31.03 Coletiva com o ministro da Saúde

Jornalista da Folha descobre que MBL dissemina mentiras

Por Miguel do Rosário

10 de março de 2017 : 09h49

O premiado jornalista Gilberto Dimenstein descobriu que umas das fontes mais prolixas de notícias falsas, na internet brasileira, é o MBL, o “movimento social” patrocinado pelo PSDB.

Bom saber.

Faltou talvez Dimenstein admitir que o exemplo foi dado pela grande imprensa, como Folha, onde ele mesmo trabalha, que publicou certa feita uma ficha falsa de Dilma Rousseff. Pega na mentira, a Folha saiu-se com um clássico da pós-verdade (e acho que, na época, ainda nem se usava muito esse termo): “a autenticidade [do documento]  não pode ser assegurada, bem como não pode ser descartada”.

Estou dando apenas um exemplo: a tradição de pós-verdade da mídia corporativa, hoje, é uma rotina diária.

Naturalmente, a mídia é muito mais competente, em produção de mentiras, do que o MBL e sites como o “Jornalivre”.

Outra coisa interessante: Dimenstein também parece ter esquecido que a Folha, onde ele trabalha, passou todo o período de construção do golpe tratando o MBL como um movimento social muito importante. O jornalista não quis ligar os pontos: que o mesmo MBL, tão importante para dar ao impeachment um colorido de “movimento de rua”, sempre abusou da mentira para confundir o debate público.

O Fernando Holiday, que Dimenstein descobriu agora ser um mentiroso contumaz, inaugurou diversas ações genuinamente fascistas na Câmara de Vereadores de São Paulo, como invadir reuniões alheias, apenas para provocar, tentando obter alguns segundos de vídeo que lhe permitisse produzir um simulacro de realidade. (simulacro de realidade é também conhecido popularmente como “mentira”).

Ao final do texto, o jornalista ainda comete uma pequena – quase inocente – sabujice, mas que também é típica de nossos tempos de intolerância política: diz que essa “canalhice” acontece à esquerda e à direita. A observação me fez imaginar um jornalista, após descobrir que o monstro da Noruega que assassinou dezenas de jovens era próximo de organizações de extrema-direita, terminasse sua reportagem ressaltando que essa “canalhice acontece à direita e à esquerda”.

***

 

No Comunique-se
Minha descoberta sobre notícias falsas – por Gilberto Dimenstein

Um dos temas mais importantes – talvez o mais importante – das mídias hoje é a disseminação de notícias falsas pelas redes sociais. Algumas das melhores cabeças do mundo estão buscando soluções. O que se tem de concreto é o seguinte: o jornalismo está em alta justamente por ter como missão (muitas vezes não consegue) buscar um mínimo de precisão.

Quero compartilhar aqui minha investigação – e certamente vai ajudar os mecanismos de combate à falsidade. Dirigentes do MBL (talvez por serem muito jovens e não saberem que eu, como repórter, ganhei os principais prêmios dentro e fora do Brasil por minhas reportagens investigativas) começaram a disseminar contra mim notícias obviamente mentirosas. Deixei correr para descobrir as pistas, sabendo que, por inexperiência, rastros seriam deixados.

Vi, então, que um dos disseminadores das mentiras é o líder do MBL, Fernando Holiday. Numa conversa telefônica (gravada), ele me revelou que o texto não era dele. Mas “concordava”. Perguntei-lhe, então, já que ele tinha tanta certeza, qual era sua fonte de informação. Revelou: Jornalivre.

Bastava ele dizer para mim: “peço desculpas, fui induzido a erro”. Tudo teria acabado aí. Não: com mais ferocidade, ele gravou um vídeo reafirmando todas as acusações. Achei estranho. Como estudante de Direito, ele deveria desconfiar de sua fragilidade numa ação de indenização por danos morais. Essa ferocidade aguçou minhas desconfianças.

Pode-se acusar Holiday de qualquer coisa. Menos de burro. Ele tem, no seu universo, uma trajetória de sucesso: venceu as barreiras criadas por ser pobre, negro e gay. Nesse ponto, admito, eu até o admiro. E, sinceramente, apesar de ele ter ideias muito diferente das minhas, também aprecio quem se dispõe a lançar debates contra a corrente – acho que esse tipo de provocação ajuda uma reflexão coletiva.

Por que ele insistiria em manter falsidades que daria para desmontar em 30 segundos? Ele escreveu, por exemplo, que eu tenho um “boteco” na Vila Madalena. Fiz um desafio nas redes sociais que chamou a atenção de centenas de milhares de pessoas: quem provar que eu tenho esse tal “boteco” pode ficar com o imóvel. Gerou então uma caça à comprovação.

Sabia que, ao fazer o desafio, rastros seriam deixados pelos responsáveis dessa engrenagem de fake news para provar que seria mesmo um “boteco”. Perfis falsos começaram a surgir usando o mesmo estilo de escrita de pessoas que eu já conhecia.

Comecei a investigar o Jornalivre que, recentemente, saiu numa lista de sites falsos. O site não é registrado no Brasil. Até aí, ok. Não tem expediente. Nem contato. Fui mais longe e colhi fortes indícios de que a fonte original é um publicitário de uma grande agência de publicidade brasileira, banido desta página por ser um hater. Descobri comunicação, via redes sociais, entre esse publicitário e dirigentes do MBL. Quando tiver as provas materiais, darei o nome. Vocês vão ficar surpresos em saber que alguém assim ocupa um cargo tão importante numa agência tão importante.

Como um site que não tem expediente – ou seja, um responsável – pode ser fonte confiável? Ainda mais para um homem público? Assim se vê a trilha. Monta-se um site falso, impossível de responsabilizar alguém – e uma rede dissemina.

Aviso: essa canalhice digital ocorre à esquerda e à direita.

***** ***** ***** ***** *****

Gilberto Dimenstein. Jornalista, escritor e empreendedor. Ao longo de sua carreira, foi contemplado com diversas premiações nacionais e internacionais, incluindo troféus no Prêmio Comunique-se. Na imprensa, colaborou com a Folha de S. Paulo por 28 anos, integrou o time de colunistas da CBN e idealizou o site Catraca Livre.

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

125 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

KIKO

13 de março de 2017 às 07h46

PRA COMEÇAR SE MEU COMENTARIO FOR MOSTRADO JA SERA UMA VITORIA-AFINAL SEU MIGUEL DONO DESTE SITE APOIA A CENSURA
COMENTANDO EU FAÇO A SEGUINTE PERGUNTA: ONDE ESTÃO AS MENTIRAS DO SITE DO MBL E DA FOLHA? PEÇO QUE ALGUEM CITE UM LINK COM ALGUMA NOTICIA FALSA DESSE SITE E ME RESPONDA

Responder

Nádia

12 de março de 2017 às 19h22

Uai, mas o Dimenstein voltou pra Folha ?!

Responder

Renato

11 de março de 2017 às 20h43

Não podia faltar a palavra fascista neste texto.
Independente de vcs serem contra ao tal MBL, ao Holiday, etc … Seria bom consultar o significado deste termo, pra não utilizarem de forma errada.
Aliás verão que aqueles que o tal Cafezinho defende, estão mais próximos da definição desta palavra.

Responder

    J. Sculder

    14 de março de 2017 às 01h33

    Tú é louco , Renato? Acho que vc quer abrigar “fascismo” numa definição conveniente aos teus interesses.
    O MBL praticou uma infinidade de ações facistas. Desde invadir reuniões e eventos da esquerdaa apenas para provocar as pessoas lá presentes e situações desagradáveis e depois se fazer de vítima, até escolas onde ocorriam paralizações para agredir jovens estudantes que se manifestavam pacificamente . Entre diversas outras .
    MAs vc não vai encontrar nada disso na Veja, Folha ou Globo.

    Responder

Roberto Mendonca

11 de março de 2017 às 17h36

Novidade!!!

Responder

Tadeu

11 de março de 2017 às 12h07

Agora, concordo com todos os comentários abaixo.
o Senhor Gilberto Dimenstein só investiga quando é vitima? Nao sabia antes o que é esse MBL?
Hipocrisia é pouco, chega ser ridículo.

Responder

Tadeu

11 de março de 2017 às 11h57

Muito bom, as redes sociais deveria ser uma fonte mais responsável, infelizmente é um mundo sem lei.
Infelizmente tbem o MBL ajudou a confundir muita gente “inocente” que nao checa nada e acredita em tudo. Qquer pessoa com o minimo de inteligencia sabe que esses e outros movimentos sao financiados e tem lado, pra direita ou esquerda. O pior disso tudo é que as redes tem uma força enorme e só tem ajudado a piorar o cenário.
Ao inves de esclarecer, confundi.

Responder

Ibsen Marques

11 de março de 2017 às 13h40

Saio parceiros, então.

Responder

Alcione Gomes

11 de março de 2017 às 12h49

Novidade!… Todos sabem disso!!!

Responder

Rafael

11 de março de 2017 às 06h50

O Gilberto Dimenstein saiu da Folha em 2013. http://portalimprensa.com.br/noticias/brasil/62737/apos+28+anos+gilberto+dimenstein+anuncia+saida+da+folha+de+spaulo

Responder

Lucia Emilia

11 de março de 2017 às 06h01

Um dia já fui admiradora de GD…Ainda bem que este dia passou… Decepção…

Responder

Rosana Sá

11 de março de 2017 às 04h41

Temos um Sherlock Holmes…

Responder

Tiago Pereira

11 de março de 2017 às 04h39

E ele cisma em esfregar prêmios na cara. Como fez no meaculpa no caso da Chape

Responder

Zeco Zeco Gonsa

11 de março de 2017 às 03h30

Essa é a maior descoberta do século. Viva a hipocrisia!

Responder

Laercio Medeiros Epaminondas

11 de março de 2017 às 02h11

grande novidade.

Responder

Paulo

10 de março de 2017 às 23h04

Descobriu agora??????

Responder

Mari Valadão

11 de março de 2017 às 00h35

Mais é muito cínico este jornalista dizer que descobriu uma coisa que o povo todo já sabia .Va se catar idiota

Responder

Anônimo

10 de março de 2017 às 20h36

Isso sim é uma bela fake New!!

Responder

Aurelio Martuscelli

10 de março de 2017 às 20h30

Miguel do Rosário, talvez tenha escapado ao Dimenstein a maneira mais simples de conseguir as informações que ele “tanto” precisa: informar-se junto ao seu dileto colega de redação, o notável(argh!) Kim Kataguiri. Nem precisaria aplicar seu fabuloso jornalismo investigativo.

E, em tempo, sr. Dimenstein, pimenta no forever dos outros é refresco?

Responder

Eduardo Rodrigues Martins

10 de março de 2017 às 20h17

Xiii, os canalhas golpistas, fascistas e babacas voltaram-se contra ele?!? O que estará acontecendo?!? Foi vítima de fogo amigo?!?
Aiiiii que dó!!!

Responder

Waldomiro Silva Filho

10 de março de 2017 às 18h32

Somente agora, quando o próprio Dimenstein é vitimado pela pós-verdade do MBL é que a Folha se pronuncia sobre essa prática?

Chegará um momento em todos o espaço público será reduzido a um simples conflito de versões e o jornalismo estará instituto: essa será a herança do Golpe.

Responder

Canuto

10 de março de 2017 às 18h09

Quer dizer que o MBL é que nem o cafezinho, 347, tijolaço, DCM(diário do fiofó do mundo), jornalistas livres………..
Vivem da mentira.

Responder

Claudo.macedo

10 de março de 2017 às 18h02

Eles devem ter aprendido essa técnica com o Miguel do Rosário., contumaz disseminador de mentiras ,como aquela que Joaquim Barbosa recebia salários da Uerj sem trabalhar !

Responder

    Benoit

    11 de março de 2017 às 07h56

    Não vi nenhum sinal de o Barbosa ter desmentido a notícia. A notícia do Cafezinho se refere a fontes internas. Portanto, o caso foi relatado de acordo com as informações disponíveis e poderia e deveria ter sido investigado pela “grande” imprensa e comentado pelo próprio objeto das notícias. Não sei porque não foi. Além do mais, a Folha de São Paulo diz que somando beneficios, e corrigido pelo IPCA o presidente do STF teria recebido refentes ao tempo dele como procurador) R$ 704,5 mil. O texto não deixa claro, mas como a matéria é sobre benefícios parece que se trata só da soma de (alguns) benefícios recebida. Perto de um milhão!!!!! Nada mal

    Responder

      robson frederico

      11 de março de 2017 às 09h38

      PRIMEIRO VA VER QUEM FOI QUE CRIOU OS BENEFICIOS AO JUDICIÁRIO NA TENTATIVA DE ARREBANHA LOS.. ASSIM COMO FIZERAM COM OS BLOGUEIROS SUJOS !!

      SEGUNDO … QUEM FOI CONDENADO POR CALUNIA MENTIRAS E DIFAMAÇÃO PELA GLOBO ??
      TIPO AQUELE QUE ARRUMA BRIGA DEPOIS CHORA !… NA HORA DE PGAR A GLOBO O PROCESSO PEDIU ESMOLA ..

      DIGA ME QUEM SÃO SEUS INIMIGOS QUE TE DIGO QUE TIPO DE HEROI VOCÉ É..

      Responder

        Benoit

        11 de março de 2017 às 16h42

        Benefícios do judiciário sempre existiram. Eles podem subir mais ou menos de acordo com a época (ou seja, de acordo com o clima no país, é claro que eles podem amedrontar políticos que depois disso os tentam aplacar com mais dinheiro, o que é compreensível, mas os benefícios sempre existiram). Quanto à globo, não me interessa nada. Se ela é o seu herói, então acho que já sei tudo que é para saber sobre voce, o que não é absolutamente muito.

        Responder

Ronaldo Cataneo

10 de março de 2017 às 20h23

Bem , nem sei quem é o Dimenstein ! Não sou fã da “falha “de São Paulo , mas que ele descobriu o óbvio e agora ao admitir isso , vejo o que não perdi nada ao não ler seus artigos! !

Responder

Fernando Araujo

10 de março de 2017 às 20h19

Kkklkkkkkkkkk

Responder

Chamonix Nic

10 de março de 2017 às 19h56

Se fossem só eles não haveria tanta incitação ao ódio e divisão dos brasileiros enquanto os políticos se unem pagando essas páginas com medo da união direita esquerda contra todos eles!

Responder

Vinicius Gomes

10 de março de 2017 às 19h52

Mariana Dias

Responder

Carvalho Portela

10 de março de 2017 às 19h34

Xeroque Rolmes

Responder

enganado

10 de março de 2017 às 15h55

E a ficha de D.MARISA trabalhando no Congresso, pura vagabundagem da DIREITA e dos ANGLO-SIONISTAS que a sustentam.

Responder

Susana Lauck

10 de março de 2017 às 18h47

É… Parece que foi o último a descobrir isso… Kkkkkkk

Responder

Ralph Panzutti

10 de março de 2017 às 15h46

Esse elemento( no jargao de b.o.) é um canalha, canalha, canalha

Responder

Rosangela Morais

10 de março de 2017 às 18h25

Agora? Kkkkkkk

Responder

Luiz Antônio

10 de março de 2017 às 15h05

Não concordo…acho que o mbl fica em último lugar, nos primeiros lugares brigam: globo,veja,isto é,folha,estadão,poder judiciário,etc…rsrsrsrsrsrsrsr

Responder

Suzana

10 de março de 2017 às 15h04

Falou , falou e não disse nada! Publiquem as mentiras!!

Responder

Suzana

10 de março de 2017 às 15h02

Falou falou e não disse nada! Publica as mentiras que eles disseram

Responder

Flora

10 de março de 2017 às 14h27

https://pt.wikipedia.org/wiki/Hiper-realidade

Responder

Claudio Paulon de Carvalho

10 de março de 2017 às 17h24

Nico Carvalho

Responder

Luiz Carlos P. Oliveira

10 de março de 2017 às 14h19

Aos poucos os seguidores desses fakenews vão se dando conta de que, com o evento das redes sociais, toda mentira pode ser propagada. Processo por danos morais vai calar essa gente.

Responder

Dalva Dias

10 de março de 2017 às 17h11

Descobre? Quanta inocência desse “jornalista”. Quer ficar bem na fita? Tente outra.

Responder

Maria Luisa

10 de março de 2017 às 14h07

“Ao final do texto, o jornalista ainda comete uma pequena – quase inocente – sabujice, mas que também é típica de nossos tempos de intolerância política: diz que essa “canalhice” acontece à esquerda e à direita. ” Miguel do Rosario, voce está sendo muito gentil com GD, que um dia surfou nas águas de um mundo melhor e mais justo para todos e hoje defende com unhas e dentes um mundo melhor para ele. Ora, ora…

Responder

Maria Luisa

10 de março de 2017 às 14h04

“Ao final do texto, o jornalista ainda comete uma pequena – quase inocente – sabujice, mas que também é típica de nossos tempos de intolerância política: diz que essa “canalhice” acontece à esquerda e à direita. ”
Miguel do Rosario, você está sendo muito gentil com GD que tentou, mas não esconde nessa fala, o ranço de quem um dia sonhou com um mundo mais justo pra todos e agora sonha com um mundo mais justo pra ele! Ora, ora…

Responder

José Antonio

10 de março de 2017 às 14h01

O Gilberto Dimenstein poderia ter divulgado quais são os sites de Esquerda que ele considera da “canalhice digital”, para que pudéssemos conhecê-los. Eu não os conheço. É muito chato tudo isto que ocorre nas redes sociais no Brasil. Enquanto não houver leis mais específicas para essas mentiras divugadas nas redes, e uma lei de imprensa decente também, do tipo “padrão inglês”, as notícias “fakes” podem ir das redes para a mídia corporativa sem que muita coisa aconteça com os difamantes. Eu acho que o GD tem de divulgar de onde partiram essas postagens falsas sobre ele. Quem são os desonestos e/ou negligentes ?

Responder

Chapiro

10 de março de 2017 às 13h51

“Ele escreveu, por exemplo, que eu tenho um “boteco” na Vila Madalena. Fiz um desafio nas redes sociais que chamou a atenção de centenas de milhares de pessoas: quem provar que eu tenho esse tal “boteco” pode ficar com o imóvel. ”

Pois é, Dimenstein, muito parecido com o caso da sua Folha com o sítio do Lula, né? No dos outros é refresco.

Responder

    José Antonio

    10 de março de 2017 às 14h07

    Concordo, Chapiro. No caso do Lula, o ônus da prova recai sobre o acusado, uma subversão e excessão na Constituição de Pindorama, segundo interpretação da república de Curitiba e do STF. Tudo é possível no país do Carnaval!

    Responder

Andre Gruber

10 de março de 2017 às 16h46

Gilberto “falei hoje com o Serra” é um patético jornalixta premiado ..

Responder

Carla P. Bergamo

10 de março de 2017 às 16h43

tudo tem limite

Responder

Luis Gustavo Gustavo

10 de março de 2017 às 16h40

Gilberto Dimenstein = Canalha

Responder

beto verdade

10 de março de 2017 às 13h39

o mbl nada mais é que o povo brasileiro da rede globo ,ou seja para rede globo o mbl é o povo brasileiro .

mas isso um dia isso vai mudar é o verdadeiro povo brasileiro ira aparecer e colocar ordem nesse bagunça

Responder

Ricardo JC

10 de março de 2017 às 13h33

Gilberto, acabei de descobrir que o seu boteco é, na verdade, do Lula!!! O MPF já está providenciando a ação. Hipócritas!!!
Pimenta nos olhos dos outros é refresco.

Responder

Marcio Santos

10 de março de 2017 às 16h29

Kkkkkk

Responder

mario

10 de março de 2017 às 13h26

Um caso interessante persistência no erro, ou canalhice, se preferir, é o do falso quadro de Picasso publicado na Folha.
O documentário “O mercado das notícias” conta essa e outras histórias, como a tomografia que Serra precisou fazer, em plena campanha eleitoral, após ser atingida por uma bolinha de papel.
http://www.omercadodenoticias.com.br/

Uma bela descrição da nossa imprensa e suas sabujices.

Responder

Benoit

10 de março de 2017 às 13h12

Acho que seria notícia se alguém descobrisse uma verdade disseminada por eles, mesmo que por descuido.

Responder

Clô Teixeira

10 de março de 2017 às 16h02

Só agora? Que novidade!

Responder

Nelo de Carvalho

10 de março de 2017 às 12h59

GILBERTO DIMENNTEIN NÃO É SÒ UM MENTIROSO, É UM CANALHA QUE SOUBE SUPERAR FERNANDO HOLLADAY

Não sei o que Gilberto Dimenstein quis dizer com a expressão “essa canalhice digital ocorre à esquerda e à direita.”, mas se for a divisão política de dois grandes bandos que desde a caída da monarquia francesa caracteriza a história, Gilberto Dimenstein é tão mentiroso quanto Fernando Holladay, e mais canalha que esse.

Talvez, mais cínico e canalha que toda a direita brasileira, e olha que essa se destaca na maldade. Não há grupo político e social mais descaracterizado do que essa gente, com fama de serem burros e gente má.

A diferença é que GD está entre os mentirosos mais sofisticados, porque cria toda uma narrativa ( sendo verdade ou não) simplesmente para querer dizer que mentiras canalhas “também” vêm da Esquerda. É um mentirosa que descobriu estar em decadência.

Só para fins práticos, a Folha onde você trabalha não é de Esquerda, a Globo que possivelmente você usa como grande referência não é Comunista nem de Esquerda, o Estadão não é petista nem de Esquerda.

A VEJA!

Ah, …a VEJA que inventou os dólares saídos de Cuba para o PT, que para bem o para mal, toda a direita brasileira acreditou, aquela revista odeia pobre, negros, caboclos e nordestinos, não se sabe como isso poderia caraterizar alguém de Esquerda.

Mas estes só são exemplos simples, que talvez nem sirvam para dizer que na Esquerda não há mentiras.

A verdade é que dentro de toda canalhice Gilberto Dimenstein se destaca mais por ser cínico ao querer envolver deliberadamente a Esquerda usando toda uma argumentação como vítima -vítima precisamente da direita em que um canalha como DG milita sem cerimonia.

O pior canalha de direita que não sabe o que é ser de esquerda ( nunca foi com certeza e não entende os valores que esse grupo político defende e acha que pode falar por eles). E acredita que pode se dar no direito de julgar as outras pessoas.

É tão canalha o Jornalista da Folha que diante de uma situação sem alternativa, entre você e Fernando Holladay, eu salvaria este último, por ser negro, pobre, feio e gay, e a você empurraria no precipício, precisamente por ser cínico, mentiroso, querer se vitimar e, finalmente, o que melhor te retrata, ser canalha.

Nelo de Carvalho

Responder

Jacinta Ferreira

10 de março de 2017 às 15h56

Agora???

Responder

Rogerio

10 de março de 2017 às 12h54

“Criad cuervos para que luego os saquen los ojos”
Parabéns Sr. Dimenstein!

Responder

Luihwa Cheng

10 de março de 2017 às 15h51

A folha também é farinha do mesmo saco. É por isso que o Aercio sempre se dá bem…
Kkkk

Responder

Zenir Campos Reis

10 de março de 2017 às 15h44

Grande pesquisador e mentiroso o sr. GD: http://dagmarvulpi.blogspot.com.br/2017/01/estudo-da-usp-embasa-lista-dos-10.html?m=1

Responder

Laercio Ferreira

10 de março de 2017 às 15h40

MBL UM MOVIMENTO PRO ESCRAVIDÃO , LIVRE COMERCIO DO PAÍS , A FAVOR DAS ELITES, COM CHICOTES E CHIBATAS PARA O POVÃO? PÃO E ÁGUA PRA MASSAS , E RIQUEZAS E PODER PARA OS 1% DA POPULAÇÃO BRASILEIRAS , QUE ENGODAM SUAS FORTUNA NOS PARAÍSOS FISCAIS??

Responder

Frank Fellegger

10 de março de 2017 às 15h28

Tá de brincadeira, verdade ?…..hummm

Responder

Roberto Alves

10 de março de 2017 às 15h27

Só ele não sabia??
Em que país ele vive?

Responder

Ruebster Tarcisio Carvalho

10 de março de 2017 às 15h25

Felipe Borges olha ae seu amigo. E confederados do João Doria.

Responder

    Felipe Borges

    10 de março de 2017 às 17h07

    e desde quando esse MBL, catraca livre, quebrando e desquebrando tabu serve como ponto de referencia, eles tem compromisso com a ideologia deles e não com a verdade.

    Responder

    Ruebster Tarcisio Carvalho

    10 de março de 2017 às 17h10

    Kkkkkkk sei disso não

    Responder

De Vito Maria de Jesus

10 de março de 2017 às 15h03

O que a gente sempre disse, o premiado jornalista, de cima do muro, descobriu SÓ AGORA. Fala sério!

Responder

Pedro Marques

10 de março de 2017 às 14h53

O reflexo dessa descoberta derrubou as bolsas de valores mundo afora e aumentou ainda mais a fome na África. (y)

Responder

Mauricio Lourenço

10 de março de 2017 às 14h53

Só não pode dizer que seja um furo jornalístico, kkkkk

Responder

Marcos Faria

10 de março de 2017 às 14h51

Sergio Henrique Bunioto

Responder

    Sergio Henrique Bunioto

    10 de março de 2017 às 14h56

    Eu não boto a mão no fogo por ninguém, Marcola, mas se tivesse que escolher, ainda acho que o discurso da esquerda é mais desonesto. Por fim, leia a última frase – “Aviso: essa canalhice digital ocorre à esquerda e à direita.”

    Responder

      Anônimo

      10 de março de 2017 às 13h26

      Por isso que um dos sites que mais dissemina notícias falsas é de direita

      Responder

    Marcos Faria

    10 de março de 2017 às 14h59

    Mas foi por isso q eu marquei.

    Responder

    Sergio Henrique Bunioto

    10 de março de 2017 às 15h00

    Marquito, vc é esquerdista ainda dentro do armário, todos nós sabemos…rsrs

    Responder

Wake up

10 de março de 2017 às 11h50

Tem que cacar o mandato desse bolsa calunia safado de sp.quem esse ?pensa que e pra violar a leis partidarias.dimentein,hipocrisia tem limites.

Responder

Abel José Souto

10 de março de 2017 às 14h41

porra todo mundo sabia so vcs que não kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Responder

Marijo Bueno

10 de março de 2017 às 14h40

Mentiras p/ induzir os desenformados que as mudancas da PEC 55 e uma maravilha, perder os direitos e bom demais.Tem mais, dessimina o odio

Responder

Vitória Régia Budin Zaremba

10 de março de 2017 às 14h40

Só agora que percebeu!!!!!! Affff

Responder

Vitor

10 de março de 2017 às 11h28

Maravilha! Vamos saber então o nome de tal personagem, aguardo, beleza.

Responder

Atreio

10 de março de 2017 às 11h26

ah, contra ele incomodou?
e contra boulos?
e contra marisa?
e contra lula?
contra dirceu?
contra dilma vana?
contra nordestinos?
contra nortistas?
contra o método científico?
e contra a honra e moral de pessoas idôneas?

humpf! esses meninos do mbl estão fadados ao ridículo eterno e À vergonha de suas familias. pra sempre.
eles e tudo q estiver ao seu redor.

se afastem de golpistas e “de boistas”.
façam sua parte.

os bravos permanecem ao lado dos justos, aos canalhas restam os covardes. tá cada vez mais fácil identificar os grupos. se vc estava “de boa” tomando sua cerveja artesanal e acabou indo numa festa domingo a tarde na praia pq seus amigos, de boa, te chamaram pra ‘se manifestar ‘ contra corrupção., entenda doq participou, aprenda e se afaste. esclareça seus amigos e amigas.
o aprendizado, educação e respeito salvarão o povo brasileiro.
a informação protege. busque, acumule, forneça e troque. somos mais e maiores q todos os golpistas e sesu meganhas junto.
até a vitória, sempre!

Responder

    neiva

    10 de março de 2017 às 12h40

    Mas bah, concordo em cada palavra amigo, td muito certo!!!

    Responder

Pedro Albuquerque

10 de março de 2017 às 14h14

Temos um xeroque romes

Responder

Fabio Camargo

10 de março de 2017 às 11h11

Canalhices denunciada por canalhas, virou moda no país da hipocrisia. E pensar que eu, nos idos 80, era leitor desse safado…

Responder

    Nery

    10 de março de 2017 às 11h55

    Eu também fui, e cheguei a admirar esse cretino.

    Responder

Nicolas Ferrial

10 de março de 2017 às 14h06

Ou o Dimenstein é o jornalista mais ingênuo a exercer a profissão desde priscas eras, ou o nível de cinismo na redação da Folha tá batendo no teto. Estou mais inclinado à segunda hipótese.

Responder

Maria Lucia Jerep

10 de março de 2017 às 14h03

Demorou hem? Estava dormindo. Kkk

Responder

Claudomiro Pontani

10 de março de 2017 às 14h02

Um golpista avaliando outro! Estranho.

Responder

Maristela Newton

10 de março de 2017 às 13h58

Só quando virou alvo. Muito pertinente a ” descoberta “.

Responder

Mardete Sampaio

10 de março de 2017 às 13h51

Nossa! Quanta sagacidade.

Responder

Sileno Filho

10 de março de 2017 às 13h41

Pera ai, foi o Gilberto Dimenstein que descobriu ou foi uma PESQUISA A USP que constatou isso?

Responder

Beto Placido

10 de março de 2017 às 13h40

A Folha? Aquele jornal que tem entre seus colunistas aquele menino ninja daquele movimento anti corrupção? Quem diria!

Responder

Joel Araujo

10 de março de 2017 às 13h39

Quanta inteligência! Descobriu o óbvio! Não tem perdão não!

Responder

Bangueli

10 de março de 2017 às 10h37

A folha e especialista em criar factoides, o próprio mbl e exemplo, usou esses inúteis idiotas uteis, deu forca e agora não os quer mais. Usa então dimenstein, jornalista famulo travestido de progressista para o trabalho de descarte do refugo.

Responder

Didila Paiva

10 de março de 2017 às 13h32

Até esses jornalistas são iguais ao Temer-treme de 1890, que só agora enxergaram o óbvio.

Responder

Felipe Aranha

10 de março de 2017 às 13h32

Ainda vão descobrir que foi golpe…

Responder

João Francisco França de Oliveira

10 de março de 2017 às 13h29

Enquanto fazia parte do esquema ignorava. Agora “descobriu”. Que conveniente, não é mesmo?

Responder

Rogério Ghiberti

10 de março de 2017 às 13h29

Nossa! Incrível! Rss

Responder

Vinicius Dias

10 de março de 2017 às 13h26

Poxa, descobriram que estrume de vaca fede.

Responder

André Cabeza

10 de março de 2017 às 13h26

Foi como descobrir areia no deserto. E Gilberto não trabalha mais na Folha.

Responder

Elin Ranck

10 de março de 2017 às 13h23

Descobriram a polvora!

Responder

Luis Eduardo

10 de março de 2017 às 13h23

1. Ele não é mais da folha
2. Ele descobriu simplesmente porque acabou sendo vítima do Fernando feriado. O sujeito, com base numa matéria de um blog fake news, espalhou que o Gilberto teria um barzinho ilegal na vila Madalena (tb não sei se é verdade ou não). O Gilberto usou seu Facebook pra se defender e criticar o feriado, bom… Comprou briga com os cães raivosos do mbl…

Quero que ambos se lasquem

Responder

Rosangela Talib

10 de março de 2017 às 13h21

Demorou para descobrir

Responder

André Christóvão

10 de março de 2017 às 13h19

Cumprido o objetivo, tirar o PT do poder, a turma golpista quer se distanciar da banda mais podre do movimento.

Responder

Geisson Pereira

10 de março de 2017 às 13h18

Surge um gênio no jornalismo brasileiro !!!!!

Responder

Marco Antônio

10 de março de 2017 às 13h18

quero é novidade.

Responder

Edilberto Maciel

10 de março de 2017 às 13h18

Kkkkk. Grande novidade.

Responder

João Victor Pulcides

10 de março de 2017 às 13h16

Imprensa “mainstream” todo dia descobre a pólvora! Impressionante como são rápidos!

Responder

Emilio Vazquez

10 de março de 2017 às 13h16

Tudo a mesma sopa, como diria Mino Carta…

Responder

Jose Renato da Silva

10 de março de 2017 às 13h15

Descobriu a pólvora kkkk

Responder

Mauro Firme

10 de março de 2017 às 13h15

Oh que grande descoberta, o que seria de nós sem eles?

Responder

Fernando Pedro Segundo Cabrera

10 de março de 2017 às 13h15

Só agora descobriu?

Responder

Marcos A. P. Pecci

10 de março de 2017 às 13h14

o articulista ninfo reaça kataguri, por exemplo…

Responder

Antonio Henrique Siqueira

10 de março de 2017 às 13h13

Inacreditável, esse jornalista merece uma medalha.

Responder

Maurilio Costa

10 de março de 2017 às 13h13

Admirável povo manso
Pedro Cardoso da Costa:-

Todos devem se lembrar de muitos escândalos de corrupção nas várias esferas de governo. Quem lê jornais e revistas semanais sabe como essa notícia é corriqueira. Existem os casos mais volumosos nos milhões de reais, mas todos trazem imenso prejuízo à nação. Cada governo que entra repete as promessas e mencionam as ações de combate. Não demora para o noticiário trazer de volta o sumiço de grandes fortunas.

Com a chegada das chuvas de verão as cenas parecem ser as mesmas de quarenta anos atrás – a diferença fica por conta da tecnologia, e todos ficam indignados; todos não fazem nada de efetivo em ações preventivas e construções seguras. A função das autoridades restringe-se à contagem dos mortos, com números incorretos.

Ocorre o mesmo com as vidas ceifadas pelas chamadas balas perdidas, que só ampliam de locais onde elas alcançam pessoas inocentes e indefesas, antes restritas às ruas, agora, é em casa, na escola, na escola de samba, acordados ou dormindo, e todos ficam indignados; e todos não fazem nada de efetivo contra mais essa matança típica brasileira.

O mesmo acontece com crianças sendo violentadas, mulheres apanhando diariamente, ensino com professores tirando nota zero, escolas caindo aos pedaços, lixo nas ruas de todas as cidades brasileiras, terrenos baldios só criando ratos, favelas surgindo aos montes. São problemas que há décadas deixam todos indignados; todos não fazem nada de efetivo para solucionar.

E segue o mesmo comodismo e só reclamações virtuais com o dinheiro jogado pelo ralo em despesas com um Parlamento pouco produtivo e o mais caro do mundo. Assim tem sido a retórica de despesas com a Câmara dos Deputados, com as assembleias legislativas e com as câmaras de vereadores, todos ficam indignados; todos não fazem nada de concreto contra esse desperdício de dinheiro público.

Só que a grande maioria da população não tem poder nem cultura para organizar protesto. Quando isso ocorre, vândalos e até pessoas apenas despreparadas, ou infiltradas, exageram e aí o pau come. E os que têm capacidade e espaço na mídia escrevem pouco, pois, apesar de agora serem atingidos pela violência desenfreada, ainda não sofrem na mesma proporção dos pobres das periferias.

Poderíamos enumerar mais cinco mil problemas repetidos há décadas, com as mesmas explicações pela falta de solução. As entrevistas de autoridades na televisão parecem replay, apenas mudam os atores. Do outro lado, os argumentos indignados são os mesmos.

“Admirável Gado Novo”, música de Zé Ramalho, retrata claramente o comportamento acomodado do cidadão brasileiro.

Caso continue a esperar sentado pelo cumprimento natural do dever pelas autoridades brasileiras, daqui a cem anos as águas continuarão carregando casas e vidas, como carregaram desde sempre. Essa massa de 200 milhões precisa sair da condição de gado manso e passar à ação efetiva. Mas, antes, os formadores de opinião precisam escrever que essa mudança se faz necessária.

Pedro Cardoso da Costa

Interlagos/SP – Bacharel em direito

Responder

Marisa Neri

10 de março de 2017 às 13h13

É mesmo? a folha não sabia.

Responder

Cristina Vanni

10 de março de 2017 às 13h10

Demorou né

Responder

Cristina Pimenta

10 de março de 2017 às 13h10

Demorou!!

Responder

Vitor Hugo Cantarelli

10 de março de 2017 às 13h08

Parceiros dos golpistas….

Responder

Neusa Silva

10 de março de 2017 às 13h08

Oh? Não creio! Que fórmula mágica usou para descobrir tamanha façanha? Um gênio surgiu!

Responder

Hilson Mergulhão Breckenfeld Filho

10 de março de 2017 às 13h04

Responder

Jorge Rodrigues

10 de março de 2017 às 13h01

Kit machismo personalizado para Temer:

01 chicote de couro cru..
01 kg de milho seco ?para por a mulher de castigo ?.
01 palmatória.
01 bomba peniana.
01 vibrador.
01 cartela de Pramil ? Viagra?100mg.

Responder

Deixe uma resposta