Análise da reunião ministerial de Bolsonaro

A mídia e o senso comum fascista

Por Miguel do Rosário

25 de janeiro de 2016 : 16h36

Análise Diária de Conjuntura – 25/01/2016

Hoje, na capa do site da Folha, mais uma pérola deste neofascismo do “senso comum”.

ScreenHunter_389 Jan. 25 15.02

ScreenHunter_387 Jan. 25 15.01

Há muito tempo que percebi a relação incestuosa entre as seções de cartas dos leitores e a editoria dos jornalões. Eles transformaram a seção numa extensão do editorial. Na Folha, o destaque que dão a esta ou aquela carta reforça esta impressão.

A cartinha em destaque nesta segunda-feira mostra como é fácil a vida na imprensa brasileira, e como é difícil da vida de um blog como o Cafezinho.

É uma cartinha idiota, que ventila uma das teorias golpistas idiotas, segundo a qual os empreiteiros, a maioria deles tucanos, e que deram tanto dinheiro ao PT como ao PSDB na campanha de 2014, estivessem mancomunados entre si para manter o PT no poder.

Publicar essa cartinha com destaque é uma artimanha golpista.

Os jornalões usam o seu poder para defender o senso comum.

O povo quer linchamento? Então que se lhes dê linchamento.

Até mesmo o ódio de classe é manipulado pelos jornalões.

De uma hora para outra, colunistas como Merval Pereira, Josias de Souza, e até mesmo o “boa praça” Jorge Bastos Moreno passam a atacar os empreiteiros investigados pela Lava Jato como “oligarcas”.

A carta dos advogados em que se denunciam abuso dos direitos e atropelo do devido processo legal é alvo do escárnio de Merval Pereira, que a chama de “grito dos oligarcas”.

É uma situção tão irônica!

Os colunistas, que vendem suas inteligências aos oligarcas ultrarreaciolnários da mídia, de repente adotam vocabulário marxista?

Ah, finalmente, estão prendendo ricos e poderosos!

Com isso, dá-se um nó na cabeça do esquerdista.

“PT deveria se orgulhar que a Polícia Federal conseguiu prender Marcelo Odebrecht”, argumenta o militante confuso.

A mídia conseguiu dar um xeque-mate na cabeça de uma esquerda sem liderança, construída em cima de frases de efeito, e que defende, às vezes meio constrangida, um governo e um partido que fugiram, há tempos, do debate político.

Era necessário que os ministros de Dilma estivessem todos os dias dando entrevistas a programas de rádio, TV, sites e blogs, participando de hangouts na internet, divulgando vídeos, estatísticas, pautando a mídia. Fazendo política, enfim. Isso ajudaria a destensionar a atmosfera, subsidiaria os parlamentares, daria segurança aos empresários e estimularia a militância que defende o governo.

Voltando a questão do Marcelo e às armadilhas ideológicas da Lava Jato, vemos os coxinhas explorando as contradições do progressismo.

Como é possível, vocês vão defender um barão do capital, perguntam eles, entre risinhos.

Mais uma vez, como é fácil ser direita no Brasil!

Basta obedecer cegamente ao senso comum.

Não há contradições!

Daí vemos pérolas como o comentário da leitora da Folha, de que a “democracia” tem de se sobrepor aos direitos dos réus da Lava Jato.

É uma frase tão bizarra que chega a ser engraçado.

Se a democracia se “sobrepõe” aos direitos e liberdades individuais então ela pode ser tudo, menos democracia.

Josias de Souza ataca os advogados progressistas que denunciaram os arbítrios da Lava Jato (muito parecidos com o que vimos no julgamento do mensalão, diga-se de passagem) dizendo que eles “nunca se preocuparem com as centenas de milhares de presos no país”.

Mentira.

Inúmeros juristas denunciam, há anos, o fascismo penal no país. Quem não repercute essa denúncia é a mídia para a qual Josias de Souza e Merval escrevem, esta sim, representante maior das oligarquias.

O Cafezinho publicou há mais de um ano uma denúncia de Rogério Dultra, jurista, professor da UFF, contra a prisão preventiva no país, que mantém inocentes presos por anos a fio.

Um dos signatários da Carta aos Advogados, um famoso jurista, repete em artigo um argumento que o Cafezinho vem usando há tempos, para denunciar o abuso da prisão preventiva em algumas investigações da Polícia Federal: o neofascismo tupiniquim, ao invés de denunciar os arbítrios do sistema judiciário brasileiro contra os pobres, agora quer estendê-los aos ricos. A alguns ricos somente, claro. Somente aos ricos que se interpõem no caminho das conspirações políticas.

As delações premiadas tornaram-se uma pantomina golpista. Vê-se agora que os procuradores estão distorcendo, na maior cara de pau, o que os delatores dizem. Ou seja, além de direcionarem os depoimentos e vazarem seletivamente, eles fazem “resumos” das delações que têm a proeza de lhes inverter o sentido. Paulo Roberto Costa inocenta Marcelo Odebrecht em sua delação, mas não é isso que diz a transcrição, e daí se vaza para os jornais não o que realmente os réus disseram, mas a versão manipulada pelos procuradores.

Em seu blog, Juca Kfouri mata outro golpezinho sujo que os procuradores vinham tentando aplicar no âmbito da Lava Jato, com objetivo de subsidiar o TSE com uma teoria capaz de cassar o mandato da presidenta Dilma.

Segundo o que esses procuradores, criminosamente, vazaram à impremsa, o empresário Ricardo Pessoa teria dito que o tesoureiro da campanha de Dilma Rousseff, Edinho Silva, o teria “chantageado” para obter doação de campanha.

Falamos aqui de doação oficial, caixa 1. Sim, porque não conseguindo encontrar qualquer indício de caixa 2 na campanha de Dilma Rousseff em 2014, os abutres do golpe, Gilmar Mendes à frente, tentam criminalizar o caixa 1.

Acontece que, observa Kfouri, o vídeo mostra algo diferente. Pessoa não fala em chantagem ou ameaça por parte de Edinho Silva.

Mais uma vez, portanto, houve deturpação nas transcrições, e são estas que são vazadas, seletivamente, à mídia.

O golpe sujo que deram em Marcelo Odebrecht, portanto, omitindo o trecho da delação de Paulo Roberto Costa que o inocentava, é um modus operandi que se repete ao longo de toda a Lava Jato.

A própria delação premiada revela-se, cada vez mais, um acinte ao Estado Democrático de Direito, porque permite que os criminosos manipulem o sistema judiciário.

Em se tratando de uma investigação profundamente politizada, tocada por autoridades assumidamente de oposição, a delação premiada abre espaço para que o procurador, em conluio com o réu e seus advogados, monte todo o tipo de conspiração, que é o que está acontecendo.

É interessante notar ainda que o recrudescimento da virulência contra Marcelo Odebrecht e contra os advogados mostra que os conspiradores sentiram o golpe.

Os advogados de Marcelo entenderam que o jogo é jogado na comunicação. Não é um processo técnico. A acusação se acha, além disso, no direito de falar sozinha na mídia. Quando algum réu decide reagir, eles tentam criminalizar a reação.

Tudo isso sempre com a chancela da mídia.

Aliás, isso me dá oportunidade para uma observação.

Quando Lula assume o poder, em 2003, a mídia trata de desenterrar uma máxima de Millor Fernandes do tempo da ditadura, segundo a qual, imprensa é oposição, o resto é secos e molhados.

Eu já fiz algumas críticas filosóficas a esta máxima: a imprensa não tem que ser oposição, nem situação. Ela tem de ser transparente e sincera. Não há nada de mais em ser simpática a uma determinada corrente política, mas que o admita em seus editoriais.

Daí, quando surgem os blogs progressistas, nascidos esponteamente do vazio de opiniões críticas à mídia, a mídia tenta pespegar nos blogs a pecha de chapa-branca.

Nessa última entrevista com Lula, alguns jornalões, como Folha e Estadão, publicaram matérias em que tratam os blogs como “simpatizantes ao PT”.

Não haveria nada demais em falar isso num outro contexto, mas no contexto das reportagens, soa como xingamento. É um veneno jornalístico, visto que os jornalistas que participam das entrevistas no programa Roda Viva, por exemplo, não são chamados de “simpatizantes do PSDB”, e o são – e não num blog privado, mas numa concessão pública e numa tv pública.

Bem, o que eu pensei nos últimos tempos é o seguinte: ué, a imprensa deve ser crítica, certo? Tudo bem. Mas deve ser crítica apenas ao Executivo?

Não deve ser crítica a todos os poderes, a todas as autoridades? Por exemplo, ao Ministério Público, ao Judiciário, às corporações, ao grande capital?

O chapa-branquismo é um conceito restrito à relação com a presidência da república? Logo a presidência, que não tem poder de fazer mal a ninguém?

E o Judiciário, não merece críticas?

A Lava Jato está encontrando um ambiente um pouco mais crítico, um pouco mais esclarecido, do que aquele que rodeou o julgamento do mensalão.

Antes que qualquer jornalista da grande mídia lançasse um livro golpista sobre o petrolão, em cujo lançamento comparecessem ministros do STF, ou pior, prefaciado por ministro do STF (Ayres Brito prefaciou livro de Merval Pereira às vésperas de deixar a presidência do STF; na semana seguinte, ganhava sinecura de luxo em instituição patrocinada pela Globo), antes disso, ia dizendo, Paulo Moreira Leite lançou o seu O Outro Lado da Lava Jato, que já é campeão de vendas, e aparece com destaque nas gôndolas das principais livrarias do país.

O ambiente cultural também está diferente. A Globo se tornou anacrônica do dia para a noite. Ontem eu assistia a já famosa série documental do Netflix, Making a Murderer, em que o sistema judicial e policial dos Estados Unidos se une para mentir e forjar provas contra um réu.

Essa é a diferença principal – eu já o disse várias vezes – entre o sistema penal americano e o nosso.

O de lá comete tantas injustiças como o daqui, embora o nosso seja campeão de barbárie, por causa do estado lamentável das prisões num país ainda muito pobre. O histórico religioso dos EUA, além disso, permitiu que o fascismo do senso comum, em sua hostilidade “contra os bandidos”, fosse contido. Presos, culpados ou não, também são seres humanos.

A diferença principal, eu dizia, está no debate público. O sistema judicial americano é discutido profundamente, na mídia, em filmes, em livros. Juízes e promotores não são endeusados, mas alvo de constantes críticas.

Existem inúmeras ongs, na sociedade civil, nas universidades, especializadas em cuidar de erros judiciais.

Existe a cultura de discutir o erro judicial.

Aqui, não.

Aqui não só o debate sobre o erro judicial – sobretudo o erro nascido do arbítrio – é um tabu, que jamais é discutido, como aqueles que tentam provocar este debate são criminalizados.

A Lava Jato, por exemplo, já mostrou que não aceita críticas. Somente os procuradores podem pontificar na tribuna da mídia, acusando o governo, os réus. Fazem proselitismo até mesmo dentro de igrejas. Quando os advogados dos réus tentam fazer um contraponto, os procuradores e a mídia reagem com fúria.

Um dos delegados da Lava Jato, ao prender José Dirceu, divulgou o seu relatório, no qual lançava acusações irresponsáveis contra “jornalistas que criticavam o sistema judiciário”, e ainda fazendo insinuações de ordem criminal.

Merval Pereira, colunista do Globo, quando foi desmascarado pelo Cafezinho fazendo reuniãozinha secreta com Eduardo Cunha, muito provavelmente reunião de cunho golpista, reagiu falando em “blogs rastreados pela Lava Jato”.

Sergio Moro, quando mandou quebrar o sigilo telefônico de uma linha da sede do PT nacional em São Paulo – provavelmente em busca de diálogos que pudesse vazar seletivamente à imprensa, na tentativa de criminalizar o partido – também ordenou várias quebras de sigilos de jornalistas da Rede Brasil Atual, o modesto grupo de mídia que os sindicatos conseguiram montar, para tentar fazer frente à ofensiva brutal da mídia conservadora.

Ou seja, usam a Lava Jato até para isso, para silenciar qualquer crítica, como se eles fossem, realmente, representantes de uma ditadura.

E agora ficamos sabendo que a esposa de Mauro Marcondes, uma senhora de 53 anos, está sendo literalmente torturada nas dependências da Polícia Federal, numa tentativa de forçar seu marido a delatar Lula.

No âmbito da Lava Jato, já tínhamos visto coisas parecidas. Ricardo Pessoa, Nestor Cerveró, Paulo Roberto Costa, todos foram torturados. O Estado ameaça com prisão preventiva por tempo indeterminado, supressão de qualquer possibilidade de habeas corpus, condenações medievais de 20, 40, 50 anos (vide a fala de um procurador, ameaçando Marcelo Odebrecht com uma pena de 2 mil anos…), perseguição à família.

O jogo é pesado, e intimida de facto os tribunais superiores, cujos ministros que não se vergam à conspiração são imediatamente atacados pela mídia.

O único trunfo que o campo progressista possui, em verdade, é que essas conspirações têm custado tão caro à economia brasileira, tem feito tanta gente perder dinheiro, e instituído práticas tão perigosas do ponto-de-vista das liberdades e direitos individuais, que é seguro dizer que, em algum momento, tudo isso se voltará contra seus autores.

A mídia, por sua vez, tenta impor o seu discurso único, de que o PT é um mal, uma quadrilha. Esse discurso criminalizante é simplesmente fascista. A iniciativa do líder do PSDB na Câmara, de pedir a extinção do PT, é estarrecedoramente fascista.

Ora, é evidente que um partido político popular, como o PT, tem uma importância essencial para a democracia brasileira. Tem história, nuances, heroismo. Tem corrupção também porque a corrupção é inerente ao poder, ao homem, à política. A mídia ludibria a opinião pública ao não procurar esclarecê-la quanto a isso. Uma coisa é um partido na oposição. Outra coisa é o mesmo partido no governo. Todas as sereias do capital tentam seduzir o partido quando este assume o poder.

A própria mídia abre-lhes as portas. Não é a tôa que o PT nunca tenha defendido, na prática, uma regulamentação da mídia. É porque a mídia corrompeu facilmente as lideranças do partido, inclusive Lula, José Dirceu, Genoíno, através do ponto-fraco de qualquer ser humano, a vaidade.

A bem da verdade, o PT só começou a levar a sério a necessidade de discutir a mídia quando viu suas lideranças presas, e o seu próprio futuro em jogo.

A necessidade é uma ótima professora, só que o PT ainda não sabe fazer o debate sobre mídia, porque este não é fácil, e o PT até agora não soube criar think tanks. O partido edita revistas, no âmbitos da Perseu Abramo, que ninguém lê. O governo, por sua vez, não debate mídia, como se toda a crise política que consome suas energias não tivesse a ver com o processo de asfixiamento midiático a que tem sido submetido.

Fala-se em regulamentação da mídia, mas que livros devemos ler sobre isso? Que filmes? Que documentários? Onde estão compiladas as informações sobre a regulamentação em outros países? Como levar adiante um debate sem esse tipo de subsídio intelectual?

O PT age por espasmos, contraditórios, confusos. Num dia, denuncia as delações, no outro exalta a delação contra seus adversários. Critica a Polícia Federal num momento, e depois exalta editorial do Financial Times que elogia a “luta contra a corrupção” no país.

A confusão do PT deriva de seu modus operandi, de também tentar surfar no senso comum. Seus dirigentes fazem pesquisas, e acreditam nelas, e agem de acordo com o que elas dizem. E mesmo assim, o partido parece se afundar cada vez mais, não fosse a resistência de sua militância, e do contraponto dos blogs.

A entrevista de Lula aos blogueiros, porém, pode marcar uma virada. Como já disse em post recente, a conjuntura não está de todo má. A guerra chegou a um momento crítico. A violência midiática e o arbítrio judicial nunca foram tão pesados.

E mesmo assim a conjuntura está razoavelmente boa, misteriosamente boa eu diria, se compararmos ao que vivemos em 2015.

Só que o governo tem de reagir. Tem de inovar. Tem de haver ofensiva política, centrada numa comunicação inteligente e criativa. Sem isso, a conjuntura pode voltar a se deteriorar.

Os prognósticos econômicos para este ano ainda são muito ruins, porém todos os indicadores apontam um gráfico de recuperação, na comparação com 2015 e na perspectiva para 2017.

A inflação será bem menor, com ênfase nos preços administrados. Está chovendo mais, beneficiando regiões pobres que vinham sofrendo especialmente com a seca.

As notícias que chegaram hoje, de Davos, sinalizam o interesse crescente dos grandes investidores internacionais pelo Brasil, de olho na queda de preço dos ativos locais, o que é bom, porque significa injeção de capital em setores produtivos e geração de empregos.

A Lava Jato deu voltas e mais voltas e não chegou nem em Lula nem em Dilma. Tanto é que setores do MP tentam outras estratégias, desesperadas, natimortas, para pegar o ex-presidente.

O impeachment já foi praticamente derrotado.

Falta agora o que todo mundo apontava no dia seguinte à vitória de Dilma no segundo turno de 2014: Dilma iniciar uma agenda positiva.

Se tem de fazer reformas difíceis, que o faça, mas compensando com avanços políticos, incrementando a comunicação, esforçando-se minimamente para fazer a batalha de narrativas, que consiste em propor, dialogar, esclarecer, defender-se dos ataques, atacar quando for preciso, despertar esperanças, oferecer horizontes.

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

24 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

ulysses freire da paz jr

28 de fevereiro de 2016 às 21h45

O programa Fantástico da Rede Globo http://g1.globo.com/fantastico/noticia/2016/02/grupos-neonazistas-e-admiradores-de-adolf-hitler-espalham-odio-pelo-brasil.html apresentou hoje uma matéria, recheada de elementos visivelmente agressivos, intitulada de O RESSURGIMENTO DO NEONAZISMO NO BRASIL. Fosse uma matéria deveras séria, apresentaria o NAZISMO EM SUA ESSÊNCIA no Brasil : http://osentinela-blog.blogspot.com.br/2015/01/o-partido-nacional-socialista-no-brasil.html e na Alemanha http://osentinela-blog.blogspot.com.br/2014/11/a-cosmovisao-de-um-nacional-socialista.html

A realidade e os fatos comprovam que TODOS os movimentos, TRAVESTIDOS de Neonazismo: – com perfil violento embasado em ódio e disseminação de hostilidades, segundo os principais meios editoriais e a indústria cinematográfica nos querem fazer crer’, NÃO SÃO NAZISTAS, assim como os padres maçônicos pedófilos infiltrados na Igreja para desmoralizá-la, PORÉM, tipicamente bolchevistas/comunistas/capitalistas …. sendo exacerbadamente coerentes com a citação do judeu Henry Kissinger: “ IT IS NOT A MATTER OF WHAT IS TRUE THAT COUNTS, BUT A MATTER OF WHAT IS PERCEIVED TO BE TRUE” , ou com ‘’Chutzpah: o “jeitinho” talmúdico no cotidiano’’, assim como com o capítulo VII dos Protocolos dos Sábios de Sião. Tal expediente é tipicamente maçônico “…AFIRMA-SE UMA COISA E OPERA-SE, CONSCIENTEMENTE EM SENTIDO CONTRÁRIO…. “ vide o lema da Revolução Francesa.

Segundo Gustavo Barro em “Brasil Colônia de Banqueiros” – “Em sua MARCHA AVASSALADORA, a ORGANIZAÇÃO CAPITALISTA do mundo procura, antes de tudo, PENETRAR NO ORGANISMO DAS NAÇÕES, A FIM DE ANIQUILÁ-LO. Começa, portanto, pela ESCRAVIZAÇÃO DOS GOVERNOS. Essa escravização se opera através dos “FAVORES”, dos empréstimos, pois o primeiro passo para tornar um governo escravo é torná-lo devedor. Quando essa potestade internacional pretende REDUZIR UM POVO ÀS CONDIÇÕES DE ESCRAVO, o que ela faz naturalmente não é mandar exércitos: MANDA BANQUEIROS.”

„Wenn eine Regierung hinsichtlich des Geldes von den Banken abhängt, dann kontrollieren diese und nicht die Führer der Regierung die Situation, da die Hand, die gibt, immer über der Hand steht, die nimmt. Geld hat kein Mutterland; Finanziers verfügen weder über Patriotismus noch Anstand; ihr einziges Ziel ist der Gewinn.“ (Napoleon Bonaparte) Quando um governo se torna dependente do capital de bancos, então são eles e não os governantes que controlam a situação, visto que a mão que dá está sempre acima da mão que toma. O capital não possui nação; banqueiros não tem nem patriotismo nem escrúpulos. Sua única meta é o ganho.

A única coisa do capitalismo que é, de FATO, socializada e vivenciada também pelos brasileiros é a dívida. https://www.youtube.com/watch?v=1hhRRhP79Kk

O ‘modus operandi’ comunista/bolchevista historicamente comprovado como “TERROR IMPIEDOSO”, mantém-se até hoje segundo a concepção de Lenin: “A DITADURA DO PROLETARIADO É A LEI DA VIOLÊNCIA DESENFREADA.” “VENCEMOS A REVOLUÇÃO ATRAVÉS DO TERROR. AGORA, PARA MANTER AS CONQUISTAS REVOLUCIONÁRIAS DEVEMOS PERPETUAR O TERROR!” qual país até hoje mantém o mesmo método?

Os Vermelhos torturam um oficial inimigo, durante a guerra contra a Polônia, em 1920; o homem foi dependurado nu, de cabeça para baixo, espancado, cortado, empalado e torturado até a morte. Imagem: FIGES, Orlando. A Tragédia de um Povo, A Revolução Russa – 1891 – 1924. Record, 1999.

Se o COMUNISMO NÃO POSSUI CURRÍCULO HUMANITÁRIO, A CRONOLOGIA HISTÓRICA DEMONSTRA QUE O CAPITALISMO NASCEU DA ACUMULAÇÃO DE CAPITAL ORIUNDA DA PIRATARIA, PILHAGEM, EXTERMNÍNIO, ESCRAVIDÃO, TRÁFICO DE DROGAS E MULHERES PARA A PROSTITUIÇÃO capitaneados pela Inglaterra, Bélgica, Espanha, Portugal enquanto a Alemanha produzia música, literatura e filosofia. O genocídio Paraguaio pelo Brasil e Argentina foi promovido e financiado pelo Reino Unido, assim como http://www.infoescola.com/historia/guerra-dos-boeres/ mesmo ‘modus operandi’ da Bélgica no Congo: http://pcb.org.br/fdr/index.php?option=com_content&view=article&id=394:o-rei-leopoldo-ii-da-belgica-e-o-holocausto-negro-no-congo&catid=2:artigos da Espanha no México https://pt.wikipedia.org/wiki/Massacre_do_Templo_Maior e no cone sul https://pt.wikipedia.org/wiki/Bartolom%C3%A9_de_las_Casas#/media/File:De_Bry_1c.JPG

A vileza do Tratado de Versalhes corroborada nos Holocaustos de Dresden, Hamburgo, Horoshima e Nagasaki, denota o caráter dos PROMOTORES DAS DUAS GUERRAS em que mobilizaram COVARDEMENTE o mundo contra a Alemanha, para em seguida transformar as milhões de vítimas de suas próprias bombas incendiárias em MITO DO HOLOCAUSTO JUDAICO, blindando-o ainda com leis que proíbem a investigação científica dos fatos, para que as indenizações se mantenham ad infinitum.

Na esmagadora vitória na batalha de Sedan (1 de setembro de 1870), vencida pela Prússia, hoje, Alemanha o próprio imperador francês foi feito prisioneiro em vez de ser torturado ou assassinado. . No dia 2 de setembro de 1870, concluiu-se a batalha de Sedan, onde a cavalaria francesa resistiu fortemente, a ponto do rei Guilherme I da Prússia admirar a bravura com que estes lutaram. Porém, Napoleão III viu que era inútil sacrificar tantos soldados seus, mandou hastear a bandeira branca e entregou sua espada, fazendo-se prisioneiro do rei prussiano. Dois dias depois, a república seria proclamada em Paris, SEM retaliações, SEM tortura, SEM extermínios

Urge discernir, identificar, decorar como tabuada, ler inclusive de olhos fechados a MANEIRA DE AGIR CRISTÃ da maneira de agir anti-cristã: a primeira norteia-se pela humanização e integração de culturas, pelo amor ao próximo e gratidão a Deus … a segunda, é desumana, atéia, guia-se pelo ódio e seus derivados: a violência, o terrorismo, o disfarce e a simulação. https://pt.wikipedia.org/wiki/Religi%C3%A3o_na_Alemanha_Nazista#/media/File:PropagandaNaziStabsBible.gif

O Nacional Socialismo Alemão, demonizado pelos Aliados como Nazismo, https://pt.wikipedia.org/wiki/Religi%C3%A3o_na_Alemanha_Nazista ERA e É: ESSENCIALMENTE CRISTÃO, o cristianismo NÃO se norteia pelo ódio, vandalismo, terrorismo: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/c/c3/PropagandaNaziStabsBible.gif THIS IS THE ENEMY (“este é o inimigo”, o nazismo apunhalando a Bíblia). Propaganda estadunidense da II Guerra Mundial, associando o nazismo ao anticristianismo.

O ANTICOMUNISMO CRISTÃO:

O ANTICOMUNISMO foi provavelmente MAIS FUNDAMENTAL para a ideologia Nazista que o ANTI-SEMITISMO. Ocorre, como comprovam a estatística e a cronologia histórica, que mais de 95% dos comunistas e fundadores de sua ideologia, são judeus, razão pela qual grande maioria dos presos em campos de concentração era semita. A lógica, a coerência dos que ainda logram discernir, comprovam que se fosse para EXTERMINÁ-LOS – Hitler não construiria complexos COMPROVADAMENTE e não mitologicamente tão VULTOSOS, voltados às oficinas de trabalho e lazer; faria como COMPROVADAMENTE E NÃO MITOLOGICAMENTE o fizeram os genocidas Churchill, Roosevelt, Eisenhower e Stalin nos massacres de Katin, Dresden, Hamburg, Hiroshima, Nagasaki, e https://pt.wikipedia.org/wiki/Wilhelm_Gustloff_(navio)

Muitos alemães estavam com medo do comunismo e viam HITLER COMO A SALVAÇÃO CRISTÃ. A AMEAÇA COMUNISTA http://desatracado.blogspot.com.br/2013/09/ucrania-1932-1933-holodomor.html + http://desatracado.blogspot.com.br/2014/06/purim-nos-gulags.html pareceu muito real porque os comunistas tinham tomado a Rússia no final da I Guerra Mundial e rapidamente assumiram o controle da Baviera. O partido nazista também era INTENSAMENTE ANTICOMUNISTA, no sentido de que o socialismo tradicional era comprovadamente ateu e judaico, vide os ícones da revolução russa.

ANTIMODERNISMO CRISTÃO:
URGE QUESTIONAR, AQUILATAR SE O MODERNISMO MELHOROU AS RELAÇÕES DE TRABALHO, FAMILIARES, O MEIO AMBIENTE A SOBREVIVÊNCIA DA ESPÉCIE? SE NÃO O FEZ NÃO PODE SER CARACTERIZADO MODERNO E SIM DECADENTE. Eis aqui novamente o expediente típico das forças ocultas: “…AFIRMA-SE UMA COISA E OPERA-SE, CONSCIENTEMENTE EM SENTIDO CONTRÁRIO…. “ http://osentinela-blog.blogspot.com.br/2015/12/a-falsa-dicotomia-esquerda-e-direita.html

Alega-se que a CENSURA do Nazismo à concupiscência da MODERNIDADE EM VEZ DE ELEVAR A CONSCIÊNCIA DA CONDIÇÃO HUMANA A FORTALECER SE COMO ESPÉCIE COMPROVOU-SE DECADENTE COMO SPENGLER VATICINARA JÁ NO INÍCIO DO SÉCULO XX. favoreceu POPULARIDADE SUA POPULARIDADE COM OS CRISTÃOS

A Alemanha, pós a I Guerra Mundial, ERA CONSIDERADA UMA REPÚBLICA ATÉIA, secular, materialista QUE TRAIU todos os valores tradicionais e crenças religiosas da Alemanha. OS CRISTÃOS VIAM O TECIDO SOCIAL da sua comunidade se desfazendo e OS NAZISTAS PROMETERAM RESTAURAR A ORDEM ATACANDO O ATEÍSMO, A HOMOSSEXUALIDADE, O ABORTO, O LIBERALISMO, APROSTITUIÇÃO, A PORNOGRAFIA, A OBSCENIDADE, E ASSIM POR DIANTE, RAZÃO PELA QUAL OS INTELECTUAIS PROPAGADORES DESTE ‘MODERNISMO http://omarxismocultural.blogspot.com.br/2015/07/a-teoria-do-colapso-cultural-os-7.html , Herbert Marcuse, Theodor Adorno, Max Horkheimer, Erich Fromm, Walter Benjamin, Leo Lowenthal, Wilhelm Reich, Georg Lukacs, e muitos outros….. BUSCARAM REFÚGIO NOS EUA, UM PAÍS COM ‘PHD’ EM ANTICULTURA E PERVERSÕES SOCIAIS. http://desatracado.blogspot.com.br/2014/09/o-que-os-eua-exportam.html ALI comprovadamente, ENCONTRARAM ABRIGO E, POR MEIO DAS UNIVERSIDADES, DISCEMINARAM O MODERNISMO – BASE PARA OS MOVIMENTOS DE 1968, O MOVIMENTO HIPPIE, A PROMISCUIDADE SEXUAL, A DISSEMINAÇÃO DAS DROGAS E TUDO QUE DELES ATÉ HOJE SE SUCEDEU.

É amplamente reconhecido que os protestantes foram mais atraídos pelo nazismo que os católicos. Isto não era verdadeiro em toda a Alemanha, mas não podemos ignorar o fato de que os protestantes, não católicos, produziram um movimento (Cristãos Alemães) dedicado à mistura de IDEOLOGIA NAZISTA e a DOUTRINA CRISTÃ. Mulheres protestantes eram especialmente atraídas pelo nazismo devido ao seu conservadorismo cultural e a promoção dos papéis sociais femininos tradicionais.

Logo no início, MUITOS LÍDERES CATÓLICOS criticaram o nazismo; DEPOIS de 1933, a CRÍTICA TRANSFORMOU-SE EM APOIO e ELOGIO. Semelhanças entre nazismo e católicos eram o ANTICOMUNISMO, ANTIATEISMO, e ANTISECULARISMO.

A avaliação tradicional de cumplicidade cristã no Holocausto e outros crimes nazistas é OUTRA BALELA SISTEMATICAMENTE DISSEMINADA pela maçonaria e seus asseclas: A GRANDE MÍDIA, INDUSTRIA CINEMATROGRÁFICA, almejando seu projeto inicial: A DESTRUIÇÃO DO CRISTIANISMO. Alegam com isso que as igrejas cristãs estavam dispostas a tolerar a violência generalizada contra judeus, olvidam, todavia, que o alegado extermínio de judeus foi cientificamente provado SER UMA FALÁCIA, SEJA PELO ACORDO DE HAAVARA QUE GARANTIA A REMOÇÃO DOS JUDEUS https://pt.wikipedia.org/wiki/Acordo_Haavara SEJA : http://inacreditavel.com.br/wp/holocausto-judeu-o-que-aconteceu-realmente/ + http://inacreditavel.com.br/wp/?s=holocausto + para encobrir o verdadeiro HOLOCAUSTO promovido pelos alienados, digo ALIADOS E SEUS INFINDÁVEIS GENOCÍDIOS Vietnã, Iraque, Libia, Siria…..

Separadamente, dois teóricos Marxistas – Antonio Gramsci (Itália) e Georg Lukacs (Hungria) – concluíram que o Ocidente Cristianizado era o obstáculo que impedia a chegada da nova ordem mundial comunista.

Devido a isto, eles concluíram que, antes da revolução ter sucesso, o Ocidente teria que ser conquistado. Gramsci alegou que, uma vez que o Cristianismo já dominava o Ocidente há mais de 2000 anos, não só esta ideologia estava fundida com a civilização Ocidental, como ela havia corrompido a classe operária.

Devido a isso, afirmou Gramsci, o Ocidente teria que ser previamente descristianizado através duma “longa marcha através da cultura”.

Adicionalmente, uma nova classe proletária teria que ser criada. No seu livro “Cadernos do Cárcere,” Gramsci sugeriu que o novo proletariado fosse composto por CRIMINOSOS, mulheres, e minorias raciais. Segundo Gramsci, a nova frente de batalha deveria ser a cultura, começando pela família tradicional e absorvendo por completo as igrejas, as escolas, A MÍDIA, o entretenimento, as organizações civis, A LITERATURA, a ciência e a história. Todas estas instituições teriam que ser transformadas radicalmente e a ordem social e cultural teria que ser gradualmente subvertida de modo a colocar o novo proletariado no topo.

Hitler era visto como alguém restaurador dos valores tradicionais e da moralidade, comprovadamente de sobrevivência e elevação da espécie, para a Alemanha e para o mundo. Os valores CRISTÃOS defendidos por Hitler e endossados pelos alemães foram e são cada vez mais combatidos por ANTICRISTÃOS solidários à promiscuidade e inversão sexual, escolarização compulsória de bebês de 3 anos para assim, cada vez mais promover-se o distanciamento familiar e, por conseguinte submeter o indivíduo o mais cedo possível às ideologias hostis, direitos sem deveres, descomprometimento familiar, social e ambiental escravizado aos vícios consumistas de produtos e pessoas.

Os judeus estavam confinados por razões políticas: eram todos comunistas, pregando a revolução nos moldes de Lênin

Os cristãos apoiaram ativamente a agenda nazista, PORQUE O AUTENTICO NAZISMO PRESERVA A FAMÍLIA, VALORIZA O TRABALHO, O PATRIOTISMO, A PROPRIEDADE PRIVADA, O RESPEITO À LEI AO PROFESSOR A DEUS. BASTA COMPARAR A DIGNIDADE DOS TRABALHADORES DURANTE O REGIME NAZISTA E AGORA SOB A TUTELA DOS VERDUGOS DO MUNDO, SEGUIDORES FERVOROSOS DOS PROTOCOLOS DOS SÁBIOS DE SIÃO. http://osentinela-blog.blogspot.com.br/2015/03/o-surgimento-dos-protocolos-sionistas.html
Enquanto Publius Cornelius Tacitus apontava em 53 A.C “Kein Mensch der Welt übertrifft die Germanen an Treue.” — Nenhum povo é mais honesto que o povo alemão, já em 1934, W. Jabotinski assegurava: “Unsere jüdischen Interessen erfordern die endgültige Vernichtung Deutschlands!” Nossos interesses judaicos exigem uma definitiva aniquilação da Alemanha. A ele se uniram Churchill em 10 de maio de 1940, logo após assumir o poder —“Dieser Krieg ist ein englischer Krieg, und sein Ziel ist die Vernichtung Deutschlands.” „ESTA GUERRA É UMA GUERRA INGLESA E SUA META É A ANIQUILAÇÃO DA ALEMANHA” e a bem lembrada promessa de Franklin Delano Roosevelt em 1932: “Ich werde Deutschland zermalmen” EU TRITURAREI A ALEMANHA.
A verdade não é circunstancial razão pela qual ainda está acessível http://vho.org/aaargh/fran/livres9/BORREGOdermund.pdf http://www.vho.org/aaargh/port/port.html + https://quenosocultan.wordpress.com/ + https://www.youtube.com/watch?v=dSiYszLlYxU + http://desatracado.blogspot.com.br/2014/12/feliz-natal-para-todos-com-muitos-livros.html

“Wenn kein Mensch mehr die Wahrheit suchen und verbreiten wird, dann verkommt alles Bestehende auf der Erde, denn nur in der Wahrheit sind Gerechtigkeit, Frieden und Leben!“ (Friedrich von Schiller 1759-1805)

QUANDO NINGUÉM MAIS BUSCAR e DIFUNDIR A VERDADE ENTÃO TUDO O MAIS NA TERRA ESTARÁ DEGENERADO, POIS SOMENTE DA VERDADE DECORREM A JUSTIÇA, A PAZ E A VIDA.

Responder

Enio

29 de janeiro de 2016 às 11h37

Essa elite criminosa tem MEEEEDO do povo brasileiro.

Responder

Patricia Tita

26 de janeiro de 2016 às 20h36

Mídia Golpista. Lava Jato é uma inquisição para punir a esquerda. Estão jogando areia no judiciário brasileiro, já deficiente há tempos

Responder

Maria Regina Novaes

26 de janeiro de 2016 às 17h36

Hoje é transhumanismo…tudo sutil!

Responder

Jaqueline Duarte de Paula

26 de janeiro de 2016 às 16h27

Muito bom, Lize Duarte!

Responder

Roberto Locatelli

26 de janeiro de 2016 às 09h26

Excelene análise!!
Quanto a ir à luta, confio mais nos movimentos populares e sindicais — além dos blogs progressistas — do que no PT. O partido nunca foi — nem pretendeu ser — socialista. Mas agora tornou-se um partido assumidamente centrista e pusilânime.

Responder

    Hell Back

    26 de janeiro de 2016 às 10h48

    Prezado Roberto, quais as suas opções? Existem outros partidos para preencher as lacunas da esquerda. Será que o esquerdismo acabou?
    Em política, assim como na vida em geral, se todo mundo tem razão, alguma está errada. Assim começaram todos os regimes de exceção.

    Responder

Marilena Dorea

26 de janeiro de 2016 às 04h28

A oposição apoiada pela mídia, busca através da teoria social do escandalo, manipular e conquistar votos. Desprezam as ameaças e os efeitos colaterais para a democracia no Brasil. Nenhum compromisso com conquistas e direitos. O objetivo é quebrar as grandes empresas nacionais para entrega-las às multinacionais. Destruir o patrimônio nacional. Decisões a serviço da elite oligárquica e distante do povo.

Responder

Lize Duarte

26 de janeiro de 2016 às 02h23

Alessandra Duarte Jaqueline Duarte Roberto Martins Cristina Maria Clemente

Responder

Marcos Fernandes Gonçalves

26 de janeiro de 2016 às 01h16

O nazismo não morreu! Conversava com um amigo sobre isso. A conjuntura brasileira da todos os sinais de que o fascismo está entre nós, presente, atuante e crescendo. Há muitas “coincidências” entre o início do fascismo europeu e o que está acontecendo hoje no Brasil. Cito alguns: elege-se um inimigo e carimba-se nele tudo o que há de pior no ser humano; explora-se isso através de propaganda massiva e diária, com objetivo virar a população contra o inimigo eleito; manipula-se a mídia e os Poderes da República; o Judiciário, especialmente, torna-se um fim em si mesmo (Kafka explorou isso em “O Processo” – aliás, ele avisou seus conterrâneos que o nazismo estava nascendo já nos anos 30, ninguém enxergou); toma-se o combate à corrupção como plataforma de governo e, sobretudo, solução para todos os males da sociedade; explora-se um conservadorismo extremado, baseado em conceitos morais retrógrados, misticismo e religião para doutrinar incautos; enfim, esses são apenas alguns exemplos. Tudo isso aconteceu nos anos 40. Alguma semelhança com os dias atuais?

Responder

Meire Souza

26 de janeiro de 2016 às 00h11

Bem, a rigor, o ano só começa depois do carnaval. As expectativas são melhores que 2015, mas nunca se sabe que tipo de tsunami pode surgir… Quem viver, verá!

Responder

Reinalddo Moretti

25 de janeiro de 2016 às 23h29

LEIA……

Responder

Ninguém

25 de janeiro de 2016 às 20h29

Miguel, como sempre, excelente texto.

Agora, o problema é que a Dilma, que sabe de tudo isso que você está falando, não vai fazer nada. Repito: vocês têm de convocar a Dilma para uma entrevista, para falar apenas sobre a (falta de) comunicação do governo federal. Não adianta tratar de vários assuntos, porque não dá em nada. Tem de ser específico. Para ver se entra na cabeça dela, de um vez por todas, que quem não se comunica se fode de verde e amarelo (desculpe a sinceridade). Tem de questionar porque ela não está fazendo nada. Cadê o porta voz? Por que ele não está na imprensa dia sim, no outro dia também? Como faziam os porta vozes do FHC. O que está fazendo o ministro da comunicação? E mais todas as sugestões e críticas que você faz aqui no blogue.

Em tempo: escapou um erro de digitação no seu texto: saiu “pantomina” em vez de “pantomima”.

[ ]s,
Ninguém

Responder

    Hell Back

    26 de janeiro de 2016 às 10h15

    Segundo um dicionário – http://www.dicio.com.br/pantomina/
    Pantomina é sinônimo de: pantomima.

    Responder

      Ninguém

      26 de janeiro de 2016 às 10h48

      Muito obrigado, Hell Back. Não conhecia essa grafia.

      Responder

    Ninguém

    02 de fevereiro de 2016 às 11h14

    Em tempo 2: escapou um erro de digitação no meu texto: saiu “Tem de questionar porque ela não está fazendo nada.” em vez de “Tem de questionar por que ela não está fazendo nada.”

    Responder

Lívio Adelson

25 de janeiro de 2016 às 22h01

Os parabéns da Folha aos integrantes da quadrilha. Os gangsters do país, desesperados pelo poder.

Responder

Helio Eduardo Pinto Pinheiro

25 de janeiro de 2016 às 21h06

COMO UMA IMBECIL PODE, EM SÃO CONSCIÊNCIA (?) ESCREVER TAL PÉROLA: ” O DIREITO DOS ACUSADOS NA LAVA JATO NÃO PODE SE SOBREPOR Á DEMOCRACIA E AOS DIREITOS Á VIDA Á SEGURANÇA E Á EDUCAÇÃO”! COMO ALGUM DIREITO, QUE ESTÁ ” INSCRITO” NOS CONCEITOS DA DEMOCRACIA PODE SE SOBREPOR A ELA? COMO ALGO QUE FAZ PARTE INTRÍNSECAMENTE DE ALGO PODE SE SOBREPOR A SI MESMO?

Responder

Graça Melo

25 de janeiro de 2016 às 20h36

Quem é esse, um dos Marinhos?

Responder

Paulo Alves

25 de janeiro de 2016 às 20h26

É longo mas, é fundamental ler tudo.

Responder

Vanda Mendes

25 de janeiro de 2016 às 20h25

Ótima análise. Vale a leitura.

Responder

Carlos Estivalet Gindri

25 de janeiro de 2016 às 20h03

A direita está se valendo de práticas nazistas. É mole

Responder

Margareth Venci

25 de janeiro de 2016 às 19h38

Dio mio !!!!

Responder

Fernando Dos Santos

25 de janeiro de 2016 às 19h15

Que bela careca suástica pra tomar uma gozada !

Responder

Deixe uma resposta