Ato em defesa da imprensa

Michel Temer volta para o colo da Globo?

Por Miguel do Rosário

18 de julho de 2017 : 12h18

(Foto: Maria Lima)

Muito se especulou, nos últimos dias, sobre uma suposta “guerra” entre Globo e Michel Temer.

Para ser franco, eu nunca acreditei muito. Sempre me pareceu que a Globo tentava “driblar” as narrativas, ou seja, ela faz um movimento para um lado, e vai para o outro.

O objetivo da Globo, porém, nunca mudou: aprovar a reforma trabalhista e implementar um neoliberalismo radical no país, com privatização de todos os serviços públicos, incluindo saúde e educação.

Isso não é novidade. A elite brasileira sempre tentou fazer isso e nunca deu certo. O país se tornou profundamente desigual. A miséria, a violência urbana, o caos administrativo, o analfabetismo funcional, o recrudescimento de doenças graves, sempre foram a consequência desse tipo de orientação política.

Na verdade, é um tipo de política que não visa o bem do povo brasileiro, mas a elite não se importa com isso, já que, frequentemente, nem reside no Brasil. Ou então reside em ilhas de luxo completamente apartadas da difícil vida cotidiana dos brasileiros.

Dito isto, quero deixar registrado aqui que o Jornal Nacional, ontem, prestou grande serviço a Michel Temer. O bloco dedicado ao governo federal foi-lhe amplamente favorável.

Talvez o “ataque” da Record à Globo, mais a ameaça, por parte do governo federal, de executar as dívidas fiscais e bancárias do grupo, tenha surtido algum efeito.

Se for isto, se Temer e Globo fizeram as pazes, é uma pena.

A única coisa boa de toda esse miséria política que vivemos é assistir, comendo pipocas, os donos do poder se engalfinharem, torcendo para que todos se autodestruam.

Entretanto, um eventual acerto entre Globo e Temer também é bom para deixar as coisas mais claras.

O poder não está apenas no Planalto. O golpe é liderado por um consórcio de forças: Globo, poder judiciário, Fiesp, que se esforçam para controlar, milimetricamente, os movimentos da gang política que eles levaram ao Planalto.

De todos esses grupos, todavia, o papel da Globo me parece o mais determinante. Porque ela é quem tem o poder de impor as narrativas que controlam emocionalmente a população.

Temer se beneficia também do profundo desgaste do judiciário, cujos movimentos erráticos, desequilibrados, perseguindo uns e protegendo outros, e em ambos os casos, na perseguição e na blindagem, passando dos limites, produziram enorme irritação em setores sociais de heterogêneas orientações políticas e ideológicas.

A própria entrevista de Rodrigo Maia, presidente do congresso nacional, e possível sucessor de Temer no caso de derrota do presidente na Câmara dos Deputados, foi feita de maneira a afirmar a sua lealdade ao presidente.

Além disso, alguns fatos recentes mudaram a conjuntura:

  1. A condenação de Lula desviou a atenção da opinião pública por vários dias. E continuará desviando por tempo indeterminado. Ao mesmo tempo, as reações fortes em favor de Lula por parte de movimentos sociais, partidos de esquerda, intelectualidade, somadas à força do ex-presidente nas pesquisas, criam uma onda que leva a classe média conservadora e a mídia a voltar à sombra fresca do golpe.
  2. A aprovação da reforma trabalhista provou à Globo e às forças do golpe que Michel Temer tem plena capacidade de fazer o serviço sujo. A vantagem, para os movimentos sociais, é que as reformas propostas por Temer (assim como o impeachment de Dilma foi marcado pelo protagonismo de Cunha) serão marcadas pelo desprezo generalizado pelo atual presidente.
  3.  A Globo pode ter se assustado com os “ataques” da Record e o espantalho da “delação de Palocci”, e com as ameaças de Temer de mandar executar as dívidas fiscais e bancárias do grupo. E decidiu recuar. Bandidos só respeitam outros bandidos por medo.
  4. A vitória de Temer no CCJ deixaram claro que derrubar o presidente numa Câmara de Deputados onde ele goza de folgada maioria, e que ele pode comprar com relativa facilidade, devem ter feito a Globo repensar sua estratégia de substituir Temer por Rodrigo Maia.
  5. Os efeitos dialéticos dessa nova conjuntura, porém, é que congresso e globo serão arrastados cada vez mais pelo profundo ojeriza que a população sente pelo governo Temer, e isso pode beneficiar Lula.

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

28 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Elena Osawa

19 de julho de 2017 às 08h48

E uma das consequências que essa desigualdade social está aflorando é o aumento da violência. Desse jeito não haverá polícia suficiente para proteger o cidadão e a classe média, que tanto apoiou o golpe, está sentindo na pele o quanto está desprotegida frente a essa violência que aumenta a cada dia, que dirá o povão.

Responder

Diana De Castro Teles

19 de julho de 2017 às 01h53

Não só em mala , mais em tudo que pudesse protagonizou o golpe e agora vive com medo de sua própria sombra!

Responder

Veras Araujo

19 de julho de 2017 às 01h47

Mandou mais dinheiro, em malaca

Responder

Diana De Castro Teles

19 de julho de 2017 às 01h21

De onde nunca saiu

Responder

Laine Sansil

19 de julho de 2017 às 00h42

.a globo deu um ponta pé no povo brasilero

Responder

Laine Sansil

19 de julho de 2017 às 00h40

Eu sempre tive certeza que globo é Temer

Responder

Jorge França

19 de julho de 2017 às 00h23

Será que rolou mais um perdão de dívidas.

Responder

Clô Teixeira

18 de julho de 2017 às 22h50

Globo faz jogo duplo, vai para o lado que mais trouxer vantagem! Vai mais dinheiro aí?

Responder

Samuel Souza Pacheco

18 de julho de 2017 às 22h08

Fora

Responder

Ednaldo Wanderley

18 de julho de 2017 às 21h42

Responder

Roberto Moore

18 de julho de 2017 às 20h37

Eu pensei que o pau ia quebrar. ..sou ingênuo

Responder

Paulo César Alves

18 de julho de 2017 às 19h44

É RUIM;…

Responder

Beto Wolmer

18 de julho de 2017 às 19h18

Mixê é fraco, globista, não, globosta, é melhor, o destroçaria o temerário.

Responder

Replicante Seletivo

18 de julho de 2017 às 18h08

Tudo indica que Globo e Temer já estão em acordo, ou seja, o povo vai continuar tomando o seu devido ferro.

Responder

maria nadiê rodrigues

18 de julho de 2017 às 14h42

Está no jornal O Dia informações sobre esse problema entre Temer e Globo. A matéria coloca que o presidente golpista deu uma trégua à empresa, e pediu há pouco que R. Maia se encontrasse com os Marinhos, o que foi feito, como divulgado. Acontece que, segundo o jornal, não tendo havido acordos, Temer já se dispôs a mandar executar dívidas da empresa com a União. Acho que pela primeira vez li notícia num jornal que só via nos blogues progressistas. Isto deve ter uma grande significação.
Com relação ao ataque da Record contra a Globo, não estou convicta sobre o que está por trás. A emissora do Bispo fajuto tem, como a Globo, seus intentos escusos, misteriosos, e aceita qualquer coisa pra detonar a concorrente, nem que seja para fazer a política de Temer, que, acho, é o que faz agora.

Responder

Monopólio da Informação - combata isto.

18 de julho de 2017 às 17h42

ACUSAÇÃO CONTRA LULA É PLÁGIO DA FEITA A JK! NÃO SE TRATA DE JUSTIÇA, MAS DE POLÍTICA, DE GOLPES E DE HISTÓRIA!

Para destruir a candidatura de JK, entre 1964 e 1965, golpistas e grandes empresas de mídia criaram a acusação de que JK era o verdadeiro “dono de um apartamento” que não estava em seu nome! A acusação era de corrupção e ocultação de patrimônio! Quando os fatos foram finalmente desmentidos, já era muito tarde para fazer diferença! Isso te lembra alguma coita?

Logo após o golpe de março de 1964, conduzido pelos EUA, sustentado por nossas elites retrógradas e por uma classe média idiotizada pela propaganda, a articulação entre os golpistas rompeu-se: havia consenso sobre derrubar Jango e com isso impedir reformas sociais profundas, propostas por ele e apoiadas pela população! Sobre o resto, nada!

Carlos Lacerda, por exemplo, que já havia insuflado o golpe contra Getúlio, em 1954, acreditava que mandava na conspiração, em 64, e queria afastar Jango para tornar-se ele próprio presidente da República! Era o Aécio da época!

O marechal Humberto Castelo Branco, líder de uma ala militar de golpistas – a grande maioria dos oficiais apoiava a democracia e a legalidade e tornaram-se vítimas do golpe – entendia que a intervenção deveria ser cirúrgica, e que os militares deveriam devolver o poder a um governo plenamente civil em, no máximo, 3 anos! Pagou com a vida após enfrentar internamente outro setor militar golpista, que queria uma intervenção por décadas! Em 18 de julho de 1967, exatos 50 anos atrás, no mais estranho “acidente” aéreo num país que tem muitos acidentes aéreos envolvendo líderes políticos (e agora também ministros do STF), o avião em que se encontrava era derrubado por um jato da força aérea…

Em meio a estas disputas entre os golpistas, as grandes empresas de mídia, controladas basicamente por seis famílias, chegaram a conclusão de que se houvesse eleições em 1965 ou 1966, JK (ex-presidente Juscelino Kubitschek) seria eleito por ampla maioria da população, inviabilizando todo o esforço dos golpistas (tal qual ainda pode acontecer em 2018). Era, portanto, necessário destruir publicamente JK. Para tanto, ainda em junho de 64, ele teve seus direitos políticos cassados!

Mas isso não era suficiente! Era preciso destruí-lo junto à opinião pública! Como? Através de uma campanha difamatória movida pelas famílias que dominavam os grandes impérios de comunicação no Brasil! A falsa acusação (desmentida mais tarde, como sempre acontece no Brasil): corrupção através da ocultação de patrimônio (um apartamento que foi acusado de ser de sua propriedade, embora pertencesse ao banqueiro Sebastião Paes de Almeida)!

Se ignoramos a História, Lula aparece como um presidente que se vendeu por UM APARTAMENTO (!!!) e é condenado por isso, mesmo sem provas e estando o apartamento em nome da OAS! E isso, novamente, apenas um ano após mais um golpe contra a democracia! Mas uma simples pesquisa histórica nos revela que a fraude praticada contra Lula é apenas um plágio de outra fraude! Em 2016, portanto, inauguramos a era dos golpes fake news!

* As fontes das imagens são principalmente o Jornal GGN (Luis Nassif) e o Viomundo (do Azenha).

https://www.facebook.com/monopolio.informacao/photos/a.220940641432782.1073741828.220775284782651/646209135572595/?type=3&theater

Responder

José Carlos Silva

18 de julho de 2017 às 17h23

Temer e Globo. Kkkk. Piada.

Responder

Alex Tenorio

18 de julho de 2017 às 13h26

Como era previsto, o juiz Sergio Moro compara, de maneira absurda, as contas ocultas na Suiça de Eduardo Cunha para justificar a condenação de Lula no caso do Triplex. https://goo.gl/mcdJmc

Responder

Elton Luiz de Souza

18 de julho de 2017 às 16h22

Medindo força com parlamentares a favor de Temer e perdeu.

Responder

João Ostral

18 de julho de 2017 às 13h05

Lula seria beneficiado se o golpe continuado fosse barrado, o que não acontece nem parece estar no horizonte. O golpe já está desmascarado para poucos.

Responder

Jose Manoel Martins

18 de julho de 2017 às 12h56

Não há, portanto, omissão, obscuridade ou contradição no ponto. (9vezes)

Assim não fosse, caberia, ilustrativamente, ter absolvido Eduardo
Cosentino da Cunha na ação penal 5051606-23.2016.4.04.7000, pois ele também
afirmava como álibi que não era o titular das contas no exterior que haviam
recebido depósitos de vantagem indevida, mas somente “usufrutuário em vida”.
Em casos de lavagem, o que importa é a realidade dos fatos segundo
as provas e não a mera aparência.
A vantagem indevida, por sua vez, decorre não somente da atribuição
ao Sr. Presidente da propriedade de fato do apartamento 164-A ou da realização
nele de reformas personalizadas, mas sim desses fatos acompanhados da falta do
pagamento do preço, ou melhor com abatimento do preço na conta geral de
propinas mantida com o Grupo OAS, conforme explicitado na parte conclusiva do
tópico II.17.
Portanto, a corrupção perfectibilizou-se com o abatimento do preço
do apartamento e do custo reformas da conta geral de propinas, não sendo
necessário para tanto a transferência da titularidade formal do imóvel.
No que se refere ao conteúdo do parecer do assistente técnico, ainda
que na opinião dele as rasuras não tivessem conotações fraudulentas – ressalve-se
que a perícia técnica não tem como responder se houve ou não intenção
fraudulenta nas rasuras – ainda assim remanesce sem explicação pela Defesa o motivo de tais rasuras, sendo elas mais um dos elementos probatórios que apontam
que, desde o início, o intento era de adquirir o apartamento triplex e não uma
unidade simples.
Não há, portanto, omissão, obscuridade ou contradição no ponto.

Responder

Não há, portanto, omissão, obscuridade ou contradição no ponto. (9vezes)

18 de julho de 2017 às 12h55

Assim não fosse, caberia, ilustrativamente, ter absolvido Eduardo
Cosentino da Cunha na ação penal 5051606-23.2016.4.04.7000, pois ele também
afirmava como álibi que não era o titular das contas no exterior que haviam
recebido depósitos de vantagem indevida, mas somente “usufrutuário em vida”.
Em casos de lavagem, o que importa é a realidade dos fatos segundo
as provas e não a mera aparência.

A vantagem indevida, por sua vez, decorre não somente da atribuição
ao Sr. Presidente da propriedade de fato do apartamento 164-A ou da realização
nele de reformas personalizadas, mas sim desses fatos acompanhados da falta do
pagamento do preço, ou melhor com abatimento do preço na conta geral de
propinas mantida com o Grupo OAS, conforme explicitado na parte conclusiva do
tópico II.17.

Portanto, a corrupção perfectibilizou-se com o abatimento do preço
do apartamento e do custo reformas da conta geral de propinas, não sendo
necessário para tanto a transferência da titularidade formal do imóvel.
No que se refere ao conteúdo do parecer do assistente técnico, ainda
que na opinião dele as rasuras não tivessem conotações fraudulentas – ressalve-se
que a perícia técnica não tem como responder se houve ou não intenção
fraudulenta nas rasuras – ainda assim remanesce sem explicação pela Defesa o
motivo de tais rasuras, sendo elas mais um dos elementos probatórios que apontam
que, desde o início, o intento era de adquirir o apartamento triplex e não uma
unidade simples.

Não há, portanto, omissão, obscuridade ou contradição no ponto. (9vezes)

Responder

Jose Manoel Martins

18 de julho de 2017 às 12h53

A briga entre glo-bo e te-mer nunca existiu realmente, é jogo de cena para aprovar a reforma trabalhista a previdenciária, foi tudo planejado para desviar a atenção dos trabalhadores. Só falta a previdenciária, tão logo seja aprovada, havera trocas de juras e amor entre eles, e assim trabalharem para o desfecho final e glorioso com a condenação de Lula. Que a esquerda do Brasil aprenda a lição, e comecem se organizar pois não lhe falta, pessoas competentes

Responder

RONI VASCONCELOS

18 de julho de 2017 às 12h46

As decisões que esses caras estão tomando a cada hora que passa, e uma campanha política sem precedentes e prol do ex-presidente, com a contribuição das redes sociais, se o ex-presidente ficar livre das acusações, ñ tem pra ninguém em 2018.

Responder

Antonio Lisbôa Antonio

18 de julho de 2017 às 12h40

Povo ou vermes, pra eles tanto faz, matemos o boi gordo e come-lo-a-mus até a carcaça.

Responder

Valéria Silva

18 de julho de 2017 às 15h38

Nunca acreditei!

Responder

Josinaldo Sobreira

18 de julho de 2017 às 15h33

Só cena!

Responder

Maria Jose Lima Dos Santos

18 de julho de 2017 às 15h28

Eles nunca brigaram.tudo mentira

Responder

Deixe uma resposta