Comentários sobre o áudio vazado de André Esteves (BTG Pactual)

Sabesp despeja esgoto no Tietê

Por Liana Carvalho

03 de agosto de 2015 : 09h59

Após 23 anos e mais de 1 bilhão gastos, Tietê ainda é poluído e recebe esgoto da Sabesp

Faz 20 anos que o ex-governador Fleury deixou a cadeira do Palácio dos Bandeirantes, sem cumprir a promessa de beber a água cristalina do Tietê. E 23 anos depois, o projeto ainda é tabu, mesmo com mais de 1 bilhão gastos, o Tietê ainda é sujo e recebe esgoto despejado pela própria Sabesp
sem tratamento em seu leito.

Por Giulia Afiune e Jessica Mota, da Agência Pública

Um rio de esgoto atravessa a região metropolitana de São Paulo. Grande parte dos dejetos do polo urbano que concentra a maior riqueza do Brasil vai parar no Tietê, o que transformou o maior curso de água do estado em um canal fedorento de aspecto sujo. Quem chega a São Paulo pelo aeroporto de Guarulhos ou pela rodoviária do Tietê é recebido pelo odor desagradável desse anti-cartão postal. Não raro, motoristas da marginal Tietê levantam as janelas para tentar conter o mau cheiro. O odor é o sintoma mais perceptível de que algo está errado com o rio. E, ao contrário do que se pensa, a culpa não é só das moradias improvisadas e sem saneamento básico. A Pública visitou sete bairros e verificou que o despejo de esgoto sem tratamento vem tanto de barracos quanto de mansões.

Desde 1992, a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) administra o Projeto Tietê, cujo objetivo é ampliar a coleta e o tratamento de esgoto na Grande São Paulo e, consequentemente, despoluir o rio. A conta do projeto não é exata, mas pelo menos US$ 3,6 bilhões já foram direcionados para as obras.

O problema é que a própria Sabesp é uma das grandes responsáveis pela poluição das águas. A Pública descobriu que em vários pontos da capital a empresa capta o esgoto das casas e o joga sem tratamento nos rios, córregos e represas que compõem a Bacia Hidrográfica do Alto Tietê, cujo perímetro coincide com os limites da Grande São Paulo – onde vivem 20,2 milhões de pessoas. A prática configura crime ambiental segundo o Artigo 208 da Constituição Estadual.

A empresa foi denunciada pelo Ministério Público em outubro de 2012, e, ao contrário das águas do rio, a peça de acusação é cristalina: “Ocorre que a SABESP vem, desde sua criação, direta e ininterruptamente, em maior ou menor escala, lançando nos corpos d’água os esgotos sanitários in natura coletados nessas cidades, isto é, sem nenhum tipo de tratamento, provocando poluição hídrica não só na bacia hidrográfica do Alto Tietê onde estão inseridos os municípios, mas também nos reservatórios Billings e Guarapiranga, com vultosos prejuízos ao meio ambiente e à sociedade”, relata então o promotor de Justiça do Meio Ambiente José Eduardo Ismael Lutti

O texto aponta também o município, o estado de São Paulo e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), que financia o projeto de despoluição, como corresponsáveis pela prática ilegal. Na ação, o Ministério Público exige que até 2018 os réus parem progressivamente de lançar esgoto sem tratamento nos corpos d’água e realizem todas as obras necessárias à universalização do serviço de coleta e tratamento de esgoto.

A ação deu início a um processo que agora está tramitando na Justiça paulista. Em sentença de setembro de 2014, a juíza Liliane Keyko Hioki reconhece que a Sabesp é responsável pela prática ilícita, mas julga improcedente o pedido do Ministério Público, alegando que não é possível antecipar a meta de universalização para 2018, uma vez que a Sabesp já está tomando as providências para realizá-la até 2024. O Ministério Público recorreu. A meta considerada pela juíza difere da estipulada pelo governador Geraldo Alckmin. Em decreto, ele determina que o esgoto seja universalizado no estado até 2020.

Marzeni Pereira, tecnólogo que trabalhou em uma estação de tratamento da Sabesp por 12 anos, explica que sentir cheiro de esgoto, algo comum na região metropolitana, é sinal de que há algo errado. “Quando se sente cheiro de esgoto saindo dos bueiros, ou os moradores jogaram o esgoto na rede de águas da chuva ou a Sabesp”, explica. Isso acontece onde não há tubos que levam o esgoto dos bairros para as estações de tratamento. Em vez disso, ele é levado para galerias de água da chuva que deságuam em córregos.

Idealmente, o esgoto é transportado dentro de tubos subterrâneos, dos pontos mais altos para os mais baixos. Tudo que é eliminado no vaso sanitário, nas pias e nos ralos sai das casas dentro de ligações domiciliares em direção a redes coletoras que passam em cada rua. Várias redes são ligadas a um coletor-tronco e vários coletores, a um interceptor. Construídos próximos a rios, os interceptores levam o esgoto de diversos bairros até as estações de tratamento (ETEs). Quando não há declividade suficiente, estações elevatórias são construídas para bombear o esgoto pela tubulação. Já a água da chuva escorre para dentro de bueiros ou bocas de lobo até as galerias de água pluvial, que a levam, por baixo do asfalto, até rios de grande ou pequeno porte, os córregos.

A poluição e o mau cheiro das águas fazem mal à saúde de todos os habitantes, explica o professor Pedro Mancuso, da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (USP). O cheiro de ovo podre que sai dos rios poluídos é causado pelo gás sulfídrico, uma substância tóxica. “Em grandes quantidades, ele pode ser até mortal, mas em pequenas quantidades, como essa que está no nosso rio, é suficiente para dar náusea, dor de cabeça, e tontura.” O gás continua causando esses efeitos mesmo quando “cansa” nosso olfato. “Depois de um tempo, ele anestesia os nervos do nariz e a pessoa não sente mais. Então, quem chega no rio fala ‘nossa, que odor forte’ e quem mora ali do lado fala ‘ah, a gente já se acostuma, acaba não sentindo mais’”, ensina Mancuso.

Da mesma forma, a população da grande São Paulo parece ter se acostumado a ignorar ou a desprezar o rio. A maioria das pessoas não tem a menor ideia se o esgoto da própria casa tem destino adequado. Mas quem mora na região metropolitana já deve ter se perguntado:

Por que o Tietê ainda não foi despoluído?

O despejo de esgoto sem tratamento é só uma parte da complexa resposta a essa pergunta. Outro problema é a dimensão do programa: ele prevê ações em 27 das 39 cidades da grande São Paulo.

Em 1992, quando o projeto foi criado, 70% do esgoto da região metropolitana de São Paulo era coletado, mas só 24% desse volume era tratado. Ou seja, apenas 17% do total do esgoto era tratado, enquanto 83% eram jogados in natura nos rios, como aponta a Sabesp. Até então, havia apenas duas estações de tratamento, Barueri e Suzano, com capacidade de tratar 4 mil litros de esgoto por segundo. Na primeira etapa do Projeto Tietê foram construídas mais três estações, que entraram em operação só em 1998 e elevaram a capacidade de tratamento para 18 mil litros por segundo.

O investimento de aproximadamente US$ 3,6 bilhões no projeto ao longo de 23 anos trouxe avanços. Hoje, 87% do esgoto é coletado e 68% desse total, tratado, de acordo com a Sabesp. A mancha de poluição – trecho em que o Tietê é considerado “morto”, já que não consegue abrigar vida porque há pouco oxigênio dissolvido na água – recuou 86,6% desde o início do projeto. Quem atesta é a ONG S.O.S Mata Atlântica, que tem a função de monitorar os indicadores de qualidade da água no Projeto Tietê. Porém, a porcentagem de esgoto coletado caiu de 70% para 68% entre 2008 e 2014.

O Projeto Tietê foi criado depois de uma campanha encabeçada pela S.O.S Mata Atlântica com veículos de comunicação, principalmente a rádio Eldorado. Na época, reuniu 1,2 milhão de assinaturas que pediam a despoluição do rio. O abaixo-assinado foi entregue ao então governador de São Paulo Luiz Antônio Fleury Filho e ao ex-presidente Fernando Collor na Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente e o Desenvolvimento – Rio-92. O estado de São Paulo, então, firmou um convênio com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), principal financiador do projeto até hoje, seguido pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

A previsão é que a terceira etapa do projeto seja concluída em 2016, quando 84% do esgoto coletado deverá ser tratado, de acordo com a meta estipulada. A quarta etapa ainda não tem financiamento previsto, segundo apurou a Pública. Embora o governo afirme que a verba virá do BNDES, a assessoria de comunicação da instituição informa que “o Banco ainda não foi procurado com pedido de financiamento para a quarta etapa do Projeto Tietê”.

A reportagem da Pública verificou o despejo de esgoto sem tratamento em rios e córregos em diversos pontos da cidade de São Paulo. Em um deles, na Estação Elevatória de Esgoto Jardim Romano, em São Miguel Paulista, zona leste da capital, comprovamos com o uso de corante vermelho que o esgoto coletado pela Sabesp no Jardim Romano corre dos canos diretamente para dentro do rio Tietê, sem passar pela Estação de Tratamento de Esgoto São Miguel, que fica a cerca de 7 km de distância. A cada meia hora, um jato de esgoto é despejado no Tietê – tão volumoso que cai com a mesma potência, sem parar, durante aproximadamente sete minutos.

“Antigamente essa elevatória jogava esgoto dentro de galerias de águas pluviais, e da galeria é que se jogava no Tietê”, conta o ex-funcionário da Sabesp Wbirajara Silva, Bira, que trabalhou durante 17 anos na empresa como topógrafo.

Ele conta que a Sabesp participou da construção de um dique de contenção para represar o Tietê depois da enchente que alagou a zona leste de São Paulo durante meses, em dezembro de 2009. Mas, em vez de melhorar a situação, piorou. “A Sabesp teve que tirar o esgoto que lançava dentro da caixa de águas pluviais e lançou direto no Tietê. Eles falaram que isso era provisório e que ia chegar um coletor-tronco e pegar todo esse esgoto. Só que esse coletor nunca chegou”, denuncia o ex-funcionário.

Nesse caso, trata-se de uma ligação nova, construída 20 anos depois de a Constituição estadual transformar em crime o despejo de esgoto sem tratamento. “Eu tive que fazer um cadastramento de todas essas interligações. Cadastrar é medir e colocar nas plantas da Sabesp o que foi feito, o que está no campo. E essa linha de recalque, que lança dentro do Tietê, não está na planta”, diz Bira. Segundo ele, a ordem de não incluir essa linha nos mapas da empresa veio do seu superior.

No dia 27 de maio, a Pública procurou a Sabesp solicitando uma entrevista sobre o Projeto Tietê, mas ela foi negada. Mandamos então, via e-mail, todas as dúvidas e denúncias apuradas. Trinta e sete dias depois do primeiro contato, a assessoria informou que não iria responder.

Confira o artigo original no Portal Metrópole: http://www.portalmetropole.com/2015/07/apos-23-anos-e-mais-de-1-bilhao-gastos.html#ixzz3hkuoAcZu

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

60 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Bernardo Arnildo Mallmann

05 de agosto de 2015 às 01h56

Pelo jeito o eleitor de SP não se importa, fazer o quê?

Responder

Mike Fmk

04 de agosto de 2015 às 15h40

QUAL O PARTIDO DESTE SENHOR? E O DINHEIRO ESTÁ NA CONTA DE QUEM? CPI? MALUF VAI PARA O CÉU…..

Responder

Silmara Vilalba

04 de agosto de 2015 às 12h55

“Pobre São Paulo… Pobre paulista…”

Responder

Lucia Sá

03 de agosto de 2015 às 19h46

revoltante!

Responder

Sergio Pereira Amzalak

03 de agosto de 2015 às 19h44

9 amigos, deve ser fake…rs

Responder

Sergio Pereira Amzalak

03 de agosto de 2015 às 19h44

pois é, enquanto isso inteligente, Perrela teve seu helicóptero devolvido e Azeredo nem julgado foi, Vc é tão inteligente…rs

Responder

Marcell Torres

03 de agosto de 2015 às 19h37

lacra o 45 Sampa o/ !!!!!!!!!!!!!!!!!!

Responder

Nairton Falcão

03 de agosto de 2015 às 18h39

Mas a culpa é do PT, né?

Responder

    Anônimo

    03 de agosto de 2015 às 17h28

    Com certeza partido de fdps..

    Responder

Homero Viana E Silva

03 de agosto de 2015 às 18h17

Sabesp literalmente é uma merda….kkkkkkkkkk

Responder

Daulto Bitencourte Garcia

03 de agosto de 2015 às 17h45

Não gastos de mais de 1 bilhão não. Uma parte foi para os bolsos e não para o Tietê, pode ter certeza.

Responder

Custódio Neto

03 de agosto de 2015 às 17h36

Beleza…VAMOS FAZER uma OLIM-PIADA e criar mais abonos para os Diretores e políticos apadrinhados e camuflado na SABESP…

Responder

Maria Rosa Fontebasso

03 de agosto de 2015 às 17h12

Insanidade!!!

Responder

Fernando Castro

03 de agosto de 2015 às 16h36

Coisas do psdb…

Responder

Edo Betti

03 de agosto de 2015 às 16h13

alguem ainda não sabe o que representa a letra B desses partdões aí? É bosta. Literalmente e ideológicamente falando

Responder

Marra Stutz

03 de agosto de 2015 às 15h49

Vivemos o que elegemos.

Responder

Maria Pereira

03 de agosto de 2015 às 15h42

Notícia do dia!!!!@Prenderam Zé Dirceu !!

Responder

Zeca Pataca Jr.

03 de agosto de 2015 às 15h37

Vejam mais esta do Tucanistão Jucelene Rocha Pedro Geraldo Carvalho Silva Odair Ferreira Alcina Maria Batista Campos Tânia Maria Amaral

Responder

Charles Rodrigues

03 de agosto de 2015 às 15h35

A VIDA É UM ETERNO APRENDER…
Temos que em cada passo, transpor os obstáculos e dificuldades, ver em cada novo dia um amanhecer de esperanças, acreditar que tudo pode ser melhor sempre, pois o tempo segue o seu curso, onde vamos em busca de objetivos e realizações, mas nem sempre as nossas certezas são as nossas verdades, mas são as esperanças, o otimismo, a coragem, a confiança e o amor, que nos fazem seguir em frente sempre, assim trilhamos nossos caminhos e vamos construindo nossos sonhos.
Cada dia uma nova lição um novo aprender, surge em nossos caminhos, mas nem sempre estamos preparados para absorver e utilizar destes aprendizados, assim sendo quantas vezes nos questionamos ou não entendemos determinados fatos ou acontecimentos, isso tudo nos coloca diante da realidade, então devemos sempre agradecer pela vida, por mais um dia, por mais um amanhecer, pois a vida é um eterno aprender.
A cada novo dia sempre temos esperanças de que nossas perguntas e duvidas sempre terão respostas, assim caminhamos em busca de novas experiências, vivendo intensamente, tendo um ideal a buscar e ter a certeza de estar dando passos firmes no caminho, voamos no compasso das lembranças, mesmo sabendo que as dificuldades existem, que angústias e tristezas fazem parte de nossas vidas, mas sempre somos capazes de ir à luta para que possamos atingir os nossos objetivos.
LEIA OUTRAS MENSAGENS EM NOSSA PAGINA, BASTA CLICAR NA IMAGEM ABAIXO E SE GOSTAR PARTICIPE DE NOSSO GRUPO, OBRIGADO,Ch@rles
https://www.facebook.com/groups/789209347794023/

Responder

Sheila Pimentel

03 de agosto de 2015 às 15h25

Uma vergonha.

Responder

Sergio Pereira Amzalak

03 de agosto de 2015 às 14h52

E viva o povo cobaia de água podre de reservatório morto, serão estudados com seus cânceres raros daqui uns anos….rs

Responder

Marcello Polinari

03 de agosto de 2015 às 14h47

NÃO CHORE, PROCESSE. Quero ver você publicar assim. Temos documentos que provam que tal político, empresa ou empresário é picareta. Abrimos processo nº xxxx no Ministério publico Federal e ou na PROCURADORIA GERAL DA REPÚBLICA
Acompanhem o processo em tal link

Responder

Marcello Polinari

03 de agosto de 2015 às 14h47

NÃO CHORE, PROCESSE. Quero ver você publicar assim. Temos documentos que provam que tal político, empresa ou empresário é picareta. Abrimos processo nº xxxx no Ministério publico Federal e ou na PROCURADORIA GERAL DA REPÚBLICA
Acompanhem o processo em tal link

Responder

Luiz Claudio

03 de agosto de 2015 às 14h33

Pois é , de que partido eles são? PSB que ninguém fala sobre as cagadas e roubalheiras.

Responder

Luiz Claudio

03 de agosto de 2015 às 14h33

Pois é , de que partido eles são? PSB que ninguém fala sobre as cagadas e roubalheiras.

Responder

Gilmar Costa

03 de agosto de 2015 às 14h29

Nas palavras do Premê: “…é bom pra burro, em São Paulo…”

Responder

Cleia Sales

03 de agosto de 2015 às 14h04

Isso nao interessa. Nao é culpa do PT…

Responder

Pedro Silva Reis

03 de agosto de 2015 às 13h55

SP tá com cara de cidade do lixo. :/

Responder

Pedro Silva Reis

03 de agosto de 2015 às 13h55

SP tá com cara de cidade do lixo. :/

Responder

    Gilmar Costa

    03 de agosto de 2015 às 14h34

    Lixo político, principalmente, o desrespeito com os cidadãos expõe a falta de caráter dos “eleitos”…

    Responder

Luciano De Feo

03 de agosto de 2015 às 13h54

Quando você beber água reciclada do esgoto, a culpa não é minha, não votei no Geraldo Alckmin!

Responder

Luciano De Feo

03 de agosto de 2015 às 13h54

Quando você beber água reciclada do esgoto, a culpa não é minha, não votei no Geraldo Alckmin!

Responder

Asiole Senun

03 de agosto de 2015 às 13h48

São Paulo está pagando o preço por sua “sabedoria” em deixar o PSDB há décadas cuidar do Estado. Parabéns!

Responder

Asiole Senun

03 de agosto de 2015 às 13h48

São Paulo está pagando o preço por sua “sabedoria” em deixar o PSDB há décadas cuidar do Estado. Parabéns!

Responder

Patricia Souza

03 de agosto de 2015 às 13h43

Sabesp cobra por um tratamento de esgoto que não existe, e o povo paga e reelege Alckmin..

Responder

Patricia Souza

03 de agosto de 2015 às 13h43

Sabesp cobra por um tratamento de esgoto que não existe, e o povo paga e reelege Alckmin..

Responder

Elisa Almeida

03 de agosto de 2015 às 13h42

E viva a ditadura do Alckmin….Que sujeira!!!!

Responder

Ma Domont

03 de agosto de 2015 às 13h36

Já foram gastos mais de $3,6bi na despoluição pra nada.Mas como foi na gestão do PSDB, não tem problema, estão blindados…

Responder

Ma Domont

03 de agosto de 2015 às 13h36

Já foram gastos mais de $3,6bi na despoluição pra nada.Mas como foi na gestão do PSDB, não tem problema, estão blindados…

Responder

Edson Cracy

03 de agosto de 2015 às 13h35

O mesmo, no estado do PR!

Responder

Marcos Portela

03 de agosto de 2015 às 13h34

Lava Jato CONTRA CORRUPÇÃO ou GOLPE FEDERAL? Como pode uma INSTITUIÇÃO FEDERAL, no estado do Paraná, ATACAR ESTATAIS e EMPRESAS brasileiras, DESEMPREGANDO milhares no país, alegando COMBATER a CORRUPÇÃO, CONTRADIÇÃO de quem usa TARJAS PRETAS para ESCONDER e INVALIDAR PROVAS de CORRUPÇÃO contra PARTIDOS de OPOSIÇÃO como PSDB e DEM, que aliados a GRANDE MÍDIA mais parecem uma ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA, INSTALANDO o CAOS no país, usando a política do QUANTO PIOR MELHOR, panelinha que virou PANELAÇO.

Responder

Edson Cracy

03 de agosto de 2015 às 13h34

Querem ver que nessas eleições p/ PREFEITOS e VEREADORES os paulistanos ainda ELEGERÃO tucanos…eles gostam das palavras de Alckimin etc…

Responder

Edson Cracy

03 de agosto de 2015 às 13h34

Querem ver que nessas eleições p/ PREFEITOS e VEREADORES os paulistanos ainda ELEGERÃO tucanos…eles gostam das palavras de Alckimin etc…

Responder

Edson Cracy

03 de agosto de 2015 às 13h33

LINALVA…contas em paraísos fiscais dos TUCANOS!

Responder

Edson Cracy

03 de agosto de 2015 às 13h33

LINALVA…contas em paraísos fiscais dos TUCANOS!

Responder

Linalva Santos

03 de agosto de 2015 às 13h25

E qual o destino da verba destinada à despoluição do Tiete?

Responder

Eduardo Homemfranco

03 de agosto de 2015 às 13h14

PARA ACABAR COM A IMPUNIDADE DEVEMOS ATACAR O PiG- partido da imprensa golpista, COMANDADA PELA REDE GLOBO, VEJA DA EDITORA ABRIL, JORNAIS ESTADÃO , FOLHA E O GLOBO, QUANDO ESSA IMPRENSA GOLPISTA DEIXAR DE TER AUDIÊNCIA O PAÍS SÓ VAI MELHORAR, POIS SABEMOS QUE OS COXINHAS SÃO MANIPULADOS A FAVOR DO PSDB GOLPISTA E FASCISTA VAMOS A LUTA CONTRA ESSAS MÍDIAS GOLPISTAS…

Responder

Takeo Antônio

03 de agosto de 2015 às 13h04

Poluição gigantesca sob medida para tunganalhas-fascistalhas se reelegerem ad aeternum. Basta uma propagandinha de “maior obra de saneamento do mundo” às vésperas de eleições e pronto! Tunganalhas reeleitos. Rio da Tunganalhice.

Responder

Takeo Antônio

03 de agosto de 2015 às 13h03

Poluição gigantesca sob medida para tunganalhas-fascistalhas se reelegerem ad aeternum. Basta uma propagandinha de “maior obra de saneamento do mundo” às vésperas de eleições e pronto!: picolé reeleito para mais 50 anos.

Responder

Deixe um comentário para Mike Fmk

Parlamentarismo x Semipresidencialismo: Qual a Diferença? Fernanda Montenegro e Gilberto Gil são Imortais na ABL: Diversidade Auxilio Brasil x Bolsa Família: O que mudou? As Refinarias da Petrobras À Venda pelo Governo Bolsonaro O Brasileiro se acha Rico ou Pobre?