Mais de 70% dos eleitores já estão decididos sobre o voto presidencial, diz DataFolha

Lava Jato tira a máscara

Por Miguel do Rosário

22 de setembro de 2015 : 20h05

Análise Diária de Conjuntura – 22/09/2015.

Um dos procuradores mais visíveis da Lava Jato, Carlos Fernando dos Santos Lima, deu uma entrevista coletiva na qual tirou a máscara da operação.

Com medo de que novas etapas da Lava Jato acabem em mãos de outro juiz, outros delegados, outros procuradores, não pertencentes à República do Paraná, Carlos Lima admitiu que o alvo é o governo federal.

“O que queremos mostrar é que não estamos investigando a Petrobrás. Nós nem começamos a investigação por ela. Estamos desvelando a compra de apoio político-partidário pelo governo federal, por meio de propina institucionalizada nos órgãos públicos. Se não reconhecerem isso, vai ser um problema”, afirmou Carlos Lima.

Por que vai ser um problema?

É simples.

Porque a narrativa da Lava Jato precisa conectar-se à do mensalão e se tornar um julgamento político.

Todo o esforço da conspiração é manter a Lava Jato exclusivamente sob controle da República do Paraná,  porque qualquer outro magistrado ou procurador poderá encontrar “problemas” na investigação.

A agressividade histérica de Gilmar Mendes converge com as falas do procurador.

A Lava Jato supre o golpe com o nível diário de escândalos de que ele precisa para manter a chama acesa da “indignação” midiática.

Um dos delegados da operação também já falou nessa compra de “apoio político-partidário”, e mereceu uma resposta sarcástica do colunista Janio de Freitas.

Freitas lembrou que uma das medidas “compradas” pelo governo Lula, por exemplo, foi justamente fazer um grande investimento na Polícia Federal, de maneira que a Lava Jato pode descobrir que a própria PF é filha da… Lava Jato.

Na verdade, estamos diante de uma repetição ipsis literis do que foi visto no mensalão, quando Joaquim Barbosa relacionava votações aprovadas no Congresso com a propina paga para este ou aquele deputado.

É uma narrativa relativamente fácil de montar. Como o congresso aprova novas leis todos os dias, e como sempre tem um parlamentar recebendo propina, e como quase todas as propinas são provenientes de relações promíscuas entre empresas privadas e o Estado, sempre haverá fartura de documentos para comprovar uma teoria de “compra de apoio político-parlamentar”.

Gilmar Mendes tentou criminalizar até mesmo a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), a que chamou de instrumento do PT.

O processo de criminalização dos blogs, única brecha por onde os críticos da situação podem expressar seu descontentamento, faz parte da estratégia de sufocamento político da esquerda.

Processos judiciais contra os blogs, campanhas para ninguém faça publicidade neles, nem mesmo instituições públicas, e, por fim, associação dos blogs aos crimes do PT: pronto, eis um mundo perfeito para a mídia, no qual ela controla sozinha o debate político.

A pauta econômica, por sua vez, nunca foi tão apocalíptica como agora. E os vaticínios de desgraça, quando muito insistentes, acabam por ser autorrealizáveis.

Empresários e investidores, assustados com o terrorismo econômico, seguram gastos e demitem mão-de-obra, gerando ainda mais crise, menos investimentos, mais terrorismo, mais desemprego.

O mercado prevê uma queda no PIB de 2,7% para este ano.

O governo federal não consegue construir uma rede de apoio sequer dentro do próprio partido.

A última reunião do conselho consultivo do PT pediu “mudanças na economia”.

O conselho consultivo está certo, mas é estranho constatar que o governo não se reune nem com a sua bancada parlamentar nem com as lideranças de seu partido, hoje completamente alijadas do poder.

Rui Falcão não manda nada, Lula não manda nada. Os senadores do PT não mandam nada.

As condenações da Lava Jato estão vindo com a marca medieval que já tínhamos visto no julgamento do mensalão.

28 anos para Renato Duque. 15 anos para Vaccari.

Anders Breivik, o monstro da Noruega, responsável pelo assassinato friamente calculado de 77 pessoas, foi condenado a 21 anos de prisão.

Gerando ainda mais fato negativo para o governo, Henrique Pizzolato, condenado no mensalão, será extraditado para o Brasil, conforme decisão tomada hoje pela justiça italiana.

Pizzolato é um desses casos extraordinários, que mostra o poder descomunal do Estado quando decide perseguir alguém.

Mas também é a prova do que vínhamos denunciando desde que notamos os primeiros arbítrios por trás da Ação Penal 470, de que não adiantaria entregar cordeiros para o sacrifício.

O PT entregou Pizzolato e outras lideranças aos lobos, achando que estes ficariam satisfeitos. Não ficaram. Os lobos querem devorar o partido inteiro.

Os estamentos judiciários no Brasil foram tomados por golpistas, sem a mínima cultura democrática.

O ódio político de Gilmar Mendes não é isolado.

Quantos anos demoraremos para expurgar essa cultura de violência política de dentro do nosso sistema de justiça?

O amigo Rogério Dultra, jurista, doutor em ciência política, tem mencionado constantemente em seu blog um prestigiado autor alemão, Otto Kirchheimer, autor do clássico Justiça Política.

O livro de Kirchhemer denuncia um dos inimigos mais comuns da democracia, a violência judicial a serviço de interesses políticos.

Citando o autor alemão, Dultra observa que setores da elite vem “utilizando o Judiciário brasileiro como verdadeiro instrumento de partido, violentando o Estado de Direito e o orientando para sustentar o Golpe de Estado”.

Uma das ferramentas para manipular a justiça, é a mídia.

Dultra – sempre com base em Kirchhmer, mas sobretudo observando a realidade brasileira – constata que os meios de comunicação mobilizam uma variada gama de pressões psicológicas para destruir seus adversários políticos.

“Os meios de comunicação, quando partidarizados, podem substituir completamente a autenticação dos procedimentos jurídicos e, inclusive, destruir seus limites. O que importa é alcançar integralmente os fins políticos almejados e não preservar a retidão dos meios jurídicos à disposição”, escreve o blogueiro jurista.

Daí que a Lava Jato inicia uma outra etapa, a “Nessun Dorma” (Ninguém durma), na qual prende outro empreiteiro, o dono da Engevix, que até então vinha colaborando ativamente com a justiça.

O próprio nome da operação, relacionada a uma ópera de Puccini, traz uma insinuação capciosa. A história de Puccini é que ninguém poderia dormir antes de descobrir o nome do príncipe desconhecido.

Ora, na Ação Penal 470, fizeram um recorte arbitrário com 40 réus, apenas para efeito midiático para soar como os “40 ladrões”. O Ali Babá seria… Lula, é claro.

O “príncipe desconhecido” da Nessun Dorma seriam quem? Um boneco inflável?

Outor delator apareceu, acusando o PT, como de praxe.

Diante das colocações do procurador da Lava Jato, afirmando que a meta da operação é culpar o governo, ou mesmo antes, os réus já entenderam que, caso não denunciem o PT, suas condenações serão medievais como a de Renato Duque.

Sem contar que suas prisões preventivas também jamais serão relaxadas caso não colaborem com a procuradoria. E colaborem delatando o PT.

Todos esses empreiteiros fazem negociatas, há décadas, com todos os governos, mas a narrativa de hoje quer associar a corrupção ao PT e só ao PT.

O jogo duro que estão fazendo com Nestor Cerveró provavelmente se dá porque os procuradores não querem saber de delações quaisquer. Eles querem delação contra o PT.

Há ainda uma outra jogada do procurador. Observe que ele afirma – e a frase se torna o título da matéria do Estadão – que “tudo se originou na Casa Civil”.

O procurador referia-se somente a Dirceu ou será que gostaria de empurrar a lama também para a sua sucessora no cargo: Dilma Rousseff?

O terrorismo simbólico que a oposição, espraiada hoje em movimentos de inspiração obscura, vem fazendo contra o ex-presidente Lula, comprova que as conspirações tem uma meta arrojada, que não se esgota na derrubada do governo.

Eles querem evitar a volta de Lula.

Jarbas Vasconcelos, em palestra para empresários no Recife, não teve papas na língua para expressar seu arrogante prognóstico: “Lula será preso”.

O governo tenta reagir fazendo uma reforma ministerial, mas seus movimentos continuam lentos e erráticos.

Ricardo Berzoini, hoje ministro da Comunicação, deverá assumir a Secretaria Geral da Presidência da República, que por sua vez incorporará responsabilidades de articulação política.

Mas o que fez Berzoini como ministro da Comunicação?

O governo não consegue parar de correr atrás do próprio rabo. Não encontra nomes novos, não consegue oferecer nenhuma surpresa.

É sempre essa dança de cadeiras.

O antigo ocupante da secretaria, Miguel Rosseto, revelou-se uma triste decepção. Sem nenhum tipo de poder, suas prerrogativas como secretário se restringiam a fazer reuniões inúteis.

A direita conseguiu promover uma grande destruição política do governo por dentro. Sem comunicação, amarrado a um republicanismo de almanaque que só ele segue (vê se Gilmar Mendes é republicano), o governo perde politicamente até mesmo dentro de casa. Alguém duvida que os ministérios estão tomados de reacionários de oposição?

Sem poder de fogo, o governo exercita o seu maior talento: recuar, recuar e recuar, cortando despesas e implementando parte da agenda conservadora.

Com isso, perde apoio de suas bases.

Seu último recurso é o vitimismo do golpe, porque o conceito de golpe ainda reverbera muito negativamente na sociedade.

Mas à mídia, por ser mídia, caberá repetir exatamente a mesma estratégia de 64: pintar o golpe com tintas da legalidade, e os golpistas como os verdadeiros democratas.

Há algumas esperanças, provavelmente vãs, sobre as intenções do governo de fazer mudanças políticas mais ousadas, como substituir o ministro da Justiça.

Seria uma excelente ideia, até porque as conspirações já deixaram claro que o seu principal braço armado é a Polícia Federal, transformada esquizofrenicamente em polícia política antigoverno.

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, é um banana que não tem sequer a sensibilidade de evitar andar desprotegido num momento de aguda crise política. Resultado: foi perseguido nas ruas por grupelhos neofascistas, e passou uma imagem de fragilidade. Foi um erro similar cometido pela equipe de segurança de Dilma, durante sua visita à Nova York, que permitiu que um garoto se aproximasse da presidenta para xingá-la. O problema não é o xingamento, nem a perseguição, e sim a tramsmissão de uma imagem negativa.

O governo Dilma parece ter a estranha obsessão por destruir a sua própria imagem.

Por exemplo, qual o sentido das imagens, que o governo se esmera em divulgar como algo revolucionário, da entrega de casas para alguns cidadãos?

A imagem se tornou feia, porque se desgastou. Hoje não parece mais a realização de uma política pública popular, progressista. A imagem hoje tem cheiro de política assistencialista.

Não é evidente que Dilma deveria se dedicar a promover políticas públicas voltadas para o desenvolvimento tecnológico?

Para a abertura de salas de cinema?

O governo – e o PT também – cometeram o erro crasso de menosprezar a classe média.

A classe média não pode ser tratada com leviandade política. Ela é diversa, heterogênea, onipresente.

Seus tentáculos abraçam todas as classes sociais.

Ela não é conservadora por natureza, embora parte dela seja herdeira de séculos de preconceito social e político contra o povo.

A única saída realmente duradoura da crise política seria um trabalho de reconquista da classe média.

Num primeiro momento, podia-se resgatar a aprovação junto à mesma classe média que se engajou ativamente na campanha eleitoral da presidenta Dilma, inclusive a um grande custo pessoal.

A classe média é extremamente sensível à estética, às formas, às aparências. Por isso ela tende facilmente ao moralismo udenista.

Com a ampliação da classe média durante os governos do PT, os discursos, a estética, as próprias políticas públicas tem de mudar também.

Os discursos precisam ser mais sofisticados, mais poéticos, com mais referências cultas, satisfazendo a necessidade da classe média de se autorreconhecer no governo.

As políticas públicas precisam contemplar as demandas mais necessárias da classe média, como viagens para estudar no exterior, planos de carreira mais definidos, simplificação de impostos, residência próxima ao local de trabalho.

A classe média não quer ajuda financeira do governo, e sim políticas públicas que simplifiquem a sua vida e lhe ajudem a organizar seu futuro.

O programa Ciências sem Fronteiras é voltado para a classe média, e talvez por isso mesmo o governo nunca tenha sabido explorá-lo de maneira mais inteligente; e digo isso não pensando na “propaganda do governo”, e sim em fazer o programa ser mais debatido na sociedade, para que pudesse ser aprimorado, desdobrando-se em políticas públicas voltadas para a inserção no mercado de trabalho.

Medidas que facilitam a vida da classe média nunca serão elitistas, na medida em que ser classe média é uma condição socialmente aberta a todos os cidadãos, em especial os mais jovens; e o próprio governo tem ajudado os jovens neste sentido, com todos esses programas de acesso à universidade, além do Pronatec.

A democratização da mídia, por exemplo, é uma bandeira tipicamente da classe média progressista, embora afete toda a população. Por que Dilma, ao invés de fugir do tema nas entrevistas, não procura se informar melhor sobre a comunicação nos Estados Unidos, para lembrar aos jornalistas que lá existem programas de humor de esquerda, que zombam da Fox e dos republicanos?

O governo só evitará a fascistização completa da sociedade se implementar políticas públicas que oxigenem o nosso sistema de comunicação.

Por que os canais de notícias da Bandnews, SBT News, Record News, ficam lá na conchinchina nas redes fechadas de TV, e a Globonews fica no canal 40, na área nobre entre os canais abertos e os canais de filme? Observar esse tipo de coisa, aparentemente tão simples, é que mudou a comunicação na Argentina, após a Ley dos Medios.

As políticas de meio ambiente, alimento saudável, agricultura orgânica, regulamentação das drogas, turismo doméstico, tudo isso são assuntos que tocam de perto a classe média e mereceriam políticas públicas originais, discursos, debates.

Tudo que se repete acaba perdendo força. É uma lei estética fundamental. Por isso não se deve repetir a mesma palavra numa frase.

A mesma lei vale para a política. O governo e o PT tem que mudar. Mudar as cores, as palavras, os slogans.

Tudo precisa mudar. O lema da campanha presidencial de Dilma era a mudança, e só por isso ela ganhou.

Parte da crise hoje deriva de um apagão de inteligência e comunicação que já notávamos na gestão anterior. O governo parece não fazer uma leitura da psicologia política de uma sociedade que evolui e se transforma muito rapidamente.

Na verdade, não é culpa apenas do governo. É um problema recorrente em todas as instituições da esquerda organizada, partidos, sindicatos e centrais. De repente, essas organizações se tornaram velhas, lentas, anacrônicas, apesar de tão fundamentais para fazer o contraponto ao capital.

Tenho para mim que a crise é principalmente política, e que a política desabou sobre a economia como uma bomba.

Tenho pra mim também que as pessoas estão dispostas, até certo ponto, a tolerar o ajuste fiscal, desde que o governo ofereça contrapontos criativos e arrojados na política.

O governo parece achar que política se resume a distribuir matematicamente os ministérios para os partidos de sua base, ignorando os fatores subjetivos e, sobretudo, desprezando solenemente a política enquanto um embate criativo entre governo e opinião pública.

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

67 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

alex

23 de setembro de 2015 às 11h53

Miguel e blognautas, bom dia! Ontem fui tomar um chop com 3 amigos de redação. Dois na labuta diária e dois (me incluindo) na vida do PJ há anos. Três petistas (me incluo) e outro totalmente indiferente. Só eu falando das agruras de Dilma, de suas dificuldades para governar e blá blá. Os outros: “Quer saber Alex, essa mulher é uma baita traíra, nos envergonhou. Como posso defender uma pessoa que durante a campanha disse uma coisa e dias depois desdiz tudo? Quer saber, merece dançar, o PT não é mais o PT. É clone mal resolvido do PSDB e do PMDB. Pra mim acabou!”. Segundo depoimento: “Caras depois daquele bunda mole passeando na Paulista, sem segurança, como se o PT tivesse 90% de aprovação, de ser chamado de FDP, ladrão, petralha etc ele sequer pegar o telefone para chamar a PM ou a PF para lavrar um BO, significa que Dilma governa somente para ela.. Acabou. Ela vai manter Mercadante, Zé Duardo e outros Zés no Ministério. Política de comunicação ela torce o nariz. Entrevista só pra Folha, Globo etc. Ela e o PT cagam para os Blogs que hoje defendem eles. De vez em quando pegam um punhado de blogueiros progressistas, colocam eles numa sala com agua gelada e cafezinho e fingem que apoiam a mídia digital de esquerda. Tá na hora de apear do poder. Já fui pra rua no passado defender o PT dezenas de vezes. Não saia do diretório. Tenho direito de dizer: quero que Dilma e o PT e um monte de parlamentares petistas bunda moles se fodam”. Bom, foi indo mudamos a conversa para os velhos tempos da facú, nossas namoradinhas etc etc etc. Noite alegre por vê-los, mas triste por saber que em parte eles têm razão! Acho que chegou a hora de apear do poder. Não agora, mas em 2018. E colocar todo o PT de volta ao banco da escola. Lembrar suas origens e que o PT nasceu para ser o partido do Povo. Hoje, não é!

Responder

    Elizabeth de Andrade

    05 de outubro de 2015 às 17h34

    QUERO O FIM DOS OLIGPÓLIOS DA MÍDIA – (ASSINAR)
    #pluralidade #diversidade #liberdade #democracia

    Eu quero o fim dos oligopólios e monopólios de mídia, a transparência nas concessões de canais de rádio e televisão, o fortalecimento da comunicação pública e comunitária, e a diversidade e a pluralidade de conteúdo nos meios de comunicação do Brasil. Por isso apoio o Projeto de Lei de Iniciativa Popular da Comunicação Social Eletrônica, conhecido como Projeto de Lei da Mídia Democrática, que regulamenta os arts. 5, 21, 220, 221, 222 e 223 da Constituição Federal.

    Temos 300.000 assinaturas, precisamos de Um milhão…
    Eu apoio o Projeto de Lei de Iniciativa Popular da Mídia Democrática, ASSINAR AQUI:
    http://www.paraexpressaraliberdade.org.br/assina.php

    Responder

Anônimo

23 de setembro de 2015 às 11h51

SOBRE OS CRIMES E AS ILEGALIDADES COMETIDOS CONTRA O SENHOR JOÃO VACCARI NETO

… A condenação do senhor João Vaccari Neto serviu, entre outras patifarias, para cevar o estômago predador seletivo de reputações e os intestinos miasmáticos do [pseudo]jornalista Alexandre Garcia “dos patrões Marín(hos)” do FIFALÃO &$ da soNEGAção bilionária – e impune!
O covarde usou todo o sarcasmo abjeto para continuar o assassínio da reputação do Henrique Pizzolato!
Rosna [a $oldo IMUNDO], Garcia!
Vomita toda a bilirrubina do ódio figadal, Alexandre Garcia [reles e infame] ex-porta-voz da ditadura militar!
“O Henrique Pizzolato será extraditado pela Justiça italiana! O Pizzolato voltará direto para a Papuda, onde ficará preso porque é um fujão!”
Sim, “bem assim”,
Sem dó nem piedade!
Miseravelmente vulgar!
Na edição de hoje (22/09/2015) do comentário panfletário-terrorista ‘MAU Dia Brasil’ do rádio!

NOTA FÚNEBRE(!):
aqui em Feira de Santana, Bahia, o programete fasciterrorista e antinacionalista ‘MAU Dia Brasil’ é retransmitido pela Rádio Princesa FM 96.9 e Rádio Sociedade AM 970.
Emissoras da Rede [de Frades] Capuchinhos de Comunicações.
Empresas católicas [do lucro!].
E, atualmente, também a serviço do ‘golpe jurídico-midiático ainda ora em curso desde o antanho do Mentirão’!

Messias Franca de Macedo – matuto ‘bananiense’
Feira de Santana, Bahia
República Desses Bananas ‘Penas Amestradas’ a $oldo IMUNDO, Panfletário-terroristas, Nazifascistas e [mega]Corruptos até a enésima geração

Responder

Alceu Demeterco

23 de setembro de 2015 às 14h40

Responder

Alceu Demeterco

23 de setembro de 2015 às 14h40

Responder

surreal

23 de setembro de 2015 às 11h24

Você conhece jarbas vasconcelos?

https://www.youtube.com/watch?v=X0S3TnLDejI

https://www.youtube.com/watch?v=sL3LDjBq5VA

Responder

Wagner M. Martins

23 de setembro de 2015 às 14h17

A Lava Jato não veio pra passar a limpo o Brasil..ela veio pra passar o rodo no Brasil…e dane-se o mundo!

Responder

Diego

23 de setembro de 2015 às 10h27

Caeca est in propriis rabulae sententia causis.

Responder

Nelson Eduardo Oliveira

23 de setembro de 2015 às 12h35

Texto muito lúcido, Miguel.

Responder

Amarilia Teixeira Couto

23 de setembro de 2015 às 11h51

Excelente artigo,Miguel. A Lava-jato só engana os antipetistas de carteirinha.Os que estão vibrando com a crise política e apostam na derrocada do governo. Só espero que alguém que tenha poder para barrar o Moro o faça,antes que seja tarde. Não consigo entender como é que o Brasil foi reduzido à republiqueta do Paraná,com sua Guantánamo e ninguém faz nada.A justiça que queremos não é essa,seletiva e partidária.Queremos TODOS os que forem realmente culpados,do PT,do PSDB e de qualquer outro partido ou sem partido punidos,de acordo com a lei,com direito a defesa em todas as instâncias e sem holofotes midiáticos.Moro brinca de Deus,mas esse deus que ele representa está mais para diabo que veste Prada do que para qualquer outra coisa.

Responder

Antonio Cunha

23 de setembro de 2015 às 07h47

ESSE PROCURADOR TEM TELHADO DE VIDRO

http://www.istoe.com.br/reportagens/13328_RAPOSA+NO+GALINHEIRO

Responder

Antonio Cunha

23 de setembro de 2015 às 07h46

Raposa no galinheiro
Procurador Santos Lima, casado com ex-funcionária do Banestado, tentou barrar quebra de sigilo de contas suspeitas
Osmar Freitas Jr. ? Nova York

A proverbial raposa volta a tentar tomar conta do galinheiro. Desta vez aconteceu nos EUA. No sábado 23 de agosto, uma comissão de autoridades brasileiras embarcou para um périplo por cidades americanas. A missão era verificar in loco investigações feitas pelos procuradores daquele país, que poderiam ser ampliadas nos casos de remessas monetárias ilegais e lavagem de dinheiro feitas por brasileiros. Estavam na turma os senadores Antero Paes de Barros (PSDB-MT) e Magno Malta (PL-ES) e os deputados Dr. Hélio (PDT-SP) e José Mentor (PT-SP), todos da CPI do Banestado, dois procuradores da República, uma delegada, um perito da Polícia Federal e consultores da Câmara dos Deputados. A viagem seria um sucesso, mas o trem quase descarrilou por causa de uma disputa insólita, cujos motivos até então ocultos se revelaram, no mínimo, de má-fé. É que entre os procuradores estava Carlos Fernando dos Santos Lima. Santos Lima, quando servia em Curitiba, foi quem recebeu e manteve engavetado, desde 1998, o dossiê detalhadíssimo sobre o caso Banestado e uma lista de 107 pessoas que figuram na queixa-crime sobre remessa de dólares via agência em Nova York. No episódio houve aquilo que em termos jurídicos se chama de “instituto da suspeição”, já que o procurador é parte interessada no caso. Sua esposa, Vera Lúcia dos Santos Lima, trabalhava no Departamento de Abertura de Contas da filial do Banestado, em Foz do Iguaçu. Agora, na Big Apple, Santos Lima fez um tour de force para que a documentação da quebra de sigilo de várias contas, realizada pelo escritório da Procuradoria Distrital de Manhattan, também não viesse à luz, enveredando por um labirinto burocrático que, como sempre, tem seu final em pizza.

ISTOÉ recebeu informações de autoridades americanas de que
os procuradores Santos Lima e Vladimir Aras, do Paraná, tentaram amarrar a entrega dos preciosos documentos. Alegaram que os quatro membros da CPI não tinham autoridade para processar o caso e só
ao Ministério Público caberia a tomada de medidas legais. Insistiram também que só aceitariam os resultados da quebra de sigilo bancário
se a Promotoria Distrital nova-iorquina remetesse a papelada para
o Departamento de Justiça americano e este colocasse o crivo do
MLAT – o acordo de cooperação entre os ministérios da Justiça dos
dois países. O impasse causou constrangimento não apenas a quem forneceria a papelada como também aos parlamentares presentes.
“Foi insólito”, disse um dos americanos.

O impasse só seria resolvido através de uma manobra que frustrou Santos Lima. Os promotores distritais nova-iorquinos enviariam os documentos da quebra de sigilo para a filial do Banco Itaú em Nova York – instituição que comprou o Banestado na privatização, herdando o imbróglio – e o banco daria tudo aos senadores e procuradores. Com essa posse, os papéis seriam “consularizados”, ou seja: o Consulado do Brasil na cidade atestaria a autenticidade da documentação. De funcionários do Itaú ISTOÉ recebeu informações que houve nova investida de Santos Lima para que os membros da CPI não recebessem o que esperavam. A jogada, porém, não deu certo, e as provas obtidas pelo escritório do promotor Robert Morgenthal já estão nas mãos de quem promete dar continuidade ao caso. O senador Antero Paes de Barros (PSDB-MT), que encabeçava a missão parlamentar, disse: “No final da reunião com o District Attorney, a história do Brasil começou a mudar. Dou minha palavra de que esta CPI não vai acabar em pizza.” Mas, se depender do procurador Santos Lima, pode-se esperar uma mezzo-a-mezzo.

Vera Lúcia, esposa de Santos Lima, trabalhava no Banestado quando, em 1998, o procurador recebeu em Curitiba o dossiê sobre as atividades ilegais do banco. No dia 17 de setembro daquele ano, ele tomou o depoimento de Heraldo Ferreira – ex-gerente de câmbio da agência do banco em Foz do Iguaçu –, em que fazia denúncias sobre as atividades da instituição financeira. O caso Banestado saiu da gaveta do procurador somente depois que ISTOÉ investiu nas apurações do escândalo. Apenas em 21 de março de 2003 é que o procurador Santos Lima enviou esse depoimento à PF, sendo que na Assembléia do Paraná havia sido instaurada uma CPI sobre o assunto quatro dias antes.

A invasão ao galinheiro não seria feita apenas por uma única raposa. Junto a Santos Lima estava nos EUA Neide de Alvarenga – ex-chefe-geral da Divisão de Repressão ao Crime Organizado da PF (DCOIE). Era ela quem insistia para que a primeira equipe de agentes da PF – mergulhada nas investigações em Nova York, em fevereiro deste ano – voltasse ao Brasil. Isso a despeito de o chefe do grupo, o delegado José Castilho, insistir que as investigações avançavam e que o grupo tinha ganhado importante aliado no escritório do promotor distrital de Manhattan. Os faxes que Neide mandava para o Consulado do Brasil em Nova York, onde os agentes se reuniam, eram de conhecimento público, já que não vinham protegidos pela confidencialidade. Batia-se sempre na mesma tecla: a da interrupção dos trabalhos e a volta da equipe, o que acabou acontecendo em abril. Não foi por falta de convites que a delegada deixou de verificar no local os progressos – que hoje são provados pelas 270 caixas de documentos que o District Attorney pôs à disposição das autoridades brasileiras. Mas ela só decidiu viajar em companhia do procurador Santos Lima.

Nem tudo, porém, foi refrega na viagem desta comissão de parlamentares e procuradores. A primeira escala do grupo foi Washington. Na capital americana, a visita rendeu frutos inesperados: o adido da Receita Federal na Embaixada do Brasil entregou à comissão uma lista com 170 nomes
de pessoas que possuem imóveis em território americano, não declarados ao Fisco brasileiro. Da lista, fazem parte artistas, empresários e políticos. No total, existem 660 nomes de pessoas com imóveis, mas apenas 170
o fazem de modo criminoso. Destes, o preço mínimo de imóvel é de
US$ 800 mil – o que vale um apartamento de um dormitório em Manhattan, mas é soma suficiente para se adquirir um condomínio de
luxo em partes da Flórida e de outros Estados americanos. Entre os nomes –que estão sendo mantidos em sigilo pela CPI e pela Receita –
está o de Fábio de Oliveira Catão.

Rastros de Catão
Em setembro de 1994, o megalaranja pernambucano Fábio de Oliveira Catão, 39 anos, saiu do anonimato ao denunciar ao MP e à PF dois caciques de peso da política nordestina: o então vice-presidente da República, Marco Maciel, e o ex-governador de Pernambuco, Joaquim Francisco. Catão trabalhara no setor de transportes do comitê de campanha que, em 1990, elegeu Maciel para o Senado e João Francisco para o governo do Estado. Em depoimento à PF, ele disse que parte dos recursos do comitê de campanha foi doada por “fantasmas” ligados ao esquema de PC Farias. Segundo Catão, ele mesmo ia buscar o dinheiro na agência do Itaú de Boa Viagem. As denúncias nunca chegaram a ser provadas. Catão, que namorou a filha de Maciel, Maria Cristina, havia se apossado do cartão 24 horas da namorada para fazer saques sem autorização. Depois, sumiu de Pernambuco. De acordo com sua irmã, Alexandra, viajou para os EUA e para a Europa. Há sete anos, ele não dá notícias. Seu sumiço está com os dias contados.
Documentos da Promotoria do distrito de Nova York acusam Catão de lavar dinheiro de corrupção nos EUA. De acordo com as investigações, ele seria o administrador de uma conta de US$ 1,5 bilhão no Merrill Lynch, de Dallas, movimentada por políticos e empresários brasileiros. Ele deixou recentemente rastros na cidade de Calgary, no Canadá, onde morou por seis meses com a namorada Viviane Sperb. O casal saiu do país no dia 8 de agosto rumo a São Paulo num vôo de classe executiva. Catão comprou por US$ 5.855 as passagens na agência Atlas. Foi atendido pela brasileira Patrícia Lefebre, a quem pagou a fatura com um cheque de uma conta encerrada do Nationsbank de Dallas. “Como éramos brasileiros, tínhamos uma boa convivência, e ele me disse que administrava uma conta de políticos em Dallas”, contou ela a ISTOÉ. Após se hospedar em agosto no hotel Best Western Regent, em São Paulo, mudou-se para Santa Catarina, onde estaria trabalhando para políticos locais. Viviane retornou para a casa da família em Gramado (RS).“Ele me disse que trabalhava para os bancos e que o nome do chefe dele era Gabriel Halaban”, contou ela, que garante ter rompido o namoro com Catão.

Amaury Ribeiro Jr. e Osmar de Freitas Jr.

http://www.istoe.com.br/reportagens/13328_RAPOSA+NO+GALINHEIRO

Responder

Rodrigo

23 de setembro de 2015 às 06h55

Em vez de reclamar de quem investiga, não seria melhor e mais efetivos pedir para o petê deixar de roubar ??/

Responder

Rmy Gomes

23 de setembro de 2015 às 09h32

Investigação tendenciosa!Encomendada pela Globo e oposição. Todos nós que temos um pouquinho, que seja,de discernimento sabemos que se for prá caçar corrupto ,teremos que fechar o Congresso .A corrupção é a característica do povo brasileiro.

Responder

Milton Pimentel Martins

23 de setembro de 2015 às 03h47

Análise monumental!!!!!!!!

Responder

    Rodrigo

    23 de setembro de 2015 às 06h56

    Verdade, um verdadeiro monumento à idiotice !

    Responder

      Henrique

      23 de setembro de 2015 às 07h46

      Aécio foi ao Rio com avião oficial de Minas 124 vezes em 7 anos

      Maioria das viagens foi entre quinta e domingo; tucano era governador. Esse pode!

      Responder

Euler

23 de setembro de 2015 às 00h02

Não sei como o PT ainda não montou um dossiê, com as peças que já tem em mãos, sobre a farsa dessa Lava Jato criada para: a) tentar impedir a reeleição da presidenta Dilma; b) não conseguindo, tentar inviabilizar economicamente o país; c) tentar detonar a Petrobras para privatizá-la e entregar o pré-sal para os gringos; d) tentar criminalizar o PT, Lula e Dilma, sempre com total cobertura da mídia, em jogadas ensaiadas, típicas de quadrilha.

Quais são os elementos que o PT dispõe para montar um dossiê e fazer uma denúncia na ONU – porque aqui é perda de tempo: 1) o tratamento desigual em relação às denúncias – contra o tesoureiro do PT, cadeia, mesmo sem prova alguma; contra os tesoureiros dos partidos golpistas, que receberam volumes de dinheiro até superiores aos do PT, nenhuma suspeita; denúncias contra Aécio, Anastasia, Sérgio Guerra e Serra – isso não vem ao caso, arquive-se. Contra o PT e aliados, qualquer sugestão de envolvimento, cadeia e o prejulgamento da mídia; 2) a postura dos agentes da PF durante a campanha eleitoral, publicamente antipetistas; 3) a postura do juiz Moro, de criar uma notícia bomba antipetista a cada sexta-feira – lembremos que a esposa do juiz Moro presta assessoria jurídica para o governo dos tucanos no Paraná, mas isso não vem ao caso, claro; a postura dos procuradores federais do Paraná, representados por este tal de Carlos Fernando, cuja entrevista revela o verdadeiro sentido partidário da Lava Jato: incriminar o PT, Lula e o governo Dilma, não importa que seja através da Petrobras, da Eletrobras, das obras do PAC, enfim, enquanto Dilma não for derrubada e Lula não for preso, essa operação não terá fim.

Os inúmeros escândalos envolvendo os tucanos – Pasta Rosa, Banestado, Privataria Tucana, Mensalão tucano, Trensalão tucano, Sivam, Lista de Furnas, compra de deputados para a reeleição de FHC, etc., etc., e que não deram em nada, não vem ao caso. Para a justiça, para o complô do Paraná, para o MPF e para a mídia isso tudo nem existiu. Assim como desapareceram com o helicóptero dos Perrelas com meia tonelada de pasta base de coca. O moralismo dessa gente é seletivo.

Mas, infelizmente, como eles dominam os meios de comunicação, que vergonhosamente sobreviveram à ditadura como último suspiro e encarnação desta, eles vendem para o público em geral a narrativa que eles bem entendem. E para o azar do povo brasileiro, nós temos um governo federal presidido por uma mulher honesta, mas com enormes dificuldades de comunicação direta com o povão. E muito mal assessorada. Isso num ambiente de golpe que exigiria trabalho de profissionais para enfrentar os dragões do mal. Triste sina a nossa.

Responder

Messias Franca de Macedo

22 de setembro de 2015 às 23h37

Deputado Paulo Pimenta: Procurador da Lava-Jato tem passivo na CPI do Banestado

https://www.youtube.com/watch?v=EfMUuFdQehE

Paulo Pimenta: O procurador “cabeça” da Lava-Jato, cujo objetivo é criminalizar o PT e Lula, tem passivo na CPI do Banestado

publicado em 22 de setembro de 2015 às 21:45

(…)
Contraditoriamente, o procurador que se investe de função inquisitória, supostamente em favor da moralidade, adotou conduta suspeita quando participou da força-tarefa que investigou a evasão de divisas do banco estadual paranaense – o Banestado. A CPI que investigou o caso recebeu à época documentos provando que, entre 1995 e 2001, a então mulher do procurador, Vera Márcia dos Santos Lima, trabalhava no Banestado e que, durante parte desse período, Carlos Fernando já atuava na investigação do esquema. Mais que isso, consta que sua mulher trabalhou em dois dos principais locais onde funcionava a “lavanderia” no Banestado e que, antes de o caso vir à tona, o procurador chegou a negar na CPI que algum parente trabalhasse no banco.
Acerca das declarações de Carlos Fernando sobre a Lava-Jato, Paulo Pimenta avaliou que um dos pontos que causam mais perplexidade é o fato de a investigação partir do pressuposto de que os crimes cometidos com recursos públicos são um problema exclusivo do PT e de seus aliados. “Ora, as doações de empreiteiras para campanhas eleitorais não são uma peculiaridade do PT. Pelo contrário! Na última eleição, a UTC doou mais para a campanha de Aécio do que para a da Dilma. A Odebrecht doou três vezes mais ao PSDB do que ao PT. Mas, na lógica do responsável pela Lava-jato, a doação para o PT e seus aliados é crime, e a doação para o PSDB é lícita”, criticou o deputado gaúcho.

FONTE [LÍMPIDA!]: http://www.viomundo.com.br/denuncias/paulo-pimenta-procurador-cabeca-da-lava-jato-que-assume-a-estrategia-para-criminalizar-o-pt-e-lula-tem-passivo-na-cpi-do-banestado.html#comment-933040

Responder

Monica De Castro

23 de setembro de 2015 às 02h28

Pontualíssimo!! Obrigado, Miguel do Rosário!!

Responder

Antonio Augusto Pinheiro

23 de setembro de 2015 às 02h25

O artigo contém uma constatação insofismável: ‘O governo Dilma parece ter a estranha obsessão por destruir a sua própria imagem.

Responder

Messias Franca de Macedo

22 de setembro de 2015 às 23h21

PROCURADOR ‘LEVIANO’ AFIRMA QUE TODA CORRUPÇÃO COMEÇOU ‘NA CASA CIVIL DO GOVERNO LULA’

Por conspícuo e impávido jornalista Antonio Mello

terça-feira, 22 de setembro de 2015

(…)
Ao fazer agora tal afirmação, o procurador está sendo – para usar uma palavra muito repetida pelo seu provável candidato na última eleição presidencial, Aécio Neves – leviano. Porque não é isso o que consta no parecer, de novembro do ano passado, em que o Ministério Público Federal pede à Justiça Federal do Paraná o bloqueio de bens dos empreiteiros envolvidos no esquema de corrupção.
Na página 97, afirmam os procuradores: “Muito embora não seja possível dimensionar o valor total do dano é possível afirmar que o esquema criminoso atuava há pelo menos 15 anos na Petrobras, pelo que a medida proposta (sequestro patrimonial das empresas) ora intentada não se mostra excessiva”. [Fonte: CartaCapital]
O parecer foi subscrito por ninguém menos que o procurador regional Carlos Fernando dos Santos Lima.
E então, procurador? Quando foi leviano? No parecer enviado à Justiça, em que afirma que a corrupção na Petrobras existe há pelo menos 15 anos, ou agora, quando em declaração à imprensa afirma que tudo se originou na Casa Civil do governo Lula? Porque uma afirmação exclui a outra.

FONTE [LÍMPIDA!]: http://blogdomello.blogspot.com.br/2015/09/procurador-leviano-afirma-que-toda.html

Responder

Ubirajara Perez

23 de setembro de 2015 às 02h02

Nossa jostiça tem partido!

Responder

Messias Franca de Macedo

22 de setembro de 2015 às 22h45

… “Ocês” que não viram *”precisavam de ver”:
as caras de alegria e regozijo orgástico!
Uma espécie de sexo a três!
**Três golpistas festivos “a prever a previsível” derrubada dos vetos da presidente Dilma Rousseff pelos 300-400 [ou mais!] dePUTADos Picaretas Federais!
Mais um ato do lúgubre ‘golpe jurídico-midiático ainda ora em curso desde o antanho do Mentirão’!
Sob a batuta do ‘Achacador Geral da Nação’ &$ [mega]corrupto [eduardo] ‘CU(nha)’ “do ‘Aécio Furnas Forever'”!
*’Jornal das Dez’ [RouboNews – perdão, ato falho -, GloboNews do FIFALÃO!]
**[penas amestradas a $oldo] MERDAL Pereira, ‘Renata Não Presta’&$ Gerson ‘Cama-arrotti’!

RESCALDO:
os golpistas desmoralizaram o ‘braZ$&l’!
Viva a [IMUNDA] Casa Grande nativa!
A direitona “andando e cagando para o Brasil!”…

Responder

Maria Regina Novaes

23 de setembro de 2015 às 01h11

O duro do governo Dilma, é não prestar a atenção,em quem lhe dá apoio.

Responder

Messias Franca de Macedo

22 de setembro de 2015 às 21h53

O procurador referia-se somente a Dirceu ou será que gostaria de empurrar a lama também para a sua sucessora no cargo: Dilma Rousseff?

Naturalmente que o tal “procurador golpista” se referiu a Instituição Casa Civil desde 2003!
“Com a palavra o tal procurador golpista!”

“Portanto, a lama ocorre(u) de forma ininterrupta, ações delitivas contínuas sob a batuta do ‘Grande Chefão’!…”

Que narrativa surreal, medieval, canalha, covarde, pilantra, beócia, cretina, infame…
Digno de um [reles] instrumento da direitoina nazifasciterrorista &$ [mega]corrupta até a enésima geração!…

Responder

marco

22 de setembro de 2015 às 21h40

Não vou mais comentar aqui nesse blog.Pois não publicam!Saudações…

Responder

marco

22 de setembro de 2015 às 21h39

não vou mais comentar nada nesse blog.pois não publicam.agradecimentos e saudações…

Responder

    Irion

    22 de setembro de 2015 às 22h09

    Parece que o blog está com problema, talvez o Obama esteja querendo “ler” o comentário antes de liberar. Mas é preciso insistir (a comentário fica “congelado”, é preciso postar 2 ou 3 vezes). Deve ser alguma “interferência externa”…, não do próprio blog.

    Responder

    Diego

    23 de setembro de 2015 às 10h23

    Escreva em .doc e depois ctrl/c ctrl/v, não vai dar tempo da cia bloquear.

    Responder

Irion

22 de setembro de 2015 às 21h38

O PT foi ingênuo, NÃO DEMOCRATIZOU A MÍDIA! Agora, colhe os resultados. Ficamos à mercê do Império sanguinolento, que obviamente, com seus braços midiáticos (jurídicos, etc…) está querendo “mudar o regime”. Como o governo não consegue se comunicar de forma eficaz, poderá se trumbicar.

Responder

Josias Vicente

23 de setembro de 2015 às 00h37

A operação lava nada, só enganou quem quis ser enganado, essa farsa sempre foi um armação a serviço da OPOSIÇÃO AO BRASIL, sua parcialidade e vazamentos a denunciou desde o início, fazem parte do golpismo…

Responder

    Hell Back

    22 de setembro de 2015 às 23h27

    É isso aí Josias, logo no início lembrei o golpe no Paraguai. Parece replay.

    Responder

Roberto Betão da Silva

23 de setembro de 2015 às 00h34

lucidez

Responder

Daulto Bitencourte Garcia

23 de setembro de 2015 às 00h31

Não consigo entender como um jornalista consegue defender bandidos, contra a justiça.

Responder

Romerson Oliveira Rodrigues Rodrigues

23 de setembro de 2015 às 00h28

Assisti à entrevista do procurador e fiquei pasmo e preocupado com suas declarações. A cara dele já diz tudo!!!

Responder

Ivanildo

22 de setembro de 2015 às 21h25

Ótimo o texto

Responder

Eugenio P. Lustosa da Costa

23 de setembro de 2015 às 00h20

MIN. TORIS MUDA O FOCO DA LAVA-A-JATO.

Responder

Messias Franca de Macedo

22 de setembro de 2015 às 21h20

“NUMDISSEMOS”?!
A desmoralizada Operação ‘Lava [Tucano a] Jato’ será desmoralizada oficialmente pelo STF!
Ilegalidades pululam aos borbotões!
No entanto, os estragos colossais já foram feitos aos governos trabalhistas!
E, caso o golpe seja materializado em plenitude, os [mega]corruptos, nazifasciterroristas &$ golpistas de MERDA “voltarão a roubar sossegadamente”, lembrando a frase célebre do Gregório Duvivier…
ENTENDA

[ O VÍDEO DO ‘DESFECHO ANUNCIADO’!
Ah essa previsibilidade pífia da Casa Grande irreecuperável!…

https://www.youtube.com/watch?v=OrkqAhb4UlI ]

$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$

O depoimento que vai anular a Lava Jato

publicado 22/09/2015

A PF do zé é uma esculhambação!

O delegado Igor e o delegado Marcio Anselmo, que tem todos os ouvidos do Juiz Moro, são velhos conhecidos.
Eles apareceram na histórica reportagem da Julia Duailibi, no Estadão, onde confessam sua despudorada predileção pelo candidato Aecím.
São os delegados aecistas.
O delegado Anselmo chega a se referir ao presidente Lula como “essa anta”!
São exemplares perfeitos da notável esculhambação em que se transformou a Polícia Federal do zé.
Muito pior que a do Fernando Henrique.
O interessante é que o zé saiu por aí a dizer que ia apurar o grampo na cela do Youssef.
Até hoje não apurou…
Nem vai apurar…
Mas, por que o zé não vai embora, amigo navegante?
Porque ele presta um inestimável serviço à Presidenta: ele é um petista não petista!
E quando esse grampo ilegal anular a Lava Jato, o zé será capaz de dizer “puxa, que lastima, a Justiça estava sendo servida”!
E dane-se o Vaccari!
E dane-se o José Dirceu!

Por conspícuo e impávido jornalista Paulo Henrique Amorim

[E dane-se o Brasil!
E dane-se o honesto povo trabalhador brasileiro!
Adendos do matuto ‘bananiense’!]

FONTE: http://www.conversaafiada.com.br/brasil/o-depoimento-que-vai-anular-a-lava-jato

Messias Franca de Macedo – matuto ‘bananiense’, e que sente cheiro de golpe desde o dia em que nasceu em Pindorama!
Feira de Santana, Bahia
República de ‘Nois’ Bananas

Responder

Lívio Lima

23 de setembro de 2015 às 00h11

Há outras subjetividades não tocadas nessa análise! Imputar toda a crise a equívocos políticos é simplificar por demais a conjuntura!

Responder

Inaiá Dias

23 de setembro de 2015 às 00h10

Ilmem

Responder

Miguel Vaquer Filho

23 de setembro de 2015 às 00h08

Golpe nunca.

Responder

Messias Franca de Macedo

22 de setembro de 2015 às 21h07

PSB VIRA OPOSIÇÃO E ANUNCIA APOIO AO GOLPE
(…)

FONTE: http://www.brasil247.com/pt/247/poder/197960/PSB-vira-oposi%C3%A7%C3%A3o-e-anuncia-apoio-ao-golpe.htm

Responder

    Messias Franca de Macedo

    22 de setembro de 2015 às 21h08

    … É no que deu a impunidade do ‘jatinho sem dono porque tem dono’ (sic)…
    O jatinho da empresa ‘Providência Divina’!
    ‘Destino Linhas Aéreas’ para a Blábláblárina [Silva?! Companheira?! Crente?!…]

    Responder

Carlos Alberto Fabiano

23 de setembro de 2015 às 00h01

O PT teria que ler este texto

Responder

Messias Franca de Macedo

22 de setembro de 2015 às 21h01

… Há muito tempo ‘nois’ estamos afirmando:
para os salafrários da direitona, o golpe não tem volta, não tem retorno…
Desde o antanho do Mentirão!
‘É questão de sobrevivência, estúpido!’

[O (tíbio) PT da Governança “deu mole”?!
“Pagou pra ver” a lambança, confiando nas nossas instituições “republicanas”, na nossa (sub)democracia de araque?!
A conferir!]

… Sim, o GÂNGSTER e [mega]corrupto [eduardo] ‘CU(nha)’ “do ‘Aécio Furnas Forever'”!
O mesmo ‘Achacador Geral da Nação’ da célebre frase:
“Se a Polícia Federal vier até a minha mansão que o faça depois das 06h00 da manhã! Não costumo acordar antes deste horário!”

SIM II:
É a impunidade, estúpido!

‘O golpe jurídico-midiático ainda ora em curso desde o antanho do Mentirão’ em seus momentos finais!
Permitiremos a consecução da tragédia enquanto farsa?!…

Responder

    Messias Franca de Macedo

    22 de setembro de 2015 às 21h02

    CUNHA MARCA DATA PARA DECIDIR SOBRE GOLPE

    O presidente da Câmara dos Deputados anunciou que decidirá até amanhã qual será o rito da Câmara dos Deputados para apreciar todos os pedidos de impeachment da presidente Dilma Rousseff, inclusive o que foi formulado por Hélio Bicudo e abraçado pela oposição; “Tive reuniões com a consultoria. Eles me trouxeram um esboço. Debatemos, eu critiquei e ficaram de corrigir. Minha ideia é ter tudo concluído até amanhã”, disse ele; roteiro do golpe prevê que Cunha rejeite todos os pedidos de impeachment; em seguida, um parlamentar da oposição apresentaria um recurso, levando o caso ao plenário, para que seja instalada uma comissão especial; caso 342 dos 513 deputados concordem com a abertura do processo de impeachment, Dilma será afastada do cargo dentro de 72 horas, até que o Senado conclua o julgamento de culpa; Ayres Britto, ex-presidente do STF, já disse não haver fundamento algum para seu eventual afastamento; ou seja: golpe paraguaio

    22 DE SETEMBRO DE 2015 ÀS 13:45

    (…)

    FONTE: http://www.brasil247.com/pt/247/poder/197911/Cunha-marca-data-para-decidir-sobre-golpe.htm

    Responder

Messias Franca de Macedo

22 de setembro de 2015 às 20h59

… O que a presidente Dilma Rousseff está esperando para convocar o povo contra os golpistas nazifasciterroristas?

Aborta essa porra de ajuste fiscal; manda o PMDBosta, o pseudo PSB &$ congêneres para a PQP… Convoca o povo e implanta um governo de esquerda junto com o PC do B, o PSOL, o PCO, o PSTU, a intelectualidade, a UNE, o MST..

E se houver uma guerra civil?
A culpa será da natureza da reação dos golpistas e conspiradores infames e criminosos!
Delinquentes da Casa Grande nativa e os comparsas transnacionais!
A pressa agora é nossa!
Chega de tantas e tantas sacanagens!…

(É preferível o sangue derramado no barro da luta à deglutição da saliva da desonra!)

Responder

Messias Franca de Macedo

22 de setembro de 2015 às 20h59

https://www.youtube.com/watch?v=0fbqqvazcd4

Gilmar Mendes, de grandes pré-julgamentos e grandes silêncios, por Bob Fernandes

TER, 22/09/2015 – 16:49

(…)

FONTE [LÍMPIDA!]: http://jornalggn.com.br/noticia/gilmar-mendes-de-grandes-pre-julgamentos-e-grandes-silencios-por-bob-fernandes

Responder

Luciana Pedroso

22 de setembro de 2015 às 23h50

Não

Responder

Gilson Augusto DA Silva

22 de setembro de 2015 às 23h49

Análise lúcida.

Responder

Lulu Pereira

22 de setembro de 2015 às 23h45

tristes constatações

Responder

Edilson José Stocco

22 de setembro de 2015 às 23h38

Isso mesmo! Tira a máscara do PT, Lula, Dilma, José Dirceu, José Genoino e de toda a corja corrupta.

Responder

mineiro

22 de setembro de 2015 às 20h28

eu to tentando achar meios para dizer que esse desgoverno nao é traidor e nao acho. esse desgoverno cavou a propria sepultura , ficou isolado dentro e fora do congresso. é triste e terrivel a situaçao que chegamos. mas é por propria culpa dela em primeiro lugar , do pt e todos a que a cercam. ela nao poderia de modo algum se isolar dos trabalhadores, dos movimentos e todos nos. teria sim que chamar todo mundo que a ajudou na eleiçao a entrar na briga , ela tinha essa obrigaçao . mas nao fez preferiu os banqueiros , a cachaça abreu dos latifundiarios, o ze cardoso , o mercador da folha , ate o jombim ela trouxe de volta. nao tem como , nos nao podemos ser especialista em politica, mas ninguem aqui é burro o bastante para nao enxergar as besteiras dessa fhc de saias. se a situaçao chegou a esse ponto , é por culpa dela sim e o pt bundao.

Responder

Marciano Moreira

22 de setembro de 2015 às 23h28

Ah se a Dilma lesse esses artigos do “O cafezinho”…

Responder

mineiro

22 de setembro de 2015 às 20h21

gente que me desculpe , golpe para que ? é isso mesmo golpe para que , a direita nao precisa de golpe mais nao , o golpe ja foi dado. golpe é contra os trabalhadores, a petrobras , em todo povo brasileiro ou melhor em nos. eu começando a achar , que esse negocio de derrubar esse governo morto é tudo conversa fiada, so pra desviar a atençao. porque tudo o que eles queriam , eles estao conseguindo. esse desgoverno traidor ta entregando tudo , e o pior de tudo sem lutar. é traidora mesmo, nao tem outro jeito de qualificar esse desgoverno desgraçado e entreguista como esse. era muito melhor se ela fosse derruba lutando ao lado dos trabalhadores, movimentos sociais , os politicos que ainda presta nesse pais e todos nos. mas nao ela preferiu sim o outro lado e nao tem perdao. ficou sem os dois essa traidora, é traidora mesmo. nao tem desculpas.

Responder

    Anônimo

    22 de setembro de 2015 às 20h44

    Mineiro será o codinome do Aécio?

    Responder

      mineiro

      23 de setembro de 2015 às 13h48

      so se for o dele o meu nao , eu votei nessa fhc de saias e enxergo o que esta acontecendo , ou melhor tento. agora voce eu nao sei.

      Responder

Karla Viana

22 de setembro de 2015 às 23h20

Mais um grande texto, uma excelente análise! mas o governo, o pT e a esquerda devem ler isto e pensar e fazer e fazer.

Responder

Cora Silva

22 de setembro de 2015 às 23h19

#DilmaFica

Responder

Frederico Freder

22 de setembro de 2015 às 23h18

Nunca me enganaram.

Responder

Nair Benites

22 de setembro de 2015 às 23h17

Pra mim, essa operação já nasceu sem máscara.

Responder

Deixe um comentário

Viaje no Universo Profundo com o Telescópio James Webb O Xadrez para Governador do Ceará Lula ou Bolsonaro podem vencer no 1º turno?