Bolsonaro e Haddad na Redenews

Não deixe a história se repetir

Por Pedro Breier

04 de outubro de 2018 : 21h48

Parece um pesadelo, mas é real.

“Bicharada, toma cuidado, o Bolsonaro vai matar viado” cantado a plenos pulmões por um grupo na estação de metrô mais movimentada de São Paulo, a Sé.

Pessoas agredidas ou ameaçadas, do nada, apenas por exercerem sua cidadania fazendo campanha para algum partido de esquerda. São inúmeros os relatos de candidatos e militantes.

Famílias tirando fotos fazendo o gesto de uma arma, como faz Bolsonaro. Inclusive as crianças. Presenciei a cena chocante em um restaurante de Santa Catarina.

Eis o resultado do discurso de ódio de Bolsonaro. Eis a resposta que o fascismo oferece para os problemas da sociedade: violência contra minorias.

Por isso mesmo, o fascismo só consegue ter força em momentos de crise econômica. Apenas uma forte preocupação – ou mesmo desespero – por conta da piora nas condições de vida explica que uma parcela significativa da sociedade opte por uma alternativa tão  estúpida quanto perigosa.

O paralelo com Hitler é evidente. Assim como na Alemanha nazista, Bolsonaro transfere a culpa dos nossos problemas para grupos historicamente oprimidos, como mulheres, gays, negros e pessoas de esquerda.

Hitler só pôde promover o horror do holocausto porque houve, antes, todo um processo de desumanização dos que iriam, depois, para os campos de concentração.

Bolsonaro alimenta o mesmo processo de desumanização com suas falas absurdamente preconceituosas. Os episódios de violência contra os grupos alvo do candidato já aumentaram assustadoramente. Uma vitória de Bolsonaro deixaria seus seguidores radicais mais à vontade ainda para cometer barbaridades. É isso que queremos?

No filme alemão Ele Está de Volta, Hitler reaparece na cidade de Berlim, no ano de 2014, e conquista muitos apoiadores. A imagem que abre este post é uma cena do filme (a fonte é a boa página do Facebook “Um Filme Me Disse”).

Em alguns momentos do filme, o ator que interpreta Hitler interage com pessoas reais. Ele conversa sobre política e faz seu discurso xenófobo. É assustador ver que muitos acabam concordando com as ideias do ditador.

É um bom filme para indicar para aquele(a) amigo(a) que está pensando em votar no Bolsonaro – peça para ele(a) assistir antes de domingo, por favor.

Quem conhece minimamente o horror nazista pode tomar consciência de que Bolsonaro é o representante brasileiro dessa volta tardia e estapafúrdia do fascismo e, assim, repensar seu voto.

Quem, em sã consciência (sã consciência é um requisito essencial aqui), vai querer votar em um candidato sabendo que se trata de um  projeto de Hitler tropical?

Segundo o Datafolha que saiu há pouco, 35% dos eleitores pretendem votar em Bolsonaro.

Bora virar uns votos. Para evitar que o horror governe o Brasil.

 

Pedro Breier

Pedro Breier, colunista d'O Cafezinho, é formado em direito mas gosta mesmo é de jornalismo. Nasceu no Rio Grande do Sul e hoje vive em São Paulo.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

18 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Nostradamus ( banquinho & bacia )

06 de outubro de 2018 às 11h00

Escola de Frankfurt é uma corrente acadêmica chamada de Teoria Critica. Eric Fromm tinha quase trinta livros publicados no Brasil por volta de 1980. Entre eles a ANATOMIA DA DESTRUTIVIDADE HUMANA onde faz bastante referência ao fenômeno do autoritarismo, do caráter autoritário e do caráter produtivo ou construtivo.

Responder

    Nostra

    06 de outubro de 2018 às 11h03

    Gatinho do Miguel que comeste meu outro comentário vomita já bichano que vai te fazer mal diabo!…

    Responder

Nostradamus ( banquinho & bacia )

06 de outubro de 2018 às 10h30

O grande engano é que Hitler era igual as pessoas naquele momento histórico e não o contrário. E o são no nosso momento histórico ( ampliado ) antes de o Bolsonaro aproveitar o impulso do impedimento da presidente para os USA levarem nosso petróleo, projetarem invadir a Venezuela, tomarem a Base de Alcântara, derrubarem nossa indústria da construção civil, engenharia náutica, aviação e tudo mais. Não sobrou nada. Até a água no Rio é de Cia estrangeira. Mas já faz tempo que nas famílias de bem se via o feminicídio, o machismo, a homofobia, o assassinato sem apuração de gays, mulheres votando em quem o marido mandava… Aos montões. Não Sai na mídia. A ira, a cólera, a vingança, a sede de sangue é do brasileiro que não é cordato já o provou Jessé de Souza. Os crimes são cruéis por aqui. Bolsonaro fez foi aflorar este espírito de porco que estava mal reprimido a custas de uma boa consciência da gente de bem… De formas que concordo com os dizeres da foto mas discordo de alguns argumentos… a culpa não é só do coiso, que merecia ser levado com honra por um pelotão de bactérias mas, como diria o saudoso Eric Fromm da Escola de Frankfurt, do caráter autoritário da parcela do povo brasileiro que dá gás para este demente. O que eles veem nele que inspire paz, segurança e prosperidade ? Nada ! É só o ódio que os move, puro sentimento de identificação, gostariam de poder fazer o que ele faz, apontar arma, quebrar… e tudo o mais.

Responder

João Carlos

05 de outubro de 2018 às 19h46

Eu voto no Ciro, mas Pedro você viajou. Existe ódio na campanha, sim e muito. Mas os cantos da torcida do Palmeiras era somente provocação com a torcida São Paulina, não tinha na com o Bolsonaro em si, é de mal gosto, sim, mas não viaja, já faz pelo menos uma decada que a torcida do Palmeiras e Corinthians provoca a do São Paulo com associação a gays. Assim como da torcida do Corinthians com bandidos e a do Palmeiras com Italianos Porcos.

Responder

hocuspocus

05 de outubro de 2018 às 18h07

Parabéns cafezinho !!!!!enquanto os intelectuais do blog discutíam nuances ideológicas e as “diferenças” ciro e pts,o MONSTRO CRESCIA.
Mas acho que devemos ser coerentes (?) e manter nossa discussão.
A pureza ideológica que “buscamos” quem sabe num futuro próximo seja um exercício que devamos fazer ,as escondidas e no escuro.
Vai que um dos vermes fascistas que sairão a procura dos infies,nos ouça.

Responder

[email protected]

05 de outubro de 2018 às 13h39

Criando uma sociedade suspeita: o lado assustador do Estado Policial Tecnológico

De John W. Whitehead

“Se, ao que parece, estamos no processo de nos tornar uma sociedade totalitária na qual o aparato estatal é todo-poderoso, a ética mais importante para a sobrevivência do indivíduo humano livre e verdadeiro seria: enganar, mentir, fugir. , fingir, estar em outro lugar, forjar documentos, construir aparelhos eletrônicos aprimorados na sua garagem que superarão os aparelhos usados pelas autoridades. ”- Philip K. Dick

03 de outubro de 2018 “Information Clearing House” – É um dado que o Big Brother está sempre nos observando.

Infelizmente, graças aos esforços contínuos do governo para construir bancos de dados massivos usando tecnologias emergentes de vigilância, DNA e biometria, o Big Brother (e seus parceiros corporativos no crime) está ficando ainda mais assustador e invasivo, intrusivo e parecido com stalker.

http://www.informationclearinghouse.info/50375.htm

Responder

Claudio Mesquita

05 de outubro de 2018 às 13h33

O modo Tico e Teco sempre em ação. Quando alguém faz uma relação do coiso com o nazismo ou o fascismo, aparece alguém falando de Lenin ou do comunismo como similares. Podem até ser, mas o que isso tem a ver com a esquerda no Brasil. O Haddad deve ser um comunista comedor de criancinhas. Deveria ir pra Cuba, né?

Responder

    Paulo

    05 de outubro de 2018 às 23h22

    Cláudio, a relação do comunismo com o esquerdismo brasileiro e mundial é notória! A cara de um é o c. do outro…embora cada qual tenha suas nuances, obviamente, é certo que a fonte é a mesma. De Luís Carlos Prestes a Haddad muito tempo se passou e pouca coisa mudou, no plano ideológico e da práxis…

    Responder

      Claudio Mesquita

      05 de outubro de 2018 às 23h30

      Hã hã

      Responder

        Paulo

        05 de outubro de 2018 às 23h58

        O que você quer dizer? Que o PT reinventou a esquerda? Mas se o próprio Estatuto do Partido reza que:
        “Art. 1º. O Partido dos Trabalhadores (PT) é uma associação voluntária de cidadãos e cidadãs que se
        propõem a lutar por democracia, pluralidade, solidariedade, transformações políticas, sociais,
        institucionais, econômicas, jurídicas e culturais, destinadas a eliminar a exploração, a
        dominação, a opressão, a desigualdade, a injustiça e a miséria, com o objetivo de construir o
        SOCIALISMO DEMOCRÁTICO (grifo meu)”. Quer dizer, então, que o comunismo não é democrático? Ou que a democracia não comporta o comunismo?

        Responder

joão ferreira bastos

05 de outubro de 2018 às 13h33

se preparem pois a partir deste domingo, estas bestas/feras vão se sentir liberadas para cometer todo tipo de barbaridade

Responder

jose carlos lima

05 de outubro de 2018 às 00h53

a necropolítica se tornou um movimento de massas: isso é assustador

Responder

Milton

04 de outubro de 2018 às 23h38

Li algumas partes da entrevista do bolsonaro,
A entrevista dele é muito voltada as fake news que vem desde o golpe contra
a Dilma. Alem das mentirar e negações absurdas.
Até quando vão deixar esse cara dissimiar mentiras e ódios, Alguem precisa pegar item por item de suas falas e mostrar a verdade. Videos e textos.
Ainda por cima se faz de vítima. O cara ajuda a dar um golpe de estado e se faz de vítima?

Responder

    Cicero P.

    04 de outubro de 2018 às 23h51

    Um gigantesco estelionato eleitoral praticado por aqueles que se rogam honestos, acima do bem e do mal e guiados por “deus”.

    Responder

Paulo

04 de outubro de 2018 às 22h01

Falando em ódio, apenas um contraponto: “Precisamos odiar. O ódio é a base do comunismo. As crianças devem ser ensinadas a odiar seus pais se eles não são comunistas.”

Lenin , Congressional record – Senate, by USA. Vol. 77, 1933, pág. 1539.

Responder

    Fausto

    05 de outubro de 2018 às 08h57

    Melhor o senhor procurar algum LIVRO de Lenin e ler, antes de postar qualquer porcaria catada de internet.

    Responder

      Johan Lindberg

      05 de outubro de 2018 às 11h50

      Quando Hitler criou o primeiro campo de concentracao em Dachau na Bavaria, os Russos Soviéticos ja tinham pelo menos uns 20 deles cheios das pessoas que se opuseram ao socialismo. Hitler gostou da idéia e a copiou, sem pagar direitos autorais, essa pratica socialista.. Até hoje nao consigo achar nenhuma coisa que Hitler fez que Stalin nao tenha feito tambem. Perseguicao a Ciganos, gays, controle social da midia, campos de concentracao, auditoria da divida, tudo que vc imaginar sao ideias originais dos soviéticos

      Responder

        Paulo

        05 de outubro de 2018 às 23h15

        É que Stálin foi o “pai dos povos”…deveria ser considerado o “pai dos assassinos”, cabeça à cabeça com Mao Tsé-Tung…

        Responder

Deixe uma resposta

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com