Bahia: Refinaria privatizada provoca desabastecimento de Gás de Cozinha

Paulo Nogueira: governo Temer não conseguirá calar os blogueiros sujos

Por Miguel do Rosário

09 de maio de 2016 : 09h22

Foto: Mídia NINJA

O que vai acontecer com os sites independentes num governo Temer?

No DCM

O que vai acontecer com os sites independentes num governo Temer?

A resposta cabe em duas sílabas: na-da.

Há uma imensa torcida da plutocracia para que eles desapareçam. O motivo seria o fim, neles, de propaganda do governo federal.

Há várias tolices contidas aí.

A mais importante é que quem verdadeiramente depende da publicidade do governo federal são as grandes empresas de jornalismo.

Elas não vivem e nem sobrevivem sem dinheiro público em torrenciais quantidades. Apenas a TV Globo levou nestes anos todos do PT 500 milhões de reais em média ao ano em propaganda governamental.

Foi um dos maiores erros do PT. As administrações petistas financiaram as companhias de jornalismo e contribuíram para a colossal fortuna particular das famílias Marinho, Civita e Frias, para ficar nas principais.

O efeito destruidor da internet sobre a imprensa tradicional brasileira foi extraordinariamente mitigado pelo duradouro e multimilionário mensalão da publicidade federal.

A Abril provavelmente já estaria morta, por conta do mercado, não fossem as remessas constantes de dinheiro público oriundas do Planalto.

Fazia já anos que a Veja se dedicava meticulosamente a tramar a derrubada do governo com um jornalismo bandido e, mesmo assim, cerca de 100 milhões por ano iam dar na Abril em anúncios federais publicados numa mídia já virtualmente sem leitores.

A Abril conseguiu, no apogeu da guerra de exterminação contra o PT, até um financiamento do BNDES para reformar a base tecnológica de seu sistema de assinaturas.

Acionistas então riquíssimos foram poupados de investir num negócio de interesse exclusivo dos Civitas. (O tamanho da fortuna da família é tanto que, há pouco tempo, os Civitas colocaram 450 milhões de reais na Abril.)

São as grandes empresas, repito, que não vivem e nem sobrevivem sem o dinheiro público.

Isso vem de longe. Num livro que reuniu documentos guardados pelo presidente Geisel, há um despacho de um ministro do círculo íntimo do poder que dizia que o governo deveria jamais esquecer da dependência da imprensa de favores governamentais. Era uma “arma extraordinária” para lidar com os donos dos jornais.

Publicidade, financiamentos subsidiados em bancos oficiais, vista grossa para a sonegação de impostos, manutenção de privilégios abjetos como a isenção de impostos na compra de papel – tudo isso o ministro de Geisel alinhavou para explicar por que a imprensa não se sustentaria de pé sem a mãozinha providencial do governo.

A administração Geisel usou isso, por exemplo, ao ameaçar cortar o dinheiro público que salvar as contas do Jornal do Brasil depois que este contratou como colunista Carlos Lacerda.

Lacerda já era então inimigo mortal da ditadura porque os militares ceifaram seu sonho presidencial ao decidir permanecer no poder em vez de devolvê-lo aos civis rapidamente.

Pode-se dizer que os únicos governos que encheram as empresas de mídia de dinheiro sem nenhuma contrapartida foram o de Lula e o de Dilma.

Republicanismo ou burrice, cada qual fique com sua visão das coisas.

Repare que jamais, ao execrar os gastos exagerados do governo, os jornais tocaram na questão das absurdas verbas publicitárias.

Este quadro de dependência visceral do dinheiro do contribuinte está na cultura da mídia brasileira.

O PT perdeu uma chance formidável de promover um choque de capitalismo na imprensa. Bastaria forçá-las a viver das próprias pernas. Os barões da imprensa não seriam tão bilionários, mas pelo menos aprenderiam o que é capitalismo.

Os sites independentes vivem uma realidade completamente diversa. Receberam sempre uma migalha miserável da publicidade governamental, isto quando receberam alguma coisa.

Toda a estrutura da Secom, o departamento do governo responsável pela publicidade federal, foi montada de forma a beneficiar as grandes empresas, a começar pela Globo.

Também isso o PT nunca mudou.

A internet já respondia em países como a Inglaterra por metade da verba dos anunciantes e no Brasil estatais destinavam menos de 5% de seu orçamento para a mídia digital. E mesmo assim a fatia maior desses 5% esqueléticos ia, claro, para os sites das grandes empresas.

É portanto uma falácia, um cinismo, uma piada dizer que os sites independentes foram financiados pelo PT.

É uma inversão sórdida: financiadas foram as empresas da mídia plutocrata, para usar a expressão de Glenn Greenwald.

Com seus custos obscenos – você pode imaginar os dividendos dos donos –, elas não podem se manter como são sem a publicidade federal.

Os sites independentes têm, em oposição, custos mínimos.

No caso específico do DCM, a publicidade programática – anúncios que vão diretamente para os sites, de acordo com sua audiência, e sem intermediação das agências – cobre com folga todos os custos.

O futuro é da publicidade programática. No Reino Unido, metade das verbas digitais dos anunciantes deriva da publicidade programática, e o crescimento é vigoroso.

Você depende de apenas uma coisa para ter uma receita boa nesse campo: público. E para isso, como sempre na história da imprensa, você tem que ter qualidade no conteúdo.

A mídia plutocrática, com sua partidarização, abre um mercado enorme para sites voltados para leitores que não toleram seu conteúdo manipulador.

Isso quer dizer o seguinte: ao contrário do que gostariam as grandes empresas e seus jornalistas vassalos, os sites independentes continuarão sua escalada no mercado de notícias, seja com que governo for.

O mercado os quer.

Na contrapartida, as corporações da plutocracia enfrentarão inevitavelmente a crescente erosão de sua audiência por força da internet.

Receberão de governos amigos, como o de Temer, caso o golpe se concretize, dinheiro em doses indecentes.

Mas mesmo isso não impedirá que o mercado faça com elas o que fez, no passado, com os fabricantes de carroças quando surgiram os carros: as transforme em pó.

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

7 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Avelino Oliveira

09 de maio de 2016 às 17h42

Oi Alex
Compreendo a sua opinião, e sei também que eles irão sufocar os blogueiros sujos, via inúmeros processos.
Mas esse é o preço a se pagar, assim como irão prender muitos manifestantes, sindicalistas, entre outros.
Quando o pau começar a comer, muitos serão punidos de variadas formas.
Nisso será a resistência a ser assumida.

Responder

Fatima M.R.P.

09 de maio de 2016 às 12h32

Adorei o artigo! E desejo do fundo do coração que isso se concretize

Responder

alex

09 de maio de 2016 às 13h14

Problema, Avelino, são os processos… Hoje quando batem na mesa do juiz já é um transtorno. Blogueiros como o Miguel, o Eduardo, o Azenha e outros importantes devem ficar pensando: se eu perder como farei para pagar? Gente, isso hoje!!! As coisas vão piorar. A taxa contra os blogueiros (o preço do processo) vai aumentar. Quem aguenta? Vc toma aí 2 ou 3 processos perfazem brincando 100 mil. E o custo do advogado etc. Não vai ser fácil. Eles irão pra cima não censurando, mas “furando o bolso” dos blogueiros. Quantos de nós ( de toda a blogosfera) estão preparados para abraçar a mídia alternativa não só com elogios e carinhos mas com grana mesmo? Claro, se abrir uma conta dos 10 principais blogs do país e todos nós pingarmos 100 reais/mês, eles não vão poder amordaçar pelo bolso. Pq os blogueiros terão grana para continuar falando e pagar as custas dos processos. É o que eu acho. Desculpem se estou falando merda, tá?

Responder

alex

09 de maio de 2016 às 12h54

Miguel .. olhe isso. Ontem numa roda, o cara fez essa pergunta.. “Catso, mas pq Dilma está empossando um jornalista na EBC? Parece time que está perdendo e aos 43 minutos faz substituições!” Confesso que também não soube o que falar. Vejam a razão disso.. leiam:
http://www.conversaafiada.com.br/economia/ebc-por-que-ricardo-toma-posse-na-vespera-da-queda

Responder

alex

09 de maio de 2016 às 12h50

Vc tem toda razão, Paulo. Por acaso estava lendo essa matéria agora de manhã. É isso, na lata!
A pergunta do momento: Pq o governo está empossando um cara na EBC na véspera de sua queda?
http://www.conversaafiada.com.br/economia/ebc-por-que-ricardo-toma-posse-na-vespera-da-queda

Responder

Avelino Oliveira

09 de maio de 2016 às 10h55

Há que ser muito idiota, e isso não falta na direita, de achar que os blogues ditos sujos , irão parar por causa do golpe.
Só se forem censurados.
De outro jeito, o Pasquim atual continuará.

Responder

Luiz Mattos

09 de maio de 2016 às 10h21

Bom Dia Rebeldia Legalista.
Pronto para cavar a trincheira no campo de luta.
Alguns podem pensar ser implicância minha mas eu conheço o filme da covarde omissão.
Como sempre faço ao começar o dia fui dar uma “espiada”nos sites que costumo ler e nem um da notícias sobre o POVO valente que está em Brasília.Pelo contrário vi dois descendo a lenha no PT,culpando o Partido pela atual situação.Comportam-se como a direita canalha que culpa a mulher pelo estupro sofrido devido a roupa que usa expor seu lindo corpo.
São eles os Patriotas que passaram mais de uma década chamando LULA,DILMA e O PT de covardes e alguns apoiaram a insanidade de junho de 2013 onde tudo começou.

Responder

Deixe um comentário