Mais de 70% dos eleitores já estão decididos sobre o voto presidencial, diz DataFolha

Brasília - O ministro da Defesa, Jacques Wagner, participa de audiência pública na Comissão de Relações Exteriores, para falar sobre o decreto sobre militares e Jogos Olímpico (José Cruz/Agência Brasil)

O PT se lambuzou?!

Por Redação

06 de janeiro de 2016 : 17h20

Não foi o PT que se lambuzou, como diz Jacques Wagner, mas alguns do PT que se lambuzaram e deixaram o partido melecado de corrupção do sistema político

por Jeferson Miola, na Carta Maior

Por qual razão a entrevista do ministro Jaques Wagner à Folha de São Paulo provocou tanto furor no PT?

Até as pedras sabem que a desmoralização do Partido no imaginário popular decorre das escolhas impostas pelos setores que historicamente controlam e dirigem o PT: a maioria que se chamava Unidade na Luta e que passou a se chamar Construindo um Novo Brasil [CNB].  

A maioria, aliás, da qual o próprio Jaques Wagner [assim como alguns dos seus críticos de hoje] foi um dos principais expoentes, e através da qual ele construiu sua trajetória partidária. 

Com o fim da guerra fria, sobreveio a consolidação do poder imperial dos EUA e a expansão da globalização financeira especulativa. E o neoliberalismo passou a exercer, então, uma hegemonia ideológica sem precedentes, que estruturou a dominação capitalista pelas décadas seguintes.  

O PT, a mais rica e expressiva referência partidária da esquerda democrática e socialista mundial, não ficou imune a este fenômeno, mesmo que tenha nascido a partir da crítica radical ao stalinismo, ao dogmatismo e a todas as formas de degeneração burocrática do chamado “socialismo realmente existente”.

A leitura que o setor majoritário do PT fez daquela realidade e, em conseqüência, as políticas que passou a definir, trariam mudanças de enorme significação para o Partido, como a vida se encarregou de demonstrar que de fato trouxeram.

Foram operadas mudanças de duas índoles: no plano ideológico-programático; e na dimensão organizativa, do funcionamento e da estrutura partidária.

No plano ideológico-programático, o PT passou a relegar o esforço de elaboração teórica e política sobre a transformação socialista do Brasil. O léxico partidário foi sendo esvaziado de conteúdos essenciais, como da luta de classes, da democracia socialista e da construção do poder democrático-popular.

Em lugar disso, a maioria partidária impôs a “modernização” do PT, com o abrandamento ideológico que o tornaria mais palatável à classe dominante e aos olhos do grande capital doméstico e internacional. A minoria do PT, contrária a tal transmutação – porém derrotada –, era tratada pejorativamente como jurássica, esclerosada – com o endosso da mídia empenhada em fortalecer a desnaturação do PT.

As coalizões eleitorais incoerentes e contraditórias, estabelecidas com partidos políticos tradicionais e inclusive de direita [como o PP, por exemplo] para vencer eleições e ter de governar com concessões programáticas, foram desdobramentos naturais desta visão majoritária.

No plano organizativo, o setor majoritário do PT logrou aprovar mudanças estatutárias que distanciaram o PT dos seus militantes e assemelhou a democracia partidária a pantomimas onde só ficaram faltando aquelas tietes dos jogos da liga norte-americana de basquete.

Também foi decisiva a mudança na forma de sustentação financeira do PT. O afrouxamento da contribuição militante regular cedeu lugar à aceitação do financiamento empresarial das eleições. A adesão a esse sistema corrupto montado pelos partidos tradicionais e pela classe dominante que dele se beneficiam, lesou o patrimônio ético do PT.

É indiscutível que os problemas éticos enfrentados pelo PT hoje derivam do “giro modernizante” que afastaram-no dos princípios e valores programáticos que fizeram parte da sua origem e constituição naquele memorável 10 de fevereiro de 1980.

Tanto mais o PT se afastou dos seus princípios e do seu programa e adotou os mesmos critérios da política tradicional dominante, tantos maiores e recorrentes foram os problemas éticos que passou a enfrentar.

O único reparo recomendável às declarações do Jaques Wagner é quanto à conjugação verbal. Não foi o PT que se lambuzou, como diz ele, mas alguns do PT que se lambuzaram e deixaram o PT melecado na cumbuca de corrupção do sistema político que a maioria do Congresso Nacional quer eternizar, porque é beneficiária dele.

O problema, contudo, é que tais erros comprometeram a imagem do conjunto do tecido partidário – o 1,5 milhão de filiados/as e as outras dezenas de milhões de amigos/as e simpatizantes do PT. A mídia, a oposição, e os reacionários fazem de tudo para estigmatizar e criminalizar o PT e os petistas, o que é um absurdo grotesco: seria o mesmo que acusar toda a torcida corinthiana de criminosa, porque três integrantes dela causaram a morte de um torcedor num estádio da Bolívia.

Mas, a essas alturas, isso não altera o essencial: é o PT, institucionalmente, que deve prestar contas ao povo brasileiro. Neste momento histórico, o PT está ante os maiores desafios de toda sua existência. O Partido não pode adiar um gesto que está atrasado em pelo menos 10 anos; uma atitude que deveria ter sido adotada ainda em 2005: através da sua direção, deve se reportar à sociedade, se desculpar pelos desvios que alguns cometeram em seu nome e retomar sua vocação de partido ético, socialista, rebelde, coerente e transformador.

Um gesto desta grandeza confere ao PT um voto de confiança para agitar a bandeira da convocação de uma Assembléia Constituinte para a realização da reforma política verdadeira, para extirpar esse sistema político corrupto que corrói a nossa democracia.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

22 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Manoel Teixeira

07 de janeiro de 2016 às 16h07

Ontem postei minhas observações sobre este tema e não vejo a publicação.
O que houve?
Comentei que o PT precisa se revinventar e que o PT se lambuzou sim. Não foram um ou dois casos, houve uma ampla e total conivência e ou participação direta da alta direção do partido no uso de dinheiro ilegal e aproveitamento pessoal. Deixaram os delcídios entrarem e ‘operarem’ o Estado sem impedimentos.
Comentei, também, que o atual presidente do PT, Falcão, é citado no livro A Privataria Tucana como protagonista de uma rasteira no coordenador da primeira campanha de Dilma, Pimentel, vazando informações para a mídia que terminaram derrubando Pimentel da função e complicando muito a eleição de Dilma na época.
Isso não pode ser dito?

Responder

Miriam Ramos

07 de janeiro de 2016 às 12h57

Não acho que o ministro da casa civil falou errado o PT e o PMDB, se lambuzam isso sim.

Responder

Miriam Ramos

07 de janeiro de 2016 às 12h57

Não acho que o ministro da casa civil falou errado o PT e o PMDB, se lambuzam isso sim.

Responder

Evandro Luiz de Oliveira

06 de janeiro de 2016 às 23h02

Eu não acho que o PT se lambuzou-se na lama da corrupção e nem os seus parlamentares, o que aconteceu foi uma grande conspiração de direita que criou este senário desde da época do primeiro mandato de Lula com o mensalão, o mensalão foi criado para ter argumentação jurídica para um eventual impedimento de Luis Inácio da Silva e por consequência cassar toda a esquerda progressista e revolucionaria do Brasil é uma forma que o poder real encontro junto com EUA de frear todos os movimentos revolucionário da América Latina já que para os americanos o Brasil não vai aonde a America Latina espanhola for, mais a America Latina irá aonde o Brasil for (John Kennedy) presidente do estados unidos disse uma vez, o Brasil é o único país que podem quebrar a hegemonia americana de poder absoluto, por suas importância no senário mundial por suas riquezas dimensão geográficas.

Responder

    Vitor

    07 de janeiro de 2016 às 09h05

    Juro que fiquei na dúvida se você está ou não sendo irônico…

    Responder

Fabio Monteiro

06 de janeiro de 2016 às 22h29

Aposto que ele é coxinha. Pra ir contra o movimento do PT precisa ser COXA ou a favor do golpe militar da caixa econômica/CIA/VEJA/MSI

Responder

Fabio Monteiro

06 de janeiro de 2016 às 22h27

E volta o cão arrependido…

Responder

Sylvio Souza

06 de janeiro de 2016 às 22h12

Eu fico me perguntando quando será que FHC e sua gangue vã fazer seu mea culpa pelas privatizações e corrupção, Alckmin pela falta de água….e muitos outros mais…..
Mais não, vem um babaca para fazer um mea culpa da síndrome de vira-lata

Responder

Sylvio Souza

06 de janeiro de 2016 às 22h12

Eu fico me perguntando quando será que FHC e sua gangue vã fazer seu mea culpa pelas privatizações e corrupção, Alckmin pela falta de água….e muitos outros mais…..
Mais não, vem um babaca para fazer um mea culpa da síndrome de vira-lata

Responder

Sylvio Souza

06 de janeiro de 2016 às 22h06

E o quanto será que ele se lambuzou?

Responder

Sylvio Souza

06 de janeiro de 2016 às 22h06

E o quanto será que ele se lambuzou?

Responder

Andre Luiz Prado Prado

06 de janeiro de 2016 às 21h37

O que Jacques Wagner ganha é falar isto? Ele quer dar noticia para globo….muito amador

Responder

Andre Luiz Prado Prado

06 de janeiro de 2016 às 21h37

O que Jacques Wagner ganha é falar isto? Ele quer dar noticia para globo….muito amador

Responder

Tonya de Carvalho

06 de janeiro de 2016 às 21h02

O PT deve voltar às origens …!!

Responder

Orlando Bonetti Junior

06 de janeiro de 2016 às 20h57

Seria uma auto crítica?

Responder

Bebel Coelho

06 de janeiro de 2016 às 20h46

LARANJA PODRE NO CAIXOTE EH COMUN MAS O PT JOGA FORA NO LIXO.

Responder

Vitor

06 de janeiro de 2016 às 18h24

Sem dúvida foram apenas alguns que se lambuzaram, o problema é que estes eram da cúpula do partido e não da base…

Responder

Marcos Marcos

06 de janeiro de 2016 às 20h23

Jacques, assim você nos mata!!!

Responder

Alder Oliveira E Silva

06 de janeiro de 2016 às 20h17

Pelos menos ele teve a dignidade de fazer sua mea culpa. É preciso reconhecer os erros para poder corrigi-los

Responder

walker botelho

06 de janeiro de 2016 às 17h31

Se o próprio ministro todo poderoso afirma algo que TODOS sabem.
Aplausos para esse reconhecimento, isso é sinônimo de grandeza.!

Responder

Deixe um comentário