Análise da reunião ministerial de Bolsonaro

Temer: o verbo que dá vida a um covarde

Por Tadeu Porto

22 de agosto de 2016 : 08h46

Por Tadeu Porto*(@tadeuporto), colunista do Blog O Cafezinho

Gosto muito do Jeferson Monteiro e reconheço a maneira com que ele revolucionou a comunicação na política com sua personagem Dilma Bolada. Entretanto, dentre milhares de acertos, Jeferson pecou numa analogia, coisa rara se tratando do publicitário, ao comparar o golpista Michel Temer ao vilão da série Harry Potter, o Lord Voldemort.

Bom, essa comparação rendeu ótimos memes como “fora você-sabe-quem”, todavia, como sou fã do bruxinho mais querido do mundo, acabei sentindo certo incomodo ao ver o usurpador comparado com o Lorde das Trevas, afinal, Temer é covarde demais para ser comparado à um vilão tão soberano.

Dentro as personagens imaginadas por J.K. Rowling acredito que somente uma se enquadra no perfil do vice decorativo: o animago Pedro Pettigrew, que vive anos na forma de um roedor na família dos Wealsey, um rato traidor tão medíocre que não consegue adquirir simpatia nem de um psicopata, pois é sujo e baixo demais para tal.

Um vilão, muitas vezes, desperta o interesse e até respeito de seus espectadores. De certa forma, é até comum admirar características muitas vezes associadas à antagonistas (por favor, não associem com outro rato, Diogo Mainardi), como a frieza, a inteligência, a destreza e a perspicácia a ponto de muitos entretenimentos apostarem em anti-heróis ou mesmo na própria vilania como centro do enredo (vide o atual Esquadão Suicída).

Mas com Michel isso não acontece, pois nem mesmo a empatia – um sentimento que devemos cultivar e praticar no dia a dia – um traidor desse nível consegue cativar. Aliás, dos milhares de sentimentos que demostramos como seres humanos, de uma escala que vai da “repulsa total” até a “amor cristão”, um ser tão pequeno como o presidente golpista não consegue passar da marca “nojo”.

Temer é como o Gollum no Senhor dos Anéis, Efialtes nos 300 de Esparta, as irmãs invejosas da Cinderela ou Salvatore Tessio do clássico O Poderoso Chefão: um traidor que todos torcem contra, até adolescente passando pela fase de rebeldia (na minha fase, eu tinha um apreço enorme pelo Vegeta do Dragon Ball Z).

O presidente golpista nunca vai ser como Scar, do Rei Leão, capaz de fazer um discurso épico juntando Hienas e Leões para uma nova era. Não conseguiria sequer segurar um gato como Ernst Blofeld do 007 (afinal, o felino ia parecer mais malvado que ele), ser admirado por espalhar o caos como o Coringa e nem mesmo pode ser comparado a Frank Underwood, da série House of Cards. Temer é fraco e ordinário demais para ser algum tipo de vilão e, se não fosse a mídia conveniente e interessada em seu pacote de maldades contra o povo brasiliero, não sobreviveria um ano a frente da presidência da república (ainda sim, é arriscado ele não durar).

Nesse sentido, o encerramento das olimpíadas apenas confirmaram o que todos já sabiam: que Temer não tem a menor capacidade de se mostrar para o mundo, tamanha é sua insignificância perante o legado deixado pelo governo popular que ele assaltou, construído pelo presidente Lula e pela presidenta Dilma Rousseff.

Foi triste ver um evento vitorioso ser finalizado com tamanho vexame, no qual o Brasil foi incapaz de apresentar ao mundo o seu chefe de Estado (que estava com medo de algumas vaias). Além disso, a deselegância e a mal educação que o país sede apresentou com os próximos anfitriões, os japoneses, será algo que marcará negativamente toda história dos jogos olímpicos. É como receber um hóspede em casa, servi-lo com um café frio e um pão de queijo duro e sequer levá-lo até a porta no fim da visita (aqui em Minas isso é impensável).

Ademais, ainda mais triste é pensar que boa parte da população brasileira é conivente com um rato roendo a faixa da presidência por estar altamente contagiada com ódio e intolerância, criada pela elite mais vira-lata do mundo, e sem pensar nas mazelas que um covarde como Temer, um traidor desprovido de honra, pode fazer para colocar em prática os objetivos baixos e mesquinhos da burguesia que o controla, a verdadeira vilã do nosso contexto.

E assim segue a vida de um golpista que chega ao poder pela porta de trás e vive pelas sombras da plutocracia: hora após hora, dia após dia, sempre temendo. Teme vaias, público e críticas, não tendo coragem sequer de enfrentar o povo que, supostamente, deveria ser o responsável por escolher o cargo que ele usurpou.

Temer, nunca um verbo serviu tão bem como sobrenome.

 

*Tadeu Porto é diretor do Sindicato dos Petroleiros do Norte Fluminense

Tadeu Porto

Colunista do Cafezinho e diretor da Federação Única dos Petroleiros e do Sindicato dos Petroleiros do Norte Fluminense.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

22 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Sandra

27 de agosto de 2016 às 11h43

Excelente texto. É o retrato correto do golpista que não quero pronunciar o nome, pois é nefasto.

Responder

Marivane

22 de agosto de 2016 às 18h29

o golpista não apareceu no encerramento das olimpíadas.
Nunca durma com o inimigo!

Responder

douglas

22 de agosto de 2016 às 17h50

O choro tá forte entre a petralhada heim? Acabou a boquinha para blogs como esse… Aceitem.

Responder

timteobatalha

22 de agosto de 2016 às 17h28

…os coxinhas, dirão que temer não é um governo populista…que ele não faz populismo….

Responder

Vitor

22 de agosto de 2016 às 15h09

Senhores, respeitem o Brasil.
É nosso País a luta é por um a nação melhor, não façam nada que porventura possam se envergonhar em um futuro, não vendam nosso país a Dilma não vendeu nada, Agora, o Sr.Temer está Torrando tudo, é assim que vocês brasileiros querem viver? Qual o motivo que o Brasil não pode ser independente? É a hipocrisia latente nas veias dos meritocratas.

Responder

Vitor

22 de agosto de 2016 às 14h57

Coxinhas sanguinolentos defendam aí seu chefe, porém com defesa correta, não foram vocês que o colocaram, agora virar a mesa e voltar holofotes para o sr. Lula tem de ser muito imbecil, sem mostrar provas mais ainda, idiota nacional.

Responder

marco

22 de agosto de 2016 às 13h06

Sr.Tadeu.Inda bem que o senhor não esqueceu de citar,em sua bela matéria,o conjunto mais mal cheiroso de toda a sociedade de classes,pós Revolução Francesa.A pequena burguesia.A nossa,quisera que não o fosse nossa,tem como ponto principal de suas vidas,a subserviência à LIDERANÇA BURGUESA DE NOSSOS DIAS,os E.Unidos da América do Norte,não sendo a toa,do ponto de vista dessa chaga social,ter ciúmes dos nortistas e nordestinos,pois estes,estão geograficamente mais próximos de suas divindades.Quanto à alusão de que são ratos,realmente o são,e se orgulham disso.Muito mais que o aludido USURPADOR,um medíocre personagem dessa história,mesmo que fosse qualquer deles,a PEQUENA BURGUESIA os apoiaria.Se contentam essas ratazanas,em assistirem na BURGUESIA,sorrisos fáceis e despreocupados.O grande personagem do GOLPE DE ESTADO de que somos vítimas,nós do POVÃO,conta com a adesão,da quase totalidade dessa classe de RATAZANAS!

Responder

Leandro Torreal

22 de agosto de 2016 às 12h36

um texto com conteúdo panfletário.
a crítica rasa, a parcialidade…
o esquecimento das mazelas do lado de cá…
seria bom assumirmos que Temer só é presidente hoje por conta dos erros de Lula e Dilma, sendo o mais grave o desrespeito à alternância de poder.

Responder

    CARLOS C

    22 de agosto de 2016 às 13h43

    Ooops ele era vice presidente, no caso de afastamento da presidenta eleita, deveria ter assumido o cargo, mantido os ministérios e os programas de governo, pois, foi para isto que concorreu na mesma chapa. O que ele fez: 1º) trocou todos os ministros. 2º) desmontou toda a estrutura de governo. 3º) não possui autoridade moral para comandar o país, segundo denúncias agora tornadas públicas, através das delações de Marcelo Odebrecht. Para encerrar, há quanto tempo não ocorre alternância de poder no já combalido Estado de São Paulo ? Respondo: há mais de 20 anos, aqui pode.

    Responder

      Leandro Torreal

      22 de agosto de 2016 às 18h12

      não estou nem aí pra Temer, um bandido aliado do PT que se rebelou.
      é a história de ladrões aliados essa.
      e cada presidente escolhe a maneira com que governa, Carlos.
      quanto a SP, mesma coisa.
      um mesmo partido a mais de dois governos no comando causa prejuízo sempre à população e ao próprio sistema político.
      PSDB não é lá muito diferente do PT.
      ambos vem, ideologicamente, da mesma base: sindicalismo.
      Social Democracia nasce assim.

      Responder

      Dilson Magno

      22 de agosto de 2016 às 19h14

      Temer é do PMDB, um partido que vem parasitando o Poder Público há dezenas de anos. São profissionais de alto nível no desvio de verbas para o financiamento de suas campanhas. Todos têm a cara de pau de dizer que a delação é mentira, ação que é mera formalidade ante as delações. É algo mais sofisticado. Temer é um embusteiro aganador do erário público!!!

      Responder

    João Bosco

    22 de agosto de 2016 às 13h53

    Desrespeito à alternância de poder? Por parte de quem? Quem determina os responsáveis pelo poder, nas democracias, é o voto, é o eleitor. Se há desrespeito à alternância de poder é justamente daqueles que, descontentes por perdê-lo, estão tomando o poder na marra e não no voto. Desrespeito a 54,5 milhões de pessoas que votaram em quem eles estão derrubando por não conseguirem retomar as tetas do poder. Desrespeito à constituição e às leis do País.

    Responder

      Leandro Torreal

      22 de agosto de 2016 às 18h08

      não, João.
      em 2014 houve um aumento estrondoso dos gastos públicos para fins eleitoreiros, fraude fiscal para esconder o deficit e finalmente estelionato eleitoral.
      o PT e Dilma enganaram o país dizendo que estava tudo bem e que as pessoas pessimistas estavam erradas.
      lembra do personagem Pessimildo, da campanha?
      pois é.
      desses 54 milhões, muitos se sentiram traídos e enganados.
      esses 54 milhões já não existem, grande parte se arrepende do voto em Dilma.
      desrespeito à alternância é isso, fazer de tudo para ganhar a eleição, inclusive foder o país, como Dilma e o PT fizeram em 2014.

      Responder

cousinelizabeth

22 de agosto de 2016 às 11h53

Concordo plenamente com você. Como fã da saga Harry Potter, também critiquei desde o início essa comparação. Se algum dos golpistas merece o título de Senhor das Trevas nessa situação toda é o Eduardo Cunha. Já o Temer é o próprio Rabicho, parabéns pela analogia. Também vejo o Draco Malfoy, menino rico mimado, mau caráter e covarde, muito bem representado pelo Aécio. Já o Serra é apenas um comensal da morte de terceira divisão, ou talvez o lobisomem Greyback. Mas a vitória das trevas e a predominância do verbo temer não serão para sempre, a resistência está firme em seu posto, temos muitos jovens corajosos para integrar a armada Dumbledore e botar essa turma pra correr!

Responder

fabiochouga .

22 de agosto de 2016 às 11h24

Foi eleito por vocês. Duas vezes.

Responder

    cousinelizabeth

    22 de agosto de 2016 às 11h55

    ai ai ai ai ai, a turma de TI do golpe precisa atualizar seus robôs, os papos estão muito repetidos e quanto maior a asneira, mais repetem.

    Responder

    Adelar Bazzanella

    22 de agosto de 2016 às 12h13

    Se faz de tolo, se faz. Arruma outro argumento, golpista!

    Responder

      cousinelizabeth

      22 de agosto de 2016 às 13h42

      Os pequenos admiradores do pato da fiesp estão tentando tirar o deles da reta com os argumentos mais imbecis possíveis, mas não vai adiantar.

      Responder

Antonio

22 de agosto de 2016 às 10h27

Por favor não comparem a elite brasileira aos vira-latas! Eu tenho um vira-lata!
Não vamos insultar os bichinhos!

Responder

Dilson Magno

22 de agosto de 2016 às 10h10

Temer é um político que usa o poder apenas para salvar um grupo de usurpadores do poder.
O governo encampado pelo conspirador Michel Temer e seus sócios Cunha, FHC, Aécio, Alckmin, Serra, DEM, PSDB, PMDB, PP, PTB, PR, Globo, Mendes etc., não é um governo interino, mas sim um governo usurpador”
O que fizeram com LULA nem Freud Explica. Essa elite acha que não precisa respeitar pessoas que tem origens humildes, por isso esse ódio todo em quem esteve no topo da humildade.
“uma imprensa cínica, mercenária e demagógica formará um público tão vil como ela mesma” Joseph Pulitzer. Temer é um político que não se pode confiar um minuto.
Temer é um político que não tem vergonha na cara.
Temer é um político que não respeita a democracia nesse pais, um golpista.

Responder

    Adelar Bazzanella

    22 de agosto de 2016 às 12h14

    É um agente.

    Responder

    Osmar Gonçalves Pereira

    22 de agosto de 2016 às 17h31

    Pensando na injusta comparação com os vira-latas – os verdadeiros cachorrinhos -, seria interessante um novo termo p “classificar” o segmento golpista…”elite” do que?!? São colonizados “globalizados”.

    Responder

Deixe uma resposta para Vitor