Mais de 70% dos eleitores já estão decididos sobre o voto presidencial, diz DataFolha

11º Congreso dos Químicos do ABC com o tema Compromisso com um futuro sustentável, visão e papel dos trabalhadores. Realizado no Hotel Atibaia Residence na Alameda Lucas Nogueira Garcez, 4746 - Jardim Itapetinga . Atibaia - SP. 02_03_2013

Governo ataca direitos dos trabalhadores novamente

Por Redação

18 de novembro de 2016 : 12h05

Mudança nas regras de cobrança do Fator Acidentário de Prevenção é o novo golpe do Governo no direito dos trabalhadores. Com a retirada de todos os acidentes até 15 dias e todos os acidentes de Trajeto, centrais sindicais protestaram e acusaram o Conselho da Previdência de fazer acordo para proteger os patrões.

No Químicos ABC

Governo golpista e patrões atacam prevenção acidentária e a sustentabilidade do FAP no Conselho da Previdência

É preciso reagir antes que seja tarde demais, alerta o ex-presidente do Sindicato em artigo. Confira!

Por Remígio Todeschini

O Governo golpista e patrões no Conselho da Previdência mudaram, no dia 17/11, as regras de cobrança do FAP (Fator Acidentário de Prevenção), com a retirada de todos os acidentes até 15 dias e todos os acidentes de Trajeto, que são responsabilidade legal das empresas, que estão cada vez mais distantes dos centros urbanos e residências dos trabalhadores. As Centrais sindicais protestaram votando contra essa proposta, que reduz direitos dos trabalhadores.

Isso irá retirar cerca de 540 mil acidentes, ou seja, 63% de toda a acidentalidade (2014). Escondendo tantos acidentes deste cálculo cairá por terra a política de prevenção e só servirá para isentar as empresas pela não cobrança dos acidentes.

Agora o FAP se tornará em Fator Acidentário de Isenção Fiscal (FAIF). É uma canalhice e vergonha essa política do governo golpista em ampliar a subnotificação acidentária. Voltaremos a ser campeões mundiais de acidentalidade. Não contribuirá para o fortalecimento da cultura de prevenção e proteção dos trabalhadores.

Recordemos que por força Constitucional, art. 7º, inciso 28, os patrões têm a responsabilidade de arcar na integralidade com todos os benefícios acidentários e aposentadorias especiais por insalubridade aos trabalhadores. É a velha história, na crise os patrões e ricos, e as grandes fortunas estão sendo isentados, enquanto trabalhadores e suas famílias precisam ser afastados ou mesmo receber a aposentadorias especiais, a Previdência adota a política de cassação de benefícios, além de não conceder benefícios a milhares de trabalhadores lesionados e doentes no olho da rua.

Essa é a fiscalidade do governo golpista, não cobra de patrões sonegadores o que devem à Previdência, cerca de 370 bilhões de Reais à Previdência (2015), e agora com essas novas regras do FAP, estão beneficiando os patrões em mais de 4 bilhões de Reais, sendo que a conta das despesas acidentárias continua cada vez mais deficitária.

Não resta outro caminho senão protestar e se organizar, pois, além desse rolo compressor, o governo que cortar saúde, educação entre outras verbas dos impostos federais com a PEC 55 que está no Senado, além de querer enfiar goela abaixo uma proposta de reforma previdenciária aos 65 anos, cortando toda e qualquer aposentadoria especial!

É preciso reagir antes que seja tarde demais!

Remígio Todeschini é ex-presidente dos Químicos do ABC e Diretor Executivo do Instituto de Previdência de Santo André

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

Nenhum comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »


Deixe um comentário

O Xadrez para Governador do Ceará Lula ou Bolsonaro podem vencer no 1º turno? O Xadrez para Governador de Santa Catarina