A entrevista de Haddad à Globonews

Pesquisa eleitoral à prefeitura de Porto Alegre

Por Redação

14 de maio de 2019 : 13h35

No site do Instituto Methodus

Pesquisa aponta cenário eleitoral de Porto Alegre com altas taxas de rejeição

Pesquisa realizada pelo ​Instituto Methodus ​e pela ​Foca Comunicação​ mostra que a vida dos políticos que querem concorrer à Prefeitura de Porto Alegre em 2020 não será nada fácil. Além das mudanças das regras eleitorais – como o fim das coligações proporcionais, que tende a aumentar o número de candidaturas majoritárias – e de o financiamento coletivo não ter decolado da eleição passada, a rejeição aparece como mais uma barreira a ser superada pelos candidatos. Questionados se a eleição para prefeito de Porto Alegre fosse hoje, se votariam ou anulariam o voto, 35,5% anularia o voto. Ou seja, de um universo de1.064.870 eleitores da Capital gaúcha, quase 380 mil anulariam, independente de candidatos. Em 2016, no primeiro turno da eleição de Porto Alegre, 59.698 votaram Branco; 75.597 votaram Nulo; e 247.240 sequer foram votar.

O eleitor que afirma querer anular o voto é, em sua maioria, mais velho, com ensino médio e com renda familiar de até cinco salários mínimos. É, portanto,o eleitor com capacidade de julgamento e experiente que pretende se retirar do processo eleitoral. Analisando pesquisas qualitativas anteriores, é possível identificar que o anulador, ao longo de sua vida, obtendo maior estabilidade financeira, social e capacidade de entendimento da conjuntura política a abandona. Diante desta constatação é necessário refletir e entender como resgatar o eleitor anulador para o processo eleitoral de 2020. Questionados sobre as chances de votarem ou não votarem nos candidatos apresentados em uma lista, os entrevistados responderam assim:

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

3 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Paulo

14 de maio de 2019 às 19h30

O RS é meio atípico, mas, se o MDB de lá replica o nacional, estão mal os gaúchos, tchê!

Responder

Pedro

14 de maio de 2019 às 18h01

Se a Manuela não for burra, ela virá a vereadora para o PCdoB formar uma bancada decente. Se ela for rabo-de-pandorga do PT, será mais um fracasso eleitoral para ela e para o Partido (que não elegeu deputados federais ou estaduais no RS, nem vereadores em Porto Alegre).

Se a esquerda não galvanizar um polo de centro-esquerda, ano que vem discutiremos apoiar “o menos pior” novamente (um Van Hatten da vida?) no segundo turno.

Responder

Garibaldi

14 de maio de 2019 às 13h41

3 das 4 opções de esquerda são mulheres. Interessante notar.

Responder

Deixe uma resposta

x