Bahia: Refinaria privatizada provoca desabastecimento de Gás de Cozinha

Lava Jato chama procuradores franceses para destruir projeto do submarino nuclear

Por Miguel do Rosário

08 de maio de 2017 : 19h38

(Estaleiro de construção do submarino nuclear, no Rio de Janeiro. Foto: Carlos Magno/ GERJ)

Depois de paralisar a construção do submarino nuclear por dois anos, a Lava Jato se organiza para destruir completamente o projeto, varrendo do mapa qualquer anseio do Brasil de entrar no seleto mercado dos países com esse tipo de tecnologia.

A notícia mostra que membros da Procuradoria Geral da República, como sempre agindo de maneira ilegalmente autônoma, sem participação do congresso ou do Ministério da Justiça, estão trazendo procuradores franceses para o Brasil, com objetivo de encontrarem problemas que justifiquem o cancelamento do projeto do submarino nuclear brasileiro.

A ação da PGR, é bom lembrar, é vinculada às investigações e ao modus operandi da Lava Jato.

A ação evidencia que o Brasil, se quiser voltar a ser uma nação soberana, precisa mudar completamente o seu Ministério Público, submetendo-o ao governo e ao interesse nacional.

As instituições jurídicas não democráticas do Estado se tornaram inimigas do nosso desenvolvimento tecnológico e soberano.

A Lava Jato capricha na destruição de qualquer veleidade brasileira de se desenvolver.

Os fundamentos para as ações da Lava Jato / PGR são, como sempre, as delações arrancadas à força dos executivos da Odebrecht.

O resultado é desemprego, atraso tecnológico e convulsão social.

Os prejuízos causados pela paralisia das obras e por seu eventual cancelamento são infinitamente superiores a qualquer suposto desvio, que aliás são sempre exagerados, para legitimar o espetáculo midiático. Mas ninguém pensa nesse detalhe.

Só não pode, claro, faltar dinheiro para pagar o salário de procuradores e juízes, que anda na média (somando as regalias) de mais de R$ 100 mil ao mês.

***

No Estadão

Franceses investigam projeto de submarino brasileiro

Procuradores do país europeu estão no Brasil para apurar suspeitas de irregularidades em negócio bilateral com participação da Odebrecht

Por Beatriz Bulla e Fabio Serapião
O Estado de S.Paulo

08 Maio 2017 | 18h47

BRASÍLIA – O Ministério Público Financeiro da França investiga a construção de estaleiro para montagem de um submarino de propulsão nuclear no Brasil – projeto lançado em 2008 e chamado de Prosub. Uma equipe de procuradores franceses está no Brasil para apurar, além do suposto esquema de compra de votos de membros do Comitê Olímpico Internacional (COI) para a realização dos Jogos Olímpicos no Rio, conforme revelou o Estado nesta manhã, 8, as obras do projeto ligado ao submarino.

Anunciado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o Prosub foi uma “parceria estratégica” entre Brasil e França. A empresa francesa DCNS ficou responsável pela transferência de tecnologia ao País e escolheu como parceira a Odebrecht. Não houve licitação.

Em dezembro, o Estado revelou que o Ministério Público Federal no Distrito Federal investiga sobrepreço de 100% na obra, que teria subido de R$ 5 bilhões para cerca de R$ 10 bilhões. O MPF aponta que os pagamentos saíram do Tesouro Nacional.

O Prosub também aparece nas delações de executivos da Odebrecht. Em delação premiada, o ex-presidente da Odebrecht Infraestrutura Benedicto Júnior disse que a empresa pagou 40 milhões de euros para o lobista José Amaro Pinto Ramos para estabelecer a parceria com a DCNS para a construção de cinco submarinos, sendo um deles movido a energia nuclear. Foram pagas propinas, segundo o delator, ao ex-presidente da Eletronuclear Othon Pinheiro e para o PT.

Ao receber os franceses no Brasil, nesta manhã, o Secretário de Cooperação Internacional da Procuradoria-Geral da República (PGR), Vladimir Aras, disse que a viagem ao Brasil tem como objetivo aprofundar apurações sobre dois casos, sem detalhar as investigações.

“Nós temos alguns casos importantes com a França, mas essa missão deles diz respeito a dois casos, um do Rio de Janeiro e outro de Brasília”, afirmou Aras, que não comentou casos concretos em razão do sigilo. Os representantes franceses irão participar de reuniões com as equipes de investigação de Brasília e do Rio de Janeiro sobre o assunto. “São reuniões de trabalho justamente para troca de dados de inteligência tanto para aprofundar investigações lá como aqui”, completou Aras.

O caso sobre o submarino é conduzido pelo procurador Ivan Marx, do MPF do Distrito Federal. As revelações da Odebrecht sobre o caso do submarino foram encaminhadas inicialmente ao Tribunal Regional Federal da 2.ª Região (TRF-2), sediado no Rio de Janeiro, pelo ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal. Em razão da existência de uma investigação em andamento em Brasília, no entanto, os trechos da delação devem vir para Brasília.

Comitiva. Estão no Brasil para as reuniões a procuradora nacional para assuntos de crimes financeiros, Eliane Houlette; o procurador nacional adjunto Jean-Yves Lourgouilloux; e o comissário-chefe da unidade nacional de polícia contra crimes financeiros, Thomas de Ricolfis. A Procuradoria-Geral da República e a Embaixada da França sediaram um evento com participação da equipe do chamado Parquet Financier francês, criado em Paris para apurar crimes de corrupção e evasão fiscal.

Ao abrir o encontro, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, destacou a cooperação internacional entre os dois países e mencionou a possível criação de uma equipe conjunta de investigação entre os Ministérios Públicos dos dois países.

“Já tive oportunidade de estar no Parquet Financier francês quando tínhamos interesse em obter documentos que interessavam em investigações em curso no Brasil. Fomos profissionalmente atendidos, pessoalmente bem recebidos e ao final e ao cabo obtivemos os documentos que nos interessavam. Recebo com muito prazer a equipe francesa”, afirmou Janot.

Após o Estado revelar que um dos casos de interesse dos franceses é a apuração da compra de votos para que o Rio sediasse os Jogos Olímpicos, o procurador nacional adjunto do país disse que eles possuem elementos que levam a crer que votos podem ter sido comprados. A vinda ao Brasil, segundo ele, tem como objetivo apurar se os elementos colhidos na França condizem com os elementos que os brasileiros possuem.

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

44 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Fausto AMARAL DE BARROS

11 de maio de 2017 às 15h41

Estamos, sim!, em crise, mas é de decência!

Responder

NEY FABIANODE CASTRO

11 de maio de 2017 às 13h40

Teriam os procuradores a intenção de investigar também
as operações da empresa francesa Alston no metrô e trens urbanos paulistas, ou isso, como na Vaza a Jato, “não interessa.”

Responder

Luiz Hohenfeld

09 de maio de 2017 às 23h17

Lá se vai mais uma área estratégica…

Responder

Reginaldo Gomes

09 de maio de 2017 às 19h02

A pgr não deve nenhum tipo de satisfação e respeito pro povo, os procuradores só dão satisfação pro “dunha”! (Sabe o “dunha”?). Os procuradores (sem voto popular) são criaturas querendo ser maior que seu criador que é a “política”. Isso não vai dar certo, é uma inversão, porque a criação é menor que o criador, os procuradores são inferiores aos políticos. Se quiserem no máximo serem equivalentes aos políticos, submetam-se ao sufrágio universal.

Responder

Lúcia Farias Schirmer

09 de maio de 2017 às 20h03

Um projeto, isto é, mais um em que o juizinho manda queimar o dinheiro investido em pesquisa e projeto brasileiro. Vai ver vai levar algum na operação.

Responder

Felipe Valois

09 de maio de 2017 às 18h42

Quanta infâmia desses entreguistas incrustados no Estado brasileiro!

Responder

Rodrigo Balbino de Albuquerque

09 de maio de 2017 às 16h51

Tenho um primo que é engenheiro eletrônico, fez especialização na Marinha e está participando desse projeto. E vai nos EUA em alguns dias enviado pela mesma Marinha. E vão acabar com tudo assim?

Responder

Elaine Lefrançois

09 de maio de 2017 às 16h26

Cynthia que vergonha esses nossos politicos e o povo que parece estar dormindo…

Responder

    enganado

    09 de maio de 2017 às 23h29

    Cara Elaine Lefrançois. O povo não está dormindo não !!!! O que o POVO faz no momento, é tentar sobreviver a esta putaria organizada pelos ANGLO_SIONISTAS (((leia-se DIREITA + JUDICIÁRIO + FORÇAS ARMADAS___todos muito bem PROPINADOS))). Não se engane que o tal __exército__ que existe por estas bandas, vai MATAR/TORTURAR/ASSASSINAR como sempre fez para defender os interesses da PLUTOCRACIA e CLEPTOCRACIA, o “”””BRASIL não vai ao caso, é mero detalhe”””” (PHA), sob qq movimento organizado pelas massas de trabalhadores. Ah sim! Com a rede GOEBBELS pondo a culpa no PT/LULA/PUTIN/DILMA/FIDEL/ … a ladainha são as mesmas que inventam na eUSropa dizendo que a RÚSSIA está prestes a invadi-los e acabar com o Mundo; aqui é mesma coisa!!!! Veja o calhorda do Obama deu opiniões sobre as eleições na França, isto pode. Agora lá nos USA põem a culpa na RÚSSIA pela eleição de mais vagaba na Casa Branca. É assim que a banda toca. O Sr. PHA sempre confirma isto tudo qdo pergunta pelo, “”Brasileiríssimo”””, “”General LOTT”””, porque quem lida com política sabe perfeitamente que a DIREITA não um dá peido=passo sem a aquiescência das forças armadas. NUNCA se esqueça que Patriotismo NUNCA foi o forte do tal exército que existe por aqui, pois leia o artigo 142 e veja o que estou escrevendo!!! Os militares ou são frouxos, ou então obedecem aos senhores ocultos que habitam o hemisfério norte sob a bandeira ANGLO_SIONISTA. Não se enganem, os militares / PM´s / PF_DB vão matar muita gente no Brasil a mando dos ANGLO_SIONISTA. O Brasil é um celeiro de todas as riquezas que existe na face da Terra, e os ANGLO_SIONISTA “””NÃO VÃO DEIXAR PASSAR EM BRANCO O QUE EXISTIR DE RIQUEZAS NO PAÍS””””; e mais se não for por bem, vai na marra; mais ainda vão invadir isto aqui começando pelo Maranhão para chegar em ___braZilia___. Não se assuste porque Vc só vê uma ponta do iceberg. Somos um país de VIRA-LATAS!!!!!

    Responder

Cynthia Meireles DE Aragão

09 de maio de 2017 às 16h04

Elaine Lefrançois

Responder

João Antonio Bernardes

09 de maio de 2017 às 13h28

Desde o tempo da colonização só quem podia fabricar uma máquina qualquer era a inglaterra. Ai de quem ousasse. Fundir ferro era só para fazer machados, enxadas, etc. Como se vê não mudou nada, se quizermos ter um submarino, teremos que comprar do Tio Sam. Quando fizemos uma base para lançamento de foguetes, eles foram lá e explodiram a nossa base. Para termos um foguete tivemos que lançá-lo da Guiana Francesa. E tem brasileiro que concordo com isso, você acredita?

Responder

olaf

09 de maio de 2017 às 08h41

Me surpreende o comportamento das FFAA. Inoperante quando delas se esperam a defesa da soberania brasileira mas efetiva em sabujar aqueles que a destroem, Sergio Moro entre tantos. As FFAA so defendek uma coisa, seus privilégios. Não são patriotas. Muito menos os camisas verde-amarelas que deram o golpe.

Responder

    Antonio Luiz

    09 de maio de 2017 às 08h59

    As FFAA se contentam com a ração diária garantida. Patriotismo para elas é isso: primeiro a ‘nossa pátria’. O resto…

    Responder

Jose carlos lima

09 de maio de 2017 às 02h36

Faz-se necessário uma comissão da verdade para colocar em pratos limpos a operação Destruição a Jato, com a punição dos envolvidos, o povo precisa saber da verdade, não agora porque estamos sob estado de exceção, mas tão logo a democracia seja retomada, com anistia para Lula caso o ex-presidente encontre-se preso por esses bandidos lesa-patria fdp

Reuni os links aqui

http://jornalggn.com.br/blog/jose-carlos-lima/em-2008-os-eua-ja-estavam-de-olho-na-ousadia-do-brasil-na-area-do-desenvolvimento-nacional

Responder

Marcos Pinto Basto

09 de maio de 2017 às 02h08

Comentar a situação da vida pública brasileira é uma empreitada que pode começar por capítulos cheios de mistérios que deixam adivinhar grande intromissão ianque nos nossos assuntos internos.
1º – Cursos que o juiz Sérgio Moro fez nos EUA. Quais foram e que similaridade têm com nossa legislação.
2º – Moro foi assistente de Rosa Weinberg durante o julgamento da AP 470.
3º – Donde partiu a ideia da operação lava jato? Quem a promoveu?
4º – Porque todos se calaram com a prisão ilegal do Vice-Almirante Othon Luis Pinheiro da Silva? O Povo brasileiro conhece a importância do cidadão cientista Othon para a soberania do Brasil.
5º – Moro tem provocado grandes prejuízos à Petrobras e a grandes empreiteiras construtoras de infra estruturas no Brasil e no mundo.
6 º Quem deu tantos poderes a Moro para tomar decisões que ferem profundamente a economia da Nação.
E logicamente, começaria por investigar os passos de Eduardo Cunha e quem tanto o apoiou financeiramente para comprar o apoio de cerca de 250 deputados e mais de 40 senadores que afastaram Dilma do Planalto.
Muito tem que ser explicado ao Povo brasileiro, principalmente àqueles “crédulos patriotas de vida mansa” que foram para as ruas pedir o impedimento de Dilma e baterem panelas noite adentro, os mesmos que estão hoje caladinhos pela grande cagada que ajudaram os Traidores Corruptos a implantar no Brasil. Uma cambada de terráqueos com a síndrome de Cuzões!

Responder

Jose carlos lima

09 de maio de 2017 às 01h38

Volta e meia esse video é removido pela Globo, salvem e guardem
Vejam quem em 2008 os EUA já estavam de olho na ousadia brasileira na aerea da DEfesa e do desenvolvimento,
O Tio Sam vinha tramando de longe o golpe

https://www.youtube.com/watch?v=qRz-hWqSCCU

Responder

Jose carlos lima

09 de maio de 2017 às 01h21

O jogo é pesado, e com esses procuradores rola-bosta so temoa a perder, e o Aras rebateu o Nassif, que havia apontado crime de lesa-patria na tal cooptação sic cooperação internacional…justamente o Aras no esquema sujo

http://www1.folha.uol.com.br/fsp/poder/po0112201002.htm

Responder

Jose carlos lima

09 de maio de 2017 às 01h18

O brasil que, por causa desses procuradores rola-bosta abriu mão de ser independente, vai afundar e se tornar um pais de quinta categoria, a proxima etapa dessa derrocada é tirar Lula do cenário politico

http://www1.folha.uol.com.br/fsp/poder/po0112201002.htm

EUA avaliam que submarino nuclear é “elefante branco”
Diplomata diz em telegrama confidencial que pode haver “buraco negro” de verba

Revelação faz parte de leva de documentos da diplomacia americana vazados pela WikiLeaks a que a Folha teve acesso

FERNANDO RODRIGUES
DE BRASÍLIA

Dois telegramas produzidos pela Embaixada dos EUA em Brasília no início de 2009 fazem duras críticas à Estratégia Nacional de Defesa lançada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em dezembro de 2008.
Em um desses dois despachos aos quais a Folha teve acesso, ambos assinados pelo então embaixador norte-americano no Brasil, Clifford Sobel, há uma contestação sobre como as Forças Armadas brasileiras serão empregadas no futuro, sobretudo na proteção do mar territorial do país por causa da descoberta das reservas de petróleo da camada do pré-sal.
“Não há (…) informação sobre as possíveis ameaças a áreas de reserva de petróleo e a que a Marinha terá de responder contra-atacando, tornando difícil, por exemplo, avaliar a declaração contida na estratégia de que um submarino nuclear será necessário para proteger essas instalações”, diz o telegrama, datado de 9 de janeiro de 2009.
A diplomacia norte-americana classifica como “consistente” o objetivo de modernizar o setor militar no Brasil, mas faz então uma ressalva: “Deixando de lado elefantes brancos politicamente populares como o submarino movido a energia nuclear”.
O desejo da Marinha de ter um submarino nuclear é citado sete vezes nos dois telegramas da diplomacia dos EUA. Ao final, esse equipamento é jogado numa lista de itens que podem impedir a concretização da Estratégia Nacional de Defesa.
“Há (…) sérias questões sobre o quanto desse plano será realizado, particularmente com outras supostas prioridades estratégicas, incluindo (…) submarinos nucleares e apoio governamental a empresas do setor de defesa que não sejam competitivas, algo que pode provocar o surgimento de buracos negros que vão sugar todos os recursos disponíveis”, diz o telegrama, confidencial.
A compra dos submarinos foi fechada em setembro de 2009. São quatro modelos convencionais Scorpène e o desenvolvimento do casco e da integração de um reator brasileiro a uma unidade com propulsão nuclear. O negócio soma 6,5 bilhões de euros (R$ 14,5 bilhões pela cotação de ontem).
Os dois documentos (um total de 12 páginas) a que a Folha teve acesso ontem fazem parte de um grande lote de telegramas dos diplomatas dos EUA que estão sendo vazados desde domingo pela organização não governamental WikiLeaks.
As informações estão surgindo no site da entidade: http://cablegate.wikileaks.org/. A Folha.com criou uma seção especial sobre o caso: folha.com.br/103334
Os telegramas lidos pela Folha são dedicados a analisar a Estratégia Nacional de Defesa do Brasil.
Os textos chamam a atenção para o fato de que o governo “permite “parceiros estratégicos”, mas esses são vistos como os países que aceitam transferir tecnologias que tornarão o Brasil mais independente, não como um colaborador em operações de segurança”.

MANGABEIRA
O então embaixador dos EUA escreve em um trecho que “parece que Lula dá atenção” ao que dizia o então ministro da Secretaria de Assuntos Estratégicos, Mangabeira Unger. Na verdade, a influência dele -hoje fora do governo- era mais retórica do que prática.
Colaborou IGOR GIELOW, de Brasília

Responder

Jose carlos lima

09 de maio de 2017 às 01h15

O jogo dos americanos em defesa de seus interesses é pesado, tudo na surdina, ninguém fica sabendo, a não ser através de vazamentos de documentos secretos, pelo Wikileaks

EUA tentaram impedir programa brasileiro de foguetes, revela WikiLeaks

Leia mais: http://oglobo.globo.com/mundo/eua-tentaram-impedir-programa-brasileiro-de-foguetes-revela-wikileaks-2832869#ixzz4gYGgyKY8
stest

https://oglobo.globo.com/mundo/eua-tentaram-impedir-programa-brasileiro-de-foguetes-revela-wikileaks-2832869

Responder

Jose carlos lima

09 de maio de 2017 às 01h01

Apesar dos acordos e da confiança depositada, a França não é confiável e foi apontada como suspeita na sabotagem a Base de Alcantara

ABIN – Suspeita de sabotagem fez Brasil investigar franceses em Alcântara

LUCAS FERRAZ
ENVIADO ESPECIAL A BRASÍLIA

Com a suspeita de que era espionado pela França, o Brasil investigou se agentes do serviço secreto francês promoveram ação de sabotagem para explodir a base de lançamento de satélites de Alcântara, no Maranhão.

Em 2003, um acidente no local matou 21 pessoas, entre engenheiros e técnicos do CTA (atual Comando-Geral de Tecnologia Aeroespacial), órgão da Aeronáutica.

A Folha obteve documento secreto da Abin (Agência Brasileira de Inteligência) que revela pelo menos três operações de contraespionagem cujos alvos eram espiões franceses e seus contatos brasileiros e estrangeiros.

Houve também monitoramento do serviço de inteligência em órgãos de cooperação e cultura ligados à Embaixada da França. O objetivo era proteger o setor espacial brasileiro da espionagem internacional.

A Folha revelou ontem que o governo brasileiro espionou diplomatas de países como Rússia, Irã e EUA. A Presidência afirmou que eram ações de contraespionagem.

O documento obtido pela reportagem evidencia que o Brasil monitorava o que os agentes da Abin descrevem como “rede de espionagem” da DGSE (sigla de Direção-Geral de Segurança Externa, a agência de inteligência da França), ativa no Maranhão e em São Paulo.

“Um ex-chefe do GSI (Gabinete de Segurança Institucional) confirmou à Folha que o governo sabia da espionagem internacional em Alcântara. Após o acidente, a investigação sobre a eventual sabotagem francesa prosseguiu, conforme disse um ex-dirigente da Abin que pediu para não ser identificado.

http://www.defesanet.com.br/inteligencia/noticia/12953/ABIN—Suspeita-de-sabotagem-fez-Brasil-investigar-franceses-em-Alcantara-/

Responder

    enganado

    09 de maio de 2017 às 01h28

    Isso parece notícia plantada pela CIA/NSA/MOSSAD/ … para enganar a entrega do País(soberania) aos USraHell, programada desde o governo do FDP do FHC. O que foi mesmo que os USraHell foram solicitar aos UScranianos, sobre o programa espacial do ex-BRASIL? Me engana que eu gosto!!!! Não acredito em NADA da ABIN / SNI / SERVIÇO SECRETO DAS TROPAS DE OCUPAÇÃO/ .. em nada que parte desta gente, pois o que restar perguntar a estes MEGANHAS, é ::: “””A QUE SENHORES VCS OBEDECEM??? “”””. Taí o GOLPE-2016!!!! Quem responde pelo rasgo da Constituição??? O gen VILLAS BÔAS? Tá doentinho!!! Não pode responder no momento. Pra que serve o Artigo 142???? É só estamos UM POUCO a deriva. Tá bem!!!

    Responder

      Jose carlos lima

      09 de maio de 2017 às 01h50

      Certo. O atual chefe do GSI é totalmente servil ao Mossad, há video de palestras deles que sinalizam neste sentido. Estamos num mato sem cachorro.

      Responder

enganado

09 de maio de 2017 às 00h37

Tô adorando o GOLPE-2016!!! Quero que a DIREITA (((leia-se: USraHell)) foda o ___braZiUSA__ até acabarem também com toda TROPA de OCUPAÇÂO=forças armadas, e as substituírem pelos mercenários da ex-BLACKWATER, atual PRINCE. Se este covil que governa o ___braZiUSA__ vai fuder com todos os 12P´s, que também fodam com quem garante o GOLPE-2016 e garantirá o GOLPE-2018. Aliás não se esqueçam da troca do nome do País, ex-BRASIL, para qq PORRA de nome inventada pelos moradores dos estados IDAHO e/ou ARKANSAS. Entenderam??? Só para quem sabe!!!! bra(Z)iUSA= bra(Z)il™ (( nome de fantasia, só serve para consumo comercial externo ))

Responder

    Renato Prates

    09 de maio de 2017 às 16h22

    O próximo passo é mudar o nome do país para Brazil. Aí o nome da PETROBRAS já será PETROBRAX ou PETROUSA

    Responder

Luiz Carlos

09 de maio de 2017 às 00h20

Os procuradores fazem bem o trabalho, como recomendado pelos seus mentores e treinadores. E foi mais fácil e eficiente que em os outros países, onde frequentemente estas ações acabam em atentados ou guerras.

Responder

Carlos Rocha

09 de maio de 2017 às 02h45

O pessoal que usa camisa da cbf que se autointitulam nacionalistas devem estar felizes.

Responder

Laercio Ferreira

09 de maio de 2017 às 00h34

PRA QUE SUBMARINO NUCLEAR , A CONSTITUIÇÃO DE 2017, QUE O CONGRESSO AMERICANO (EUA) APROVARAM E ENVIARAM PRA SER OUTORGADA PELA EMPRESA TRANSNACIONAL DO CONGRESSO DO BRASIL ,IMPEDEM TER ARMAS NUCLEAR EM SUA NEO COLÔNIA, VULGO QUINTAL , ,JÁ FOI APROVADO A LEI ANTI TERROR ,NUM DE CORDEIROS , A DOAÇÕES DE TERRAS DOS POVOS ORIGINÁRIOS , PRIVATIZAÇÃO E TERCEIRIZAÇÃO DAS OBRAS DEMÃOS BARATAS ( OS ISENTOS) ? UMA CONSTITUIÇÃO DE IMPÉRIO ,PRA SEUS ESCRAVOS?/

Responder

Mauricio Sanches Silva

09 de maio de 2017 às 00h22

Crime de lesa patria

Responder

Christian Alves

09 de maio de 2017 às 00h17

Absurdo, as vezes acho que o nosso problema é sermos sulamericanos. se tivessemos em outro continente ou em uma ilha na oceania a gente teria até bomba nuclear igual a india e o paquistão. será possível que não podemos ter nada de avançado, tecnológico, recursos naturais aqui?!

Responder

Willame Fernandes

09 de maio de 2017 às 00h11

Essas pragas desse muleques do MPF, estão recebendo ordens do imperialismo americanos… Lula volta e prenda todos eles por trair a nação…

Responder

Fernando Basso

09 de maio de 2017 às 00h06

Tem muito idiota atrapalhando o Brasil e dando nossas riquezas….
A mando de EUA

Responder

Rogerio Silva

08 de maio de 2017 às 23h52

Cadê a soberania brasileira? Cadê o patriotismo dos militares?

Responder

Marcos Lopo

08 de maio de 2017 às 23h43

Nesse caso não é só o MPF e PRG que estão de quatro para os interesses dos EUA, a marinha está na mesma posição.

Responder

Welington Lima

08 de maio de 2017 às 23h26

Ainda tem trabalhador que acha que o moro é um herói ?
Que com Dilma tava ruim!
Chupa essa manga agora!

Responder

Maria Do Céu Medeiros

08 de maio de 2017 às 23h24

Brasil ao rés do chão. Canalhas.

Responder

Francisco Alexandre Alencar

08 de maio de 2017 às 23h23

ianques – GO HOME!!!

Responder

Joel Araujo

08 de maio de 2017 às 23h17

Esses entreguistas serão julgados e condenados! Um dia a vingança virá com juros!!

Responder

    Sebastiao Rocha A Neto

    09 de maio de 2017 às 06h54

    Um dia? Quando? 1964 já faz tempo e estamos passando por tudo de novo

    Responder

    Joel Araujo

    09 de maio de 2017 às 09h54

    Sebastiao Rocha A Neto , esse ” um dia” virá mais cedo do que muitos pensam…

    Responder

Alberto Jorge Lula da Silva

08 de maio de 2017 às 22h56

O DNA calabariano dos tucanos não falha nunca!!!!

Responder

Moema Barreira Costa

08 de maio de 2017 às 22h53

Responder

    Francisco Alexandre Alencar

    08 de maio de 2017 às 23h11

    Tudo farão para entregar, destruir nosso crescimento. Estào interessados em restabelecer o colonialismo em todos os níveis. São TRAIDORES DA NACÃO. Agentes do imperialismo

    Responder

Dantis Wal

08 de maio de 2017 às 22h46

Responder

Deixe um comentário