Mais de 70% dos eleitores já estão decididos sobre o voto presidencial, diz DataFolha

Notas anti-apocalípticas: Brasil negocia venda de Super Tucanos à Força Aérea do Paraguai

Por Redação

25 de janeiro de 2016 : 17h57

O ministro da defesa, Aldo Rebelo, partiu para Assunção nesta segunda-feira (25), onde se reunirá com o ministro da Defesa paraguaio, Diógenes Martínez, com o objetivo de fortalecer o trabalho conjunto entre as forças armadas dos dois países

no Sputnik News

De acordo com um comunicado da pasta brasileira, os ministros “deverão tratar de temas como a realização de exercícios conjuntos na área da fronteira, cooperação em defesa cibernética, guerra eletrônica, defesa química e biológica”, bem como aprofundar as “conversações para a aquisição por parte do Paraguai de aeronaves brasileiras Super Tucano”.

Embora o valor da operação não tenha sido revelado, a possível venda de seis aviões Embraer EMB-314 Super Tucano será um dos pontos-chave da reunião, já que essas aeronaves turboélices de ataque leve e treinamento avançado são as preferidas da Força Aérea Brasileira (FAB) para suas operações de vigilância fronteiriça na região amazônica.

A grande autonomia de um Super Tucano, sua capacidade de operar de dia e de noite, em quaisquer condições meteorológicas e em pistas curtas desprovidas de qualquer infraestrutura, juntamente com a sua capacidade de equipar sensores eletro-ópticos e infravermelhos FLIR Star SAFIRE III e óculos de visão noturna ANVIS-9 NVG o tornam ideal para a detecção de aeronaves envolvidas no tráfico de drogas.

A capacidade de controle e combate dos Super Tucanos foi amplamente demonstrada pela Força Aérea da Colômbia, que tem uma frota de 25 aeronaves deste modelo. Em 2007, os Super Tucanos serviram como bombardeiros leves usando bombas Mk-82 no âmbito da “Operação Phoenix”, em que o país lançou vários ataques contra as posições das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC).

No momento, a aeronave fabricada pela Embraer é empregada pela Força Aérea de 16 países, incluindo os Estados Unidos, que em 2006 vetaram a venda de 24 desses aviões para o Governo da Venezuela, reivindicando seu direito de veto sobre todos os equipamentos militares que contem com tecnologia norte-americana. (Os Super Tucanos foram desenvolvidos em parceria com a empresa norte-americana Northrop Grumman).

Além do interesse do Paraguai na obtenção de seis Super Tucanos, outros países latino-americanos como Peru e El Salvador também manifestaram interesse em adquirir essas aeronaves, com 10 pedidos cada.

Relata-se ainda que os Emirados Árabes Unidos também estariam preparando uma encomenda de até 24 Super Tucanos.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

50 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Roberto Da Silva Moraes

26 de janeiro de 2016 às 21h54

tecnologia de ponta ?

Responder

Miguel Reynoso

26 de janeiro de 2016 às 14h30

Muy lindos

Responder

João Batista

26 de janeiro de 2016 às 09h39

legal a notícia, só achei engraçado o nome… mas à parte isso, apesar dos aviões adequados e excelentes para vigiar as fronteiras e o tráfico de drogas, de que adianta se um helicóptero transporta dentro do país 500 k de pasta base de cocaína e não se é capaz de “descobrir” quem é o traficante… O problema não é falta de aeronaves, mas excesso de aeroNeves….

Responder

Renato Volnei Benetti

26 de janeiro de 2016 às 03h06

Se os norte-americanos, verdadeiros donos da Embraer, privatidoada por FHC, deixarem. E eles não deixam. Não deixaram acontecer uma venda milionária para a Venezuela.

Responder

Antunes Andrade Andrade

26 de janeiro de 2016 às 01h11

O Brasil negocia a vendia de produtos da multinacional Americana, EMBRAER.

Responder

Roberto Galdino

26 de janeiro de 2016 às 01h07

Se o índio cacaleiro fizer igual o que fez com a Petrobras ,,, o pagamento ÓÒÒÒÒÒÒÒÒ !!!

Responder

    André Rosa

    26 de janeiro de 2016 às 01h17

    senhor galdino, acho que sua maldade burra o fez errar de país. o presidente do paraguai não é índio, é um empresário dono de fábrica de cigarros. seu nome é horácio cartes. esse, sim, é um merda, ligado ao narcotráfico. o índio a quem você se refere é o aimara evo morales, presidente da bolívia. e é “cocalero”. o preconceito, a ignorância e a maldade são irmãos siameses.

    Responder

    Roberto Galdino

    26 de janeiro de 2016 às 01h21

    Como você vê , só errei de NOMES !!! O conteúdo é o mesmo !

    Responder

Carlos Estivalet Gindri

25 de janeiro de 2016 às 23h45

Bom para a Embraer e bom para o Brasil,

Responder

Francisco Das Chagas Lemos

25 de janeiro de 2016 às 23h15

São os anti-patriótas

Responder

Marcelo Drumstick

25 de janeiro de 2016 às 23h13

Uma boa notícia, é verdade!

Responder

Roberto Locatelli

25 de janeiro de 2016 às 19h35

O ideal é que tenhamos Forças Armadas Latino-Americanas, reunindo todos os países do Continente.

Responder

Marcos Marcos

25 de janeiro de 2016 às 21h35

Eu devo estar em outro país, porque só vejo um monte de imbecil contra qualquer sucesso brasileiro. Deve ser por isso que estamos tão atrasados técnicamente, imaginem o que um estúpido desse deve fazer para boicotar nosso país.

Responder

    Carmem Stewart

    25 de janeiro de 2016 às 22h20

    Ate que é uma boa ideia se livrar dos tucanos.

    Responder

    Marcelo Drumstick

    25 de janeiro de 2016 às 23h16

    Uma boa notícia, é verdade! Pena que essa venda não se somará a aquela sepultada por Dilma, quando retirou o embaixador brasileiro da Indonésia… Dilma queria que o governo da Indonésia não cumprissse sua própria Lei…. Bem típico desse governo.

    Responder

    Marcos Marcos

    26 de janeiro de 2016 às 00h55

    Você está muito velho para se utilizar de uma linguagem tão vulgar, quanto sua incapacidade de entender os fatos.

    Responder

    Marcos Marcos

    26 de janeiro de 2016 às 00h56

    Pode se notar uma certa ignorância e letargia mental no seu entendimento.

    Responder

    Hell Back

    31 de janeiro de 2016 às 03h03

    Assim como a coisa mais difícil de se encontrar no mundo é um norte-americano com complexo de inferioridade, também é muito difícil de se encontrar um brasileiro com complexo de superioridade. rsrs

    Responder

    Hell Back

    31 de janeiro de 2016 às 15h04

    Assim como a coisa mais difícil de se encontrar no mundo é um norte-americano com complexo de inferioridade, também é muito difícil de se encontrar um brasileiro com complexo de superioridade. rsrs rs

    Responder

Sergio Peixoto Junior

25 de janeiro de 2016 às 21h34

Eu venderia o Aécio Super Tucano…..muito mais negócio para o Brasil.

Responder

    Newton Bello

    25 de janeiro de 2016 às 22h07

    Bom, os países nórdicos compram lixo pra reciclagem, não?

    Responder

    Marcelo Drumstick

    25 de janeiro de 2016 às 23h16

    Uma boa notícia, é verdade! Pena que essa venda não se somará a aquela sepultada por Dilma, quando retirou o embaixador brasileiro da Indonésia… Dilma queria que o governo da Indonésia não cumprissse sua própria Lei…. Bem típico desse governo.

    Responder

      paulo

      26 de janeiro de 2016 às 21h52

      ksksksk…caro Marcelo drums… imagina, só imagina o que a Dilma fez, pensa bem……ela livrou de mandar para a Indonesia, ( esse que vc tanto defende o sei lá embaixador ) mas pensa bem mandar os tucanos pra lá..com a merda das aeronaves do aebrioneves cheio de drogas iriam todos serem fuzilados então veja bem como a Dilma fez bem em não dar corda para os cabras e ainda defendeu seus patrícios tucanos…desenhei.

      Responder

    Marcos Pedroso

    26 de janeiro de 2016 às 03h31

    na verdade esse eu acho que deveriamos pagar pra alguem levar,,, rsrsrsrs

    Responder

      Hell Back

      31 de janeiro de 2016 às 03h06

      Assim como a coisa mais difícil de se encontrar no mundo é um norte-americano com complexo de inferioridade, também é muito difícil de se encontrar um brasileiro com complexo de superioridade. rsrs

      Responder

    Rafael Saghi

    26 de janeiro de 2016 às 17h22

    E quem vai querer comprar? O combustível que mantém ele funcionando é muito caro..

    Responder

    Umbelina Souza

    26 de janeiro de 2016 às 20h57

    Kkkkk rindo muito desses comentários. Vocês são demais !!!!

    Responder

Danilo Villaça de Azevedo

25 de janeiro de 2016 às 21h34

Buranello Ambrosio

Responder

Victor Zamberlan

25 de janeiro de 2016 às 21h10

Felipe Rodrigues

Responder

Marcelo Escobar

25 de janeiro de 2016 às 21h04

Aqui na fronteira há muito notamos o grande número de empresas migrando para o Paraguay!!! Ivaetê

Responder

    Lucio Busch de Freitas

    25 de janeiro de 2016 às 21h12

    Óbvio! Qual o empresário que não quer ir para o paraíso da sonegação?

    Responder

    Glauco Vivas

    25 de janeiro de 2016 às 21h35

    mais q obvio… paraguay = contrabando, trafico e sonegacao… tudo q os “capitalistas” brasileiros sonham !

    Responder

    Ricardo Alexandre

    25 de janeiro de 2016 às 23h45

    é devido ao gigantesco mercado consumidor paraguaio.

    Responder

    Nuno Ribeiro

    26 de janeiro de 2016 às 00h07

    Ricardo Alexandre essa foi para rir, boa

    Responder

Gil Di

25 de janeiro de 2016 às 21h02

Responder

    Mauricio Gomes

    25 de janeiro de 2016 às 19h32

    Caramba, não sabia que sua família inteira estava presente na entrevista do Lula. Parabéns!

    Responder

    Eudes Machado

    26 de janeiro de 2016 às 14h28

    O Cafezinho entre eles!!!!

    Responder

Andrew Correia

25 de janeiro de 2016 às 20h55

Brasil so negocia com pais mais pobre , pra leva calote .-. dai quer da calote nos outros depois pra recupera , alem dessa robalheira.

Responder

    Chaves Ciro

    25 de janeiro de 2016 às 23h58

    Andrew , antes de fazer qualquer crítica , lembre-se que se faz necessário , no mínimo , estudar o nosso idioma , pois , nessas duas linhas que você redigiu encontramos cerca de nove erros elementares ! Bom estudo !

    Responder

    Nuno Ribeiro

    26 de janeiro de 2016 às 00h07

    Mais um brasileiro a dizer mal do Brasil! Vão todos para Miami duma vez por todas!

    Responder

Vantuir Santos

25 de janeiro de 2016 às 20h55

O Cafezinho apocalipse, significa REVELAÇÃO, não tem como impedir que toda lama, que paga você, venha à tona.

Responder

Deixe um comentário