Mais de 70% dos eleitores já estão decididos sobre o voto presidencial, diz DataFolha

Advogado afirma “não ter fim a tentativa da Lava Jato de criminalizar” a defesa do ex-presidente Lula

Por Redação

12 de julho de 2016 : 21h21

Foto: Reprodução/ O Globo

Roberto Teixeira, um dos advogados de defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, divulgou nota nesta terça-feira (12) em que afirmar “não ter fim a tentativa da Lava Jato de criminalizar a advocacia que não se dobra aos seus excessos”.

Roberto Teixeira protocolou um novo pedido de providência ao Conselho Nacional da OAB, após um novo vazamento da Lava para o jornal O Globo, um laudo que serviu para justificar uma matéria “com a nítida finalidade de desvirtuar sua atuação como advogado”.

Veja a íntegra da nota publicada na página A Bem da Verdade:

NOTA

O advogado Roberto Teixeira avalia “não ter fim a tentativa da Lava Jato de criminalizar a advocacia que não se dobra aos seus excessos”. Sua constatação toma por base o novo laudo elaborado no âmbito da Operação, vazado ilegalmente ao jornal O Globo e que embasou matéria publicada na edição de hoje (12/07/2016) com a nítida finalidade de desvirtuar sua atuação como advogado.

Diante disso, Teixeira protocolou hoje novo pedido de providências dirigido ao Conselho Federal da OAB, aditando requerimento do dia 07/07/2016.

O caso, agora levado ao CFOAB, envolve a assessoria jurídica prestada por Roberto Teixeira a um cliente na regularização e compra e venda de um imóvel em São Paulo (SP). Todos os atos por ele praticados como advogado foram ignorados pelos subscritores do laudo. Teixeira, em sua manifestação, recusa a interpretação maldosa de que fez “mediação” no processo de venda e compra do imóvel em questão e nega ter atendido  interesses do então presidente Luiz Inácio Lula da Silva na operação, ao contrário do que diz a Lava Jato.

Ele afirma ter atuado na única e exclusiva condição de advogado constituído por cliente diverso do ex-Presidente (também seu cliente, dentre outros) e foi remunerado dentro dos padrões éticos para a atividade profissional desenvolvida — após lograr superar intrincados problemas jurídicos que pesavam há anos sobre tal bem imóvel.

No pedido de providências, Teixeira pede a atuação do Procurador Geral de Prerrogativas para “(i) resguardar as prerrogativas do Peticionário nos autos do Inquérito Policial nº 5006597-38.2016.4.04.7000/PR, em trâmite perante a 13ª. Vara Federal Criminal de Curitiba, de forma que a sua atuação de advogado seja respeitada e não desvirtuada como se verifica no Laudo nº 0620/2016-SETEC/SR/DPF/PR, encartado naqueles autos”.

Teixeira foi constituído por Lula para defendê-lo – juntamente com outros advogados – a partir do momento em que seu cliente foi indevidamente envolvido na Operação Lava Jato. Desde então, o advogado já foi vítima de uma ilegal interceptação telefônica, contestada no STF pelo CFOAB. A nova investigada contra Teixeira ocorre logo após ele subscrever, como advogado de Lula, exceção de suspeição contra o Juiz Sérgio Moro.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

4 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Sérgio Silveira

13 de julho de 2016 às 14h57

#moroPRESO

Responder

    Pinheiro CFC

    13 de julho de 2016 às 15h04

    Olha a que pontou chegou

    Responder

Pinheiro CFC

13 de julho de 2016 às 10h51

Coitado do povo. Tem gente que ainda defende Lula, Dilma , Temer , Aécio, são TODOS da mesma laia

Responder

    Atreio

    13 de julho de 2016 às 14h29

    não, não são.

    Responder

Deixe um comentário