Fundador do Instituto Ideia vê chance de Lula vencer no 1° turno

EUA têm interesse no golpe contra Dilma – assim como tiveram em 1964

Por Miguel do Rosário

13 de abril de 2016 : 22h00

Foto: Mídia NINJA

Tentativa de golpe no Brasil busca reverter o resultado das eleições

Por Mark Weisbrot, no The Hill.

Provavelmente não  está sendo fácil entender o que de fato está acontecendo se estiver acompanhando as notícias da turbulência política no Brasil. É comum isso acontecer quando há uma tentativa de golpe no ocidente, principalmente quando o resultado é de interesse do governo dos EUA. Geralmente, as informações sobre esse interesse, e muitas vezes o papel de Washington, são as primeiras baixas do conflito. (Exemplos do século XXI incluem o Paraguai em 2012, o Haiti em 2011 e 2004, Honduras em 2009, Equador em 2010 e Venezuela em 2002.)

Primeiramente, sem dúvida se trata de um golpe em andamento. É uma tentativa da elite tradicional do Brasil – que inclui, como um de seus atores mais importantes, a maior parte da grande mídia – de reverter o resultado das eleições presidenciais de 2014 no Brasil. A primeira prova é o fundamento sobre o qual esperam fazer o impeachment da presidenta Dilma Rousseff, do Partido dos Trabalhadores (PT). Não tem nada a ver com corrupção ou qualquer crime grave. A acusação é de que o governo usou dinheiro emprestado em 2014 para dar a impressão de que o superávit primário estava dentro da meta. Mas isso é algo que outros presidentes haviam feito, e está longe de ser um crime grave. A título de comparação: Quando a bancada republicana do Congresso dos Estados Unidos ameaçou parar o governo por conta do teto da dívida em 2013, o governo Obama usou uma série de truques de contabilidade para estender o prazo, e houve pouca controvérsia a respeito.

As acusações contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva também são questionáveis, mesmo que se provassem verdadeiras. Ainda mais importante, os que acusam não conseguiram demonstrar nenhum elo com o grande escândalo de corrupção “Lava Jato” – ou qualquer outro tipo de corrupção. Lula, como é conhecido o ex-presidente, é acusado de possuir um imóvel à beira-mar, cuja propriedade ele nega, que foi reformada por uma construtora brasileira, e de receber dinheiro de várias empresas para dar palestras. O mais importante, no entanto, é que aconteceram depois que ele deixou a presidência. Embora o senador Bernie Sanders (Vermont) tenha justamente convertido o fato de Hillary Clinton, sua rival para a candidatura à presidência, ter recebido milhões de dólares de empresas para dar palestras, essa prática não é ilegal nos EUA – nem no Brasil.

O principal juiz que investiga o caso, Sérgio Moro, foi obrigado a se desculpar junto ao Supremo Tribunal por vazar para a imprensa conversas grampeadas entre Lula e Dilma, bem como entre Lula e seu advogado, e entre a sua esposa e seus filhos. A condução coercitiva de Lula para interrogatório, que foi vazada para a mídia e envolveu 200 policiais, apesar do fato de Lula sempre apresentar-se voluntariamente para depor, também não deixou dúvidas sobre a natureza política da investigação. Se Moro tivesse qualquer evidência ligando Dilma ou Lula à corrupção real, provavelmente parte disso já teria sido divulgado, considerando que ele, simplesmente para constrangê-los, já vazou conversas grampeadas pessoais e privadas.

A elite corrupta e antidemocrática brasileira está tentando fazer o país voltar ao seu passado pré-democracia, quando o eleitorado não podia interferir em sua escolha de líderes. Infelizmente, nem faz tanto tempo assim: a ditadura que durou até 1985 foi instalada por meio de um golpe apoiado pelos Estados Unidos em 1964, cujos esforços atuais guardam algumas semelhanças.

Sobre o papel dos EUA hoje: não é nenhum segredo que Washington gostaria de se livrar de todos os governos de esquerda na região. Na viagem do presidente Obama à Argentina, em março, e em outras declarações públicas de autoridades dos EUA, deixaram claro sua satisfação ao acolher o novo governo de direita no país. Além de mudarem a política, implementada contra os governos de esquerda anteriores, e de bloquear empréstimos à Argentina de credores internacionais, como o Banco Interamericano de Desenvolvimento e do Banco Mundial. Dos golpes mencionados acima, a evidência do papel dos EUA está documentada para além de qualquer  dúvida, com exceção do caso do Equador, em que não há provas concretas. Mas, considerando que quase nunca houve um golpe neste hemisfério contra um governo de esquerda sem algum envolvimento dos Estados Unidos, não é de admirar que muitos equatorianos acreditam que os EUA estavam (e continuam) envolvidos lá, também.

E tal especulação é bastante razoável no caso do Brasil, onde Washington interveio em 2005 a favor de um esforço legislativo destinado a minar o governo do Partido dos Trabalhadores. A espionagem maciça do Brasil – e, principalmente, da empresa estatal de petróleo Petrobrás – que Edward Snowden e Glenn Greenwald revelaram em 2013, também aponta nessa direção. Poderia ser uma coincidência que todas essas informações sobre a Petrobrás foram levantadas pelo governo dos EUA pouco antes dos escândalos da empresa; ou talvez Washington compartilhou algumas informações com seus aliados na oposição brasileira. E não há dúvida de que os principais atores desta tentativa de golpe – pessoas como o ex-candidatos à presidência José Serra e Aécio Neves – são aliados do governo dos EUA.

É claro que o governo do PT não estaria em tamanha enrascada, mesmo com a mídia liderando as acusações, se a economia – que reduziu em cerca de 3,8 % no ano passado – estivesse em melhor forma. E que, infelizmente, é principalmente devido aos próprios erros dos legisladores do PT: a partir do final de 2010, embarcaram em uma série de cortes de gastos, aumentos da taxa de juros e outras medidas que estagnaram a economia, isso seguido de austeridade ainda mais dura em 2015 que causou uma profunda recessão sem um fim à vista. O desemprego aumentou de uma baixa recorde de 4,3 % em dezembro de 2014 para 8,2 %. Isso não precisava acontecer; com mais de US$ 360 bilhões em reservas em moeda estrangeira, o Brasil não está limitado pelo balanço de pagamentos e, portanto, poderia se recuperar com políticas macroeconômicas expansionistas.

Dilma e Lula estão na corda bamba tendo que fazer frente a alguns inimigos poderosos, mas seria prematuro achar que já perderam. Eles já travaram batalhas mais difíceis. Ao contrário de seus adversários e das grandes empresas de mídia que apoiaram a ditadura, eles foram presos durante o período ditatorial. Se conseguirem sobreviver à tentativa de golpe em curso, terão a chance de consertar a economia e retornar ao seu legado – que é, afinal, um legado de considerável progresso econômico e social.

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

35 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Daniel Almeida

23 de maio de 2020 às 08h46

Dá até tristeza ler esse texto agora em 2020. No momento em que você o escreveu ainda não se tinha consumado o golpe de estado e o projeto fascista ainda não tinha se instalado. Agora, em decorrência de uma campanha de ódio que foi ganhando forma desde então, estamos afundados em um governo declaradamente fascista. Caminhamos para trinta mil pessoas mortas por covid-19 e tudo o que se fala no Planalto são formas de fazer com que o isolamento social acabe, ao invés de buscar soluções para essa crise.

Responder

Paulo

09 de dezembro de 2016 às 14h13

Esse pais está podre, o mal do brasil são os brasileiros. Mais 500 anos comendo M esse povo talvez acorde e pare de querer levar vantagem em tudo.

Responder

Denis Seijin

24 de junho de 2016 às 16h42

Sou contra dizer que o Lula não tem podres, ele possui vários podres e sem duvidas esta envolvido em em algum esquema de corrupção, já a Dilma não possui nenhum escanda-lo por isso o Lula usou ela como sucessora.

EUA são a favor do golpe, e provavelmente participa ativamente a favor do PMDB.

O PMDB é um partido centrista, mas desde o fim da ditadura eles vem mostrando que estão submissos ao interesse dos EUA no Brasil, em troca da submissão aos americanos eles ganham apoio de inteligencia em movimentos políticos e assim adquirem poderes no congresso.

Provavelmente o PT também estava recebendo ordens da inteligencia dos EUA, e com isso durante 13 anos conseguiram permanecer forte e claro tendo apoio do PMDB, mas alguma coisa aconteceu durante o primeiro mandato da presidente Dilma, e o PT acabou perdendo vinculo com os americanos, com isso eles perderam o apoio do PMDB que se uniu a oposição PSDB.

O Brasil esta passando por apuros, ele esta entre ser comandado por uma mafia nacional ou ser um fantoche do exterior.

Responder

Frederico Sarmento

17 de abril de 2016 às 12h17

É importante deixar claro os interesses envolvidos neste patrocínio dos EUA ao GOLPE.
O mundo inteiro está em crise pelo fato do aumento na produção mundial de petróleo. A queda dos preços dos barris vem causando prejuízos a todas as empresas do ramo, inclusive a cadeia produtiva que deriva da atividade: Indústria Metal-Mecânica, Plásticos, Serviços e uma infinidade de atividades econômicas.

Qual o motivo central da crise? Qual mudança faria com que os preços do petróleo voltassem a um patamar lucrativo?

A RESPOSTA: O CONTROLE DA OFERTA.

A Petrobras no governo do PT se tornou a maior empresa estatal do ramo petrolífero do MUNDO e inundou o mercado com recordes de produção. Colocando a mão na empresa, eles conseguiriam reduzir a oferta embora causando uma devastação em toda a cadeia produtiva brasileira que vende e presta serviços pra nossa Gigante.

Responder

Gustavo Horta

14 de abril de 2016 às 15h36

>> https://gustavohorta.wordpress.com/2016/04/14/enganar-e-45/
>> https://gustavohorta.wordpress.com/2016/04/14/enganar-e-46/

VOCÊ JÁ SE SENTIU ENGANADO?
VOCÊ SABE O QUE É SER ENGANADO?

ENGANAR É …

FAZER DESAPARECER DOS NOTICIÁRIOS DE TODO O PAÍS QUALQUER INFORMAÇÃO SOBRE OS CRIMES DE EVASÃO DE DINHEIRO DO BRASIL PARA CONTAS SECRETAS NA SUÍÇA, CONFORME DENÚNCIA COMPROVADA DA JUSTIÇA DELES. ESTA FUGA DE DINHEIRO ENVOLVE GENTE MUUIIITO GRAÚDA DA MÍDIA E DOS ENDINHEIRADOS DO BRASIL, ACOSTUMADOS A LESAR A NAÇÃO E O POVO DESTE NOSSO PAÍS.

ISTO SIM É ENGANAR!
ISTO SIM É GOLPE.

ISTO É GOLPE SIM!
SÃO COXINHAS HIPÓCRITAS, SABOTADORES DA ECONOMIA DO PAÍS, TRAIDORES DA PÁTRIA.

ABRAM SEUS OLHOS!
AJUDEM A QUE OUTROS POSSAM ABRIR OS OLHOS!
JÁ PASSOU DA HORA DE DESPERTAR!

A C O R D E M !!
CHAMEM OS VIZINHOS!
É HORA DE ACORDAR!!

“SE OS POBRES DESTE PAÍS SOUBESSEM O QUE ESTÃO PREPARANDO PARA ELES, NÃO HAVERIA RUAS QUE COUBESSEM TANTA GENTE PARA PROTESTAR CONTRA O IMPEACHMENT.” – Leonardo Boff
OLHA SÓ, NÃO HAVERIA MAIS PAZ PARA OS ENDINHEIRADOS DESTE PAÍS!

Responder

    Eruzalon Costa

    31 de outubro de 2016 às 14h57

    EU ACREDITO EM CONSPIRAÇÃO SIM, NO GOVERNO DA DILMA OS ESTADOS UNIDOS COLOCOU ESCUTAS TELEFÔNICAS ,PARA ESPIONAR O SEU GOVERNO ,POIS TEM TUDO HAVER COM O BRICS OS PAÍSES EMERGENTES QUE FAZEM PARTE COMO A ÍNDIA,RÚSSIA,CHINA,ÁFRICA DO SUL E BRASIL,POIS OS ESTADOS UNIDOS E A INGLATERRA NÃO GOSTARAM DA FORMAÇÃO DESSES GRUPOS É QUE PREJUDICA OS INTERESSES COMERCIAS DESTES DOIS PAÍSES E O INTERESSE DOS ESTADOS UNIDOS PELA PETROBRAS,JÁ QUE FORAM DESCOBERTAS RECENTEMENTE JAZIDAS DE PETRÓLEO AQUI NO PAÍS E ASISSO TUDO EXPLICA A PERSEGUIÇÃO AO PARTIDO DO PT E A PERSEGUIÇÃO COM O LULA O JUIZ SÉRGIO MORO ESTÁ SEGUINDO A CARTILHA DOS NORTE AMERICANOS EMPENHADO PARA DERRUBAR O LULA E FOI POR ISSO QUE ELES FIZERAM O IMPEACHMENT DA DELMA,POIS NÃO FOI POR PEDALADAS FISCAL E SIM POR INTERESSES DOS ESTADOS UNIDOS.

    Responder

James Stewart

14 de abril de 2016 às 14h07

O Golpe de Estado no Paraguai e a América do Sul – Carlos Eduardo Martins
http://goo.gl/geSQE2

Veja o relato e observe as coincidências: Ayalde lá e cá.


No que tange a relação com os Estados Unidos, ganhou destaque a questão militar. Em setembro de 2009, Lugo não renovou o programa de cooperação estabelecido na presidência de Nicanor Duarte que permitiria o ingresso em solo paraguaio de 500 militares estadunidenses com imunidades diplomáticas para treinamento operacional.

Questionado sobre o episódio, o então comandante das forças armadas Cíbar Benitez o minimizou e relatou haver programas de cooperação militar permanentes com os Estados Unidos no Paraguai para assuntos internos, como colaboração com atividades policiais.

Cerca de um mês após esta recusa, Lugo trocou todo o comando militar do Estado, em função de tentativa de golpe que havia sido detectada.

O governo foi ainda assediado pela reunião de 21 generais estadunidenses com a Comissão de Defesa da Câmara, em meados de agosto de 2011, para a construção de uma base militar, que foi reivindicada pelo líder da UNACE, dissidência do Partido Colorado e terceira força parlamentar, como necessária para conter as ameaças representadas pela Bolívia e Venezuela bolivarianas.

Se rechaçou esta alternativa, por outro lado, Lugo havia aceitado programas como a Iniciativa Zona Norte que permitia a ampla presença militar estadunidense em programas para combater o crime organizado e de ajuda social sob controle da USAID – e substituiu o Ministro da Defesa Luis Bareiro Spaini, que se opôs ao programa, a pedido da Embaixadora dos Estados Unidos, Liliana Ayalde.

Este pequeno histórico do processo paraguaio demonstra a limitação da presença do governo Lugo no aparato de Estado paraguaio, sua forte penetração pelo grande capital local e pelos interesses norte-americanos.

Por que então o golpe de Estado quando praticamente se encerra a experiência de um tímido governo popular, arriscando as relações do país com seus vizinhos regionais de quem depende tanto comercialmente e no plano energético?

Duas hipóteses complementares despontam com força:

a) O golpe tem a função de criar o ambiente de terror para impedir que as organizações populares e a Frente Guazu possam eleger um novo presidente com forte base parlamentar capaz de respaldar mobilizações populares e programas muito mais amplos. Para isso é fundamental destruir a TV Pública – oásis de informação num ambiente midiático dirigido pelos grandes proprietários donos de jornais e cadeias televisas – fraudar ou adiar as novas eleições; ….”

Liliana Ayalde armou o golpe no Paraguai e tenta fazer a mesma coisa aqui no Brasil.

Responder

James Stewart

14 de abril de 2016 às 13h57

É o big deal de sempre: sorriso nos lábios e cacete na mão.

Foi com o falso sorriso que Liliana Ayalde derrubou Fernando Lugo da presidência e quer fazer o mesmo no Brasil: derrubar Dilma.

http://goo.gl/uzhoVH
https://goo.gl/W51aQL

Responder

Henrique Dias

14 de abril de 2016 às 08h46

O Golpe sem dúvida interessa aos E.U., que tem aqui no Brasil o seu quintal. Claro que os bandidos brasileiros que já tentaram com o mensalão agora com este palhaço do Moro, não estão nem um pouco interessados no povo. Em 2018 volta Lula.

Responder

    Jst

    14 de abril de 2016 às 15h23

    Se derrubarem a Dilma pode esquecer que haverá eleições em 2018. A hora é agora. Ou derrotamos os golpistas ou embarcaremos em mais uma ditadura, desta vez midiático/judicial.

    Responder

Marcvs Antonivs

14 de abril de 2016 às 07h10

Não acredito muito numa “conspiração” americana para derrubar Dilma não. Acredito mais numa conspiração brasileira mesmo, aliada à interesses americanos (me desculpem mas aqui defendo os EUA, eles fazem o que podem para defender seus interesses para todo lado) para derrubar o governo. A elite direitista brasileira nada tem de inocente. Se aceita se aliar a “interesses americanos” é porque lhes convém. Essa mania de ficar culpando os EUA por golpes no Brasil me lembra muito aquele caso do serial killer que matou um monte de pessoas e depois disse: Foi Satanás que me tentou. Se formos culpar Satanás por tudo de errado que fazemos, não haverá criminosos. Os culpados pelo golpe, ontem e hoje, são os fascistas brasileiros mesmo.

Responder

Sérgio Silveira

14 de abril de 2016 às 02h13

Será a primeira derrota americana neste tipo de “primavera”!

Responder

    js

    14 de abril de 2016 às 02h55

    ta favorável…

    Responder

      AZ Botelho Paiva

      14 de abril de 2016 às 17h42

      Se está Favorável, é porque está tranquilo. Então tá então!!!

      Responder

        js

        14 de abril de 2016 às 18h07

        ..de boa na lagoa, burro na sombra e meu passarinho bebendo no ribeirão…

        Responder

          AZ Botelho Paiva

          15 de abril de 2016 às 13h07

          Oh vidão hem? Um dia eu chego lá!!! rsrsrsr

          js

          15 de abril de 2016 às 14h06

          O fedor do desespero permea o ar, EC tomou um revés no STF feio com seus poderes absolutos tosados por Mello e Lewandwousky no final da sessão.

          Vcs tem q assistir os últimos 30 minutos da sessão, todos acovardados, porem o Mello exigiu q uma liminar fosse promulgada num voto vencido pela vergonhosa omissão dos ‘colegas’ e logo a seguir o Lewandwousky empurrou outra liminar goela abaixo do plenário numa exibição de q ‘algo tem q ser feito, a situação é extrema e medidas extremas tem q ser tomadas’. Todo mundo se escondendo atras de tecnicalidades: oito votos acompanhando o relator sem discórdia e o Lewandovsky, forcou outra liminar e tds se calaram, num total sinal de desrespeito a 200 milhões de brasileiros. Foi épica a batalha.

          Se nada vcs entenderam com essas decisões, ficou patente q o Lewandwousky, quem presidira a ação de Impedimento no Senado, mostrou suas unhas e asco com a situação e colegas procurando se ater a tecnicalidades, em um momento pivotal e de envergadura máxima.

Albert Fanon

14 de abril de 2016 às 00h38

Não só tem interesse, mas também são protagonistas, só que desta vez usando meios diferentes dos de 1964, como “assessoramento” ao Judiciário, “auxílios” à PF, .”preparação” de ONGs, redes sociais.. e por aí vai.

Responder

    js

    14 de abril de 2016 às 02h57

    Assuntos a serem tratados com prioridade, um reforço de caixa ao Itamaraty e sanções financeiras e uma ação legal contra o Gov.

    Responder

      AZ Botelho Paiva

      14 de abril de 2016 às 17h50

      Dá para você detalhar um pouco mais? Eu num intindi nadica

      Responder

        js

        14 de abril de 2016 às 18h06

        rs, eu aditei o comentario do albert Fanon. Leia o dele, e o meu post eh a continuação da posição q ele postou.

        Responder

    AZ Botelho Paiva

    14 de abril de 2016 às 17h49

    Será que são eles que estão oferecendo a mortadela para o sanduba do pessoal?

    Responder

CholaCotistaBolsista

14 de abril de 2016 às 00h15

Texto perfeito, esta claro o envolvimento da CIA em conluio com a Maçonaria e o grupo Illuminati! Com o aval da NSA chefiada por Darth Vader!

Responder

    Jst

    14 de abril de 2016 às 15h28

    É por isto que fico puto com a Dilma. Se ela vencer tem de tratar os golpistas no porrete. Demissão de todos os procuradores, juizes, Já Not policiais federais golpistas, inpeachment do gilmar mendes, perseguição feroz ao grupo globo, itulizando contra eeles os crimes recém descobertos, demiisão de todos os golpistas incrustados no governo, fazer andar os processos contra o Aécio, Pauzinho do Dantas, Bolsomerda, Caiado, Cunha, Temer, etc etc etc Fodam-se golpistas.

    Responder

      AZ Botelho Paiva

      14 de abril de 2016 às 17h57

      Se ela perder vai ser uma limpeza melhor do que aquela feita pelo Roto Rooter. Porque o que tem de rato pendurado nas tetas deste governo, nem toda a lama saída da barragem de Mariana cobriria todos eles depois de abatidos. O dó!!!

      Responder

    AZ Botelho Paiva

    14 de abril de 2016 às 17h51

    Num sei não, mas acho que você deve ter fumado o cigarrinho do capeta. Ah para oh!!!

    Responder

Antonio Passos

13 de abril de 2016 às 23h48

E nossa presidenta republicana acena com “diálogo” se ganhar a “nova eleição”. Sem comentários, dá vontade é de mandar… Quem sabe ela começa o terceiro mandato fazendo omeletes ? Se perder ela já se diz carta fora do baralho. Isto é, ela já avaliza o golpe, anunciando que aceita a derrota. Ah Dilma vai…

Responder

Maria Thereza G. de Freitas

13 de abril de 2016 às 22h02

não é exatamente uma novidade. a diferença é que não será preciso esperar 50 anos para comprovar.

Responder

    AZ Botelho Paiva

    14 de abril de 2016 às 17h59

    Num intindi, dá pra esmiuçar um pouco mais este esperar 50 anos?

    Responder

      Maria Thereza G. de Freitas

      15 de abril de 2016 às 10h12

      sem problema: no golpe de 1964, a interferência do EUA só foi comprovada 50 anos depois, quando o Depto. de Estado norte-americano retirou o sigilo dos documentos da época. Está tudo muito claro no filme “O dia que durou 21 anos”. Se puder, vale a pena assistir. Todo mundo sabia, mas a comprovação com com documentos, áudios originais, correspondências confidenciais, etc… etc… só a partir da abertura dos arquivos.

      Responder

        AZ Botelho Paiva

        15 de abril de 2016 às 13h02

        Minha querida em 1964 eu estava com 19 anos, portanto eu lembro-me muito bem do que aconteceu naquela ocasião. E também já sabia que houve participação consentida , dos americanos. Porem o que se deve levar em conta é que o João Goulart deixou o Governo, sem que fosse necessário ser disparado um único tiro. E todos sobrevivemos. E a preocupação dos Estados Unidos não era invadir o Brasil, como muitos pensam. Mas evitar que o movimento Comunista se alastrasse pela América Latina. Pelo menos eu sempre entendi desta forma. Agora parece-me que esta-se pensando diferente. já cansei de ver declarações de lideres de movimentos sindical e social, fazerem ameaças, e dizerem que estão prontos para pegar em armas. E comentários na internet, neste sentido, é o que mais temos. Um outro detalhe muito importante a ser observado, é este falso anti-americanismo por parte da nossa esquerda. Eles criticam criticam, mas assim que as ferias se aproximam, ele já começam a se preocuparem com as passagens para a Disneylândia em Orlando, ou para irem às compras em Miami. Entreviste estes esquerdistas mais radicais, e acabarás descobrindo que a maioria deles já estiveram nos Estados Unidos, mas em Cuba, Coréia do Norte, ou até mesmo na Venezuela, não. Quanto ao filme, eu já o havia assistido, e para tirar algumas dúvidas, voltei a assisti-lo hoje 15/04/2016 E cheguei a mesma conclusão à que havia chegado quando o assisti pela primeira vez. Ou seja: Os americanos jamais tiveram outro propósito a não ser derrubar o João Goulart que para eles seria uma ameaça permanente da implantação do Comunismo no Brasil, e por possível influência do Brasil, em toda a América Latina. E segundo é citado no próprio documentário, para os Americanos uma ilha do tamanho de Cuba, não seria um grande risco. Porem se o Brasil se tornasse Comunista, seria como se tivéssemos o surgimento de uma nova China. Agora quanto a se guardar sigilo de documentos, eu sempre entendi que nenhum documento poderia ser tão importante que, o tempo imposto como sigilo, perdurasse por mais de 10 anos. E no entanto o governo atual considerou que os empréstimos para Cuba, e outros países deve ter o sigilo preservado por trinta anos. No meu entender este prazo é mais do que suficiente para que em caso de corrupção explícita nos contratos, os envolvidos já não estarão mais aqui, para pagar pelos seus crimes. Não é lindo? Para eles claro!!!

        Responder

          Maria Thereza G. de Freitas

          15 de abril de 2016 às 13h16

          então, vc deve estar bem ciente de que a “invasão comunista” em 1964 e o “combate à corrupção” em 1954, 1964 e 2016 são meros pretextos para a derrubada de governos que tentam, minimamente, reduzir as desigualdades, resvalem para alguma coisa popular mas, acima de tudo, pretendam preservar nossos recursos naturais. Num ponto concordo com vc: a não ser assuntos altamente estratégicos da cada nação, as ações devem ser públicas com acesso a quem interessar. Não entendo, por exemplo, que os documentos relativos ao trensalão tenham sido postos em sigilo por 25 anos (parece que a justiça derrubou isso, mas o que é uma decisão judicial pra o Alckmin?, não é mesmo?).

          AZ Botelho Paiva

          15 de abril de 2016 às 17h40

          Você precisa se informar melhor sobre alguns documentos que atribuíram ao Alckmin sobre prazos para se preservar o sigilo. Não acompanhei, mas me parece que foi ele que quando tomou conhecimento dos fatos, mandou anular tudo. A conferir.

          Maria Thereza G. de Freitas

          15 de abril de 2016 às 19h27

          provavelmente foi isso que aconteceu. quando percebeu, tirou o sigilo Todo mundo sabe que ele é muito distraído. E também que não precisa se preocupar. Afinal, desde quando tucano é investigado?

          AZ Botelho Paiva

          16 de abril de 2016 às 02h54

          Vocês tem sempre esta mania de atacar os outros partidos, as vezes com comparações, em vez de prepararem um bom argumento, que seja convincente, para defender o seu partido, sem envolver outros. Mais eu vou lhe dizer o meu ponto de vista. Se tem alguém a quem vocês devam criticar é ao Lula/Dilma. Pois principalmente o Lula, não é o que fica se vangloriando de que foi o PT que deu carta branca para que tanto o Ministério Público, quanto a Polícia Federal investigasse a tudo e a todos. O PT esta a mais de 13 anos no poder, tempo suficiente para se mandar desarquivar todas as maracutaias cometidas pelo PSDB, e que dizem que foi tudo arquivado. E porque não tomou esta atitude? Medo de que o tiro possa sair pela culatra? Eu me lembro que certa ocasião, quando o Lula não era nada na política, a não ser um estorvo para todos os governantes que o precederam, e o Presidente era o FHC, e este fato foi publicado nos jornais, e o Lula queria porque queria abrir uma CPI, não me recordo para apurar o que, e o pessoal do PSDB não permitiu que a CPI fosse aberta. O Lula então foi para a mídia escrita, e falou mal do PSDB, por não abrir a tal CPI. O FHC não deixou barato, e rebateu: Tudo bem, eu concordo em abrir a sua CPI, com uma condição: Abriremos duas CPIs, a sua, e a da CUT. Nunca mais o Lula e o PT tocaram no assunto. E se o PT não aproveitou a oportunidade para pedir que se investigasse o PSDB nestes 13 anos, agora ficará bem mais difícil. Pois ouvi dizer que domingo a coisa esta perigando para a tia Dilma. O dó!!!


Deixe um comentário

O Xadrez para Governador do Ceará Lula ou Bolsonaro podem vencer no 1º turno? O Xadrez para Governador de Santa Catarina