Live com Miguel do Rosário (convidado especial: Luiz Moreira)

Sobre as manifestações de sexta

Por Miguel do Rosário

19 de março de 2016 : 14h39

Queridos e queridas leitoras, eu vou pedir a vocês um pouco de paciência. 

Eu participei da manifestação de ontem, contra o golpe, e ainda estou processando as informações. Amanhã tentarei escrever um texto mais elaborado. 

Hoje eu só queria deixar algumas impressões, rascunhadas um pouco às pressas. 

Foi o maior evento político de que participei na vida.

Foi muito superior, em quantidade, em diversidade, em tudo, ao que eu vi, por exemplo, no segundo turno das eleições de 2014. 

Repito: nunca testemunhei um evento tão grande, tão plural, tão energético. 

O centro do Rio estava tomado de gente, não apenas na praça XV, que ficou inteiramente ocupada, mas nas ruas adjacentes também. 

Fomos jantar num dos restaurantes próximos à praça XV e ele também estava tomado de gente gritando "não vai ter golpe".

Muitos jovens cantando: Lula ladrão, roubou meu coração. 

Sindicalistas cantando velhas canções de luta. 

Eu me senti num filme de Ettore Scola.

Uma manifestação sem ódio. Ninguém xingava ninguém. 

Sem ódio mas com uma espécie de fúria. 

Uma fúria de gente acostumada a lutar muito por tudo na vida. E que jamais irá abandonar o Brasil à sanha dos fascistas, aos intolerantes, aos que se acham muito melhores do que os outros.

Eu assisti, emocionado, um monte de gente – inclusive políticos! – fazendo discursos politicos para uma multidão de dezenas de milhares de pessoas. E todos ouvindo, sem xingar. 

Eu vi a política se tornar uma coisa popular. 

Uma liderança dos catadores fez um discurso poderoso, que emocionou as pessoas: defendeu a democracia, cantou hinos de luta dos catadores, cantou contra o golpe e lembrou que Lula foi o único presidente que recebeu os catadores e fez políticas públicas em prol deles e de outros trabalhadores humildes  

Wadih Damous fez uma denúncia extremamente grave sobre as conexões internacionais e imperialistas da Lava Jato, operação que conseguiu, sob aplauso dos vira-latas brasileiros, exterminar grande parte da indústria nacional.

Marcelo Freixo, do PSOL, fez um discurso duríssimo contra o golpe judicial, esse mesmo que estão tentando dar no governo. Lembrou que ele é de oposição de esquerda ao governo, mas que, em prol da democracia e contra o golpe, estamos todos juntos! 

Os músicos cantaram, as lideranças populares falaram, os políticos discursaram.

Uma verdadeira festa democrática!

Ninguém ali era contra partidos. E tinha gente de todos os tipos. Provavelmente, a maioria não era de partido nenhum. 

É tão diferente da manifestação da Paulista, em que até Aécio Neves foi enxotado com improprérios e quase agressões físicas!

De quebra ainda encontrei o Fernando Brito, a quem eu não via há meses, e conversamos longamente. Ele me contou que vem bomba aí no Tijolaço, contra os golpistas.

O que eu vi ontem aqui no Rio, não foi, nem de perto, uma manifestação de quem "já morreu", como quer fazer acreditar a direita midiática. A esquerda está muito viva, disposta a enfrentar o que sabe ser uma longa e difícil luta em prol de mais democracia e mais direitos. 

Ontem foi o início de uma fase de reciclagem política para a própria esquerda. 

A luta contra a manipulação da mídia, por sua vez, enraizou-se na consciência popular.

Ontem, eu ouvi e vi milhares de pessoas cantando contra a TV Globo.

"A verdade é dura, a Globo apoiou a ditadura (e ainda apoia!)"

"O povo não é bobo, abaixo a Rede Globo"

A resposta mais comum a um coxinha, hoje, é falar que ele anda vendo muito a Globo. 

Muitos cartazes e faixas contra a manipulação da informação.

Amanhã, tentarei escrever mais. 

Tenho ainda, em meu celular, uma quantidade absurda de fotos das manifestações. 

(Foto na capa, de Francisco Proner, da manifestação de ontem, na Praça XV, Rio)

 

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

Nenhum comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »


Deixe uma resposta