Comentários sobre o áudio vazado de André Esteves (BTG Pactual)

VÍDEO: Em Fortaleza, ministro da Saúde é vaiado e tem discurso cancelado sob os gritos de “Fora, Temer”

Por Miguel do Rosário

04 de junho de 2016 : 12h03

Ministro da Saúde de Temer é vaiado durante evento em Fortaleza

No Jornal do Brasil

O ministro da Saúde do governo do interino Michel Temer (PMDB), Ricardo Barros (PP), foi recebido na noite desta quarta-feira (1°) em Fortaleza por protestos e confrontos. Ele falaria na abertura do 32º Congresso Nacional de Secretarias Municipais de Saúde, no Centro de Eventos do Estado, mas o discurso teve que ser cancelado, entre gritos de “golpista” e “Fora, Temer”.

Integrantes do grupo “Médicos pela Democracia” e outros movimentos tentaram entrar no auditório, mas seguranças montaram um bloqueio. Houve conflito, sem feridos.

Depois, os manifestantes conseguiram acesso ao local, e passaram a vaiar os discursos que mencionavam o ministro da Saúde. Foram centenas de vaias, que viraram milhares, inclusive de secretários municipais de saúde, conforme noticiou o portal Viomundo.

O ministro também participou de uma reunião com integrantes do Conselho Nacional de Saúde, órgão deliberativo do SUS, ocasião em que também teria sofrido críticas. Alguns membros do Conselho, disse o jornal cearense, o chamaram de “golpista”.

O 32º Congresso Nacional de Secretarias Municipais de Saúde, realizado até este sábado (4) pelo Conselho Nacional de Secretaria Municipais de Saúde (Conasems), reúne cerca de quatro mil gestores municipais de saúde de todo o Brasil. O objetivo é promover o encontro de ideias, troca de conhecimentos e proposições em favor do SUS.

Barros deu declarações sobre o que viria a ser um redimensionamento do SUS, mas voltou atrás, e agora destaca que estaria pedindo ao Ministério da Fazenda de Temer para que a “saúde seja preservada”. “Vamos aguardar a decisão da equipe econômica.”

Os diretores do Denasus (Departamento Nacional de Auditoria do SUS/Ministério da Saúde) e os seus chefes nos estados elaboraram a Carta de Fortaleza dos auditores em defesa do SUS.

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

5 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Sandra Francesca de Almeida

06 de junho de 2016 às 01h08

Primeiramente, fora Temer! Não passarão!

Responder

marilza

05 de junho de 2016 às 09h45

Fora Temer, bom dia !

Responder

J Paulo

04 de junho de 2016 às 19h42

Eu atendo o telefone, não importa se é o Banco, se é cliente: Minha saudação inicial, “FORA TEMER” e minhas despedidas também ‘FORA TEMER”. Temos que estar nessa pois estão trabalhando para acabar com a nossa PREVI, CASSI, REGIUS e demais previdencias privadas que está com dinheiro saudável e bem administradas. Tudo em cima de mentiras para entrega de novo ao FMI, portanto FORA TEMER.

Responder

Dilma Coelho

04 de junho de 2016 às 16h04

FORA GOLPISTA TEMER!!!, XÔ TEMER TRAIDOR, VAZA VOVÔ E CIA…
Fracassado o golpe no Senado, Michel Temer será preso ou anistiado?
Temer não é presidente! Está presidente interino!
Cunha morreu, Temer agoniza, Dilma RENASCE.

Responder

Marcia

04 de junho de 2016 às 14h13

É por aí!

Responder

Deixe um comentário para J Paulo

Parlamentarismo x Semipresidencialismo: Qual a Diferença? Fernanda Montenegro e Gilberto Gil são Imortais na ABL: Diversidade Auxilio Brasil x Bolsa Família: O que mudou? As Refinarias da Petrobras À Venda pelo Governo Bolsonaro O Brasileiro se acha Rico ou Pobre?