Comentários sobre o áudio vazado de André Esteves (BTG Pactual)

MPF processa ministro da Educação por atacar estudantes

Por Redação

30 de maio de 2019 : 13h19

Na Exame

MPF processa Weintraub e pede R$ 5 milhões por danos morais a estudantes

De acordo com o órgão, falas proferidas por Weintraub desde que assumiu o MEC “são um perigo em torno de envenenamento gradual da democracia”

Por Clara Cerioni
30 maio 2019, 10h18 – Publicado em 30 maio 2019, 10h17

São Paulo — O Ministério Público Federal (MPF) entrou com uma ação na Justiça Federal do Rio Grande do Norte contra o ministro da Educação, Abraham Weintraub, e o governo federal por danos morais coletivos a estudantes e professores. A indenização sugerida é de R$ 5 milhões.

De acordo com o órgão, o motivo são as condutas praticadas desde o chefe do MEC assumiu a pasta, em abril. O MPF afirmou que dentre as atitudes estão a declaração de que “universidades que, em vez de procurar melhorar o desempenho acadêmico, estiverem fazendo balbúrdia, terão verbas reduzidas”.

“A fala demonstra clara vontade discriminatória por parte do réu, pois as universidades inicialmente retaliadas pelo MEC (UFF, UFBA e UnB) atingiram ótimo desempenho, com base em rankings de avaliação do ensino superior, como Times Higher Education”, diz o órgão.

Na ação, o MPF cita ainda outras declarações, que foram consideradas ofensivas e discriminatórias pelos procuradores, como a vez em que sugeriu que Centros Acadêmicos (CAs) e Diretórios Centrais dos Estudantes (DCEs) realizassem serviços de limpeza nas universidades.

Na ocasião, durante reunião com reitores e membros da bancada parlamentar do Rio Grande do Norte, o ministro foi questionado sobre a falta de recursos para o pagamento do serviço de limpeza na Ufersa, UFRN e IFRN. Ele propôs, então, que que “se chamasse o CA e o DCE” para realização dos serviços.

“Perigo democrático”

A ação defende que as falas de Weintraub são um perigo em torno de “envenenamento” gradual da democracia. “Quando discursos desse tipo passam a ser proferidos e considerados normais na sociedade elas podem criar um clima de animosidade contra as instituições”, defende.

O valor sugerido de R$ 5 milhões, segundo o MPF, leva em conta a reiteração da conduta, o cargo ocupado pelo ministro e a quantidade de pessoas atingidas. A ação tramitará na Justiça Federal do RN, na 10ª Vara Federal, em Mossoró.

Para o MPF, as condutas do chefe do MEC são discriminatórias, não estando protegidas pela liberdade de expressão, porque ferem a honra e a imagem pública dos professores e alunos.

***

PS Cafezinho: A propósito, o ministro divulgou um vídeo hoje muito curioso:

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

14 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

AlexB

31 de maio de 2019 às 00h16

Miguel,não quero arrumar treta, briga, quero apenas debater. Olha essa declaração da batata liberal. Dá para continuar defendendo a moçoila depois dessa?( vamos admitir que ela está se superando a cada semana, soltando uma pior que a anterior);O que será isso?Burrice?Estratégia? Não está mais se aguentando no papel de progressista-moderninha-nova opção-dou-tilt-na-esquerda (quá quá quá!) e resolveu se assumir?
http://www.esquerdadiario.com.br/Tabata-Amaral-Tem-faculdades-e-universidades-que-da-pra-cortar-mais-que-outras?fbclid=IwAR0AJSqFxY6_gdqOvy8XPgfevW2jhYxu4O6ijDrAJFZcJgMP1FGXvj0fyro

Responder

Marcio

30 de maio de 2019 às 18h59

E’ muita falta do que fazer do MPF

Responder

Justiceiro

30 de maio de 2019 às 18h07

Ora, o ministro disse que em algumas Universidades tem balbúrdia.

E onde ele falou besteira?

Procure no tio Google estudantes da UnB queimando a Bandeira Nacional. Procurem no tio Google estudantes nus mostrando a bunda onde está escrito: ” meu cu é laico”.

Em outra “aula de filosofia, tem um bando de alunos imitando macacos.

Quem tem que ser processado são Reitores comunas, que infestam nossas instituições de ensino. :

Responder

Henrique

30 de maio de 2019 às 17h38

MPF fascista ! kkkkkkkkkkkkk

Responder

Alan C

30 de maio de 2019 às 13h38

Miguel, publique o currículo do ministro da “educação”.

Cada nota de cair o queixo… Não é a toa que é complexado com a universidade.

Responder

    Marcos

    30 de maio de 2019 às 17h04

    Quem tal publicar o currículo dos ex-presidentes Lula e Dilma ? As notas devem ter sido ótimas……

    Responder

      Alan C

      30 de maio de 2019 às 17h49

      O mal dos bolsominions e da petezada é essa disputa ridícula que destrói o país.

      Responder

        Marcio

        30 de maio de 2019 às 19h00

        Votou PT desde que nasceu atè ontem.

        Responder

          Alan C

          30 de maio de 2019 às 19h42

          não confio em homens de barba longa

      cid elias

      30 de maio de 2019 às 21h30

      publica as tuas, canalha fascistoide apoiado de miliciano

      Responder

        Marcos

        31 de maio de 2019 às 12h54

        Vou fazer melhor, vou mandar a relação dos concursos nos quais já fui aprovado; concursos em que os descerebrados ( como Lula e Dilma ) e os maconheiros esquerdistas não conseguem passar. kkk

        Responder

      cid elias

      30 de maio de 2019 às 21h31

      Publica as tuas notas, canalha apoiador de bandido miliciano

      Responder

      J Fernando

      31 de maio de 2019 às 13h33

      Cara, deixa de partidarismo fanático.
      Dilma tem currículo excelente.
      Já Lula, nunca mentiu sobre sua escolaridade. Se o currículo é menor do que o do ministro, pelo menos não inflou, mentindo sobre faculdade que não cursou.
      E isso é irrelevante, pois eles nunca foram Ministros da EDUCAÇÃO, cargo que se exige uma escolaridade pelo menos acima da média e atividades relacionadas à área.
      Quando se questiona o currículo do ministro da EDUCAÇÃO, você tem que compará-lo com os currículos dos ministros que passaram pela pasta: Murílio de Avellar Hingel, José Goldemberg, Fernando Haddad, Rossieli Soares, entre outros. Veja também o currículo POLÍTICO de alguns destes nomes citados e você entenderá a diferença.

      Responder

        J Fernando

        31 de maio de 2019 às 13h35

        A minha resposta é para este comentário:
        “Quem tal publicar o currículo dos ex-presidentes Lula e Dilma ? As notas devem ter sido ótimas……”

        Responder

Deixe um comentário

Parlamentarismo x Semipresidencialismo: Qual a Diferença? Fernanda Montenegro e Gilberto Gil são Imortais na ABL: Diversidade Auxilio Brasil x Bolsa Família: O que mudou? As Refinarias da Petrobras À Venda pelo Governo Bolsonaro O Brasileiro se acha Rico ou Pobre?