Comentários sobre o áudio vazado de André Esteves (BTG Pactual)

Momentos decisivos

Por Miguel do Rosário

01 de dezembro de 2015 : 15h25

[s2If !current_user_can(access_s2member_level1) OR current_user_can(access_s2member_level1)]
Análise Diária de Conjuntura – 01/12/2015.

A semana corrente é, em inúmeros sentidos, decisiva para a conjuntura política. Tão decisiva que fica até difícil fazer qualquer análise antes de sabermos o que vai acontecer. Vamos fazer uma lista dos seis assuntos principais (na minha opinião), para facilitar nossa compreensão:

1) Cunha havia prometido que decidiria, até ontem, sobre todos os pedidos de impeachment. Agora adiou a decisão por tempo indeterminado. Obviamente está usando abertamente isso para chantagear o governo e deputados petistas que compõem o Conselho de Ética.

2) O Conselho de Ética da Câmara decide hoje o processo contra Cunha. Aliás, tenho pena dos deputados petistas membros do conselho. Estão entre a cruz e a espada. De um lado, eles têm de pensar na estabilidade do país, aprovar a meta fiscal e a LDO, e barrar o impeachment; de outro, precisam mostrar compromisso com o decoro parlamentar e com a ética. É um dilema digno de um ensaio de Max Weber sobre a ética da convicção (cassar Cunha) e a ética da responsabilidade (segurar o impeachment). Não é, todavia, uma questão acadêmica, porque envolve a economia brasileira, a estabilidade democrática, e os últimos lampejos de dignidade de um partido já profundamente ferido. O Cafezinho acha que o PT deveria se engajar contra Cunha, por diversas razões. Mesmo que Cunha não seje cassado pelo plenário, esse desgaste ficará por conta da base de Cunha, enfraquecendo-o ainda mais. [/s2If]

[s2If !current_user_can(access_s2member_level1)]
Atenção, você não está logado como assinante. Para continuar a ler, você precisa fazer seu login como assinante (na coluna da direita; ou abaixo da seção de comentários, se você estiver lendo pelo celular). Confira aqui como assinar o blog O Cafezinho. Se já foi um assinante, temos promoções especiais. Qualquer dúvida, entre em contato com a Flavia, no assinatura@ocafezinho.com. [/s2If]

[s2If current_user_can(access_s2member_level1)]

2) O Congresso hoje, em sessão conjunta (Câmara e Senado), decide questões essenciais para a economia brasileira, com profunda repercussão sobre a crise política. Se a nova meta fiscal for aprovada, a crise – que hoje é um híbrido de crise política e crise econômica – começa a terminar.

3) O Conselho Federal da OAB decide, nesta quarta-feira, 2, se apoiará o impeachment da presidenta Dilma ou não. Numa votação preliminar de membros da cúpula da OAB, realizada há alguns dias, ganhou a posição contra o impeachment. Uma decisão pró-impeachment da OAB agora seria, naturalmente, mais um elemento de desgaste para o governo e aprofundaria a crise política.

4) O final do ano promete turbulências. Alás, o ano só deve terminar em meados de março ou abril, quando os números econômicos negativos de 2015 já tiverem sido assimilados pela mídia e pela opinião pública, com os consequentes reflexos sobre a conjuntura política. A economia pode começar a melhorar no segundo semestre, segundo a previsão de diversos economistas.

5) Nesse entretempo, também teremos a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sobre o pedido, feito pelo PSDB, de cassar a candidatura de Dilma Rousseff. Considerando que o judiciário encontra-se sob forte politização, tudo vai depender do clima e da resposta do governo.

6) O principal adversário do governo, neste momento, parece ser a própria presidenta da república, incapaz de produzir discursos criativos, conciliadores, motivadores. O seu mutismo corresponde a um ruído estrondoso, que não deixa o governo ser ouvido. É incrível como a tendência do governo é sempre pela introversão. Qualquer crise, e ele sempre reage através de um silêncio constrangido, e não usa os principais palanques mundiais, como a ONU, a Conferência de Paris, para fazer grandes discursos em prol da democracia, dos direitos humanos, e das ideias que norteiam as forças políticas que lhe dão apoio. Só se manifesta quando os coxinhas vão às ruas. As falas da presidenta são incrivelmente mal escritas, tanto é que não conseguem jamais chegar às redes sociais. Ficam escondidas nos arquivos do Planalto.

[/s2If]

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

27 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Jacqueline Alcantara

03 de dezembro de 2015 às 01h40

ACHACADOR E CHANTAGISTA LADRÃO, CUNHA NA CADEIA.

Responder

Messias Franca de Macedo

02 de dezembro de 2015 às 14h12

Delcídio é uma coisa e Cunha, outra!

Sabe quando o Cunha vai em cana?

https://www.youtube.com/watch?time_continue=1&v=kldHPgvjT_k

Responder

Gugu Mello

02 de dezembro de 2015 às 12h08

Já há algum tempo é possível recolher a impressão difusa de que há um anseio nacional pela volta de uma situação de normalidade, que teima em voltar após o abalo sísmico da prisão de Delcídio Amaral, após bem armada ratoeira que nada teve de casual.
Na política e na economia, afundou-se o Brasil com uma rapidez como poucas vezes se viu, num movimento tão rápido que não se pode deixar de ver que foi artificial.
Não fomos afundando, fomos empurrados poço abaixo.
E por maior que seja a força que isso faz, passou-se do ponto de equilíbrio, e o Brasil quer emergir.
Porque o Brasil tornou-se algo tão grande que, como um corpo de grandes proporções, não pode ser mantido submerso por muito tempo, nem ser levado abaixo de certa profundidade.
Os movimentos golpistas perderam sua base social, como as “jornadas de junho” de 2013 reduziram-se aos blacblocs.
Não representam o Brasil real.
Tanto quanto não se inventam revoluções, também não se inventam retrocessos reacionários.
Mas se alguma decisão precisamos tomar, não há dúvida que é a de oferecer uma direção à imensa força de sobrevivência que inscientemente está se despertando.
O Brasil quer ir em frente, “apesar da crise”.
É uma sociedade – e uma economia – que não pode ser contida artificialmente.
O Brasil não cabe mais no figurino colonial.
Podem ter nos roubado um ano; não roubarão uma era.
1964 é impensável em 2015, ainda que com togas em lugar de fardas. – Fernando Brito.

Responder

Pedro Gilberto Nichele

02 de dezembro de 2015 às 10h29

Na realidade real de cada brasileiro decente: QUEM PRECISA DE POLÍTICOS DESSA EIRA? QUEM PRECISA DE CÂMARA DE DEPUTADOS DESSA QUALIDADE E SENADO IDEM? Pagarão caro nas próximas eleições.

Responder

    Hell Back

    02 de dezembro de 2015 às 11h16

    Quem precisa do poder executivo e de governo se temos um judiciário que sequestrou os outros poderes?

    Responder

Messias Franca de Macedo

02 de dezembro de 2015 às 00h43

Já não basta cassar Eduardo Cunha: é preciso prendê-lo.

Por conspícuo e impávido jornalista Paulo Nogueira

Postado em 01 dez 2015

(…)

FONTE [LÍMPIDA!]: http://www.diariodocentrodomundo.com.br/ja-nao-basta-cassar-eduardo-cunha-e-preciso-prende-lo-por-paulo-nogueira/

LÁ VEM O MATUTO QUE SENTE CHEIRO DE GOLPE DESDE O DIA EM QUE NASCEU EM PINDORAMA

… Quando eu vi – no Conselho de (A)ética da Câmara dos dePUTAdos – o lacaio &$ (mega)corrupto ‘Pauzinho do Dantas’… E um dos picaretas, Wellington Roberto (PR/PB), lendo um relatório paralelo – que nem mesmo ‘elle’ sabe quem escreveu (sic)…
Senti que eu iria vomitar sofregamente!
Desliguei a televisão:
o ‘CU(nha)’ do mundo é aqui!
E está (com)provado o conluio criminoso envolvendo o ‘miniSTÉRIO’ Público, PGR, STF, a ‘Guantánamo do Paraná’ do DEMoTucano “juiz” Sérgio ‘mor(T)o’, a *PTF e o PIG!
O [eduardo] ‘CU(nha)’ do ‘Aécio Furnas Forever’ somente está solto porquanto é um ferrenho, sórdido e inescrupuloso adversário do governo trabalhista, nacionalista e ético da presidente Dilma Rousseff….
A “Justiça” da Casa Grande literalmente DESMORALIZADA – e a nação refém de um gângster achacador &$ CORRUPTO!…
*PTF (Polícia Tucana Federal)

Responder

Replicante Seletivo

02 de dezembro de 2015 às 02h41

Um extrato da absurda situação que estamos nos deparando, que, tudo indica, não será facilmente resolvida e que escancara o total descalabro político, jurídico e midiático em que se encontra o país. Qualquer saída que não contemple um final drástico do caso Cunha será uma completa constatação de que estamos no pior dos mundos e que a tendência é de total degeneração do estado democrático no Brasil.

Responder

Gugu Mello

02 de dezembro de 2015 às 02h15

Os deputados do PT que são membros da Comissão de Ética não podem, como também a Dilma, se reduzir à estatura política de Eduardo Cunha, que simplesmente inexiste, porque se trata de um cadáver político e moral. Que os deputados votem pela cassação de um dos piores presidentes que presidiu a Câmara dos Deputados. Os deputados do PT que são membros da Comissão de Ética não podem, como também a Dilma, se reduzir à estatura política de Eduardo Cunha, que simplesmente inexiste, porque se trata de um cadáver político e moral. Que os deputados votem pela cassação de um dos piores presidentes que presidiu a Câmara dos Deputados.

Um presidente envolvido com inúmeros crimes e que foi apoiado, sem sombra de dúvida, até há pouco tempo pela imprensa venal e de mercado, bem como pela oposição de direita, liderada pelo PSDB e o DEM, que sempre apoiaram o golpe contra a presidente Dilma. Que Cunha seja cassado para o bem do Brasil, assim como os deputados do PT da Comissão de Ética esqueçam, solenemente, o processo de impeachment por crime de responsabilidade que Dilma pode sofrer, em 2016, por causa de uma possível reprovação da redução do superávit primário deste ano.

A redução da meta do superávit ajudará o Governo Trabalhista a validar as contas de 2015, bem como vai permitir que a Lei de Responsabilidade Fiscal não seja desrespeitada. Contudo, considero que é melhor o Governo pagar para ver se a oposição de direita realmente vai dar um golpe, porque foi necessário aos administradores do Estado nacional realizar as famosas “pedaladas”, em um momento de recessão e de aumento da inflação, que estão a ser combatidas pelo ajuste fiscal efetivado pelo ministro da Fazenda Joaquim Levy. Ajuste que, por sinal, contraria o pensamento econômico e fiscal dos técnicos desenvolvimentistas e estruturalistas que estão dentro e fora do Governo.

Dilma Rousseff tem de enfrentar essas perigosas situações, que se resumem no momento na cassação de Eduardo Cunha e na redução da meta do superávit. O Governo Trabalhista não pode, de maneira alguma, dobrar os joelhos. Tem de enfrentar e se defender contra a oposição golpista do PSDB e seus aliados de partidos e da imprensa familiar e mercantil. – por Davis Sena Filho

Responder

    Hell Back

    02 de dezembro de 2015 às 11h21

    Se o chantagista do Cunha cair, ele levará junto a Dilma. Essa foi uma das ameaças dele.

    Responder

Tadeu Braga

01 de dezembro de 2015 às 22h45

As análises de vocês são muito boas!
O PT tem que assumir, com firmeza e sem medo, a defesa da renúncia e/ou cassação, do Eduardo Cunha!

Responder

    Maria Abadia

    01 de dezembro de 2015 às 23h43

    Sou pela cassação. Se não o PT torna-se indefensável e vamos enfrentar o golpe, eles não tem moral para derrubar a Dilma. Melhor perder com honra do que ficar refém de um bandidão como o Cu-nha.

    Responder

Luís CPPrudente

01 de dezembro de 2015 às 21h51

O PT tem que votar contra Cunha, tem que peitar as chantagens do Achacador Cunha e não se acovardar diante desse pilantra.

Responder

Caio Lopes Negociador

01 de dezembro de 2015 às 23h03

UM ABUTRE RECONHECE O OUTRO KKKKKKKKKKKKKKKKKK

Responder

João Cláudio Fontes

01 de dezembro de 2015 às 20h35

O PSDB, o DEM , o PSOL ( os ‘purinhos da esquerda’ , da esquerda que a direita , e a Globo , gosta … ) , PPS , REDE , e demais da oposição , mostrando todo o seu cinismo, demagogia , hipocrisia e cara de pau .Cobrando do PT ‘coerência’ ! hahahaha Chico Alencar elogiando aquele discurso político da ministra Carmen Lúcia e a Lava Jato pra mim só confirma o que eu sempre achei : O PSOL é a esquerda que a direita gosta , faz coro com a direita .Sempre faz .Já os deputados do PSDB e do DEM falaram mais (mal) do Lula e do PT , do que do (até anteontem ) queridinho e aliado deles , o Cunha .É muito cinismo , demagogia e hipocrisia juntos ! Chega a dar pra ver a baba de veneno escorrendo do canto da boca deles .É demais ! Eu achava que o PT tinha que votar a favor , agora já tô achando que é melhor votar contra , não fazer o que a oposição quer , abrir o impeachment , algo certamente já combinado por debaixo dos panos com o Cunha .Meu Deus ! a que ponto chegamos !

Responder

Fernando Monteiro

01 de dezembro de 2015 às 20h00

Gostei do texto, mas o “seje” foi constrangedor.

Responder

Marcos Portela

01 de dezembro de 2015 às 19h49

??ORGULHO DE SER PETISTA, é RESISTIR há mais de UM ANO aos BOMBARDEIOS dos PODEROSOS da MÍDIA BRASILEIRA (REDE GLOBO, RECORD, SBT, BAND, REDETV, VEJA, ISTOÉ, ÉPOCA, etc), NEGOCIANTES JUDICIÁRIO, FASCISTAS DA DIREITA, FEDERAIS LAVAJATISTAS do PARANÁ e dos TRAFICANTES de COCAÍNA do CONGRESSO NACIONAL,uma grande QUADRILHA MAÇÔNICA com o único objetivo de SAQUEAR RIQUEZAS do BRASIL, usando o GOLPE de ESTADO como atalho para suas PRIVATARIAS, sem CONSIDERAR que para toda AÇÃO há uma REAÇÃO.

Responder

Pedro Gilberto Nichele

01 de dezembro de 2015 às 19h37

FORA CUNHA

Responder

Elismar Fontenele

01 de dezembro de 2015 às 19h28

Lava Jato, O filme. Tema
Efeito dominó.

Responder

Moisés Saldanha

01 de dezembro de 2015 às 19h16

PT salva Cunha.

Responder

Marcelo Muir

01 de dezembro de 2015 às 19h12

pizza.

Responder

Antonio Mario de Souza

01 de dezembro de 2015 às 19h00

tudo pode acontecer contra o Brasil…..

Responder

Acyr Tom

01 de dezembro de 2015 às 18h56

FORA CUNHAAAAAAAAAAAAAAAAAA.

Responder

Acyr Tom

01 de dezembro de 2015 às 18h56

FORA CUNHAAAAAAAAAAAAAAAAAA.

Responder

Allyson Melo

01 de dezembro de 2015 às 18h55

#CunhanaCADEIA

Responder

Allyson Melo

01 de dezembro de 2015 às 18h55

#CunhanaCADEIA

Responder

Allyson Melo

01 de dezembro de 2015 às 18h55

#CunhanaCADEIA

Responder

Deixe um comentário para Caio Lopes Negociador

Parlamentarismo x Semipresidencialismo: Qual a Diferença? Fernanda Montenegro e Gilberto Gil são Imortais na ABL: Diversidade Auxilio Brasil x Bolsa Família: O que mudou? As Refinarias da Petrobras À Venda pelo Governo Bolsonaro O Brasileiro se acha Rico ou Pobre?