Bahia: Refinaria privatizada provoca desabastecimento de Gás de Cozinha

“A elite brasileira não consegue ganhar eleições, mas sabe como montar um golpe”, diz think tank norte-americano especializado em política externa

Por Redação

15 de junho de 2016 : 08h09

Foreign Policy in Focus, um think tank de estudos sociais e políticos com sede nos Estados Unidos e especializado em política externa, denuncia o golpe de Estado no Brasil, criticando as elites econômicas, o Congresso brasileiro e o presidente interino, Michel Temer.

Dica da página Po Serra, no Facebook.

***

A Very Brazilian Coup

On one level, the impeachment of Brazilian President Dilma Rousseff seems like vintage commedia dell’arte.

For instance, the lower house speaker who brought the charges, Eduardo Cunha, had to step down because he has $16 million stashed in secret Swiss and U.S. bank accounts. The man who replaced Cunha, Waldir Maranhao, is implicated in the corruption scandal around the huge state-owned oil company, Petrobras.

The former vice-president and now interim president, Michel Temer, has been convicted of election fraud, and has also been caught up in the Petrobras investigation. So is Senate president Renan Calheiros, who’s also dodging tax evasion charges.

In fact, over half the legislature is currently under investigation for corruption of some kind.

But there’s nothing comedic about what the fall of Rousseff and her left-leaning Workers Party will mean for the 35 million Brazilians who’ve been lifted out of poverty over the past decade, or for the 40 million newly minted members of the middle class — that’s one-fifth of Brazil’s 200 million people.

While it was the current downturn in the world’s seventh largest economy that helped light the impeachment fuse, the crisis is rooted in the nature of Brazil’s elites, its deeply flawed political institutions, and the not-so-dead hand of its 1964-1985 military dictatorship.

Para continuar lendo clique aqui.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

18 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Maria Thereza G. de Freitas

16 de junho de 2016 às 20h48

obrigadíssima. abraço

Responder

Rachel

15 de junho de 2016 às 16h23

tradução por favor.

Responder

Italo Rosa

15 de junho de 2016 às 15h29

Foreign Policy reconhece que é golpe e explica porque as elites
brasileiras são golpistas: perderam quatro eleições consecutivas e não
admitem o fim da desigualdade inacreditável que existe no Brasil.. A
Rosa Weber vai interpelar a publicação para saber por que chama golpe de
golpe? O rito observado” só engana quem quer ser enganado. É golpe! E
ainda para entregar o Pré-Sal às petroleiras americanas, para
“desreconhecer” o Estado Palestino, para não ter visão estratégica
acerca da política externa na África, para quebrar as maiores empresas
nacionais, deixando o mercado externo para as companhias americanas,
para aprofundar a crise econômica (que tem origem em uma crise sistêmica
do capitalismo global), para nos colocar subservientes de novo frente
ao Império. Serra vai tirar o sapato quando passar pela Imigração lá?

Responder

Daniel

15 de junho de 2016 às 14h19

Collor, veja bem, Collor, em sessão do Senado em homenagem a Jarbas Passarinho, usa trecho de discurso deste, à época de seu Impeachment, que se refere a Golpe de Estado, para dizer que o seu Impeachment foi GOLPE, e que o de Dilma é justamente o contrário, pois está abalizado na constituição.
E diz mais, que se Jarbas Passarinho estivesse vivo, diria que “até quando uma MINORIA barulhenta vai viver iludida, na “caverna de Platão”?
É mole essa desfaçatez deliriosa, ou quer mais?

Responder

C.Pimenta

15 de junho de 2016 às 12h47

O ponto em comum em todos os Golpes de Estado ao redor do mundo:

https://dinamicaglobal.wordpress.com/2016/06/11/conheca-george-soros-a-cara-feia-por-tras-de-muitos-movimentos-de-protesto/

Responder

André Monteiro

15 de junho de 2016 às 10h23

Vc tem o mesmo texto traduzido?

Responder

Luiz Mattos

15 de junho de 2016 às 09h22

E o POVO sabe aceita-lo passivamente.
Me desculpem mas golpes somente ocorrem pela COVARDIA do POVO.

Responder

    Daniel

    15 de junho de 2016 às 14h24

    Uma parte está passiva por que tem medo, outra porque está manipulada pela mídia, e outra parte esta fazendo o que pode. Aqui em Recife fomos 30 mil dia 10. Aos poucos, de acordo com o que é possível fazer, a consciência está se espalhando. Mas eu concordo que já deveríamos estar em numero muito maior e com mais veemência em cima desses canalhas.
    Só tem que se isso não ocorrer antes da tal votação, poderemos ter muito do que se arrepender, e por muito tempo.
    Acho que as mídias de resistência deveriam estar já abertamente tratando da convocação das pessoas, e da articulação de uma GREVE GERAL, capitaneada pelos petroleiros.
    Os golpistas estão no tudo ou nada, sem volta, e temos que entrar de vez nessa guerra.
    Antes que seja tarde.

    Responder

Marcos Augusto Neves

15 de junho de 2016 às 09h22

Leiam NOAM CHOMSKY : O Império Americano, Hegemonia ou Sobrevivência, e verão o que está por trás e pela frente do Golpe.

Responder

    Leopoldo Pereira

    15 de junho de 2016 às 15h18

    Valeu, Marcos!

    Responder

Maria Thereza G. de Freitas

15 de junho de 2016 às 09h04

Esse think tank podia explicitar a participação mais do que ativa dos EUA no golpe, de trama ao financiamento. Claro que temos nossos entreguistas em eterno plantão, que não iriam longe sem o apoio dos EUA.

Responder

    Nando Oldenburg

    15 de junho de 2016 às 20h07

    Chossudowsky faz uma análise sem papas na língua dos traíras tupiniquins que estão a serviço dos EUA citando nomes – de Brasileiros e Americanos – e quem manda em quem, inclusive com a citação dos ministros de Temer que tem dupla cidadania, americana e brasileira.

    Responder

      Maria Thereza G. de Freitas

      15 de junho de 2016 às 22h49

      vc tem a fonte?

      Responder

        Nando Oldenburg

        16 de junho de 2016 às 12h43

        Li no original em um site americano de discussão política mas vou procurar pelo artigo traduzido. Assim que achar, posto o link.

        Responder

          Maria Thereza G. de Freitas

          16 de junho de 2016 às 16h59

          obrigada. tem muita coisa dele e sem uma pista, fica difícil achar

          Nando Oldenburg

          16 de junho de 2016 às 19h15

          Não tem de quê!

        Nando Oldenburg

        16 de junho de 2016 às 13h49

        Maria Thereza, achei uma tradução para o Português de Portugal. Os termos são um pouco diferentes dos empregados aqui mas entende-se perfeitamente. Segue o link:
        http://resistir.info/chossudovsky/golpe_brasil_01jun16.html

        Responder

Camem Oliveira

15 de junho de 2016 às 08h30

Todo brasileiro tem o direito de assistir esse documentário produzido pela BBC de Londres e ABC nos anos 90. Este vídeo está PROIBIDO no Brasil desde 1996 por decisão do STF.

Mas, graças a Deus, viva as redes sociais, os “blogs sujos” e os blogs “limpos”. Não há como esconder mais depois de tanta corrupção e sujeira.

https://pt.wikipedia.org/wiki/Beyond_Citizen_Kane

É esclarecedor e mostra como começa uma Lava Jato de proporções inimagináveis.

https://youtu.be/77TKLQ1op34

Não importa se você é coxinha, mortadela ou um cidadão que nem vota.

Mas você tem o direito de saber.

Responder

Deixe um comentário para Marcos Augusto Neves