Live com Marcio França, pré-candidato a prefeitura de São Paulo

Líder do PMDB na Câmara diz que não há motivo jurídico para impeachment

Por Miguel do Rosário

02 de dezembro de 2015 : 22h07

Ao que parece, a decisão de Cunha foi um ato isolado. Ele não combinou sequer com as lideranças de seu próprio partido.

Se a cúpula do PMDB estivesse interessada no impeachment, jamais o líder da bancada na Câmara, que é onde o processo será votado, se manifestaria tão rapidamente, e de maneira tão contundente contra o impeachment.

Leonardo Picciani é um rapaz novo, mas já é um político experiente, até por vir de uma família de veteranos da política.

Não é de esquerda e não é amigo do PT.

A sua fala, porém, é forte indício de que o PMDB não vai embarcar na canoa furada de Eduardo Cunha.

Repare o que diz Picciani: “Não vejo motivo jurídico para isso”.

Ponto final.

Claro que agora, mais que nunca, tudo dependerá da mobilização da sociedade.

A direita está forte, mas a esquerda, diante de um desafio dessa magnitude, também pode surpreender.

***

Acaba de sair no Valor.

Foi equívoco aceitar impeachment, diz líder do PMDB na Câmara

Por Raphael Di Cunto e Thiago Resende | Valor

BRASÍLIA – Líder do PMDB na Câmara dos Deputados, Leonardo Picciani (RJ) discordou da posição de seu correligionário, o presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que nesta quarta-feira aceitou o pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff por suposto crime de responsabilidade fiscal, que será analisado agora pelo Congresso.

“Acho pessoalmente que ele se equivocou em aceitar o impeachment. Não vejo motivo jurídico para isso”, afirmou o pemedebista. Picciani disse que não pode relacionar a situação no Conselho de Ética, onde Cunha é processado, com o impeachment. “Não sei se ele fez isso. Mas tem que olhar o impeachment pela ótica da Constituição Federal. Misturar esse tema com o conflito político é um equívoco enorme”, disse.

Para o líder do PT, Sibá Machado (AC), os “responsáveis por essa safadeza” são o PSDB. “O padrinho por trás do Eduardo Cunha é o PSDB”, afirmou.

O líder do governo, José Guimarães (PT-CE), convocou os líderes de partidos aliados para uma reunião de emergência em seu gabinete agora.

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

30 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Caio Colaço Agra

05 de dezembro de 2015 às 02h04

Lembrando o grande Kelsen: o Direito posto ultrapassa as questões morais, éticas e políticas, visto que, para ser ‘posto’, passou por todas as discussões dessa natureza, previstas pelo sistema (ordenamento) democrático e jurídico vigentes. No caso visto, coube ao presidente da câmara (independente de quem seja) julgar a admissibilidade da denúncia contra a(o) presidenta(o) da república, julgando e decidindo apenas em relação aos indícios de autoria e materialidade dos fatos trazidos a ele (‘pedaladas fiscais da presidenta da república’). Nada mais além disso. Segue o devido processo legal legislativo (mais uma vez, Kelsen!), onde o mérito da denúncia, agora ‘pronúncia’, será apreciado e decidido de forma colegiada. Nada de mais para o direito e sim para os oportunistas e marqueteiros de plantão!

Responder

Bruno Santos

03 de dezembro de 2015 às 21h22

Responder

Yukio Morisita

03 de dezembro de 2015 às 17h27

VAI BUNDAR MEU VOCE ESTA POR FORA

Responder

Edimar Freitas

03 de dezembro de 2015 às 13h46

porque que estes deputado estão achando rui a saída dela porque o brasil já tive presidente cassado nem pu risso o povo brasileiro morre iro

Responder

Douglas Fonseca

03 de dezembro de 2015 às 11h55

José Fábio Oliveira

Responder

Wendell Ferreira

03 de dezembro de 2015 às 10h58

Agora que Cunha aceitou o pedido do impeachment, PF pode prendê-lo.

Responder

Jackson David Boldrini

03 de dezembro de 2015 às 10h41

Cuidado com este partido fisiologista e barganheiro. Não esqueçamos que foi o PMDB que há poucos meses acolheu a traíra Marta.

Responder

Joao Ronaldo Ronaldo

03 de dezembro de 2015 às 03h07

Palhaço corrupto vc está dando as costas pra o povo brasileiro no ano que vem todos vão lembrar de você canalha

Responder

Diego Marques

03 de dezembro de 2015 às 02h29

Rei da brita

Responder

Elisa Almeida

03 de dezembro de 2015 às 01h38

Com certerza não!Ainda mais vindo de um ladrão de dinheiro público!

Responder

Go Lopes

03 de dezembro de 2015 às 01h30

Claro que não, é delório desse canalha

Responder

Fernanda Negrão

03 de dezembro de 2015 às 01h16

PMDB? Quem? Hein? #foracunha

Responder

Robson Garrido

03 de dezembro de 2015 às 00h58

#EstouComDilma

Responder

Maria D'Orazio

03 de dezembro de 2015 às 00h57

O lugar de Dilma é na presidência. O lugar de Cunha é na CADEIA/////////////// DILMA FICA!!!!!!!!!!!!!

Responder

Ricardo Lemos

03 de dezembro de 2015 às 00h53

PMDB sendo PMDB e o Cafezinho sendo o Cafezinho…

Responder

Rosane Machado

03 de dezembro de 2015 às 00h53

#DilmaFica #NÃOVAITERGOLPE #NatalSemCunha #CunhaNaCadeia

Responder

Maria Do Carmo Morotti

03 de dezembro de 2015 às 00h44

Minha Presidenta me enche de orgulho! #DilmaFica

Responder

Ailtom Claudio Marcondes

03 de dezembro de 2015 às 00h33

Kkkkkkkkkk
.

Responder

Otávio Gilioli Spinace

03 de dezembro de 2015 às 00h33

ARRANJA OS VOTO PRA NOIS ENTAO KRAI

Responder

Leandro Barros

03 de dezembro de 2015 às 00h30

#DilmaFica

#CunhaAchacador

Responder

Roberto Oliveira

03 de dezembro de 2015 às 00h28

O governo hj, aprovou a lei orçamentária na câmara e no senado. Da pra ter uma ideia como será o pitmin.

Responder

Dora Lima

03 de dezembro de 2015 às 00h28

Um corrupto, ladrão, bandido, chantagista, achacador, não tem legitimidade e nem moral para aceita impeachment contra uma presidente honesta! #CunhaNaCadeia

Responder

Priscila Araújo

03 de dezembro de 2015 às 00h25

#NãoVaiTerGolpe

Responder

Jacqueline Alcantara

03 de dezembro de 2015 às 00h20

ACHACADOR E CHANTAGISTA LADRÃO, CUNHA NA CADEIA.

Responder

Aébrio Neves

03 de dezembro de 2015 às 00h19

O link parece com problemas erro de banco de dados

Responder

Cristina Lanzini

03 de dezembro de 2015 às 00h18

Fora cunha!!!

Responder

Nysten Macedo

03 de dezembro de 2015 às 00h18

É a cartada do rufião. Ele é o próximo a ir para a cadeia.
#ForaCunha #CunhaNaCadeia #AbreABoca #X9 #Dilma13 #DilmaFica

Responder

Hellon Canella Machado

03 de dezembro de 2015 às 00h17

Leonardo Picciani tá louco pela cadeira do Cunha… Não duvide que ele queira sua sua cadeira e cabeça.

Responder

Cristiano Penha

03 de dezembro de 2015 às 00h14

SOBRE O IMPEACHMENT
– 2015 foi um ano perdido por conta da crise política criada e inflada por Cunha e pela oposição que criaram incertezas desnecessárias na economia com a criação de novas despesas bilionárias (pautas bomba), atraso na votação do ajuste fiscal e o fantasma do impeachment. Apostaram no “quanto pior melhor” e no GOLPE pra conseguir o que não conseguem nas urnas.
– 2016 será um ano de CAOS na política e na economia por causa do processo de impeachment que deve criar mais incertezas, pois nenhuma reforma será votada enquanto este tema dominar a pauta do Congresso e do país. A disputa vai parar no STF devido à base jurídica frágil do pedido. Pra onde vai o dólar, os juros, a inflação, o PIB com tudo isso? Ainda há a incógnita de como será a reação dos movimentos sociais.
– Boa Sorte ao Brasil que acredita que toda essa crise é culpa exclusiva de uma pessoa e um partido. Impeachment não vai solucionar nenhuma das causas dessa crise econômica principalmente por que vai rebaixar mais ainda as expectativas econômicas (confiança de empresários e consumidores) e piorar a CRISE, dificultando mais ainda sua superação. Também vai criar um perigoso precedente para a nossa democracia por ser fundamentado em base tão frágil: a reação internacional pode ser adversa e significar recuo dos investimentos no país. Também não resolve os problemas do nosso sistema político, já que nenhum dos partidos defensores do impedimento defendem uma reforma política séria.
– Quem sabe quando o PMDB assumir ou até mesmo a oposição através de novas eleições, e muitas conquistas sociais forem abandonadas e até mesmo o combate a corrupção volte a inexistir, além do CAOS em que vamos entrar, as pessoas se deem conta da enorme imbecilidade que fizeram ao apoiar algo assim.
COMPARTILHEM
#ForaCunha
#DilmaFica
#NãoVaiTerGolpe

Responder

Deixe uma resposta