Boulos na Carta Capital (ao vivo!)

A polêmica Ciro Gomes e o irracionalismo na política

Por Miguel do Rosário

13 de maio de 2018 : 04h36

O debate sobre o apoio a Ciro Gomes ficou temporariamente interditado pelo irracionalismo. “Isso não é mais debate, Miguel, é guerra de bugio, como dizemos aqui no sul”, desabafou um amigo, apreensivo com o rumo que as coisas tomaram. Este amigo, um intelectual bem relacionado nos altos círculos do PT, que trabalhou no governo, era um dos mais entusiasmados com a possibilidade de uma aliança do partido com Ciro Gomes. E assustou-se com a gritaria. Mas assustou-se porque deseja a aliança, e tem medo que o barulho atrapalhe a construção de um entendimento.

“Miguel, você viu o post publicado agora no 247″, e me mandou o link de um artigo de Carlos D’Incao, intitulado “Afinal quem é Ciro Gomes”. D’Incao é um historiador que tem posições duras contra qualquer um que não seja do PT. Em março deste ano, atacou Guilherme Boulos e Manuela D´Ávila, num artigo bastante agressivo, no qual acusa ambos de fazerem o jogo da direita e serem “esquerdotoches” :

Trecho:

[Boulos e Manuela] fazem exatamente aquilo que o grande capital e as forças neoliberais querem. Ao se lançarem como supostas “opções”, jogam abundante água no moinho da direita, que apresenta de forma entusiasmada uma suposta “nova esquerda”, distanciada da “velha e obsoleta” esquerda de Lula e do PT.

E essa “nova esquerda” já nasce batizada: são os “esquerdotoches”. O suposto campo progressista que se diz de esquerda, mas que atua exatamente como a direita quer.

Boulos foi o último dos “esquerdotoches”.

Mas ninguém deu muita bola para o post. Seu artigo contra Ciro teve melhor sorte, pois veio de encontro à onda de sectarismo que varreu o PT nos últimos dias.

O artigo é uma coleção de picaretagens retóricas. Tudo se resume a uma acusação: que Ciro mudou de partido várias vezes e que é de… direita.

Essas acusações de mudança de partido, contra o Ciro, vindas do PT, tem um aspecto profundamente injusto: Ciro passou por várias legendas, sim, mas o fazia para continuar apoiando os governos petistas. Conforme as legendas em que ele entrava iam abandonando o governo e migrando à direita, ele entrava em outro partido, à esquerda, que fazia parte da base aliada dos governos Lula/Dilma, aos quais serviu com rara (e põe rara nisso!) lealdade!

Recapitulemos o histórico partidário de Ciro.

Ciro foi, de fato, filiado ao PDS (ex-Arena), partido de seu pai. Foi o único partido de direita de que participou. Mas já em 1983,  com menos de 25 anos, transferiu-se para o PMDB, que era a esquerda possível naqueles tempos bicudos. Desde o início da década de 90, Ciro fala sobre seu período no PDS com muito constrangimento, enfatizando que era ligado à “esquerda católica”. Não sei até que ponto Ciro tenta negar o passado, mas é fato é que ele jamais se orgulhou de ter participado, mesmo que brevemente, de um partido conservador.

Ciro foi fundador do PSDB, legenda criada em 1988. Todos se lembram que o partido não era a legenda conservadora e neoliberal de hoje: era o partido da social-democracia, de Mario Covas, Bresser Pereira, e de um FHC apoiado por ninguém menos que Lula!

Lembro-me que meu pai, um homem de esquerda e uma pessoa extraordinariamente generosa e comprometida com valores democráticos, foi eleitor do PSDB até o início de 1999, quando morreu. Discutíamos em casa amigavelmente, porque eu sempre fui Lula.

Ser do PSDB, naqueles tempos, não era ser de “direita”. Pelo menos não até o PSDB ser transformado e corrompido pelo poder.

Ciro sai do PSDB em 1996, ou seja, no ano seguinte à chegada do partido ao poder, antes da guinada conservadora de FHC. Antes da privataria. Antes mesmo do jogo sujo da reeleição, quando o partido suborna deputados para aprovar a emenda que permitiria a FHC esticar seu mandato por mais quatro anos.

Por que Ciro Gomes sairia de um partido que estava no poder, e que permaneceria no poder até 2002?

Quando a gente critica um político que muda de partido, devemos ser justos para fazer a seguinte avaliação: foi o político que mudou, ou foi o partido?

Em 1997, Ciro Gomes ingressa no PPS, que era o novo nome do Partido Comunista Brasileiro. A partir daí, Ciro transitará, pelos próximos 21 anos (com exceção de uma estadia relâmpago no PROS), apenas em legendas identificadas programaticamente com o socialismo e esteve sempre ao lado de Lula, em quem (diz o próprio Ciro) vinha votando, no primeiro ou no segundo turno, desde 1989.

Ciro Gomes sai do PPS quando o partido rompe com Lula em 2004, e ingressa no PSB, na época um importante partido da base aliada. Saiu na hora certa.

Ciro sai do PSB em 2014, quando Eduardo Campos, presidente nacional do partido, lança uma candidatura própria, com uma plataforma de direita. Ciro defendia, junto com seu irmão Cid, que o PSB continuasse alinhado ao PT, e apoiasse a candidatura de Dilma Rousseff. De novo, saiu na hora certa.

Nesse processo de transição, Ciro fica alguns meses no PROS, partido recém-criado por uma articulação meio bizarra, de empresários e políticos de direita e esquerda, com objetivo de esvaziar a direita, sobretudo o DEM, e fortalecer a base do governo.

Desde 2015, Ciro Gomes está no PDT, a legenda criada por Leonel Brizola.

As especulações sobre uma aliança entre PT e Ciro Gomes rolam desde 2016, mas se intensificaram há dois meses,  após a condenação de Lula em segunda instância.

A diferença entre políticos profissionais e militantes é que os primeiros precisam enxergar a situação com mais realismo, mais pé-no chão, e os governadores são os mais preocupados com a indefinição do quadro, porque à aflição de administrar seus estados numa relação cada vez mais difícil com a União, e numa conjuntura de terrível crise fiscal e crescente endividamento, soma-se a necessidade de consolidar, desde já, alianças e estrategias para as eleições estaduais.

Alguns blogs políticos da Bahia começaram a publicar notas sobre uma suposta articulação de Rui Costa, governador do PT, em prol de Ciro Gomes. A informação, que vinha da coluna Painel da Folha, disseminou-se como um rastilho de pólvora pela imprensa política baiana, e seria confirmada meses depois, com uma entrevista também à Folha de outro baiano peso-pesado, Jaques Wagner, um dos cérebros do PT e segundo homem na linha “sucessória” de Lula. Wagner afirma a Folha que há, sim, a possibilidade de uma composição com Ciro Gomes.

A entrevista gerou mal estar em algumas áreas do PT, obrigando a presidenta do partido, Gleisi Hoffmann, a fazer um teatrinho com Wagner, fingindo que o enquadrava. O próprio Wagner, de olho nas reações, faz um gesto de recuo, dizendo que o Lula ainda era a prioridade, e que não tinha dito exatamente aquilo que dissera. Alguns petistas começaram a espalhar que houve erro de “interpretação”, fake news, e que a fala de Wagner não tinha jamais existido.

Uma semana depois da entrevista de Wagner, e como num movimento coordenado, Flavio Dino sinalizou na mesma nessa direção, ao defender, em entrevista à Folha, que os partidos de esquerda, PT, PCdoB e PSOL, abrissem mão de suas candidaturas, e apoiassem Ciro Gomes. A declaração de Dino se destinava sobretudo ao PT, naturalmente. Manuela D’Ávila, candidata do PCdB, que aparentemente não foi pega de surpresa, reagiu com uma frase do tipo: “por mim, tudo bem”. Boulos nem comentou, porque é impossível o PSOL participar de uma frente como essa num primeiro turno. A reação agressiva veio desse lulismo difuso, não necessariamente identificado com o PT, além das áreas menos flexíveis da militância petista.

Diante do burburinho, Dino divulga uma mensagem no Twitter, com uma platitude qualquer, também para acalmar os setores mais irritados do PT. Mas não retira o que disse.

A direção petista, por enquanto, parece acuada por setores agressivos da militância, que começaram a fazer campanha contra Ciro Gomes como se ele fosse o principal inimigo.

Mas, ora bolas! O Brasil vive o momento mais dramático da nossa história, e as chances de Lula obter o direito de disputar as eleições, ou de conseguir governar, caso seja candidato e ganhe, são absolutamente nulas.

Com Ciro, temos um candidato bem posicionado nas pesquisas, que ganha da direita tranquilamente no segundo turno, cujo partido tem sinalizado, desde 2016, que deseja o apoio do PT, que tem feito uma campanha ousadamente nacionalista e progressista, defendendo uma vigorosa reindustrialização do país, a volta do investimento público, a revogação da reforma trabalhista, a desapropriação dos campos de pré-sal entregues aos estrangeiros.

E o que faz a militância petista? Começa um campanha de agressão a Ciro Gomes?

Por exemplo: há um vídeo correndo por aí de Ciro Gomes em que menciona um possível apoio a campanha presidencial de Aécio Neves em 2010. O vídeo é  provavelmente de 2008 ou 2009, ou mesmo antes, quando Aécio ainda era um governador popular em Minas, que dialogava muito bem com a esquerda, a ponto de receber, frequentemente, elogios de Lula e Dilma. Aécio teria sido o fiador político da série de investigações de Amaury Ribeiro, que resultariam no livro Privataria Tucana, uma obra fundamental para derrotar o PSDB nas eleições de 2010. As pessoas não se lembram, mas Aécio quase saiu do PSDB naquele ano. Havia um assédio (no bom sentido) do PT e do PMDB para que ele entrasse no PMDB e aderisse ao governo. Até mesmo Dilma, em 2010, segundo a Folha, teria defendido uma “dobradinha” com Aécio Neves nas eleições.

Em 2009, em entrevista a uma rádio em Minas Gerais, Dilma Rousseff, então ministra da Casa Civil do governo Lula, diz que Aécio era um dos melhores governadores do Brasil. Em 2014, a campanha de Aécio vai abusar desses vídeos.

A política dá tantas voltas que algumas coisas hoje parecem inverossímeis. Reportagem da Folha de 15 de maio de 2007 diz que “Lula não descartou hoje a possibilidade de apoiar Aécio Neves para a presidência da república”.

Reparem que Lula cogita inclusive apoiar Aécio Neves mesmo se ele permanecer no PSDB… “O candidato [da base aliada] pode ser do PSDB?”, pergunta Lula, misteriosamente. Se o PT, no auge de sua popularidade, em 2007, quando tinha enfim superado a sua primeira grande crise e obtido uma vitória eleitoral esmagadora em 2006, cogitava apoiar Aécio Neves para presidente da república, por que cargas d´água não pode agora apoiar Ciro Gomes?

O triunfalismo de parte do PT, que fala que o partido é grande, que ganhou quatro eleições, que tem tantos deputados, peca por esquecer o principal: o partido foi derrubado por um golpe que produziu a maior crise política e econômica em muitas décadas. Os mesmos setores que derrubaram Dilma, continuam aí, mais fortes do que nunca. Para vencê-los, é óbvia a necessidade de ampliar o arco de alianças. A ideia de driblar a rejeição ao PT dentro dos círculos de poder (em especial nas corporações), através do lançamento de uma cara nova, precisa ser levada em consideração!

Entendem porque este sectarismo de setores do PT, com essas táticas de divulgar vídeozinhos antigos de Ciro, é tão sem noção? O jogo político naquele tempo era esse mesmo. Lula e seus aliados, entre os quais Ciro Gomes, cercavam Aécio para dividir o PSDB, e conseguir governar. E conseguiram.

Em 2010, Ciro Gomes teria papel central na campanha de Dilma Rousseff, como coordenador de sua campanha no segundo turno.

Outro fator curioso é o súbito esquerdismo radical do PT.

Duas outras peças circularam nas últimas 24 horas contra o Ciro. Um é o artigo de André Singer, que ganhou o seguinte título no 247: “Steinbruch afasta Ciro da esquerda”.

O mesmo blog resumiu o artigo assim:

André Singer analisa, na Folha, a possibilidade de o dono da Companhia Siderúrgica Nacional, Benjamin Steinbruch vir a ser vice de Ciro Gomes, depois de ter se filiado ao PP: “A filiação do empresário de modo a poder ser vice na chapa de Ciro Gomes expressa as ambiguidades que cercam a candidatura do ex-governador cearense”, escreve ele. “O pragmatismo de Ciro é compreensível” continua. “Trata-se de um político profissional disposto a fazer o necessário para ganhar. Atrair um grande capitão de indústria, como fez Lula com José Alencar, soma. Do ponto de vista da esquerda, entretanto, tais manobras complicam a formação de um programa comum”

Várias perguntas se impõem simultaneamente: O que significam essas frases: “o pragmatismo de Ciro é compreensível”, “político profissional disposto a fazer o necessário para ganhar”? Isso são elogios ou xingamentos? Detalhe: Ciro ainda não definiu quem será seu vice. Daí Singer fala que Ciro Gomes está imitando Lula, atraindo um “capitão da indústria”, mas ao mesmo tempo afirma que “do ponto-de-vista da esquerda, entretanto, tais manobras complicam a formação de um programa em comum”. Hum? Se Lula fez, porque Ciro não pode fazer? Por acaso o Brasil vive hoje um grande boom do pensamento revolucionário de esquerda? Singer acha que o eleitorado lulista ficará horrorizado se Ciro Gomes imitar… Lula?

Por fim, e encerrando o post, temos um virulento ataque de Luizianne Lins (PT) a Ciro Gomes. Mais uma vez, recorro ao 247:

A ex-prefeita de Fortaleza e deputada federal Luizianne Lins (PT) rechaçou a possibilidade de o ex-governador Ciro Gomes (PDT) representar a esquerda na eleição presidencial. “De jeito nenhum!”, disse; “Eu não acho que ele tenha trajetória de esquerda, que ele tenha pensamentos de esquerda, eu não acho que tem sintonia com a esquerda brasileira, muito menos acho que o PT o apoiaria ou sairia como vice dele”

Isso aí tem um nome: irresponsabilidade. Não sei de onde a deputada tirou tanto esquerdismo. Ela parece estar se referindo a uma eleição de grêmio estudantil. Como vimos, não é, definitivamente, algo que ela aprendeu com Lula.

Além do mais, não é verdade. Qualquer um que assista a uma entrevista de Ciro Gomes, identificará um discurso muito claro de esquerda. Ele defende um processo vigoroso de reindustrialização, ampliação dos investimentos públicos, retomada de uma política externa independente, impostos progressivos, tributação de lucro e dividendos, desapropriação dos campos do pré-sal entregues a multinacionais. Mais esquerda que isso? Querem o que? Que Ciro cante a Internacional Socialista na TV? Me admira muito ver setores do PT aderindo à essa vulgar demagogia ideológica!

Ciro não é, evidentemente, perfeito. Eu sei qual o problema dele com a esquerda “militante”: o jeito “mandão”, o ar arrogante, tipo “coronel”, que as pessoas não costumam identificar nos quadros de esquerda, os quais ou são irreverentes, estilo povão bem humorado, como Lula, que finge uma simplicidade que nunca teve (é muito mais sofisticado que muitos intelectuais), ou são quietos, tímidos, como Pimentel, governador de Minas, e Wellington Dias, do Piauí. Haddad e Jaques Wagner, apesar de intelectuais, falam manso, voz baixa, como pessoas sempre dispostas a pedir desculpas. Procuram sempre se expressar de maneira simples, didática, como se estivessem dando aula para crianças. Neste sentido, são parecidos com os tucanos: Serra, Alckmin, FHC falam como se os ouvintes fossem idiotas ou tivessem seis anos de idade. Falam lentamente, repetindo mil vezes a mesma expressão, como se a gente não tivesse entendido da primeira vez. Ciro fala alto, nervosamente, gesticulando, usando palavras difíceis, como um coronel tentando impressionar o pião, e sempre com um risinho sarcástico no canto da boca. Entretanto, isso é apenas um aspecto superficial de sua personalidade, um trejeito, não tem a ver necessariamente com sua maneira de ver o mundo, que deve ser analisada a partir de suas ideias. Haddad, como presidente, provavelmente seria muito mais tucano do que Ciro Gomes.

Ciro Gomes e seu irmão, Cid, são aliados do PT no Ceará. Apoiaram a eleição de Camilo Santana em 2014, do PT, e hoje apoiam sua reeleição. A manifestação de Luizianne, portanto, beira a traição política: Ciro Gomes é o mais importante aliado de seu partido no Ceará. Para que esse tipo de agressão? É óbvio que há um fator pessoal, menor, por trás.

Seja como for, acho que o ruído em torno dessa possível aliança Ciro Gomes e PT só atingiu esse nível porque é algo realmente possível. O PT precisa ter coragem e enfrentar os setores mais radicalizados de sua militância. Para isso serve a liderança política. O partido tem de conduzir, não ser conduzido, porque ele tem acesso a um conjunto maior de informações do que a maioria das pessoas. A direção do PT precisa emitir sinais claros, fortes, que orientem sua militância no sentido de convergir para um objetivo comum, até porque, no segundo turno, haverá necessidade de união. Talvez já no primeiro.

Ninguém vai esquecer Lula ou interromper a luta por sua liberdade. Muito pelo contrário. A luta por liberdade de Lula ficará muito mais fácil de ser conduzida, se se desligar da utopia impossível de torná-lo candidato. O custo político dessa operação é alto demais, e representará desperdício de recursos políticos, morais e financeiros.

#lulalivre #esquerdaunida

.

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

318 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Daniel Magalhães

21 de maio de 2018 às 21h59

Sobre Carlos D’Incao, talvez valha a pena saber que este senhor responde a um processo por ter quebrado os dentes da mulher com um murro (entre outras violências).

Responder

Paulo Cavalcanti

20 de maio de 2018 às 18h35

Caro Miguel, parabéns pela lucidez e coragem de expor seu ponto de vista.

Aos “puritanos”, que hoje berram contra Ciro Gomes, eu afirmo: “Já fizemos alianças, com gente infinitamente pior que Ciro Gomes (que é uma figura que eu não simpatizo), mas que porém, entretanto e finalmente, é o que temos pra hoje, dado o quadro que se apresenta.

Lula em seu 1º mandato, fez aliança, com: PMDB , PTB, PP, PL , PPS, PSB, PC do B, PSC, PV e PSL ;
Lula em seu 2º mandato, fez aliança, com: PMDB, PRB, PCdoB, PSB, PP, PR, PTB, PV, PDT, PAN e PSC;
Dilma em seu 1º mandato, fez aliança, com: PMDB, PR, PSB, PDT, PSC, PCdoB, PRB, PTC, PP e PTB;
Dilma em seu 2º mandato, fez aliança, com: PMDB, PSD, PP, PR, Pros, PDT, PCdoB e PRB.

Portanto, façam uma pesquisa, e vejam que eram os deputados desta base aliada, que inclusive, quase todos votaram à favor do impeachment dela.

Então eu pergunto: “Por que, esse discurso de virgem num puteiro, quando o assunto é Ciro Gomes?

Responder

Rinaldo

19 de maio de 2018 às 15h16

Miguel, parabéns pelo artigo.

Estamos vivendo tempos estranhos.

Responder

antonio

18 de maio de 2018 às 17h51

O PT TEM A PROEZA DE SER MAIS FLEXÍVEL COM A DIREITA (ao compor com o PMDB, ao indicar Meirelles e Levy, etc) DO QUE COM SEUS IRMÃOS DA PRÓPRIA ESQUERDA!!! JÁ ESTOU FICANDO DE SACO CHEIO DESSE EGOÍSMO POR PARTE DAS LIDERANÇAS DO PT, SOBRETUDO, AS DE SP!!! Logo as de SP, onde o PT foi quase exterminado pelo CORRUPTO PSDB e pelos MERDINHAS DO MBL… Deve ser pq os petistas de SP são muito “inteligentes”…

Responder

Patrycia Monteiro

16 de maio de 2018 às 21h17

Excelente artigo de Miguel do Rosário. Concordo com tudo. A esquerda precisa se unir. As pesquisas apontam que o maior beneficiado pela retirada de Lula da eleição, até este momento, é Bolsonaro. Ou seja, desunida a esquerda está favorecendo o fortalecimento político do nazismo. Depois não reclamem quando o clima de ditadura voltar ao Brasil. Ciro é uma boa opção de voto progressista na ausência de Lula. Creio que é um candidato mais viável para ganhar a eleição do que Boulos e Manuela (admiro ambos profundamente). É difícil crer que sem Lula um dos dois se tornaria competitivo. Fora isso, é necessário discutir o voto consciente no Legislativo, pois não adianta nada eleger um presidente de esquerda com um Congresso tão conservador, usurpador de direitos da classe trabalhadora.

Responder

Victor Castro

15 de maio de 2018 às 17h59

Os motivos para votar e os motivos para não votar em Ciro Gomes: http://artousosvic.blogspot.com.br/2018/05/se-e-somente-se-eu-fosse-votar-em-ciro.html

Coincidentemente, são os mesmos.

Responder

Raphael Sanches

15 de maio de 2018 às 13h59

#Ciro2018 !!!

Responder

Antonio Pereira

15 de maio de 2018 às 03h59

Miguel, admiro sua disposição de tentar responder um a um seus críticos aqui, mas fico me lembrando de conversas com direitosos raivosos de 2013 a 2017, que repetiam fanaticamente (babando de ódio) teorias ridículas e jargões midiáticos. Lamentavelmente uma ala do PT se acha mais realista do que o rei, duvido que o próprio Lula endosse tamanho ódio anti-Ciro; veja que muitos dizem que “não votam no Ciro nem se o Lula pedir”, ou seja, querem realmente entregar de bandeja o país à ultradireita, mas pelo menos os nomes mais importantes tanto do PT quanto dos partidos mais próximos, que conhecem a fundo e há tempos o Ciro Gomes, não se abalam com isso e mantêm disposição de se coligar a ele, ainda que admitindo ser só em um eventual segundo turno – por outro lado, já ouvi dos neo-raivosos petistas que apoiarão BOLSONARO contra o Ciro nessa hipótese!
Gostaria ainda de fazer um importante adendo quanto ao Steinbruch, depois de um breve comentário sobre a economia brasileira. Para mim, a questão econômica fundamental do Brasil são as taxas de juros (tanto a SELIC quanto as praticadas pelas entidades financeiras), pois inviabilizam o crescimento econômico há quase um quarto de século, sem haver – importante ressaltar isso – justifictiva técnica pra tanto senão aburdamente falaciosa porém encampada pelos economistas da grande mídia e. claro, os ligados ao setor financeiro. Esquecemos que a economia é ciência humana e portanto subordinada a decisões de caráter político. Um país com o perfil macro e micro econômico do Brasil nesse período (relação dívida/PIB, resultado primário, taxa de inadimplência tanto pública quanto privada) não explica por razões técnicas termos uma das maiores senão A maior taxa real de juros do mundo. Uma excelente análise disso, que vale a pena guardar, até pelos dados apresentados, é essa: http://www1.folha.uol.com.br/colunas/clovisrossi/2016/12/1840311-desafiando-o-vodu-dos-juros.shtml. A decisão sobre o nível dos juros no Brasil, portanto, é baseada sim no interesse de setores financeiros (“rentistas”), que, utilizando-se de artifício legal mas estupidamente imoral, drenam os recursos do erário – ou seja, da saúde, educação, segurança, infraestrutura etc – para bancos e financeiras, e mais, impedem o crescimento econômico, pois juros altos inibem a produção (custa caro produzir) e o consumo. Pois bem, quem acompanha há anos o Steinbruch sabe que ele (assim como José Alencar!!!) é reiterado, obsessivo e contundente crítico dessa política monetária brasileira, apontando sempre o motivo e a alternativa. O Ciro, pelo lado político, bate nessa tecla também há anos e com igual rigor. A escolha dele como vice, dessa forma, além de óbvia é muito mais do que bem-vinda!
Parabéns pelo esforço de esclarecimento, mas tenho pena de vc por enfrentar ódio irracional dessa maneira aberta.

Responder

Nina

14 de maio de 2018 às 22h06

Miguel, acho lamentável que você tenha caido na lábia do Ciro, ele é o melhor no discurso, com certeza, mas não é confiável e ponto! Lamentável também você tão inteligente e maravilhoso se prestar a este papel e cair na “campanha ardilosa, golpista e cretina” dos que se dizem jornalistas, mas que não passam de fofoqueiros promovendo, inventando as crises e a falta de união da esquerda. Inacreditável você se prestar e servir a mais esta manipulação tão vergonhosa. Não é disso que precisamos neste momento tão difícil. E não precisamos de mais pessoas promovendo discórdias. Não agora, por favor. Muito ajuda quem não atrapalha.

Responder

Gina Girão

14 de maio de 2018 às 19h09

Só mais 3 informações: o PDT é o único partido brasileiro a compor e atuar na Internacional Socialista; Luisianne Lins apoiou em 2014 (por debaixo dos panos) o Eunício Oliveira do PMDB, para governo do Ceará contra seu próprio partido; o PT cearense é eivado de empresários no comando de diretórios municipais.

Responder

Cecília Santos

14 de maio de 2018 às 17h38

Querer convencer as pessoas que Ciro Gomes é de esquerda, com licença mas é canalhice.

Responder

    Miguel do Rosário

    14 de maio de 2018 às 17h44

    Por que? Eu vivi para ver petistas agindo como o PSTU e depois o PSOL agiram antigamente com o PT, chamando de partido de direita.

    Responder

      João Lucas

      15 de maio de 2018 às 16h08

      Miguel sinceramente acho que você tem uma posição e está tentando ser coerente em mantê la mas não confunda as bolas por favor nem seja desonesto intelectualmente, você quer enfiar uma aliança do PT com Ciro goela abaixo e está sendo desonesto intelectualmente, PSTU não acredita nas eleições ao contrário do PT, vi que acima você criticou o PCO por considerar o Ciro abutre, lembre se que muitas vezes quem está fora do cenário eleitoral pode ter uma visão mais clara e de certa forma até mais sincera pois não pensa em alianças, você cobra humildade mas na verdade o que prega é, queira ou não, que abandonem o Lula em Curitiba e vida que segue, lhe garanto, o maior partido do país e com maior capilaridade com o candidato favorito nas eleições não vai ficar isolado, o Ciro quer unificar o país dividido entre coxinhas e mortadelas, segundo ele, se chegar ao governo não vai contrariar os interesses da classe dominante e o Lula seguirá preso, a batalha fundamental da esquerda DEVE ser a libertação do Lula mas obviamente fica a critério de partidos e movimentos sociais apoiarem ou não a batalha, reafirmo, Ciro não é de esquerda não é do campo popular e o PT não deve apoiá-lo por dois fatores, dentre outros, que considero importantes: o PT tem uma chance de se reaproximar da sua base e voltar a estreitar os laços que nunca foram quebrados porém foram enfraquecidos quando o PT virou governo federal; segundo, o PT como partido que é diuturnamente perseguido que sofreu e sofre duros golpes e que vê seu líder preso pode sim se radicalizar à esquerda não se colocou nessa situação, pelo contrário está sendo empurrado pela direita pra esquerda, o PT errou quando convocou direitas já porém não pode errar agora, quem fala em isolamento está errado, não vai acontecer e não se trata de discurso triunfalista porque o PT conquistou a confiança da classe trabalhadora e colocou essa como protagonista e não como tema de estudo de universitários ou iluminados da classe média

      Responder

      Soares

      17 de maio de 2018 às 15h16

      Estou assistindo com tristeza, mais uma vez nestes meus sofridos 76 anos, as esquerdas (ou sedizentes, o papel aceita tudo) se desentendendo por insistirr estupidamente em priorizar purezas ideológicas. Enquanto isso, o povo se fode, o que acontecerá novamente. Quem critica as lutas de seitas religiosas para tentar mostrar qual é o deus melhor, deveria olhar para dentro de si para perceber o que de fora se percebe facilmente: faz a mesma coisa. O que eu penso ou quero é melhor do que o outro pensa ou quer. Como é que podem se dizer de esquerda se não têm um mínimo de raciocínio dialético? Ainda não descobriram que, com nítido planejamento de origem externa, muito mais do que um golpe aconteceu uma mudança radical dentro da sociedade brasileira, nos contextos político, econômico, social e cultural, e que passamos a viver uma nova ordem instituída pela forças vencedoras, a saber – pela ordem: capitalismo financeirista intenacional, rentismo nacional, partidos da direita (quase todo o Congresso), Poder Judiciário de todas as suas instituições (e quade todo) e a grande midia. No meu tempo isto se chamava REVOLUÇÃO. A estratégia fundamental está equivocada. Em primeiro lugar, como começamos: FORA TEMER. Como fazer? Vamos discutir, em primeiro lugar, O QUE FAZER! Em princípio fazer certo, para não errarmos. Lenin fez muito certo, como se vê no seu livro, lançado em 1902, intitulado exatamente assim: O QUE FAZER. A revolução do neocapitalismo em nosso país está aí, escarrada; todos os blogs de esquerda, todos os dias, derramam artigos e mais artigos provando isto – não há o que discutir. E qual a única saída que uma sociedade tem para combater uma revolução (ou golpe, tanto faz o nome, interessa o fato, a mudança radical no governo)? Só uma contra-revolução pode restaurar a situação anterior. Não sou articulista, nem bom de texto, mas face às polêmicas desencontradas que circulam sem cessar (fruto, é claro, do desespero que nos assola), tive a veleidade de colocar um modesto texto no papel. Os companheiros Kiko, do DCM, e Nassif, do GGN, tiveram a gentileza de publicar; ele está ainda circulando lá, nos dois blogs, pelo fim porque os artigos são em grande número e a fila anda. Para uma ação de tamanha envergadura, obviamente, necessário se faz a presença de um lider; embora não se discuta que o maior lider atualmente seja Lula, ele está manietado grandemente pela prisão e pela ausência da possibilidade do uso de forças sociais com efetividade incontestável. Citei que um governador sozinho, em 1961, enfrentou o poder da União que queria dar um golpe proibindo a posse de Jango. Liderou as forças policiais estaduais e tomou conta da mídia, criando o Movimento da Legalidade e a Rede da Legalidade, levando a todo o país – através das ondas curtas de uma das rádios, instalada dentro do palácio do governo – a palavra de desobediência de uma das entidades federados ao poder central, contrapondo-se assim à tentativa de golpe. Brizola foi ele, que venceu os militares e o poder; a vitória só não foi total porque Jango não quis derramar sangue e aceitou o golpe branco armado por Tancredo Neves (sempre os Neves) instituindo o parlamentarismo. O golpe foi adiado para 1964. Termino o meu modesto texto demonstrando que hoje estariam aptos a asumir uma ação contra-revolucionária – ná só um governador isolado – mas cinco governadores do PT e mais um do PC do B. Ainda com a possibilidade de extensão para mais dois do PDT e um do PMDB (Alagoas), e talvez até mais três do PSB. Todos os governadores chefiam as forças policias de seus estados. Se tiverem liderança e coragem serão seguidos. Ou deixarão Lula trancafiado como ficou Prestes por nove anos, Mandella por 27, Mujica por 15?

      Responder

Odilon de Mattos Filho

14 de maio de 2018 às 16h10

Caro Miguel do Rosário: eu entendo que o momento político é muito crítico, sombrio, tenso e requer muita estratégia, mas, temos que ter em mente que o cenário, ainda, é mais favorável para o campo progressista do que para a direita, especialmente, se acontecer a unidade da esquerda no primeiro turno. No entanto, uma coisa você tem de admitir, quem jogou pela janela essa possível unidade em torno de seu nome foi o próprio Ciro Gomes. Se ele tivesse a humildade e a capacidade de fazer a leitura correta do momento, ou melhor, do drama político que vivia Lula, antes e depois de sua prisão, assim como fizeram Manoela e Boulus, não tenho dúvidas de que o PT já estaria pensando, ou até mesmo, agindo nos bastidores para essa composição PDT/PT. Mas, Ciro como de costume foi intransigente, temperamental e arrogante com o PT. Ele pode até pensar tudo aquilo do PT, mas, como político e no atual momento, não poderia dizer, ou seja, não deveria destilar, publicamente, o seu veneno como fez. Agora, tudo indica que pode ser tarde demais para essa composição no primeiro turno.!

Responder

    Miguel do Rosário

    14 de maio de 2018 às 16h28

    O Ciro está sendo bastante humilde e moderado, fazendo muitos sinais na direção do PT.

    Responder

      Dio

      14 de maio de 2018 às 17h11

      Entendo o comentário acima como
      “a vaca foi pro brejo” para ciro.
      E comportamento de ciro se aproximar do pt agora, é “chorar pelo leite derramado”.
      Discordo dos dois ditados.
      Acho possível uma aliança ainda.
      Só que no momento, e do modo que os ciristas querem, enfraquece tanto a tática do pt quanto a do ciro.
      Ciro não quer ser visto como puxadinho do pt pq ele quer eleitores do “centro”, eleitores esses q em condições normaus de temperatura e pressão estariam hoje fazendo campanha pra alckimin.
      É esse o perfil de uma boa parte dos 5% de ciro.
      É uma ótima estratégia para ajudar a esquerda, pois, desidrata o principal candidato do “centro”.
      Se o pt se unir a ciro agora, ciro vai perder boa parte do seus eleitores da não-esquerda, q talvez vao pra marina?
      Lula como centro da esquerda nesse momento conseguiu o q em outros tempos era impossível, q foi a união.
      Foi mais mérito da perseguição q do proprio lula, mas ele esta sabendo gerencia la para conseguir ganhos.
      Lula tb está conseguindo ditar o ritmo das eleições, nenhuma aliança dura sem lula definir o quadro eleitoral, já reparou?
      Se a esquerda jogar fora agora esses poderes eleitorais mudando o objetivo de seus candidatos, vai facilitar em muito a direita.

      Responder

Sergio Sete

14 de maio de 2018 às 15h40

Se lá dentro nem a esquerda se entende…. que dirá para governar uma nação.

Responder

Nunes

14 de maio de 2018 às 14h13

Seu comentário está aguardando moderação
Poxa Miguel, vamos ser um pouco mais fiéis com os fatos. Dizer que Ciro,
“…já em 1983, com menos de 25 anos, transferiu-se para o PMDB, que era a esquerda possível naqueles tempos bicudos”, é bricar com seus leitores. O PT foi fundado em 1980 e Ciro foi eleito deputado estadual no Ceará em 1982 por nada menos que pelo PDS, o partido da Ditadura. Opção por partido de esquerda é o que não faltava na ocasião. E convenhamos, com quase 25 anos ele já era bem grandinho.
Há um pouco de esperteza também quando você cita o PSDB e o ano de sua fundação, 1988, ao mencionar que FHC foi “apoiado por ninguém menos do que Lula”. Ocorre que, antes de 1988, Lula ja havia participado das eleições para governador do estado de São Paulo pelo PT (1982) e posteriormente eleito deputado federal por São Paulo (1986). Lula e FHC, eram na ocasião, portanto, adversários politicos. Lula apoiou FHC em uma dada conjuntura política, quando este concorreu ao Senado em 1978, pelo então MDB. Isto antes da fundação do PT.
Você escreve que “Desde 2015, Ciro Gomes está no PDT, a legenda criada por Leonel Brizola”. Por que citar o nome de Brizola? Para dar credibilidade a esse partido cuja maioria de seus parlamentares apoiou o golpe? O PDT de agora esta muito longe daquele fundado pelo velho Brizola. Isto seria um esforço para justificar seu argumento que Ciro é de esqueda?
Você fala da “necessidade de ampliar o arco de alianças…através do lancamento de uma cara nova.” E desde quando Ciro é cara nova? E esse papo de “cara nova” pega mal. Cheira a Dória, a deslegitimação da politica.
Você adota estilo Ciro ao propor que “o PT precisa ter coragem para enfrentar os setores mais radicais da militância…O partido tem que conduzir, e não ser conduzido.” Pois essa militancia é o próprio PT, é quem efetivamente defende o Lula. O que o PT e qualquer partido que se pretenda de esquerda e democratico precisa é não ser conduzido por gente de fora ou caciques,mas sim pela maioria das bases que representa.
E união das esquerdas, desde que seja com Ciro na cabeça
Está tarde, fico por aqui.

Responder

    Miguel do Rosário

    14 de maio de 2018 às 14h47

    Nunes, PT foi criado em 1980 em São Bernardo. Bem distante do interior do Ceará, né.

    Responder

      Nunes

      14 de maio de 2018 às 23h41

      Tá certo, Miguel. O Ciro, como bom cacique já desde novo, tinha mesmo que entrar para um partido já estruturado. Imagina participar do PT no início dos anos 80, submeter-se a instâncias inferiores, esperar o partido crescer. Ele certamente tinha projetos mais imediatos no PMDB. E agora quer os votos desse mesmo PT.
      Só para refrescar a memoria: em 1985, a capital desse mesmo Ceará, Fortaleza, elegeu Maria Luiza Fontenele, a primeira mulher prefeita de capital do Brasil. Poderia ter sido o Ciro, ou melhor, jamais poderia ter sido. Ao menos pelo PT.

      Responder

Nunes

14 de maio de 2018 às 14h10

“Seu comentário está aguardando moderação” é bastante sintomático. Sou leitor frequente do Cafezinho e dos comentarios postados. Quando resolvo participar, sou bloqueado. Fazer o quê?

Responder

    Miguel do Rosário

    14 de maio de 2018 às 14h47

    Nunes, ninguém te bloqueou. Há moderação, só isso, e temos que aprovar um a um. È muito trabalho.

    Responder

Marcelo abb

14 de maio de 2018 às 12h46

Amigos petistas ferrenhos de 2018, vamos começar um debate construtivo e respeitoso?

Para abrir o debate, gostaria que vocês me dissessem o que significa “esquerda” e “direita” para vocês. Podem usar o argumento que quiserem, ideológico, econômico, etc.

Responder

Dio

14 de maio de 2018 às 12h26

Na boa, gostaria de entender qual é do desespero dos ciristas em tentar convencer os lulistas a aceitarem a darem o voto para ciro.
Sim, pq não parece que estão atrás de uma aliança, mas somente dos votos.
O pt tem sua estratégia, ciro tem a sua estratégia, que é buscar voto num tantão na esquerda e um tantão na direita e assim se credenciar como um governante sem nenhum lado, está muito claro isso.
Mas gostaria de saber pq o desespero de intimar os lulistas desse jeito.
Parece que querem evangeliza-los.
“Os irrscionais lulistas não têm a revelação e devem ser iluminados pelo salvador ciro para livra-nos da danação.”
Sério, até ameaçam quem não concorda com ciro a condenação ao inferno, na figura de bolsonaro ou alckimin. Para q?
Ciro não é o único da esquerda que pode vencer.
Podem tentar vender o peixe dele, mas devemos nos centrar no principal.
E no momento não é ciro gomes, é o combate ao golpe.
Ciro pode ser importante mais a frente, mas isso depende dele e mais ninguém.

Responder

Hugo Nascimento

14 de maio de 2018 às 12h06

Bem!
Temos que continuar com a estrategia definida pela direção nacional do PT, Sim, o cuidado é com o que vem a frente, será que é melhor para o país?
Pois não podemos esquecer que a estrategia e a condução pre-impeachment da Presidenta Dilma, não foi acertada e nos levou a tudo que estamos passando, a direita corrupta assumiu o poder, junto com a Globo da o comando no país, promove ataques ao centro esquerda, esquerda e extrema esquerda, e os projetos mais reacionários hoje tornam se a solução para o país.
Enfim perdemos o poder por besteira de acreditar que a população estava preparada, sem que nós a preparássemos para as lutas.
Jogo tem que ser jogado!
É visível que o Ciro Gomes está na disputa e é preparado! Temos um trunfo forte que é nosso Presidente Lula, ter a sabedoria de utilizar para voltar minimamente para o centro esquerda o poder, é necessário para o povo e para estancar a crescente da ultra direita.
Mesmo assim vai ser difícil, mais muito difícil mesmo, ganhar do movimento Bolsonaro que está posto na rua, que a Globo e o PSDB estão tentando derrubar.
Deixar a extrema-direita brigar com a direita, e aproveitar para voltar ao poder, porque depois será muito mais difícil, sem o Lula que estão tentando MATAR.
Saudações.

Responder

Paulo Estrela

14 de maio de 2018 às 11h47

Parabéns, muito sensato o artigo. Se Jacques Wagner, o cara que ajudou a segurar o governo durante o mensalão, cogita o apoio, eu acho muito correto. Um partido não consegue se perpetuar em nível nacional por muitos anos na nossa frágil democracia. O que o PT tem hoje é apenas a pesquisa do momento. Como Lula trancafiado (e os golpistas não vão soltar ele antes da eleição) vai concorrer a presidência sem debater com os outros candidatos? O PT deve espernear, gritar pros quatro cantos que Lula está condenado injustamente, mas chutar um candidato como Ciro Gomes é muito irresponsabilidade com o país nesse momento. Muita calma nessa hora. O PT apoio Eunício Oliveira no Ceará e não pode apoiar Ciro nacionalmente? Muita contradição…

Responder

Nilson Moura Messias

14 de maio de 2018 às 11h43

O cara tá desesperado: Sectarismo, teatrinho, irresponsabilidade, esquerdismo. Enumerou um monte de partidos todos de direita. Chega de cavalo de Troia americano. PT, 13, Lula, inocente, livre e presidente ou outro candidato filiado ao Partido dos Trabalhadores. Ciro Gomes, jamais terá meu singelo voto, nem com o apoio do mito Lula.

Responder

    Miguel do Rosário

    14 de maio de 2018 às 15h08

    Nilson, nunca estive tão calmo. Voltei a ficar otimista que podemos ganhar as eleições e derrotar o golpe. Os partidos eram de esquerda. Caso você não saiba, o PT não é o único partido de esquerda no país ou no mundo. Quando os partidos em questão rompiam com o governo e migravam à direita, o Ciro Gomes sai e mudava para um partido alinhado ao governo, à esquerda.

    Responder

      Sandro

      14 de maio de 2018 às 20h22

      Desesperado está quem usa do espaço para ofender ao invés de debater

      Responder

GERALDO GALVÃO

14 de maio de 2018 às 11h32

“Com Ciro, temos um candidato bem posicionado nas pesquisas, que ganha da direita tranquilamente no segundo turno, cujo partido tem sinalizado, desde 2016, que deseja o apoio do PT, que tem feito uma campanha ousadamente nacionalista e progressista, defendendo uma vigorosa reindustrialização do país, a volta do investimento público, a revogação da reforma trabalhista, a desapropriação dos campos de pré-sal entregues aos estrangeiros.” Onde e quando o Ciro disse isto: “a revogação da reforma trabalhista, a desapropriação dos campos de pré-sal entregues aos estrangeiros.” Será que os defensores da candidatura do Ciro poderiam pelo menos respeitar os prazos da defesa do Lula? Ou querem criar o fato consumado, abandonar o Lula nas masmorras dos fascistas corruptos de Curitiba? Além do mais por que o PT com o maior índice de intenção de votos, teria que apoiar o PDT/Ciro, se tem em seus quadros políticos com mais capacidade de representar a esquerda na eleição? #LulaLivre #LulaPresidente

Responder

    Miguel do Rosário

    14 de maio de 2018 às 15h09

    Geraldo, o Ciro falou em várias entrevistas que defende a revogação da reforma trabalhista de Temer.

    Responder

Hildermes José Medeiros

14 de maio de 2018 às 10h18

Não há mais o que questionar, Lula será candidato, e nesse primeiro turno só é possível, quem deseja é possível uma aliança de união, apoios no segundo turno. Quem deseja também concorrer para Presidente na próxima eleição, que inclua seu nome entre os candidatos. É o justo e honesto. Está colocado que a oposição deve continuar a resistir, e saber que resistir não prescinde da participação popular, já que a população, os mais pobres e estratos inferiores das classes médias têm sido as principais vítimas do golpe. E resistir é manter a candidatura Lula, impondo um caminho para a redemocratização do país. A união nessas alturas deve ser estratégica. Até aqui, o golpe, a não ser na exploração dos que vivem de salários, e do aumento de ganhos do grande capital (patrocinador de tudo que está acontecendo), entre os quais os bancos, sem sombras de dúvidas, não atingiu seus objetivos, num discurso enviesado, com toda a mídia (Globo à frente), na defesa desses mesmo objetivos, divulgando e enaltecendo, no caso o não resultado em benefício da população, ficou sem apoio da maioria, as pesquisas que os golpistas encomendam mostram, sem um golpista capaz de vencer Lula. O golpe, deflagrado por conhecidos corruptos, comporta-se com essa campanha contra a corrupção, que na realidade está atingindo empresas nacionais, desestruturando setores onde o Brasil é forte concorrente no mercado internacional (as grandes construtoras, o setor naval e de petróleo etc.) como o batedor de carteiras, que rouba, e sai gritando pega ladrão. O discurso e sua divulgação na mídia não tem surtido plenamente o efeito desejado, e Lula, mesmo preso, continua liderando as pesquisas. Como não podem legalmente afastar Lula, mesmo na farsa democrática em que atuam, fica-se num impasse, já que as eleições não estão indicando que o golpe, por essa via, chegará a um novo títere, em substituição ao traidor, Michel Temer, que mesmo os golpistas acusam de ladrão. O impasse é notório, também o posicionamento do golpe para resolvê-lo a seu favor: a ditadura sem rodeios, e com uso da força. Basta ver a intervenção no Rio de Janeiro, que pouco tem a ver com segurança pública e o Ministério da Segurança Pública, ambos fortemente ligados ao Ministério da Defesa, vale dizer às Forças Armadas, que, sem dúvidas, apoia o golpe entreguista e anti-povo, como todo golpe de estado. Deve-se ter consciência, que não apenas palavras e ações na justiça, demoverão o golpe de seguir o caminho escolhido. O Judiciário como um todo está no comando do golpe, não irá contra seus interesses. Nesse quadro, não restam dúvidas que os setores populares devem participar com mais empenho da resistência para defender os seus interesses, e dificultar, ou inibir o caminho escolhido pelo golpe, assim fazendo com Lula, livre e Lula, lá.

Responder

Leandro_O

14 de maio de 2018 às 09h18

A direita deve estar rindo com essa divisão. Deve estar contando com duas jogadas: inviabilizar Lula até o final (aliás, alguém já imaginou o cenário em que Lula ganhe? Alguém já fez esse exercício de conjuntura???) e ao mesmo fragmentar os votos de esquerda.

Mas realmente, surreal essa guinada do PT à esquerda. Será que agora o PT convocaria de volta aqueles filiados que o PT expulsou por votar contra a reforma da previdência??

Sugiro assistirem ao documentário PANTERAS NEGRAS (de Stanley Nelson, 2015). Exemplo muito bom de garra, coragem e luta, mas que foram desarticulados por meio da estratégia “dividir para conquistar” – aliás, tática nada desconhecida.

Responder

    João Lucas Trevisan Alves

    14 de maio de 2018 às 13h21

    A fração expulsa do PT era direitista como depois a provou Luciana genro e cia aliás não sei se você se lembra mas a Heloisa Helena que fazia parte dos supostos esquerdistas do PT era contra o aborto fez campanha sobre isso é fez coro com a direita

    Responder

      Sandro

      14 de maio de 2018 às 20h23

      Começo e sentir pena da Heloísa Helena e da Luciana Genro. Elas não mereciam toda a maledicência petista. Estão querendo fazer agora o mesmo com o Ciro.

      Responder

bruno

14 de maio de 2018 às 08h37

Perfeito! O PDT tem um projeto nacional de desenvolvimento pronto que ataca os principais problemas do Brasil: estancar a crescente dívida pública ( inclusive, com previsão de auditoria), a reindustrialização através dos polos do petroleo e gas, saude, defesa e implementos agrícolas, fiscal com a elevação do ITD para os ricos e a federalização do combate ao crime organizado. É um projeto realista e aplicável de imediato. Talvez, seja a última chance do Brasil antes do colapso. Quanto ao apoio do PT, não haverá, pois o PT é gramsciano e tem o objetivo de ser partido único, assim, o PT prefere ser o maior partido de oposição do que o 2º partido da situação, ou seja, em um 2º Turno entre o PDT e o PSDB, certamente, apoiará o PSDB ( ainda que informalmente), pois a ideologia do PT é ser partido único, o ente de razão da sociedade, por isso, se não é para o PT ganhar, ninguem do seu campo pode, pois, ser o líder da oposição é melhor para eles do do não ser o líder da situação. Quanto às demais criticas do “artigo” que voce citou, trata-se de pura e simples difamação: O Ciro Gomes luta contra o rentismo ( e é perseguido por isso) há 20 anos, dizer que ele ” recebe dinheiro dos banqueiros” é só difamação. De resto, nem parece que o PT é que distribuiu a verba publicitária da União de acordo com a audiencia do IBOPE ( e querem falar de regulação da midia….) , diz que o Ciro Gomes é de direita, mas conciliaram com Sarney, Renan, Michel Temer, Paulo Maluf, Eunício Oliveira, Eduardo Cunha, etc. Eu vou Ciro Gomes com ou sem o PT. Caso, a direita vença as eleições, o Lula e o PT que explique para as proximas gerações que o nosso papel na divisão internacional do trabalho é sermos lavradores… Simplesmente, lamentável a postura do PT, pensa no partido em detrimento da nação

Responder

    Sandro

    14 de maio de 2018 às 20h24

    Lamentável demais! Só decepção!

    Responder

Luiz F Velho

14 de maio de 2018 às 08h23

Objetivo tático principal do golpe de 2016 foi inviabilizar volta de Lula à presidência. Por quê? Porque o ex-presidente tem poder, tem força, pela sua história, pelo que representa nacional e internacionalmente. Sua prisão visa impedir que seja candidato e, secundariamente, atingir o PT, maior partido de esquerda do país. Descentralizar a luta em torno de Lula é tudo o que os golpistas querem para levar adiante seu projeto entreguista e conservador. De preferência, um Lula esquecido na prisão, uma página virada da história brasileira. Essa é a via irresponsável. O que virá após essa decisão? O caminho livre para um longo ciclo de retirada de direitos e de dominação de consequências nefastas para o povo. Resistir é imperativo ético e político e apoiar Ciro é legitimar o golpe.

Responder

    Miguel do Rosário

    14 de maio de 2018 às 15h14

    Claro que não, Luiz. Lula não tem mais tanto poder assim, né. Se tivesse não teria sido preso. Apoiar um outro candidato, num projeto que represente a valorização da soberania nacional, é apoiar Lula também.

    Responder

Lilly

14 de maio de 2018 às 06h10

A qtde de impropérios à militância petista nos comentários dessa matéria, não deve nada a como somos qualificados pelos comentaristas do G1, UOL, Veja, etc. Burros, Arrogantes, sectários, ingênuos pq os caciques do partido não nos dizem a verdade sobre Lula, radicais, cegos, irresponsáveis, intolerantes, fanáticos, etc. É com esse tipo de argumento que querem nos convencer a votar no Ciro, ou não faz diferença em quem petista vai votar ?
O PDT do Ciro, não conseguiu que a totalidade de sua bancada, votasse contra o golpe, contra a reforma trabalhista e outras sacanagens, mas acha que um partido do tamanho do PT, tem que se abster imediatamente de um candidato a presidente, para apoiar o Ciro Gomes, pq ele tem 9% (?) no Datafolha e assim que eleito vai perdoar o Lula, que poderá ir pra casa, casa de outra pessoa, pq a Lava Jato tomou todos seus bens.
Faz 20 anos que Ciro tenta a presidência e até hoje, não conseguiu fingir que não é machista (“eu não sofreria golpe como Dilma, pq sou muito homem”).
Estou vendo muita gente pregando união de votos ao Ciro, mas não estou vendo ninguém apoiando voto para um congresso com PT, PSOL e PCdoB, únicos partidos que 100% da bancada, tem votado contra o desmanche dos direitos duramente conquistados.
Quem foi decisivo na eleição de Cid e Camilo, foi Lula e não Ciro, que tem seu eleitorado no Ceará, mas é menor que o de Tasso.
Se fosse pra votar no Centro, eu prefiro o Requião, do que o Ciro.
PS. O nome da Presidenta eleita, é Dilma Vana Roussef e não Dilminha.

Responder

Nunes

14 de maio de 2018 às 02h59

Poxa Miguel, vamos ser um pouco mais fiéis com os fatos. Dizer que Ciro,
“…já em 1983, com menos de 25 anos, transferiu-se para o PMDB, que era a esquerda possível naqueles tempos bicudos”, é bricar com seus leitores. O PT foi fundado em 1980 e Ciro foi eleito deputado estadual no Ceará em 1982 por nada menos que pelo PDS, o partido da Ditadura. Opção por partido de esquerda é o que não faltava na ocasião. E convenhamos, com quase 25 anos ele já era bem grandinho.
Há um pouco de esperteza também quando você cita o PSDB e o ano de sua fundação, 1988, ao mencionar que FHC foi “apoiado por ninguém menos do que Lula”. Ocorre que, antes de 1988, Lula ja havia participado das eleições para governador do estado de São Paulo pelo PT (1982) e posteriormente eleito deputado federal por São Paulo (1986). Lula e FHC, eram na ocasião, portanto, adversários politicos. Lula apoiou FHC em uma dada conjuntura política, quando este concorreu ao Senado em 1978, pelo então MDB. Isto antes da fundação do PT.
Você escreve que “Desde 2015, Ciro Gomes está no PDT, a legenda criada por Leonel Brizola”. Por que citar o nome de Brizola? Para dar credibilidade a esse partido cuja maioria de seus parlamentares apoiou o golpe? O PDT de agora esta muito longe daquele fundado pelo velho Brizola. Isto seria um esforço para justificar seu argumento que Ciro é de esqueda?
Você fala da “necessidade de ampliar o arco de alianças…através do lancamento de uma cara nova.” E desde quando Ciro é cara nova? E esse papo de “cara nova” pega mal. Cheira a Dória, a deslegitimação da politica.
Você adota estilo Ciro ao propor que “o PT precisa ter coragem para enfrentar os setores mais radicais da militância…O partido tem que conduzir, e não ser conduzido.” Pois essa militancia é o próprio PT, é quem efetivamente defende o Lula. O que o PT e qualquer partido que se pretenda de esquerda e democratico precisa é não ser conduzido por gente de fora ou caciques,mas sim pela maioria das bases que representa.
E união das esquerdas, desde que seja com Ciro na cabeça
Está tarde, fico por aqui.

Responder

luis castro

14 de maio de 2018 às 00h52

Outro dos nossos que entram na canoa furada do Ciro, pregam a união das esquerdas justamente com o que desagrega e tem alta rejeição nesta parcela do eleitorado, O argumento que apresentam é sempre o mesmo, a de que Ciro tem a maior intenção de votos do que os outros candidatos de esquerda, seja do PT, Haddad, Wagner, ou Boulos(PSOL) e Manuela (PC do B). Argumento totalmente frágil, se levarmos em conta que o Ciro político nacionalmente conhecido já disputou duas eleições presidenciais, sendo que a última amargou um distante quarto lugar, enquanto os outros candidatos Haddad, Wagner, Boulos e Manuela nunca disputaram uma eleição presidencial e, portanto, são desconhecidos do grande eleitorado nacional. É bom lembrar que quando Lula escolheu Dilma parecia uma loucura apostar numa mulher, já que o Brasil nunca tinha sido governado por uma e ainda sem qualquer experiência politica e o que se viu ela foi eleita e reeleita. Com Lula no páreo, o potencial de Ciro conhecido nacionalmente fica nos míseros 4%, com a saída de Lula, ele sobe para modestos 8% não chega nem a 10%. O que se verifica é uma dispersão dos que votam em Lula, acontecendo até o impensável de migrar para Bolsonaro, logicamente que é o eleitor sem consciência politica, outra parte vai para traíra da Marina que ainda consegue parte dos votos lulistas, e o pior uma parte substancial talvez revoltada e indignada pelo impedimento de Lula opta pelo voto branco e nulo que não leva a nada. O grande desafio é justamente convencer esse eleitorado do voto branco e nulo a votar num candidato de consenso da esquerda, Ciro nem com reza braba disse a interlocutora de Lula, a Gleisi que jamais teria dito isso sem o consentimento de Lula, que também não confia no político cearense. Precisa se dizer mais alguma coisa, se Lula continua e só as urnas dirão com seu potencial de transferência de votos, como fez com Dilma, Ciro tá no sal. No caso de Lula continuar com esse potencial só um candidato afinado com ele e de sua estreita confiança, como foi o caso de Dilma, poderá capitalizar esses votos. Agora querer nos convencer que se Lula e o PT apoiarem Ciro ele na certa vai para o segundo turno, o que não aconteceria com os outros, inclusive Haddad e Wagner, é faltar com a verdade. Ou transfere ou não transfere.

Responder

    Onda Vermelha

    14 de maio de 2018 às 12h48

    Concordo com você em gênero, número e grau, Luis Castro. Acrescento ainda que acredito que Ciro, Manuela ou Boulos tem todo o direito de pleitear suas candidaturas. Miguel do Rosário também tem todo direito de defender o voto em quem desejar.

    Dito isso, acho que a análise do Miguel está totalmente equivocada. A candidatura Lula não pode ser descartada. Nem juridicamente, nem na prática!

    No momento que escrevo acaba de ser divulgada nova pesquisa CNT com Lula liderando com folga com 32,4%, ou seja, mesmo encarcerado e quase incomunicável Lula é imbatível. Já tem vaga num segundo turno, e bate TODOS os candidatos. E não tenham dúvidas! Isso joga uma ENORME PRESSÃO sobre as forças golpistas.

    Quem em sã consciência abriria mão de um potencial desse para apoiar outro candidato, Ciro, que possui apenas 5%? E tudo isso diante de uma gigantesca campanha de desconstrução de seu legado, sem campanha de rua. Imaginem com o início do horário eleitoral?

    Nesse sentido, acho que Miguel faz o jogo dos Golpistas e da Rede Globo, ao propor a retirada da candidatura Lula, sem oferecer resistência. Tudo que eles desejam para legitimar o Golpe!

    Agora, imaginem o cenário, nada improvável, de um Lula eleito no PRIMEIRO TURNO com algo em torno de 40 a 50 milhões de votos. Será o que TSE/STF serão capazes continuar dando suporte ao Golpe? Duvido!

    Já vimos muita coisa neste Golpe, e há fortes razões para sermos céticos com o Judiciário, mas ninguém acredita que sejam insanos a ponto de manter o país nesse abismo.

    Paciência e perseverança é do que necessitamos nesse momento. Lula está fazendo a sua parte. Nós teremos de fazer a nossa! Agora somos as suas idéias e sua voz! Às ruas!

    #LulaLivre #LulaInocente #LulaPresoPolitico

    Responder

Caio César

14 de maio de 2018 às 00h19

Amigo, eu parei de ler quando foi intitulado o Bresser Pereira como social democrata, sendo o intelectual orgânico da reforma do Estado com Fernando Henrique Cardoso, que adotou todo o seu discurso no Plano Diretor da Reforma do Estado, aderindo totalmente a dinâmica do capital contemporaneo: o neoliberal! Existe um equívoco nessa afirmação em dizer que Bresser Pereira e FHC defendia uma social democracia. Beijos

Responder

    Benoit

    14 de maio de 2018 às 05h20

    Então voce nunca leu o que o Bresser Pereira diz? Voce nunca notou que publicações de esquerda dão atenção ao que ele diz, voce não notou que em qualquer lugar que voce leia sobre ele pode-se ver que ele foi influenciado por economistas e pensadores de esquerda? A wikipedia diz o seguinte: “Em 2010, ele deixou o PSDB com o argumento de que o partido político se tornara conservador e sem um compromisso claro com os interesses nacionais.” E depois diz o seguinte: “Dada a influência que Marx teve sobre ele, seus trabalhos integram considerações econômicas, políticas e sociais.” Parece que ele é de esquerda sim.

    Responder

Chauke Stephan Filho

13 de maio de 2018 às 23h55

Só um general maluco-beleza poderá salvar o Brasil !

Responder

    Adalberto

    14 de maio de 2018 às 11h13

    Tipo aqueles que mandam torturar crianças?

    Responder

Guilherme Souto

13 de maio de 2018 às 22h58

“…jeito “mandão”, o ar arrogante, tipo “coronel”, que as pessoas não costumam identificar nos quadros de esquerda…”, tenho votado no pt, mas que há arrogâncias, há. Do tipo superior, acadêmica.

Agente cansou e cansa de ver!

Responder

    Sandro

    14 de maio de 2018 às 09h29

    E nessa o PT vai se isolando cada vez mais da própria esquerda. Passo a entender muitos amigos Psolistas agora!

    Responder

      gonzales

      14 de maio de 2018 às 13h32

      Existem pessoas mais arrogantes que o pessoal do psol ? Chico Alencar fica em plenário tratando os colegas deputados como os seus alunos da faculdade, mas beija as mãos de Aécio, a postura arrogante de Ciro tem mais haver com o psol q o pdt.

      Responder

Daniel melo

13 de maio de 2018 às 22h55

Caminhos da luta.

Confesso que escrever sobre esse assunto me causa profundo desgosto. Desgosto causado por constatar uma completa perda da capacidade das lideranças de esquerda de guiar a náu e conduzir os demais tripulantes para algum destino.

Há uma frase que traduziria bem a atualidade da disputa política brasileira: “A direita se une pelos interesses e a esquerda se divide pelas idéias”. A conjuntura pós-prisão é a comprovação desse lema.

A esquerda está deixando os sentimentos guiarem a ação política. Sentimentos misturados e confusos: umas pitadas de raiva, outras de superioridade moral e muitas doses de “pureza revolucionária”. Para mim esse turbilhão emocional passou a pautar o discurso e a contaminar a razão e a coordenação de ações táticas e estratégicas para o mais importante enfrentamento político desde 1964.

No centro da rinha estão as escolhas sobre como prosseguir com a luta política. Optar por um denuncismo e brandar pela ilegitimidade das eleições, com o intuito de mobilizar as “massas” (pré-revolucionários). Ou realinhar as forças políticas da esquerda em torno da eleição de um candidato que paute oposição ao projeto neoliberal?

Os embates entre aqueles que defendem um ou o outro lado está intenso. Na base uns já acusam os outros de traidores, com direito a xingamentos aqui e acolá. Assim, para não realimentar esse processo de esfacelamento da esquerda e lançar acusações sobre as intenções de A ou B, não devemos pautar a análise da situação corrente por julgamentos de caráter das partes. Acusações de traição, de fisiologismo e etc; não levam a lugar algum.

As escolhas sob qual caminho seguir decorrem de diferentes leituras ou interpretações do momento político, de avaliações sobre as possibilidades e efetividade das escolhas, de leituras da sociedade brasileira e também de uma disputa de espaço político dentro das frações da esquerda.

Os pré-revolucionários não vêm mais possibilidade de combater as forças políticas representantes do neoliberalismo por vias institucionais. Alegam que a eleição está com vício de origem (prisão de Lula) o que a deslegitima. A leitura não é equivocada, realmente há uma subtração diária e contínua da democracia por parte dos poderes não eleitos sob o pretexto de combate da corrupção. Esses estão operando como instrumentos direto da ideologia neoliberal, a impedir, preventivamente, a possibilidade de Lula ser eleito. E não se trata de um “fato isolado”, mas de todo um processo de esfacelamento institucional e político iniciado em 2014.

Assim, diante da impossibilidade de uma nova reconciliação nacional de classes, por não haver interesse por parte dos “vencedores”, os pré-revolucionários defendem que a única saída possível seria por meio da mobilização das massas e o boicote às eleições presidenciais.

O PT eo PCO são os partidos que lideram esse movimento. Para o PCO a escolha é perfeitamente consistente com sua linha de ação política. Desde sua criação o PCO é um bastião ideológico da esquerda revolucionária, sempre defendeu que não há possibilidade de mudança que não seja por via da mobilização popular e revolucionária, nunca teve reais pretensões eleitorais, nem se dispôs a jogar o jogo da democracia burguesa.

O PT é o partido de origem do PCO, de onde seus fundadores foram expulsos por não defenderem a linha pragmática e reformista do PT. Ou seja, o PT foi o partido de esquerda que optou pelo caminho da conciliação e da “democracia burguesa”, optou por “jogar o jogo”, aceitou doações de empreiteiras, manteve as distorções econômicas favoráveis ao financismo e desmobilizou as lutas populares com o apoio das lideranças sindicais e afins (peleguismo). Resumindo, o PT só se manteve no poder por 13 anos por não mexer no vespeiro. Quando esse virou um entrave aos interesses locais e internacionais do imperialismo, foi decapitado!

O PCO segue consistente, pois sempre pautou a luta popular e revolucionária. Mas há incoerência no discurso do PT quando a direção partidária diz: ” eleição sem Lula é fraude”; ao mesmo tempo em que se articulam as candidaturas para os demais cargos (senadores, deputados e governadores). Seria uma crítica à democracia burguesa que só vale para o cargo de presidente? Como isso funciona? Confesso que não entendo!

Mas que lição podemos tirar dessa história? Que apesar de toda a “pureza revolucionária” e correta análise política do PCO, foi o PT que efetivamente conseguiu transformar a realidade social do país! E ele o fez por explorar as brechas e contradições do próprio sistema burguês! Há também uma lição que o PT talvez não tivesse apreendido (à força) caso tivesse mantido o PCO dentro de suas linhas, de que é preciso operar na política transformadora no aspecto TÁTICO (políticas pontuais e isoladas, pacificação ocasional das lutas populares), mas também no aspecto ESTRATÉGICO (fortalecimento da mobilização popular e reestruturação dos poderes não eleitos) para enfrentar o derradeiro momento do embate, o qual é inexorável!

A supressão de ações estratégicas para permitir pequenas vitórias táticas foi o que levou à derrocada do PT, pois um conjunto disperso de táticas não substituem a estratégia, mas, doutro lado, uma estratégia não pode suceder sem táticas. Por isso que diante de uma súbita mudança no terreno de batalha, haja tamanha confusão por parte do PT em entender o ocorrido e conseguir redefinir suas linhas de ação.

O sucesso da empreitada neoliberal deveu-se a um longo movimento estratégico, iniciado ainda no primeiro ano de governo PT, com uso dos aparelhos de propaganda para doutrinação da classe média e por conseguinte daqueles que preencheriam os cargos dos poderes não eleitos. Contudo, a empreitada só sucedeu graças a um movimento tático, de aproveitar a recessão econômica para realização de um golpe de estado e fechamento democrático. A direita sabe muito bem jogar o jogo político de curto e longo prazo.

Retornando ao cerne, do outro lado da divisão da esquerda há aqueles que têm uma agenda eleitoral, ou seja, buscam atuar como dantes fazia o PT e explorar as contradições do sistema. São eles: Ciro, Manuela e Boulos. Desses três há especial atrito com Ciro Gomes. Manuela e Boulos acompanham o PT em sua mobilização em torno de Lula, estiveram no palanque com ele no ato no sindicato dos metalúrgicos e etc. Não há ataques agressivos contra esses dois últimos, exceto as consistentes críticas de Rui Costa Pimenta (PCO).

Mas por que a diferença no tratamento por parte do PT e por conseguinte de seus filiados a Ciro Gomes?

Manuela e Boulos têm pouca ou nenhuma chance eleitoral, não são candidatos que ameacem uma candidatura a presidência do PT que venha a substituir a de Lula. Já a candidatura de Ciro pode corroer a capacidade de Lula de transferir seus votos a um indicado de dentro do PT.

Se o PT adotar a estratégia de indicar Lula, para então ter a inscrição negada e depois indicar outro (conforme a legislação eleitoral permite) ele terá um tempo menor de campanha e precisará de preservar para si a base eleitoral de Lula para ter chances reais de ir a um segundo turno.

Outra possibilidade seria o uso da bandeira de Lula Livre como trampolim para as candidaturas de deputados e senadores do PT, PSOL e PCdoB. Cenário onde o PT não indicaria um substituto a Lula.

Para ambas as hipóteses, uma manutenção das altas intenções de voto em Lula só acirram a briga, pois o que estaria em disputa seria a herança eleitoral de Lula. Ela ficaria com Ciro? Com Manuela ou Boulos? Com o substituto de Lula? Pulverizado entre deputados, senadores e governadores do PT?

Logo, o que vemos é a velha regra de que se há uma disputa entre os herdeiros, é por haver alguma riqueza a ser disputada. Ou escrito de outra forma: “Não haveria briga, se não houvesse pelo que brigar”.

Nessa briga por algo, iremos revestir nossos interesses por alguma construção que lhes legitimem. Quando a disputa é por espaço político, a regra é nos legitimarmos pelo achincalhar do outro e/ou pregarmos uma superioridade moral/ética/espiritual ou de pureza revolucionária. A título de exemplo, em alguns diretórios do PSOL somente os veganos podem se candidatar a cargos de direção partidária, pasmem!

Esse embate é normal e sempre ocorre em véspera eleitoral, entretanto em uma conjuntura política menos grave. No atual cenário, ela pode ser nossa maior armadilha.

Diante do exposto, o que defendo?

Defendo que não sigamos os partidos e suas lideranças nessa rinha. Se não há clareza deles sob o real embate em curso, ou se a “picuinha” o ego ou as estratégias individuais colocam a luta sob risco de fragrante derrota, cabe à base tomar as rédeas do processo de luta, num sentido amplo e pleno. Ou seja, se o comandante conduz a náu à deriva, cabe aos demais tripulantes assumirem o seu comando.

Mas qual seria o caminho correto?

Para delineamento dos caminhos da luta, devemos ter clareza de qual é o embate político em curso. O embate é entre um projeto inclusivo de desenvolvimento econômico nacional versus um projeto excludente, de entrega da economia nacional ao financismo e ao capital transnacional. Esse último é o neoliberalismo e seus agentes políticos e para-políticos.

Os agentes para-políticos são aqueles representantes dos poderes não eleitos como o Judiciário, MP, PF, TCU e as FFAA. O farol que os guia é a ideologia liberal e a grande mídia, em especial a Rede Globo.

Os poderes para-políticos são os principais agentes de desestabilização democrática e institucional. Eles foram fator chave para a ruptura institucional do impeachment, para a relativização dos direitos e garantias fundamentais, evidenciados reiteradamente por meio de: prisões preventivas como instrumento de coerção, vazamentos, grampos de advogados, grampos de presidente, colaboração em off com FBI, supressão por via interpretativa de dispositivos constitucionais pétreos.

Agora esses poderes avocam pra si a legitimidade para “tutelar” a democracia ao prenden o principal líder das pesquisas, após um processo surreal do início ao fim.

Assim, o bloco neoliberal está ocupando o terreno de batalha em quase todas em posições chaves. Mas há uma posição que esse ainda não ocupou, aquela da vontade popular! A narrativa neoliberal não consegue penetrar as bases populares, ela chega somente até a borda inferior da classe média. Daí pra baixo eles não têm controle (ainda!). O que evidencia essa falta de controle são pesquisas a demonstrar que Lula, mesmo preso, é o líder nas pesquisas.

Por essa razão que a estratégia de deslegitimar as eleições via boicote é péssima para a esquerda! Estaríamos abrindo mão de uma das poucas instituições que eles têm dificuldade de controlar. A evidência dessa afirmação é bem objetiva: um golpe de estado seguido da prisão política do líder nas pesquisas. Precisamos de mais evidências da incapacidade de controle deles sob o processo eleitoral?

Logo, as “lideranças” da esquerda deveriam realizar os acalourados debates entre A e B dentro de quatro paredes, com a discrição necessária para não levar as bases ao extermínio mútuo. Também deveriam agir com prudência e adotar uma estratégia eleitoral comum ou, pelo menos, não fraticida.

Para as alegações de que não permitiriam um candidato não alinhado assumir a presidência, de que não há chances eleitorais, de que o processo está fraudado; para elas eu digo que o ônus de demonstrar que isso é verdade deve ser do lado de lá! Pois se numa derrota eleitoral para a esquerda eles interditarem a posse do presidente, que seja um ônus deles, se eles optarem por um golpe militar, que seja um ônus deles, se eles optarem por outras medidas extremas, que seja deles o ônus.

Remover o time de campo e aceitar uma derrota por WO, não deve ser o discurso da esquerda. Pois apesar do sistema democrático não ser de fato democrático, ou seja, é uma falácia. A contradição entre a face que esse apresenta e sua verdadeira natureza deve ser explorada até o limite pela esquerda. Qual o limite? O limite é aquele que leva eles a jogarem as aparências de lado e a imporem um controle direto da sociedade por meio de uma Ditadura Explícita. Como ainda não chegamos nela, ainda há espaço pra tensionar as contradições.

Mas há apenas o caminho eleitoral?

NÃO! O caminho eleitoral é um movimento TÁTICO a explorar a principal fraqueza do lado adversário, mas a complexidade da crise impõe a adoção urgente de um caminho de mobilização popular. Ocorre que o PT operou durante 13 anos a desmobilizar as bases, e recompor essas demandará tempo, tempo que irá para além do pleito eleitoral. Mas é preciso que seja feito.

A mobilização e organização política-popular deve ser permanente e é uma ação ESTRATÉGICA, que demandará tempo, dedicação e recursos ao longo de anos.

Uma coordenação deve ser feita entre as duas ações, a eleitoral e a de formação/mobilização política das bases. A eleição seria um excelente momento para expor o eixo do debate e pautar com objetividade e clareza as diferenças entre o projeto deles e o nosso projeto, como essas diferenças impactam diretamente na vida das pessoas e para o PT utilizar a propaganda eleitoral para denúnciar o golpe e reconvocar os ex-militantes para retornarem aos núcleos de base.

A gravidade do momento urge que coloquemos a luta nessas duas frentes, para ir com tudo para um embate de importância histórica para o país! Não há contradição entre elas, tratam-se de ações complementares.

Sobre eles ainda não controlarem a base, algo que disse lá acima, o ainda refere-se a possibilidade de Bolsonaro crescer nessa base exatamente pelo vácuo que venha a ser deixado por uma equivocada estratégia de boicote as eleições por Lula e PT. Estaríamos, assim, ajudando eles a colocarem um ditador eleito, um Duterte brasileiro (ver Filipinas)

*Adendo 1: A predominância do discurso da segurança pública pelos meios de comunicação e pelo governo já indicam a adoção de uma estratégia de entrar nas classes sociais antes inalcançadas.

**Adendo 2: Ao remover Ciro do círculo da dita “esquerda”, PT está a colocar ele no colo da centro-direita. Pois ele irá lá buscar o apoio que não está obtendo do lado de cá, para assim viabilizar sua candidatura.

À Luta!

Por Daniel Melo CopyLEFT.

Responder

    Beto Castro

    14 de maio de 2018 às 08h40

    Parabéns Daniel pelo esforço hercúleo em explicar a conjuntura. Uma descrição quase completa do impasse. Mas, não oferece alternativa eficaz e imediata para frustrar os golpistas neoliberais. Todas as hipóteses levantadas são reais, mas não desapontam nem desorientam as diversas gangues que perpetraram o golpe. Não há alternativa através da mobilização de 0,5% dos eleitores da dita esquerda, que na realidade é uma ficção da imaginação. O mundo atual não nos remete aos idos de 1917, já totalmente superado. O pragmático é a conquista do poder que poderia nos levar à continuidade do aperfeiçoamento da sociedade brasileira nas hostes de um capitalismo não tardio e não colonial. Faltam três meses para o registro e não estamos utilizando a melhor estratégica de inteligência. Falta comunicação às partes aliadas contra o golpe. São imprescindíveis duas frentes coligadas – uma com Ciro e Haddad e outra com Paim à frente e Lula na retaguarda. Ambas com chances altíssimas de ganhar no primeiro turno, dependendo das escaramuças da campanha. Há possiblidade das duas irem para o segundo turno numa boa. Isto deixaria a caterva golpista em pavorosa e completamente desesperada por falta de um candidato competitivo. Das duas, uma, ou aceitariam o caminho democrático para salvar os dedos ou apelariam para uma intervenção militar desastrosa. Esse bate-boca inócuo e ineficiente das forças progressistas é de uma incoerência absurda, pois somente leva ao fortalecimento das candidaturas fascistas. Esse caciquismo narcisista está derrotando o futuro do Brasil. Lula é um símbolo e uma ideia e não precisa ser a cabeça única. O prêmio Nobel da Paz seria o ápice de sua trajetória vencedora ao deixar a Nação bem estruturada. O que o companheiro Lula necessita é escolher o seu herdeiro correto, mas com densidade eleitoral inequívoca e este rebento é o senador Paulo Paim em toda a sociedade brasileira do bem – um nacionalista e socialista de raízes, moderado, sem rejeições, afrodescendente e queridíssimo em largos setores populares do país. Incrível como os seus apoiadores aos milhões não indicam o seu nome para a direção dorminhoca do PT através de um abaixo-assinado matador. Aproveito esta resposta para parabenizar o Miguel do Rosário pelo Blog espetacular que agrega uma plateia com 240 comentários de alto nível somente neste artigo. Um debate formador de opiniões inequívoco e uma réstia de esperança com relação ao futuro do nosso país.

    Responder

      Daniel Melo

      14 de maio de 2018 às 17h17

      Paim é um bom nome, concordo. Sobre duas chapas, Lula+Paim, Ciro+haddad. Seriam em paralelo? Há previsão legal para essa possibilidade? (foi essa a sua proposta?).

      Responder

Oblivion

13 de maio de 2018 às 22h48

Gostei de saber, inclusive por este site, que em um encontro entre os principais presidenciáveis, os três candidatos de esquerda (Ciro, Boulos e Manoela) estavam entrosados. Ou seja, não foram contaminados pela horda de fanáticos que contaminam o debate racional que tem como foco o futuro do país. Infelizmente, quando levamos em conta a irracionalidade, os fanáticos do pt se parecem um pouco com os do bolsoasno. Abro um parêntese para dizer que tenho votado majoritariamente no pt, só para os fanáticos saberem que não é nenhum coxinha os criticando, na verdade é gente que teoricamente sempre esteve do mesmo lado. Enfim, não quero me meter em estratégias de campanha de ninguém (até por que não tenho preparo para isso), mas mesmo que o PT continue a defender a candidatura do Lula (que os vassalos da elite econômica não vão permitir, por mais justa que pudesse ser) a direção do partido deveria dar um “chega pra lá” nos fanáticos que atacam os aliados e tentam empobrecer o debate que deve ser, repito, o futuro do país.
Sobre a lealdade, pelo o que acompanho de política, vejo que Ciro Gomes é sim muito leal à ideologia progressista, por exemplo, ele apoiou o pt na presidência da república; e no seu estado (Ceará), que pela força que tem não precisava dar apoio a nenhum outro partido, deu apoio a um candidato petista para o governo.

Responder

    Sandro

    14 de maio de 2018 às 09h33

    Concordo plenamente contigo!

    Responder

    Curió

    14 de maio de 2018 às 11h14

    Quem está atacando são os neocirinos que quem empurrá-lo de goela abaixo já antes do primeiro turno!
    Fanáticos… Direção do PT arredar os fanáticos ? Faça-me o favor!!! Vocês raciocinam como se Lula já estivesse com os pés na cova! Olha lá o acampamento… BOM DIA PRESIDENTE LULA! BOA NOITE PRESIDENTE LULA!
    Nem Ciro nem Bolsonazi nem ninguém governará este país, esta nau desgovernada porque ela está afundada no mar. De lama. De ódio. Pois até um direita golpista como o Gurovitz diagnostica o seguinte: ” não há miragem maior que a noção de que a eleição traria o novo “, ” em primeiro de janeiro estarão lá os mesmos ” !!! (I artigo de hoje ) ” com o mesmo medo dos federais, procuradores e juízes ” Eu acrescentaria o STF e os americanos.
    Tirar o Lula da cadeia é motivo para uma revolução! Com isso que os neocirinos deveriam estar preocupados: com o golpe em curso, galopando sobre nossas riquezas e cabeças. Não adianta um Ciro arrumar mil empreguinhos e se engalfinhar no poder! Temos que resgatar 14 milhões e o Brasil voltar ao mapa do mundo!
    Pode se candidatar! OK! Mas já partir dessas coações não se construirá nada. São premissas que já descrevem o que seria de nosso futuro sob a botina de mais um coronel malcriado que teve o desplante de xingar : ” O Lula é um merda! ”
    Imagine só.

    Responder

Ricardo

13 de maio de 2018 às 22h37

O PT ainda tem outros candidatos melhores que Ciro. Ele é muito imprevisivel

Responder

    Sandro

    14 de maio de 2018 às 09h34

    Eu ainda prefiro a imprevisibilidade do Ciro do que a previsibilidade aliada ao PMDB

    Responder

Jandui Tupinambás

13 de maio de 2018 às 22h22

Além de sua imaturidade política pois afinal não é hora desta discussão ainda, você, Miguel se mostra mesmo muito arrogante. Talvez, por isso, gosta tanto do Ciro. Como diria minha mãe: um gamba cheira o outro.

O título do seu texto diz tudo: quem não concorda com minha ideia (imatura, repito), é irracional.

Parabéns pela truculência e tentativa de interditar o debate. Por que vou argumentar? Sou um irracional, não é mesmo?

Responder

Elza Fatima Rodrigues Santos

13 de maio de 2018 às 22h11

Só para não esquecer: Miguel do Rosário que decepção!!!! realmente vc se tornou um ardoroso defensor do Ciro!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! lendo seus comentário, fico de queixo caido!!! penso que vc não está tendo uma postura jornalistica decepcionante!!!!. Vc está parecendo a rede globo tentando manipular as conscências. Está descarrada demais sua postura. Gente do céu.

Responder

    Sandro

    14 de maio de 2018 às 09h39

    E a postura da sra? Não tens espelho em casa? A sra apenas destilou o seu veneno contra o Miguel e não lançou na discussão sequer 1 argumento válido a não ser descaso e intriga! É nisso que o PT se transformou?

    Responder

Ander

13 de maio de 2018 às 22h08

Texto coerente, honesto, atento aos fatos. Parabéns!!

Responder

Elza Fatima Rodrigues Santos

13 de maio de 2018 às 22h01

Povo, não vamos perder nosso tempo debatendo com gente que quer se passar por defensor “livre” do Ciro Gomes, mas que na verdade parecem ser pessoas que estão sendo pagas para defender a candidatura deste presidenciável. Não estou falando do Miguel do Rosário, mas destas centenas de quase robôs que parecem que não têm outra que fazer senão escrever longos comentários sobre o arrogante do Ciro. Deixa esta gente prá la. Eles não estão discutindo ideias, o objetivo é acusar o PT
de ser sectário, como o Miguel mesmo afirmou no artigo anterior. Eles pensam que somos idiotas e que nascemos ontem. Pois se enganaram, senhores. Temos mais o que fazer do que ficar dando ibope para quem não merece: Ciro Gomes. Nosso presidente Luis Inácio Lula da Silva necessita da nossa aguerrida energia para ocupar-nos com aspectos mais nobres que ficar dedicando horas com quem tem menos de 6% dos votos e que necessita de nós, petistas para chegar no segundo turno. Fora Ciro Gomes. Lula Livre. Lula presidente.

Responder

    Paulo Rogério

    14 de maio de 2018 às 12h32

    Robôs? O que vocês não entendem é que muita gente da esquerda pensa fora da orbita do PT.
    E não adianta você vir aqui praticar a sua psicologia reversa, dizendo que só procuramos matérias sobre o Ciro quando, na realidade, vocês (petistas? ou bolsominions infiltrados?) é que só comentam em matérias sobre o Ciro. Experimente usar essa sua “combatividade” contra os expoentes da direita!
    Lula é maior do que o PT, e não há, dentro do partido, substituto à altura. Por isso vocês insistem nessa ilusão de candidatura Lula. Querem forçar TODA a esquerda a se unir a vocês no seu abraço de afogado!
    Não se esqueça que os votos que SERIAM de Lula SE ele pudesse se candidatar, se eleger e governar, não são apenas da militância petista! A militância petista não elege presidente nenhum!!! A militância de esquerda, sim, desde que UNIDA!!!
    Quando vocês tiverem um candidato que possa participar das eleições, respeitando a Lei Do Lula – Lei da Ficha Limpa – apresentem um programa de governo para o PAÍS (e não para o PT!) e o tragam às mesas de debates!!!

    Responder

Régis

13 de maio de 2018 às 21h48

Se eu tivesse certeza que ele é realmente um nacionalista, não precisa nem ser de esquerda, mas um defensor enérgico(a la Putin) das riquezas estratégicas da Nação como o petróleo, gás, minérios, setor industrial, infraestrutura e tecnológico com o lucro voltado ao bem do país seria fantástico. Porém, o braço invisível do sistema financeiro americano (banqueiros) está tão fortemente acoplado em nossas instituições e principalmente nas agências de propaganda ( grande mídia) que acho difícil isso acontecer. E novamente repito: muitíssimo estranho essa posição da imprensa golpista de ser branda com Ciro no momento que diz que irá desfazer tudo que o golpista Temer fez.

Responder

André Luiz Rodrigues

13 de maio de 2018 às 21h45

Essa é uma análise que eu faço desde de 2016… Pra mim esse artigo é irretocável. Obra prima de análise política atual. Em nome do bom senso deve ser muito bem refletido pelos bons intelectuais que ainda restam entre nós brasileiros. O povo precisa de um novo rumo ao progresso. Será muita irresponsabilidade não dar alternativa ao povo para escolher. E isso serve direitinho aos interesses da direita.

Responder

Raimundo

13 de maio de 2018 às 21h34

Ciro Gomes é o Collor II.

Responder

Raimundo

13 de maio de 2018 às 21h33

Lula Presidente. #Lula livre.

Responder

Patrice L

13 de maio de 2018 às 21h29

As campanhas individuais de Manuela, Boulos e Ciro são um direito indiscutível.

Mas o que decididamente não dá é que uns e outros não respeitem a campanha individual do Lula e, pior, apresentem as suas próprias campanhas ou apoios como atalhos necessários à prosseguir a luta…mas uma luta da qual se foge?

Até quando fugir de unir-se e enfrentar o consórcio fascista judiciário-mídia familiar que, desde o Mensalão, vem impondo derrotas à esquerda com suas manchetes e processos fraudulentos?

Acordem, esse consórcio não visa somente atingir o PT! Ele atinge a esquerda e a democracia! Não enfrentá-lo agora, na interferência brutal e escancarada que ora faz na política do país, é um gravíssimo erro!

Aproveito para, uma vez mais, pedir ao excelente site Cafezinho que discorra melhor sobre o que o Ciro pensa para enfrentar o PIG, que tanto mal faz ao país.

Escolho o Ciro para esse tema crucial porque é a quem o Miguel decidiu apoiar (um erro, a meu ver, mas respeito) e porque vejo no candidato a disposição equivocada de ficar basicamente no tal controle remoto. Ou seja, sem atacar a propriedade cruzada e a concentração dos meios de comunicação em poucas mãos.

Sei que trata-se de questão bastante complexa de resolver, mas de novo ficar no controle remoto, sem regulação da mídia, como o Ciro disse? Achei vago ele dizer que vai contrapor-se a isto com mais imprensa.

Responder

franc

13 de maio de 2018 às 21h04

Ciro lembra muito “o gato de botas”…. quem sabe vc me ou se enganou, mas ganhou meu voto!

Responder

Jonas Carvalho

13 de maio de 2018 às 20h20

Miguel Rosario, para resolver esta briga, sugira ao Ciro procurar a Gleise e propor a Lula e ao PT registrar a Candidatura de Lula tendo o Ciro como Vice. Desta forma ele demonstraria sua disposição de negociar com o PT. Se Lula não puder concorrer, por decisão da Justica, o Ciro se tornaria o candidato a Presidente e o PT indicaria o seu vice, numa coligação ampla de PT,PDT,Psol,PCdoB e PSB, etc..

Responder

alexandre gomes

13 de maio de 2018 às 19h50

A militância cega está esquecendo o que o próprio Lula falou, com toda razão: “Não sou um ser humano, sou uma ideia.”

E agora estão focados em defender o ser humano, mas esquecem da IDEIA.

Essa ideia que Lula se tornou é a defesa do pré-sal, dos aposentados, dos trabalhadores… É isso que temos que defender, ponto.

Lula não concorre, isso é certo, mas estamos falando do Lula ser humano e não da ideia Lula!
Meu ponto é que lutemos pela liberdade do ser humano, mas que para isso não arrisquemos a derrota de nossas ideias nas urnas.

Entendo Ciro como o candidato que corresponde a esses ideais que almejamos para o Brasil.

Responder

    Dio

    14 de maio de 2018 às 12h02

    Muito pelo contrário.
    Ciro não é puxadinho do pt, lembra?
    Como pode ser portador da ideia lula?
    É tanta coisa que falam pra defender a candidatura de ciro…

    Responder

      Miguel do Rosário

      14 de maio de 2018 às 15h06

      nem ciro nem ninguém é puxadinho do pt. o pt ganhou eleições e governou através da formação de uma ampla alianças, com partidos e com a sociedade.

      Responder

Ruan

13 de maio de 2018 às 19h08

Que artigo mais lúcido!! Precisava ser reproduzido pelas mídias “de esquerda” (247, pragmatismo político, dcm), que sempre são mais petistas que de esquerda. Falta exatamente pragmatismo à essa gente. Lula praticamente não tem chances em 2018, seja de ser solto ou de ser candidato. MAS falar isso soa como “morte ao Lula!!” na cabeça dos petistas. Parece que querem mais que ele seja solto que o bem do Brasil. Estão dispostos a afundar a única candidatura no próprio espectro político que tem chances reais (convenhamos, o antiesquerdismo está mais forte que nunca, nomes “extremistas” como Boulos e Manuela dificilmente conquistarão o público menos ligado à política, mas que votaria num candidato de esquerda se ele não se intitulasse assim). A autocrítica, que sempre faltou ao PT, está cada vez mais distante. Depois não reclamem quando forem responsáveis (e serão sim responsáveis) pelo Trump brasileiro.

Responder

José

13 de maio de 2018 às 18h52

Os enigmas de Ciro Gomes e o futuro de Lula.

Reginaldo Moraes

Ciro Gomes tenta encarnar uma espécie de novo centro, uma candidatura que promete “despolarizar” o país. Lá no final do ano passado, tanto ele quanto o PDT, diziam que país havia mergulhado no ódio e no espírito do “nós contra eles”, um espírito que atribuíam ao PT. Era o perfil de candidatura que tentariam desenhar como “terceira via”.
É uma tática arriscada – pode ser um grande achado eleitoral e pode também resultar num furo na água. Teria que seduzir muita gente dos “dois lados do ódio”. Não apenas eleitores – ele pode dizer que os eleitores não têm cabresto, mas há, sim, influências que contam. Algumas delas, como se sabe, contam muito. Ciro teria que atrair parte do PT? Bem, para isso precisaria pelo menos relativizar sua posição de que “o processo foi legal, a sentença foi injusta”. Como faria tal coisa sem atritar com o judiciário e a mídia? A afirmação é habilidosa, mas talvez não baste. Se ele de fato crê nisso, a sua posição, caso eleito, será um “sinto muito, mas já foi julgado”. Para golpistas, que não vacilam em acenar com as armas, assumir essa posição é sustentável – todos eles dizem que a prisão de Lula “é um episódio triste” mas se deu dentro do funcionamento normal das instituições. São os termos de gente como Temer ou FHC. Ou Alckmin. Bolzonaro, evidentemente, sequer diz que “é triste”.
Mas é mesmo necessário que Ciro tenha apoio das lideranças petistas? Ou mesmo de Lula? Talvez não. E parece que ele e seus assessores se deram conta disso. É o que diz Mangabeira Unger, por exemplo. Se é fato que Lula tem influencia sobre o voto de 30% dos eleitores, Ciro pode, sim, dispensar esses eleitores – ou boa parte deles. Digamos que a direita mais definida (de Bolsonaro a Alckmin) consegue 25% – o que é o cenário atual. Dai, sobram uns 45% sem carimbo. É para esse eleitorado que Ciro, aparentemente, pretende falar, para não depender dos eleitores lulo-petistas.
Mas um lance arriscado de Ciro, ao que parece, é a tentativa de capturar parte dos golpistas, ou neutralizá-los pelo menos. Se conseguir, atrai parte dos eleitores que votaram Aécio no segundo turno de 2014. Para isso, ele tenta, ao que parece, distanciar-se relativamente do PT e de Lula para atrair eleitores anti-lulistas que julga mais maleáveis. Talvez parte do eleitorado que votou em Marina, na ultima eleição. Talvez parte dos que se abstiveram no segundo turno. Tenta ganhar eleitores que gravitam em torno do PSDB, do PMDB, do PSB, do DEM e das legendas menores. Porém, se de fato as direções partidárias têm alguma importância, precisaria pelo menos neutralizar as lideranças desses grupos. Tem que prometer ou acenar a elas com algum “ganho” ou salvaguarda. Para ganhar e para governar. Qual ganho? Dependendo disso, o grande achado eleitoral (possível, sem dúvida) corre o risco de esfarinhar. Se não promete, não atrai. Se promete demais, corre o risco de virar “mais um” na armadilha do “presidencialismo de coalizão” ou do “parlamentarismo de fato e de farsa” que se instalou com o congresso eleito em 2014. Não vai ser fácil dosar.
De qualquer modo, a não ser que algo mais forte sacuda o cenário, a perspectiva de Lula não é nada alvissareira. Seguirá condenado e provavelmente preso (em condicional, em casa?). Isso ocorreria, repito, a não ser que algo sacuda os termos atuais. Lula continuaria como está caso vitória seja de Ciro ou caso ela caia no colo dos defensores do “legado do golpe”. Lula não pode esperar grande coisa de qualquer um desses eventuais vitoriosos. Todos lavarão as mãos e evitarão “governar olhando pelo retrovisor”. Em nome do ‘olhar para a frente” e “despolarizar”, um novo normal se desenharia ou tentaria emplacar. E esse novo normal supõe o desaparecimento político de Lula e do que representa. Não vai ser fácil.

Responder

andre2110

13 de maio de 2018 às 18h46

Ciro nem pensar, será o candidato do PP e dem. Políticas de direita.

É muito claro,
evidente,
transparente,
vocês defendem Ciro porque se acostumaram com as vantagens do poder. Querem diretorias, cargos. Vergonhoso…

Responder

Claudio

13 de maio de 2018 às 18h45

Caro Miguel.
já passou as 24 hs. de protesto de minha parte. Agora o que eu quero lhe dizer e o seguinte:
Miguel vai pescar um pouco e deixe o PT quieto. quem sabe a pescaria lhe refrescará a memória atualmente comprometida.

Responder

    Jandui Tupinambás

    14 de maio de 2018 às 07h47

    Muito bom, Cláudio. Vamos lançar a campanha:

    Miguel, vai pescar!

    Responder

José

13 de maio de 2018 às 18h44

Pronto, defender q o PT, partido com maior base, história vinculada aos movimentos sociais e mais bem posicionado neste cenário político caótico, apesar de toda a perseguição jurídico-midiática, virou coisa de “sectarista”. Miguel do Rosário porque vc não aceita q o PT não tem obrigação com Ciro , o mesmo q constantemente diz q “não é puxadinho do PT”? Quer dizer q para Ciro só interessa os votos petistas. E sem esforço. Bastando esse seu argumento de q ele é a melhor opção é de uma jogada de toalha derrotista que o PT, acostumado à luta não vai aderir. E por favor, não ofenda a inteligência de seus leitores. Nem todo mundo que tem um pé atrás com Ciro é petista. De uma olhada no site Esquerda Diário e verás q está equivocado ou apenas querendo simplificar questoes tão complexas com os rótulos “petismo” “lulismo”, “sectarismo”. Miguel, vc já foi melhor em argumentação

Responder

    Ricardo Cebalho

    14 de maio de 2018 às 10h08

    Acho um tremendo contra-senso O PT tem os eleitores e Ciro só bravata, Ciro não tem votos e quer ser o cabeça de chapa se ele fosse racional, aceitaria ser o vice ( Haddad/Ciro). A verdade é o seguinte se apoiarmos Ciro assim que eleito descartaria o PT. Em Ciro não se confia um dia é amigo de LULA no outro dia fala mal, O cara não tem coerência.

    Responder

Jose carlos lima

13 de maio de 2018 às 18h26

O pior dos mundos será se repetir aqui o que vem se repetindo no Egito desde o golpe que derrubou o presidente Morsi e seu partido a Irmandade Muçulmana, cujos integrantes passaram a ser perseguidos pelo Judiciário: la ha 50 mil presos politicos e censura e assassinatos e prisao de lideranças da oposicao.

O ditador é tao odiado como o eh Temer por aqui….mas em todas as eleiçoes ele gannha com 90% dos votos pelos seguintes motivos:

1- nas eleicoes deste ano havia como candidato o ditador e um candidato parente dele pra similar eleicao com concorrente….o segundo mais votado foi uma celebridade do mundo do esporte, que nem cabdidato era….ou seja, votos nulos aos montes

2- mais de 60% de abstencao, uma vez que o eleitorado, nao tendo seu candidato no pareo, nao sai de casa para votar

3- alem disso, houve muita denincia de fraude e compra de votos

Dito isso, vamos a nossa realidade:

Vendo o risco de ver um candidato do regime golpista ser eleito, acho que eu votaria em Ciro, caso ele nos garanta a retomada do nosso patrimonio transferido aos gringos pelos golpistas

Eu votaria em Ciro, bem como no parlamentar que me garanta a libertacao de Lula mediante indulto ou anistia

Que essa eleiçao, embora restrita a um periodo de apenas 45 dias sirva, antes de tudo, para denunciar o golpe

E derrota lo….

Responder

Adriano

13 de maio de 2018 às 17h47

Simplesmente o melhor texto q li a respeito desse assunto. Parabéns.

Responder

Curió

13 de maio de 2018 às 17h45

Lula livre!
Lula livre!
Lula livre!
Lula livre!
Se não der vota no bode!
A partir do resultado reiniciamos a luta!
Lula livre!
Lula livre!
Eles não aguentam até 2022! Vão se matar de foice e o Brasil que está quebrando a cada dia que passa entrará em colapso!
Avante compçanheros!
Asta manhana volver!
Lula Libre! Até a vitória!

Responder

Ana Luisa Valle

13 de maio de 2018 às 17h23

É impressionante a capacidade q as pessoas tem de se autoenganar. Ciro Gomes, o candidato dos patos amarelos, o cara q primeiro disse q levaria Lula pra uma embaixada e q hj sequer admite q sua prisão possa ter conotação política, q não ataca a Lava Jato (alô, Miguel! Não era vc q identificava o lavajatismo como o maior problema a ser combatido?), q diz q o melhor maneira de combater o monopólio das comunicações é o controle remoto, q sequer defende o q está escrito na constituição acerca do tema, q fala em privatizar… enfim, por q raios apoiar um candidato desses pode trazer algum benefício ao povo brasileiro? Ele simplesmente vai legitimar o golpe q está em curso no Brasil, aprofundar a agenda neoliberal. Acorda, Miguel. Sai dessa canoa enquanto é tempo.

Responder

    Miguel do Rosário

    13 de maio de 2018 às 17h46

    Ana, Ciro combateu o golpe e critica duramente o avanço do judiciário sobre a política. E defende Lula e sua absolvição, de maneira muito clara.

    Responder

      José

      13 de maio de 2018 às 18h11

      Miguel, ele não defende nada a não ser a própria candidatura. Ciro não engana.

      Responder

      Andre Duarte Bueno

      13 de maio de 2018 às 19h18

      pelo contrário, não defende e esta sempre em cima do muro, é o DNA tucano!

      Responder

      Allex

      13 de maio de 2018 às 22h30

      Miguel, seu blog já tem um enorme peso no cenário de análises políticas na internet (e fora dela). Por que não traz o Ciro Gomes para uma entrevista. Mas não seja um entrevistador chapa branca. Pergunte a ele o que acha da Lava Jato, da prisão do Lula (se é ilegal ou não), do fascismo que avança em cada esquina e em cada grotão deste país, da rede globo e sua relação com a sociedade brasileira, no passado e no presente, (insista enfaticamente nesse tema), dos problemas de aceitação e de imagem que ele tem no seu próprio estado, da covardia e da anomia dos milicos diante do entreguismo e do desmonte do país etc. Assim então finalmente a gente põe os pingos nos “is”. Porque, até o momento, pra cada ataque que fizermos contra o Ciro, você apresentará uma defesa. E pra cada defesa que você fizer em favor dele, nós o atacaremos. É assim porque Ciro Gomes vive acendendo uma vela pra deus e outra por diabo. Ele mesmo alimenta essa situação.

      Responder

      Allex

      13 de maio de 2018 às 22h33

      Será que o Ciro Gomes quer o apoio do PT e o voto dos seus eleitores? Por que ele não toma a iniciativa? Por que não se aproxima do partido? Por que não endurece o discurso contra a mídia e o judiciário golpista?

      Responder

    Cézar R M Lopes

    14 de maio de 2018 às 00h08

    Candidato dos patos amarelos? Eu achei que só a direita era adepta de revisionismos históricos.

    Responder

    Benoit

    14 de maio de 2018 às 08h58

    Allex, a ideia de uma entrevista com o Ciro poderia ser uma boa ideia. Só que um político não pode falar sempre de um modo tão aberto sobre tudo como nós falamos. Eles têm um papel e uma responsabilidade que nós não temos, eles falam para um público muito diferente do que um público mais restrito e com mais informações. Por isso, ele não vai dizer o que poderia agradar a voce só para agradar voce. Voce não vai ouvir dele tudo o que voce gostaria de ouvir. Se é para isso que voce quer uma entrevista com ele, então voce pode desistir.

    Responder

Andre

13 de maio de 2018 às 17h19

ESSA MILITÂNCIA DO PT OU É BURRA OU IRRESPONSÁVEIS!!! GRAÇAS A DEUS FUI BLOQUEADO PELOS RETARDADOS DO 247… O ATTUCH E RIDÍCULO… FICA LARGANDI O PAU NO CIRO, MAS NÃO DIZEM QUE O LULA ESTÁ EMPEDIDO. AH FUCAM INSENTIVANDO O VOTO NULO… ESSES IDIOTAS VÃO FERRA CO. A VIDA.DE MILHARES PESSOAS. ESQUERDA BURRA!

Responder

    Miguel do Rosário

    13 de maio de 2018 às 17h37

    andre, sem xingamento por favor.

    Responder

    Sandro

    13 de maio de 2018 às 18h35

    Tb fui bloqueado no 247, a coisa tá feia mesmo. Esquerda intolerante, fanática e burra!

    Responder

      Jandui Tupinambás

      14 de maio de 2018 às 08h36

      “Esquerda intolerante, fanática e burra!”

      Miguel, este exemplo acima é um caso extremo. Mas é mais ou menos o que vc está fazendo.

      Você está usando o irracional para atacar ideias contrárias que você acusa de irracional.

      E, instintivamente, interditando o debate ao taxar o diferente como sectário.

      Enfim, quem diz “Esquerda intolerante, fanática e burra!”, está praticando o quê? A tolerância?

      Responder

      GERALDO GALVÃO

      14 de maio de 2018 às 11h18

      Um cara que comenta gritando tem mais é que ser bloqueado mesmo. Pelo menos até se comportar com educação..

      Responder

    Andre Duarte Bueno

    13 de maio de 2018 às 19h19

    90% dos defensores do Ciro são como ele, estourados e desbocados!

    Responder

Luís

13 de maio de 2018 às 17h15

Parabéns Miguel do Rosário por seu brilhante texto!
Seu texto em forma de reflexão resume com maestria de que se não houver a união através de um frente ampla de esquerda em torno da candidatura do Ex-Ministro Ciro Gomes, seremos vencidos no próximo pleito. Ciro Gomes hoje, e na atual conjuntura, é o mais preparado candidato para fazer com que este País volte a crescer e assim possa resgatar milhões de brasileiros que viram nos últimos 14 (quatorze) anos sua capacidade de renda multiplicar por 4 (quatro) vezes, fato que explica, dentre outras coisas, a grande popularidade do Ex-Presidente Lula, e que nos últimos 2 (dois) anos empobreceram a ponto de estarem descrentes com a política, tornando-se preza fácil para o canto de sereia do caudilhismo. Agindo dessa forma o PT cometerá um fratricídio onde a consequência maior será a sucessiva perda de eleições para presidente pelos próximos 20 (vinte) anos se o liberalismo chegar ao poder em outubro próximo. Basta assistir os vídeos que estão disponíveis no youtube para ver que Ciro Gomes tem muito apreço pelo Ex-Presidente Lula. Chega de intriga e picuinhas, onde o melhor a se fazer nos próximos dias, para que Ciro Gomes possa ser eleito presidente do Brasil, é a união de todos os partidos de esquerda e centro esquerda objetivando criar um frente ampla para dar suporte a candidatura de Ciro Gomes. Chega de se experimentar o fogo amigo que é tão ou muito mais maléfico do que a crítica da oposição neoliberal. Sem falsa modéstia, Ciro Gomes é o melhor candidato para enfrentar a direita rentista deste País. Todos nós, sem distinção, devemos exaltar a biografia do candidato Ciro Gomes que sempre foi fiel aos seus princípios e muita coerência com que prega e acredita.

Responder

    José

    13 de maio de 2018 às 18h46

    Discordo. O texto não respeita os motivos q o
    PT tem para manter-se no debate com um candidato próprio.E ainda rotula de sectarista, petista, lulista quem ousa pensar q Ciro não é um bom nome. Arrogância desnecessária q certamente não contribui para o debate. Querem q o PT embarque na “aventura Ciro” apenas pelas “qualidades técnicas”, pelo “altruísmo” (confesso q ri quando o autor argumenta q Ciro mudou de partidos quase q por fidelidade ao PT e não por ambições pessoais) e sem q Ciro sequer se esforce para se aproximar dessa militância das esquerdas(q não se resume ao PT). Acho q muito precipitado esse fanatismo em torno de Ciro.

    Responder

Ivete Valandro

13 de maio de 2018 às 16h53

Eu sou petista,mas na situação em que estamos,com Lula preso e ele não vai sair da prisão este ano,o melhor a fazer é apoiar o Ciro e apoiar desde já! Agora! Não há jeito com esse judiciário e não participar das eleições é suicidio. Amamos Lula,mas vivemos uma situação atípica.

Responder

De urrubus e abutres

13 de maio de 2018 às 16h51

– Ciro tem peninhas no sobrecu, professora, e é um grande abutre.
– Ciro não é abutre e é de esquerda segundo o Miguel do Rosário.
– não, não é…
– Ciro é de esquerda e não tem peninhas de abutre no… e sim no pé porque o Miguel não quer!

Responder

    Miguel do Rosário

    13 de maio de 2018 às 17h17

    ã?

    Responder

    Curió

    13 de maio de 2018 às 22h16

    Urubu tem pena no…
    Não Joaozinho, urubu tem pena no pé.
    Urubu tem pena no…
    Não Joaozinho, urubu tem pena no pé.
    Tá bom, urubu tem pena no pé,
    urubu não tem pena no c. porque a professora não quer!

    Responder

Celso

13 de maio de 2018 às 16h32

Parabéns pelo trabalho!Belibe esclarecedor texto!Fora proselitismo cego! Lula Livre, mas agora é CIRO. Pensem estrategicamente e nonpivo…não em sigla ou ídolos…unidos somos + fortes e temos real chance. O guerreiro está preso e agora é hora de colocarmos a frente do exército progressista um cara capaz e competente, q sabe muito bem q a batalha não está perdida!!

Responder

Pedro Quirino

13 de maio de 2018 às 16h15

São ponderações como essas que a esquerda precisa fazer para vencer a mídia e o poder econômico, armas quase imbatíveis da direita para o eleitorado simplório. Esse é o momento do PT sair da mira dessas armas, apoiar um candidato que sempre combateu o jogo sujo da direita, o mais combativo e preparado dos canditados apresentados. A direita será obrigada a mudar o seu foco. O eleitor por mais simplório que seja perceberá que o problema não é o PT, mas quem representa o interesse da maioria do povo brasileiro e não dos rentistas.

Responder

    Curió

    13 de maio de 2018 às 17h27

    Sr. Pedro Quirino releia as suas frases. Olha as contradições nelas. Facinho de ver… Vencer a mídia e o poder econômico ? Como se ela que quer tirar o PT do foco eleitoral e não consegue nem com Lula trancafiado ? Contra rentistas ? Isso é economês e já que o povo é simplório ( não coaduno com ) não vai acreditar. Acreditará no que o Lula fala! Eleitor simplório ? Quem vai votar no Ciro com a Fiesp por trás e o patrocínio da Coca-Cola ? Só os eleitores do Bolsonazi. O Ciro vai servir para ocupar o lugar dele na mídia. Tirar votos do Alkmin muito morno.
    O eleitor do Lula especialmente agora em pleno golpe é assim: ” se Lula mandar votar num poste eu voto e se mandar votar no Ciro eu voto no poste ” capiche ?

    Responder

      Pedro Quirino

      13 de maio de 2018 às 20h29

      O povo ainda não entende o que é direita ou esquerda, partido não é time de futebol. Sempre votei no Lula e entendo que ele voltar seria uma bela forra contra o golpe. Mas precisamos ampliar mais a esquerda pra ficar mais forte. O Lula não pode sozinho vencer essa direita suja.

      Responder

      André Luiz Rodrigues

      13 de maio de 2018 às 21h52

      Que loucura! Isso vai afundar o país em lama e miséria… Algumas pessoas perderam o juízo…

      Responder

    Andre Duarte Bueno

    13 de maio de 2018 às 19h22

    sempre voto na esquerda, de PT, PCdoB, PCO, PSTU, PSOL, PCB, jamais votarei no Ciro, é tucano, tem DNA tucano; já deixou claro que vai adotar políticas neoliberais; seus economistas tem plataforma de direita; só queimaria as pontes para o futuro. Se for para eleger neoliberal que seja Alckmin, pelo menos sabemos com quem estamos lidando, sem ilusões.

    Responder

      Sandro

      14 de maio de 2018 às 09h37

      Deixou claro pra quem? Oras, o plano de governo do Ciro é à esquerda do PT. Fará auditoria da dívida e taxará os ricos, coisa que o PT depois de 14 anos nunca fez! Tenha a santa paciência!

      Responder

      Handrei Lima

      14 de maio de 2018 às 20h41

      Então que votes em Bolsonaro!

      Responder

Roni

13 de maio de 2018 às 16h08

Ciro é tudo que a oposição quer.

Responder

    Miguel do Rosário

    13 de maio de 2018 às 16h10

    Sim, e a oposição somos nós, né?

    Responder

      Roni

      13 de maio de 2018 às 16h22

      Não companheiro.
      É o silêncio que diz. – No momento.
      Basta escutar o silêncio.

      Abraços fraternos.

      Responder

      José

      13 de maio de 2018 às 18h17

      Podem notar q só dá Ciro, e positivamente, o dia inteiro no UOL e Estadão. No fim, com a insignificância de Alckmin e com a possibilidade de Ciro fechar acordo com o próximo presidente da FIESP, não duvidaria que a imprensa passasse a ver Ciro como um plano B. Por isso, cuidado com esse fanatismo em torno de Ciro.

      Responder

Marcia Ribeiro

13 de maio de 2018 às 16h02

Parabéns por suas considerações lúcidas e pragmáticas. O candidato fascista está em primeiro nas pesquisas e a esquerda precisa se unir contra esta real ameaça.

Responder

    Sandro

    13 de maio de 2018 às 16h31

    Exatamente

    Responder

    Lulalivre

    14 de maio de 2018 às 21h58

    Simples assim! Não sou petista mas sou lulista.
    Lula foi o melhor presidente e voto até num poste se ele indicar.
    Estou torcendo pra ele indicar um poste que pareça com o Ciro Gomes porque não vejo alternativa melhor.

    Responder

Gabriel Cavalcante

13 de maio de 2018 às 15h49

Que tal um acordo?
Se Lula sair, Ciro é vice.
Se Lula for impedido, o PT indica o vice do Ciro.
Um pacto de apoio mútuo. Desde já! A batata quente vai ficar no colo dos adversários e golpistas… ficarão sem saída. É quase um xeque-mate…
E a militância barulhenta, bem como os adversários, nunca vão poder falar que a direção do PT repetiu o erro de 2010 e 2014, quando indicaram um golpista como vice.

Responder

    Sandro

    13 de maio de 2018 às 16h31

    Taí uma idéia sensacional!

    Responder

    Cézar R M Lopes

    13 de maio de 2018 às 16h36

    Não existe se, Lula será impedido.

    Responder

    Manoel Frederico

    13 de maio de 2018 às 17h16

    Tenho falado isso desde a efetivação do golpe.

    Responder

    Jonas Carvalho

    13 de maio de 2018 às 17h26

    Outra proposta: Ciro Vice de Lula. Se Lula for barrado Ciro assume a chapa com um vice do PT.

    Responder

Ze

13 de maio de 2018 às 15h38

Intervenção militar mata cidadão no RJ.

Responder

jose ferreira sobrinho

13 de maio de 2018 às 15h35

miguel, estou rezando seu rosário. inclusive, na mesma entrevista,luiziane falou que “ciro gomes não
tem competência para presidir o brasil. isso me estimulou a curiosidade.tamborilei os dedos,cofiei o bigode bigode.não achei um mais capaz. ORA ISSO PODE SER LIMITAÇÃO DOS ENGAJADOS.
PPARA QUE ELA LANCE LUZ SOBRE MINHA CEGUEIRA, ESTOU PENSANDO,VIA REDES SOCIAIS;
CIRÃO DA MAssa, time ciro ,TODOS COM CIRO ETC FAZERMOS UMA SOLITAÇÃO SIMPLES VIA
RECURSOS MIDIATICOS .LU APONTE 4 CARAS QUE VC JULGA MAIS COMPETENTES QUE CIRO
GOMES PRA SER PRESIDENTE,FAREMOS,A SEU BENEFICIO UMA PESQUISA NACIONAL PARA-
QUEM SABE-CONFIRMAR O QUE VC DISSE COM TANTA SEGURANÇA.4 PORQUE O 5 E VC.

Responder

Gabriel Soares

13 de maio de 2018 às 15h26

Eu votei sempre no Pt mais não defendo este a taque sistemático de quadro do pt em Ciro gomes Ciro foi ministro de Lula ajudou no mensalão nunca quis tira vantagem alguma sobre Lula não é justo o que estão fazendo com Ciro Gomes defender direito de Lula ser candidato é normal ataca Ciro Gomes não

Responder

    Sandro

    13 de maio de 2018 às 16h33

    totalmente decepcionante essa atitude da militancia petista

    Responder

Gabriel Soares

13 de maio de 2018 às 15h07

To com você Ciro Gomes grande brasileiro cara que não deveria ser chamado de coronel nem de brincadeira 38 anos de vida pública fez maior obra de Lula foi ministro do plano real e patrimônio dele não chega 500 mil reias não tem radio não tem jornal foi governador um cara que mudou nosso Ceará a melhores escolas estão em sobra na sua cidade natal é pessoa que me da orgulho não tem nas contas dos filhos de Ciro Gomes milhões e nem na dele como explicar tanta grana na conta dos adversários faça essa pergunta pra você mesmo ministro duas vez governador prefeito de capital deputado estadual federal e não tem milhões

Responder

Luis Castro

13 de maio de 2018 às 15h06

Vamos aos fatos. O problema do Ciro é ele mesmo com sua personalidade desequilibrada e fala dúbia que confunde a militância e o eleitorado de esquerda, esse sim o senhor absoluto do voto e não caciques, blogueiros ou o raio que os parta que vão decidir em quem o eleitor de esquerda, no caso o alvo do convencimento, vai votar. Isso é bom que fique bem claro as bases é quem decidem porque quando acontece o contrario as cúpulas impõem um candidato é derrota na certa. Quem tem que mudar é o Ciro deixar de lado a fala empolada, arrogante e dúbia e se dirigir e conquistar as massas, pois em caso contrário corre-se o sério risco de peder não para a direita, mas para os votos brancos e nulos. Para provar que não sou radical voto em Ciro se for para derrotar Boksonaro e Alckmin.

Responder

    Gabriel Soares

    13 de maio de 2018 às 16h04

    Ciro Gomes tem de ser ele mesmo essa história bombagem Ciro Gomes em 38 anos de vida pública não tem uma acusação não tem uma condenação é competente foi governador fez canal dos trabalhadores resolver falta de água em Fortaleza como ministro de Lula salvou Campina Grande com transposição como ministro da fazenda salvou plano real e alguém quer saber de como a pessoa falar ou como ela se comporta quando está no poder ?

    Responder

      NeoTupi

      13 de maio de 2018 às 18h13

      Olha o seu discurso: O Ciro é ficha limpa e bom gestor. Discurso de direita. Campanha de direita. Sequer serve como educação política. E puxa votos para eleger um Congresso de “fichas limpas” (segundo o seletivismo do judiciário sem “petralhas”) e de “gestores”, ou seja, um congresso de empresários. Esse mesmo Congresso do Centrão, de maioria branca, rica, patronal e misógina.
      É por isso que a candidatura Ciro não é de oposição ao Golpe, nem luta contra a anti-política pregada pela Globo. É de oposição apenas a Temer, assim como Marina Silva e outros de direita.

      A razão de ser da esquerda lutar nesta eleição é para vencer o fascismo de toga e de terno (do Itaú-Bradesco-Santander) que quer excluir o povo das decisões nacionais. A campanha de Ciro não cumpre esses objetivos. Pelo contrário nos impõe uma derrota acachapante referendando o lavajatismo e a supremacia da “gestão”, ignorando a luta política popular como instrumento de transformação da sociedade.

      O rumo que Ciro deu a sua campanha sequer deixa escolha. O PT tem de ter outro candidato que fale e lute contra o fascismo de toga e de terno (dos “bons gestores”, mas bom gestor para quem? Para o mercado, como eles dizem que FHC foi).

      Por isso a candidatura Ciro não é opção, perdeu o rumo da esquerda e do antifascismo. Ciro deve ser candidato para disputar o espaço de Marina (nem PT, nem PSBD). É onde a candidatura dele se situa. Mas deixe o PT em paz ter sua candidatura anti-golpe.

      Por isso votarei Lula-13 (Lula ou outro). Depois do golpe, só voto no antifascismo para executivo e para o legislativo aumentar bancadas. E sempre votei nas políticas públicas para o povo em vez de “bom gestor … para o mercado”.

      Se o PT apoiar essa candidatura Ciro, tchau PT. Voto e faço campanha para Boulos e PSol, porque é a candidatura que sobra para carregar a bandeira antifascista e das políticas de esquerda x “gestores”.

      Responder

    Sandro

    13 de maio de 2018 às 16h34

    Que comentário mais arrogante pra quem chama o Ciro de arrogante!

    Responder

      Gabriel Soares

      13 de maio de 2018 às 22h35

      meu amigo nós quer presidente do Brasil nós tamos escolhendo presidente pra resolver nós problema de emprego educação e saúde 🤧 o resto Conversa fiada da burguesia em São Paulo todo mundo cobra isso em público no subterrâneo os caras aceita aditadura que mandava da fim nós inimigo político e cononel é o Ciro

      Responder

    Jairo Bahia

    14 de maio de 2018 às 00h40

    Essa é a velha esquerda “café pequeno”. Ciro, um coronelzao das velhas oligarquias cearenses, agora é da esquerda. Nunca esteve em partidos, ditos de direita, enquanto esses estavam no poder? Falso igual a uma nota de 3 reais.
    Aí, o cara, que agora se diz esquerdista, quer se juntar a um grande empresário, que ate então seria opressor da classe operária, já que explora sua força de trabalho para enriquecer, e busca o apoio do partido comunista? É a velha e boa incoerência da esquerda, que tudo que quer é estar no poder para viver no luxo dos grandes palácios oligárquicos, sob o beneplácito da burguesia opressora.
    Pura balela. Aliás, o pt ja vinha demonstrando que essa ideologia de dividir só se aplica aos pobres miseráveis manipulados por sua doutrinação seletiva, ja que “aceitaram” ser corrompidos pelos maiores empresários desse país, se prostiruindo em troca do dinheiro sujo que sustenta seus luxos e seus cargos eletivos.
    E os ignorantes que, da mesma forma foram comprados e corrompidos por programas sociais, que não os tirou da miséria, apenas a sustenta, batem continência para todo esse circo armado pela esquerda.
    O QUE FALTA NESSE PAÍS É EDUCAÇÃO, PARA TIRAR O POVO DA ESCURIDÃO.

    Responder

Gabriel Soares

13 de maio de 2018 às 15h00

Miguel parabéns mais a sua disposição pra tomar lado não lê fará passa vergonha a coerência política de Ciro Gomes é maior que todos os radicais petistas juntos basta ver que Eduardo Cunha foi eleito com voto petista Renan Calheiros também Eunice Oliveira também estes nunca foram companheiros do Ciro Gomes agora mesmo no Ceará Camilo Santana do pt do da luziane lins pior prefeita de Fortaleza de todos os tempos estão com Eunice contra a vontade de Ciro Gomes este cidadão ajudou no golpe em 2014 foi candidato contra Camilo gente pt falar uma coisa pra militância e faz outra

Responder

José Augusto

13 de maio de 2018 às 14h24

Obrigado Miguel pela lucidez do texto. Depois de vários ataques a Ciro nos últimos dias, vc trouxe uma explicação lógica para o momento político atual. E, aos meus compatriotas de esquerda, lembremos q em 13 anos de governo, tivemos muitos aliados (Henrique Meirelles, José Alencar, Eduardo Cunha, Gedel, Renan e o traidor Michel Temer). Nenhum de esquerda. Aliás, alguns, nem de direita. Fisiológicos. E mais, não se pode afirmar ” se não for Lula é nada, voto nulo, pq, o nada será a turma da direita ou, pior, extrema direita. Não deram o golpe para deixar Lula ser candidato. Lula Livre sempre, mas peço q façamos uma reflexão sobre o está acontecendo no Brasil.

Responder

Handrei Lima

13 de maio de 2018 às 14h03

Ver os comentários desse artigo tão racional deixam-me extremamente preocupado quanto a minha recente filiação ao Partido dos Trabalhadores, talvez os valores e atributos que vi em Lula, e que me deslumbraram sobremaneira, não sejam compartilhados com a sua militância. Fico triste pela análise que está sendo feita por alguns setores do PT e gostaria de descobrir o real motivo, seriam incompatibilidades ideológicas? Sendo assim já fizemos tantas outras alianças tão mais questionáveis, sendo incompatibilidades de cunho pessoal me abstenho a comentar, pois é da consciência de cada um.

Responder

Laurent

13 de maio de 2018 às 14h01

Perfeito o seu texto!! Vamos todos com Ciro rumo à Vitória! Pela defesa da soberania, pelo desenvolvimento, pela justiça social!

Responder

Rafael

13 de maio de 2018 às 13h55

Caro Miguel,

Meu campo político é o da esquerda. Não sou militante do PT. Não pertenço ao quadro de nenhum partido político. Sempre gostei do discurso do Ciro Gomes. Assisto a todas as entrevistas dele. Não perco uma. Simpatizo bastante com algumas de suas ideias. Admiro ainda a personalidade mais agressiva do candidato (acho que falta uma pessoa assim ao PT, por exemplo). Porém, discordo totalmente do que você escreveu. Parece-me que não compreendeste as sequelas do golpe de 2016. O eleitor de esquerda, seja ou não militante, não suporta mais a “traição”. E o discurso de Ciro, do ano passado pra cá, mudou radicalmente. Ele passou a atacar o PT e o Lula, pois viu que não teria chance ante a candidatura deste último. Buscou, com isso, crescer junto ao eleitorado da direita. Fez besteira. Se tivesse usado a inteligência, teria prestado apoio ao Lula. Poderia se arrepender depois e ser preterido como em outras campanhas? Poderia. Faz parte do jogo. Só que ele preferiu apostar. Partiu para o enfrentamento, na esperança de angariar votos do Alckmin e do Bolsonaro (ele disse, em várias entrevistas, que o eleitor do Bolsonaro era dele e ainda não sabia). Como previsto, Lula acabou preso. O que faz Ciro? Continuou a dar porrada. Ele não precisava criticar abertamente o PT e o Lula, quando poderia, como antes da mudança de comportamento, fazer isso por meio de propostas que corrigiam os buracos dos governos Lula e Dilma. Os universitários o idolatravam porque ele era o cara da “nova política” (apesar de ser um velho político). Propostas ousadas, rompimento com a arcaica institucionalidade etc. Tudo o que a juventude mais esclarecida almejava! Mas, e agora? O que dizer quando ele se transformou no “velho” novamente? O que esperar do eleitor, em especial o jovem, que vê a derrocada do sistema democrático, quando Ciro passou a legitimar todos os passos do golpe, em especial da face judicial? Uma coisa é o Lula “acreditar” no sistema para expor suas contradições e seletividade (tenho para mim que Lula não bateu de frente com o Judiciário por receio de que isto descambasse para a violência). Outra é o Ciro passar a reconhecer a autoridade das decisões dessa turma da LJ (inclusive do STF) no intuito de se beneficiar eleitoralmente. Acabou por vestir a roupagem da “velha política”. Deixou de ser ídolo/esperança. Passou a ser visto como traíra, aproveitador. E pior: correu para conversar com banqueiros e grandes empresários (não me venha dizer que Lula fez o mesmo em 2002, porquanto os tempos eram outros – havia uma chance de conciliação das classes – e essa gente não tinha mostrado esse lado golpista). Sem falar que começou a dar, gratuitamente, coices em dirigentes petistas a todo momento. A mídia tradicional inventa algo e ele desce a lenha. O que ele pensa? Que o eleitor é idiota? Ouso dizer que a maioria do eleitorado petista não votará nele mesmo se Lula o indicar (até porque se Lula e o PT fizerem isso também ficarão desacreditados perante os que defendem a democracia). Acredite, as pessoas pensam (você parece não crer nisso ao chamar de irracional quem tem opinião contrária a sua). Enxergam os erros, as falhas. A Globo não consegue mais manipular como antigamente. Nem vocês, os blogueiros. Se Ciro queria os votos e o apoio do PT, escolheu o caminho errado. Quis aproveitar a chance de não concorrer contra Lula e se lascou, como falamos aqui no NE. Não entendeu que o que está em jogo é esse sistema institucional fudido! Essa é a guerra que o eleitor de esquerda quer travar. Virar o tabuleiro do avesso e reiniciar a partida! E Ciro não abraçou esta bandeira. Ele quer ser presidente “por dentro” dessa institucionalidade. A mídia viu que não tem candidato e está indo atrás dele, que está adorando. O Lula e o PT, por incrível que pareça, perceberam os “novos tempos” e estão certos em manter a candidatura própria até o fim. É a única alternativa para derrubar esse sistema. Expor as arbitragens ao máximo, ganhar o apoio popular e refundar a democracia é o mais importante agora.

Responder

    Rafael

    13 de maio de 2018 às 13h59

    arbitrariedades* ao máximo

    Responder

    Miguel do Rosário

    13 de maio de 2018 às 15h30

    Rafael, Ciro não tem atacado o PT. Ele fez críticas à esquerda, coerentes, que eu mesmo faço. E tem sido muito delicado com o sofrimento do PT. Repete sempre que é preciso respeitar “o tempo do PT”.

    Responder

      José

      13 de maio de 2018 às 18h26

      Não, Miguel, Ciro aproveitou todas as oportunidades que teve na mídia para criticar até a honra de Lula. Temos internet e milhares de fontes além de seu texto forçado na imposição de Ciro. Cara, o PT vai lançar candidato, vcs Ciristas aceitem isso, sem xingar, sem ofender. O PT não pediu pra Ciro retirar sua candidatura, portanto, sejam éticos e aceitem a candidatura do PT.

      Responder

      Rafael

      13 de maio de 2018 às 19h50

      Entendo sua aflição, Miguel. Estamos (a esquerda) numa situação complicada. Reféns dessa institucionalidade. Mas o Ciro fala em respeitar o “tempo do PT” no início da entrevista e, ao final, diz que Lula é “moralmente frouxo”, que “as decisões da LJ devem ser cumpridas”, que tem “pena da Gleisi”, além de associar o PT a um monte de coisa errada da vida política (o discurso dos golpistas, frise-se), como se fosse possível governar sem apoio no Congresso com a espada do PMDB no pescoço. A verdade é que ele adotou uma postura equivocada. Do ano passado pra cá, passou a atacar quem o tinha como um aliado. Faltou inteligência, na minha opinião. O PT não precisa dele, mas sim ele do PT. Um detalhe, não abordado antes, que acho de grande relevância: Ciro é um prato cheio para receber porrada. Não se iluda. Na campanha, dirão que ele é machista (vide episódio de Patrícia e de Marina – o lance do testosterona), violento/destemperado (vide episódio em frente a casa do irmão dele, Cid), que é contrário às autoridades (vide entrevista em que diz que receberia Moro à bala)… Em suma, ele perderá voto de evangélicos, feministas, moralistas (em sua maioria classe média) e outros importantes grupos de eleitores. Eu tenho pra mim que ele não ganha nem com apoio ds Lula. Essa transferência não será assim automática, como algums acreditam. Ciro, para mim, é inviável. Infelizmente, essa é a realidade pra mim. Ele jogou fora a mínima chance que tinha, ao errar na mão com Lula e o PT.

      Responder

    Ruan

    13 de maio de 2018 às 19h22

    Sabe o que eu não entendo? Por que fazer qualquer crítica ao Lula/PT automaticamente rescinde a carteirinha de esquerdista da pessoa? O Lula é UM player, mas é tratado como se fosse Deus (perfeito, não pode ser criticado, soberano). O Ciro criticou o que deve ser criticado no PT, mas o próprio partido se recusa a fazer essa autocrítica. Parece uma pessoa segurando uma panela quente nas mãos falando que “não está doendo”, “não esta queimando”, quando todo mundo vê que as mãos estão vermelhas e pele já até grudou no metal.

    Responder

Alan

13 de maio de 2018 às 13h47

Seja livre para defender seu candidato, não nos forçe a abandonar os nossos! Não nos ofenda com o termo “esquerda difusa”, vc é que parece incoerente. A defesa de Lula é a defesa do PT. A cabeça de chapa é do PT. Outra coisa é capitulação e aceitação de cabeça baixa de tudo o que passamos. Coerência requer coragem e honestidade. Claro que as decisões cabem ao Lula e ao PT. Lembrar que tem um cara preso lá em Curitiba mofando por nós.

Responder

    Miguel do Rosário

    13 de maio de 2018 às 15h31

    Não forço ninguém. Quem sou para fazer isso? Estou apenas dando minha opinião e trazendo alguns fatos históricos.

    Responder

    Andre

    13 de maio de 2018 às 16h53

    Seu candidato que é o meu está preso, e não poderá nos ajudar quando o neoliberalismo acabar com nosso país. Deste jeito o PT está trabalhando para o Alckmin, Marina e pior o Bolsonaro.. CIRO 2017

    Responder

      Andre

      14 de maio de 2018 às 08h14

      Que conversa mais fiada!!
      Me engana que eu gosto….

      Ciro vai se aliar a direita e fazer tudo o que você teme – quanta ingenuidade!

      Responder

Everton

13 de maio de 2018 às 13h45

Já posso ver o futuro, tal qual o passado: Não tem fundamento as acusações contra Lula… Não tem fundamento as acusações das pedaladas
Não vai ter julgamento contra Lula pela lava jato… Não vai ter comissao de impeachment
Não vai ter prisão do Lula…. Não vai ter golpe…
Não vai ter eleição sem lula candidato… Não vai ter reforma trabalhista
Daqui a pouco teremos um Bolsonaro ou Alckmin na presidência. Parabéns a militância cega que não joga o xadrez e vive acreditando na legalidade, na impessoalidade, na denúncia aos órgãos internacionais… Esperando o salvador estrangeiro agora. Claro que tem que defender Lula, tem que denunciar a ilegalidade dos fatos. Mas é sério que vão seguir gritando na internet enquanto o país se afunda e está cada vez mais provável o governo mais de direita desde as diretas já? Esse ufanismo impede de raciocinar que as cartas já estão marcadas e insistir em lula presidente é pedir pra ser anulada a candidatura depois das eleições e declarar vencedor o segundo colocado? Ciro ainda é o nome mais viável entre os contrários a declaração de falência e entrega do país. Enquanto base aliada, a função de fiscalizar os atos e cobrar a postura seria a bancada legislativa. Ninguém está preocupando com isso, vai acabar saindo um congresso ainda pior, mais fisiológico, formado por ’empresarios’ e lobistas sanguessugas, enquanto o país segue afundando com a militância gritando que não vai ter golpe. Só consigo pensar que é jogo de cena, senão estamos perdidos mesmo.

Responder

    Cézar R M Lopes

    13 de maio de 2018 às 16h40

    A militância mais radical do PT quer ver a direitona no poder mesmo, para quem sabe em 2022, voltar por cima da carne seca. Só que até 2022, não haverá mais país para governar.

    Responder

      José

      13 de maio de 2018 às 18h30

      Pois que tal Ciro retirar sua candidatura e apoiar o PT? Porque o partido irá lançar um nome, pode acreditar. Ah já sei, porque sem votos de petistas Ciro não chega ao segundo turno, não é mesmo? Parem de hipocrisia, e cuidem da campanha do candidato de vcs, que o PT não tem nada com isso.

      Responder

      Andre2110

      13 de maio de 2018 às 19h25

      Vejamos, a direita governou por 500 anos e o pais continua aí, para de falácia!
      Só engana bobos e adolescentes com este papo furado.

      Responder

Gilberto

13 de maio de 2018 às 13h44

COMENTÁRIO
A união da esquerda é claramente essencial nesse momento. Não é possível, contudo, deixar de ter dúvidas sobre a região do espectro político em que se coloca a candidatura de Ciro Gomes. Ciro foi convidado por um think-tank de direita do RS para apresentar-se juntamente com outros candidatos identificados com projetos político-econômicos dos setores responsáveis pelo golpe de 2016. Nessa semana, teve-se a notícia de uma possível aproximação do DEM e PP com a candidatura de Ciro. Aparentemente, Laura Carvalho, Nelson Marconi e Mangabeira Unger (grosso modo, desenvolvimentistas, pro-mercado interno e reindustrialização) foram substituídos na formulação do “programa” de Ciro por Benevides (seu administrador financeiro de longa data) que começou falando em privatizações. Ciro manifesta um certo descaso por partidos, movimentos sociais e mobilização popular. É claro que em um segundo turno o campo progressista pode vir a apoiar Ciro face a outros candidatos. Mas porque (no caso de se confirmar a impossibilidade de Lula se candidatar) não lançar um candidato de uma frente de esquerda (compreendendo PT, PSOL, PCdoB e outros partidos menores) para defender um programa de recuperação democrática, econômica, de direitos sociais e de soberania nacional? Por exemplo, uma chapa Boulos-Haddad, ou vice-versa, ou uma outra que venha a serapoiada por Lula. Uma chapa assim constituída poderia conectar-se aos inegáveis avanços dos governos progressistas, sem estar manietada por perspectivas partidárias estreitas, e enfrentar as narrativas enganadoras tão eficientemente trabalhada pela midia corporativa (coisas que creio que o Ciro jamais faria); poderia ainda dar a devida atenção às eleições para o Legislativo. Quanto aos riscos eleitorais, se tivermos um única candidatura de esquerda, considerando a de Ciro como centrista, a situação em que nenhuma das duas chega ao segundo turno corresponderia aos votos de direita serem majoritários no primeiro turno – nesse caso, seria mesmo muito improvável que a direita perdesse no segundo turno. Assim procedendo, teríamos a possibilidade de realmente politizar a campanha e motivar os militantes, sem aumentar significativamente a chance de não ter sequer um candidato de centro no segundo turno.

Responder

    Cézar R M Lopes

    13 de maio de 2018 às 16h45

    Não existe nada de sério quanto a adesão do DEM ao Ciro, nadica de nada. E se tivesse? Não foi o PT que fez alianças com PP, PMDB e Maluf? Isso retirou o PT do campo progressista? Claro que se essa adesão fosse séria, seria um fator de risco, de repetir os mesmos erros do passado. Ocorre, porém, que se o PT, o maior partido progressista, não está afim de apoiar o Ciro, haverá espaço para essas alianças esdrúxulas.

    Responder

    Ruan

    13 de maio de 2018 às 19h29

    O quão grande você acha que os movimentos sociais são? Porque assim, fora da esquerda, o que eu mais vejo é antipatia ao MST, antipatia ao “comunismo”, ao “esquerdismo”, e nem toda essa galera é ‘coxinha’/’fascista’. Muita gente nem liga pra política, mas tem antipatia sem nem saber porque. Mas, como sempre, os intelectuais de esquerda acham que o mundo pensa como eles, que o cara favelado tá mais preocupado com a reforma agrária e a representatividade transquilombola do que com o posto de saúde que só funciona 2 vezes por semana perto da casa dele. Gostaria de uma estimativa numérica: quantos votos os “movimentos sociais” trazem? 5 milhões? 10 milhões? 54 milhões?

    Responder

Marcelo abb

13 de maio de 2018 às 13h33

Miguel,

Que texto irretocável. Eu mesmo estava redigindo algo parecido, para publicar em algum blog.

Não consigo entender a mente de petista ferrenho de 2018, e olhe que eu sou um bravo defensor do lula, e longevo militante e eleitor do PT. Talvez por conta do afã de vociferar contra o golpe e denunciar a prisão injusta de lula, os petistas estão confundindo os conceitos e esquecendo de olhar as situações com mais profundidade. Vejamos os argumentos:

– Ciro privatista.

Como assim, Ciro a favor de privatizações ? Um cara que defende a Petrobrás, denúncia o absurdo de vender a Eletrobras e já disse claramente em alto e bom Tom que vai recomprar todos os campos de petróleo vendidos depois do golpe. Esse cara é mesmo privatista?
Peço encarecidamente que algum colega petista possa explicar este argumento com fatos e dados, por favor.

– Ciro de direita.

De direita? Por que? Por que passou por muitas legendas que HOJE são consideradas de direita? Chamá-lo de direita é tão absurdo quanto ver os eleitores de Bolsonaro chamando o PSDB de partido de esquerda.
Como bem explicou o seu texto, Miguel, todas as legendas da qual Ciro participou eram na verdade de esquerda à época. Quem aqui não se entusiasmou na década de 90 com a social-democracia inspirada nos países europeus do PSDB? Quem aqui não apoiou o MDB, quando este combatia a ditadura?
Este, na minha opinião, é mais um argumento chulo, que não guarda qualquer fidelidade com a história.

– Ciro critica o PT, Lula e Dilma.

Sinceramente, este argumento mais parece aquelas brigas de criança do tipo “você xingou a minha mãe!”. Alguém já parou para ler e ouvir quais críticas o Ciro faz ao PT? Por que ele não pode criticar? Só por que o PT sofreu um golpe de estado não merece críticas? Só por que nós somos eleitores petistas vamos defender e dizer amém para tudo que o partido faz? Isto se chama bolsonarização da política. É enxergar a política com olhar de torcedor apaixonado de futebol.
Alguém aqui concordou com as alianças feitas com o PMDB? Alguém aqui concordou com Michel Temer de vice da Dilma? Alguém aqui concordou com o mensalão? Alguém aqui concordou com Furnas sendo entregada para o Al Capone do Eduardo Cunha? Alguém aqui concordou com Henrique Meirelles e Joaquim Levy comandando a nossa economia? Não é porque gostamos de alguém que não podemos critica-lo. Ciro Gomes crítica essas coisas, por que demoniza-lo? Mesmo sendo petista, eu também crítico tudo isto, e não é de hoje. O PT fez excelentes governos, especialmente na gestão do lula, mas não enfrentou questões seríssimas, como a reforma tributaria, por exemplo. Alguém aqui acha justo o nosso sistema tributário, regressivo do jeito que é? Que cobra mais de quem tem menos…? O PT nada fez para melhorar isso. Não merece críticas? Vamos bater palmas só por que é o PT? A tal reforma política, o PT também nada fez a respeito. E por aí vai… Mais uma vez, fica nítido que este é mais um argumento chulo e sem fundamentos.

– Programa econômico de Ciro é de direita.

Já falei nos tópicos anteriores, mas não custa reforçar. Um candidato que combate a farra dos juros dos bancos, que aparece em sites de investidores, como o Infomoney, por exemplo, como uma “ameaça ao mercado”, que fala de taxação de grandes fortunas e tributação de lucros e dividendos, que fala de reforma tributária progressiva, que fala de industrialização e soberania, que fala de recomprar campos de petróleo vendidos, que fala de defender estatais como a Petrobrás, BB e Eletrobras, que fala de aumentar imposto sobre herança, que fala de reforma agraria, etc…
É este candidato que tem programa de direita? É sério isso?
Queriam o que? Que ele estivesse falando de luta armada, anarquia, estatização de empresas privadas? Queriam que ele estivesse com uma boina militar, charuto cubano e falando de revolução?
Pior ainda é constatar que tudo isto vem de petistas.
Amigos petistas ferrenhos de 2018, vamos analisar o governo do pt, sob a ótica econômica?
Qual foi o governo mais neoliberal da história desse país? O governo o lula, que seguiu a risca o tripé macroeconômico de FHC. Fez ajustes até quando não precisava, quando tinha margem para não fazer. A única diferença foi que no seu governo não tiveram privatizações. Fora isso, foi estritamente a mesma política. Banqueiros enchendo o bicho de dinheiro, como nunca encheram antes! O bolsa família e o aumento do salário mínimo que foram os grandes trunfos do seu governo, que contribuiu muito para a redução da desigualdade e melhora dos indicadores econômicos, como o índice de Gini, por exemplo, que mede a desigualdade de renda.
E o que falar do governo Dilma? Poucas vezes vi um estelionato eleitoral tão grande? Votei em um projeto econômico e fui presenteado com o exato oposto. Desonerações, bolsa empresário, ajuste fiscal, e nada da economia decolar. Deu no que deu.
Amigos, mais uma vez, clamo para que façamos uma auto crítica e avaliemos essas questões de forma imparcial, presencialmente nos atendo aos fatos e dados.

– Ciro é contra a regulação da mídia.

Ok. Ponto para este argumento. De fato não gosto deste posicionamento do Ciro. Mas, quem é o PT para falar disso? 13 anos no poder e nunca fizeram NADA. A Globo continuou nadando de braçada, sonegando, mentindo, etc. Aceito qualquer um utilizar este argumento, mas nunca um petista ferrenho de 2018.

– Ciro Gomes defensor da lava jato.

Como é que é? Ciro Gomes chama o impeachment de golpe, isso já quer dizer muita coisa. Denunciou lá atrás o golpe de estado que a Dilma sofreu. Ciro Gomes crítica os abusos cometidos pela força tarefa da lava jato. Crítica ferozmente o Sérgio moro e fala que a sua sentença no processo do lula foi injusta. Ciro Gomes se expõe ao ponto de falar que receberia a turma do moro à bala, é que sequestraria o lula para abriga-lo em uma embaixada. É este cara que defende a lava jato? É sério mesmo, amigos petistas ferrenhos de 2018?
Agora, se para criticar a lava jato vocês acham que temos que aplaudir tudo de errado que o PT cometeu, isto Ciro Gomes não faz. Ou vocês foram a favor de toda a roubalheira? O Palocci é réu confesso, pelo amor de Deus. Como vocês tem a coragem de defender? Eu até defendo, quando estou em todas de conversa com coxinhas reacionários, mas mais para fazer um contraponto, mas por dentro eu torço para que todos paguem pelo que fizeram, e que sejam julgados de forma imparcial e honesta.

– Ciro Gomes não estava em SBC com o Lula na véspera da prisão.

Alguém aqui esperava por isso? Quando saiu a ordem de prisão, Ciro tinha acabado de chegar em Harvard para um compromisso. Adivinha quem estava lá com ele e também não foi para as trincheiras? O Alexandre Padilha, vice presidente do PT. Por que não chama ele de traidor também?
Acontece que se Ciro tivesse ido, o chamariam de oportunista, como não foi, o chamam de traidor. O seu irmão, Cid Gomes, foi para a luta, sabiam?

– Ciro Gomes flertando com partidos que apoiaram o golpe, como PP e PSB.

Ué? E o Lula abraçando o Renan Calheiros depois do golpe? Isso pode? E o PT apoiando o Eunício no ceará, pode? E as alianças escusas que o Lula fez com o PMDB, aí pode? E quando o lula se aliou a Sarney, Maluf, Collor, temer… Isso pode?
O jogo da política é esse, meus amigos. Até entendo um eleitor do PSOL vir criticar isto, mas eleitor do PT? Eu, por exemplo, sempre detestei esse tipo de coisa, mas sei que é do jogo. Se não fizer isso não se elege e nem governa.

Amigos, o que quero que vocês entendam é que as eleições de 2018 guardam uma particularidade monstruosa e assustadora. Temos a chance de ver um segundo turno entre dois candidatos de direita, por conta da hiper fragmentação da esquerda. É isso que vocês querem?
Voces pode. Até achar que Ciro Gomes não faz a típica figura do operário bonachão, barbudo, que veio do povo, a figura clássica do sindicalista, mas não podem negar que as suas ideias são sim do campo progressista, algumas inclusive sendo mais de esquerda do que as do próprio PT. Por que não nos unirmos? Por que não apoiar este candidato, que pode unificar o país, que pode acalmar os ânimos da esquerda, do setor produtivo,da direita esclarecida… Um candidato que não tem envolvimento direto com o PT, portanto não sofrerá os ataques midiáticos que o PT sofre, e terá um pouco mais de paz para governar.
Vocês querem estar do lado de quem? Só do Lula ou dos 15 milhões de desempregados que estão aí lutando para sobreviver e alimentar as suas famílias?
Não confundam lulismo com esquerdismo, pessoal!!
A única saída do nosso país é a união das esquerdas, e hoje só consigo enxergar Ciro Gomes com condições de vencer este pleito.
Vocês preferem ver um segundo turno entre Alckmin e Bolsonaro?

Abraços e rezo para que vocês se iluminem e enxerguem a situação com a devida importância que ela merece.

Responder

    Marcelo abb

    13 de maio de 2018 às 13h36

    Perdoem os erros de digitação. Estou no celular.

    Responder

    Ruan

    13 de maio de 2018 às 19h33

    Perfeito, Marcelo! Os petistas de 2018, como vc chama, parecem uma criança que enquanto você fala com ela tapa os ouvidos e fica gritando “lalalalalallalala”

    Responder

    Gui

    13 de maio de 2018 às 23h04

    Texto bom, comentário idem! Assino embaixo

    Responder

    Andre

    14 de maio de 2018 às 08h17

    Mais um ingênuo!!

    Se não vai sofrer ataques midiáticos – como você afirma – é porque vai fazer um governo neoliberal, com privatizações, reforma da previdência, e arrochos generalizados.

    Responder

Joao

13 de maio de 2018 às 13h26

Legal essa investigação dos motivos das mudanças de partido de Ciro. O único erro foi dizer que as chances de Lula ser candidato são absolutamente zero. Pelo que eu li, ele pode ser candidato normalmente, até que se esgotem todos os recursos. E quando ele ganhar, os golpistas ficarão totalmente desmoralizados. Vão dar a posse pro Bolsonaro!? Também foi estranho dizer “temos que nos unir no segundo turno, ou talvez já no primeiro”. Absurdo hein… Sem união no primeiro turno (sem Lula) teremos Bolsonaro e Marina no segundo. A união TEM que ser no primeiro turno (sem Lula). Abraço.

Responder

    Andre

    13 de maio de 2018 às 16h56

    E vc ainda tem dúvidas que os recursos irão se esgotar? Acorda pelo amor de DEUS. O PT QUER QUE BRASIL SE EXPLODA PARA VOLTAR EM 22. MAS MINHA FAMÍLIA E SUA E DE TODOS OS TRABALHAFORES IRÃO SOFRER . FICAREMOS SEM NADA!

    Responder

      Andre2110

      13 de maio de 2018 às 19h29

      que apelação em!

      vejamos, continuamos vivos apesar da ditadura, do sarney, do fhc, …, não se preocupem, assim como o bug do milênio não existiu, o fim do mundo não vai acontecer se perdermos uma eleição;

      Depois, Lula vai indicar alguém do PT e este estará no segundo turno;
      aposto que Ciro estoura nos primeiros debates e não chega nem em terceiro.
      Pode apostar!

      Responder

giorgio xenofonte

13 de maio de 2018 às 12h57

Miguel, Miguel, Ciro não é de esquerda, nunca foi.
O programa dele não é de esquerda, nunca foi.
Ele vai fazer o que der na telha dele, sempre foi assim.
Digo e repito: só voto em Ciro em último caso, pq é o limite da tolerância para não ganhar um bolsonaro ou alckmin da vida…
Pergunta pra professor cearense o quanto é bom ser governado por Ciro :)

Responder

    Miguel do Rosário

    13 de maio de 2018 às 15h33

    giorgio, o programa de Ciro é sim de esquerda. aliás é melhor que isso: além de esquerda, é industrializando, nacionalista. Está bem à esquerda do PT, na minha humilde opinião.

    Responder

      Andre2110

      13 de maio de 2018 às 19h31

      A esquerda do PT com vice do PP que defende almoço de 15minutos???

      Responder

Francisco de Assis

13 de maio de 2018 às 12h52

Matéria no Cafezinho às 04:36 de um domingo, fazendo campanha pra Ciro Gomes. Uau! O neo-coronel, pelo jeito, exige disciplina e trabalho duro, não só palavreado. E, falando com conhecimento de causa, até censura aos “bugios” (vejam só o nível da truculência!) que venham criticar a campanha.

Na defesa do seu trabalho, Miguel continua dizendo (v. resposta à Raquel) que seu candidato “considera a condenação de Lula injusta.” Não manipula os leitores, Miguel. Já disse aqui, outras vezes: você sabe que essa conversa nova de Ciro só apareceu na véspera da condenação de Lula em segunda instância, pelo TRF-4, quando todo mundo já sabia o resultado comprado. Até essa data, a conversa de Ciro era outra, atacando Lula das formas mais escrotas possíveis, e fornecendo, assim, vasta munição aos lavajateiros racistas de Curitiba para fazerem o serviço sujo de condenação de Lula até a segunda instância, que era o que Ciro desejava – passar por cima de Lula, excluindo-o da eleição.

E vê se não me censura de novo: fica feio apoiar seu candidato usando desses meios.

Responder

    Miguel do Rosário

    13 de maio de 2018 às 15h35

    Francisco, não vou lhe censurar. E o que tem de errado em trabalhar? Que campanha para Ciro Gomes? Estou fazendo campanha por uma solução racional, para derrotar o golpe!

    Responder

      Francisco de Assis

      13 de maio de 2018 às 16h34

      Bom que não me censure mais, mas o fato é que, ontem, sofri uma censura por aqui. Nada contra seu trabalho, apenas ironizei os horários de publicação, a meu ver incomuns no site. Agora, sobre fazer campanha para Ciro, aí não, né Miguel? Segue meu respeito e admiração pelo seu trabalho, sobre o qual estou tendo essa (importante) discordância, que tem a ver com o futuro do nosso país e do nosso povo.

      Um grande abraço.

      Responder

      Sandro

      13 de maio de 2018 às 16h42

      Incrível a mente humana perseguidora e inquisidora. Cuide da sua vida companheiro!

      Responder

    Andre

    13 de maio de 2018 às 16h59

    E vc está fazendo campanha para o Alckmin, Marina e Bolsonaro!

    Responder

    Celia Regina

    13 de maio de 2018 às 17h37

    Sinto-me contemplada na sua fala: obrigada!

    Responder

Airton

13 de maio de 2018 às 12h44

Miguel, tenho a mesma percepção que você. Texto esclarecedor, parabéns

Responder

iranbayma

13 de maio de 2018 às 12h17

Ciro não se posicionou quanto à criminosa condenação de Lula. Justamente porque não quer se “contaminar”. Reflete a fragmentação de uma esquerda que se esfacela pela vaidade pessoal de seus membros. Tenho uma curiosidade : Ciro se eleito vai meter o rabo entre as pernas e dizer que está tudo bem e o Brasil é o melhor dos mundos possíveis (uma democracia) ou vai mandar prender Sérgio Moro? Voto nele se ele confirmar a segunda parte do meu questionamento.

Responder

Ricardo

13 de maio de 2018 às 12h14

O PT e o Lula não aceitam outra coisa que não seja o protagonismo eleitoral. A direção do Partido não quer que haja divisão da esquerda e não admite o fato de que Lula está fora do jogo político em 2018. Para o PT, Lula é o astro rei onde orbitam o demais partidos nanicos que precisam das benesses granjeadas pelo Lula aos seus súditos desde a fundação da seita nos primórdios. Felizmente a arrogância irá quebrar as pernas dessa grei. O Ciro e o PDT tem que navegar sozinhos para assumir uma nova liderança de esquerda não aliada à antiga malta corrupta. Siga em frente Ciro o Brasil te apoia, como apoiava o Eduardo Campos subitamente abatido em voo por “Forças Ocultas”.

Responder

Dio

13 de maio de 2018 às 11h59

Ciro gomes é vacilante enquanto não declarar guerra a mídia oligárquica.
Falar mal dos desmandos de instituições estatais vassalas apodrecidas como o judiciário é fácil.
Quero ver ciro enfrentar os marinhos.
O controle remoto, muito criticado aqui quando de dilma, parece não ter nenhuma importância nas mãos de ciro.

Responder

    Miguel do Rosário

    13 de maio de 2018 às 15h37

    talvez, mas aí ninguém pode falar nada né.

    Responder

      Dio

      13 de maio de 2018 às 16h12

      Não só pode falar como deve.
      O controle remoto, deixar a elite com a mídia controlar toda a política nacional, foi o que nos trouxe a esse estado de coisas.
      O PT ao não enfrentar a globo sofreu o golpe.
      Agora Lula está na frente mesmo sendo o alvo dessa mídia.
      O voto em Lula é o voto antiglobo, antigolpe.
      E, olha que surpresa, o voto em Bolsonaro é tb antiglobo.
      E ciro, neste momento, não se identifica como uma candidatura antiglobo, pelo contrário, parece querer uma convivência pacífica.
      Só que isso não é mais possível.
      Sofremos um golpe, não exite mais pacto possível.
      Ciro pra receber os votos lulistas vai ter que mostrar disposição de assumir sua essa briga.
      E se ficar repetindo os erros do pt e não destruir esse maldito controle remoto, não vai passar na com reza braba.

      Responder

        Miguel do Rosário

        13 de maio de 2018 às 16h16

        Dio, em recente entrevista, Ciro disse que “o jornalismo da Globo é deplorável”, e tem falado sobre outras ideias referentes a comunicação.

        Responder

      Dio

      13 de maio de 2018 às 19h48

      Aí que tá, Miguel, dizer que o jornalismo da globo é deplorável, bolsonaro diz, todos os candidatos de esquerda dizem, até temer diz, somente os tucanos que não, por razões óbvias.
      Agora, apontá-los como golpistas e chamá-los pra briga, são outros quinhentos.
      O pt foi chamado e não está recuando.
      Já ciro…
      É uma incógnita.
      Aliás, não.
      É o controle remoto de Dilma.
      O candidato de lula não precisa apresentar programa de governo pra ter votos pq todo mundo espera dele q faça de novo o q fez nos anos pt + o enfrentamento da mídia golpista.
      Ciro gomes está falhando em não mostrar disposição a esse enfrentamento.
      Enquanto não fizer isso, não vai inspirar confiança. E nem lula vai convencer os seus eleitores de votar no pedetista.
      Se ciro se comprometer, vai ser muito fácil conseguir a formação da aliança.
      A bola está com ciro, depende dele se vai comprar a briga da esquerda ou não.

      Responder

Atineli

13 de maio de 2018 às 11h52

Ciro é um abutre oportunista e quem explica e análisa com precisão esse falastrão é o Rui Costa Pimenta, o mais lúcido, brilhante e honesto analista político do Brasil. Ciro jamais conseguirá ser eleito pois é talentoso demais para dar tiro no próprio pé. Com sua metralhadora sempre afiada ñ tem tempo para refletir sobre sua avidez descarada. Tenho até dó de uma criatura assim ridícula e até acho ótimo isso estar acontecendo; vdd q se o Lula talvez tivesse ainda uma “carta Ciro” no bolso para uma emergência, ele certamente agora já sabe q ñ irá perder tempo com alguém assim inútil. Prefiro tambem o DE q só conheci recentemente depois da treta q tiveram com o Cafezinho. Pelo menos os caras tem a inteligência de defender o Brasil e o povo, e sabem q somente Lula poderá enfrentar o Golpe. “LULA é o POVO, e o POVO é LULA!”. Algumas coisas na vida são cristalinas, evidentes. MST, CUT, Lula e o POVO guerreiro agradece ao Cafezinho por limpar a área mostrando quem é quem. É LULA OU NADA ! É LULA OU LULA ! É LULA CONTRA O GOLPE ! 👑💥💣👍

Responder

    Atineli

    13 de maio de 2018 às 12h09

    ***agradecem

    Responder

    Miguel do Rosário

    13 de maio de 2018 às 15h38

    Atineli, menos né. O RUi é um cara legal, mas o PCO não tem 1 vereador. Não é exatamente um partido em quem devemos confiar as estrategias eleitorais.

    Responder

      Atineli

      13 de maio de 2018 às 19h57

      O Rui Costa Pimenta é uma luz nesse momento negro de trevas. O PCO está apoiando o Lula pq compreendem q sem Lula a esquerda vai desaparecer. O q precisamos é enfrentar o GOLPE e não legitima-lo através de uma eleição sem Lula q será certamente fraudulenta e ilegítima. Esse é o eixo central da questão. Quem ñ percebe isso ou é pq não quer ou é pq realmente ñ entendeu a posição do Brasil na geopolítica nacional e internacional.

      Responder

    Andre

    13 de maio de 2018 às 17h02

    ENTÃO SERA NADA!!! INCLUSIVE PRA VC E PRA SUA FAMÍLIA! ACORDA MEU FILHO!

    Responder

      Atineli

      13 de maio de 2018 às 19h46

      Acorda você rapaz ! Defender um direitista descarado e oportunista CIRO abutre só mostra o quanto alguns blogs ditos de esquerda são fracos, muito fracos. ACORDA RAPAZ !

      Responder

      Andre

      14 de maio de 2018 às 08h20

      Sou de esquerda desde pequenininho, vivi a ditadura e vários governos de direita, minha família continua aqui, eu continuo aqui, este discurso seu é fajuto. O mundo não vai acabar se perdermos uma eleição, o que vai acabar por um tempo é a boquinha de alguns poucos que querem vencer a qualquer custo para garantir uma diretoria, um benefício aqui e outro ali. Estão apoiando o coronel ciro pelo simples motivo de quererem manter boquinhas, deixando de lado lutas históricas. Aceitam o que diz a turma da economia do ciro, que deixaram claro que vão fazer a reforma da previdência e privatizações…

      Responder

        Miguel do Rosário

        14 de maio de 2018 às 15h16

        Andre, não se trate como o único cara de esquerda que presta no mundo, e todos os outros que não pensam como você, o fazem para se “vender” por boquinhas. Isso é envenenar o debate, não é correto, e não faz jus nem às virtudes que se espera de um militante de esquerda.

        Responder

João viana

13 de maio de 2018 às 11h50

É, pelo jeito, todos votando nulo, vamos ter que assistir Alkmin x Bolsonaro na final!

Responder

Fernando Carneiro

13 de maio de 2018 às 11h46

A hora que algum candidato dizer e provar que vai acabar com as aposentadorias vitalícias dos militares ganha o meu voto. O resto é conversa fiada.

Responder

João viana

13 de maio de 2018 às 11h42

Vamos todos anular o voto. No segundo turno vamos ter que escolher entre Alkmin e Bolsonaro. Será que é isso que a esquerda raivosa está querendo? Será que não chega a burrice de escolher Michel Temer para você de Dilma? Acorda, pessoal!

Responder

Silvio Nogueira

13 de maio de 2018 às 11h41

Belo texto bem elucidativo.
Comecei a entender agora pq mta gente por anos detestou o PT. Realmente tem gente dentro do partido de mentalidade pequena e nada progressista.

Responder

Beto Castro

13 de maio de 2018 às 11h40

Quem chama o Ciro Gomes de militante de esquerda chama urubu minha galinha. O cara é CEO do Benjamin Steinbruck. O PDT nunca foi um partido de esquerda, pois ser nacionalista não significa “esquerda”. Ciro é o mais preparado candidato à Presidente do Brasil com um “currículum vitae” acadêmico invejável. É um nacionalista no máximo beirando o centro já que o centro é um lugar inexistente da ficção como um ponto geométrico no espaço, segundo os preciosismo das ciências exatas. Tem projeto emancipador de Nação com forte presença do capital nacional com base nas ciências e tecnologias nacionais, mas sem xenofobismo anti-transnacionais e com a presença dos capitais estrangeiros produtivos. Sabe que sem as estatais brasileiras altamente capitalizadas o capitalismo independente brasileiro não tardio e colonial vai a falência. Lula é um nacionalista com maior profundidade focado na educação e no desenvolvimento de todas as regiões e um socialista capitalista democrático ao estilo escandinavo (Social-Wellfare-Tributarista) e inclusivo. Bem próximo do Ciro. Se não tivesse sido massacrado pelos fascistas midiáticos tucanos e temerários do Lawfare faria um dupla imbatível com Ciro para uma Nação Potência Portentosa. Sua admiração pelos esquerdistas de cobertura castristas, palestinos e bolivarianos é apenas um pantomima ou um erro de estratégia, mas compreensível no contraponto nacionalista. Na verdade o comunismo é uma ficção eufêmica para nacionalista como forma de guerra fria da globalização. O que existe mesmo são muitos comunistas e socialistas de cobertura pseudo-radicais na busca de uma boquinha remuneratória. Esses nunca passam de 1%, porque o Brasil é uma Nação de fazendeiros, industriais, comerciantes, serviçais e burocratas católicos dos estamentos superiores dos diversos entes federativos. E lógico, trabalhadores extenuados na busca de um vida melhor. Parem com este mito aloprado de esquerda, morto e enterrado desde a queda do muro de Berlim. O furo é mais embaixo. Tirando alguns aloprados alucinados gatos pingados através da leitura de Marx e Lenin, nunca houve comunistas no Brasil capazes de fazer cócegas nos magnatas. A perseguição sempre foi contra os nacionalistas em capitalização crescente sob a desculpa de combate ao comunismo de fancaria. Ascendeu a um bom salário, logo compra um carrão de grife e uma cobertura luxuosa e se sente como um barão. Rótulos e discursos vazios não levam a lugar nenhum. Somente à tortura e a mais sofrimento. Quem não se lembra dos guerrilheiros Gabeira, Zé Dirceu, Miriam Leitão, Dilma e outros miméticos em metamorfose de camuflagem. Como diria o saudoso Joãozinho Trinta: ” O povo gosta é de luxo. Quem gosta de miséria é intelectual” (de orelhas de livros, claro!).

Responder

Daniel Chaves

13 de maio de 2018 às 11h35

Duas coisas ficam evidentes nos comentários: Miguel do Rosário tem uma paciência invejável; a “militância” petista está completamente desnorteada.

O discurso é anacrônico e beira a esquizofrenia…o melhor presidente pra turma do “quanto pior melhor” seria o Bolsonaro, poderiam fazer o que sabem de melhor por quatro infindáveis anos: ladrar!

Responder

    Sandro

    13 de maio de 2018 às 16h43

    Daniel, e como ladram!!!!

    Responder

Andr

13 de maio de 2018 às 11h19

Estou dizendo faz tempo: A esquerda vai entregar de mão beijada essa eleição ao Alckmin.

Responder

Jaciara Siqueira Coelho

13 de maio de 2018 às 11h18

novamente uma ótima avaliação. Não temos tempo, dado o calor das disputas, refletir sobre o que é ser esquerda, o que é um governo de esquerda. Tenho grandes dúvidas para nomear o governo Lula, o mais próximo seria um populista, mas como esse nome tem conotações muito depreciativas, prefiro continuar na dúvida, mas com certeza, nunca foi um governo de esquerda. Continuo preocupada com as declarações dos generais aposentados e sem dúvida não temos acesso aos bastidores. A política internacional está diretamente envolvida nesta eleição. Não classificaria Ciro como um homem de esquerda, como também Lula não o é. Ciro até tenta dizer de sua proximidade, Lula sempre negou, por isso não podemos acusá-lo de demagógico. Na atual conjuntura, se desse segundo turno Alckmin x Bolsonaro, o que faríamos?

Responder

    Ruan

    13 de maio de 2018 às 19h39

    Se for obrigado a votar em Alckmin ou Bozonaro, voto no segundo. Se é pra afundar o Brasil vamos afundar direito.

    Responder

José Ricardo Romero

13 de maio de 2018 às 11h07

Ha duas eleições atrás, na França, a esquerda fez aquilo que ela sabe fazer melhor, é a própria síndrome da esquerda: dividiu-se. Tinha 9 candidatos da esquerda, um de centro e outro da extrema direita. Estes passaram para o 2º turno e aí foi aquela correria, todo mundo se unindo para votar no centro e impedir a extrema direita de se eleger. A esquerda não aprende com a história. O pt e Lula não podem impor a sua candidatura (que tem todo o direito de tentar) impedindo a candidatura de outros nomes da esquerda. E, sim, não há a menor possibilidade do nome do Lula estar nas urnas. E aí fica como? Qualquer voluntarismo burro do pt poderá custar uma vitória consagradora da direita que significa validar o golpe. Ficará claro, então (mas aí será tarde), que os culpados são o Lula, o pt e estes petistas esquisitões que se transformaram em fofoqueiros para impedir o que quer que seja diferente do Lula. Será o fim inglório e a execração pública do Lula e do pt. O que eles querem mesmo é fazer marketing de suas próprias candidaturas à custa deste auê todo com o nome do Lula.

Responder

De Suásticas e Outros Viralatismos

13 de maio de 2018 às 11h04

Olhando a foto ( a não ser que tenha boa memória, sem olhar )
– Hairr Chefe! ( de mão levantada )
– Nada disso camarada, aqui você tem um trabalhador vermelho, colhões roxo mas, paz e amor.
Mais ao canto da sala…
– O Dilma… ele veio de Pomerode ou de Frankfurt ?
– Não, veio dos USA, da escola de Chicago.
Lula botou o chapéu de couro na boca e…
– Tô cagando!
Enquanto isso na RBS aquelas imagens feitas com um helicóptero de uma suástica
desenhada com azulejos no fundo de uma piscina.
Passados anos aquele foguetório!…
Pesquisem na internet… O cara dono da Havan soltou 20 minutos de foguetes
na condenação do Lula, em Brusque SC.

Responder

Cristina Borges

13 de maio de 2018 às 11h03

Ciro não é opção nem do ponto de vista quantitativo, não ultrapassa a marca dos 5%, do politico está fora de cogitação.

Responder

    Miguel do Rosário

    13 de maio de 2018 às 16h05

    ciro tem 9% no datafolha e 15% no nordeste.

    Responder

    Andre

    14 de maio de 2018 às 08h23

    Esta turma quer insistir com um nome de direita – Ciro, com dna tucano, que vai se aliar ao pp, ptb, pros, dem, e toda esta turma de direita para fazer um governo de direita; sendo que vai se “dizer” de esquerda e queimar nosso futuro.
    Alguns apoiam Ciro por completo desconhecimento, outros por ingenuidade, e muitos blogueiros por interesses.

    Responder

      Miguel do Rosário

      14 de maio de 2018 às 15h13

      Ciro não é de direita. E não se debate desqualificando quem pensa diferente.

      Responder

CARLOS ALBERTO VIEIRA

13 de maio de 2018 às 10h57

O ideal seria o senhor Miguel do Rosário estampar no seu blog um foto explícita da hiena do nordeste Ciro Gomes com a frase apoiamos Ciro e deixamos o Lula na geladeira a mercê da masmorra de Curitiba, o PT não tem que se coligar ao Ciro mesmo porque ele é um oportunista discabido de confiança, falta humildade e coragem para o coronel Ciro para defender o Lula, ao mesmo tempo sobra coragem do PT para não apostar numa candidatura tão tranvestida de direita, #LulaouNada

Responder

    Miguel do Rosário

    13 de maio de 2018 às 16h00

    ah, não força a barra, carlos. ciro defende o lula. vota em lula desde 1989. não é lula ou nada. é lula ou quem ele indicar, certo?

    Responder

      CARLOS ALBERTO VIEIRA

      13 de maio de 2018 às 22h18

      Já pensou Miguel Lula indicar o Lula e nos debate ele começar a dar chilique falando mal do Lula, Dilma e o PT? Como sabemos ele é desequilibrado, e joga para a direita também, não faz uma defesa consistente contra a falsa a jato, e nem tão pouco a favor do injustiçado LULA…resumo da ópera se ele indicar o poste ou o Ciro, votarei no poste!

      Responder

    Cézar R M Lopes

    13 de maio de 2018 às 18h53

    Hiena do Nordeste? Meio preconceituoso, não?

    Responder

Carlos Cardoso

13 de maio de 2018 às 10h52

Uma lembrança da história política:
Ciro foi candidato e governador do Ceará pelas mãos de Tasso Jereissati (PSDB). Este último um dos artífices e sustentáculo do golpe de 2016 até hoje, parte ativa dos interesses das águas brasileiras.

Responder

    Miguel do Rosário

    13 de maio de 2018 às 16h02

    carlos, esse argumento não tem lógica nenhuma. lula e dilma foram aliados de quem apoiou o golpe e o sustenta. então não é por aí. ciro vota em lula desde 1989, contra o psdb, ponto.

    Responder

      Carlos Cardoso

      13 de maio de 2018 às 17h35

      Lógica?
      Sinto muito. É história.

      Responder

      João Lucas Trevisan Alves

      13 de maio de 2018 às 19h19

      O lobão também votou no Lula e o Joaquim Barbosa também isso não quer dizer nada sua defesa é fraca, o PT se aliou com setores burgueses pelo pragmatismo não por afinidade ideológica

      Responder

Celso Orrico Filho

13 de maio de 2018 às 10h47

Miguel respeito sua decisão de apoiar o Ciro, já fui um admirador dele, mas acho prematuro descartar uma possível candidatura de Lula e ou de um puro sangue da esquerda..sou Nordestino e não confio no Ciro, nós daquela Região entendemos um pouco dos “coroneis” mesmo que tenha um discurso sofisticado..
Abraços

Responder

Marcos

13 de maio de 2018 às 10h26

Miguel, o PT jamais vai aceitar apoiar o Ciro. São tão cabeças duras, que preferem ver o Bolsonaro na presidência, do que o Ciro.

Responder

Ari

13 de maio de 2018 às 10h16

Como faz a grande mídia, ninguém se lembra do ator principal, o povo, as grandes massas. E esta é a força do Lula. Gleisi e o Vagner da CUT entenderam isto com clareza e a carta do Lula ratifica a posição deles.
Ou Lula ou nada! O PT tem a chance histórica de voltar a ser o grande partido de massas. Colocar-me a reboque dos ciros da vida seria trair nosso povo

Responder

    Miguel do Rosário

    13 de maio de 2018 às 16h03

    quem é “nada”, o que defende, quais as propostas? estou curioso.

    Responder

      ari

      13 de maio de 2018 às 18h04

      Nada significa que, no atual contexto e neste momento, a única opção é o Lula. Manuela e o Boulos?Brincadeira. Ciro? Como diz a Gleisi, nem com reza brava.

      Responder

      Atineli

      13 de maio de 2018 às 20h12

      O “nada” significa a resistência fortalecida contra o golpe, ou seja, a não validação do mesmo ! Qualquer um q seja eleito sem ter concorrido com o LULA será ilegítimo aos olhos do povo e toda a resistência ao golpe. É preciso desenhar? Ou vc q não é político tb só está interessado nas eleições q diga-se de passagem são sempre fraudulentas?

      Responder

      Andre

      14 de maio de 2018 às 08h41

      Miguel, nem rezando muitos Rosários, Ciro passa para o segundo turno;
      Nem a direita, nem a esquerda confiam nele; e isso é simples e evidente/transparente!

      A direita vai apostar em Alckmin, Marina e Ciro (principalmente se tiver o PP na vice e alckmin não decolar).
      A esquerda vai apostar em Lula/Amorim, Manoela, Boulos.

      Entenda, uma candidatura tem de ter uma origem clara – ou da esquerda ou da direita;
      candidaturas de centro não dão certo;
      desconheço pessoas que se dizem “de centro”, todos querem ter um posicionamento claro, ou de esquerda ou de direita.
      Ficar em cima do muro não rende votos!

      Me diga qual presidente se elegeu com uma plataforma de centro?
      Nenhum!!

      Color, FHC, representavam o capital, suas reformas neoliberais;
      Lula, Dilma, representavam o trabalhador, suas reformas em favor dos menos favorecidos.

      Depois de eleitos tiveram de fazer composições, mas a origem era clara e os resultados também!

      Ciro não representa nada, não tem estoque popular, não é de confiança, troca de partido a cada semana. Na economia, já deixou claro que vai de neoliberalismo, com privatizações, arrochos, reforma da previdência.

      Lamentável ver tantos blogs, ditos de “esquerda”, adotarem esta postura pelega. Abandonaram o barco da esquerda na primeira tempestade e se aliaram a centro-direita, usando claro, um discurso de fim de mundo…

      Responder

Curió

13 de maio de 2018 às 10h10

A direita não esmagará nada frangote. Argumentos infantis. As suas réplicas são risíveis. Se pelo menos não retrucasse assim aos tantos argumentos com fundamento como os da peregrinação partidária, do percentual de eleitores, do coroné ( voluntarismo )… Elementos irracionais nos eleitores do Lula que foram conquistados por décadas ? Você é capaz até de debochar e chamar de velinhas acesas na novena para o Lula, não ? Rapaz, você crê que o Ciro vence a eleição se colocarem a pá de caal no Lula ? Ah porque isso, ah porque aquilo, ah porque aqueloutro. E as indeterminações fenomenológicas ? Não reclama da Dilma porque ela estava sendo monitorada por USA ( inclusive o Lula ) e nem podia mexer a pestana quando fazia xixi, imagina mudar lei de mídia. Tentou, mas… O caminho do Brizola: Ciro já esteve acertando os ponteiros in USA. Recado do Ciro para a lava jato: limpem isso aí. Tudo sobre Ciro é fofoca: sobre o Lula não tem nada de irracional, nada de ódio, nada de fofoca! Ciro esteve apenas três anos na Arena, no auge do tesão dos 23 anos. Ah, só pensava em artista de novela para montar a égua da nação, o coroné, não, ainda era subtenente… Quando o Wagner dá uma de aloprado é coisa séria, quando a Hoffman age é teatrinho. Direção petista acuada ? Lulismo difuso… agressivo ?
Não existe acordo que só vá resolver o lado do Ciro que pode também perder até para o Bolsonazi!!!
Ciro não é de esquerda mas sim quer furar pelo centro.
Voltemos: teria sido, teria defendido… isso são argumentos melhores do que os do Moro ?
E o argumento desta frase acima, sublinhada mas, não pode ser cortada pela metade… deixando mostrar: se a verdade: ” Nós ( pt ) disputamos eleições e eles (psdb ) detectam que o povo não estava combinado com aquilo que eles fizeram com o governo. ” parêntesis aspas minhas. Isso que o Lula realmente falou e não foi sublinhado, o mais é lábia jeitosa.
Sobre vice da Fiesp e/ou na Fiesp deixa o novo malvadeza Ciro se estrebuchar…
E… A presidente do PT não merece que você lhe dê ordem, isso mesmo ordem, imperativo, sobre o que fazer. Mas finalmente o que você quer ( soltas as palavras estão lá! neurolingística querido ) mesmo é ” esquecer Lula ” porque é ” muito mais fácil “. Tá no texto!!! Com significado invertido ou negativo mas está!!! Abraços fraternos

Responder

Déborah

13 de maio de 2018 às 10h09

Fortalecer a esquerda com Ciro é uma piada sem graça. É Lula ou nada. Vc diz, no final do artigo, que não vamos abandonar o Lula. O arrogante Ciro o abandonou no momento mais difícil da sua vida. Nenhuma solidariedade, nenhum apoio e nenhuma manifestação humana e política a favor de Lula. O que Ciro fez para se aproximar dos movimentos sociais, durante os anos dos governos recentes da Dilma? Ele é sim um machista, prepotente e Coronel político. Não voto e nem farei campanha pro Ciro! Rosário gosto muito de seu blog, acho vc um jovem de talento, agora a essa ideia de “Ciro é a salvação”, está enchendo o saco! Aff! Tá feita a coisa! Lula livre! É Lula ou nada!

Responder

    Miguel do Rosário

    13 de maio de 2018 às 15h59

    que lula ou nada o que. é lula ou quem ele indicar, ou lula ou quem o povo decidir. lula ou nada é evidentemente um erro. “nada” não governa, não derrota o golpe, não impede bolsonarou o alckmin

    Responder

      Atineli

      13 de maio de 2018 às 20h25

      Sua postura é infantil Miguel, é vazia de conteúdo. Você não escuta ninguém e está completamente fechado num raciocínio paralisante. Peloamor, Ciro é fraco demais e ñ ver isso é impressionante. Lula certamente não indicaria Ciro pq tem quadros muito mais competentes dentro do PT ou quem sabe fora do PT. É patente q para Lula, Ciro com certeza é carta fora do baralho por questões óbvias q extrapolam essas eleições q por sinal nem sabemos se teremos de fato.

      Responder

João Lucas Trevisan Alves

13 de maio de 2018 às 10h08

Pra quem disse que levaria o Lula a uma embaixada depois dizer que Lula não é um.preso político é uma manobra vacilante a não ser que ele ache que pelo fato do julgamento do Lula ter passado pelas instituições do estado de direito confira alguma legitimidade a sua condenação, segundo criticar o PT pelas alianças com o PMDB pressupondo que o PT é corrupto ou dizendo muitas vezes de forma explícita que o PT colhe o que plantou é discurso da direita ou não acha, não se trata de humildade e sim ds fato e realidade, o PT é sim o maior partido de esquerda do Brasil e da América Latina, e não acho que apoiar um candidato seria se apequenar a é isso que quer dizer só digo que o PT não deve apoiar Ciro Gomes pois ele não demonstrou até agora compromisso com o campo popular, é vacilante e está claro que sua estratégia é a aniquilação do PT continuar para que possa obter votos de seus eleitores e eleitores do Lula ou você acha que o Ciro quer o Lula concorrendo às eleições? Criticar um suposto irracionaliamo do PT por não apoia lo é um.argumento meio irracional pedir para o PT abrir mão do protagonismo e o PT será o protagonista com candidato próprio ou apoiando outro, o PT fez alianças sim com setores da elite.porém quem hegemonizava a aliança era o PT é não a elite, não deve apoiar Ciro nem o PDT que não é mais o.PDT do Brizola,a Batalha Central é liberdade para Lula e Lula candidato, as elites já abriram mão do.pacto de 88, pressionar o PT para apoiar outro partido qualquee que seja é irracionalismo e criticar o PT por não ser revolucionário ou esquerdista é ridículo o PSTU e PSOL dizem estarem a esquerda do PT porém o primeiro apoiou o golpe e o segundo por diversas vezes vacilou na luta contra o golpe, o PT pode sim ser empurrado pra esquerda com a continuação do golpe e isso assuta a burguesia, portanto radicalizar agora é extremamente necessário, Ou Lula ou nada!

Responder

    Miguel do Rosário

    13 de maio de 2018 às 15h58

    joao, ciro disse que a sentença de moro e frágil e a condenação, injusta. é bem claro qto a isso. essa coisa de preso político é uma estratégia jurídica, pois lula ainda tem recursos em instâncias superiores, que podem ser revertidas.

    Responder

      João Lucas Trevisan Alves

      13 de maio de 2018 às 19h11

      Você sinceramente acredita que alguma instituição do judiciário irá libertar Lula assim sem mais nem menos? A liberdade do Lula será conquistada através de muita luta e muita mesmo., falar que a condenação é injusta é muito pouco pra quem supostamente está no campo popular e como você alega na centro esquerda Ciro não demonstra através de sua trajetória compromisso real com a esquerda compará lo a Lula é surreal, está claro para os petistas em geral que Ciro espera o ataque final ao PT para colher seus dividendos esse seu argumento de que o jogo acabou é absurda e é o mesmo argumento da direita que tiea Lula das pesquisas do noticiário e cobra a todo momento que o PT lance o plano b e abra mão de Lula, para que o partido cometa suicídio e fique de escanteio, e alguns quadros do PT bem intencionados ou não embarcam nessa, Lula deixou claro a alça do caixão dele tem mais votos que qualquer candidato não cobrem do PT um.posicionamento que não está à altura do partido e de sua história, Lula e o PT construíram sua relação com.o povo e nada veio de mão beijada isso não é triunfalismo ou você acha que um.Coronel regional como o Ciro tem a capacidade de liderança de Lula que fundou o.partido mais importante da história brasileira, não nos acusem dw sectarismo nem de divisionismo pois quem divide é quem tenta deixar o maior.líder da história numa.prisão e seguir o jogo e o script dos golpistas, quem.pode unificar não só o PT como o campo democrático popular é Lula e ninguém mais e quem realmente oferece perigo ao golpe é Lula por.isso está preso não por erros ou por própria culpa como diz Ciro.Gomes, se não fosse o triple seria o Instituto seriam as palestras ou seriam os pedalinhos, insisto o PT deve reafirmar seu compromisso histórico e levar até as últimas consequências a candidatura Lula forçar o judiciário a práticar outros golpes e ai sim decidir o que fazer que na minha opinião é chamar o voto nulo mas obviamente não cabe a mim decisão tão importante, seu argumento é o mesmo do célebre artigo Lula está morto, esqueçam no e toquem a vida, Lula livre candidato caso contrário a fraude será consumada e o golpe se intensificará ainda mais porque o Ciro não tem nem.lideranxa nem capacidade pra reverter nada do que foi feito, e seu consultor ja alertou que ira privatizar, essa é a candidatura que você pede pra esquerda apoiar, Ou Lula ou Nada!!

      Responder

Stalingrado

13 de maio de 2018 às 10h08

Em 1977, aos 17anos, eu militava no movimento estudantil e já sabia da diferença entre esquerda e direita. Jamais entrei na Arena ou no MDB. Participei desde o início da estruturação do PT.
Os erros de Ciro neste período podem ser perdoados. Quando o PSDB surgiu, o PT já estava estabelecido. De novo, quem entrou no PSDB o fez por uma opção de classe, senão teria entrado no PT.
Hoje temos um fato político que é a candidatura de Lula em contraposição ao Partido da Justiça e do Capital. Isso é uma resistência civil ao poder vigente.
Querer reduzir a luta política ao legalismo neste momento é desconhecer o embate político.
Retirar neste momento a candidatura de Lula é legitimar o PJC .
O imediatismo não educa a população. Fingir que Lula morreu ajuda ao PJC.
Se Ciro se acha no direito de concorrer, que o faça. Seria bom ele começar apresentando seu programa de governo, posto que, é dele, já que o atual partido dele está amarrado até a alna no golpe do PJC.
Quando for o momento, Lula é o PT anunciarão os próximos passos a partir da exclusão de seu nome da chapa pelo PJC, não antes, pois seria aprovar a farsa.

Responder

    Miguel do Rosário

    13 de maio de 2018 às 15h55

    stalin, as historias de cada um são diferentes.

    Responder

      Andre

      14 de maio de 2018 às 08h51

      mas as decisões não!

      elas refletem seu caráter.

      E Ciro sempre opta pelo caminho a direita, primeiro na arena, depois no psdb, e agora pela rejeição ao Lula e ao PT, e pela adoção CLARA de políticas neoliberais. Ou você não leu as posições dos futuros ministros da área econômica do coronel ciro?
      com privatizações, arrocho, reforma da previdência…

      Voto Lula/Amorim, voto Boulos, voto Manoela, jamais votarei em Ciro.
      Vale mais o voto nulo!

      Responder

Joabe Cavalcanti

13 de maio de 2018 às 09h29

Miguel, Eu penso que você está culpando a vítima com essa sua defesa de Ciro é ataque àqueles no PT que não aceitam uma aliança com ele. Você negligência os arroubos e as palavras ferinas de Ciro contra o PT e os petistas, bem como a conveniente mas reveladora dubiedade e ambivalência dele em relação à Lula. Ciro sempre se colocou em primeiro lugar, e a “ajuda” ao PT servia na verdade aos interesses pessoais dele. Por que você não reclama de Ciro já que foi ele quem criou esse clima de animosidade com os petistas. Por favor, pare de culpar a vítima!

Responder

    Miguel do Rosário

    13 de maio de 2018 às 15h56

    ora, mas acontece que acho exagero. há muito tempo que ciro não tem nenhum arroubo contra o PT. ele fez críticas, como todos fazemos a alguns pontos do governo petista, como a política economica de levy, etc.

    Responder

      Atineli

      13 de maio de 2018 às 20h34

      Você é um blogueiro e não um político. O q vc diz ñ tem o mesmo peso do q um Ciro diz. Peloamor, olha só o nivel da comparação. Miguel, essa fria mediática q vc se meteu ainda vai descascar a taça do Cafezinho.

      Responder

Averaldo Júnior

13 de maio de 2018 às 09h21

Que decepção, a dita mídia Progressista fazendo o jogo da DIREITA ELITISTA E IMUNDA. Caro Miguel , o Ciro é o seu candidato como também do Paulo Henrique Amorim mas, O CANDIDATO DA ESQUERDA E DO POVO BRASILEIRO é LULA!!!!!!!!!!!!
Quem é Ciro, da ARENA,MDB,PSDB,PPS,PSB,PROS ou PDT, descubra e depois nós conversaremos.

É LULA OU NADA!!!!!!!!!!!
!

Responder

Valcir Barsanulfo de Aguiar

13 de maio de 2018 às 09h06

Ciro não foi só fundador do PSDB, foi também fundador da ARENA em 1.977 também do PDS em 1,982, entro para a política pelas MÃOS fascistas do Tasso Jereissatti, porrtanto como dizia o grande Líder Leonel Brozola, “um filhote da ditadura”.
Miguel, entendo seus pendores pelo Ciro, mas daí a tentar enganar os eleitores sobre o seu passado, perdoe-me mas não posso concordar.

Responder

    Miguel do Rosário

    13 de maio de 2018 às 09h11

    Que fundador da Arena em 1977! Ele tinha menos de 20 anos em 1977. Olha só a loucura. PDS é a mesma coisa que Arena, e ele entrou no PMDB em 1983.

    Responder

      Fehnelon

      13 de maio de 2018 às 12h00

      Loucura é o editor, insistir em fazer campanha para quem quer que seja dessa forma, tentando impor sua vontade, manipulando a percepção do discurso, desqualificando uns, enaltecendo outros. Tvz mentindo, como saber? Quem é o “alta patente Petista” mencionado no texto?

      O que que um “editor” faz, qd vem ao fórum defender candidato, além de jogar no lixo, a isenção jornalistica e a credibilidade? Criticamos tanto a Globo, imagino o que, este espaço faria, tivesse o mesmo poder de penetração.

      Devemos nos perguntar o que faz alguém tomar essa posição? Porque transformar um site de noticias, no “puxadinho” do Miguel? Jogar fora, a posição e a credibilidade, alcançadas nos últimos tempos? Será cegueira ideológica? Inocência comercial? Ou o blog conseguiu algum acordo de financiamento, quem sabe a promessa de um?

      Essa discussão legitima o Golpe
      Projeto Ciro, é bomba de fumaça
      Eleições são condicionais.

      Os mentores do golpe, vaidades a parte, só enxergam o PT como esquerda, como ameaça, porque será? Não ha luta justa, que não seja a defesa do PT e a liberdade de Lula, vide a postura repugnante de Ciro, promovendo essa chantagem intelectual.

      Só Lula tem força politica para tomar o controle do país, não há opção. O esforço, sem medir consequências, para prender Lula, se resume no fato de ele ser o único que oferece risco, o único capaz de mobilizar o povo.

      Lula Livre!

      Responder

    Daniel Chaves

    13 de maio de 2018 às 11h49

    Esqueceu de mencionar a participação do Tasso na fundação do Partido Nacional Fascista em 1921, em Roma, e a grande influência de Ciro Gomes na fundação do Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães em 1920.

    (se alguém souber o que esse pessoal anda tomando por favor divulgue, também quero…)

    Responder

    Sandro

    13 de maio de 2018 às 11h54

    Que tal o PT cuidar do seu plano de governo ao inves de ficar difamando os outros? Quanta fofoca e maledicência! É nisso que se transformou o PT? Começo a me arrepender de todas as amizades que eu desfiz por cauda do PT. Que fanatismo doentio.

    Responder

    Ultra Mario

    13 de maio de 2018 às 11h56

    Ah cara, na moral, a esquerda está me desanimando. Temos a chance de mudar diversos problemas estruturais no país, como a cobrança de impostos dos ricos ou acabar com esse tripé macro economico que causa ciclos de desemprego e juros altos, e os lulistas ficam de mimimi e picuinha. “Ain ele foi de partido tal”, “Ain ele falou mal do Lula”, pelo amor né. Por isso o Brasil não vai pra frente.

    Responder

      Sandro

      13 de maio de 2018 às 16h47

      Eu tb estou desanimadíssimo! Parecem um bando de torcedores fanáticos, fofoqueiros de plantão. Se é nisso que o PT se transformou, ESTOU FORA!!!

      Responder

    Andre

    13 de maio de 2018 às 17h10

    Pior é o FERNANDO HENRIQUE QUE EEA DE ESQUERDA, E AGORA NÃO PERDE A OPORTUNIDADE DE FUDER COM AGENTE. Acorda “JENIO”

    Responder

paulino camargo

13 de maio de 2018 às 08h54

As vivandeiras de quartel estão agitadas como mulheres na TPM. E tome fake neuw. Esta turma do PDT como certos que tem morada no PDT e que todos conhece,os só falam asneiras. Se não for Lula será voto nulo e acabou. Na França elegeram um tal de Emanuel Macron com uma baixíssima contagem de votos válidos. Aqui no Brasil a coisa será muitíssimo pior. É Lula, ou será voto nulo de cabo a rabo..Acordo talvez seja feito no segundo turno isto se o Lula não ganhare no primeiro .

Responder

    Miguel do Rosário

    13 de maio de 2018 às 09h09

    Voto nulo jamais! Seria o pior erro. Tem que votar em quem defende a reconquista do pré-sal, e reindustrialização do país e a revogação dessa reforma trabalhista antossocial e antipobre.

    Responder

    Sandro

    13 de maio de 2018 às 11h56

    Se isso acontecer, o Petismo irá eleger alguém da direita, e aí companheiro, aí que o PT morreu pra mim. Já está quase morto, mas se o fanatismo cego da militância fizer isso, poderemos dizer que petistas e bolsominions andam de mãos juntas

    Responder

    Lucas

    13 de maio de 2018 às 12h25

    isso aí! Bolsonaro vai ser eleito com 30 milhões de votos (limite para ele) e ele vai ficar ligando muito que 90 milhões de brasileiros jogaram o voto no lixo porque prenderam Lula. Aposto que ele vai exigir uma reforma política pq teve baixa votação e nunca vai fazer aqueles projetos entreguistas e nazifascistas para os quais serve de palhaço.

    Vai confiando

    Responder

    Quasar da Silva

    13 de maio de 2018 às 14h52

    Ao contrário do que o fanfarrão duas-caras do Ciro Gomes afirmou, LULA É UM PRESO POLÍTICO sim: só foi julgado às pressas e condenado sem provas porque solto ele volta a ser presidente. Portanto, eleição sem lula é fraude.
    VOTO NULO. Eleição sem Lula requer VOTO NULO. Eleição sem Lula é fraude e ninguém que cultiva minimamente os valores democráticos deve participar dessa farsa.
    O VOTO NULO, no evento de uma eleição sem Lula, é a única forma de participação política pacífica que nos resta.

    Responder

Luciano

13 de maio de 2018 às 08h11

Acho que nunca vou entender a esquerda raivosa preferir correr o risco de ver os golpistas legitimados por uma eleição do que apoiar Ciro Gomes. Lula só sai da prisão depois das eleições, não deixarão ele concorrer, esta ficha ainda não caiu. Boulos e Manuela são ótimos, mas não ganham eleição. A resistência tem que ser firme, mas não quixotesca.

Responder

    Sandro

    13 de maio de 2018 às 08h21

    Tb acho que nunca vou entender! Transformaram o petismo em torcida organizada de futebol.

    Responder

Raquel

13 de maio de 2018 às 07h49

A insistência do blogueiro para que o PT apoie Ciro já está ficando constrangedora. Fica cada dia mais evidente que são interesses pessoais e não mais políticos. Pode escrever um milhão de artigo como esse, a mim não convence e não conhecerá Nunca!!! Ciro é hj candidato da mídia, do mercado, da Lava jato… Jamais, de esquerda. Lula é quem tem capital politico para decidir que rumo tomará essa eleição, ele deverá decidir como e quando nós, seus eleitores deveremos fazer. Ciro NÃO vai ser nunca esse candidato de União das esquerdas. Ciro está fazendo qualquer coisa pra se eleger. Quem está atacando Lula e o PT quando tem oportunidade é ele, e não o contrário. Nesse momento Ciro é mais adversário do que aliado. O que fez até agora contra a prisão de Lula??? É um coronel sim, prepotente, desleal, arrogante. Até parece que as pesquisas mostram ele com 40% e Lula com 5%, age como se fosse o grande favorito. O PT tem que continuar lutando pela candidatura de Lula até as últimas consequências, e deixar claro que é Lula ou nada!! Sem Lula, voto nulo. O PT, a vítima desse golpe não pode viabilizar uma eleição sem legitimidade. Tem que fazer campanha pelo voto nulo ou branco caso fique fora das urnas. É simples assim. A direita, incluindo Ciro, está desesperada para ter o apoio de Lula, pq sabe que sem ele a eleição, a governabilidade, está em risco. Chega dessa história de Ciro, não insista!!! Voto vc nele e pare de tentar impor Ciro aos seus leitores. Chega, esse assunto já deu!

Responder

    Miguel do Rosário

    13 de maio de 2018 às 08h23

    Raquel, não estou impondo ninguém. Acho viagem dizer que Ciro é candidato da Lava Jato, sendo que ele considera a condenação de Lula injusta, e tem falado que o judiciário, MP e PF precisam ser enquadrados. Ciro não está atacando o PT. Muito pelo contrário. Sempre esteve ao lado do PT. Elegeu um governo do PT em seu estado, Ceará. Abs e calma.

    Responder

      Sandro

      13 de maio de 2018 às 11h57

      Quem impõe alguma coisa aqui são os Petistas cegos e fanáticos!

      Responder

    Andre Santiago

    13 de maio de 2018 às 15h09

    Ciro é coronel. Veja bem o que você escreveu: faremos o que Lula mandar! Isso é esquerda? É fascismo e messianismo.

    Responder

      Miguel do Rosário

      13 de maio de 2018 às 15h25

      Coronel? Por que? Toda a carreira dele foi feita como alguém que se elegeu, sem ter grandes fortunas e sem ser dono de mídia.

      Responder

      Cézar R M Lopes

      13 de maio de 2018 às 19h04

      Quando o pessoal do MBL chama o Ciro de “coroné” eu entendo, são os boçais preconceituoso da direita atuando como sempre atuam, agora, quando vejo alguém supostamente de esquerda fazer isso, perco minhas esperanças no ser humano.

      Responder

baltazar pedrosa

13 de maio de 2018 às 07h38

Meu caro,Miguel,eu nuca vi uma banana virar laranja,tenho acompanhado as andanças de Ciro Gomes e muitas vezes fico surpreso com sua facilidade de mudar de cor,mudar de lado, metamorfosear.Na minha opinião ele é o famoso homem lagarta,só que ele não vira borboleta nunca, é algo que ainda estar procurando forma,tamanho e vergonha,ele entrou em vários casulos, todos, hora ficou grande hora ficou pequeno,acha que ele irá encontrar o seu casulo quando ele retornar as sua origens,relembre ao ilustríssimo e eterno candidato que o PDS VIROU PFL QUE POR SUA VEZ VIROU DEMO,AGORA ELE ESCOLHE SE DEMO É DE POVO OU DO DEMÔNIO .

Responder

    Miguel do Rosário

    13 de maio de 2018 às 08h23

    Baltazar, o Ciro foi PDS com 23 anos e ficou apenas 3 anos no partido, que era do pai dele. Saiu em 1983. Abs

    Responder

    Sandro

    13 de maio de 2018 às 12h00

    Eu vivi pra ver o PT se transformar em aliado do PMDB e ver petistas se achando a Agencia Reguladora de quem é esquerda ou não. O PT não só realmente precisa de uma autocrítica urgente mas como humildade para a militância, para não morrerem sozinhos. Muitos estão dizendo que O PT sem o Lula é igual a um drone sem hélices. Veremos em alguns meses!

    Responder

Mirko Kraguljac

13 de maio de 2018 às 07h35

“Mas, ora bolas! O Brasil vive o momento mais dramático da nossa história, e as chances de Lula obter o direito de disputar as eleições, ou de conseguir governar, caso seja candidato e ganhe, são absolutamente nulas.”
E no final:
“Ninguém vai esquecer Lula ou interromper a luta por sua liberdade. Muito pelo contrário. A luta por liberdade de Lula ficará muito mais fácil de ser conduzida, se se desligar da utopia impossível de torná-lo candidato. O custo político dessa operação é alto demais, e representará desperdício de recursos políticos, morais e financeiros.”
FALOU TUDO!!!
Esse é o jogo da direita golpista! Essência – o Lula não pode! Agora, se Lula não pode de jeito nenhum e, no mesmo tempo, Ciro pode (para os golpistas), o que pensa de Ciro? É uma logica bem simples!
Todo jeito, quem vai decidir sobre possível transferência de votos é o próprio Lula e não militância do PT, nem burocratas do partido. Então, esqueceram de perguntar Lula…

Responder

Benoit

13 de maio de 2018 às 07h11

É o que eu também penso. Como já escrevi antes, se o Ciro fosse de direita e fosse candidato da direita, ele seria imbatível, ganharia qualquer eleição. Portanto é uma sorte ele ser um candidato pela esquerda e a esquerda deveria estar contente por poder ter um candidato como ele. Governar o país vai ser dificil para quem quer que seja. O golpe piorou muitos dos problemas do país, arruinou mercados, arruinou firmas, acentuou problemas sociais, promoveu um clima político venenoso. A impaciência é grande e as soluções só virão lentamente. Quem quer que seja que venha a ser presidente pode vir a falhar. Talvez ele seja o candidato que melhores condições tenha de tentar reverter esse processo.

Responder

    Cristina Borges

    13 de maio de 2018 às 11h08

    Me impressiona a elasticidade do conceito de esquerda.

    Responder

      Benoit

      14 de maio de 2018 às 09h05

      Não me impressiona nem um pouco, conceitos funcionam assim mesmo e existe uma explicação relativamente clara para isso e para justificar o que eu disse. Talvez se voce ler o artigo do Miguel voce entenda melhor o que eu escrevi. O que me impressiona foi ver as reações irracionais a essas questões sendo discutidas. Pode-se discordar, pode-se avaliar as coisas de outro modo. O que não faz sentido é manter as suas posições sem querer discutir nada, sem querer justificar nada, sem tomar conhecimento dos fatos, e criticar a posição defendida por uma autor sem sequer ler o que ele escreve.

      Responder

Liliana

13 de maio de 2018 às 07h11

Miguel, você não está entendendo que a ÚNICA maneira de lutar por Lula livre é mantê-lo candidato até o fim. Se Lula não participar das eleições, qualquer candidato que ganhar será o que os golpistas deixarão ganhar e não alguém que desfaça o golpe. Ciro Gomes está revelando cada dia mais que quer ser o candidato de todos, inclusive dos golpistas. Acorda meu filho!!! Você está gastando vela com defunto ruim!

Responder

    Miguel do Rosário

    13 de maio de 2018 às 07h18

    Claro que não! Olhe as entrevistas, ele detona o golpe sempre. Defende impostos progressivos, investimento público, desapropriação dos campos do pré-sal. A única maneira de lutar por Lula livre é vencendo as eleições e empoderando povo novamente.

    Responder

      Liliana

      13 de maio de 2018 às 08h05

      Ciro Gomes empoderar o povo? Em todas as manisfestações contra o golpe onde tinha povo, nunca o vi. Dizia que era contra o impeachment, mas descia a lenha na Dilma, dando a entender que era culpa dela, a Lava Jato condenar Lula em tempo recorde é a justiça ideal, Lula não é preso político, não participou de nenhum ato em defesa de Lula porque ele não é puxadinho do PT e também não podia participar porque estava nos EUA (eu não sei quem vai mais pra lá: Ciro ou Moro). Agora já fala em privatizações, reforma da previdência sabe-se lá qual e, pra completar, quer de vice o cara da FIESP maior financiadora do golpe? Se Lula mandar votar no poste eu voto, se mandar votar no Ciro, eu voto no poste.

      Responder

        Miguel do Rosário

        13 de maio de 2018 às 08h21

        Liliane, o Ciro não tem falado em privatização e reforma da previdência dele é muito diferente da do Temer. Reforma da previdência tem que fazer mesmo, mas bem planejada para não prejudicar os mais pobres, como está fazendo Temer. Sobre o impeachment, você pode não ter visto ele na sua manifestação, mas ele fez a denúncia do golpe, de maneira muito clara. E faz até hoje.

        Responder

      Liliana

      13 de maio de 2018 às 08h24

      Miguel, o que você quer eu também quero: um presidente eleito que desfaça esse golpe horrendo (e isso não será fácil), mas a única pessoa que pode fazer isso está presa e impedida. Qualquer outro que concorrer, sem Lula no paréo, ganhando ou não, dará aos golpistas a legitimação do golpe, o discurso de que foi um processo limpo. Portanto, em último caso, eu acho que não devemos participar do processo e os golpistas que arquem com as consequências de um eleito sem apoio e a continuação da crise, ou seja, a continuação de um Temer.

      Responder

        Miguel do Rosário

        13 de maio de 2018 às 08h40

        Não concordo. Outro concorrer não dará nenhuma legitimação do golpe. São coisas distintas.

        Responder

      Bruno Aguiar

      13 de maio de 2018 às 15h05

      Concordo plenamente com o Miguel. Essa premissa “eleição sem Lula é fraude” e “o único que pode resolver é o Lula” é justamente a lógica que a direita quer, porque vai existir eleição na prática, com Lula ou sem, então alguém vai ganha-la e vai ser o presidente a partir de 2019. E nenhuma dessas afirmações contempla isso. Vocês querem que a Marina ganhe e governe para os bancos? Vocês querem que o Alckmin ganhe e continue desmontando o Estado? A eleição tendo sido fraudada retirando o Lula não é a questão, pois é exatamente isso que irá acontecer e se a esquerda não se unir e parar de se prender em frases feitas que não ajudam a entender de fato o problema, estaremos todos perdidos!

      Responder

    Sandro

    13 de maio de 2018 às 08h24

    E por causa disso vcs petistas estão abrindo mão de uma candidatura de esquerda forte pra combater o golpe? Lula infelizmente está INELEGÍVEL! É muito egoísmo por parte da militãncia. Vão entregar de mão beijada o planalto pra direita, é isso que vai acontecer!

    Responder

Roberto

13 de maio de 2018 às 06h54

Ciro repetiu, em fevereiro, aquela tolice da Dilma. Disse ele: “a melhor regulação da mídia é o controle remoto”, em entrevista à folha.
Dilma já evoluiu e não repetiria mais essa ingenuidade. Mas Ciro não é ingênuo, é esperto, e sabe quem são seus patrões: a família Marinho. Tanto que o vice de Ciro é um pato da Fiesp, entusiasta da “reforma” trabalhista.
Não, eu prefiro Lula.

Responder

    Miguel do Rosário

    13 de maio de 2018 às 06h57

    Bem, Dilma não só disse isso do controle remoto, como não fez nada. Ciro falou que vai mudar de outro jeito. Lula não é mais candidato. Ciro Gomes ainda não definiu vice. Tudo é fofoca nesse assunto, sem contar que Lula e Dilma não podem falar muito de vice né.

    Responder

      Liliana

      13 de maio de 2018 às 07h14

      Como Lula não é mais candidato??? Se você jogou a toalha e correu pro abraço com Ciro Gomes, sinto muito, não estamos mais do mesmo lado na luta.

      Responder

        Miguel do Rosário

        13 de maio de 2018 às 07h17

        Liliana, “eu não joguei nenhuma toalha”, nem corri para o abraço de ninguém. A luta de Lula é a nossa luta: ganhar as eleições, revogar todas as merdas que o Temer fez, botar ordem no judiciário, no MP e na PF. Tudo isso converge para a liberdade de Lula. O fato é que Lula não pode ser candidato. O judiciário brasileiro está enlouquecido e não vai deixar. A direção do PT precisa ser honesta com a militância.

        Responder

      Valeria

      13 de maio de 2018 às 14h05

      Acho que você está enganado com o vice do Lula, sempre foi um cara descente. E o vice da Dilma foi escolha do partido que quem era presidente era o traidor Rui Falcão… E pelo que sei o Lula não está inelegível “ainda”……

      Responder

      Quasar da Silva

      13 de maio de 2018 às 15h04

      Lula continua candidatíssimo.
      Quem te disse que Lula não é mais candidato mentiu para você, caro Miguel.
      Dizer que Lula não é mais candidato é traição à sua pessoa.
      Se fosse para Lula não ser candidato ele teria retirado sua pre-candidatura antes de ser condenado e agora estaria por aí livre, leve e solto.
      Lula só está preso por ser candidato.
      Se amanhã ele se comprometer com a direita a ficar fora da eleição, no mesmo dia ele está solto.
      LULA É CANDIDATO. Só por isso ainda está preso.

      Responder

        Miguel do Rosário

        13 de maio de 2018 às 15h26

        Quasar, me desculpe, tem que ser muito ingênuo para achar que o TSE vai permitir que Lula registre a sua candidatura.

        Responder

sergio ferreira

13 de maio de 2018 às 06h48

A postura de não concordar com a aliança com o PDT ou com o apoio ao candidato do PDT é irracional?
É isso mesmo?

Se for, o debate está prejudicado pois um grupo se proclama experiente, lúcido e racional e atribui ao outro – o dos que querem manter a candidatura Lula até o fim – os defeitos do radicalismo, do purismo ou, mesmo, da ignorancia.

Responder

    Miguel do Rosário

    13 de maio de 2018 às 06h53

    Não, claro que não. Pode discordar da aliança. Mas há elementos irracionais atrapalhando a união do campo progressista sim.

    Responder

    Bruno Aguiar

    13 de maio de 2018 às 15h15

    Concordo com o Miguel. Estamos todos de acordo que o Lula seria o melhor candidato. Ponto. Mas vamos considerar qual é a probabilidade do Lula conseguir se candidatar + ser eleito + governar? Sabendo que o golpe tomou conta de todas as instâncias relevantes (Procuradora Geral do União, Supremo, grande mídia, TSE,…), você sinceramente acha que depois de tudo que fizeram deixariam Lula ser candidato?
    Agora considerando essa possibilidade que aparentemente é a mais provável de Lula não conseguir ser candidato, vocês vão votar em quem? Esse seu candidato tem reais chance de ganhar a eleição? Essa é a racionalidade que está sendo provocada, pois se tiverem como responder com lucidez a esses tipos de questões, não existe porque negar seus argumentos.

    Responder

Antonio Morais

13 de maio de 2018 às 05h41

Posso estar errado mas acho que Ciro vai seguir o caminho do grande Brizola.
#lulalivre #esquerdaunida

Responder

    Sandro

    13 de maio de 2018 às 06h39

    Na torcida aqui tb!

    Responder

Aliança Nacional Libertadora

13 de maio de 2018 às 05h14

Caramba…Miguel me fez começar a ler o Duplo Expresso…imagina depois de tudo isso ser “obrigado” a votar no Ciro? É um cara de esquerda privatizador? Praticamente rodou os ditos partidos que antigamente eram de esquerda….e que sabemos hoje que nunca o foram…. um político que não é incomodado pela imprensa golpista….mesmo porque possuisso amizade política com seuso representantes na política…..Ciro é um engodo de mau gosto….que desespero é cogitar realmente apoia-lo com seus 5 % de intenção de voto….todos cearenses e o Lula com a eleição ganha no primeiro turno preso…..e com o Ciro…continuaria preso….afinal o Coroné é um dos fãs intusiastas do Lavajatismo…..e imaginem Lula solto reclamando que o Coroné governa com os votos dele? Ciro escolheu querer votos de manifestoches…..e depois quase exigir os votos petistas. … é muito pra quem perdeu até pro Garotinho em uma das duas candidaturas fracassadas…e mesmo assim 5% do Ceará.

Responder

    Miguel do Rosário

    13 de maio de 2018 às 05h17

    Prezado, Ciro Gomes tem 9% de intenções de voto, segundo o Datafolha. 15% no nordeste. Ele terminou um debate dias atrás, que quem manda no país não pode ser judiciário ou ministério público e sim o povo através de seus representantes. Recado mais direto contra a Lava Jato não seria possível. http://media.folha.uol.com.br/datafolha/2018/04/16/3416374d208f7def05d1476d05ede73e.pdf

    Responder

    Sandro

    13 de maio de 2018 às 06h38

    Como é triste ver a militância petista fazer esse jogo sujo da maledicência. Miguel, muito obrigado por não entrar nessa. 247 e DCM pra mim viraram panfletos petistas e o Cafezinho está mostrando a sua imparcialidade com essa matéria esclarecedora e mesmo assim os bombardeios começaram. Força meu caro!

    Responder

    Erik Izídio

    13 de maio de 2018 às 08h57

    O Duplo Expresso cantou a bola… Lendo “O Cafezinho” fico confuso, não sei se certos artigos são parte das páginas do Blog ou se propagandas eleitorais do candidato Ciro Gomes rs. Vamos acordar para a vida! Hoje, Ciro Gomes afaga os ‘blogs-dito-progressistas’, amanhã, se vencedor, irá ao banquete com os barões da grande mídia. Vamos ter calma, apoiar o Ciro no primeiro turno é tiro no pé! O mais interessante é ver o Miguel do Rosário respondendo o comentários com afinco rs.

    #UmCoronelPraChamarDeSeu

    Responder

      Miguel do Rosário

      13 de maio de 2018 às 09h08

      Erik, que “bola” que o “duplo expresso” cantou? Afff! To respondendo porque tò com paciência, rs. Bem, com todo o respeito a Dilminha, mas foi ela que foi ao banquete com os barões da mídia, quebrando omeletes na Ana Maria Braga. E estamos aqui debate democraticamente. Coronel, que eu saiba, era grandes proprietários de terra, ou donos dos meios de comunicação. Ciro é apenas um candidato do PDT. Abs, Miguel

      Responder

      Sandro

      13 de maio de 2018 às 12h04

      Ja repararam que Petista agora nao tem mais plano de governo? O plano é só fofoca, intriga e maledicência? Estão querendo fazer com o Ciro o mesmo que fizeram com a Marina? Será que o povo está começando a acordar pra essa tatica petista de elimínio de reputações!

      Responder

      Cézar R M Lopes

      13 de maio de 2018 às 19h11

      Duplo expresso é aquele espaço de um cara que vive na Suíça, outro da Suécia e ambos não vão ter qualquer efeito prático em suas vidas caso a direita seja eleita. Após a eleição, gritarão: “Lula 2022”; só que até lá, eu, daqui do Brasil, vou ter que lidar com as consequências desse desatino, com minha vida diretamente afetada.

      Responder

      Ruan

      13 de maio de 2018 às 19h55

      “Vamos acordar pra vida”?
      Qual a chance de Lula ser solto (Me conta aí, em qual recurso, em qual instância, qual ministro do STF)?

      E a lei da ficha limpa? Vai registrar a candidatura como?

      Se registrar, vai fazer campanha como dentro da cadeia (Vai entrar camera lá pra filmar as mensagens ao povo? Vai ficar mandando bilhetinho? Vai falar através da Gleisi?)?

      Se você conseguir me responder, objetivamente, e não com “o povo tem que estar com Lula”, “Lula ou nada”, “eleição sem Lula é fraude”, eu faço campanha pra ele. 3 perguntas simples: Vai sair da cadeia como? Vai registrar candidatura como? Vai fazer campanha como?

      Responder

      Erik Izídio

      13 de maio de 2018 às 22h10

      Há dois anos acompanho e compartilho artigos do blog “O Cafezinho”, mas, hoje tô pulando fora! Uma guinada infeliz, caro Miguel. Boa sorte!

      #Lula2018
      #PT

      Responder

    Bruno Aguiar

    13 de maio de 2018 às 15h21

    Não entendo porque Ciro seria querido pela mídia, pois raríssimas vezes aparece nele, e o querido necessariamente é agraciado com benesses.
    Ciro nunca defendeu a Lava Jato. Está cansado de afirmar que considera Lula inocente, pois não existem provas que o condenem no caso do triplex. Assim, é só se informar.
    Também gostava do Duplo Expresso, mas é necessário ter senso crítico para tudo. Eles estão passando do ponto. Já está evidente isso. Enquanto ficar nessa história de “só tem plano L” vocês vão desunindo a esquerda e perdendo a eleição para a direita ou para extrema-direita e não vai adiantar nada o Romulus e o Wellignton ficarem irritados lá da Europa, pois não vai mudar nada.

    Responder

      Dio

      13 de maio de 2018 às 19h16

      E estavam errado em demonstrar as contradições e o oportunismo da fadinha da floresta?
      Os antigos marineiros agora são ciro?

      Responder

Sandro

13 de maio de 2018 às 05h10

Muito obrigado Miguel pelo artigo extremamente esclarecedor. Uma pena que ao invés de formar uma chapa Ciro-Haddad , o PT prefira a caminho da difamação. Seletividade Petista, Temer como vice pode, aliança com o PMDB tb, porém agora se aliar com quem realmente importa causa toda essa histeria. Ciro tem meu voto é apoio.

Responder

João Lucas Trevisan Alves

13 de maio de 2018 às 05h09

Cria do Tasso Jereissati de esquerda? Não tem como me desculpa sua defesa de Ciro Gomes é fraca não ele não considera Lula preso político e o fato de cogitar alguém da Fiesp pra ser vice mostra que é um candidato do golpe não contra o golpe além do mais sua campanha deixa claro que ele espera o golpe contra Lula pra tentar obter algum espólio que reste se fosse um candidato realmente comprometido com a esquerda e com tantas chances reais de vencer a Globo já teria caído de pau nele e outra quando a maior liderança de esquerda e popular está presa injustamente não basta algumas palavras de um suposto apoio como é o caso do Ciro. O PT não deve e não vai abandonar Lula em Curitiba como sugere seu artigo tampouco irá abrir mão de seu papel histórico ou sair a reboque de um PDT que não é nem o cheiro do que era antes. Seu artigo não propõe uma batalha ainda que difícil mas não vencida pela libertação do Lula e sugere sim virar a página esquecer o Lula tocar a vida e legitimar as eleições fraudulentas armadas pela direita e esse argumento que o Lula já era não cola Ciro participou dos governos do PT como qualquer outro do PMDB num presidencialismo de coalizão isso não faz dele de esquerda PT deve continuar seu apoio total e irrestrito e caso Lula seja impedido deve chamar o voto nulo para Presidente pois eleição sem Lula é fraude!

Responder

    Miguel do Rosário

    13 de maio de 2018 às 05h18

    Ciro não é “cria” de Tasso. Leia o post com calma.

    Responder

    Sandro

    13 de maio de 2018 às 06h34

    Lendo o seu comentário até parece que o PT é de esquerda! Depois que o PT se aliou e continua se aliando ao PMDB, infelizmente a militância não tem mais moral para qualificar quem é de esquerda ou não. Simples assim. O PT realmente precisa de uma autocrítica ao inves de ficarem criticando os outros, que sempre estiveram ao lado do PT. Nessas horas que eu vejo que existe uma grande diferença entre ser Petista e ser de Esquerda!

    Responder

      João Lucas Trevisan Alves

      13 de maio de 2018 às 08h22

      Fazer autocrítica no momento que a direita avança com força total sobre o partido é maluquice é hora de reafirmar os compromissos com a classe trabalhadora e a população pobre não ficar fazendo autocrítica e sim defender o legado do maior partido de esquerda do país

      Responder

      Sandro

      13 de maio de 2018 às 12h06

      É contra a autocritica do partido que se aliou aos piores ladrões desse país? Então eres a favor de toda roubalheira que o PT foi cúmplice?
      Quanta pena do Petismo meu Deus! Em que se transformou esse partido minha gente? Em um bando de cegos e fanáticos???

      Responder

    Miguel do Rosário

    13 de maio de 2018 às 06h55

    Chamar o voto nulo é loucura total!

    Responder

      João Lucas Trevisan Alves

      13 de maio de 2018 às 08h31

      Chamar o voto nulo é uma saída possível para o partido que tem o militante que figura em primeiro lugar em todas as pesquisas de intenções de voto inviabilizado de forma injusta e ilegal, não legitimaria as eleições e fortaleceria a oposição ao governo que subir de eleições fraudadas ilegítimas portanto participar das eleições sem o Lula é fazer o jogo da direita deram um golpe contra a Dilma prendem e inviabilizam o Lula é lá vamos nós participar da eleição e se um candidato da direita leva, supondo que o Ciro seja de esquerda, esse governo de direita sai legitimado e pode avançar com força total sobre os trabalhadores, situações extremas exigem medidas extremas também portanto se o PT chamar o voto nulo tem de entender a posição do partido que vê sua maior e liderança presa de forma injusta fazer coro com a direita dw que o Lula ja era e pedir pra o PT apoiar logo alguém é pedir pra virar a página do golpe é da prisão de Lula exigir do partidoo uma capitulação

      Responder

        Miguel do Rosário

        13 de maio de 2018 às 08h33

        não “legitimaria” eleições?, “fortaleceria oposição”. Não viaja. A direita ganhará as eleições e esmagará mais ainda a esquerda, simples assim.

        Responder

      João Lucas Trevisan Alves

      13 de maio de 2018 às 08h43

      Querer que o partido com maior lastro social e ligação com a classe trabalhadora sindicatos e movimentos sociais vá a reboque de um candidato que sequer reafirma seu compromisso com a classe ttabalhadora e que na primeira oportunidade que tem joga pra direita direita criticando o PT pela corrupção em seus governos enfim Ciro não finca o péna esquerda faz o jogo eleitoral batendo pau pra Deus e pro diabo e diferentemente do Lula ex operário sindicalista fundador do PT e principal articulador desse com CUT MST e outros movimentos sociais que num período de normalidade democrática buscou alianças com empresários o Ciro num período de exceção procura apoio dos financiadores e articuladores do golpe contra Dilma ou seja virar a página do golpe

      Responder

        Miguel do Rosário

        13 de maio de 2018 às 09h10

        O PT tem que baixar um pouco a bola né. Ser humilde. Esse discurso triunfalista não é muito realista hoje.

        Responder

      João Lucas Trevisan Alves

      13 de maio de 2018 às 08h53

      Discordo de você o PT se formou no período de exceção da ditadura é ilusão achar que deram um golpe pra aceitar que vá alguém la e desfaça o que foi feito e o único candidato com força pra reverter o quadro está preso e você sugere que deixemos ele lá e partimos pra uma eleição que é fraude apoiando um candidato vacilante de um partido também vacilante não estou viajando entendo seu ponto de vista mas discordo os militares o judiciário e a burguesia de conjunto não permitirá que o golpe seja barrado e participar das eleições sem Lula é participar do jogo nos quais eles são juízes e fazem as regras e caso o campo popular não vença o que não é improvável estaremos legitimando o golpe e o aprofundamento das políticas contra o povo se questionavam o temer por ele não ter voto pra conduzir as reformas qual será a crítica ou mote da campanha de um candidato da direita com votos e vencedor das eleições

      Responder

        Miguel do Rosário

        13 de maio de 2018 às 09h09

        Ué, mas então vocÊ defende o que? Fazer o que? Em que Ciro Gomes é vacilante?

        Responder

      Bruno Aguiar

      13 de maio de 2018 às 15h31

      Estamos do mesmo lado. Todos acreditamos que o Lula foi um dos maiores presidentes da história, o PT é um dos maiores partidos de esquerda do mundo e o Lula sofreu um golpe ao prende-lo para tentar tira-lo das eleições. Mas isso não muda o fato de que haverá eleições com ou sem o Lula. Estão fazendo de tudo para tirar o Lula e já está tudo dominado pelos golpistas. E votar nulo é entregar de bandeja o país para a direita governar, só que agora com a legitimidade do voto! Realmente você considera isso racional? Você prefere que a Marina entregue o país para os bancos? Votar no Ciro não significa ser contra o Lula, significa tentar dar o máximo, na medida do possível, retornar o legado do Lula e ter o PT de certo modo no governo. Mas se continuar com essa divisão da esquerda, quem estará no poder em 2019 será aliado do PSDB e não do PT.

      Responder

      Tiago Anatar

      13 de maio de 2018 às 19h07

      Adianta votar em esquerda golpista? Na Grécia seu super certo com o seu super esquerdista partido Sirizza.

      Responder

Deixe uma resposta para Manoel Frederico

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com