Análise em vídeo das manifestações do 2 de outubro e as vaias a Ciro

Suprema Esquizofrenia ? Globo ataca o projeto de aumento do STF

Por Redação

16 de maio de 2016 : 19h57

Foto: Jornalistas Livres

por Bajonas Teixeira de Brito Junior, colunista do Cafezinho

A Globo dirigiu ataques pesados ao Judiciário, ao MPF e à Câmara, críticas que envergonhariam qualquer adulto quanto mais instituições que são pilares do Estado. Em resumo, ela usa adjetivos muito duros para dizer que essas instituições, tendo derrubado Dilma com o argumento do zelo pelos recursos públicos, se permitem encaminhar uma farra com esses mesmos recursos públicos no dia seguinte à vitória.  Através de editorial da revista Época (14), a Globo diagnostica nelas sintomas de “uma esquizofrenia política aguda”.  

Em especial, o editorial mira o STF e seu aumento posto em regime de urgência. Pode parecer estranho esse ataque, mas o fato é que a Globo tem muito mais a perder que o Judiciário se o golpe não funcionar. Ela arriscou todas as suas fichas na jogatina do impeachment. Se Temer não se firmar, e se um governo de esquerda vier a assumir em 2018, seus riscos são muito grandes, já que ela se vale de uma concessão pública. Por isso, sua luta para o sucesso de Temer é questão de vida ou morte.

Invocando a crise, recordando o fato de que o déficit público chegou em fevereiro a 10,75% do PIB, que a agência Fitsch voltou a reduzir a nota de crédito do Brasil, e que, por tudo isso, o país ou contém gastos ou vai para o abismo, o editorial A nossa Opinião – A nova pauta-bomba mostra sua perplexidade com os políticos e a o STF:

“O país precisa, urgentemente, de um plano de redução e estabilização  dos gastos públicos. No entanto, os projetos que ganharam urgência na Câmara jogam gasolina na fogueira. O reajuste dos ministros do STF deverá gerar gastos adicionais de R$ 717,1 milhões com os subsídios de magistrados. O aumento dos servidores do Judiciário acarretará despesas extras de R$ 5,99 bilhões ao ano.”

Em regime de urgência estão projetos de lei que dão reajustes salariais para os servidores do Poder Judiciário (entre 16,5% e 41,47%) e para os ministros do Supremo Tribunal Federal (cuja remuneração modesta subiria dos atuais R$ 33.763,00 para R$ 39.293,38 mensais). O impacto desses aumentos nas despesas públicas sobe a muitos bilhões. E ai entram a esquizofrenia e seus “sintomas patológicos”:

A esquizofrenia política brasileira tem uma série de sintomas patológicos. (…) É um sinal de alheamento da gravidade da situação do país que a cúpula do Judiciário patrocine um projeto de reajuste  de 16,38% dos próprios vencimentos.”.

O Dicionário Aurélio dá a seguinte definição abreviada da esquizofrenia: “Doença mental complexa, caracterizada, por exemplo, pela incoerência mental, personalidade dissociada e ruptura de contato com o mundo exterior”.

Para a Globo, o “mundo exterior” a ser sintonizado é o da economia e da política.  A personalidade jurídica do STF sofre de aguda incoerência mental quando o assunto é aumento de salário.

O fato é que a cúpula do Judiciário entrou em choque com Dilma em 2011, quando ela resistiu à pressão para aumentar seus salários de  R$ 26.723,13 para R$ 30.675,48. A briga continuou em 2015, quando a presidente reduziu seu próprio salário e o dos ministros em 10%, enquanto o STF pedia aumentos que iriam a R$ 39.293,38, com o efeito agravante de ampliar o teto do funcionalismo público no país inteiro.

Dilma decidiu então vetar o aumento que já tinha sido aprovado considerando seu enorme impacto negativo nas contas públicas:

“O governo se posicionou contra o projeto porque, segundo o Ministério do Planejamento, os percentuais representariam aumento de R$ 25,7 bilhões nos gastos nos próximos quatro anos. O impacto será de R$ 1,5 bilhão, em 2015; em R$ 5,3 bilhões, em 2016; R$ 8,4 bilhões, em 2017; e R$ 10,5 bilhões, em 2018.”

A manutenção do veto levou a uma luta acirrada na Câmara, com os defensores do aumento conseguindo 251 votos, apenas seis a menos que o necessário para a derrubada o veto.  O efeito, evidentemente, apenas poderia ser uma intensificação do “ódio salarial” do STF, e de boa parte do Judiciário, contra Dilma e o PT.

Foi Eduardo Cunha quem, por último, encaminhou sofregamente e aprovou o regime de urgência para o aumento do Judiciário e do STF quando se amarrava os últimos fios da tramitação do impeachment.  Sintomaticamente, no dia 03 de maio a urgência foi aprovada por Cunha e no dia 05 ele foi afastado pelo STF do exercício do mandato e da presidência da Câmara. Ou seja, cinco meses depois do pedido da PGR enviado ao Supremo, mas apenas dois dias após ter aprovado o aumento do Judiciário.

O Editorial da Globo chega ao seu cheque mate contra o STF apontando esse regime de urgência num momento em que as finanças públicas estão em estado crítico:

“O STF, que assume cada vez maior protagonismo na cena política, deveria assumir também a vanguarda da austeridade.”

Significativa indiscrição da Globo que aponta para o excessivo protagonismo (talvez lembrando de Gilmar Mendes, que há poucos dias bradava, ao saber que Dilma recorreria ao SFT, “Eles podem ir para o céu, o papa ou o diabo”), que parece não ser condizente com a independência e à imparcialidade, que a lei atribui ao exercício da Justiça.  O Editorial termina com um diagnóstico sombrio:

“Outra patologia da política brasileira é o corporativismo arraigado. Os deputados não querem se indispor com integrantes de corporações poderosas como o Judiciário e o Ministério Público Federal. Os lobbies organizados prevalecem”.

Mas por que os deputados se indisporiam? Por que colocariam obstáculos? Para terminar como Dilma?

Eis aonde a toda poderosa Globo se meteu ao apoiar a “voz das ruas”. Para que a crise econômica não empurre Temer ao desastre, ela se vê obrigada a assumir a coordenação política, a orientar, conduzir e educar os seus aliados, ou seja, agir como um verdadeiro partido político. Melhor dizendo, como o único verdadeiro partido político da coalisão no poder. Ocorre que ela também é movida por interesses. Aqueles a quem ela critica por se darem altos salários não aceitarão abrir mão deles enquanto essa empresa embolsa bilhões em lucros. Essa é a sinuca de bico em que a Globo se meteu.

Bajonas Teixeira de Brito Júnior – doutor em filosofia, UFRJ, autor dos livros Lógica do disparate, Método e delírio e Lógica dos fantasmas, e professor do departamento de comunicação social da UFES.

 

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

17 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Tonia Rebouças

18 de maio de 2016 às 00h28

SIMPLES ASSIM.

Responder

Replicante Andante

17 de maio de 2016 às 09h42

O velho e bom cooperativismo no Brasil, o legislativo aumenta o salário do judiciário e o mesmo não investiga ninguém do legislativo. ISSO TEM QUE ACABAR, INDEXAÇÃO DO SALÁRIO DO JUDICIÁRIO E DO LEGISLATIVO PELO SALÁRIO MÍNIMO.

Responder

    Anderson Dutra

    17 de maio de 2016 às 20h40

    o mais punk é que os cara ganham bem justamente pra serem incorruptíveis… é o fim…

    Responder

Diego Santos

17 de maio de 2016 às 09h22

Correto mesmo é deixar os servidores do judiciário mais de 10 anos com uma reposição inflacionária de 15,9%!! Porque dez anos estamos completando em 2016. Isso porque só em 2015 a inflação passou de 10%. Por que vocês não defendem logo a demissão dos servidores e o funcionamento do Judiciário?! Um aumento ridículo que não cobre a inflação do período, dividido em 48 longos meses, que quando for pago integralmente deixará uma situação pior do que hoje aos servidores e mesmo assim todo mundo se opõe. E claro que os valores são importantes, se trata de quase 20% dos servidores federais!

Responder

    Helena

    17 de maio de 2016 às 12h33

    Um grupo tão medíocre, corporativista e cooperativo entre si não deveria receber tanto. Nem a metade. Encontrei com servidores do judiciário em 2015 e pude ver o ódio que eles dedicavam a Dilma e ao PT. Só por não terem seus aumentos, e se achando tão importantes que não poderiam se comportar com os outros servidores e esperar. Tem que passar a navalha nesses salários de gente preguiçosa, improdutiva, e corporativa. Ou como vocês explicam que a Justiça brasileira seja a pior do mundo??

    Responder

      Diego Santos

      17 de maio de 2016 às 12h58

      Como se o governo Dilma merecesse alguma defesa! Enfim, pelas suas afirmações fazem bem os servidores em seu ódio irracional ao governo que vetou reposição de salário e não deu alternativa. Negou qualquer opção ao servidores mesmo quando o país crescia a 10% ao ano. São 10 anos não são 10 meses, enquanto TODAS as carreiras federais receberam reajustes. Ah… realmente há uma minoria dos servidores com incorporações que ganham muito bem, mas a maioria dos servidores é de “pé-duros” que recebe menos que os cargos equivalentes no Legislativo ou mesmo no Executivo. Parece até que você acredita que quem move o Judiciário Federal são os juízes, pobre inocente. Acusar os servidores de improdutividade, quando no mesmo período metas e mais metas foram atingidas e quando o Judiciário FEDERAL goza de reconhecimento da agilidade média superior nos processos é um desconhecimento grotesco da realidade. A Justiça brasileira é a pior do mundo? Cadê sua fonte, por favor! A ineficiência não seria culpa do emaranhado jurídico e recursal promovido por leis elaboradas pelo Congresso, que o PT teve quase 15 anos pra melhora e nada fez? Não seria devido a politicagem, tráfico de influência e a reverencialismo de seres como você, que massacram os servidores e deixam lá os togados, com seus dois meses de férias, auxílio moradia (que ultrapassa sozinho o salário de muitos servidores), auxilios isso, auxilio aquilo, licença capacitação e um sem mundo de vantagens?!
      Não se faz um Judiciário eficiente perseguindo servidores.

      Alias, juízes tiveram vários aumentos nestes 10 anos? Cadê sua indignação? Cadê você pendido redução do salário dos juízes? Não, você é mais um que se junta pra massacrar os servidores do Judiciário. Os novos cristos, que todo mundo quer crucificar. Os únicos servidores que não tem direito a reposição inflacionária neste país, sem antes passar o pires por Executivo, Legislativo, STF, CNJ, associações de juízes, imprensa e povão. Ah… deve ser porque o resto do governo é um exemplo de eficiência, o TCU então que tem salários astronômicos contribui de mateira muuuito significativa pra sociedade com seus juízes políticos indicados.

      Não há espera por parte dos servidores que já esperam a 10 anos! Já se esperou demais! Ainda mais quando a opção é só esta: esperar calado. Petistas deviam ter vergonha de suas roubalheiras e incompetência. De qualquer forma, pode deixar, que mantido esse horizonte continuaremos trabalhando para construir esse país que você deseja, com certeza será ótimo.

      Responder

        Helena

        17 de maio de 2016 às 13h31

        Não sou eu quem tem que agir e denunciar a trapaça de juízes enchendo o bolso e “pé-duros” sendo embromados. Sabe quem seriam as melhores pessoas para isso? Os maiores interessados, vocês mesmos. Não desconte em mim, eu não sou a desembargadora que o chicoteia todo dia pela manhã. Pergunte a vocês o que têm feito para 1) reduzir os ganhos dos juízes; 2) cortar privilégios como os citados dos mesmos; 3) criar um judiciário com menores oportunidades de escândalos e corrupção; 4) com maior agilidade e produtividade (metas? as estabelecidas pelo próprio judiciário? sei). Temos a pior justiça, mais desigual, mais violenta, que prende pobres e negros com prisão preventiva permanente e sem julgamento, e mantém a impunidade dos brancos que tem dinheiro. E os presídios? Meus deus, como uma justiça quer se defender com esses presídios que ela tem a obrigação de zelar, o inferno da imundície e da barbaridade.. Sempre quando juízes querem aumento estalam os dedos e os “pé-duros” caem de quatro rosnando, ameaçando fazer greve ou já fazendo para seus amos. Só que ai quem ganha é só o juiz. A corja recebe só os ossos para roer. E não diz nada, fica esperando que os poderosos (juízes, desembargadores e ministros do stf) resolvam para ela. Deixem de ser puxa-sacos e lutem contra esses juízes e seus privilégios. Cambada.

        Responder

Roberto

17 de maio de 2016 às 09h16

2018 NÃO, vira essa boca para lá…
Já acho muito 180 dias assim.

Responder

    Anderson Dutra

    17 de maio de 2016 às 20h56

    Tem que esperar a merda cair na cara das pessoas, o povo não vai ser informado das coisas, vai demorar um pouco…
    Mas já já as atrapalhadas começam a dar resultado, os caras tão perdidos. Fecha ministério, abre de volta e depois transforma em secretaria, vai reduzir o SUS e no mesmo dia volta atrás, dando que se foda em países vizinhos, em direitos trabalhista, aumentando previdência, cobrança em faculdade pública, aquela medida provisória 727 que é um ralo pra corrupção, o povo saca que só tem corrupto lá, basta cortar a net, dar umas porradas em estudantes que todos voltam a se revoltar, daí fio, já era. Também espero que sejam no máximo os 180 dias, enfim, veremos…
    Agora, se não sentirem o cheiro da merda, vamos ter que esperar o povo sentir no lombo.

    Responder

Carlos Moreira

17 de maio de 2016 às 02h22

O Judicário fez seu Dever de Casa e agora manda a conta.
Engraçado não ouço a sinfonia de panelas!
Cadê os Trouxinhas, digo Coxinhas!

Responder

Alexandre Moreira

17 de maio de 2016 às 00h56

Nada de mais, somente comparsas brigando na hora da divisão do produto do roubo.

Responder

Antonio Passos

16 de maio de 2016 às 21h43

É muito difícil avaliar à primeira vi sta essas jogadas de xadrez que os golpistas realizam. Há muita coisa por trás disso e as estratégias são traçadas por gente que sabe muita coisa que nós nem sonhamos. O fato é que o golpe está ferido de morte e a cada dia vai perder mais sangue. Sabe-se lá que sombrios planos podem estar por trás do bombardeio ao judiciário que, até agora, ela sócio na trama. Tem coisa prá lá de esquizofrênica por trás disso.

Responder

salve!!! américa latina!

16 de maio de 2016 às 20h43

nada mais justo que rede esgoto cobre sua parte no golpe. tá difícil racha a grana entre eles

Responder

    Pedro Magalhaes

    17 de maio de 2016 às 00h17

    cOBRE SUA PARTE NO BUTIM!

    Responder

      Joao Megaton

      17 de maio de 2016 às 10h33

      Salve acho q esse cara ta te azarando

      Responder

Marcvs Antonivs

16 de maio de 2016 às 20h37

Quero que a globo morra.

Responder

Maria Thereza G. de Freitas

16 de maio de 2016 às 20h08

no curto prazo, a globo não precisa se descabelar, porque a provável presidente do BNDES, Maria Sílvia Bastos Marques, será bastante generosa. Já fez até lobby em prol da globo, quando o presidente era o Carlos Lessa (conversaafiada). Agora, quanto à renovação da concessão em 2018, é outra história…

Responder

Deixe um comentário