Mais de 70% dos eleitores já estão decididos sobre o voto presidencial, diz DataFolha

Governo começa a destravar crédito: FGTS vai injetar R$ 105 bilhões na economia

Por Miguel do Rosário

26 de fevereiro de 2016 : 15h35

Reiterando, se os golpistas deixarem a economia respirar um pouco, 2016 poderá surpreender os pessimistas. O setor público está começando a destravar vários nós e voltou a ampliar a oferta de recursos, o que ajudará a erguer o nível dos investimentos, melhorar o crescimento e gerar empregos.

***

Do Ministério do Trabalho.

FGTS tem orçamento ampliado para R$ 104,7 bilhões em 2016

Conselho aprovou aporte de R$ 21,7 bilhões para habitação, destinando R$ 8,2 bilhões a linha Pró-Cotista e outros R$ 10 bilhões em CRIs

Brasília, 26/02/16 – O Conselho Curador do FGTS, em reunião realizada nesta sexta-feira (26), em Brasília, aprovou por unanimidade a suplementação do orçamento de 2016 em R$ 21,7 bilhões para operações de crédito imobiliário. Serão R$ 10 bilhões destinados a aquisição de Certificados de Recebíveis Imobiliários – CRI, e outros R$ 8,2 bilhões para aplicação no Programa Pró-Cotista. Foram aprovados também R$ 3 bilhões para produção de imóveis de pessoas jurídicas do ramo da construção civil e outros R$ 500 milhões para operações de produção ou comercialização de imóveis novos. Com a suplementação, o orçamento do Fundo este ano será de R$ 104,7 bilhões.

“Esse adicional vai possibilitar o investimento na construção de moradias para 140 mil famílias, aquecendo o mercado imobiliário, gerando assim mais emprego”, ressaltou o ministro Miguel Rossetto, que presidiu a reunião do Conselho.

Ele destacou que o FGTS está dando sua contribuição ao país, “a partir de uma análise rigorosa e dentro das normas de preservação da solidez e rentabilidade do Fundo. Os recursos destinados pelo FGTS vêm num momento oportuno para incentivar a economia, orientadas por uma agenda de ampliação de crédito e investimento para estimular o crescimento econômico do país’, assegurou o ministro.

Os R$ 10 bilhões destinados a CRI serão liberados em três fases distintas, sendo R$ 4 bilhões até 31 de maio, R$ 3 bilhões até 31 de agosto e outros R$ 3 bilhões até 30 de novembro. Pelo menos R$ 1,8 bilhão de cada parcela, deve ser destinado à habitação popular, sendo 60% do valor total a imóveis novos. A taxa de juros efetiva será de 7,5% ao ano, com prazo de amortização de até 180 meses.

No Pró-Cotista, que é destinado ao detentor de conta vinculada ao FGTS, com juros de 8,66% + TR, o orçamento aprovado para este ano era R$ 1,3 bilhão. O Conselho aprovou hoje uma suplementação de R$ 8,2 bilhões, sendo R$ 4 bilhões destinados a financiamentos de habitação popular, R$ 3,5 bilhões para imóveis cujo valor de venda não ultrapasse R$ 500 mil e R$ 700 milhões para imóveis cujo valor se enquadre nos limites do SFH, R$ 750 mil, destinando 60% a imóveis novos.

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

3 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Ricardo Cebalho

27 de fevereiro de 2016 às 15h09

Será que Fátima Bernardes saiu do jornal nacional, por constrangimento?
Será que Eles não ficavam confortáveis quando seus olhares se cruzavam? Por saber que adignidade era zero, por trabalharem exclusivamente a favor da casa grande, incutindo pessimismo em toda população brasileira mesmo quando o Brasil estava bombando, com intuito de prejudicar o governo popular, em benefício do partido da oligarquia, acho que a consciência pesou principalmente quando soube que teria que trabalhar para prejudicar a pessoa que mais ajudou a classe trabalhadora e os mais necessitados do pais. Creio que ela ponderou e pensou, deixa eu sair porque não vou aguentar minha consciência se o pior acontecer com o maior líder político do Brasil e o mais amado presidente que já tivemos.

Ricardo Cebalho

Responder

Carlos

27 de fevereiro de 2016 às 01h50

O FGTS é o maior patrimônio do trabalhador brasileiro. O PT vai solapar isso também. O PT é como um Rei Midas ao contrário. Tudo que toca, vira uma bagunça. Que demagogia o Rosseto dizer que o FGTS vai dar sua contribuição ao país. Ele não é do governo, nem de partido nenhum. Ele É DO TRABALHADOR.

Responder

Vicente

26 de fevereiro de 2016 às 17h15

Precisa que mais gente, além dos blogs sujos e de meia dúzia de parlamentares, tenha vergonha na cara e enfrente a mídia antes que ela e seus comparsas acabem com o Brasil.
Tem muita gente na sombra, fingindo que não é consigo, vendo a democracia ser usurpada pela conspiração golpista. Tem muito medroso inclusive nos tribunais superiores. Se mais gente, de mais setores da sociedade, perder o medo, erguer a cabeça e dizer “basta”, poderemos, quem sabe, retomar um pouco de justiça neste país.
Se o cara é do PT, é culpado e será preso até que prove o contrário. Presunção de inocência já era. Olhem o caso do Dirceu: o moro disse “tu és culpado. Não sei do quê, mas ou proves inocência, ou ficarás preso”.

Responder

Deixe um comentário