho de 2015 às 01h29

A foto mais assustadora

Responder

Sol Corot

24 de julho de 2015 às 04h16

Da ate medo de ver essa foto!!!!Quero voltar pra Malasia!!!!!

Responder

Roberto Oliveira

24 de julho de 2015 às 02h43

Responder

Lana Adib

24 de julho de 2015 às 02h42

Tempo horrível!

Responder

José Carlos Vieira Filho

23 de julho de 2015 às 20h48

Miguel, não é uma sociedade midiatizada, é midiotizada mesmo.

Responder

Marco Espirito Santo

23 de julho de 2015 às 21h07

É.

Responder

Marcos Carvalho

23 de julho de 2015 às 17h16

Descubra quem é o homem atrás da tarja preta:
https://www.youtube.com/watch?v=GEg8QUoNq84

Responder

Asiole Senun

23 de julho de 2015 às 18h57

Estadão ou esquadrão?

Responder

Paulo Batista

23 de julho de 2015 às 17h33

No início do ano de 1996(tempos difíceis) a banda Mamonas Assassinas fazia uma crítica social bem humorada sobre a situação vivida pelo país naquela época.
Veja no blog:
http://socialismourgente.blogspot.com.br/2015/07/em-1996-banda-mamonas-assassinas-fazia.html

Responder

Estela Ribeiro Ribeiro

23 de julho de 2015 às 17h30

Visão do inferno.

Responder

Joe Silva

23 de julho de 2015 às 17h20

Descaradamente …ainda tem pessoas que tem a cara de pau de dizer que nossa imprensa escrita e falada é imparcial!

Responder

    Beth Andrade

    23 de julho de 2015 às 17h21

    os miditotas dizem, só eles…os despolitizados, alienados..

    Responder

Joe Silva

23 de julho de 2015 às 17h20

Descaradamente …ainda tem pessoas que tem a cara de pau de dizer que nossa imprensa escrita e falada é imparcial!

Responder

    Beth Andrade

    23 de julho de 2015 às 17h21

    os miditotas dizem, só eles…os despolitizados, alienados..

    Responder

Renan Alexander Siqueira

23 de julho de 2015 às 17h13

Mas quem indicou os membros diretores da PF foram os Líderes do PMDB e PT com aprovação MJ ao cargo junto da Presidente Dilma que homologo a aprovação.

Responder

    Moema Barreira Costa

    23 de julho de 2015 às 18h03

    Desde quando “membros da PF” são INDICADOS!?

    Responder

    Moema Barreira Costa

    23 de julho de 2015 às 18h03

    Desde quando “membros da PF” são INDICADOS!?

    Responder

    Renan Alexander Siqueira

    23 de julho de 2015 às 18h06

    Conforme a Constituição confere poderes a Dilma para homologa a aprovação ou rejeita. Minha senhora não ler a Constituição?

    Responder

    Renan Alexander Siqueira

    23 de julho de 2015 às 18h06

    Conforme a Constituição confere poderes a Dilma para homologa a aprovação ou rejeita. Minha senhora não ler a Constituição?

    Responder

    Moema Barreira Costa

    23 de julho de 2015 às 23h07

    Que eu saiba são concursados e, a meu ver, não preciso LER a Constituição!

    Responder

    Moema Barreira Costa

    23 de julho de 2015 às 23h08

    Renan … será q você pelo menos lê alguma coisa!??? seus erros ortográficos dizem que não!!!

    Responder

    Moema Barreira Costa

    23 de julho de 2015 às 23h08

    Renan … será q você pelo menos lê alguma coisa!??? seus erros ortográficos dizem que não!!!

    Responder

    Renan Alexander Siqueira

    23 de julho de 2015 às 23h27

    Não adiantar reclamar porque os concursados a Delegado são indicados para posto de Diretor conforme a antiguidade e formação de experiência profissional dentro da corporação. Assim são indicados para se aprovado pela Dilma e Cardoso os nomes para gestão. E daí que dos erros ortográficos sejam da dislexia! Seus aceitos ortográficos não ajudou até agora a conhecer os artigos Constitucionais que orienta o Direito Administrativo. Pela sua idade já devia conhecer de velho!

    Responder

    Renan Alexander Siqueira

    23 de julho de 2015 às 23h27

    Não adiantar reclamar porque os concursados a Delegado são indicados para posto de Diretor conforme a antiguidade e formação de experiência profissional dentro da corporação. Assim são indicados para se aprovado pela Dilma e Cardoso os nomes para gestão. E daí que dos erros ortográficos sejam da dislexia! Seus aceitos ortográficos não ajudou até agora a conhecer os artigos Constitucionais que orienta o Direito Administrativo. Pela sua idade já devia conhecer de velho!

    Responder

Marcos Portela

23 de julho de 2015 às 17h10

Enquanto isso, GOLPISTAS da imprensa, monopolizados pela GLOBO e FEDERAIS do Paraná, escondem denúncias de corrupção contra PSDB e DEM, panelinha que virou PANELAÇO, a própria imprensa ressuscitando a CENSURA, quem diria!

A FOLHA e o DIÁRIO/PE, bloquearam meus comentários como forma de CENSURA, viva a liberdade de expressão!

Responder

Deixe um comentário para Renan Alexander Siqueira

Parlamentarismo x Semipresidencialismo: Qual a Diferença? Fernanda Montenegro e Gilberto Gil são Imortais na ABL: Diversidade Auxilio Brasil x Bolsa Família: O que mudou? As Refinarias da Petrobras À Venda pelo Governo Bolsonaro O Brasileiro se acha Rico ou Pobre?