Análise em vídeo das manifestações do 2 de outubro e as vaias a Ciro

Enquanto os cães ladram, Dilma prepara lançamento de satélite brasileiro

Por Miguel do Rosário

23 de março de 2016 : 17h05

Reproduzo abaixo email que recebi há pouco do Ministério das Comunicações. A grande imprensa recebe também, mas não publica. Só publica os comunicados de grandes bancos, Fiesp, Lava Jato…

Nada que pode ampliar a soberania brasileira face ao imperalismo recebe atenção da nossa imprensa. 

O satélite, a ser inaugurado ao final deste ano, ampliará a capacidade da internet brasileira, o que ajudará – evidentemente – a democratizar o debate político no país. 

Além disso, será inteiramente controlado pelo governo brasileiro. 

Entendem agora por que eles estão desesperados por um golpe?

***

Com André Figueiredo, Dilma destaca que satélite brasileiro vai conectar áreas remotas do país

Presidenta visitou, em Brasília, centro de controle do equipamento, que vai ampliar segurança e internet rápida para todas as regiões

Brasília, 23/03/2016- “Esse satélite vai permitir que o Brasil, nas suas áreas mais remotas, esteja conectado por banda larga. É uma conquista para o país.” A declaração foi feita pela presidenta Dilma Rousseff nesta quarta-feira (23), durante visita ao centro de controle do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGCD), em Brasília. Dilma estava acompanhada pelos ministros das Comunicações e da Defesa, André Figueiredo e Aldo Rebelo, respectivamente.

O satélite geoestacionário, totalmente controlado pelo governo brasileiro, será lançado entre dezembro de 2016 e fevereiro de 2017. O projeto, uma parceria entre os Ministérios das Comunicações (MC) e da Defesa (MD), vai levar internet rápida para todas as regiões do Brasil e também será utilizado nas comunicações estratégicas de segurança nacional. 

Para gerenciar remotamente o satélite, foi instalado no 6º Comando Aéreo Regional (VI COMAR) da Aeronáutica, em Brasília, uma antena de 18 metros de altura e 13m de diâmetro. A presidenta Dilma conheceu hoje como vai funcionar o centro de controle do satélite, onde a antena está instalada.

O ministro das Comunicações disse que o satélite vai beneficiar a população brasileira em dois aspectos: na área de defesa e na área de telecomunicações, que vai permitir levar banda larga aos lugares mais longínquos. “É um avanço tecnológico indispensável para que o Brasil possa ter a internet chegando de forma rápida e eficiente, propiciando integração da população brasileira e acesso ao conhecimento”, exaltou o gestor da pasta, ao lado do presidente da Telebras, Jorge Bittar.

André Figueiredo ressaltou ainda que o equipamento é uma das ações do governo federal que fazem parte da nova roupagem do programa Banda Larga para Todos, que deverá ser apresentada em abril.  Paro o ministro, o equipamento é fundamental para atingir a meta de universalizar o acesso à banda larga até 2018, alcançando 95% da população e 70% dos municípios brasileiros. “Onde não for possível chegar com fibra óptica, o satélite fará a cobertura”, explicou.

Construção

O Satélite Geoestácionário de Defesa e Comunicações Estratégicas está sendo fabricado em Cannes, na França, e começou a ser construído em janeiro de 2014. O lançamento, até o início de 2017, ocorrerá na base de lançamento de Kourou, na Guiana Francesa.  O artefato ficará posicionado a uma distância de 36 mil quilômetros da superfície da Terra, cobrindo o território brasileiro e o oceano Atlântico.

A construção do equipamento está sendo feita pela Thales Space, sob contrato com a Visiona, uma joint venture entre a Telebras – estatal federal do setor de telecomunicações – e a Embraer – empresa privada líder nos setores aeroespacial e de defesa. O projeto prevê a transferência de tecnologia e a capacitação de técnicos de diversos órgãos do governo brasileiro. O objetivo e que um segundo satélite, com previsão de lançamento até 2020, seja construído inteiramente no Brasil.

Capacidade

Com um investimento de, aproximadamente, R$ 1,7 bilhão, 5,8 toneladas e capacidade de transmitir 54 gigabits por segundos, o satélite geoestacionário vai operar na chamada banda X, faixa de frequência destinada exclusivamente ao uso militar, além de ser também utilizado para levar internet em alta velocidade, via banda KA, a regiões remotas do país, como a Amazônia.  Hoje, as comunicações militares brasileiras são realizadas por meio do aluguel da banda X em dois satélites privados, ao custo anual de R$ 13 milhões. Quando o satélite SGDC já estiver operando, o Ministério da Defesa vai manter apenas um desses contratos com operadores privados, apenas como garantia em caso de possíveis falhas no SGDC.

Vídeo da inauguração:

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

2 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Alair

29 de março de 2017 às 13h12

Depois de tudo pronto, os Golpistas vão querer ficar com os louros, por isso, temos que divulgar bastante. Vejam o caso da transposição do Rio S. Francisco, estão anunciando assim: Em 10 meses, fizemos o que estava parado há anos pelo governo petista. é um absurdo.
Ainda bem que em 2018 o Lula estará subindo A Rampa do Planalto como Presidente Eleito. Teremos desfazer tudo que o golpista está fazendo.

Responder

Alair

29 de março de 2017 às 13h08

Depois de tudo pronto, os Golpistas vão querer ficar com os louros, por isso, temos que divulgar bastante. Vejam o caso da transposição do Rio S. Francisco, estão anunciando assim: Em 10 meses, fizemos o que estava parado há anos pelo governo petista. é um absurdo.

Responder

Deixe um comentário